• Home

Tiuphores

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

TiuphoresOs tiuphores eram uma das nações dominantes da Via Láctea antes de ARCHETIM. A sua frota formava, aparentemente, o Império dos Rebeldes, ou como os tiuphores se referem: o Império Ilimitado de Tiu (PR 2804). Os tiuphores não veem em qualquer galáxia a sua casa, e vagam de galáxia para galáxia, a sua terra natal é um tabu para eles.

Os tiuphores vieram do planeta Tiu (PR 2803), deixaram este, de acordo com a sua cronologia de tempo há 87.770 (DTR) "Dias de Tempo para a Redenção" (DTR) (ano de 20.103.191 aC), Ou tornaram-se, como eles denominavam, "resgatados" a partir de seu planeta de origem. O planeta de origem dos tiuphores é atribuído a eles como um tabu, a simples menção do nome causa inquietação nos tiuphores. (PR 2803)

Aparência e fisiologia

Os tiuphores são criaturas humanoides. Eles são respiradores de oxigênio e habituados a uma gravidade de 0,91 gravo (PR 2800) e a uma temperatura de 5 a -15° C. (PR 2804 – Glossário) Eles são esbeltos, de alta estrutura corporal se movem graciosamente como dançarinos. As suas feições são únicas para os terranos, não sendo possível reconhecer o sexo masculino ou feminino. (PR 2800)

O tiuphores tem rostos avermelhados e alongados com olhos profundos, nariz fino com fendas e uma pequena boca estreita. (PR 2806)

Os descendentes dos tiuphores nascem como hermafroditas, depois do nascimento, após a alta, são colocados numa bolsa corporal onde se determina apenas o seu sexo: primariamente os thiuphores machos nascem a partir de tiuphores masculinos e de forma secundária, das mulheres, nascem os tiuphores fêmeas. (PR 2804 – Glossário) Uma exceção é o oráculo: estes são retirados após o nascimento primário da bolsa do oráculo e se mantem hermafrodita durante toda a vida. (PR 2803)

PR2806IluOs trajes de combate dos tiuphores são chamados de trajes de guerra ou fontes. Eles são de tiauxin e tem uma superfície preto-azulada, pequenas luzes percorrem o mesmo. (PR 2800) Os tiuphores podem formar uma simbiose com o traje de guerra. Uma vez que eles alcancem o inhorig (as condições em que isso ocorre não é conhecida), eles podem entender o conmentum pertencente ao traje de combate. O conmentum, uma espécie de sentido extra, em seguida, lhes dá uma velocidade de reação multiplicada. (PR 2802) Apenas dois a cinco por cento de todos os tiuphores possuem a capacidade de ser inhorig. A ligação assim criada com o traje de guerra tem duração por toda a vida. (PR 2803)

Na expectativa de uma luta os tiuphores expelem um feromônio especial que os torna eufóricos. O cheiro é uma fragrância de guerra. (PR 2800) Os terranos não são afetados pela fragrância de guerra, mas podem, pelo menos, perceber um cheiro de um leve com toque de gin. (PR 2804 – Glossário)

A fragrância de guerra pode ser preservada e preparada artificialmente de modo que pode ser utilizada como um perfume, por exemplo, em salas de estar. (PR 2806)

Fragrância de guerra

Um feromônio eufórico que os tiuphores soltam no ar que respiram, os terranos não tem receptividade alguma para a chamada "fragrância de guerra"; para os terranos o cheiro é de um leve toque de gin.

Caracterização

Tudo o que tem a ver com pátria e origem dos tiuphores é determinado como um tabu. A sua convicção é de que eles foram "resgatados" desde a sua origem, ou seja, a partir da existência vinculada a um planeta. Eles vivem desde então apenas em suas naves espaciais. (RP 2800) planetas são considerados apenas para entrarem em batalha. (PR 2803)

PR2807IluOs tiuphores são um povo guerreiro que executam os seus ataques de uma forma artística: quando eles bombardeiam um planeta, os ataques são executados de uma forma coreografada, por exemplo, as cidades são destruídas de uma forma que ao mesmo tempo as torres residenciais entram em colapso simetricamente. Eles também se empenham na destruição de corpos celestes, por exemplo luas, em dividi-los em peças o mais uniforme possível. (PR 2800) Na luta cada tiuphore compete entre si individualmente. (PR 2803)

Com as campanhas de faixas eles pegam indivíduos especiais ao atacarem os povos e capturam a alma deles para inseri-las na faixa sextadim de suas naves. (PR 2800)

Tiuphores conhecidos

Accoshai, Caradocc da XOINATIU (PR 2803)

Accron Tummai, vice-comandante da saltadora estelar PYTANNOC (PR 2808)

Binyabik Corkecc, membro da tripulação da TOIPOTAI (PR 2803)

Chettcoim, o oráculo da XOINATIU (PR 2806)

Gennloc, o oráculo da YONNTICC (PR 2800)

Gerhon, portador Brno (PR 2800)

Hotorr Traccax, comandante da saltadora estelar PYTANNOC (PR 2808)

Jarocc, portador Brno (PR 2800)

Klerctinc, oráculo da TOIPOTAI (PR 2803)

Milthred Dacc, líder de uma unidade de combate da TOIPOTAI (PR 2803)

Nunu Olltinc, membro da tripulação da XOINATIU (PR 2807)

Ohxon Bysccu, Caradocc da YONNTICC (PR 2800)

Paxa Hunycc, cientista-chefe da XOINATIU (PR 2806)

Pexxe Guddu, Caradocc da TOIPOTAI (PR 2807)

Poxvorr Karrok, membro da tripulação da TOIPOTAI (PR 2803)

Simca Rant, membro da tripulação da TOIPOTAI (PR 2805)

Tnoxa Yaffo, líder de uma unidade de combate da TOIPOTAI (PR 2803)

Toccyn Xo, membro da tripulação da XOINATIU, companheiro de Accoshais (PR 2806)

Tre Cayxin, Caradocc (feminino) da MIDOXAI (PR 2807)

Vecnud Uxay, membro da tripulação da XOINATIU, lugar-tenente de Accoshais (PR 2806)

Vorr Yaconc, membro da tripulação da TOIPOTAI, comandante das saltadoras estelares (PR 2803)

Xacalu Yolloc, comandante da TOIPOTAI (PR 2803)

Xardarion (PR 2803)

Sociedade

Governo

O reino dos tiuphores foi chamado de Império dos Rebeldes. Isso deveria expressar como é ultrajante a guerra em que os tiuphores se rebelaram contra todos os costumes civilizados. (PR 2801 E, cap. 1)

Os comandantes das arcas estelares são chamados pelo título de Caradocc. Como nave capitânia de todos os tiuphores está a arca estelar com os melhores guerreiros. Enquanto isso, seu comandante é nomeado como o Tomcca-Caradocc e é comandante de todas as arcas estelares, que participaram de uma campanha de faixas dentro de uma galáxia. Em 20.103.191 aC o Tomcca-Carradoc da guerra em Phariske-Erigon é Xacalu Yolloc. (PR 2803)

Religião

Os tiuphores acreditam na existência real de um lugar, que para eles é uma espécie de Valhala, que para ele tem o nome de Catiuphat. (PR 2800) A transferência da consciência de um tiuphore é realizada no salão da abolição da sua arca estelar. O oráculo e o ysicc desempenham papéis importantes. Vale ressaltar que a cerimônia de elevamento após a morte do tiuphores é realizada num momento em que, a sua consciência, na verdade, teria que estar extinta. (PR 2803)

Os tiuphores acreditam, que somente através de atos de batalha proeminentemente – que são particularmente cruéis e imaginativos em sua crueldade – eles podem trilhar o caminho para o Catiuphat. Para os tiuphores esta é uma verdade incontestável. Da mesma forma, não há dúvidas para eles que o Catiuphat está reservado ou acessível somente aos tiuphores; a sua forma física é a totalidade da faixa sextadim.

Os tiuphores estão convencidos de que alguns de seus oráculos estão em ligação com o Catiuphat. Especialmente o oráculo Klerctinc parece ter as melhores relações com o Catiuphat. Klerctinc é um tiuphore secundário que não nasceu naturalmente hermafrodita.

Ysiccs

Os ysiccs são animais semi-inteligentes de origem desconhecida que vivem com os tiuphores. O pássaro não muito grande; eles podem facilmente fica no ombro de um tiuphore. Eles têm uma cabeça triangular com grandes olhos negros e dentes pontudos. A pele de voo fica esticada entre os dois braços e as pernas. Eles têm garras afiadas. Ysiccs podem emitir um coaxar estridente. (PR 2803)

Ysiccs desempenham um papel importante na cerimônia da abolição, onde os tiuphores dignos para a transferência de consciência ao Catiuphat são servidos. O homem morto fica no darreiche no salão da abolição. O oráculo se aproxima dele com seu ysicc e um Catiuphat prime purificado de tiauxin. Com a fíbula, a conexão entre este mundo é produzida. Uma agulha sai da fíbula, enterra-se no cérebro dos mortos e começa a brilhar. Em seguida, o ysicc come o coração e o cérebro do cadáver. Assim, a cerimônia é concluída. O corpo é então desintegrado. (PR 2803)

Costumes e tradições

Para os tiuphores é importante mostrar força. Assim eles procuram adversários, que se provam ser particularmente fortes, em grau de respeito. A força dos recém-chegados é testada em duelos. (PR 2800)

O suicídio é considerado como indigno e odioso. (PR 2806)

Os tiuphores preferem quartos estreitos, assimétricas. Adições não são apenas na forma de portas nas paredes, também estão disponíveis acessos no chão ou teto dos ambientes. (PR 2800)

Calendário

Os tiuphores alegam que eles foram "resgatados de seu planeta de origem" e contam seu tempo em "Dias de Tempo para a Redenção" (DTR). O ano de 20.103.191 aC a 87.770 DTR. (PR 2800) A duração de um intervalo desse tempo é (a partir do PR 2803) conhecida apenas na medida que corresponde aproximadamente ao tempo durante o qual os tiuphores são produzidos, desde a concepção até o seu "nascimento primário" num saco corporal de se pai. (PR 2803)

As unidades de tempo mais curtas foram chamadas de thihaccs. (PR 2804)

Tecnologia

Naves espaciais

Até agora (PR 2800) são conhecidos três tipos de naves espaciais:

Arca estelar, com um comprimento de cerca de 5 km (PR 2801) em formato cilíndrico. Esta carrega uma faixa de um tecido hipercristalino diante dela, que contem as almas os prisioneiros dos tiuphores. Gucky descreveu a faixa como um saco cheio de almas.

Os tiuphores vivem e trabalham nas chamadas arcas estelares: em habitats voadores, que também são estação espacial, estaleiro, complexo industrial e naves portadoras.

O corpo principal das naves é de formato cilíndrico; ele tem cinco quilômetros de comprimento e altura de um quilômetro rodeada no terço superior por uma coroa, que é ligada ao corpo do cilindro através de quatro raios finos; o diâmetro exterior é de três quilômetros, o diâmetro interno de 2,5 quilômetros a seção transversal têm 250 metros. Nessa grinalda (o porto comercial) estão dentro doze e fora dezesseis saltadoras estelares, suspensas ou encaixadas.

Na parte inferior do cilindro estão alojados ao lado da fonte de alimentação, os motores superluminais e subluz da arca estelar. A unidade subluz é um poderoso propulsor de empuxo gravomecânico, que permite a aceleração em até 1.050 km por segundo ao quadrado. Os motores superluminais deles são altamente complexos propulsores de transição, com atuadores disponíveis.

As armas ofensivas dos tiuphores trabalham com base no princípio dos canhões conversores – ou princípio do transmissor fictício: em primeiro lugar, identificam o objeto alvo com hiperimpulsos e transportam os objetos através do hiperespaço penta ou hexa dimensional e o rematerializa no alvo, onde eles ficam ativos, por exemplo detonando.

Faixa sextadim

Cada arca estelar é precedida por uma faixa sextadim. Ela está localizada na proa das naves. Cada arca estelar tem uma faixa sextadim complexa e mais ou menos extensa. Esta consiste numa matriz e seu conteúdo. A matriz, por a sua vez consiste de uma membrana especial muito fina, de cerca de 30 metros, formada por cristais hiperativos vermelho-ouro (cristais de quartzo). Nesta matriz são incorporadas as constantes FSRS de seus oponentes.

PR2802Saltadora estelar que é significativamente menor, em forma de bumerangue e serve como uma nave auxiliar da arca estelar. (PR 2800, PR 2801). As Saltadoras estelares são espaçonaves dos tiuphores de mais de dois quilômetros de comprimento, 500 metros de largura e 250 metros de espessura, em forma de bumerangue e que são transportadas pelas arcas estelares.

Cápsula de guerra: unidade mais pequena de nave espacial que são usadas como escaleres, muitas vezes não tripulados, das saltadoras estelares. (PR 2808)

Robôs

Os tiuphores usam um pequeno, cintilante e preto-azulado robô de combate com um formato cilíndrico e seis braços de armas. (PR 2800)

Um tipo especial de robô foi chamado de doutrinador. É um robô formado a partir de tecidos de massa energética (TME), que são usados em todos os tamanhos, desde robô de combate até nanomáquinas. (PR 2804, PR 2806)

Hiperapoio

Os tiuphores têm propulsores de transição altamente complexos, os atuadores. Este movimenta a espaçonave pelo espaço entre o hiperespaço e a sexta dimensão, permitindo por um lado o voo pentadimensional e por outro lado um salto hexadimensional, enquanto isso a nave permanece numa existência semimaterial no espaço einsteiniano; a isso eles chamam de hiperapoio (uma desmaterialização parcial a partir da perspectiva do universo padrão, enquanto a bordo tudo parece normal).

As arcas estelares e as saltadoras estelares podem disparar a partir do hiperapoio, mas ainda assim, não ficam elas mesmas vulneráveis. Assim, o hiperapoio substituiu os campos defensivos.

Conmentum

No combate, os tiuphores usam um peitoral como traje de combate que é feito com um material altamente resistente. Esta substância é uma mistura de elementos cristalinos e amorfos que mudam e se adaptam a sua forma, mas podem sempre retornar a estrutura básica.

Os tiuphores chamam está substância de tiauxin. O tiauxin é preto-azulado; ocasionalmente a substância brilha intensamente como se soltasse um fogo azul; esta luz indica a ação de processos de conversão e de ajustamento, ou os de acompanhamento.

Cada peitoral tem uma inteligência embutida, o conmentum. Este é um tipo de inteligência externa, um sentido extra. Para ouvir o conmentum, o cérebro da consciência portadora deve atingir o inhorig.

Os tiuphores formam uma ligação vitalícia com o conmentum ao longo da vida. A primeira missão em estado de inhorig com um conmentum é um dos acontecimentos chave da vida de um tiuphores. Mas apenas dois a cinco por cento dos tiuphores são, na verdade, capazes de alcançar o inhorig.

O conmentum não torna possível para os tiuphores ler mentes, mas os tiuphores são informados pelo conmentum tão rapidamente que parece para quem está de fora, como se fossem telepatas e pudessem prever os movimentos, planos e conceitos de seus adversários.

História

Os tiuphores vagam de galáxia para galáxia. Em 20.103.211 aC os tiuphores entram pela primeira vez na Via Láctea, que na época era chamada de Phariske-Erigon, e no momento em que apareceram começaram uma guerra contra os povos da galáxia. (PR 2801 E, Ch. 3)

Imprimir Email

Você não tem permissão para comentar. Faça seu login no site ou se registre, caso não tenha um login no site.

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.