• Home

Levian Paronn – Viajante no tempo e fundador das arcas estelares

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Levian ParonnLevian Paronn é do tempo da Grande Guerra dos lemurenses contra as bestas; era administrador técnico do planeta Tanta III. Ele é portador de um ativador celular, envia as arcas estelares para uma viagem através do tempo garantindo, assim, que haja verdadeiros lemurenses na Via Láctea e na Zona Proibida no século 14.

Levian Paronn é alto, tem cabelos pretos e sobrancelhas grossas e olhos cinzentos. Em sua jornada, ele mudou sua aparência por várias vezes para esconder que não envelhecia. Depois de 4.502 dha Tamar ele arranja através de ligeiras manipulações cosméticas um rosto enrugado. Ele coloca este disfarce novamente em 4.540 dha Tamar. Durante seu exílio em Ácon ele usa o cabelo em uma trança tingida de cinza, para aparentar ter uma aparência de idade avançada.

Características da personalidade:

Levian Paronn é visto como uma personalidade muito carismática. Ele exala um enorme dinamismo e uma paixão interior para as metas que estabeleceu para si mesmo. Ele é um excelente orador que pode arrebatar sua audiência.

A destruição do povo da Lemúria e, especialmente, sua família pelas bestas, causou um trauma profundo na psique de Levian Paronn. Seu plano para salvar os lemurenses da extinção, foi perseguido durante milhares de anos com devoção absoluta e com certa crueldade. O pensamento de que ele poderia causar um paradoxo do tempo (entre outras coisas, os terranos nunca teriam existido), não impediu seus planos, pois ele detém no presente em que vive, um “nível de tempo fictício”, que ele pode cancelar a ação corretiva no passado.

História

Na primeira viagem no tempo, Paronn foi ao ano 44 da guerra (6.364 dha Tamar / 50.036 aC). Ele nasceu no planeta Lemur. Ele era casado e tinha um filho com Erghena, chamado Janok.

Durante a guerra contra as bestas, Paronn teve uma carreira científica, no curso da qual também estudou a Física Temporal e a teoria multimundo. Em um ataque em seu planeta de origem pelas bestas, a capital planetária da 14ª Tamania, Paronn perdeu sua esposa e seu filho de quatro meses de idade. Ele tentou em vão resgatá-los, e teve que vê-los morrer.

Por volta do ano 6412 dha Tamar, ele se encontrou com uma pessoa desconhecida, que ele percebeu ser um dos lendários 12 heróis, Vehraáto, do qual recebeu um ativador celular, bem como os planos para a construção de ativadores celulares adicionais. Ele e o estranho se encontraram em um laboratório de bunker subterrâneo em Lemur, onde este tinha aparecido como um fantasma. O suposto Vehraáto parecia um lemurense, mas estava cercado por uma aura tênue. O estranho disse-lhe que Paronn realizaria grandes coisas que ninguém fez antes dele, que uns e outros considerariam impossíveis, mas não ele.

Nota: Icho TolotIcho TolotDefinição: Cientista halutense. Tinha por hobby estudar a história da Humanidade. Tornou-se um grande amigo de Perry Rhodan e dos terranos, os quais ele chama de seus filhos, pois possui um forte sentimento maternal — uma característica da sua raça. O seu encontro com Rhodan no ano 2400 tirou a raça dos halutenses do anonimato. Na época, ainda era considerado um jovem pelo seu povo. Participou das aventuras em Andrômeda ao acompanhar os terranos a bordo da Crest II, pois queria viver aventuras. Em 2436, acompanhou Rhodan na odisseia pela galáxia M-87. Em 3437, acompanhou Rhodan na expedição para Gruelfin, a bordo da MARCO POLO....
acreditava que o Décimo Segundo Herói era idêntico a Aquilo. (Lemuria 5)

No ano 97 da guerra contra as bestas Levian Paronn era administrador técnico e um dos principais cientistas (lemuriano: Technad – administrador técnico), em um centro de pesquisa em Tanta III, sua especialidade era a pesquisa solar e neutrinos. Foi graças ao seu trabalho que a potência irradiada do transmissor Hexágono SolarSolarDefinição: É a moeda oficial do Império Solar. Com a fundação do Império Solar, acabou o tempo em que a Terra tinha uma quantidade enorme de moedas diferentes. Em toda a Terra, como também em todo o Império, passou a funcionar uma única moeda — o solar. Um solar possui cem sólis. As cédulas, laváveis, são feitas de um plástico de alta qualidade. Todas mantêm uma cor esverdeada, são retangulares no formato e tanto maiores quanto mais alto era o seu respectivo valor. Todas as cédulas trazem estampada, na frente, a efígie de Rhodan e, no verso, uma imagem da Via Láctea, atravessada por frotas de naves espaciais. Embora a fabricação de notas de material plástico seja bem difícil, é absolutamente impossível falsificar a rede de uma espécie de metal tramado, da grossura de fios de cabelos, que cada cédula recebe, impressa de conformidade com um procedimento secreto. Esses arames são tão finos que é impossível senti-los com os dedos. São feitos com o raro metal-luurs....
pode ser otimizada. Nesta época, ele já tinha começado a construção do ativador celular e construiu quatro destes dispositivos. Mas eles foram encontrados não completamente acabados.

Devido à sua posição de alto escalão, Paronn recebeu em 6.417 dha Tamar por acidente, de um centro de pesquisa secreta dos Suen-Klubs do planeta Torbutan, um transmissor de tempo em funcionamento que devia ser desenvolvido. Paronn conseguiu convencer aos seus superiores da importância desta informação, para que ele tivesse uma pequena frota que tornasse o voo para Torbutan disponível. Seu plano era viajar ao ano de 6.290 dha Tamar, ou seja, no período pouco antes da eclosão da guerra contra as bestas. Ele queria levar projetos para novas naves de guerra mais poderosas e armas, a fim de mudar o curso da história. No início da guerra as bestas ainda não tinham a tecnologia do escudo paratron e o canhão intervalar, que provou ser decisiva na guerra.

Paronn chegou à Torbutan, quando as bestas já estavam e provocou um incêndio nuclear que não podia ser detido. Neste momento, Icho TolotIcho TolotDefinição: Cientista halutense. Tinha por hobby estudar a história da Humanidade. Tornou-se um grande amigo de Perry Rhodan e dos terranos, os quais ele chama de seus filhos, pois possui um forte sentimento maternal — uma característica da sua raça. O seu encontro com Rhodan no ano 2400 tirou a raça dos halutenses do anonimato. Na época, ainda era considerado um jovem pelo seu povo. Participou das aventuras em Andrômeda ao acompanhar os terranos a bordo da Crest II, pois queria viver aventuras. Em 2436, acompanhou Rhodan na odisseia pela galáxia M-87. Em 3437, acompanhou Rhodan na expedição para Gruelfin, a bordo da MARCO POLO....
chegou de uma viagem de 1.327 NCGNCGDefinição: Novo Calendário Galáctico - Contagem de tempo assumida após a unificação dos povos da Via Láctea sob um único governo. O ano 1 corresponde ao ano de 3588....
em Torbutan e lutou contra as bestas. Para remover o transmissor do tempo, Paronn dependeu da ajuda de cientistas de Torbutan. Estes participariam, mas apenas sob uma condição, desde que Paronn evacuasse os refugiados para um planeta vizinho. Para isto havia apenas uma única nave espacial. No segundo lançamento, a nave foi destruída por uma nave das bestas. Assim, Paronn ficou preso junto com o transmissor em Torbutan.

Levian Paronn3Como a tripulação de dois homens da nave besta quase havia penetrado no salão do transmissor, Tolot interveio. Depois de uma dura luta em que ele matou seus quase-antepassados, ele fez contato com os lemurenses. Paronn prendeu Tolot com uma caixa de servidão, quando ele estava enfraquecido depois da luta contra as duas bestas que atacaram a estação de pesquisa. No entanto, ele começou a confiar no halutense, quando identificou o talismã do lemurense como um ativador celular e lhe disse coisas que uma besta não poderia saber. Tolot informou a Paronn sobre a longa história dos lemurenses e o levou ao plano inicial da viagem no tempo, explicando-lhe que por trás do ataque das bestas estava primeira potência oscilante, que era muito mais poderosa e, especialmente, inatingível. Esse poder teria destruído os lemurenses de qualquer maneira, mesmo se Paronn conseguisse derrotar as feras.

O transmissor do tempo foi levado para Lemur com a nave da besta conseguida por Tolot. Tolot contou a Paronn sobre as arcas estelares e, assim, colocou até mesmo o desenvolvimento correspondente em transição. Secretamente deu a Paronn seus planos para sufocar pela raiz a guerra contra as bestas no passado, mas não inteiramente. De forma imprudente, Tolot informou aos lemurenses sobre a arma antibesta no sistema Ichest e da localização do transmissor do tempo no futuro.

Um confidente de Paronn que haviam escapado do cativeiro desconhecido das bestas anos atrás, pouco depois de um condicionamento que tinha obtido sem o seu conhecimento no cativeiro. Um comando pós-hipnótica seguinte, o fez fazer um contato por hiper-rádio com as bestas e disse-lhes tudo sobre o transmissor do tempo e os planos de Paronn. Em seguida, ele suicidou. Prontamente veio uma frota besta para Lemur. Paronn assim não teve oportunidade de organizar sua viagem no tempo. Enquanto em Lemur acontecia uma batalha espacial, Paronn cruzou sozinho no campo transmissor e chegou ao ano devido ao padrão de Tolot 4.500 dha Tamar. Tolot permaneceu e conseguiu se aliar ao o comandante da frota das bestas, Hork Nomass.

Viagem temporal e o Projeto Êxodo

Paronn viajou com o transmissor do tempo de Torbutan de volta ao ano de 4.500 dha Tamar para lá construir as arcas estelares e viajar com elas em voo de dilatação para o no futuro. Deste modo, a cultura lemurense seria preservada da destruição. Neste período, ele adotou a identidade de um homem nascido em 4.460 dha Tamar que havia morrido em um acidente.

Após a sua chegada ao passado relativo, no dia do primeiro pouso lunar tripulado dos lemurenses, ele conheceu Deshan Apian, que tinha acabado de ser nomeado cronista. O encontro foi breve, e Deshan Apian ficou impressionado com Paronn. Dois anos mais tarde, quando Paronn já estava como chefe do grupo de pesquisa espacial Impetus dos solidares lemurenses, ele tomou Deshan Apian aos seus serviços pessoais. Apian tornou-se, assim, o cronista de Levian Paronn.

Como chefe do grupo de pesquisa Impetus, Levian Paronn foi o principal responsável pela construção dos módulos flutuantes nas estações espaciais na órbita de Lemur. Ele estimulou a pesquisa de novas tecnologias e desenvolveu o motor de neutrino, que foi concluído em 4.521 dha Tamar. Ao mesmo tempo, ele fundou a organização dos aspirantes às estrelas, e apareceu disfarçado no papel do arauto mascarado, como seu porta-voz. Segundo a lenda (que provavelmente foi criada pelo próprio Paronn), ela era o arauto do duodécimo Herói Vehraáto. Em ambos os papéis, Paronn advertiu os lemurenses uma e outra vez sobre uma terrível ameaça iminente, mas sem ser capaz de dizer algo mais concreto para fazê-lo porque teria comprometido sua missão. Sob sua orientação, o grupo rapidamente crescente dos aspirantes às estrelas começou o trabalho sobre o projeto êxodo.

O Projeto Êxodo trabalhou em estreita colaboração com o grupo de trabalho oficial de Paronn. O objetivo era desenvolver naves de alta navegabilidade. As primeiras naves deste tipo foram concluídas em 4.525 dha Tamar, mas não eram genuínas arcas estelares. A colaboração entre os dois grupos de pesquisa foi considerado por alguns membros do governo como desperdício ou mesmo malversação de recursos. Levian Paronn foi, portanto, afastado de suas funções em 4.540 dha Tamar como chefe do "Impetus". Em seguida, ele deixou cair a máscara, tornou sua vida dupla publica e se descreveu como Vehraáto. Através de seus apelos para deixar Lemur, Paronn feito nos anos seguintes uma profunda clivagem da sociedade lemurense. Em 4.552 dha Tamar foram feitos até dois atentados contra a sua vida, mas não tiveram êxito.

Levian Paronn2Em 4.555 dha Tamar Levian Paronn concluiu as primeiras réplicas do ativador celular. O primeiro dispositivo desse tipo, ele entregou a Deshan Apian.

Em 4.560 dha Tamar, as três primeiras arcas Estrelas foram concluídas. Após ocorreu um ataque por uma nave besta que viajou no tempo, no mesmo ano, Levian Paronn conseguiu destruí-la com uma manobra arriscada, usando a AKAN HATA. Isto levou numerosos membros do governo a dar uma maior promoção ao projeto Êxodo. O primeiro-ministro, no entanto, foi de encontro a ele porque a construção das Arcas Estelares devorava os recursos, e a perda de milhares de lemurenses fez-se perceptível após a partida da primeira das arcas estelares em 4.562 dha Tamar.

O chefe de governo temia que Lemur pudesse gradualmente sangrar desta forma. Ele pessoalmente tentou assassinar Levian Paronn em 4.564, mas ele falhou porque Paronn usava um protótipo de projetor de escudo corporal desenvolvido por ele mesmo. Uma desconhecida nova tecnologia para os lemurenses. Os membros do governo estavam envolvidos na conspiração contra Paronn, e a pós a prisão deles, o Projeto Êxodo agora poderia progredir sem ser perturbado.

Levian Paronn partiu em 4.653 dha Tamar com a 47ª e última arca estelar, a ACHATI UMA. Ao mesmo tempo em que desenvolvida a primeira unidade luz para Lemur. Em 5.853 dha Tamar, após o tempo de apenas 12 anos da nave, Icho TolotIcho TolotDefinição: Cientista halutense. Tinha por hobby estudar a história da Humanidade. Tornou-se um grande amigo de Perry Rhodan e dos terranos, os quais ele chama de seus filhos, pois possui um forte sentimento maternal — uma característica da sua raça. O seu encontro com Rhodan no ano 2400 tirou a raça dos halutenses do anonimato. Na época, ainda era considerado um jovem pelo seu povo. Participou das aventuras em Andrômeda ao acompanhar os terranos a bordo da Crest II, pois queria viver aventuras. Em 2436, acompanhou Rhodan na odisseia pela galáxia M-87. Em 3437, acompanhou Rhodan na expedição para Gruelfin, a bordo da MARCO POLO....
o encontrou na ACHATI UMA. Junto com ele, ele visitou durante os voos de dilatação nos próximos séculos, as arcas estelares para levantar o moral das tripulações e corrigir erros. Ele recebeu dos moradores de algumas arcas o apelido de Guardião.

Nota: Com alguma probabilidade Levian Paronn sem saber, e mesmo sem a intenção, garantiu a disseminação de um agente patogênico (uma arma biológica das bestas) sobre as arcas estelares, da qual, quase toda a tripulação da NEANN OCIS foi vítima.

Durante este tempo, Paronn teve longas conversas com Icho Tolot. Ele seguiu seu plano original sem o conhecimento de Tolot. Em sua posse, secretamente, ele levou os planos de construção da arma antibestas que encontrou no sistema Ichest. Com essa arma ele queria viajar novamente do ano de 6.290 dha Tamar ao passado, para ganhar a guerra contra as bestas.

Levian Paronn4Em ÁconÁconDefinição: Sol branco-azulado gigantesco, com um diâmetro de 180 vezes o do sol terrano, distante mais de 42 mil anos-luz da Terra, perto do centro da Galáxia. Possui 18 planetas, sendo o quinto, Drorah (ou Esfinge), o principal. É o sistema natal dos aconenses. Esteve isolado do resto do Universo por um campo defensivo energético azul durante milênios. No ano 2102 foi descoberto por acaso pelos terranos, que passaram a chamá-lo de Sistema Azul....
como Achab ta Mentec

Levian Paronn finalmente deixou a arca estelar, para ficar por milênios no Império Aconense. Ele queria reunir tranquilamente mais informações sobre a primeira potência oscilante, para que numa segunda viagem através do tempo, não só derrotar as bestas, mas também evitar que eles fossem criados como a maior ameaça do mundo.

Em contraste com seu trabalho no Projeto Êxodo, agora não havia necessidade de manipular a sociedade aconense e participar de seu desenvolvimento. Ele só tinha que esperar até que seu plano se levantasse e tivesse novamente a oportunidade de avançar para o transmissor e outra vez viajar para o passado, viagens ao futuro não eram possíveis com este dispositivo.

Durante este período de espera, ele visitou pelo menos uma vez o ex-planeta Lemur, que agora tinha o nome de Terra. No entanto, o mundo era estranho para ele, até porque o continente Lemuria foi submerso no oceano.

Seguindo as antigas notas de Tolot que encontrou no sistema Ichest, os dados da arma antibestas desenvolvida lá.

Em ÁconÁconDefinição: Sol branco-azulado gigantesco, com um diâmetro de 180 vezes o do sol terrano, distante mais de 42 mil anos-luz da Terra, perto do centro da Galáxia. Possui 18 planetas, sendo o quinto, Drorah (ou Esfinge), o principal. É o sistema natal dos aconenses. Esteve isolado do resto do Universo por um campo defensivo energético azul durante milênios. No ano 2102 foi descoberto por acaso pelos terranos, que passaram a chamá-lo de Sistema Azul....
ele apareceu na identidade do oficial aristocrático Achabe ta Mentec. Ele fez durante este tempo um diário secreto, onde confiou todos os seus planos e pensamentos. Ele alcançou o posto de Maphan na sétima frota aconense e foi esposo de Geliebe de Aykalie, a sobrinha do Takhan Mechtan de Taklir. Aykalie que pertencia ao comando energético, com frotas internas e poderia empurrar com a sua ajuda a sua carreira.

Paronn, sob a alcunha de Achab ta Metenc, tinha o comando de um cruzador de batalha de 435 metros, chamado UMBERIA. Mechtan de Taklir gostava muito dele e estava disposto a dar-lhe um lugar no Conselho de Administração, que foi oferecido ao almirante por seu enorme aumento de popularidade.

Redescoberta das Arcas Estelares

Paronn lançou na Primavera de 1.327 NCGNCGDefinição: Novo Calendário Galáctico - Contagem de tempo assumida após a unificação dos povos da Via Láctea sob um único governo. O ano 1 corresponde ao ano de 3588....
o “desenvolvimento” de um rastreador de neutrino, e a descoberta de uma das arcas estelares. Na NEANN OCIS, seu diário foi roubado por Boryk. Ele se pôs com todos os esforços para recuperar o item controverso, porque a sua verdadeira identidade não poderia vir à luz. Enquanto isso, os mundos arsenais das bestas foram ativados por pulsos de hiper-rádio emanadas das arcas estelares. Um desses mundos era Gorbas-IV, a nova localização do transmissor de tempo. Paronn lançou informações que guiou Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
e Icho TolotIcho TolotDefinição: Cientista halutense. Tinha por hobby estudar a história da Humanidade. Tornou-se um grande amigo de Perry Rhodan e dos terranos, os quais ele chama de seus filhos, pois possui um forte sentimento maternal — uma característica da sua raça. O seu encontro com Rhodan no ano 2400 tirou a raça dos halutenses do anonimato. Na época, ainda era considerado um jovem pelo seu povo. Participou das aventuras em Andrômeda ao acompanhar os terranos a bordo da Crest II, pois queria viver aventuras. Em 2436, acompanhou Rhodan na odisseia pela galáxia M-87. Em 3437, acompanhou Rhodan na expedição para Gruelfin, a bordo da MARCO POLO....
para este mundo. Ele os seguiu com a UMBERIA e outras cinco naves para ver os eventos.

Como Rhodan e Tolot foram com uma pequena força-tarefa para Gorbas-IV, o transmissor foi descoberto, também Paronn estava lá. Ele se deu a conhecer, alegou a agir na ordem pessoal de Vehraáto, pegou um refém e enviou os dados da arma antibesta para inserir no transmissor do tempo. Desta forma, ele queria impedir a destruição dos lemurenses. Boryk impediu isso influenciando Paronn com seu dom de sugestão. O “gêmeo temporal” de Tolot voltando do passado; destruiu o transmissor do tempo.

Luta contra a Chimera

Após a destruição do transmissor do tempo em Gorbas-IV, Paronn fugiu de um transmissor ainda funcionando, o que ele então inutilizou, para que grupo Rhodan encalhasse em Gorbas-IV. Ele voou de volta para Drorah, onde não abandonou a ideia de impedir a destruição do Império LemurenseImpério LemurenseDefinição: Organização estatal. Tratava-se de um vasto império sideral criado a partir de Lemur (como a Terra era chamada pelos antigos lemurenses) há cerca de 52 mil anos e que era o fator de poder dominante na Via Láctea. Esse império, denominado Tamânia, era governado a partir da Lemúria. Ele consistia de 111 tamânias (reinos estelares), sendo cada um deles governado por um Conselheiro Tam. O mais alto nível do governo da Tamânia era controlado por 50 Conselheiros Tam, tendo cada um direito a três votos....
através de uma viagem de volta no tempo. Ele agarrou-se à ilusão, que em algum lugar ou em algum momento, poderia obter outra máquina do tempo, por exemplo, um deformador do tempo-zero. Ele ainda tinha a presença de um “nível de tempo fictício”, que pretendia cancelar por ação corretiva no passado.

Em Drorah, Paronn foi esmagado pelas lembranças da época da guerra contra as bestas e, temporariamente, perdeu a consciência. Ele foi submetido a exame médico, e se descobriu seu ativador celular. Ele, portanto, fez-se conhecido como lemurense. Ao tentar avisar ÁconÁconDefinição: Sol branco-azulado gigantesco, com um diâmetro de 180 vezes o do sol terrano, distante mais de 42 mil anos-luz da Terra, perto do centro da Galáxia. Possui 18 planetas, sendo o quinto, Drorah (ou Esfinge), o principal. É o sistema natal dos aconenses. Esteve isolado do resto do Universo por um campo defensivo energético azul durante milênios. No ano 2102 foi descoberto por acaso pelos terranos, que passaram a chamá-lo de Sistema Azul....
do emergente perigo das bestas, ele encontrou uma resistência inesperada. Falando com Mechtan de Taklir também foi recusado como a abordagem para o sistema azul. Ele, portanto, foi enviado a Xölyar, onde foi capturado e submetido ao interrogatório do comando energético. Também Mechtan de Taklir estava envolvido. O Takhan sabia que a verdadeira identidade há muito tempo era conhecida por Aykalie que estava grávida, e não tinha conhecimento de fazer um teste de paternidade de Paronn. Embora esta provasse que Paronn não era o pai da criança, no entanto, identificou-o como lemurense.

Os planos de Paronn na luta contra as bestas não foram apoiados. Ele foi privado do poder de comando sobre suas naves e o colocou sob prisão. No entanto Mechtan de Taklir o levou com ele quando a sétima frota partiu para o muno arsenal Paggosh para ajudar os terranos. Paronn tentou tocar a consciência do Takhan, mas não teve aparente sucesso. Embora Paronn pudesse atacar com um caça de batalha, mas só o usou para penetrar nos arsenais subplanetários. Ele sabia que havia transmissores lá, e queria usar tal dispositivo. Em desespero, ele pensou que poderia fazer com que Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
lhe desse acesso a um deformador do tempo-zero.

Pouco antes do transmissor Paronn foi encontrado e atacado por Necc Magot, o comandante do arsenal Paggosh. Para seu espanto infinito, Paronn foi resgatado pela besta clonada Ion Lissus. Paronn impediu então que Lissus fosse morto por tropas desembarque.

Novas metas

Em companhia de Ion Lissus, o grupo de Rhodan e as outras duas bestas “purificadas”, os clones Lev Utan e Murrn Hoks, e Paronn fugiram de Paggosh quando o planeta foi destruído por frotas terranas e aconenses. Paronn finalmente viu que o tempo em que ele viveu por tanto tempo, havia de fato se tornado a sua realidade e que o passado que ele sempre quis restaurar ficou alienado. Ele foi tão longe a ponto de chamar as três bestas clonadas de amigos.

As duas arcas estelares lemurenses previamente descobertas, foram assentadas por ÁconÁconDefinição: Sol branco-azulado gigantesco, com um diâmetro de 180 vezes o do sol terrano, distante mais de 42 mil anos-luz da Terra, perto do centro da Galáxia. Possui 18 planetas, sendo o quinto, Drorah (ou Esfinge), o principal. É o sistema natal dos aconenses. Esteve isolado do resto do Universo por um campo defensivo energético azul durante milênios. No ano 2102 foi descoberto por acaso pelos terranos, que passaram a chamá-lo de Sistema Azul....
em um ou dois mundos. Mas havia, pelo menos, outras 40 naves de geração lemurense que ainda não haviam sido descobertas. Levian Paronn assumiu a tarefa de cuidar delas. Ion Lissus, Lev Utan e Murrn Hoks concordaram em ajudar Levian Paronn na busca pelas arcas estelares desconhecidas e apoiar as suas tripulações. Para esta missão, ele partiu em 03 de maio de 1.327 para a Zona Proibida.

Imprimir Email

Você não tem permissão para comentar. Faça seu login no site ou se registre, caso não tenha um login no site.

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.