• Home

PR1525 – Mundo de Metano Antau I

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

c1525

Eles estão dispostos a morrer por um sonho – e a matar

Título Original: Methanwelt Antau I

Autor: H. G. Francis

Tradutor: José Antonio

Artista da capa alemã: Johnny Bruck

Publicação na Alemanha: 12/11/1990

Publicação no Brasil: Agosto de 2018

Época: Fim de novembro do ano de 1170 NCG

Local da ação: Terra, Southside, sistema Antau

Personagens principais: Nikki Frickel, Loydel Shvartz, Barris O’Negan, Atlan, Bogan von Semas, Lomag De, Sin-I-Sor, Oaloak

Resumo

No final de novembro de 1170 NCG, Nikki Frickel e Loydel Shvartz refletem como poderiam reencontrar a trilha dos atacantes da LORETO. Ao longo do percurso presumido das dezoito espaçonaves estrangeiras, eles desejam voar para os sistemas em que também há formações do projeto UBI AQUILO ocupadas com a criação de postos de controle. Supondo que o ataque contra o projeto foi abordado, eles refletem sobre outros objetivos possíveis dos sabotadores.

Primeiro, voam para os sistemas Havargha e Inirhis. Mas não encontram nada de interessante. Em seguida chega uma mensagem do sistema Pfado, onde operam duas naves da Liga Hanseática Cósmica – a ALPHA CARINAE e a PI LUPI. Elas localizaram dezoito espaçonaves estrangeiras nas suas proximidades. A TABATINGA parte imediatamente, mas chega tarde demais para ajudar as naves da Liga Hanseática. Além de duas nuvens de gás, dos restos das duas naves e das emissões dos atacantes recém-mergulhados no hiperespaço, a localização só detecta os restos de um space-jet. O analista Casgran Haygu consegue, a partir do computador dos destroços, obter o destino provável dos estrangeiros – o Punho de Provcon. Naquele setor operam a CIMARRON de Reginald Bull e a PERSEU de Julian Tifflor, que se retiram do sistema Invek depois de um aviso de Nikki Frickel. De uma distância segura, eles observam os satélites ali posicionados da antiga rede de controle serem atacados e destruídos por dezessete espaçonaves.

Pouco depois a TABATINGA se encontra com uma das flotilhas lideradas pela ATLÂNTIDA de Atlan. Antes de seguir os estranhos, resolve-se aguardar a chegada de uma nova frota, para poder intervir com grande superioridade. Mas a partida da Terra atrasa e as 44 naves vão para o sistema Antau, localizado nas proximidades. Lá os estranhos materializaram após o ataque.

Estes fogem diante da enorme superioridade. Como são detectadas apenas dezessete espaçonaves em vez das esperadas dezoito, renuncia-se à perseguição e se decide focar na busca pela nave desaparecida. O exame dos restos da ALPHA CARINAE tinha apontado que esta ainda foi capaz de dar alguns tiros antes de sua destruição e assim se suspeita de uma nave danificada no sistema Antau. Quando um possível esconderijo é identificado no gigante de metano Antau I, Reginald Bull, Julian Tifflor, Nikki Frickel e Atlan, sob o comando geral deste, partem com quatro grupos de vinte e cinco shifts cada um em busca da nave danificada.

A permanência na atmosfera inóspita do planeta, já não muito segura, é complicada por outros fatores. Por exemplo, Jennek Lorean, um cientista a bordo do shift de Bull, fica várias vezes confuso e solta expressões ininteligíveis. Este finalmente se afasta tanto que seus companheiros passam a acreditar que uma entidade estrangeira tenta influenciar mentalmente o homem. Essa suspeita é confirmada quando este atacante provoca uma pequena falha estrutural no campo defensivo e tenta entrar no veículo.

O shift de Nikki Frickel é afetado por uma erupção vulcânica, sendo lançado aleatoriamente nas imediações da nave danificada. Os estranhos reagem instantaneamente e levam o shift com um raio trator para bordo de sua nave, que agora é claramente identificada como uma nave-concha de Truillau. A bordo da KONROQ. os prisioneiros – Nikki Frickel é acompanhada por Loydel Shvartz e pelo engenheiro de armas Barris O’Negan – são recebidos pelo comandante, o kontidense Sin-I-Sor. Este age em nome do Onipotente de Truillau, que ele chama de Zerpat. E este, por sua vez, se coloca a serviço de uma tarefa cósmica. A missão da flotilha kontidense é explorar o Grupo Local, especificamente a Via Láctea.

Frickel e seus companheiros são interrogados. Sin-I-Sor se irrita muito quando mentiras óbvias são pregadas. Quando a KONROQ é alvo de um ataque simulado da ATLÂNTIDA – Atlan também identificou a nave e sabe sobre a captura de Nikki Frickel – ele ameaça matar os reféns. Os galácticos abortam o ataque, mas um comando liderado por Atlan consegue penetrar a bordo.

Lá reina o alvoroço, de forma que eles conseguem, quase sem danos, libertar os reféns, capturar Sin-I-Sor e sair da nave. Como se constata, existe um alienígena chamado Oaloak que se encontra preso há 400 anos em Antau I e também subiu a bordo da KONROQ para tentar conquistar a nave e escapar do mundo de metano. A bordo da ATLÂNTIDA, os fugitivos testemunham a nave-concha explodir na atmosfera do planeta. Sin-I-Sor, em seguida, comete suicídio.

Pouco depois a formação de Perry Rhodan, comandada pela ODIN, chega ao sistema Antau. Eles testemunham a partida das dezessete naves-concha em direção ao Punho de Provcon. Pouco tempo depois, chega uma mensagem de Sato Ambush, informando que, de acordo com os nakks, o Punho de Provcon foi calculado como um possível local de rematerialização de Peregrino. A flotilha inteira parte para o novo alvo.

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir Email

Você não tem permissão para comentar. Faça seu login no site ou se registre, caso não tenha um login no site.

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.