• Home

O termo Perryverso (Perryversum) refere-se ao ‘universo’ (espaço e tempo) referente aos romances de ficção no qual se passam as aventuras dos protagonistas das diversas séries AtlanAtlanDefinição: Antigo Príncipe de Cristal dos arcônidas. Nascido por volta do ano 8000 aC., Recebeu um ativador celular de Aquilo, passou dez mil anos na Terra procurando uma maneira de regressar a Árcon, seu mundo natal, quando em 2040 tentou sair da Terra numa nave da Frota Solar. Desde então ele tem sido um dos mais fiéis e leais colaboradores de Perry Rhodan....
e Perry Rhodan. Em contraste, a realidade aqui é referida como o mundo real.

Este artigo se destina a fornecer apenas uma visão geral das relações e estruturas do Perryversum.

Nota: O Perryversum não deve ser confundido com o multiverso. O Perryversum é um conceito literário do mundo real. Ele não é usado dentro dos romances. O multiverso, que é usado como um conceito dentro dos romances, se refere à totalidade dos universos existentes dentro do Perryversum.

Surgimento do conceito

Não se conseguiu identificar claramente quem criou o termo ‘Perryversum’ pela primeira vez. As primeiras utilizações surgiram por volta de 08 de janeiro de 1998; por outro lado, em 2 de outubro de 1997, foi utilizado pela primeira vez o termo ‘PerryVersum’.

Generalidades

Desde o começo, o Perryversum foi muito mais do que um pano de fundo para as aventuras de Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
e seus amigos. Ele foi criado para ter coerência interna, embora existam várias e grandes inconsistências. Isto ocorre porque nem todas as publicações possuem a mesma relevância para a composição do Perryversum; além disso, também existem várias contradições e erros de autor, mesmo nas fontes primárias.

Desde sua criação, a cosmologia foi mais bem detalhada, as tecnologias foram mais cuidadosamente descritas, muitos povos foram introduzidos na série – a maioria com um longo desenvolvimento histórico – e assim por diante. O Perryversum continua a crescer à medida que novas áreas do multiverso são exploradas, que surgem novas constelações e que as relações entre os povos são aprimoradas, o que muitas vezes é associado a um conflito armado.

Assim, o Perryversum inclui a totalidade da agora altamente complexa soma de todas as informações contidas nas publicações desde 1961.

Ele difere em muitos aspectos do mundo real.

HISTÓRIA

Os eventos ficcionais que começaram no ano de 1971 já foram amplamente ultrapassados pela realidade e diferem dos eventos reais. Assim, o primeiro pouso na LuaLuaDefinição: Satélite natural da Terra. No ano 2329, a Lua era uma bolha gigantesca e oca, uma imensa indústria de armamentos. Apesar de ser bastante menor que Árcon III, se transformara num centro de armamentos que, em questão de capacidade de produção, ultrapassara o dos arcônidas sob todos os aspectos. Resumindo, pode-se dizer que o satélite se transformou num gigantesco estaleiro cosmonáutico, uma área de instalações industriais, no qual são construídas as gigantescas espaçonaves — uma instalação fabril ao lado da outra, nos moldes dos adiantados padrões arcônidas....
que ocorreu em 1971 no Perryversum, acabou ocorrendo em 21 de julho 1969 no mundo real – infelizmente sem que uma espaçonave arcônida fosse descoberta. Além disso, as relações de poder daquele período no Perryversum diferem significativamente daquelas do mundo real. Os grandes antagonistas políticos no Perryversum não eram os EUA e URSS, mas o Bloco Ocidental e a Federação Asiática.

A Terra do Perryversum era habitada há mais de 50.000 anos por um povo tecnicamente avançado que surgiu por aqui: os lemurenses. Os lemurenses se espalharam por toda a Via Láctea, mas quase foram exterminados em uma terrível guerra. No entanto, no Perryversum, nem todas as criaturas humanoides descendem dos lemurenses, mas sim dos V'Aupertir, um povo que não se originou na Terra.

O Perryversum explora com sua história de ficção, entre outras coisas, uma explicação para o mito da Atlântida: este continente, bem como o Oceano Atlântico, foram nomeados em homenagem a AtlanAtlanDefinição: Antigo Príncipe de Cristal dos arcônidas. Nascido por volta do ano 8000 aC., Recebeu um ativador celular de Aquilo, passou dez mil anos na Terra procurando uma maneira de regressar a Árcon, seu mundo natal, quando em 2040 tentou sair da Terra numa nave da Frota Solar. Desde então ele tem sido um dos mais fiéis e leais colaboradores de Perry Rhodan....
, um homem do povo arcônida, que havia colonizado a Terra no 9º milênio aC.

Atualmente o Perryversum se encontra no ano 1.514 NCGNCGDefinição: Novo Calendário Galáctico - Contagem de tempo assumida após a unificação dos povos da Via Láctea sob um único governo. O ano 1 corresponde ao ano de 3588....
, que corresponde ao ano 5101 dC.

COSMOLOGIA

Código Moral e seres superiores

O código Moral é crucial para o desenvolvimento do multiverso na série Perry Rhodan. No Perryversum é assumida a existência de estruturas psíquicas de informação de alta complexidade, referidas como Cosmonucleotídeos. Eles são os componentes dos Cosmogenes, que conformam todo o multiverso e determinam a forma como se manifestam as leis da natureza.

No Perryversum há também o assim chamado modelo das cascas de cebola, que define entidades superiores, em grande parte inexploradas, cujo desenvolvimento supera em muito o das civilizações que dominam a navegação espacial. As superinteligências positivas e negativas, as Fontes e Sumidouros de Matéria e os Poderes Superiores são seres que controlam e intervém (muitas vezes no contexto de planos de longo prazo) na história do universo. As superinteligências comandam áreas distintas, chamadas de concentrações de poder, e reúnem vários povos auxiliares ao seu redor. Assim, muitos povos agem em nome de poderes que atingiram um estágio superior de desenvolvimento.

Também para os terranos isso é verdade até certo ponto. A Via Láctea e outras galáxias do Grupo Local fazem parte da concentração de poder da superinteligência AQUILOAQUILODefinição: Entidade, espécie de superser formado de energia pura. É a superinteligência do Grupo Local de Galáxias, ao qual pertence a Via Láctea. Consiste na consciência coletiva de uma raça antiquíssima que voluntariamente despojou-se de seu corpo físico. No ano de 1976, tinha por residência o planeta Peregrino. Nessa ocasião, concedeu à Humanidade um prazo de vinte mil anos no qual ela deveria provar seu valor....
, cuja sede fica no mundo artificial Peregrino. Muitas vezes referido como ‘mentor da humanidade’ a entidade sempre fornece tecnologias valiosas e dicas importantes (muitas vezes intrigantes) para Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
e seus amigos. Desde o começo, a relação entre AQUILOAQUILODefinição: Entidade, espécie de superser formado de energia pura. É a superinteligência do Grupo Local de Galáxias, ao qual pertence a Via Láctea. Consiste na consciência coletiva de uma raça antiquíssima que voluntariamente despojou-se de seu corpo físico. No ano de 1976, tinha por residência o planeta Peregrino. Nessa ocasião, concedeu à Humanidade um prazo de vinte mil anos no qual ela deveria provar seu valor....
e a Humanidade geralmente foi marcada pelo humor estranho da superinteligência, por isso, mais tarde, os homens se sentiam apadrinhados e enganados. Sempre foi tarefa de Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
agir em nome de AQUILO. Sempre que a entidade estava em situação de risco, geralmente era o terrano que tinha de ajudá-la.

Um exemplo atual da intervenção de seres superiores no cotidiano das pessoas é as medidas tomadas pelos Cosmocratas contra a própria propagação da vida. Isso incluiu o aumento de uma das constantes universais: a hiperimpedância. O conflito interminável entre os Cosmocratas e os Caotarcas – simplistamente chamados de Forças da Ordem e do Caos – se desdobrou recentemente para as galáxias do Grupo Local, o que ocorreu por meio do ataque da Coluna Terminal TRAITOR1 , que deveria culminar com o estabelecimento de uma negasfera2 na galáxia Hangay.

Universos e dimensões

Supõe-se que não existe apenas um universo, mas uma multiplicidade de universos, outras dimensões e zonas de transição, tais como a Profundeza. Também no mundo real fala-se a respeito da existência do multiverso. Supõe-se que haja um universo padrão, que serve como ponto de referência. O universo padrão é composto por duas partes, o Arresum e o Parresum que, na prática, são os dois lados de uma Fita de Möbius3 .

Outros universos têm um valor de estranheza diferente daquela considerada padrão. O universo padrão tem muitos passados e futuros potenciais, que podem ser realidade em universos paralelos. Universos paralelos em geral são apenas ligeiramente diferentes uns dos outros, podendo ser normalmente reconhecidos à primeira vista. Assim, é um universo paralelo concebível aquele no qual não foi Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
, mas Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar na Lua.

Em outros universos, como TarkanTarkanDefinição: Tarkan ( karta : o encolhimento ), também chamado de Nannaheh, é um universo paralelo ao nosso universo padrão, a partir do qual nos anos NGZ 447 e 448 NGZ foi transferida a Galaxy Hangay para o nosso Grupo Local. O universo Tarkan já está em um estágio avançado de contração. A vida restante de Tarkan foi estimado em 447 NGZ em cerca de um bilhão de anos....
, o Universo Vermelho dos druufs, o Mundo Negativo ou Eud'y-Azor-Jaroso, ocorreram desenvolvimentos completamente diferentes, prevalecem outras leis da natureza ou outro fluxo temporal. São conhecidos universos com mais ou menos dimensões do que o contínuo espaço-tempo quadridimensional do universo padrão.

Os diferentes universos não são estritamente separados, podendo ser alcançados. No caso de Hangay, até mesmo uma galáxia inteira do universo TarkanTarkanDefinição: Tarkan ( karta : o encolhimento ), também chamado de Nannaheh, é um universo paralelo ao nosso universo padrão, a partir do qual nos anos NGZ 447 e 448 NGZ foi transferida a Galaxy Hangay para o nosso Grupo Local. O universo Tarkan já está em um estágio avançado de contração. A vida restante de Tarkan foi estimado em 447 NGZ em cerca de um bilhão de anos....
foi transferida para o universo padrão.

Um universo bem cheio de vida

Em praticamente todas as galáxias do Perryversum existem muitos planetas com vida, seres inteligentes e com civilizações capazes de voo espacial. Se também existem estes fatos no mundo real, é caso de adivinhação...

A maioria das galáxias realmente existe e também recebe no Perryversum o seu nome real (Andrômeda, M87), mas algumas são chamadas por outros nomes (Gruelfin). Isso cria a impressão de que as galáxias, em particular a Via Láctea, estão literalmente abarrotadas por seres vivos.

O Perryversum é povoado por uma miríade de diferentes formas de vida. Há muitos humanoides e, no mínimo, o mesmo número de raças não humanas. Raças insectoides e reptilianas estão bem representadas, bem como avoides e várias criaturas que se assemelham a variações da fauna terrestre. Mas no Perryversum a vida também assume formas muito incomuns: seres de plasma como o Plasma CentralPlasma CentralDefinição: Assim é denominada pelos terranos a inteligência coletiva que habita o Mundo dos Cem Sóis e que controla os pos-bis. Trata-se de uma concentração de tecidos dotada de vida biológica e que possui uma espantosa capacidade mental. É originário de uma parte maior que habitava o planeta Rando I, em Andrômeda. Está interligado por um conjunto de nervos ou condutos semiorgânicos a um centro de computação. Essa interligação é chamada de engaste hipertoictico. Ao conjunto de plasma e centro de computação é dada a denominação de hiperimpotrônica. Em 2114, depois de assumir uma grande dívida de gratidão com os terranos, celebrou um tratado com Rhodan, consistente apenas numa série de acordos verbais. Esse foi um dos poucos tratados feitos por Rhodan que nunca chegaram a ser rompidos. O Plasma também cedeu aos terranos os dados sobre os raios conversores....
, seres híbridos mecânicos e orgânicos, plantas móveis e inteligentes e outras formas de vida ainda mais exóticas.

Esta diversidade não é por acaso, mas sim fruto da propagação, feita no passado, da vida inteligente executada pelos Sete PoderososSete PoderososDefinição: Os Sete Poderosos eram humanoides criados artificialmente pelos Cosmocratas. Sua missão era promover a vida e inteligência no universo, utilizando-se de suas naves semeadoras. Os Sete Poderosos eram: Ariolc, Bardioc, Ganerc, Kemoauc, Lorvorc, Murcon e Partoc....
e pelos Enxames especificamente desenvolvidos. Os Poderosos eram responsáveis por semear bioporos4 , utilizando suas naves semeadoras. Os Enxames eram usados para aumentar a inteligência das criaturas resultantes.

Apesar da diversidade de formas corporais, o Perryversum é essencialmente antropomórfico, isto é, as criaturas mais inteligentes do Perryversum basicamente possuem traços humanos. Sua mentalidade corresponde a desvios e exageros da mentalidade humana, desta maneira, seu modo de pensar é compreensível para os seres humanos. Isto é indispensável para a compreensão mútua entre os povos (e facilita muito o trabalho dos autores, porque é muito difícil fazer um personagem completamente alienígena 'parecer real'). O entendimento entre povos estranhos é garantido por meio de uma das ferramentas técnicas mais importantes do Perryversum: o Tradutor. Este dispositivo pode traduzir praticamente qualquer idioma depois de uma curta 'curva de aprendizado'. Só muito raramente existem povos que são tão estranhos que um entendimento mútuo é quase impossível (exemplo: nakks).

TECNOLOGIAS DE FICÇÃO

Hiperfísica

No Perryversum presume-se que viagens espaciais mais rápidas do que a luz são possíveis, porque sem elas o contato entre os povos galácticos seria praticamente impossível e Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
somente teria aventuras no Sistema Solar. Por conseguinte, os componentes-chave do Perryversum são a hiperfísica e a utilização do hiperespaço (bem como vários semiespaços) para realizar viagens espaciais mais rápidas do que de luz, ganhos de energia, comunicação mais rápida do que a luz etc.

Ao utilizar o hiperespaço os princípios da relatividade geral e especial, apresentados por Albert Einstein, são praticamente ignorados, porque no universo einsteiniano na verdade não há viagens espaciais mais rápido do que a luz – este efeito é alcançado por meio de viagens em outros ‘espaços’. O uso da hiperenergia e de hipercristais é essencial para a sofisticada tecnologia do Perryversum.

Assim, os astronautas do Perryversum não têm de flutuar sem peso em suas naves espaciais, mas podem operar livremente, pois a gravidade é gerada artificialmente. Portanto, uma estrutura normal de conveses, adotada para as naves de praticamente todos os povos e a navegação espacial, é possível no Perryversum. Com dispositivos tais como o antígravo, também pode ser conseguido o efeito oposto. Poços antigravitacionais substituem os elevadores mecânicos, planadores e outros objetos voadores podem ficar sem peso devido aos antígravos. Absorvedores de pressão amortecem a forte inércia e as forças de inércia geradas durante as manobras de aceleração das naves espaciais.

Espaçonaves, Positrônicas e Robôs.

As classes de espaçonaves empregadas no Perryversum são tão numerosas que foi necessário criar uma categoria separada na Perrypedia. Há naves de todos os tamanhos e formas – desde as relativamente pequenas, como as lentes espaciais, até gigantes como OLD MAN, a SOLSOLDefinição: Uma das maiores e mais modernas espaçonaves já construídas pela Humanidade terrana. Na verdade, ela consiste de três unidades acopladas e se assemelha a um gigantesco haltere, com um total de 6.500 m de comprimento. A verdadeira SOL é uma espaçonave cilíndrica, que representa o bastão intermediário do haltere, com 1.500 m de diâmetro e igual altura. Ela abriga Sêneca. Ao redor do ponto médio do cilindro fica o anel propulsor dessa parte da espaçonave. As duas esferas presas às extremidades do cilindro têm cada uma 2.500 m de diâmetro. São naves portadoras combinadas independentes da classe Universo, chamadas de Célula-SOL 1 e Célula-SOL 2. As três unidades podem realizar vôos de longa distância unidas ou separadas, sendo normalmente desacopladas quando pousam num planeta....
, a BASEBASEDefinição: Maior nave espacial de sensoreamento remoto dos terranos, usada para viagens intergalácticas. É feita de inquelônio-terconite com um ponto de fusão de 96.000ºC. É uma nave formada por diversos segmentos. Tem diâmetro de 12 mil metros, comprimento de 14 mil metros, diâmetro do grânulo, 1.500 metros. Tripulação: 12.050 pessoas, mais tarde, até 12.260, dos quais 400 pessoas para operações de voo....
, as naves semeadorasnaves semeadorasDefinição: As naves esporos eram antigas naves dos Sete Poderosos, que se transformaram em seis grandes estações espaciais, os Bazares Cósmicos....
e outras unidades poderosas. Muitos povos do Perryversum usam naves cuja estrutura é baseada em formas geométricas simples. Os terranos e vários outros povos usam a típica nave esférica (com ou sem protuberância anelar). As naves cilíndricas e as naves em forma de disco também são muito populares.

A complicada (hiper) tecnologia do Perryversum precisa de sofisticados sistemas de computador para funcionar corretamente. Apesar de que os componentes eletrônicos do mundo real deveriam ser sobrecarregados, no seu início a série trabalhava com comutadores e cartões perfurados...

Os povos do Perryversum se valem – principalmente depois do aumento da hiperimpedância – das positrônicas ou das biopositrônicas. Antes havia sintrônicas em uso, que já não trabalhavam com processadores feitos de matéria, mas com campos de estrutura hiperenergética. Estes computadores eram tão poderosos que, em muitos casos, recebiam o status de um indivíduo artificial.

Isto também é parcialmente verdadeiro para a grande variedade de robôs civis e militares empregados nas ações do Perryversum. Eles tendem a agir de forma completamente independente, ou seja, não são reconhecíveis os esquemas rígidos de uma programação fixa pré-determinada ou mesmo a pilotagem remota. Nos primeiros dias da série os robôs mais simples foram humanizados.

Fenômenos psi

Fenômenos de percepção extrassensorial, dons psi (tais como telepatia e telecinesia) e a existência de seres desencarnados e similares não são objetos esotéricos, especulativos ou de pseudociência, mas uma realidade tangível no Perryversum.

Existem inúmeras criaturas que possuem, em decorrência de mutações ou da própria natureza, forças especiais (dons psi) que não podem ser explicados pela ciência convencional. No Perryversum presume-se que eles usam hiperenergia no âmbito das frequências ultra-altas do hiperespectro.

No Perryversum é possível a existência de consciências puras, separadas do corpo e capazes de ação. As consciências espiritualizadas se aglutinam, formando seres coletivos ou precursores de superinteligências. Até mesmo foi desenvolvido um eufemismo para a alma: a constante FSRS.

Viagens no tempo

Uma parte essencial de muitas aventuras de Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
e seus companheiros são as viagens no tempo. No Perryversum são possíveis tanto as viagens para o passado quanto as para o futuro, mas exemplos destas últimas são raros. Mais recentemente, foi negada a possibilidade da existência de paradoxos temporais através da adoção de loops temporais. O dito ‘isso aconteceu porque aconteceu’ preconiza o seguinte: qualquer ação pretendida de um viajante temporal em uma operação no passado relativo faz parte integrante e necessária do próprio desenvolvimento histórico.

POVOS

Grupos de poder e conflitos

Baseados na Via Láctea há diversos povos importantes, tais como terranos, arcônidas e blues. Além deles, há um número expressivo de povos e grupos menos significativos, como aconenses, saltadores, aras, halutenses, pos-bis e muitos mais. Também se incluem aqui os antigos povos coloniais dos grandes blocos de poder, que tenham se tornados independentes de seus ‘sistemasnatais’ para formarem estados independentes. Do lado dos terranos existem, entre outros, ertrusianos, epsalenses, siganeses e plofosenses.

Os blues são o povo dominante no lado leste da Via Láctea. Eles quase não se misturam aos demais e, devido à sua alta taxa de reprodução, ocupam todo o lado leste, muitas vezes travando violentas guerras fratricidas. A história das relações entre terranos e arcônidas é mutável. Nos primeiros dias da série surgiu o Império Unido, formado pela fusão do Império SolarImpério SolarDefinição: Organização estatal galáctica criada pelos terranos. A capital e sede do governo era a cidade de Terrânia. Fundado no ano de 1990, depois da unificação da Terra, o Império era um complexo extenso no espaço, com um mundo-matriz, ou seja, a Terra, além dos sistemas solares associados, que, apesar de sua autonomia, estavam ligados indissoluvelmente à política terrana. No ano 2400, contava com 1.112 planetas plenamente ocupados e um total de 1.017 sistemas solares, além de 1.220 mundos pertencentes ao anel exterior, escassamente povoados. No ano 3460, finalmente encontrou o seu fim com o desaparecimento da Terra e a dominação da Via Láctea pelo Concílio dos Sete....
dos humanos com o degenerado Império Arcônida. Mas depois do reerguimento dos arcônidas e da fundação do Império de Cristal, os arcônidas voltam a figurar entre os mais poderosos e perigosos adversários dos terranos. A [[Liga dos Terranos Livres (LTL)]] é atualmente o segundo maior grupo em poder no lado oeste da galáxia, logo atrás dos arcônidas.

A Via Láctea praticamente sempre esteve em perigo no Perryversum. Poderes extragalácticos continuam a tentar conquistar a Via Láctea, o que significa que a série apresentou inúmeras histórias de invasão até agora, mas sempre com a vitória final dos galácticos – em particular os terranos. Grupos de poder extragalácticos importantes foram ou são, por exemplo, os Senhores das Galáxias de Andrômeda, a Polícia do Tempo de M87, os cappins de Gruelfin, o Concílio, a Armada InfinitaArmada InfinitaDefinição: Uma das denominações do Código Moral. Gigantesca frota, com anos-luz de coprimento e meses-luz de largura, é comandada por Ordoban....
, os Guerreiros Eternos, os cantaros, os tolcanders, o reino Tradom, a Coluna Terminal TRAITOR, a Monarquia Frequencial e os Juízes Atópicos.

Seres especialmente poderosos

No Perryversum também há indivíduos especialmente poderosos, que agem de forma independente ou em nome dos poderes superiores. Neste contexto se encaixam a série Cairol de robôs cosmocratas, cada um dos Cavaleiros das Profundezas, os já mencionados Sete PoderososSete PoderososDefinição: Os Sete Poderosos eram humanoides criados artificialmente pelos Cosmocratas. Sua missão era promover a vida e inteligência no universo, utilizando-se de suas naves semeadoras. Os Sete Poderosos eram: Ariolc, Bardioc, Ganerc, Kemoauc, Lorvorc, Murcon e Partoc....
, os mensageiros das superinteligências, tais como Homunk ou Lotho Keraete, e cada um dos Servos da Matéria. Também há seres ou entidades misteriosas, tais como HarnoHarnoDefinição: Ser energético esférico, com cerca de 50 cm de diâmetro, podendo aumentar ou diminuir de tamanho. Tem a incrível capacidade de projetar em sua superfície imagens remotas. Pode deslocar-se tanto no espaço como no tempo. Alimenta-se de energia e da luz das estrelas e comunica-se por telepatia. Em maio de 1983, foi encontrado pela primeira vez numa pequena lua do sistema 221-Tatlira. Propôs ajudar os terranos em troca de um pouco de energia para prosseguir sua viagem e prometeu ficar à espera de Perry Rhodan. No ano 3433, ele revelou que é originário do universo de antimatéria dos acalauries, sendo uma espécie de mutante desse povo. Em fins do verão de 3583, ele surgiu para avisar Julian Tifflor da armadilha montada pelos lares no Sistema Solar....
, cuja origem e objetivos permaneceram muito tempo sem serem esclarecidos, apesar de ele cruzar frequentemente o caminho dos terranos.

RHODAN E O PERRYVERSUM

Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
, personagem principal da série de mesmo nome, é considerado como a personificação do ‘homemcósmico’, ou seja, uma pessoa que desenvolveu uma consciência para as relações cósmicas. O americano nascido em 8 de junho de 1936, de ascendência alemão, é astronauta dos Estados Unidos e físico nuclear, comandante do primeiro pouso lunar tripulado, ele encontrou pela primeira vez representantes de um povo alienígena superior. Com a ajuda da tecnologia deste povo, ele impediu a III Guerra Mundial e uniu a Humanidade. Devido ao ativador celular, que recebeu da superinteligência AQUILOAQUILODefinição: Entidade, espécie de superser formado de energia pura. É a superinteligência do Grupo Local de Galáxias, ao qual pertence a Via Láctea. Consiste na consciência coletiva de uma raça antiquíssima que voluntariamente despojou-se de seu corpo físico. No ano de 1976, tinha por residência o planeta Peregrino. Nessa ocasião, concedeu à Humanidade um prazo de vinte mil anos no qual ela deveria provar seu valor....
, é relativamente imortal. Ele não envelhece, mas pode ser morto, por exemplo, por um acidente.

Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
é o iniciador e o protagonista dos acontecimentos que levaram à disseminação dos seres humanos pelo espaço. No entanto, outros personagens principais surgiram muito cedo, rapidamente se tornando pelo menos tão populares e ocupando tanto espaço quanto o próprio Rhodan, especialmente seu amigo Atlan. Muitas dessas figuras também carregam ativadores celulares e frequentam a série há muito tempo.

Por muito tempo Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
agiu como mensageiro (ou agente vicário) de AQUILOAQUILODefinição: Entidade, espécie de superser formado de energia pura. É a superinteligência do Grupo Local de Galáxias, ao qual pertence a Via Láctea. Consiste na consciência coletiva de uma raça antiquíssima que voluntariamente despojou-se de seu corpo físico. No ano de 1976, tinha por residência o planeta Peregrino. Nessa ocasião, concedeu à Humanidade um prazo de vinte mil anos no qual ela deveria provar seu valor....
e dos Cosmocratas, mas agora ele e os terranos estão amplamente emancipados desses poderes superiores. Rhodan e os terranos reconheceram que os Cosmocratas não são os ‘mocinhos’ do multiverso e que certamente deve haver um terceiro caminho, independente da ordem e do caos, no qual os povos menos desenvolvidos podem embarcar por conta própria.

O Perryversum através dos tempos

O Perryversum sempre foi influenciado pelo espírito do povo vigente no mundo real. No começo, a série descrevia principalmente as muitas dificuldades e conflitos derivados da expansão da humanidade pelo espaço. Os terranos sempre se deparavam com novos e cada vez mais poderosos adversários, que se opunham às suas tentativas de colonização, ou até mesmo apareciam como conquistadores. Este período inicial do Perryversum foi marcado pela vigente visão de mundo, patriarcal e conservadora, da Alemanha real. As mulheres eram em geral puramente decorativas; Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
e muitos de seus companheiros eram fumantes e, muitas vezes, falava-se de álcool. O humor era baseado principalmente no pastelão, com atitudes e piadas de GuckyGuckyDefinição: "Ser da raça dos ilts, também conhecido como rato-castor devido à sua aparência física. Os ilts são mutantes naturais, possuindo Gucky as habilidades da telepatia, da teleportação e da telecinésia. Sua expectativa de vida é de seiscentos anos, porém Gucky é portador de um ativador celular. Ele é altamente inteligente e possui um senso de humor fora do comum. Após a destruição do planeta natal dos ratos-castores em 2045, sua raça foi praticamente extinta....
que, posteriormente, passaram a ser consideradas impensáveis.

Também as influências militaristas eram inegáveis, principalmente devido ao então coordenador da série – o autor K. H. Scheer. A hegemonia do Império SolarImpério SolarDefinição: Organização estatal galáctica criada pelos terranos. A capital e sede do governo era a cidade de Terrânia. Fundado no ano de 1990, depois da unificação da Terra, o Império era um complexo extenso no espaço, com um mundo-matriz, ou seja, a Terra, além dos sistemas solares associados, que, apesar de sua autonomia, estavam ligados indissoluvelmente à política terrana. No ano 2400, contava com 1.112 planetas plenamente ocupados e um total de 1.017 sistemas solares, além de 1.220 mundos pertencentes ao anel exterior, escassamente povoados. No ano 3460, finalmente encontrou o seu fim com o desaparecimento da Terra e a dominação da Via Láctea pelo Concílio dos Sete....
sempre foi avaliada positivamente e os terranos foram quase sempre vitoriosos e fortalecidos em todas as suas disputas. Típico desta época era o fato de os terranos se apoderarem dos desenvolvimentos tecnológicos de outros povos, que eram melhorados e usados de maneira mais hábil.

Uma primeira guinada foi dada com a sequência de acontecimentos derivada dos ataques dos dolans contra a Terra, na qual morreram bilhões de pessoas e o Império SolarImpério SolarDefinição: Organização estatal galáctica criada pelos terranos. A capital e sede do governo era a cidade de Terrânia. Fundado no ano de 1990, depois da unificação da Terra, o Império era um complexo extenso no espaço, com um mundo-matriz, ou seja, a Terra, além dos sistemas solares associados, que, apesar de sua autonomia, estavam ligados indissoluvelmente à política terrana. No ano 2400, contava com 1.112 planetas plenamente ocupados e um total de 1.017 sistemas solares, além de 1.220 mundos pertencentes ao anel exterior, escassamente povoados. No ano 3460, finalmente encontrou o seu fim com o desaparecimento da Terra e a dominação da Via Láctea pelo Concílio dos Sete....
foi significativamente enfraquecido. Depois veio a fragmentação do império, com vários mundos e sistemas associados se tornando independentes e formando seus próprios blocos de poder. Mas estes esforços pela autossuficiência e a perda de recursos foram classificados de forma negativa; por isso, Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
e os terranos se mantiveram como o poder dominante e sempre prevaleciam contra todos os adversários.

Todos estes elementos têm sido criticados violentamente por parte da mídia. Não foi levado em conta o fato de que o Perryversum é muito complexo por ser escrito por inúmeros autores ao longo de décadas; o desenvolvimento da série nem sempre foi devidamente considerado.

Contudo, com a invasão do Hetos dos SeteHetos dos SeteDefinição: Organização política composta por sete diferentes galáxias, que também é conhecida pelo nome de Concílio das Sete Galáxias. No ano 3459, uma de suas sete raças principais, os lares, chegou à Terra e comunicou a Perry Rhodan que a Via Láctea estava sendo incorporada à organização....
e a fuga da Terra e da LuaLuaDefinição: Satélite natural da Terra. No ano 2329, a Lua era uma bolha gigantesca e oca, uma imensa indústria de armamentos. Apesar de ser bastante menor que Árcon III, se transformara num centro de armamentos que, em questão de capacidade de produção, ultrapassara o dos arcônidas sob todos os aspectos. Resumindo, pode-se dizer que o satélite se transformou num gigantesco estaleiro cosmonáutico, uma área de instalações industriais, no qual são construídas as gigantescas espaçonaves — uma instalação fabril ao lado da outra, nos moldes dos adiantados padrões arcônidas....
para o Turbilhão EstelarTurbilhão EstelarDefinição: Região cósmica. É uma ponte de matéria medindo 156.000 anos-luz de extensão e ligando duas galáxias, Ploohn-Nabyl e Mahagoul, que colidiram há dois bilhões de anos atrás. No ponto central (e também mais fino, com apenas 500 anos-luz de diâmetro) dessa ponte de matéria, há um redemoinho energético, o Abismo. Ele é na verdade um gigantesco transmissor de matéria natural, com 24 bilhões de quilômetros de diâmetro, que liga a região ao Contra-Abismo, situado na galáxia Ploohn-Nabyl. Os ploohns de Ploohn-Nabyl aproveitaram-se dessa ligação entre o Abismo e o Contra-Abismo para colonizar mais facilmente o Turbilhão. Foi para ali que, no ano 3460, a Terra e a Lua foram enviadas por engano numa tentativa desesperada de salvar o núcleo da Humanidade do jugo do Concílio dos Sete. A distância do Turbilhão Estelar para a Via Láctea é de cerca de meio bilhão de anos-luz....
, surgiu uma verdadeira ruptura na tendência de lutas. Assim, as mudanças sociais no mundo real (perda de emprego e estruturas sociais ainda mais reacionárias em alguns aspectos) encontraram reflexo no Perryversum (despovoamento da Terra, fragmentação dos homens remanescentes na Via Láctea, etc).

William Voltz se tornou o próximo coordenador e editor da série, introduzindo uma nova imagem filosófica, representada por figuras como Alaska SaedelaereAlaska SaedelaereDefinição: Terrano nascido no ano 3400, portador de máscara, conhecido como o lesado por transmissor. Tem quase dois metros de altura e é muito magro. Sua maneira de falar é aos solavancos. Em 3428, ele entrou em um transmissor de matéria, mas só chegou ao seu destino quatro horas depois; durante a dissolução total, aconteceu uma reorganização da estrutura celular atômica do seu corpo, devido a acontecimentos desconhecidos. Técnicos que na ocasião estiveram no pavilhão do transmissor foram acometidos de loucura logo depois de olhar para o rosto de Saedelaere e mais tarde morreram. Depois disso, Alaska passou a usar uma máscara chata de plástico, na qual há, como aberturas, apenas duas fendas para os olhos e uma para a boca. A explicação para o fenômeno só veio com a chegada dos cappins. Alaska tinha se fundido com uma parte de um ser daquela raça durante o uso do transmissor. No ano 3431, ele recebeu a patente de major da Segurança Solar. Em 3440, foi incorporado ao Novo Exército de Mutantes, pois possui a capacidade de rastreador cappin. Em 3443, um cyno chamado Schmitt lhe deu o misterioso Traje da Destruição. Em abril de 3444, ficou encarregado por Ribald Corello. De março a abril de 3457, participou do voo de controle para Maahkora, Estação Lookout e Mundo dos Cem Sóis. Em 3459, fez uso do Traje da Destruição na estação PP-III para destruir os esporos-cruum. Em 3531, Perry Rhodan entregou-lhe o ativador celular que fora de Betty Toufry, e, com esse gesto, elevou-o ao nível dos seres relativamente imortais. Em 3540, ele foi um dos exilado pelo regime afílico da Terra e tornou-se tripulante da SOL. Em abril de 3581, chegou a Derogwanien através do buraco negro artificial criado pelos Especialistas da Noite a bordo da SOL. Ali se encontrou com Callibso e entregou-lhe o Traje da Destruição. Em dezembro de 3581, Alaska resolveu atravessar a fonte do tempo em Derogwanien e chegou à Terra, que estava praticamente despovoada. Em março de 3582, fundou a Patrulha da Terra em Terrânia. Em julho de 3583, finalmente se reencontrou com Rhodan a bordo da SOL....
, que não se encaixavam na imagem típica da época anterior de heróis espaciais. Sob sua liderança foi criada a cosmologia acima descrita, que ainda caracteriza a série. Cada vez mais, os principais poderes e começaram a determinar o destino cósmico da Humanidade em geral e de Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
em especial. Temas como ecologia e esoterismo foram tratados, o tratamento informal (em contraposição ao rígido formalismo anterior) foi introduzido e os novos elementos de ficção científica, tais como o 'cyberpunk', também foram levados em conta.

Mais recentemente, a série retornou à tendência original das simples óperas espaciais da ficção científica, que geralmente tratam de invasores alienígenas e de ataques contra a Via Láctea ou o Sistema Solar. Também a Copa do Mundo da FIFA de 2006 na Alemanha do mundo real não passou despercebida no Perryversum: o campeonato SolarSolarDefinição: É a moeda oficial do Império Solar. Com a fundação do Império Solar, acabou o tempo em que a Terra tinha uma quantidade enorme de moedas diferentes. Em toda a Terra, como também em todo o Império, passou a funcionar uma única moeda — o solar. Um solar possui cem sólis. As cédulas, laváveis, são feitas de um plástico de alta qualidade. Todas mantêm uma cor esverdeada, são retangulares no formato e tanto maiores quanto mais alto era o seu respectivo valor. Todas as cédulas trazem estampada, na frente, a efígie de Rhodan e, no verso, uma imagem da Via Láctea, atravessada por frotas de naves espaciais. Embora a fabricação de notas de material plástico seja bem difícil, é absolutamente impossível falsificar a rede de uma espécie de metal tramado, da grossura de fios de cabelos, que cada cédula recebe, impressa de conformidade com um procedimento secreto. Esses arames são tão finos que é impossível senti-los com os dedos. São feitos com o raro metal-luurs....
do ano 1345 NCGNCGDefinição: Novo Calendário Galáctico - Contagem de tempo assumida após a unificação dos povos da Via Láctea sob um único governo. O ano 1 corresponde ao ano de 3588....
é uma resposta direta a isso.

PERRY RHODAN NEO

No mundo real de 2011, surgiu à série Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
Neo, uma divisão do universo ficcional da série Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
em dois níveis completamente independentes. Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
Neo é um remake da série no formato de livro de bolso. Os motivos clássicos da série Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
são reinterpretados e altera-se o fluxo temporal. A trama toma um rumo alternativo e são introduzidos novos personagens. Por isso, o ‘outro’ Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
não voa em 1971 para a LuaLuaDefinição: Satélite natural da Terra. No ano 2329, a Lua era uma bolha gigantesca e oca, uma imensa indústria de armamentos. Apesar de ser bastante menor que Árcon III, se transformara num centro de armamentos que, em questão de capacidade de produção, ultrapassara o dos arcônidas sob todos os aspectos. Resumindo, pode-se dizer que o satélite se transformou num gigantesco estaleiro cosmonáutico, uma área de instalações industriais, no qual são construídas as gigantescas espaçonaves — uma instalação fabril ao lado da outra, nos moldes dos adiantados padrões arcônidas....
, mas apenas em 2036. Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
Neo é independente em relação à série original (e vice-versa), não havendo pontos de contato entre ambas. Por esta razão, os produtos de ambos os universos ficcionais na Perrypedia são estritamente separados.

Trivialidades

O termo alternativo Neoversum, como sinônimo do universo criado para a série Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
Neo, encontrou o seu caminho dentro da Perrypedia e também na área editorial da Pabel Moewig-Verlag (companhia responsável pela publicação de todas as séries derivadas de Perry Rhodan).


 

1Contraparte Caotarca da Armada Infinita. Nota do Tradutor.

2Região do cosmo que não é conformada pelos Cosmogenes, onde reina o caos absoluto. Nota do Tradutor.

3Figura matemática que possui dois 'lados' intimamente interligados, que se viram sobre si mesmos. Nota do Tradutor.

4Partículas psi responsáveis pela criação da vida. Nota do Tradutor.

Contos, artigos e traduções interessantes do Informátivo Galácito, o Fanzine exclusivo do Projeto Traduções para seus integrantes, liberados para apreciação do público em geral!

Tecnologias da série

Esta categoria contém artigos sobre tecnologia atualmente ainda sem subcategorias, como por exemplo Ativadores Celulares, que não são computadores, naves espaciais, veículos planetários, robôs ou mesmo arma defensiva ou ofensiva que serão em breve as subcategorias!. 

Povos e raças da série

Esta categoria inclui os povos da série e suas muitas raças que desempenham um papel no Perryversum. Todas são povos de espécies compreendidas no modelo de casca de cebola, pelo menos no terceiro nível e tem ao menos uma forma primitiva de cultura e língua. Um povo deve também possuir um número maior de indivíduos (ou ter possuído uma vez).

Espécies, como por exemplo os Okrills, que não possuem inteligência disponível para formar uma nação, estão na categoria fauna.

 

Sistemas Solares do Perryversum

Esta categoria inclui os sistemas solares do Perryversum.

Planetas, Luas e Pequenos Corpos Celestes

Esta categoria inclui planetas, luas e pequenos corpos celestes do Perryversum.

Autores e artistas da capa

Esta página mostra todos os atuais e ex autores e artistas da capa da equipe da série Perry Rhodan, Atlan e Perry Rhodan Neo, que escreveram ao longo dos anos para a série ou islustram suas belas capas.

Quem são as pessoas nos bastidores, quais autores escrevem os episódios e quem é o artista responsável pelas imagens de capa — tudo isso pode ser encontrado nas páginas seguintes.

Esta página mostra todos os atuais e ex tradutores do Perryverso, que traduzem ao longo dos anos nossas séries preferidas para o Português.

Perry Rhodan é o título de uma série de livros de ficção científica do gênero espace opera1 publicada desde 1961 na Alemanha. Décadas de sucesso comercial tornaram a série um fenômeno. Perry Rhodan mostra uma crítica feroz à realidade atual, fazendo-nos refletir em 1960 sobre a Guerra Fria, em 1970 sobre a New Age e em 1980 sobre o movimento pacifista nas entrelinhas da sua história. A série tem capturado os principais pensamentos da elite científica da Alemanha e influenciou de forma pungente todos os escritores de ficção científica alemães e do mundo.

Escrito por uma equipe de autores que se alternam, “Perry Rhodan” é um periódico semanal (novela) de tradição germânica (Heftchen), um tipo de livro de bolso pulp2.

A série foi criada em 1961 por K. H. Scheer e Clark Darlton. Inicialmente concebida para ser uma trilogia, ela se tornou um sucesso duradouro, ultrapassando o número de 2.750 histórias em 2014. Houve diversas reedições, incluindo edições totalmente revisadas em formato de capa dura. Significativamente relacionadas a ela, estão as séries “Atlan” e “Romances Planetários” (“Novelas Planetárias”), nas quais os temas da série têm um desenvolvimento mais pormenorizado. Nas décadas que se seguiram ao seu lançamento, surgiram histórias em quadrinhos, numerosos itens de colecionador, várias enciclopédias, áudios, canções etc. A série foi parcialmente traduzida para diversos idiomas. Ela também foi passada para o cinema com o filme Mission Stardust (1967), muito criticado pelos fãs.

A história começa em 1971 com o primeiro voo tripulado à Lua por membros da Força Aérea dos Estados Unidos. O major Perry Rhodan e sua tripulação descobrem, em nosso satélite, uma espaçonave extraterrestre acidentada. Apropriando-se da tecnologia extraterrestre, eles conseguem a unificação da humanidade e iniciam a conquista da galáxia e do cosmos pela humanidade. Enquanto a série prossegue, algumas personagens adquirem a imortalidade virtual, fazendo a história cruzar os milênios, incluindo flashbacks, viagens no tempo, universos paralelos etc.

A série usa uma estrutura de narrativa em “ciclos” (arcos de história). Um ciclo pode se estender de 25 a 100 números, devotados a explicar uma era. Alguns são agrupados em ciclos subsequentes, criando-se um grande ciclo.

1 - Espace opera (também referida como ópera espacial) é um sub-gênero da ficção especulativa ou ficção científica que enfatiza a aventura romântica, cenários exóticos e personagens épicos.

2 - Pulp ou ainda pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade (a "polpa") a partir do início da década de 1900.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Episódios 1 a 49 – Período da história: 1971 a 1984
Data de publicação na Alemanha: 1961 a 1962
Data de publicação no Brasil: 1975 a 1977


A primeira viagem tripulada para a Lua, comandada por Perry Rhodan, encontra uma nave avariada dos arcônidas. Com a ajuda de sua tecnologia superior ele unifica a Humanidade, defende a Terra de invasões alienígenas e começa o avanço para a galáxia. Com isso ele toma conhecimento da existência de outros povos, como os tópsidas, os saltadores e os aras. O ser espiritual “Aquilo” dá aos mais importantes terranos a imortalidade relativa.



PRBR 0001

Em 1971, Perry Rhodan, principal piloto da Força Espacial dos Estados Unidos em companhia do capitão Reginald Bull, tenente Dr. Eric Manoli e capitão Clark G. Flipper pousa na Lua com a STARDUST. Pouco antes da aterrissagem, houve algumas dificuldades, e verifica-se que uma nave de pesquisa extraterrestre sob o comando da arcônida Thora havia perturbado o pouso.

A bordo também está o cientista Crest, que está gravemente doente com leucemia. Perry Rhodan decide ajudar, se possível, e voa com ele de volta para a Terra. No entanto, eles não vão para Nevada Fields, e sim para o meio do deserto de Gobi, para evitar que a tecnologia superior dos arcônidas chegue às mãos dos blocos de poder da terra. Lá, Perry Rhodan fundou a Terceira Potência como um bloco de poder separado. Em seguida eles afastam ameaças alienígenas, como os fantans e os Deformadores individuais. A unificação da Humanidade acontece sob a pressão desses perigos.

Após o encontro com os ferrônios no sistema Vega e os confrontos com o tópsidas, Perry Rhodan resolve o enigma Galáctico e obtêm junto com parte de seus companheiros a imortalidade relativa. Em Peregrino, eles perdem quatro anos e meio e tem que enfrentar em seu retorno ao Sistema Solar às mudanças ocorridas – como a construção de uma base do Bloco Oriental em Vênus e o Exército de Mutantes do Supercrânio.

Em seguida, concentram-se em proteger a Terra de uma descoberta pelos saltadores. Após a defesa preliminar contra este perigo Perry Rhodan avança para Árcon. Na casa de Crest e Thora as coisas também mudaram: o Robô Regente assumiu o governo do Grande Império com uma severidade implacável.

Pela defesa dos perigos causados pelos aras, Rhodan torna-se um parceiro em igualdade do regente. O perigo da descoberta da posição galáctica da Terra, no entanto, é cada vez maior, de modo que Rhodan simula a destruição da Terra e sua própria morte. Isso garante um fôlego que deve ser usado para construir um Império próprio para a Humanidade.

Curiosidades deste ciclo:

- Volume 4: o personagem de Ernst Ellert foi uma ideia de Clark Darlton que não estava no Exposé-autor de K. H. Scheer. Foi o primeiro conflito dos dois autores, porque de acordo com Scheer a capacidade de Ellert era um risco para o desenvolvimento da série. Assim, solicitou a morte iminente do herói, mas Darlton manteve Ellert até o volume 7, onde de fato matou o personagem.
- Volume 13: a primeira versão do romance de W. W. Shols foi rejeitada pelo editor K. H. Scheer. Clark Darlton, em seguida, escreveu o romance do zero em uma ação urgente. O acumulo de trabalhos de Shols já estava muito grande no início da série, o que o levou a abandonar a equipe de tradutores para se dedicar a seus outros projetos.
- Volume 18: de acordo com o plano original deveria ser escrito por Shols. Ele foi então atribuído a Darlton num curto prazo. Então, quem sabe se Gucky seria tão popular se houvesse sido descrito por Shols?
- Volume 32: Darlton cria os barcônidas, que não estavam no Exposé-autor, o que deixa K. H. Scheer descontente.
- Volume 37: Darlton cria o personagem Harno, outro não previsto no Exposé-autor, mas que se torna um personagem muito popular.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 50 a 99 – Período da história: 2040 a 2045
Data de publicação na Alemanha: 1962 a 1963
Data de publicação no Brasil: 1977 a 1978

Perry Rhodan encontra-se com Atlan, o solitário do tempo. Em companhia do arcônida imortal ele combate os druufs, seres vindos de um outro universo, e protege o pequeno reino sideral terrano dos ataques do robô regente dos arcônidas.



PRBR 0050Em 2040, o Império Solar tornou-se um pequeno império estelar. Na Terra, aparece um arcônida há muito tempo perdido, Atlan, que viveu em uma cúpula submarina por milênios. Ele finalmente vê a chance de retornar ao seu planeta natal, mas não obtém êxito no voo. Depois de um duelo no planeta Hellgate, onde Perry Rhodan derrota Atlan num duelo, os dois se tornam amigos.

Dois mutantes renegados querem trair Terra e revelar sua posição galáctica no planeta Volat, porque eles não tinham recebido a ducha celular. Eles são impedidos por Rhodan e seus companheiros, mas com isso, revela-se que Rhodan não está morto.

Uma ameaça invisível faz com que o povo de vários planetas simplesmente desapareça, Perry Rhodan deve lutar junto com o robô regente de Árcon. Acontece a ameaça dos druufs que penetram a partir de um nível diferente de tempo em nosso universo. Atlan compartilha suas memórias de 10.000 anos atrás, nos tópicos relacionados com a terra, os druufs e os terranos tentam ao mesmo tempo encontrar uma maneira de penetrar nos seus níveis de tempo.

Acontece o conflito com o robô regente e o avanço para Árcon...

Curiosidades deste ciclo:

- De acordo com o primeiro o primeiro Exposé-autor do Volume 50, Atlan deveria ter o nome de Ahasver.
A série é dividida em três níveis de ação para o momento devido à dupla carga de Scheer:
- “Séries Zero”: Foram escritas por Darlton.
- Os livros com Atlan foram escritos pelo próprio Scheer. Pela primeira vez os livros de PR foram escritos na primeira pessoa. Eles continham flashbacks ocasionais ao passado.
- Aventuras dos colonos: Kurt Mahr só fazia o design.
- Kurt Mahr cortou parte da trama ligada ao livro 62. Em consulta com Darlton parte da trama escrita por Mahr para o agente Jost Kulman foi então transferido para o livro 61.
- William Volz escreveu seu romance de estreia na série (Volume 74), que deveria ter o título “O Homem errado”. Scheer foi contra por ter escrito um ensaio numa sinopse separado para ele.
- Kurt Mahr cada vez mais desagradou Scher por ter dado no desenvolvimento do personagem Thomas Cardif exposição para um criminoso.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 100 a 149 – Período da história: 2102 a 2114
Data de publicação na Alemanha: 1963 a 1964
Data de publicação no Brasil: 1978 a 1979

Perry Rhodan encontra-se com os antepassados dos arcônidas, os aconenses. Os antis inundam os mundos da galáxia com o liquitivo, uma droga mortal. Surgem poderosos robôs positrônico-biológicos das profundezas do espaço intergaláctico, que envolvem os povos da Via Láctea em sua guerra contra os invisíveis laurins.



PRBR 0100Começa o ano 2102.

Neste ano o cruzador experimental FANTASY começa um voo de teste com o aperfeiçoado propulsor linear. A tripulação encontra inesperadamente o sistema do sol azul Ácon. Ali vivem os ancestrais dos arcônidas, os aconenses. Eles provocam muitos atentados contra a Terra e Árcon. Através da manipulação da história arcônida, os aconenses pretendem proporcionar a descoberta da Terra já há milhares de anos, provocando a anulação da existência do Império Solar. Os terranos contra-atacam e conseguem destruir o transformador temporal.

O Sistema Azul é composto do sol gigante Ácon e dezoito planetas, sendo o planeta principal chamado de Esfinge. O sistema é cercado por um campo energético azulado. Através da destruição de uma estação espacial que fornecia a energia para o poderoso campo, ele entra em colapso. Os aconenses capitulam.

Os saltadores tentam novamente acabar com o poder comercial terrano, para recuperar sua velha condição de poder. Todos esses ataques contra o Império Solar são rechaçados.

Logo depois os antis surgem nos acontecimentos galáticos. Os descendentes diretos dos aconenses vivem na região de influência do Império Arcônida. Após a onda migratória do sistema de Ácon eles foram para o interior do planeta Trakarat, onde através de alteração genética eles mudaram sua estrutura cerebral. Eles desenvolveram capacidades paranormais: eles conseguem fortalecer campos de energia através de seus poderes espirituais e defender-se de ataques paranormais dos mutantes. Coletivamente, eles podem aumentar suas capacidades e influenciar hipnossugestivamente outros seres. Os antis fundaram finalmente o culto de Báalol, cujos sacerdotes possuem grande poder nos mundos arcônidas. Com essa pseudo-religião eles subjugam povos inteiros. O objetivo dos antis consiste em tornarem-se os herdeiros dos decadentes arcônidas e pouco a pouco assumirem o poder na galáxia. Eles servem-se também, acompanhado de seus poderes espirituais, de métodos pérfidos como drogas, para tornar dependentes os seres sob sua influência.

O liquitivo é uma droga semelhante, que provoca uma incurável busca. Quem o consome sofre em poucos anos um envelhecimento rápido e então morre. Cientistas terranos conseguem achar um antídoto no último minuto.

Sacerdotes dos antis alteram a frequência cerebral de Thomas Cardif, com isso libertando-o de seu hipno bloco e restaurando seu ódio contra seu pai. Cardif atrai seu pai para uma armadilha e assume seu papel. Rhodan torna-se prisioneiro dos antis, enquanto Cardif leva a Via Láctea. à beira do abismo.

A loucura de Cardif não tem mais limites. Passando-se por Perry Rhodan, ele chantageia até mesmo “Aquilo”, exigindo um ativador celular. “Aquilo” concorda, mas ele já conhece a verdade. Cardif recebe um ativador, que está regulado para os impulsos individuais de Rhodan. Após cinquenta dias Cardif sofre uma progressiva divisão celular, que incha seu corpo. Apenas Atlan consegue descobrir o óbvio sobre o perverso Rhodan. Quando Cardif se aproxima de seu pai, “Aquilo” tira-lhe o ativador celular e o coloca no peito de Rhodan – Thomas Cardif morre.

No ano 2104 alastram-se no planeta Azgola os misteriosos musgos da gordura. Esse musgo envia esporos, cujos habitantes de mundos de oxigênio respiram ou absorvem através da pele. Os esporos chegam na corrente sanguínea e através de seu alto conteúdo de matéria provocam o aumento da massa corporal, assim os confusos seres em curto tempo transformam-se em pesados colossos e finalmente morrem de doenças cardíacas e parada respiratória.

Cientistas terranos descobrem que a semente fértil dos musgos da gordura é levada desde milhares de anos atrás por uma nave semeadora para mundos de oxigênio apropriados, explorados anteriormente pela nave Scout. Depois os esporos infectam totalmente a atmosfera do planeta e são recolhidos a bordo de uma nave colhedeira, de onde são transportados para um destino desconhecido.

O destino da nave colhedeira é o planeta Mecânica, localizado fora da Via Láctea. Mecânica é um mundo parecido com Marte, onde há milhares de anos um povo de descendentes de lagartos vivia. Agora funciona apenas um herdeiro robótico deste povo. Os terranos afastam o perigo das naves robô, limpam os mundos com a antiga nave colhedeira avariada e então a deixam cair num sol.

No ano 2105 intrigas e conspirações fazem parte da ordem do dia no reino arcônida. A atividade de um contato louco leva no ano 2106 à autodestruição do robô regente, o que é sinônimo do fim do Império Arcônida como um grande poder galático autônomo.

No mesmo ano surgem nos limites da galáxia seres invisíveis. Contudo, este perigo se torna agudo seis anos depois, no ano 2112. Além disso os terranos encontram estranhos robôs, que cruzam o espaço com suas naves fragmentárias. Robôs e invisíveis travam uma gigantesca batalha espacial sobre Mecânica, que destrói o planeta através de um inextinguível incêndio atômico.

Os terranos conseguem esconder os destroços de uma nave fragmentária abatida. Seu exame revela que os robôs possuem um engaste hipertóictico, uma união entre plasma celular biológico vivo e positrônica mecânica. Um contato de ódio influencia este engaste e leva os robôs a odiarem todos os seres vivos orgânicos.

Ocorrem encarniçadas batalhas espaciais no espaço vazio intergalático entre os pos-bis, que é como os robôs se denominam, e os laurins, os invisíveis. Ernst Ellert consegue raptar uma nave fragmentária dos pos-bis. Assim os cientistas terranos decifram o segredo dos canhões conversores.

Rhodan, Atlan e o mutante Fellmer Lloyd vão ao mundo central dos pos-bis, onde eles conseguem danificar o relé de ódio da hiperimpotrônica dirigente. Os pos-bis finalmente vencem os laurins.

Entre os robôs irrompe subitamente uma luta destrutiva. Uma frota espacial terrana arrisca finalmente o salto para o espaço intergalático e alcança o Mundo dos Cem Sóis, o mundo central dos pos-bis. As unidades terranas conseguem pôr um fim na luta entre os pos-bis. Os robôs tornam-se os aliados mais fiéis do Império Solar.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 150 a 199 – Período da história: 2326 a 2329
Data de publicação na Alemanha: 1964 a 1965
Data de publicação no Brasil: 1979 a 1983

O superser “Aquilo” espalha 25 ativadores celulares pela galáxia, levando as inteligências da Via Láctea a uma corrida pela imortalidade. Os terranos entram num conflito com os blues, seres que criaram um poderoso império no setor oriental da galáxia. O mundo colonial Plofos rebela-se contra o Império Solar.



PRBR 0150Os terranos registram o ano 2326. Atlan renunciou ao posto de Imperador de Árcon e fundou a United Stars Organization (USO), um tipo de “corpo de bombeiros galático”, que intervém em todo local onde a Segurança Solar não é capaz de agir.

Neste ano “Aquilo” torna-se ativo novamente e espalha vinte e cinco ativadores celulares pela galáxia. Junto com muitos outros seres, os especialistas da USO também os procuram, entre eles terranos adaptados ao meio ambiente como o siganês Lemy Danger e o ertrusiano Melbar Kasom. Inveja e ciúme dominam o cenário, e incontáveis seres procuram pela imortalidade. A mutante Anne Sloane possui um ativador, porém devido a isso é morta por um especialista da USO rebelde do povo dos antis. Lemy Danger consegue chegar ao executor, porém ele é morto durante uma tentativa de fuga, durante a qual Danger atinge o ativador celular. Um gerador gigante clandestino entra em atividade e irradia ondas energéticas pentadimensionais, com consequências catastróficas.

No planeta Zannmalon são descobertas gigantescas quantidades de ovos, onde estão os chamados gafanhotos córneos. Em pouco tempo toda a superfície é devorada pelas vorazes lagartas.

Também há gafanhotos córneos em muitos outros planetas, que começam a se multiplicar logo depois. Com ajuda de seu ácido de gafanhoto eles conseguem dissolver matéria e devorar qualquer material orgânico ou inorgânico. O que surge no momento de sua divisão é um fluido compacto e incolor, o molkex.

A superfície do planeta é primeiramente devorada de uma vez e transformada num poderoso lago de molkex, e depois disso as lagartas dissolvem-se igualmente em molkex. O planeta está então coberto por um oceano de molkex. Do molkex surgem finalmente os gigantescos vermes do pavor, e de seus ovos saem novamente gafanhotos córneos.

Depois os terranos descobrem que os ovos dos vermes do pavor maturaram-se através de um impulso dado pelos geradores da frente de choque energético gravitacional. Em um mundo aquático há o primeiro contato entre homens e um verme do pavor. Este dá aos terranos o segredo do valor de sua espécie e estabelece com eles uma aliança contra seus senhores, os senhores do Segundo Império.

Os vermes do pavor são compreendidos através de conversores de símbolos e são pacíficos por natureza, além de serem altamente inteligentes. Seu organismo pode transformar energia incidente em massa corporal. O tempo de vida dos vermes do pavor é em média 900 anos, e pouco antes de sua morte um verme do pavor faz um sistema de cavernas com numerosos caminhos, onde coloca até 150.000 ovos.

Um comando explorador descobre o planeta gigante Hércules, em cuja terceira lua Impos se encontra um ativador celular e também um poderoso planetário de um povo antigo, os chamados oldtimers.

O físico e astrônomo Tyll Leyden descobre que há 1,2 milhão de anos um gigantesco ser multidimensional surgiu na Via Láctea e devorou em seu caminho incontáveis sistemas estelares. Ele encontrou um fim para seu caminho de destruição no mundo Impos, cujos habitantes, os oldtimers, conseguiram apresentar-lhe resistência. Eles conseguiram criar uma zona de sobrecarga, na qual o ser denominado Suprahet entrou e absorveu completamente, e ele finalmente explodiu. Uma grande parte de sua massa estável materialmente se espalhou nas proximidades, e originou os planetas Hércules e Tombstone.

Tombstone se tornou o ponto de origem e mundo natal dos vermes do pavor. Durante mais de um milhão de anos eles vegetaram lá, até quando foram descobertos pelos blues, há cerca de 3.000 anos atrás. O planeta foi devorado em virtude da metamorfose dos gafanhotos córneos até ter apenas 10 por cento de sua massa original e assim privando os vermes do pavor de um local para viver. Os blues prontificaram-se a levar os vermes do pavor para outros mundos antes do amadurecimento dos ovos. Por isto eles exigem para si uma grande parte do molkex produzido pelos gafanhotos córneos. Os vermes do pavor também devem estar à disposição para servirem como exército de ajuda.

Finalmente os blues passaram a utilizar cada vez mais geradores de frentes de choque energético gravitacionais para maturar artificialmente os ovos, com o objetivo de terem cada vez mais molkex à sua disposição e para blindar suas espaçonaves, que assim se tornam quase indestrutíveis.

Devido à sua grande fecundidade os blues espalharam-se em curto tempo no Eastside, onde eles construíram um gigantesco império estelar. Os divididos povos blues são dispersos entre si e conduzem violentas guerras fratricidas. O povo principal são os gatasenses, os únicos cujas naves de guerra possuem uma cobertura de molkex. Terranos e blues entram em encarniçadas lutas. Os homens descobrem que eles só poderão ganhar a guerra através de uma nova arma, que deverá destruir as blindagens de molkex do inimigo. Eles seguem a pista do segredo da blindagem de molkex e desenvolvem as bombas anti-molkex.

Estas bombas levam à virada a favor dos terranos. Os gatasenses capitulam e assinam finalmente um tratado de paz com a Terra.

Pouco depois, no ano 2328, ocorre uma rebelião de colonos terranos contra o Império Solar. O líder é Iratio Hondro, o governante de Plofos.

No planeta Stup astronautas terranos ficam no domínio de uma emocio-radiação, que diminui a capacidade cerebral. A fonte da radiação é uma estação dos plofosenses numa lua do planeta. A nave capitânia terrana é destruída e Rhodan é raptado, junto a Atlan, Reginald Bull, Melbar Kasom e o mutante André Noir. Gucky consegue realmente achar o planeta prisão, porém quando os ajudantes chegam, os prisioneiros já foram sequestrados pelos neutralistas, os adversários do governante. Contudo, os espiões do governante seguem a pista do rapto novamente e guiam a frota de Hondro para um grande ataque ao quartel-general dos rebeldes – a lua Badun. Antes que o quartel-general no entanto se destrua, um poder misterioso ataca e rapta o grupo de Rhodan junto a Mory Abro, a filha do líder dos neutralistas. O caminho dos raptados leva ao planeta Kahalo no centro da Via Láctea. De lá eles levam uma espaçonave automática para um mundo radioativo, onde há todavia vida imaterial. Os desaparecidos enviam sinais de socorro, que são captados por uma expedição de ajuda dos ratos castores. A ação de Julian Tifflor leva ao salvamento de Rhodan e seus companheiros.

Enquanto isso um grupo terrorista age no Sistema Solar, formado por escravos de Hondro.

Finalmente Rhodan começa um contra-ataque contra Hondro. Sua fuga conduz para Last Hope, e de lá para o planeta Opposite, onde ele encontra a morte. Pouco antes ele entrega seu ativador celular para Rhodan, que o dá para Mory Abro.

Rhodan e Mory Abro casam-se pouco tempo depois. Em setembro de 2329 os blues atacam de surpresa, equipados pelos aconenses, Árcon III, o mundo da guerra dos arcônidas. Antes que os terranos possam atacar, o planeta é destruído.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 200 a 299 – Período da história: 2400 a 2406
Data de publicação na Alemanha: 1965 a 1967
Data de publicação no Brasil: 1983 a 1986


Seguindo indicações do halutense Icho Tolot, Perry Rhodan e seus companheiros descobrem a estrada de transmissores solares para Andrômeda e encontram-se nesta outra galáxia com os maahks, seres que respiram hidrogênio, e com os tefrodenses, seres humanoides semelhantes aos terranos. Através de uma viagem no tempo até uma época situada 50.000 anos no passado, Perry Rhodan toma conhecimento da história dos lemurenses, a Primeira Humanidade. Finalmente os terranos vencem os senhores da galáxia, os tirânicos senhores de Andrômeda.



PRBR 0200

Via Láctea

O halutense Icho Tolot voa para o planeta Opposite e traz consigo dois terranos da nave esférica OMARON, resgatados no espaço por Fancan Teik. Através do relato de Icho Tolot, os terranos a bordo da CREST II, a nova nave capitânia da frota, descobrem o transmissor solar no centro da Galáxia. Durante as buscas, a CREST II entra na área de influência do transmissor solar e é lançada no espaço vazio entre as galáxias, enquanto o resto da frota que a acompanhava ficam para trás. (PR 200)

 

Gêmeos

A CREST II aporta em um sistema desconhecido, no planeta Power do sistema de Gêmeos no espaço vazio. Icho Tolot, a única pessoa a bordo que não perdeu a consciência ao atravessar o transmissor, abre fogo com as armas de bordo no complexo de pirâmides. Os terranos encontram os destroços da OMARON e os corpos mumificados da tripulação. Na sequência, o planeta se dissolve gradualmente por um circuito de segurança devido a destruição das instalações e irradia sua matéria pelo transmissor solar. (PR 200)

O processo de dissolução de Power atua sobre os recursos hídricos da CREST II impedindo a reação entre os átomos de hidrogênio e oxigênio. A tripulação começa a morrer de sede. Com a destruição da estação em Septim, os escudos de energia dos planetas gêmeos foram enfraquecidos. (PR 201)

Com o fornecimento de provisões e equipamentos, e o hábil apoio de Reginald Bull com a BOX-8323 através do transmissor solar se conseguiu localizar a CREST II e resgatá-la no último segundo. Sendo localizada a distância, com o auxílio da SIGNAL em voo ultraluz no retorno do sistema de Gêmeos para a Via Láctea. (PR 202)

A nave capitânia da Frota Solar avançou até Quarta e descobriu a Cidade dos Proscritos, eles conseguem novas informações sobre os mestres da estrada de transmissores, mas com isso eles atraem o mal sobre si, e tem que fugir de Quarta. (PR 203)

Em Quarta, a tripulação foi infectada com o Drung. Ele tenta forçar a tripulação a levá-lo para casa. Graças a Icho Tolot, a criatura é expulsa com sucesso em Sexta. (PR 204)

Em Quinta, a tripulação da CREST II consegue ocupar a estação de ajuste do transmissor solar e fixar o caminho de volta à Via Láctea. O guardião da estação entra em combate com a BOX-8323 e é destruído, antes disso, no entanto, altera o destino, enviando a nave para Horror. (PR 205)


Horror

Os terranos têm que defender sua pele dentro do mundo oco. Partindo da concentração de energia no centro, o chamado núcleo de energia, quando a CREST II é acelerada como em um síncrotron e ameaça colidir com a superfície da concha esférica interior de Horror. Perry Rhodan e Icho Tolot conseguem anular o desastroso efeito. O comando de desembarque encontra o caminho da casca interna com o núcleo de energia para o alto, para o andar verde. (PR 206)

Lá, a tripulação da nave capitânia entra no conflito permanente entre os gurus e os eskies. Por causa dos paradons dos gurus as fontes de energia da nave falham por completo. A CREST II e duas corvetas tiveram que fazer um pouso de emergência. A frente gelada parapsíquica produzida pelos gurus ameaça congelar a tripulação até a morte. Eles arrastam dois shifts, num esforço sobre-humano para fora da esfera de influência dos eskies e gurus para atordoá-los com as armas paralisantes. Então, procuram o caminho para o próximo andar. (PR 207)

Após a transição para o andar vermelho eles precisam entrar em contato com os soberanos azuis que escravizam o povo dos tentaculares e desativá-los. Ele comanda um destacamento para despistar os soberanos azuis e destruir a conexão. (PR 208)

No andar amarelo a CREST II encontra os matadores aparentes que querem usar os terranos para efetuarem a sua vingança contra os superiores que mataram seus mestres. Gucky consegue dissuadi-los de seus planos. (PR 209)


Gêmeos

A ANDROTEST I chega ao sistema de Gêmeos e encontra os rastos da CREST II, que os levam para o sistema Horror. (PR 210)


Horror

Ao chegar no sistema Horror, a ANDROTEST I juntamente com a BOX-9780 e BOX-9781 encontram a CREST II, recém-libertada do mundo oco. (PR 210)

A CREST II se aproxima – atraída por mensagens de rádio vindas da superfície de Horror – e cai na esfera de influência do condensador potencial. As BOX dos pos-bis são destruídas, e nave capitânia e sua tripulação são reduzidos em 1.000 vezes. (PR 211)

Durante um voo teste com uma aeronave do tipo F-913 G, Don Redhorse e sua equipe são abatidos e são aprisionados pelos antigos habitantes da superfície de Horror – os cabeças-de-cúpula. Uma parte da equipe consegue libertar-se e fugir para CREST II. (PR 212)

Com a F-913 G, um grupo de terranos alcança o polo sul de Horror para destruir o condensador potencial local. Após grandes esforços, a equipe de operações consegue colocar uma bomba. No entanto, o plano falha, porque a força da explosão, não foi suficiente para destruir as instalações. (PR 213)


Kahalo

A MOHIKAN, sob o comando do coronel Ferro Kraysch, descobre o planeta Kahalo há muito procurado com a estação de ajuste do transmissor solar. Ele consegue tirar o controle da estação de ajuste do Cortador, o vigia robô, e repelir uma invasão dos maahks. (PR 214)


Horror

A ANDROTEST II avança até Horror e depois de lutar com uma fortaleza espacial dos maahks, também caí na esfera de influência do condensador potencial. (PR 215)

Os terranos encolhidos precisam recuperar um blindado voador abandonado no andar vermelho para avisar a tripulação da ANDROTEST III que estava sendo aguardada sobre o andar amarelo. (PR 216)

A fortaleza espacial dos maahks reaparece no sistema Horror e sequestra a CREST II, juntamente com a sua tripulação e os leva até o sistema de Gêmeos. (PR 217)


Gêmeos

Mais tarde a nave capitânia consegue libertar-se da fortaleza. (PR 217)

A frota terrana é bem-sucedida em repelir a fortaleza espacial dos maahks do sistema de Gêmeos pelo transmissor solar. (PR 218)

A fortaleza espacial se rematerializou em Kahalo. Eles conseguem destruí-los através da ação dos mutantes. Os maahks fogem com as naves auxiliares, mas os mutantes continuam desaparecidos. (PR 219)

Os mutantes caem nas mãos dos maahks em fuga e podem formar uma aliança com os aconenses. (PR 220)


Via Láctea

Allan D. Mercant recruta cinco doentes com a peste do centro e, assim, permite que eles libertem os prisioneiros maahks, enviando os cinco astronautas condenados a morte como espiões para a área de influência dos maahks. (PR 221)


Andro-Alfa

Com a ALTAI, os terranos vão para Andro-Alfa, onde os espiões são duplicados e depois mortos. (PR 221, PR 222)


Gêmeos

Os duplos terranos retornam ao sistema de Gêmeos. Atlan é duplicado em Quarta, no entanto, o duplo é destruído antes de estar concluído por uma equipe de resgate. (PR 223)

 

Kahalo

Um exame nos supostos terranos não fornece nenhuma indicação da peste do centro. No voo de regresso para Opposite eles sequestram a KITARA, matando a tripulação e encenando a destruição da nave. Uma esfera lhes traz mais equipamentos. (PR 224)


Via Láctea

O plano da Quinta Coluna, de preparar a invasão secreta da Via Láctea pelos maahks, por meio da chamada trilha de desvio de impulsos é descoberto. (PR 225)

Atlan usa os saltadores de ondas Tronar e Rakal Woolver para ir atrás da origem e os planos dos duplos. Aparentemente Tronar morre durante a espionagem na espaçonave dos maahks, quando seu corpo é duplicado. (PR 226)


Kahalo

O duplo de Tronar Woolver que é enviado por Grek-1 até os terranos é desmascarado antes mesmo da sua chegada e substituído por Rakal Woolver que retorna para os maahks como Tronar Woolver. (PR 227)


Via Láctea

Rakal Woolver frustra os planos de invasão dos maahks e danifica severamente a espaçonave maahk. (PR 228)

Gucky consegue fazer contato com Grek-1. Tronar Woolver retorna com a ajuda de Grek-1 depois da destruição de seu duplo. O maahk se entrega nas mãos dos terranos e destrói a sua espaçonave. (PR 229)

Através do interrogatório de um terrano capturado, os aconenses ficam conhecendo a estrada para Andrômeda. (PR 230)


Gêmeos

Uma frota aconenses ocupou o sistema de Gêmeos. De acordo com o plano de Grek-1, maahks leais aos senhores da galáxia atacam os aconenses. A batalha acontece no sistema de Gêmeos, no qual a estação de ajuste é destruída. O caminho de volta para casa é cortado para sempre para ambas as frotas – Grek-1 conclui a sua vingança sobre os aconenses que expulsaram os seus antepassados da Via Láctea e não está mais a serviço dos senhores da galáxia. (PR 230)


Chumbo de Caça

Por sugestão do novo aliado, Grek-1, os terranos vão até o Sistema dos Perdidos, confrontando-se com os habitantes, maahks mutantes. (PR 231)

Gucky é lançado no passado distante do sistema por uma armadilha temporal, testemunha a destruição do planeta natal dos maahks locais e auxilia os maahks em sua desesperada luta com os representantes dos senhores da galáxia. Como agradecimento, ele recebe o título honorífico de Matador Simultâneo em Toda a Parte. Ele volta ao tempo real para trazer o consenso entre os dois povos. (PR 232)

No sistema dos Perdidos, os terranos constroem num planetoide o satélite secreto Troia e contrabandeiam-no para a nebulosa de Andro-Beta. Assim começa uma sistemática campanha contra os senhores da galáxia. (PR 233)


Andro-Beta

Um moby engole Troia. Eles conseguem escapar da destruição do moby. (PR 233)

Depois destas experiências, a CREST II e sua tripulação tornam a entrar em um moby – o moby Tolot – e se tornam prisioneiros dos twonosers. (PR 234)

A fim de recuperar a liberdade, a tripulação da nave capitânia continua a alimentar os conflitos internos entre as três castas dos twonosers. (PR 235)

Enquanto o sistema de castas dos twonosers desmorona pela guerra civil instigada, os terranos fogem do moby. (PR 236)

A BAGALO que serve como escolta para seis naves transportadoras da classe ANBE, que compõem a frota de reabastecimento para Troia, cai em poder dos três irmãos siderais. Após a fuga bem-sucedida, eles encontram a CREST II. Enquanto Perry Rhodan está no hospital com uma fratura no crânio, Atlan toma as medidas necessárias para evitar mais conflitos com os twonosers e pode destruir o moby Tolot. (PR 237)

Enquanto espera o reabastecimento e a CREST II, Heske Alurin deixa o satélite secreto com a IMPERATOR camuflada e descobre o sistema Alurin. O planeta de gelo Arctis parece ser uma base ideal para os terranos. Segue-se a implantação da estação Louvre. (PR 238)

O primeiro planeta do sistema Alurin, Destroy, é examinado. Ele vem a descobrir os últimos laurins e desvenda a sua trágica história. Ao sair, os terranos acionam um circuito de segurança que ativa algumas naves robotizadas e uma estação de hiper-rádio remota. (PR 239)

As ondas de hiper-rádio ativaram os mobys supostamente mortos por toda a Andro-Beta. Um deles ataca Arctis, só com muito trabalho os terranos conseguem – usando ácido Stog e a ação dos irmãos Woolver – neutralizar e controlar aquele que está no sol Alurin. Segue-se a fuga dos terranos de Andro-Beta diante da ativação dos mobys. (PR 240)

Don Redhorse e quatro terranos retornam a Andro-Beta para localizar a origem dos sinais de hiper-rádio. Contrariando as ordens eles pousam no planeta Gleam no sistema Tri e conhecem os seus habitantes – os gleamors. (PR 241)

O grupo liderado por Don Redhorse descobre que a estação de hiper-rádio responsável pela ativação dos mobys está em Siren, a Lua de Gleam. Eles retornam à CREST II e informam sobre sua descoberta. (PR 242)

Um comando terrano avança para Siren para silenciar a estação de hiper-rádio. Por fim a lua é destruída com bombas de Árcon. Como resultado os mobys morrem novamente. (PR 243)

Os terranos avançam novamente para a nebulosa Beta, agora sem proteção. Recebem uma mensagem da superinteligência AQUILO, e Harno oferece sua ajuda aos terranos. No local indicado por Harno é construído a nova base dos terranos Power Center. (PR 244)

Os pedidos de ajuda parapsíquicos chamam a atenção dos terranos para o planeta Rando-1. Lá, eles encontram a célula originária do Plasma Central do Mundo dos Cem Sóis que abrangia todo o planeta, naves robotizadas colhiam a massa e transportavam para fora. Perry Rhodan se lembrava da promessa que ele havia dado ao Plasma Central e promete ajuda. Porém antes da estação de guarda no interior do planeta pudesse ser desligada, ela relata a decolagem dos terranos a um circuito de segurança e dispara um alarme para a frota de vigilância. O planeta Rando-1 explode após a queda de centenas de bombas robotizadas. (PR 245)

No planeta escuro Módulo, os terranos encontram Baar Lun, o último modular. Sob coação, ele produzia os monstros androides que atacaram os terranos da célula original fornecida pelo plasma celular. (PR 246)

Os terranos têm sucesso em abrir-lhe os olhos e fazê-lo perceber que ele, Baar Lun, estava sendo enganado e escravizado pelos senhores da galáxia, que ele é apenas uma ferramenta dos soberanos de Andrômeda. Estes ameaçavam destruir seu povo se ele se recusasse a prestar seus serviços. Finalmente ele se torna um aliado dos terranos, quando descobre que o seu povo há muito tempo havia sido extinto. (PR 247)


Andro-Alfa

A pedido de Grek-1, a CREST II vai até Alfa-Centro, um dos mundos centrais dos maahks no interior de Andro-Alfa. Grek-1 toma conhecimento de que os lideres maahks locais estão a serviço dos senhores da galáxia. Sua morte sacrificial inicia a rebelião dos maahks contra os senhores da galáxia, e eles começam a pôr em execução o seu plano que começou há 10.000 anos para derrubar os senhores da galáxia. (PR 248)


Chumbo de Caça

Maahks leais aos SdG envolvem-se em três ofensivas sobre o sistema Chumbo de Caça. Para Reggie, uma entidade criada a partir do mecanismo de controle do transmissor solar, a frota de Reginald Bull está travando uma batalha perdida, entra em ação e evita uma quarta onda de invasão. (PR 249)

 

Andro-Beta

O recém-projetado ultracouraçado da classe Galáxia, a CREST III, a nova nave capitânia da Frota Solar, chega em Gleam. (PR 250)


Andrômeda

Ao se aproximarem de Andrômeda, os terranos descobrem o estaleiro de reparação KA-barato, e depois de alguns mal-entendidos iniciais, entram em entendimento com o ambulante Kalak. (PR 250)

Encontram os biodegradadores na KA-barato que sequestram a CREST III. Um grupo liderado por Perry Rhodan consegue libertar-se da prisão dos biodegradadores. (PR 251)

Com um jato-mosquito que Gucky conseguiu retirar antes do sequestro da nave capitânia, Perry Rhodan voa com Atlan, Gucky, Kalak e Kildering, a ferramenta sagrada dos ambulantes, para Ollura, até o planeta natal dos biodegradadores, para retomar a CREST III. O jato-mosquito é abatido e Perry Rhodan cai em Boltra, a única cidade do planeta destruído e morto do povo dos biodegradadores. Kildering perece neste acidente. Os terranos removem o último biodegradador a bordo da CREST III e reconquistam a nave esférica. (PR 252)

Como uma indenização pela reparação da nave, Kalak exige que os terranos entrem na nebulosa escura Hades e procurem por outros ambulantes. No planeta Bengala no Sistema Esmeralda, eles encontram os ambulantes do estaleiro OL-Prestativo, que estão na defensiva contra as plantas inteligentes do mundo Bengal, os praems. Acontece que as inteligências e a fauna do planeta foram convertidas em plantas pelos moduladores de genes, por ordem dos senhores da galáxia. Os terranos caem em poder das plantas. (PR 253)

O Bluul, com o seu labirinto cósmico, dificulta a CREST III de resgatar os prisioneiros em Bengala. Por fim, conseguem libertar os terranos e ajudar os moduladores. Os praems se submetem à vontade de Baar Lun, que fez uma experiência com os cristais da ilusão. (PR 254)

Quando se aventuraram no centro da zona proibida de Andrômeda, os terranos são atacados pelos gaids e, em seguida, pelos tefrodenses, um povo surpreendentemente semelhante aos terranos. Quatro tefrodenses são resgatados no espaço e trazidos a bordo da CREST III. Uma tentativa de fuga falha, e dois tefrodenses se matam quando avistam Icho Tolot. (PR 255)

A operação de espionagem em Tefrod falha, os terranos não podem descobrir nada sobre o mundo principal dos tefrodense nem sobre sua origem. A incursão à residência oficial do Virth também falha, porque esta é cercada com para-armadilhas. Os terranos são obrigados a se retirar. (PR 256)


Andro-Alfa

Finalmente os maahks levantam-se contra os senhores da galáxia e destroem o transmissor solar em Alfa Centro. A corveta KI-33 sob o comando de Arl Tratlo, descobre no planeta Multimatador uma fábrica de estranhas moedas grandes – mais tarde, elas são identificadas como receptores de impulsos. (PR 257)


Andrômeda

A fim de investigar a tecnologia tefrodense da ASKAHA, uma espaçonave tefrodense, que foi danificada em uma batalha com os maahks, é apreendida e rebocada para o planetoide Runaway. Lá, os terranos encontram-se com Lucky Log o robô-psi. No entanto, a tripulação sedada com os radiadores narcotizantes acorda sob a influência do receptor de impulsos e ataca os terranos. Quando a situação se torna desesperadora para os tefrodenses, os seus receptores de impulsos recebem o impulso suicida. (PR 258)

A caminho do estaleiro de reparação KA-barato a ASKAHA é capturada por um transmissor situacional e irradiada junto com outros destroços tefrodenses para o sistema Redeye. No planeta-estaleiro Terminal, os terranos têm que lidar com a positrônica principal até o ataque dos tefrodenses. Só é possível para a CREST III resgatar a tripulação da ASKAHA no último segundo. (PR 259)

O planeta museu History é descoberto – e com ele, os terranos tomam consciência de que eles têm sido observados pelos senhores da galáxia. No planeta, pode ser encontrado, graças ao campo de ativação celular, as pessoas sequestradas de todas as eras da história da Terra. Entre eles está Bari Staunder. Ele foi sequestrado durante a luta contra os blues no século 24 e retorna para bordo da nave capitânia. (PR 260)

As investigações revelaram que os tefrodenses desligaram o campo de ativação celular depois da descoberta de History. A CREST III escapa do ataque tefrodense para o espaço linear, do qual é arrancada pelo ataque de uma espaçonave tefrodense. Eles encontram o planeta Multika, e os terranos descobrem uma infinidade de multiduplicadores. Eles conseguem capturar alguns duplos posicionados lá e afastam-se do planeta. No entanto, os prisioneiros morrem pouco depois através da ativação dos seus receptores de impulsos. (PR 261)

Para determinar a identidade dos invasores, os senhores da galáxia desenvolveram um plano mestre. Várias espaçonaves com multiduplicadores chamadas naves duplicadoras, as unidades são alocadas nas áreas envolvidas em conflitos com os maahks, logo que se confirma que uma espaçonave dos invasores se encontra lá. De acordo com o plano, a nave duplicadora SUSAMA sob o comando de Ko-Antin 201 é capturada pelos terranos. Gucky, André Noir e Icho Tolot vão a bordo. Eles são postos fora de ação por gás e duplicados. Enquanto isso, a SUSAMA se retira através de um transmissor situacional. (PR 262)

A CREST III segue a SUSAMA, tenta interceptar a nave duplicadora. Ambas as naves estão no grande sistema Big Blue. Quando o ataque dos duplos a CREST III começa, eles conseguem abater a SUSAMA sobre o planeta Vario. Os duplos sobreviventes são mortos. A segunda parte do plano mestre põe-se em movimento, mesmo sem a identidade dos invasores ser elucidada. (PR 263)

Atraída por gritos de socorro, a CREST III se aproxima do planeta Vario. Que prova a ser uma gigantesca armadilha. Máquinas titânicas abastecidas por sugadores solares são usadas para criar um campo de zero absoluto e atirar a CREST III 52.392 anos para o passado. Em seguida, a nave capitânia é conduzida por um transmissor situacional ao hexágono solar no centro galáctico de Andrômeda e de lá para Kahalo na Via Láctea. (PR 264)


Via Láctea

Face as frotas de vigilância do Almirante Hakhat que protege o planeta de ajuste, apenas Atlan possui as respostas certas para as suas perguntas. E assim passa-se por um tefrodense e passa na inspeção. A CREST III toma o caminho para a Terra, que naquela época é chamada Lemur, que está enfrentando uma nova era do gelo e é povoada pela Primeira Humanidade, que trava uma luta defensiva sem esperança contra os halutenses, nossos melhores amigos. Em Lêmur, o agente do tempo Orghon sobe a bordo, ele também vem do futuro e quer passar a identidade dos terranos para os senhores da galáxia. Conseguem matar Orghon e evitar a destruição da CREST III por um dispositivo explosivo detonado por ele. (PR 264)

Enquanto isso o agente do tempo e alto conselheiro Tam Frasbur em Kahalo recebe os comandos de um senhor da galáxia, e começa a elaborar uma armadilha para a CREST III, o comando especial Lemur sob o comando de John C. Shelton está em Lêmur e cai nas garras dos lemurenses. Graças à Lucky Log, o robô-psi, eles conseguem libertar-se. Um contato com a CREST III que fugiu diante das forças lemurenses não acontece. Dos quatro conselheiros Tam influenciados por Log, membros do Clube Luna, os homens dos comandos especiais receberam os Krish’un, mantos vivos da lua Washun de Darak. Log teleporta o grupo para a lua Suen na cidade M’adun em Lêmur. Lá, eles encontram o olho do tempo Angekok. Enquanto a CREST III escapa da armadilha de Frasbur, Log se conecta ao Olho do Tempo, e lá junta-se a essência do Dull, que leva o grupo para Darak, a partir de onde eles se transferem via transmissor para Washun. (PR 265)

Em Washun eles encontram os ambulantes do estaleiro cósmico MA-genial, que estão lutando contra os halutenses. Após a chegada da CREST III o enigma de Krish’un pode ser resolvido, e eles se envolvem na luta entre ambulantes e halutenses em favor dos ambulantes de MA-genial. Além disso, Baar Lun resolve o mistério da origem de seus antepassados. (PR 266)

Em Kahalo, os saltadores de ondas Tronar e Rakal Woolver tentam pegar o agente do tempo Frasbur, a fim de negociar a sua volta para o tempo real. Porém eles caem em uma armadilha de Korpel, que tortura Tronar com um psicogerador. Rakal consegue dominar Korpel e este, por sua vez, é conectado ao psicogerador. Korpel torna conhecido todos os detalhes da base de Frasbur e se entrega a discursos inflamados contra os senhores da galáxia. Como resultado, seu receptor de impulsos é ativado e mata-o. Eles conseguem acompanhar uma conversa entre Frasbur e Regnal-Orton. Aqui havia uma maneira de retornar ao futuro. Os saltadores de ondas sobem a bordo da espaçonave de Regnal-Orton. Eles se livram de uma de suas armadilhas e o dominam. Ao chegarem no futuro, o ativador celular de Regnal-Orton é removido sob as ordens de Reginald Bull. O senhor da galáxia morre instantaneamente. (PR 267)


Andrômeda e Via Láctea

Reginald Bull esperava com o General Deringhouse na proteção contra localização de um sol, 10.000 anos-luz da Zona Proibida, na HELPA. Eles trouxeram a HELLTIGER, uma espaçonave siganesa disfarçada como um pedaço de detrito, pilotada por Lemy Danger. Através de um plano elaborado e preciso os irmãos Woolver, Tako Kakuta e Lemy Danger atravessam para o outro lado de Vario no passado e na Via Láctea, onde a CREST III os aguarda. Enquanto os gêmeos e Tako partem para procurar o agente do tempo Frasbur, Lemy Danger se reúne com Gucky, que aterrissou lá em um voo de reconhecimento, em um planeta lemurense. Juntos, eles conseguem fugir e voltar para a CREST III. (PR 268)

Tako Kakuta, Tronar e Rakal Woolver chegam a Kahalo, e ali, no antigo Pavilhão Memorial caem em uma armadilha. Por um transmissor de espaço-tempo são transmitidos para o hiperespaço e se reúnem com Ernst Ellert e Harno. Frasbur os trouxe de volta, depois que ele teve uma ligação de rádio com um dos senhores da galáxia que quer interrogar os prisioneiros. Gucky e Lemy Danger a bordo da KC-1 também se apressam para chegar a Kahalo e onde eles se encontram com Frasbur. Depois de uma violenta batalha entre Gucky e os robôs de combate chamados para proteger Frasbur, eles conseguem capturar o agente do tempo.

Enquanto isso, a KC-1 com Don Redhorse encontra-se com uma inteligência coletiva unida a um ser energético.

Após o retorno da KC-1 para Kahalo, o comando de operação consegue escapar juntamente com Frasbur. Na CREST III inicialmente ele é preso em uma cabine. (PR 269)

Lá, Frasbur é interrogado telepaticamente a maior parte do tempo. Por um lado, ele fornece informações deliberadamente, por outro lado, oculta outras, para tentar destruir a CREST III. No entanto, suas atividades são conhecidas. Frasbur planeja propositadamente atrair a nave capitânia com as informações sobre o acesso direto ao transmissor solar a um determinado planeta. Supostamente a CREST III voltaria à Andrômeda em uma estação localizada naquela região sem patrulhamento da frota de vigilância lemuriana através do transmissor solar. Na verdade, é uma fortaleza defensiva fortemente armada, que supostamente poderia destruir a CREST III. Além disso, a estação também abriga um transmissor temporal, com a capacidade de 500 anos.

Enquanto isso, a plataforma do estaleiro cósmico MA-genial é destruída por uma frota lemuriana. O incidente demonstra a necessidade de desaparecer rapidamente deste período de tempo.

A investigação dos terranos revela que este planeta desconhecido é Pigell no sistema Vega. Depois de alcançar o sistema Vega os dois jatos-mosquito voam sobre Pigell sob a orientação de Atlan. Pelas imagens, foi desenvolvido um plano para destruir a fortaleza defensiva. O plano é colocado em operação. A CREST III voa em voo linear diretamente para Pigell e abre fogo imediatamente após a rematerialização. Com a salva sincronizada de todas as armas da nave esférica, a fortaleza robotizada alimentada pelo raio de sucção solar vai abaixo. Vinte bombas conversoras de pequeno calibre de 30 megatons completam a destruição.

Em seguida, a CREST III voa aparentemente desorientada sobre o planeta para ser transferida pela estação temporal. O plano é bem-sucedido, e a nave esférica se livra dos lemurenses ao se deslocar cerca de 500 anos no futuro. Uma vez no ano 49.488 aC, um destacamento da CREST III tenta conquistar a estação temporal. Quando eles ameaçam destruir a estação, seu comandante, o agente do tempo Neskin. Ele atira na tripulação da base e, em seguida, em si mesmo sem revelar aos terranos quaisquer segredos tecnológicos. (PR 270)

Para ir buscar a CREST III do passado e trazer para a Via Láctea e depois para Andrômeda no tempo presente, Reginald Bull envia o tênder da frota DINO III sob o comando de Rog Fanther. O tênder está transportando 3 unidades de conversores Kalup para a CREST III. O plano é transportar o Tender para 50.000 anos no passado, na armadilha do tempo de Vario e irradiá-lo para Kahalo através do transmissor solar. De lá, a DINO III deve, então, voar para encontrar-se com a CREST III no sistema de Vega e lhes entregar os três conversores Kalups. E então a CREST III deve usar os três conversores adicionais para criar uma ponte no espaço vazio entre a Via Láctea e Andrômeda e, em seguida, voltar ao presente através da armadilha temporal de Vario.

Pouco tempo depois o rato castor consegue dominar o SdG Nevis-Latan, e isto permite à Crest retornar para o tempo real do ano 2404.

Torna-se claro para os terranos que os lemurenses, desde a vitória dos halutenses, conseguiram viajar há 50.000 anos para Andrômeda com a ajuda dos engenheiros solares, que construíram os transmissores solares. Em pouco tempo os lemurenses conseguiram conquistar a galáxia, através de sua técnica avançada. Os maahks foram expulsos de sua pátria, e ao longo do tempo os lemurenses desenvolveram-se dando origem aos tefrodenses. Treze renegados da elite científica e militar assumiram o poder total e se tornaram os senhores da galáxia. Quando seis deles descobriram o segredo do mais poderoso SdG, o Fator I, eles foram eliminados, e os sete SdG restantes exerceram seu poder ilimitado com a ajuda de antiga técnica lemurense: as multidões de duplos e o domínio da viagem no tempo. Os SdG usam todos os meios para subjugar o império da Humanidade. Um ataque do SdG Miras-Etrin tenta destruir a Terra, mas Atlan consegue impedir este atentado.

Nesta época surge um objeto voador desconhecido de Andrômeda sobre Kahalo. Ele é uma espaçonave dos engenheiros solares. No ano 2405 eles descobrem o quanto foram usados pelos SdG, e libertam-se de seu poder quando se atiram no sol de seu sistema natal. Através desta ação eles retornam ao “Seio da Grande Mãe”, sua pátria, e passam a viver de uma maneira incompreensível.

Atlan procura os maahks na nebulosa Alfa, e finalmente chega a um tratado de paz com os velhos inimigos mortais de seu povo. Os metanitas se tornam aliados dos terranos, porém exigem como compensação pelo acordo a retirada dos terranos de Andrômeda ao término da luta contra os SdG, bem como a destruição da estrada de transmissores da Via Láctea para Andrômeda.

Para destruir o transmissor central de Andrômeda, os terranos criam um antissol e liberam com isso um inferno cósmico. Os homens precisam voar para fugir das forças cósmicas. A ponte entre as vias lácteas torna-se instável através da destruição do transmissor de Andrômeda e finalmente desativa-se completamente.

A força de combate de Rhodan estacionada em Andrômeda está isolada de sua galáxia natal, mas há entretanto estações espaciais dos maahks construídas há 50.000 anos no espaço vazio intergaláctico para funcionarem como estaleiros e estações de suprimentos num caminho seguro entre Andrômeda e a Via Láctea Na antiga estação espacial dos forrils os terranos encontram informações sobre as estações. Quando os terranos chegam à Estação Central, a estação próxima de Andrômeda, Miras-Etrin já havia organizado uma armadilha para Rhodan, que entretanto não chega a acontecer. O senhor da galáxia morre durante a explosão da estação espacial. Na estação Midway Rhodan, que vinha de Andrômeda, encontra-se com Bull, que vinha da estação Lookout, próxima à Via Láctea Bull traz informações sobre o centro de poder dos SdG, Multidon, a central das frotas de duplos dos SdG. Após uma encarniçada luta o mundo industrial é destruído por um incêndio atômico. Proht Meyhet, o comandante deste mundo e um senhor da galáxia, morre.

A bela Mirona Thetin, Conselheira Tam do sistema Sulvy, é salva de uma emergência espacial e avisa de um iminente atentado contra a Terra. Agentes dos SdG estão ativos na Terra e desejam transformar homens e animais em feras furiosas através de um psicoemissor. No último segundo o projeto é frustrado.

Fator I, o impiedoso líder dos SdG, deseja voltar a roda da história através da destruição da nave de Thora antes do primeiro voo lunar de Rhodan. O Fator II, Trinar Molat, envia uma nave tefrodense por transmissor temporal para o ano 1971, que contudo fracassa na tentativa de destruir o cruzador de pesquisa arcônida. Neste meio tempo, terranos, pos-bis e maahks atacam o mundo central dos SdG. A Tamânia se assemelha a uma superfortaleza, de onde é controlada toda a Nebulosa de Andrômeda. Trinar Molat morre devido a um ataque dos terranos e maahks ao seu bastião.

Nesta época, quando a luta contra os senhores da Nebulosa de Andrômeda atinge um ponto culminante, chega um homem misterioso quase despercebido para o anúncio da paz: Tengri Lethos, um dos últimos hathors vivos, que chama a si próprio de “Guardião da Luz”.

O Fator I, cada vez mais acuado, tenta por si próprio ir ao passado para destruir o cruzador arcônida, mas este ataque fracassa. E então os terranos conhecem a inacreditável verdade: o Fator I é ninguém menos que Mirona Thetin, que havia ajudado os terranos há pouco tempo. Quando ela entretanto não deseja abandonar seu poder, ela trava um duelo com Atlan e o Fator I morre tragicamente.

O poder dos senhores da galáxia é finalmente quebrado, e os calendários registram na Terra o mês de fevereiro de 2406. Rhodan retorna à Terra, onde Mory Rhodan-Abro havia dado a luz a seus filhos Suzan Betty e Michael Reginald em agosto do ano anterior.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 300 a 399 – Período da história: 2435 a 2437
Data de publicação na Alemanha: 1967 a 1969
Data de publicação no Brasil: 1986 a 1988

Os policiais do tempo e suas espaçonaves vivas atacam o Império Solar, na tentativa de punir os terranos por seus crimes contra o tempo. Perry Rhodan é enviado para a galáxia M-87 com sua nave-capitânia CREST IV e descobre a origem dos halutenses. Os terranos avançam para as Nuvens de Magalhães e conseguem finalmente derrotar os líderes da Polícia do Tempo.



PRBR 0300Na Terra e em todos os mundos habitados por terranos registra-se o ano 2435. As três décadas passadas desde o fim dos senhores da galáxia foram utilizadas pelos terranos para um pacífico trabalho de construção e consolidação interna. Esta época tranquila chega a um brusco fim quando os livre mercadores interestelares de Roi Danton são caçados pelos homens de Rhodan e travam um combate aparentemente real no planeta Rubin. Um robô gigante surge das profundezas do cosmos. O cérebro coordenador do gigante interpreta falsamente os acontecimentos e envia uma frota de ultracouraçados. Começa uma campanha de destruição contra as unidades terranas.

O robô gigante, que recebe o nome de OLD MAN logo após, tem a forma de uma semiesfera com um diâmetro na base de 200 km, com 12 plataformas portadoras com 840 ultracouraçados cada uma acopladas a ela. Pouco tempo depois os terranos descobrem que OLD MAN na realidade foi enviado para eles como um presente que deveria entrar em ação na luta contra os senhores da galáxia. O tênder da frota DINO III, que naquela época foi enviado ao passado para ajudar Rhodan, não se encontrou com ele devido ao salto temporal de 500 anos feito por sua nave capitânia. Apesar de tudo, para ajudar o Administrador Geral, uma parte da tripulação da nave construiu há 52.000 anos atrás, com a ajuda das instalações técnicas de um planeta lemurense, um robô gigante, que deveria ajudar mais tarde a Humanidade em sua luta contra os senhores da galáxia. Em virtude de um erro de cálculo a gigantesca construção atrasou-se para seu encontro e chegou primeiramente ao setor Alvorada, quando já não existia mais nenhum senhor da galáxia.

Antes que a confusa realidade possa esclarecer-se completamente, OLD MAN é guarnecido por hipno cristais. OLD MAN segue viagem e voa para a estrela de Jellico, num setor exterior da Via Láctea Os hipno cristais aumentam sua influência e subjugam em pouco tempo a população do segundo planeta. Os dois últimos homens livres conseguem enviar informações importantes para Rhodan, que levam as naves CREST IV e FRANCIS DRAKE a uma perseguição de pistas semi-espaciais, que as conduz à Grande Nuvem de Magalhães. Os terranos constatam que há povos muito diversos em Magalhães, e lentamente eles descobrem mais detalhes. Os gurrados são homens leão humanoides, que antigamente dominavam as Nuvens de Magalhães, porém então foram atacados e perseguidos pelos generais e perlians e atualmente limitam-se a ações de guerrilha contra seus opressores.

Os perlians possuem um para órgão, com o qual conseguem ver um décimo de segundo no futuro. Como “condicionados em terceiro grau” eles exercem a função de polícia na área da Grande Nuvem de Magalhães. Os hipno cristais. originam-se dos chamados mundos Danger e de lá são extraídos em grande quantidade e transportados para o sistema Modula. Lá os cristais são transformados então em agentes de cristal.

Após muitas lutas na pequena galáxia os mundos Danger são guarnecidos por frotas terranas em uma ação relâmpago. No centro de cada mundo Danger encontra-se um gigantesco cristal-máter. O atacado cristal-máter de Danger-I anuncia-se e transforma-se em hovalgônio puro. Por este processo ocorre uma reação semelhante nos outros cristais. Com isso todos os agentes de cristal situados em Magalhães se tornam inofensivos com um só golpe.

A capitulação dos perlians, generais e agentes de cristal diante dos terranos leva finalmente ao envio de um sinal nas profundezas do cosmos e como consequência um gigante acorda, com a missão de lutar contra os “criminosos do tempo” terranos. O vigilante de vibrações Tro Khon, um condicionado em segundo grau, acorda e parte com seu dolan, uma nave espacial viva. Os condicionados em segundo grau são seres semelhantes aos halutenses, que carregam um parceiro simboflex na nuca, que cuida para que seu portador não se torne infiel às ordens do misterioso Primeiro Poder Vibratório.

Tro Khon é membro da chamada Polícia do Tempo. Ele ataca OLD MAN e assume o controle absoluto do robô gigante. Outros vigilantes de vibrações chegam com seus dolans a bordo da nave-robô. Quando OLD MAN ruma a caminho da Via Láctea, a Frota Solar ataca. Uma batalha espacial de grandes proporções ocorre. Durante o conflito a Crest IV entra na área de influência de uma sinistra arma da Polícia do Tempo e é arremessada para uma desconhecida região do universo. As medições revelam aos tripulantes que eles estão na galáxia esférica gigante M-87, distante 32 milhões de anos-luz da Via Láctea e pertencente ao aglomerado galático de Virgem. A galáxia estranha tem um diâmetro de cerca de 200.000 anos-luz e um peculiar jato irradiador azul, que se origina do centro da galáxia.

Após as primeiras sondagens das regiões próximas os terranos entram em contato com os skoars, a antiga casta de soldados de M-87, que com o passar do tempo degenerou-se. No planeta fazenda Truktan os terranos libertam o Skoarto, um portador da luz azul do centro.

Algum tempo depois os terranos conseguem sequestrar o druis Agen Thrumb, um engenheiro de base. Ele também porta a luz azul. O druis, pertencente também a um povo semelhante aos halutenses, é o senhor absoluto de estações interestelares, que se encontram tanto em planetas como no espaço e que como estações comutadoras fornecem o suprimento de energia da luz azul do centro.

Neste meio tempo surgem na Terra seres belicosos que inspiram o medo nos homens. Os policiais do tempo ameaçam o Sistema Solar, mas os terranos possuem o aparelho REMF, um mecanismo anexo a canhões conversores normais que com sua ajuda conseguem destruir qualquer objeto no interior de um campo paratron. Com isso é possível aos terranos combater os dolans. Os confiantes policiais do tempo sofrem uma pesada derrota. Apenas Tro Khon consegue escapar do inferno e fugir do Sistema Solar. Porém seu dolan é perseguido por uma nave sob o comando de Don Redhorse, que descobre um gigantesco arsenal dos policiais do tempo escondido no hiperespaço. Um outro grupo de ação consegue penetrar em OLD MAN e conquistar o presente para a Humanidade.

Apesar do último sucesso, os terranos contam com o surgimento de uma grande frota de dolans. Os homens organizam uma nova arma secreta: Paladino, um robô dirigido pelo Thunderbolt Team, um grupo de seis siganeses, que se parece exteriormente com um halutense e que é capaz de enfrentar um vigilante de vibrações. Tro Khon consegue se desligar de seu parceiro simboflex. Assim que ele descobre ser controlado por um poder sinistro, ele deserta e abastece os terranos pouco tempo depois com importantes informações.

Neste meio tempo frotas de dolans destroem florescentes colônias do Império. Como resposta os halutenses entram em ação e destroem uma estação incubadora dos parceiros simboflex, situada também no hiperespaço.

Os terranos sabem que o verdadeiro cessar fogo somente chegará quando eles puderem apresentar aos condicionados em segundo grau provas de que os terranos não são criminosos do tempo.

O Marechal de Estado Bull começa uma missão que deve desativar toda experiência com o tempo. Os terranos já sabem as razões de estarem sendo incriminados, pois em Pigell, um planeta de Vega, existe já há 50.000 anos um transmissor temporal, com uma capacidade de alcance máximo de salto de 500 anos. Um abafador de vibrações impede que o Primeiro Poder Vibratório saiba das atividades temporais dos lemurenses e dos senhores da galáxia. Durante o salto da CREST III o abafador falhou e a partir daí a Polícia do Tempo elabora seu plano contra os terranos.

Tro Khon apoia os terranos e facilita a um comando formado por halutenses, pos-bis e homens a possibilidade de se transferir também para M-87 e encontrar a CREST IV e a nave halutense. Lá eles se encontram com os mooghs, uma parte do povo das feras, que preparam uma luta contra os construtores do centro (CdC). Os mooghs possibilitam aos recém-chegados o contato com a CREST IV e Perry Rhodan. Rhodan quase consegue se apoderar de conversores paratron, com os quais o voo de regresso poderia finalmente ser feito, mas frotas de dumfries, a nova casta de soldados de M-87, chegam e forçam a fuga dos terranos.

Para ainda assim conseguir uma possibilidade de regresso, a CREST IV vai ao sistema solar dos okefenokees. Eles são chamados de “Filósofos de M-87”, devido à sua intelectual ocupação principal. Eles vivem em Pompeo Posar, no sistema Scintila. Estes anões humanoides com cerca de um metro de altura são teleportadores naturais, que fortalecem suas capacidades através do recurso dos discos paraport. As feras atacam o sistema Scintila, porém os terranos e okefenokees unidos conseguem resistir ao ataque. 32 okefenokees mortos começam pouco tempo depois uma viagem ao desconhecido e Atlan segue a frota de esquifes voadores com uma corveta. O destino desta viagem é o mundo sem sol Monol, próximo ao centro de M-87. O planeta é feito de neo-hovalgônio cristalino que há muito tempo desenvolveu hipno cristais com capacidades sugestivas próprias. Foi dali que há dezenas de milhares de anos os hipno cristais foram transportados para as Nuvens de Magalhães, onde eles se tornaram depois armas espirituais do Primeiro Poder Vibratório contra o Império Solar.

Sobre o planeta Monol localiza-se um artefato anelar com um brilho dourado, o transmissor de Ouro, que pode transportar objetos para a luz azul do centro. Monol é uma estação para a transformação de forças energéticas normais em formas de energia hiperenergéticas. Ali chegam, transportados pelo Movimento Absoluto, os recipientes semelhantes a caixões dos okefenokees biologicamente mortos, que sofrem uma hiperregeneração biofísica nas torres cristalinas de Monol. Através deste tipo de renascimento os okefenokees originam os construtores do centro, os senhores de M-87.

Os terranos conseguem pouco tempo depois dos pelewons, o povo principal das feras existentes em M-87, um convite para uma visita ao seu mundo central no sistema Dusty Queen, pois os pelewons estão interessados em novas informações de Rhodan. A CREST IV pousa no mundo central dos pelewons, mas, quando ocorre uma traição, os terranos destroem em legítima defesa a estação comutadora principal, que leva ao colapso da bolha de vida e à decadência do planeta Pauper. Antes que o sistema Dusty Queen soçobre completamente, os terranos voam para o primeiro planeta, Zootkohn. Lá também vivem pelewons que forçam cientistas prisioneiros dos okefenokees a desenvolverem novas feras e dolans dos ovos dos skoars. Os terranos libertam os escravos e descobrem importantes informações que levam ao mundo aquático Ednil, que para a surpresa de todos é o mundo natal dos perlians. Rhodan descobre em Ednil uma medusa gigante com excrescências em forma de verruga, que são idênticas aos olhos do tempo dos perlians.

Rhodan deseja finalmente estabelecer uma união com os CdC, para poder voltar à Via Láctea Ele sabe que os CdC são conduzidos por grandes anéis transmissores para a hiperregeneração biofísica na superfície de Monol e que de lá são transportados para a área central da luz azul do centro de M-87. A área central foi criada há muito tempo artificialmente pelos CdC de uma supernova no centro de M-87. A supernova alcança nesta altura incontáveis estrelas vizinhas, formando um gigantesco sol oco com um diâmetro de 6.620 anos-luz. Este sol oco contém o sistema Wheel e é responsável pela luz azul do centro. A luz do centro serve como uma arma de defesa contra um novo ataque das feras, pois toda nave não preparada tecnicamente que materialize em M-87 com a ajuda de um propulsor dimetrans é destruída pela luz do centro.

Acontecimentos de grande importância cósmica tornam-se claros para os terranos: há cerca de 70.000 anos atrás os construtores do centro iniciaram experiências biofísicas, cujo resultado deveria ser o surgimento de uma super-raça a partir do povo dos skoars. Os ovos fertilizados dos skoars foram submetidos a um peculiar processo de crescimento em Zootkohn, paralelamente com uma alteração orientada da massa resultante. O produto foram os protótipos das feras. Através de efeitos negativos no decorrer da influência genética, os seres educados para serem dominados desenvolveram qualidades de caráter negativas, e finalmente as feras se colocaram contra seus criadores. Começou uma devastadora guerra, que terminou com a derrota das feras, as quais contudo graças aos propulsores dimetrans conseguiram abandonar M-87 e estabelecer-se nas Nuvens de Magalhães. Ali se desenvolveram os ulebs, os condicionados em segundo grau e os halutenses.

Os CdC desenvolveram um trauma contra as feras e os povos aparentados. A luz azul do centro foi construída como uma arma de defesa, para tornar improvável a volta das feras.

Contudo além disso os descendentes das feras desenvolveram uma paranoia coletiva: os ulebs, também chamados de condicionados em primeiro grau e os verdadeiros senhores das Nuvens de Magalhães, sabem por um inútil ataque a M-87 que cientistas dos okefenokees trabalhavam no desenvolvimento de uma máquina do tempo. Assim eles temem que sua existência possa ser anulada através de uma manipulação temporal. A partir daí eles então tentam impedir qualquer experiência com o tempo. Isto explica a origem da Polícia do Tempo e também a ação dos agentes de cristal contra o Império Solar.

Depois que Rhodan conhece o segredo dos CdC, ele usa isto para conseguir um meio técnico de retornar à Via Láctea Os terranos recebem conversores paratron para as duas naves halutenses atuantes em M-87. As duas naves recebem toda a tripulação da Crest IV e alcançam realmente o centro da Via Láctea, porém neste momento eles precisam abandonar a nave, pois uma comutação de retorno dos CdC ativa os conversores paratron novamente e as naves partem para M-87, onde são destruídas pela luz do centro.

PRBR 0350Os terranos são salvos pouco depois por um comando de busca de dolans de Vivier Bontainer do mundo selvático no qual conseguiram pousar com muita sorte.

Quando os homens aguardam por ajuda dos halutenses em sua luta contra os dolans, eles começam uma expedição às profundezas de seu mundo natal no núcleo da Via Láctea Os halutenses, que há cerca de 50.000 anos dominaram toda a Via Láctea e expulsaram os lemurenses para Andrômeda, foram transformados em seres pacíficos por um aparelho irradiador dos lemurenses e limitam-se a partir daí a apenas observar os acontecimentos na Via Láctea. Porém a busca pela arma da paz termina com um fiasco. O aparelho irradiador não provoca nenhum efeito nos parceiros simboflex.

Com isso começa uma nova grande ofensiva dos dolans. O fim da Terra parece ter chegado, quando uma frota de vigilantes de vibrações penetra inexoravelmente no Sistema Solar. Porém, quando tudo parece perdido, OLD MAN revela uma comutação de sondagem. Para resistir ao ataque, o robô gigante utiliza uma nova arma, o radiador de contracampo, desenvolvido pelos lemurenses e capaz de romper um campo paratron. O cérebro de Rog Fanther, o verdadeiro comandante de OLD MAN, indica a Rhodan o caminho ao planeta Satyat. Lá se encontra o material hiperirradiador eclisse, necessário para a construção do radiador de contracampo. Um outro voo leva Rhodan ao planeta de metano Scorcher, onde se encontram ainda centenas de pesquisadores lemurenses conservados, que outrora lutaram contra maahks que pousaram naquele planeta. No planeta vizinho Scimor cientistas lemurenses desenvolveram após a destruição do império lemurense o radiador de contracampo. Depois os terranos chegaram com uma nave auxiliar da DINO III em Scimor, onde unidos a cientistas lemurenses construíram OLD MAN.

Scimor foi destruído por uma frota de maahks perdidos e os lemurenses fugitivos pousaram em Scorcher, onde certamente também pousou uma nave maahk, cuja tripulação depois aumentou rapidamente.

É encontrado um aparelho que é um tipo de máquina do tempo, e assim Rhodan vai involuntariamente com um grupo ao ano 7682 a.C. para evitar o pouso da nave maahk em Scorcher. A missão é bem-sucedida, sem que ocorra um paradoxo temporal. A herança lemurense pode ser salva, e finalmente os homens descobrem os dados do radiador de contracampo.

Roi Danton, o rei dos livre mercadores, que não é outro senão o filho de Rhodan desaparecido desde anos atrás, ocupa-se com o destino de oito naves exploradoras, que desapareceram sem deixar pistas na Pequena Nuvem de Magalhães. Porém ele voa para uma armadilha do desconhecido com sua nave FRANCIS DRAKE. A tripulação é aprisionada, mas alguns conseguem retornar com uma corveta à Via Láctea para pedir ajuda a Rhodan. Os prisioneiros são internados neste meio tempo no mundo prisão Prison II. Ali os chamados pseudogurrados conduzem perigosas experiências com eles, com o objetivo de modificar os prisioneiros sobreviventes. Os pseudogurrados são na realidade os verdadeiros senhores da Pequena Nuvem de Magalhães.

Rhodan segue a pista da FRANCIS DRAKE, chega com sua nova nave capitânia CREST V ao mundo prisão e consegue libertar os prisioneiros. Através de uma maior busca na pequena galáxia os terranos descobrem também dois sobreviventes de uma nave exploradora desaparecida. Isto os informa o caminho para os rebeldes da Pequena Nuvem de Magalhães, que lutam contra seu senhores. Os baramos vivem em Baykalob, um mundo onde existem grandes quantidades de cristais de neo-hovalgônio, que funcionam como catalisador de incubação dos ovos dos baramos. Os terranos descobrem que há cerca de 60.000 anos Baykalob foi conquistado pelo Primeiro Poder Vibratório, que desde então promove o amadurecimento dos ovos dos baramos, dos quais eles se apoderam de uma grande parte para utilizar seu neobilácio, um extrato muito importante para eles. Os ulebs precisam do material para sua capacidade de assumir outros corpos.

Um cruzador de patrulha da frota do Império encontra-se alguns dias depois com uma nave morta, com feras a bordo, na área da ponte de matéria entre as duas Nuvens de Magalhães. A nave é examinada e depois disto é colocada em condições de voo novamente, para chegar ao seu destino de viagem original. Um comando terrano chega ao mercado de escravos das feras. Isto provoca pouco depois a fuga, provocada por medo de serem vítimas da hiperepidemia trazida pela nave morta. Os terranos fazem uma perseguição e descobrem a residência do Primeiro Poder Vibratório. Através de um transmissor temporal eles chegam ao sistema Enemy, um sistema com 13 luas, que está em segurança no futuro relativo devido à manutenção de um campo temporal. A tripulação do space-jet consegue alertar a Frota Solar, e pouco tempo depois três milhões de terranos posicionam-se à frente da barreira energética. Porém o campo paratron dos ulebs resiste a todos os ataques.

PRBR 0399Entretanto a Polícia do Tempo começa um novo grande ataque contra a Terra. Apesar do radiador de contracampo, o fim do Sistema Solar é impedido unicamente por um enérgico ataque dos halutenses. Para o mal-estar geral surge inesperadamente uma frota de okefenokees e dumfries na Via Láctea e eles apresentam um ultimato à Humanidade. Os invasores exigem as coordenadas de Halut, porém Rhodan recusa-se a fornecê-las. Frotas dumfries destroem o para arsenal dos condicionados em segundo grau e finalmente transformam o sol Enemy numa nova. Os ulebs, os condicionados em primeiro grau, morrem. O filho de Rhodan mantém-se neste momento no sistema Enemy e não retorna de sua ação, sendo dado como morto.

Rhodan deseja conclamar os okefenokees à razão e destrói uma nave dos dumfries. Porém uma ação do hiperinmestron traz a virada. Pouco tempo depois os senhores de M-87 retornam à sua galáxia.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 400 a 499 – Período da história: 3430 a 3438
Data de publicação na Alemanha: 1969 a 1971
Data de publicação no Brasil: 1988 a 1990

A Terra é ameaçada por poderosos impérios formados pelos seus antigos mundos coloniais e vê-se obrigada a proteger-se atrás de um campo temporal. Perry Rhodan viaja 200.000 anos no passado com o deformador do tempo-zero e descobre na Terra primitiva as atividades dos takerers, uma parte do povo dos cappins. Para evitar uma iminente invasão, Perry Rhodan viaja com a nave MARCO POLO à galáxia natal dos cappins e ajuda Ovaron, o Ganjo dos ganjásicos.



PR400Caso Laurin

Desde a ameaça dos ulebs, cerca de mil anos se passaram. Durante este período, três grandes impérios estrelas se desenvolveram na galáxia a partir dos descendentes de colonos do Império Solar: o Império Dabrifa, a União Carsuálica e a União Centro-Galáctica. Esses impérios não estão satisfeitos com o pacifismo do Império Solar e seus governantes ditatoriais querem mudar o equilíbrio de poder dentro da galáxia em seu favor. O Administrador-Geral do Império Solar, Perry Rhodan, previu este desdobramento dos eventos no final do terceiro milênio e fez seus preparativos.

Em 30 de outubro de 3430 cerca de 80.000 espaçonaves se juntam para atacar o Sistema Solar, surgem os acontecimentos previstos no Caso Laurin. Para prevenir o risco, sem derramamento de sangue, Perry Rhodan leva o Sistema Solar para cinco minutos no futuro, através do campo AAT, para escapar das garras de seus inimigos de uma vez por todas. Deste ponto em diante, a Frota Solar opera apenas em segredo.

No começo de 3433, a Aliança Antiterrana entre os três reinos estelares ameaça quebrar-se, e Joaquim Manuel Cascal impede uma guerra galáctica, em nome de Perry Rhodan, no último minuto.

Acalauries / Satélite da Morte

Na Via Láctea, espaçonaves estranhas, que explodem ao entrar em contato com outras naves ou aterrissar em planetas, cada vez mais são localizadas no espaço. Elas são feitas de antimatéria e são chamadas de acalauries. Em 23 de maio de 3432, no mundo de alta gravidade Maverick há o primeiro contato não explosivo com os seres de antimatéria. O inquelônio, que se encontra lá, serve como um neutralizador, porque parece não ter nenhuma contrapartida no universo antimatéria.

No início de setembro de 3432, o acalaurie Accutron Mspoern é resgatado por Perry Rhodan e levado para o Sistema Solar. Lá, ele descobriu o oculto satélite da morte no Sol. A SUN DRAGON é utilizada para uma expedição na coroa solar, para detectar a posição do satélite, mas ele não pode ser destruído.
Em um acidente, no final de dezembro de 3432, o fornecimento de antioxigênio e destruído, a necessidade de contato com os outros membros do povo dos acalauries é mais urgente do que nunca. Em 26 de dezembro, eles conseguem finalmente, no último segundo, e Accutron Mspoern é salvo antes de se asfixiar.

Ribald Corello

No início de 3432 o supermutante Ribald Corello torna a Via Láctea um lugar incerto. Ele ameaça espaçonaves dos livres-mercadores e coleta informações relativas ao desaparecido Sistema Solar. Em março, ele tem o planeta Astera completamente sob seu controle mental, até que seja expulso de lá por Perry Rhodan, no disfarce do livre-mercador Norman Yoder. Um relato das memórias do arcônida Atlan sobre os acontecimentos durante a Segunda Crise de Geração esclarece a origem do supermutante. Ele é o filho de Kitai Ishibashi e Gevoreny Tatstun, e carrega o ativador celular do telepata John Marshall, que pereceu durante a crise.

Em junho de 3432 Ivan Ivanovitch Goratchim é morto por Corello, que usa uma máscara biológica para contrabandear um anti para o Sistema Solar. Gucky pode impedir a descoberta do Sistema Solar.

No final de julho 3432, Joaquin Manuel Cascal parte com o deformador de tempo-zero para o ano de 2908, a fim de evitar que Ishibashi conheça Tatstun. Por causa de uma sabotagem, ele atinge Mimas somente durante a eclosão da Segunda Crise de Geração e Tatstun escapa. Acontece que a gravidez da menina anti estava planejada com bastante antecedência.

Após uma demonstração de força no sistema Drofronta em janeiro de 3433, Corello preparou o major Perricone Heublein com matéria-Psi, para destruir com a sua ajuda, o Sistema Solar e com ele Perry Rhodan. Através de desconfiança saudável, Heublein não é levado para casa, no sistema dos seres humanos, e um confronto acontece no planeta Shishter, Rhodan e seus amigos fogem com vida. Corello sofreu sua primeira derrota.

PR450Deformador de tempo-zero e Ovaron

Com base nos documentos de construção dos Lapalistas, outro deformador de tempo-zero foi construído pelo Império Solar, para viajar 200.000 anos no passado, e lá sabotar a construção do satélite solar, o satélite da morte dos cappins.

Na primeira incursão no passado distante, este protótipo ficou preso, devido ao corredor do tempo, no ano 52.000 aC, na época dos lemurenses. O desaparecimento dos lemurenses, através da ameaça dos konos, foi impedido através da intervenção da tripulação do deformador.

Com o tastresonador-dakkar é possível superar a retro polarização temporal do corredor tempo e aventurar-se no tempo de 200.000 aC. Lá eles encontram Ovaron e ganham um novo aliado. Ovaron, Marceile e Takvorian viajam com o deformador de tempo zero para o ano de 3433.

Na quarta expedição do tempo para lua de Saturno, Titã, Ovaron tenta assistir sua primeira chegada ao Sistema Solar, até mesmo para esclarecer sobre o mistério de sua pessoa e missão. Em uma conversa entre Ovaron I (o viajante do tempo) e Ovaron II (recém-chegado) verifica-se que Ovaron é o ganjo do Império Ganjásico, portanto, o governante dos ganjásicos da galáxia Gruelfin. Depois de falar com Ovaron II é retirado o bloqueio secreto de sua memória, colocado 18 anos atrás, e Ovaron decidi partir com Rhodan de volta aos dias atuais no ano de 3434.

Após a partida de Ovaron II a verdadeira razão da missão, a aquisição de sextagônio de produção cappinia, foi atendida. Ovaron entra em seu depósito secreto e requer 5 gramas de sextagônio; a positrônica os atende.

Paralelo às ações de Ovaron I e Ovaron II, acontece a briga entre um 'velho conhecido herói terrano' e Merkosh – o vítreo da galáxia Maasbar. Ambos os indivíduos foram capturados em uma viagem no tempo pelo pêndulo do tempo na terra e irradiados para o transmissor, na lua Titã, na fortaleza secreta. Ambos são prisioneiros da positrônica, e têm relativa liberdade para sair do depósito. No entanto, uma vez que Titã não tem atmosfera, esta residência é limitada. Somente com o primeiro aparecimento da expedição do tempo de Rhodan, com os dois shifts na frente da entrada principal para a fortaleza, Reginald Michael Rhodan (Roi Danton) e Merkosh trabalham juntos.

Finalmente, a última expedição de tempo retorna com dois outros passageiros – Roi Danton e Merkosh – Agora, de volta para o tempo de 3434.

A fortaleza secreta na lua de Saturno, Titã, ainda existe no tempo presente. Ovaron obtém dispositivos que o ajudam a modificar a sua constante FSRS, para que ele possa voltar ao satélite solar novamente. Ele e Marceile partem para outra missão no satélite solar e podem reparar a bomba defeituosa com o sextagônio cappinio e detoná-la mais tarde.


PR499Gruelfin

A nave de longa distância terrana, MARCO POLO, leva Ovaron de volto para Gruelfin. Primeiro, os terranos e Ovaron têm de lidar com grandes dificuldades, uma vez que apenas os moritatores reconhecem a legitimidade do ganjo.

Depois de cuidadosas investigações da expedição, nos mundos dos moritatores, vesaquenos e até mesmo em Takera a MARCO POLO encontra na Nuvem Vermelha Terrosch a inteligência artificial Florymonth que leva Perry Rhodan, Atlan, Ovaron e Marceile para Morschaztas. Há novos conflitos. O culto dos ganjásicos, sob a liderança dos pedopilotos, persegue outros objetivos que se destinam a manter o poder sobre os ganjásicos.

Após intensos confrontos Morschaztas sai do hiperespaço. Guvalasch, o supremo pedopiloto, foge para Gruelfin e se alia ao Taschkar. O takerer obtém o controle de uma gigantesca frota de coletores, que são levados a Via Láctea onde eles atacam o Sistema Solar.

Enquanto isso, intensos combates entre as frotas takeres (sob o suporte dos coletores e vassalos) e a frota dos ganjásicos (que são suportados pelo vesaquenos) ocorrem em Gruelfin. No decurso de um comando de ação, Takera é destruído, e os ganjásicos sob o comando de Ovaron assumem novamente o papel dominante em Gruelfin.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 500 a 569 – Período da história: 3438 a 3443
Data de publicação na Alemanha: 1971 a 1972
Data de publicação no Brasil: 1990 a 1991 / 2009 a 2012 (ProjTrad) / 2015 em diante (SSPG)


O Enxame, uma minigaláxia peregrina, atravessa a Via Láctea e diminui a inteligência de seus habitantes. Perry Rhodan, acompanhado de alguns imunes à onda de imbecilização, luta contra os Ídolos, que assumiram o poder no Enxame há milhares de anos, e devolve o controle da minigaláxia aos cynos, seus senhores originais.

OBSERVAÇÃO: A série foi cancelada no Brasil em 1991, quando já estava no número 536. A tradução dos livros finais do ciclo, 537 a 569, foi feita pelo ProjTrad e distribuída somente entre os seus integrantes, que ratearam os custos entre si, que desde o ínicio cedeu as traduções a SSPG. Todos livros já lançados pelo Projeto estão tendo novas revisões e traduções (em alguns casos estão sendo totalmente retraduzidos) feitas pelos Tradutores do Projeto e adicionalmente uma Revisão Editorial e vindo com novos complementos.



PRBR 0500Em novembro de 3440 há uma catástrofe na Via láctea: A vanguarda do enxame entra na Via láctea e inicia a manipulação da constante gravitacional de toda a galáxia causando a deterioração mental, praticamente todos os seres inteligentes são vítimas. Na Terra, há algumas centenas de imunes que tentam manter os suprimentos para a população restante, substancialmente prejudicada pelos cerca de dois milhões de homo superior, uma evolução do homo sapiens, caracterizadas pela extrema inteligência e imunidade contra a deterioração mental. Infelizmente, tornam-se inimigos com a opinião de que tudo que contem tecnologia é perigoso e deve ser eliminado.

O retorno de MARCO POLO a partir de Gruelfin é adiada por quase três anos devido a uma sabotagem de dois homo superiores. Somente em junho de 3441 eles podem retornar para a Via láctea. Ao mesmo tempo, o Enxame entra na Via láctea, uma grande estrutura de quase 8.000 anos-luz que consiste de milhões de estrelas, planetas e naves espaciais, que estão rodeados por um campo defensivo energético impenetrável.

No ano terrano de 3441 os imunes tentam alimentar os doentes e sondar o Enxame para descobrir os seus objetivos. Há vários problemas criminais com imunes e alguns novos mutantes que querem se aproveitar da situação, mas aos poucos a situação fica sob controle. A exploração do enxame não dá muitos resultados, com exceção de algumas referências vagas aos ídolos do enxame e povos auxiliares, como os pequenos purpurinos e instaladores do enxame.

Em novembro de 3441, há uma sintonia fina da constante gravitacional. Este acaba por ser um ataque direcionado a superinteligência AQUILO que é atingida, e tem que ser resgatado por Perry Rhodan. Outro efeito do ajuste fino é a perda lenta de inteligência do homo superior, enquanto a deterioração mental de outros seres diminui ligeiramente. A conferência organizada pelo imune Reginald Bull fracassa completamente, apesar do comparecimento de 10.000 imunes de todas as partes da galáxia, no final os terranos têm que continuar a se defenderem sozinhos. Na conferência, no entanto, aparecem três enigmáticos representantes do Império Secreto que era previamente desconhecido, que se sentem ameaçados pelo Enxame.

Uma primeira ação efetiva contra o Enxame é o transporte de 80.000 cientistas do centro de pesquisas de Last Hope para o Mundo dos Cem Sóis, distante 290.000 anos-luz da Via láctea e muito além do alcance da deterioração mental. Eles devem pesquisar um meio de combater a deterioração mental. Um pequeno sucesso é alcançado com a libertação do ser energético Harno de dentro do Enxame com a ação de um comando de operação sob a direção de Gucky. O problema do homo superior se resolve de forma brutal, No início de 3442 todos os representantes do homo superior, vítimas da constante gravitacional, morrem.

Em seguida, um novo perigo surge: em alguns planetas terrestres grandes quantidades de naves espaciais favo de mel, surgem e implantam bilhões de tubos favo de mel, em seguida, a temperatura destes planetas aumenta e a gravidade quase duplica. Para os moradores da maioria dos planetas, significa a morte. Acontece que cada tubo favo de mel contém um conquistador amarelo que precisa exatamente desta temperatura e gravidade, a fim de se dividir em sete novos conquistadores.

Após uma sugestão de Harno a tripulação da GEVARI explora o planeta Gepla-I. A equipe fica em perigo devido aos dispositivos dos estrambólicos que podem retardar a passagem do tempo, mas finalmente consegue escapar após um confronto com os ídolos do enxame. A MARCO POLO enfrenta um grande perigo, após um pulso transmissor da GEVARI, a nave é atacada por 2.000 lacoons, a nave que também é atacado por Manips. A nave apenas pode escapar no espaço linear eliminando assim o perigo. Alaska Saedelaere é sequestrado por um transmissor e cai sob o poder de um dos ídolos do enxame, mas, com a ajuda de seu fragmento cappin, ele pode se salvar.

Em seguida, há um encontro com a nave dos cynos, com uma tripulação de 1.200 cynos. Os cynos, que tentam em vão levar o plasma do Mundo dos Cem Sóis sob seu controle, são convocados por Perry Rhodan para deixar o Enxame. Um ataque parapsíquico dos cynos e bloqueado por Ribald Corello, que em seguida, solta o ataque psíquico dos cynos em cima de uma frota de navios negros do enxame.

PR0537 CapaEntão, acontecem avanços importantes na luta contra o enxame: os cientistas no Mundo dos Cem Sóis desenvolvem um antídoto para a deterioração mental, a rede GrIko. Embora apenas 60% das pessoas a tolerem, ela cancela o efeito da deterioração mental. A nave com as 5.000 primeiras redes GrIko chega a Terra. Em seguida, a MARCO POLO descobre o segredo dos conquistadores amarelos: os recém-nascidos conquistadores amarelos segregam uma secreção glandular que reverte o envelhecimento dos ídolos do enxame. A MARCO POLO deixa o Enxame para se reunir com a INTERSOLAR. Uma nave é enviada para pegar mais 100.000 redes GrIko no Mundo dos Cem Sóis, nave esta que encontra uma frota de 25 naves capitanias dos maahks, que reconheceram o perigo na Via láctea e enviaram as naves com 125.000 maahks imunes para prestar assistência. E, finalmente, chegam ao Sistema Solar 10.000 espaçonaves pos-bi, equipadas com redes especiais GrIko.

Em seguida, os lideres do enxame cometem o seu maior erro: depois de outra transição, o sistema solar é propositalmente adicionado ao enxame. A população da terra, que estava retornando ao normal, foi classificada como primitiva pelas naves exploradoras do enxame, ao nível da população do século 20. Mas, somente depois, os ídolos do enxame reconhecem que a humanidade tem tecnologia 5D. Há um primeiro ataque, mas o ataque pode ser rechaçado com as naves que já estavam no sistema e se consegue impedir este ataque dos ídolos do enxame. Através dos cynos se aprende como uma fase de transição do Enxame pode ser evitada: primeiro, algumas das estações, responsáveis pela transformação do campo flexível em um campo de transição, são destruídas. Finalmente, um comando de operação destrói o planeta de controle Stato com bombas de Árcon. Após a destruição do planeta de controle, o campo defensivo energético torna-se impenetrável, mesmo para naves do enxame. Um grupo de conquistadores amarelos que, apesar de todas as proibições, tenta dividir-se dentro do Enxame é atacado pelos tubodes. Finalmente os cynos estão prontos para quebrar seu silêncio e indicam aos terranos o caminho ao planeta Tronko Y Artefo. Contudo, a chave para o poder sobre o Enxame não está mais lá, pois a Tabora foi roubada por Pai’uhn K’asaltic, o mestre ladrão do Cosmo. Gucky consegue, entretanto, recuperar a Tabora no mundo natal do mestre ladrão. Pouco tempo depois, eles voam para o planeta Stato II, situado no hiperespaço. Esse mundo foi criado pelos cynos para substituir Stato I caso ele fosse conquistado.

O cyno Schmitt revela aos terranos mais alguns segredos: o Enxame foi construído há milhões de anos por desconhecidos que queriam espalhar a inteligência pelo Universo. Muito tempo depois, os cynos se tornaram os senhores do Enxame. Durante sua longa viagem, eles descobriram os karduuhls, acolheram-nos dentro do Enxame e manipularam-nos parapsiquicamente. Isso levou a uma revolta dos karduuhls, que foram auxiliados pela traição do cyno Hesze Goort. Este levou até eles a Tabora, que foi criado artificialmente que é a chave para o poder no Enxame. Assim, os cynos foram banidos do Enxame e colonizaram planetas da galáxia onde o Enxame se encontrava naquele momento, a Via Láctea. Os senhores dos cynos, os “Nove Imaginários”, transformaram-se em esferas de energia e aguardaram em Stato II a época de reconquista do Enxame. Os cynos Schmitt e Nostradamus, também conhecidos como Imago I e Imago II, eram os únicos colaboradores de confiança dos “Nove Imaginários”.

Com a ajuda da Tabora, Schmitt liberta a energia conservada dos “Nove Imaginários”. A destruição das múmias de energia cria uma frente hiperenergética modificada psiquicamente que leva à morte dos karduuhls. Nostradamus assume o controle de Stato II e dirige a partir daí o Enxame. Quando os terranos tentam tirar a Terra de dentro do Enxame, ocorrem conflitos com grupos dissidentes de cynos. De repente, surge Ovaron, que veio de Gruelfin para ajudar os terranos. A Terra é levada de volta à sua posição original, e o Enxame abandona a Via Láctea sob o comando dos cynos para cumprir sua missão original.

Contudo, após a retirada do Enxame algumas perguntas continuam em aberto, como, por exemplo, quem o construiu e quem havia lhe dado a missão de espalhar a inteligência pelo Universo.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 570 a 599 – Período da história: 3444
Data de publicação na Alemanha: 1972 a 1973
Traduzido no Brasil pelo ProjTrad: 2012 a 2013


Os fantasmas de mutantes dados como mortos há séculos retornam do hiperespaço e provocam uma crise. Em busca de uma solução para o problema, Rhodan encontra-se com os paramags e defende o Sistema Solar de seus ataques de antimatéria.



Ano 3444. Desde a retirada do Enxame do Sistema Solar e o fim da fase de imbecilização apenas oito meses se passaram.

Em 1º de agosto deste ano ocorrerá no Sistema Solar mais uma eleição para Administrador-Geral. Os adversários políticos de Rhodan acusam-no de ter agido irresponsavelmente durante a crise do Enxame, porém ele silencia-se a todas as censuras, porque ele tem outras preocupações maiores.

Uma nave robotizada da frota exploradora retorna de surpresa de uma região da Via Láctea a 80.000 anos-luz de distância da Terra. A bordo encontra-se, para surpresa geral, um estranho ser vivo, o asporco Heydrac Koat. Este afirma que seu povo está escravizado pelas “Vozes do Sofrimento”, e que esta condição também tem efeitos sobre a Humanidade.

Para descobrir a causa disto, Rhodan parte acompanhado de alguns mutantes a bordo do cruzador espacial TIMOR, ao planeta Asporc, no sistema Rattley. A tripulação da TIMOR é influenciada logo após a chegada por uma irradiação mental cerimonial que sai de um material irradiador sextadim, que também existe nos broches de cabeça cerimoniais dos asporcos. Essa Matéria Mutadora Parabio Emocional, também chamada de metal PEW, chegou a Asporc em um gigantesco meteoro, e em tempos primitivos era decadente. Sem resultados relevantes, os terranos retornam ao Sistema Solar.

Pouco tempo depois Ribald Corello desaparece sob misteriosas circunstâncias. Logo descobre-se que ele se encontra sob o encanto de um misterioso poder – as “Vozes do Sofrimento”. Alaska Saedelaere, para sua surpresa, encontra-se novamente com a misteriosa menina Kytoma, que o guia para um enigmático mundo, onde há uma misteriosa “Cidade”. Alaska descobre que Kytoma pertence a um dos trinta e seis povos construtores do Enxame.

Com seu regresso à Terra, Corello consegue dominar Saedelaere com seu poder. A rota dos dois os conduz para uma até então desconhecida estação dos velhos lemurenses no Mar do Sul. Corello reativa a estação, desativada há 50.000 anos. Os dois fugitivos descobrem que os lemurenses começaram naquele tempo um programa bioenergético para suprir a escassez de pessoal qualificado, através da fertilização de células-ovo que se tornam um homem adulto em apenas oito semanas. As capacidades intelectuais são dadas aos seres prontos por hipnoinstrução. Corello desperta os cientistas conservados energeticamente e os força a produzir oito synthocorpos (“synthos” normais). Os terranos, que estão na pista dos dois, descobrem então quem as “Vozes do Sofrimento” são na verdade. Eles são os oito mutantes que perderam a vida durante a Second-Genesis-Crisis: Ishibashi, Kakuta, Marten, Noir, Sengu, Okura, Toufry e Yokida. Em 2909, os então moribundos conseguiram transmitir suas consciências ao hiperespaço. Ali permaneceram até o ano 3444, quando conseguiram contato com o metal PEW sobre Asporc. Porém para sobreviver eles necessitam de corpos, e querem utilizar os “synthos” normais. A tentativa falha quando uma programação genética fundamental faz os synthocorpos lutarem arrojadamente pela Lemúria, impedindo seu completo controle pelos mutantes. Os “synthos” normais morrem, e a estação prepara mais de 1,9 bilhão de células-ovo fecundadas, que são destruídas com a precipitada fuga de Corello.

Na forma de um aglomerado de poder parapsíquico os oito velhos mutantes retornam à Terra. Os adversários políticos de Rhodan, entre eles Bount Terhera, dificultam um encontro de Rhodan com os desesperados mutantes através de suas maquinações.

Os “mutantes-fantasma” utilizam um dos últimos synthocorpos ainda existentes para estabilizar suas consciências mas eles desmancham-se rapidamente, apesar dos médicos de Tahun fazerem todo o possível para evitá-lo. Finalmente os velhos mutantes criam um assim chamado “corpo astral”.

Com a ajuda de Atlan eles partem novamente para Asporc, pois ali o metal PEW estabiliza seus corpos. Porém com sua chegada em Asporc começa uma série de estranhos incidentes. O meteoro gigante, no qual encontram-se os veios PEW, revela-se uma gigantesca nave espacial e parte pouco mais tarde para o catastrófico surgimento dos asporcos no universo. Sob instruções de Rhodan, parte uma ação de ajuda de grande importância para os asporcos. Os seis milhões de nativos são salvos da fome.

Os velhos mutantes abandonam seus corpos astrais e fogem nos corpos dos asporcos. Pouco tempo depois eles fazem contato, por um curto tempo, com um universo-espelho metafórico.

A MARCO POLO entra na perseguição ao meteoro PEW. No interior do meteoro os terranos encontram os paramags, que utilizam os trilhos dos veios PEW como transporte, o que possibilita que sua movimentação seja tão rápida como a de um teleportador. Além disso os velhos mutantes exploram o microcosmo dos veios PEW e presenciam o novo despertar da tripulação da nave espacial gigante, após 50.000 anos. Porém além disso uma estranha inteligência do metal PEW, chamada Complexo Paradoxo I, torna-se ativa. Finalmente a nave meteoro alcança seu destino, o sol gigante vermelho Paramag Alfa no centro da Via Láctea. Esse sol é circundado por 2.100 grandes meteoros e 800.000 pequenos corpos celestes. Esse sistema de destroços é a pátria dos paramags. Eles vivem dentro de um fragmento do planeta Pordypor. O pedaço-destroço é chamado de WABE.

A nave espacial meteoro junta-se ao anel de destroços em torno do sol gigante. Gucky e Icho Tolot transferem-se 110.000 anos no passado através de um salto transmissor inesperado. Os dois vivenciam a guerra entre os cientistas e os sacerdotes no então ainda existente planeta Pordypor. Os sacerdotes provocam finalmente a destruição do planeta. Através de sua atividade Gucky e Tolot transferem-se novamente no tempo, desta vez, porém, na direção do tempo real. Assim, eles chegam no tempo da guerra halutense, há 50.000 anos. Nesse tempo introduzem um paradoxo temporal. Uma hábil nave espacial dos paramags, que conduz os dois em sua viagem, alcança o Sistema Solar e descobre metal PEW sobre o então existente planeta Zeut. Os dois manipulam os dados armazenados na positrônica da nave espacial. Assim, a nave espacial alcança realmente o Sistema Solar, porém não pousa sobre Zeut, segue viagem e retorna novamente a Asporc.

Porém também no tempo real os paramags reivindicam todo o metal PEW da galáxia para si, e os dados da posição galática do Sistema Solar ainda estão no depósito central do meteoro. Os paramags porém não sabem que o planeta Zeut, nesse meio tempo, não mais existe. O Sistema Solar teme uma invasão dos paramags. Quando o perigo se torna agudo, os terranos conseguem, todavia, destruir a base de lançamento dos paramags. Um fragmento maior – WABE 1000 – é capturado, para criar uma moradia provisória para os velhos mutantes. Esse Para-Banco é colocado no aglomerado Tolot, um setor calmo da Via Láctea.

Perry Rhodan retorna à Terra em 1º de agosto, o dia da eleição para Administrador-Geral, e escapa por pouco de um atentado de seus adversários políticos. A eleição finalmente termina, com uma convincente vitória de Perry Rhodan.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 600 a 649 – Período da história: 3456 a 3458
Data de publicação na Alemanha: 1973 a 1974
Traduzido no Brasil pelo ProjTrad: 2013 a 2014


O ser espiritual “Aquilo” e seu gêmeo negativo Anti-Aquilo jogam um jogo de xadrez cósmico, cujas figuras são Perry Rhodan e seus companheiros. Num universo paralelo eles se encontram com seus malévolos gêmeos negativos. Na Via Láctea surge à doença DAP e, num golpe traiçoeiro de Anti-Aquilo, o cérebro de Rhodan é separado de seu corpo e enviado para a distante galáxia Naupaum.



Na Terra registra-se o ano 3456. A Humanidade e também os outros povos galáticos já superaram por completo a crise do Enxame. Em muitos campos ocorrem progressos.

Enquanto testava um desenvolvimento da técnica espacial, realizando uma experiência com o reator NUG-Schwarzschild, a MARCO POLO é subitamente transferida para um universo paralelo. O contínuo no qual Perry Rhodan e seus companheiros chegam se parece com o universo natal, com exceção de um fator – no universo paralelo a Humanidade é oprimida desde 1.500 anos atrás pelo tirânico regime de um inescrupuloso Rhodan II.

A MARCO POLO chega ao mundo de pesadelo Terra II, a Terra paralela, que funciona como uma prisão particular de seu brutal senhor. Os mutantes Gucky e Ras Tschubai precisam lutar contra suas duplicatas. Em busca de aliados Rhodan voa ao planeta Palpyron, cujos habitantes vivem num sistema feudal da Idade Média. Lá ele encontra finalmente em dois oxtornenses e nos velhos mutantes de WABE 1000 aliados contra o regime criminoso. No planeta Tschirmayn, habitado por novos arcônidas, Rhodan II prepara uma armadilha, mas Rhodan I consegue escapar. Tschirmayn é destruído pouco depois.

Os acontecimentos levam à estação espacial Galax-Zero, que funciona como um ponto central de notícias para a viagem interestelar. Através da “Maratona das Espaçonaves”, uma rivalidade dos povos estelares, eles conseguem destruir a nave-capitânia do ditador, a MARCO POLO II. Porém Rhodan II e Danton II conseguem fugir. Os dois chegam ao mundo de gelo D-Muner. Lá ocorre um duelo entre Perry Rhodan e sua imagem negativa, através do qual o ditador é morto. Imediatamente após isto a MARCO POLO é transferida de volta ao universo normal.

Todavia ninguém imagina que a Humanidade se tornou uma peça no jogo entre dois poderes cósmicos. “Aquilo” e Anti-Aquilo decidem um jogo de xadrez cósmico, para conquistar o domínio desta parte do universo. Enquanto “Aquilo” segue as regras estabelecidas, Anti-Aquilo utiliza-se de qualquer recurso para chegar à vitória.

Entretanto surge na Via Láctea a doença DAP (“Deformação Abstrata Psicossomática”), uma doença virótica, trazida pela MARCO POLO do universo paralelo. Em seu estágio inicial ela provoca mudanças psíquicas nos seres afetados, que provocam o afloramento de desejos subconscientes. Em janeiro de 3457 finalmente alguns povos galáticos juntam-se – entre eles saltadores, aras e aconenses – para destroçar a enfraquecida Humanidade. Contudo, a doença chega ao mesmo tempo em seu estágio secundário. Os doentes desenvolvem um incontrolável instinto natal, e como resultado bilhões de colonos terranos desejam retornar para sua pátria ancestral, a Terra.

A tentativa de se obter um antídoto não é bem-sucedida. Torna-se claro que a doença é transmitida através de ondas de hiperrádio.

Contudo a doença DAP não afeta apenas povos humanoides, pois também os halutenses são afetados e dirigem sua lavagem forçada ao planeta Foktor Pural. Em março de 3457 a doença DAP também alastra-se pelo agregado plasmático da positrônica gigante lunar Nathan. Como consequência, Nathan precisa ser parcialmente desligado. Também os pos-bis não são poupados. Todas as tentativas de produção de um antídoto permanecem infrutíferas. O planeta Turac-Neo, habitado por novos arcônidas, é devastado por halutenses no estágio secundário. O alastramento da doença para Andrômeda é impedido no último segundo, quando os terranos conseguem deter maahks infectados na estação espacial Midway. Em maio a doença chega ao seu estágio final. As vítimas são assoladas por uma grande tristeza e ficam letárgicas, esperando pelo seu fim.

Nestas condições desesperadoras surge o misterioso Kol Mimo, que parece ser o único galático imune à DAP, e propõe a Perry Rhodan um plano que impedirá o surgimento da doença DAP através de correção temporal. Perry Rhodan deve ir pessoalmente ao passado e matar com suas próprias mãos seu duplo negativo no universo paralelo.

Um grupo de terranos ainda capaz de agir parcialmente, entre eles Alaska Saedelaere, parte com Mimo ao planeta Alchemist, onde encontra-se um deformador do tempo-zero. Pouco depois eles retornam alguns meses no passado, poucos dias antes da transferência da MARCO POLO para o universo paralelo, e realizam o plano de Mimo. Em D-Muner ocorre o duelo novamente, porém, desta vez, o ditador Rhodan II morre pelas mãos de Perry Rhodan. Devido a este paradoxo temporal, a doença DAP, com todos os seus efeitos, torna-se não-existente.

Até maio de 3457 tudo permanece tranquilo, porém Kol Mimo mostra então sua verdadeira face. Na realidade, ele é Markhor de Lapal, o filho do legendário hiperfísico que tomou parte no desenvolvimento do deformador do tempo-zero. Markhor de Lapal é um irreconciliável inimigo de Perry Rhodan e o ajudou durante a doença DAP apenas em interesse das vítimas. Após a remoção da doença DAP esta hostilidade surge novamente, associada a insanos planos de conquista do poder. De Lapal se torna um instrumento de Anti-Aquilo. Ele rapta Perry Rhodan e envia seu cérebro através de um transmissor transplantador para o infinito. Simultaneamente, surge um cérebro androide no corpo de Rhodan, que funciona seguindo instruções de Anti-Aquilo.

Este tenta continuamente se infiltrar no Império Solar, até finalmente as suspeitas de Atlan crescerem e ele destruir o cérebro androide numa ação rápida. O corpo de Rhodan é conservado, para permitir o retorno do cérebro verdadeiro.

O verdadeiro cérebro de Rhodan materializa-se numa galáxia espiral chamada de Napaum. Em Nopaloor, a cidade principal do planeta Yaanzar, o cérebro de Rhodan chega a um “Mercado de Cérebros”. Graças a uma particularidade do campo gravitacional, Yaanzar é o único planeta da galáxia Napaum onde o método PGT pode ser praticado. Com a técnica do “Transplante Similar Pararregular” é possível o transplante de cérebros completos.

O yaanztronense Doynschto descobre o cérebro de Rhodan, compra-o e o transplanta para o corpo de um bordin. Nas catacumbas sob a cidade Nopaloor, Rhodan descobre um povo de proscritos e criminosos. Pouco tempo depois o cérebro terrano é envolvido num conflito, e torna-se necessário fazer uma outra troca de corpo. O cérebro de Rhodan, agora no corpo do yaanztronense Hactschyten, salva a vida de Heltamosch, uma das mais importantes personalidades de Napaum. O cérebro de Rhodan encontra-se contudo no corpo de um criminoso procurado e precisa defender-se de seus perseguidores em Rayt, o mundo central do Raytschat de Napaum. O caçador ceynach Torytrae, que se especializou na caça a cérebros estranhos, segue a pista de Rhodan, porém este consegue trocar de corpo novamente.

Logo depois, Rhodan procura informações sobre a posição da galáxia natal e alcança o mundo proibido Traecther. Grupos criminosos levaram para este planeta todos aqueles seres que tiveram um cérebro inteligente, um PGT ceynach, transplantado contra sua vontade, e que tiveram danos espirituais e corporais. Rhodan encontra ali dois importantes companheiros de viagem, o ser-lagarto Gayt-Coor e Zeno, que para sua surpresa é um accalaurie.

Finalmente Torytrae encontra Rhodan, porém este consegue escapar de seu intento de matança. Torytrae consegue vencer com dificuldade a Mocton-Yul, uma organização clandestina que planejava a derrubada do regime de Yaanzar. Eles desejavam explorar a posição do planeta para subjugar os outros povos de Napaum.

Com o fim da Mocton-Yul, Noc é desmascarado como seu líder. Como Rhodan fica sabendo, Noc e Torytrae são os dois últimos yulocs. Este povo é um dos mais antigos de Napaum e dominou toda a galáxia há dezenas de milhares de anos.

Como sinal de gratidão, Torytrae dá a Rhodan uma dica para sua busca à posição da Via Láctea. Rhodan recebe no planeta Horntol indicações sobre os misteriosos pehrtus, dos quais ele encontrou somente um pequeno número de cérebros petrificados.

Com a ajuda de Perry Rhodan, Heltamosch consegue assumir o poder como sucessor do falecido Raytscha. Para tentar aliviar a insuportável pressão populacional em Napaum, ele começa uma expedição à galáxia vizinha Catron. No planeta Penorok os yaanztronenses descobrem uma poderosa frota de naves robotizadas, que estão sob o comando de uma grande positrônica. Contudo, o senhor do planeta é o cérebro petrificado de um pehrtus. Deste cérebro petrificado eles recebem informações sobre o programa de infecção biológica de Napaum. Há dezenas de milhares de anos os pehrtus lutaram contra os yulocs. Quando eles perceberam o insucesso dos meios militares, eles começaram uma infecção biológica. Com o mineral uyfinom eles produziram uma alteração biológica e de caráter na carga hereditária dos yulocs, o que leva a uma explosão populacional em Napaum. Assim, os pehrtus esperavam poder destruir seu inimigo. Em um psicoduelo, Rhodan consegue provocar a autodestruição do robô guia que coordenava a exploração de uyfinom no planeta Plimt.

O próximo objetivo da expedição Catron é o planeta Payntec, onde encontra-se igualmente um cérebro pehrtus petrificado. Também em Payntec há o dispositivo para o processo PGT, e além disso o planeta é o ponto final do chamado veio Catron. Contudo uma frota de destruição desfere um ataque destrutivo contra a frota de Heltamosch. Apenas poucos sobrevivem a este ataque, mas eles não possuem mais espaçonaves para retornar a Napaum. Eles vencem com dificuldade o duelo com o “Lutador Cem”. Para fornecer ajuda para Napaum, Rhodan e Torytrae usam o veio Catron. Este veio é uma ligação hiperenergética entre os planetas Payntec em Catron e Yaanzar na galáxia Napaum. Eles percebem que o veio Catron foi criado artificialmente pelos pehrtus e teve três funções: ele possibilita uma ligação semelhante à de transmissor entre os dois mundos, permite em ambos o processo PGT e fortalece e prolonga os efeitos da infecção biológica do uyfinom espalhado em Napaum. Rhodan chega a Yaanzar, onde pouco tempo depois os 18 últimos cérebros petrificados dos pehrtus morrem.

Uma segunda frota expedicionária, conduzida ao destino por Rhodan, chega a Catron. Lá, Gayt-Coor e Zeno encontram-se com Callibso, o “teatrólogo de marionetes de Derogwanien”. Este misterioso ser, semelhante a um gnomo, está em busca da Roupa da Destruição, que foi roubada dele há mais de um milhão de anos atrás. Callibso não sabe que esta Roupa da Destruição está com Alaska Saedelaere na Via Láctea. Saedelaere recebeu-a do cyno Schmitt, antes que o Enxame deixasse a Via Láctea.

Em Payntec aumenta novamente o conflito entre Rhodan e Torytrae. No interesse dos habitantes de Napaum, Torytrae deseja garantir o cérebro de Rhodan para Napaum, cuja inteligência, conhecimentos e originalidade ele admira. Contudo Rhodan consegue contrariar os planos do caçador ceynach. O veio Catron é interrompido e com isso o perigo de uma maior explosão populacional é afastado. A partir daí, o transplante de cérebros não é mais possível em Yaanzar. Com ajuda do último aparelho PGT, o cérebro de Rhodan é enviado novamente para a Via Láctea natal.

Rhodan retorna para seu corpo original, que aguardava pelo seu possuidor no medo planeta Tahun. Pouco após a chegada, ocorrem mais ataques de Anti-Aquilo. Contudo, “Aquilo” serve como escudo e consegue defender os ataques.

O “Grande Poder do Cosmos”, que situa-se acima dos dois “jogadores de xadrez”, dá seu veredito para a conclusão da luta. Devido à infração das regras do jogo inúmeras vezes por Anti-Aquilo, este é proscrito por dez unidades relativas de tempo na “Zona Inominável”.

“Aquilo” promete a Perry Rhodan um “prêmio” por seu esforço na luta. Contudo, o sentido desse “jogo de xadrez cósmico” permanece obscuro ao terrano, bem como os termos “Zona Inominável” e “unidades relativas”.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 650 a 699 – Período da história: 3459 a 3460
Data de publicação na Alemanha: 1974 a 1975
Data de publicação no Brasil: 2001 a 2003


Os lares, representantes do Concílio das Sete Galáxias, conquistam a Via Láctea. Durante a tentativa de colocar a Terra em segurança através de um transmissor solar, ela é enviada inesperadamente para uma remota região do universo, o Turbilhão Estelar, passando a orbitar a estrela Medalhão a partir daí.

OBSERVAÇÃO: Em 2001 a série voltou a ser publicada no Brasil a partir do número 650. Maiores detalhes estão disponíveis no seguinte endereço: www.perry-rhodan.com.br.



PR0650 CapaOito meses após o retorno de Perry Rhodan da galáxia Napaum, começa uma inesperada confrontação com seres estranhos vindos das profundezas do cosmos. Os laren, seres vindos da galáxia NGC 3190, distante 21 milhões de anos-luz, chegam à Via Láctea. O Sistema Solar é isolado do resto do universo por uma barreira e uma nave surge na órbita da Terra. Hotrenor-Taak, um laren, diz a Rhodan que ele deve se tornar o Primeiro Hetran da Via Láctea por ordem do Hetos das Sete Galáxias, uma poderosa organização. Ele leva Rhodan até Hetossa, um planeta situado no vazio intergalático, e demonstra o poder dos laren, baseado nas naves SVE, que retiram sua energia diretamente do hiperespaço.

Rhodan entra em contato com o rebelde Roctin-Par e descobre que o Concílio não é uma organização democrática. A partir daí, Rhodan começa um perigoso jogo duplo, executando as ordens dos laren como Primeiro Hetran, e, ao mesmo tempo, organizando uma rebelião em parceria com Roctin-Par e seus seguidores.

Os outros povos galáticos começam a lutar contra os laren, mas não possuem tecnologia suficiente para vencer suas naves.

Para evitar que o conhecimento da Humanidade caia nas mãos dos laren, Atlan transfere todo o conhecimento de Nathan para 14.608 robôs. Rhodan ajuda Atlan a encenar sua própria morte, construindo com a ajuda do “mágico” Alpar Goronkon um andróide igual a Atlan e simulando a morte por velhice devido à perda de seu ativador. A partir daí, Atlan está livre para agir às escondidas, pois os laren pensam que ele está morto. Goronkon torna-se um traidor pouco tempo depois, mas ele é morto por Gucky em uma luta.

Com a ajuda do aparelho KPL, os terranos conseguem enfrentar as naves SVE. Seguindo indicações de Roctin-Par, Rhodan penetra na nuvem escura Punho de Provcon, onde se situa o planeta dos rebeldes, Gaia. O turbulento manto de poeira que envolve a nuvem pode ser penetrado com a ajuda dos pilotos do povo dos vincraneses, descendente dos lemurenses.

Logo após um cientista consegue desenvolver uma nova arma contra as naves SVE no Mundo dos Cem Sóis, o Hochstra-Paraventil. De forma incrivelmente rápida, os laren conseguem desenvolver uma contra-arma, mas para a surpresa geral não atacam o Mundo dos Cem Sóis. Ao invés disso, eles chegam ao Sistema Solar e dão um ultimato aos terranos: a arma dos pos-bis deve ser entregue em poucos dias ou o Sistema Solar será destruído por uma bomba escondida no Mar do Sul. Começa uma corrida contra o tempo para encontrar a bomba, e finalmente descobre-se onde ela estava: em Orana Sestore, a terceira mulher de Rhodan, que havia sido transformada pelos laren em uma poderosa para-irradiadora. Ela é enviada em uma nave para um sistema de um sol sem planetas, onde a bomba ativa-se e transforma o sol numa nova. Hotrenor-Taak congratula os terranos por terem passado por este teste.

Os laren descobrem o jogo duplo dos terranos, e nomeiam o superpesado Leticron como novo Primeiro Hetran da Via Láctea. Rhodan não vê outra saída para enfrentar seu adversário e decide envolver o Sistema Solar num Campo de Alternância Antitemporal aperfeiçoado, mas os laren mantém sua pressão posicionando 100.000 naves SVE junto à posição galática do Sistema Solar. Eles tentam penetrar no Sistema Solar com um túnel temporal, mas os cientistas comandados por Geoffry Waringer utilizam um modulador temporal para manter o sistema num movimento pendular no futuro relativo.

O metal Chmorl, um quartzo oscilante pentadimensional que possui a capacidade de aumentar a inteligência e a concentração e diminuir a agressividade, é transportado de um vulcão do planeta Gopstol-Maru para Gaia, onde é fundada uma Universidade Chmorl. Esta missão de transporte foi dirigida por Cheborparczete Faynybret.

A situação dos terranos torna-se entretanto mais precária. Começa o Grande Plano, que consiste na utilização de Arquimedes, um transmissor solar triangular formado por três sóis gigantes vermelhos, como meio de fuga do Sistema Solar. Este sistema, chamado Archi-Tritrans, foi descoberto por uma nave exploradora no ano 3440 e é controlado pelo satélite de regulagem PP-III, que é atacado e conquistado pelos terranos. Alaska Saedelaere e a Roupa da Destruição têm um importante papel nesta conquista. Durante estes acontecimentos no sistema Archi-Tritrans, Atlan segue a pista do misterioso teatrólogo de marionetes Callibso, que ficou durante algum tempo nas proximidades do transmissor e que procura pela Roupa da Destruição.

Duende, um sol anão branco que circula um dos gigantes vermelhos, é transportado ao Sistema Solar e forma com o Sol um transmissor chamado Twin-Sol. Durante o seu transporte, o sistema retorna rapidamente no presente e uma tropa de superpesados o invade. Após encarniçadas lutas, os invasores são rechaçados, mas conseguem antes disso destruir o gerador central ATG de Mercúrio.

Nesta época, agem no Sistema Solar dois seres do povo dos deformadores moleculares.

Os robôs com a memória de Nathan retornam para a Lua. Em março de 3460 começa a maior missão da história da Humanidade: a Terra e a Lua devem abandonar suas milenares órbitas e serem transmitidas para o sistema Archi-Tritrans. A Terra e a Lua abandonam suas órbitas, acompanhadas por 96.000 naves da Frota Solar. Atlan, Tifflor e outros importantes terranos aguardam em Archi-Tritrans pela chegada da Terra. A Terra e a Lua são transmitidas como planejado e Duende ocupa a posição da Terra, para manter o equilíbrio gravitacional do Sistema Solar.

Contudo o Grande Plano falha, quando logo após a chegada da Terra e da Lua a Archi-Tritrans ocorre uma nova transmissão sob circunstâncias dramáticas. Ninguém sabe para onde os dois corpos celestes foram, nem se aguentaram o choque desta nova transmissão.

Em Olimpo pousam inesperadamente membros do povo dos mastibekks, que também pertencem ao Concílio das Sete Galáxias. Eles são formas de vida energéticas, e suas pirâmides escuras simbolizam a ocupação final da Via Láctea. Os laren e os superpesados estabilizam sua posição de poder, dividindo meio a meio seu poder. Watsteyn torna-se o planeta penal para os terranos prisioneiros.

Atlan parte para Andrômeda, para seguir uma vaga pista sobre o desaparecimento da Terra. Ele chega a Gercksvira, um antigo transmissor solar lemurense, formado por cinco sóis gigantes azuis. O sistema está envolto numa barreira de loucura, que age contudo exclusivamente sobre maahks. A barreira é uma medida de segurança ainda intacta dos lemurenses.

Em Tockton, um dos dois planetas pertencentes a este estranho sistema, os lemurenses construíram um arquivo vivo, onde eles armazenaram seu conhecimento naquele mundo animal vivo. Atlan descobre as coordenadas de todos os transmissores solares lemurenses e o fato de que, desde muito tempo atrás, 22.000 naves lemurenses desapareceram devido a uma transmissão. Peschnath é o planeta comutador do sistema. Ali Atlan se encontra com Ermigoa, a filha de um hiperfísico lemurense que viveu há 50.000 anos. Ermigoa possui um ativador celular, que foi de seu pai. Quando ela descobre que sua ardente paixão por Atlan não é correspondida, ela destrói seu ativador celular e morre pouco tempo depois.

Atlan suspeita que a Terra e a Lua foram retransmitidas por aquele transmissor. Devido a um engano, uma espaçonave com quatro especialistas a bordo é transmitida para o infinito. Atlan retorna pouco depois à Via Láctea.

Leticron sofre um grande revés, quando milhões de terranos libertam-se do planeta-prisão Czugmoth. Em seguida, Leticron deseja apoderar-se de WABE 1000. Quase todos os velhos mutantes conseguem pôr-se em segurança, menos Tako Kakuta, que, devido às maquinações de um traidor, é capturado pelo superpesado. A consciência de Kakuta consegue, contudo, finalmente fugir.

Em Ertrus, alguns segredos dos mastibekks são descobertos. Suas pirâmides servem às naves SVE dos laren em intervalos transitórios como hiperpólos de capacidade receptora pentadimensional, para retirar energia do hiperespaço. Os mastibekks atingiram um estágio evolutivo superior e são incorpóreos.

Algum tempo depois chega um Greiko na Via Láctea. Também este povo pertence ao Concílio dos Sete. Atlan consegue mostrar a este pacífico ser a crueldade dos laren, mas ele morre.

A Terra, a Lua e a frota rematerializam-se numa região desconhecida do universo, o “Turbilhão Estelar”. Grandes catástrofes naturais levam inquietação à tripulação. Os propulsores lineares sofrem fortes influências energéticas, e só voltam a funcionar algum tempo depois. Contudo, após bastante tempo, eles conseguem superar estes contratempos. Um primeiro voo de reconhecimento de uma nave fragmentária dos pos-bis revela que a apenas alguns minutos-luz de distância da Terra há o planeta Goshmos Castle, que orbita o sol vermelho Medaillon. Goshmos Castle é a pátria dos mucierers, cujas construções de rochedo são a característica principal deste mundo. Os mucierers são dominados por uma divindade, o poderoso Zeus. Os terranos encontram-se com este ser, que através de campos energéticos consegue alterar sua forma para fisionomias mais agradáveis. Sua verdadeira aparência é a de uma formiga gigante.

Roi Danton e Gucky descobrem o planeta Zannack. Seus habitantes, os humanoides itrinks, destruíram seu mundo quase que completamente no decorrer de sua industrialização. Os terranos descobrem que os itrinks são ploohns perfeitamente disfarçados. Este povo de insetos gigantes é a civilização espacial dominante no “Turbilhão Estelar”. No mesmo sistema solar onde vivem os itrinks, também vivem os phabäers no planeta Stiemond, que devido ao seu medo dos itrinks vivem sob a superfície de seu mundo.

Alaska Saedelaere explora uma zona de turbulência energética e salva dois cientistas terranos, pertencentes ao grupo de Atlan e que foram transmitidos do transmissor Gercksvira para o “Turbilhão Estelar”.

Nesse meio tempo, os terranos já descobriram mais sobre o local onde se encontram. O “Turbilhão” é um "cordão umbilical" com 156.000 anos-luz de comprimento entre duas galáxias, que colidiram há cerca de dois milhões de anos e que se interpenetram mutuamente. Após a separação das duas galáxias, formou-se uma ponte de matéria entre elas, uma formação com o formato de uma mangueira, energética e materialmente estável e que com o passar do tempo tornou-se cada vez mais fina. A Terra e a Lua materializaram-se no ponto mais estreito desta faixa, cujas turbulências energéticas têm propriedades semelhantes às de um transmissor ajustado para recepção.

Relativamente próximo desta faixa situa-se um forte turbilhão energético de 500 anos-luz de diâmetro, o Sorvedouro, onde atuam forças penta e hexadimensionais. Apesar de todas as precauções dos terranos, 12.000 naves desaparecem nesta região.

Eles descobrem que o turbilhão energético é um transmissor gigante do povo dos ploohns, utilizado para o transporte entre o “Turbilhão” e a região sul de sua galáxia natal. Lá há um equivalente do Sorvedouro, o chamado Funil.

Ocorre um conflito entre os terranos e os ploohns. A governante do povo inseto, cuja sociedade está dividida em três castas – os soldados, os trabalhadores e os zangões – é a rainha Jaymadhr Conzentryn. Os terranos descobrem que Zeus é uma rainha mutante dos ploohns, que foi exilada. Zeus morre pouco tempo depois devido ao ataque de três zangões especialmente preparados.

Na galáxia natal dos ploohns os terranos descobrem sobre o planeta Gragh-Schanath, para a surpresa de todos, grandes quantidades de molkex. Os ploohns são dedicados a enigmáticas culturas de plantas, e, para garantir sua sobrevivência, adubam-nas com capas de molkex.

Os terranos conseguem perceber que todo o molkex que não foi destruído pelas bombas de anti-molkex durante a luta da Humanidade contra os blues materializou-se no “Turbilhão”, sendo imediatamente retransmitido pelo Sorvedouro para a galáxia dos ploohns.

Para chegar a um acordo com os belicosos descendentes de insetos, Perry Rhodan permite o lançamento de duas bombas de anti-molkex em Gragh-Schanath. O molkex dissolve-se e desaparece no hiperespaço, onde retorna para o universo de antimatéria dos accalauries, seu local de origem. Finalmente os homens e os ploohns chegam a um acordo.

Neste meio tempo, espaçonaves terranas já localizaram a posição da Via Láctea, contudo a distância é muito grande para ser percorrida.

Mas então surge um novo perigo para a Terra, quando ela é atraída cada vez mais para o sol Medaillon e está ameaçada de cair neste estranho sol. Quando os terranos já haviam perdido as esperanças, os ploohns intervém e estabilizam a Terra numa órbita em torno de Medaillon. Goshmos Castle torna-se assim o planeta vizinho da Terra.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Comprem diretamente no site da SSPG, a Editora Oficial de Perry Rhodan no Brasil:

Pacote de Ciclo "O Concílio" - (Digital)

Pacote de Ciclo "O Concílio" - 1a. Parte - PR650-674 (Digital)

Pacote de 25 volumes digitais do ciclo "O Concílio" da série Perry Rhodan editada pela S...

R$ 210,00 R$ 199,90
Pacote de Ciclo "O Concílio" - 2a. Parte - PR675-699 (Digital)

Pacote de 25 volumes digitais do ciclo "O Concílio" da série Perry Rhodan editada pela S...

R$ 210,00 R$ 199,90
Pacote de Ciclo "O Concílio" - Completo (Digital)

Pacote de 50 volumes digitais do ciclo "O Concílio" da série Perry Rhodan editada pela S...

R$ 420,00 R$ 399,00

Episódios 700 a 799 – Período da história: 3580 a 3583
Data de publicação na Alemanha: 1975 a 1976
Data de publicação no Brasil: 2003 a 2005


A energia emitida por Medalhão provoca na Terra a Afilia: os seres humanos transformam-se em seres frios e insensíveis, incapazes de sentir emoções. Após serem banidos pelos afílicos, Perry Rhodan e alguns imunes começam a busca à Via Láctea com a nave de gerações SOL, descobrindo em sua viagem mais povos do Concílio dos Sete. Quando finalmente chega à Via Láctea ele vê-se obrigado a lutar contra Atlan, que havia agrupado o restante da Humanidade no Novo Império Einsteiniano (NIE), que “coexistia pacificamente” com os invasores lares. Perry Rhodan começa seu voo de retorno à Terra e entra numa região dominada por uma superinteligência estranha, a IMPERATRIZ DE THERM. Nesse meio tempo o sistema Medalhão entra num sorvedouro cósmico e a Terra torna-se um planeta despovoado.



PR0700 CapaAlgumas décadas após a estabilização da Terra em uma órbita em torno do sol Medaillon, uma componente pentadimensional até então desconhecida na irradiação 5-D deste sol provoca uma alteração psíquica nos homens. Desse modo, os terranos perdem a capacidade de ter sentimentos – uma severa e gélida lógica torna-se o princípio dominante, e começa o tempo de Aphilie, a Insensibilidade. No ano 3540 isto chega ao seu ápice. Apenas alguns homens são imunes naturais contra a funesta irradiação solar, além de todos os portadores de ativador celular – com uma exceção: Reginald Bull. O ativador celular de Bull não neutraliza a desconhecida base da irradiação de Medaillon. Antes que os outros companheiros do regime percebam, isto leva a uma revolta. Todos os imunes são internados, e Bull assume o poder. Ele deixa que seja mostrado ao domínio público mundial um fingido processo de inspeção. Finalmente todos os acusados são banidos da Terra. Eles são colocados na nova nave de longa distância SOL e deportados. Um retorno à Terra é proibido para eles, sendo punido com a morte. Os dados da posição da Via Láctea são apagados de Sêneca, o cérebro positrônico de bordo da SOL.

Quarenta anos depois, no ano 3580, o regime de Aphilie, que não conhece a compaixão e o amor humano, tem sua posição consolidada. Porém, é certo que um grupo de imunes, que age na clandestinidade, opõe grande resistência ao regime. A Organização Bom Vizinho (OGN), como o grupo se denomina, tem o comando de Roi Danton e sua central na selva da ilha Borneo.

A Humanidade é dominada por um impiedoso regime de terror. Cada homem recebe pouco após o nascimento o implante de um aparelho código, o PIK, e com sua ajuda o regime consegue verificar em qualquer ocasião o paradeiro de cada homem. Os homens velhos, que não são mais úteis para a sociedade, são levados para as “Casas Mudas” e mortos. Seres de fora, nos quais a Aphilie é particularmente forte, tomam a tarefa de serem os caçadores principais dos imunes.

Em agosto de 3580 ocorrem acontecimentos imprevistos tanto para os aphílicos como para os imunes. Em Império Alfa, o centro nervoso do antigo Império Solar, ocorre uma rebelião de robôs sem parte de bioplasma. Breslauer, o robô privado de Reginald Bull, explode um agregado próximo de sua positrônica principal. As ondas de choque surgidas influem no ativador celular e libertam Bull da Aphilie. Reginald Bull consegue no último minuto sair de Império Alfa e chegar pouco tempo depois na central da OGN.

Na Via Láctea, Atlan construiu até o ano 3580 um novo Império da Humanidade sob a proteção da nuvem escura Provcon-Faust, o Novo Império Einsteiniano (NEI). O planeta Gaia tornou-se a célula central de uma nova Humanidade. A galáxia da Humanidade continua completamente sob o domínio dos laren e dos superpesados.

Quando surgem rumores de que os dias de Leticron estão contados, Atlan envia espiões na galáxia. Um destes observadores é o portador de ativador celular Ronald Tekener. Ele vive sob falso nome como escravo em Marte e é então deportado para Saturno pelos superpesados. Na lua saturniana Titã ele é caçado por Leticron, que anseia pela imortalidade. Já espiritualmente confuso, Leticron é morto em um duelo por sua seguidora Maylpancer.

Rhodan e seus companheiros procuram ainda após 38 anos de seu exílio da Terra a posição da Via Láctea natal. A SOL chega no ano 3578 à pequena galáxia Balayndagar.

A Via Láctea natal é entretanto descoberta, e antes do grande vôo os terranos desejam repor o suprimento de água e também carregar matéria-prima no planeta Last Stop. Contudo a nave voa para uma armadilha, e somente a célula SOL-2, desconectada no momento certo, consegue fazer o grande voo na direção da Via Láctea. Os dois outros segmentos permanecem imóveis. Pouco depois os terranos estabelecem contato com o povo dos keloskers, que, para a surpresa de todos, revela-se como um povo pertencente ao Hetos. Os seres-tora são excelentes matemáticos e devido a isto são o povo planejador do Hetos. Os keloskers também conseguem fazer cálculos envolvendo a sétima dimensão.

Em um voo de exploração, os terranos destroem sem intenção um aparelho de grande importância para os keloskers, o Altrakulfth. Este aparelho estabiliza desde um longo tempo atrás um buraco negro situado no centro de Balayndagar. Após a destruição deste aparelho, começa o apocalipse para a pequena galáxia. O Shetanmarght, um grande calculador dos keloskers, une-se com Sêneca. Acompanhado de 45 outros keloskers, o mestre calculador Dobrak vai a bordo da SOL, que através da intervenção do Shetanmarght de Sêneca está livre novamente. Quando o fim de Balayndagar é iminente, Dobrak comunica a Rhodan a única possibilidade de sobrevivência para os terranos. Com isso, a SOL ruma para o centro de Balayndagar e voa no buraco negro.

A OGN instala uma central afastada no planeta de Ovaron, situado a 3.450 anos-luz da Terra aphílica. O novo ditador da Terra, Trevor Casalle, age contudo inescrupulosamente como seu antecessor Reginald Bull.

O esforço da NEI de mobilizar ajuda para a Via Láctea ocupada fracassa quase que inteiramente. Contudo, aquilo leva então a uma união dos povos oprimidos contra os laren. É fundada a Coalizão dos Povos Galáticos (GAVÖK).

A SOL realiza o voo através do buraco negro e chega através de um túnel dimensional na chamada Zona Dakkar, um estranho mundo intermediário entre a quinta e a sexta dimensão. Quando os primeiros membros da tripulação acordam, os relógios de bordo indicam, surpreendentemente, o início de janeiro de 3581. Na Zona Dakkar, a SOL chega ao buraco negro Olho de Veludo, situado na Cauda, um aglomerado de sóis e planetas que se materializou ali vindo do Olho de Veludo. O Olho de Veludo está unido a 18 túneis dimensionais, que terminam em 18 buracos negros normais. Um desses era o buraco negro em Balayndagar. No Balão Dakkardim, como a Cauda também é chamada, os terranos descobrem Olw, um dos doze Especialistas da Noite, que estão dispostos a relatar a todos a origem do Hetos dos Sete.

Rhodan, que duvida da exatidão do comunicado sobre a origem do Concílio devido ao fato de Olw não parecer ser de um sétimo povo do Concílio, precisa fugir novamente com a SOL devido ao ataque dos zgmahkonen – mais um povo do Concílio. Ele encontra em Olw e Py valiosos ajudantes. Com uma espaçonave capturada dos zgmahkonen os terranos começam uma missão arriscada. Através de um túnel dimensional eles avançam à galáxia natal dos laren e roubam um aparelho especial, o Beraghskolth. Este aparelho permite a passagem de espaçonaves no túnel dimensional e deve ser instalado na Sol.

Na Terra aphílica o ditador Trevor Casalle deseja consolidar seu poder definitivamente. Para assegurar sua ditadura, ele deseja enxertar uma falsa memória na Humanidade através da “Operação Lavagem Cerebral”, que consiste num eficiente campo sugestivo parapsíquico. Além disto ele deseja destroçar a OGN e apropriar-se do ativador celular de Bull, para se tornar imortal. Este projeto é frustrado.

No início do ano 3581 a SOL-2 chega na Via Láctea e como nave do Vhratos, o brilhante enviado e libertador, espalha medo e terror nos adversários da subjugada Humanidade.

O Beraghskolth é, com grande esforço, instalado com êxito na SOL. Quando Rhodan planeja um decisivo golpe contra o Hetos, surge das profundezas do cosmos a manifestação dos últimos koltonen da Bolha Dakkardim. Gucky estabelece o primeiro contato com Voillocron, como a manifestação se denomina, e conhece os últimos segredos do Concílio das Sete Galáxias.

Os koltonen eram um antigo povo inteligente, que há muitas centenas de milhares de anos atrás, pouco antes de sua decadência, sondou o segredo dos buracos negros e o túnel dimensional. Eles começaram a entrar em decadência, contudo procuraram um caminho para aumentar seu poder e seu conhecimento. Em sua busca eles agem sobre o povo dos zgmahkonen e além disso forçam através de influência parapsicológica o cientista Galkon Erryog a criar doze seres, que deveriam receber todo o conhecimento dos koltonen. Esses Especialistas da Noite tornam-se seu instrumento. Como ponto final de sua evolução os koltonen criam Voillocron, uma manifestação semi-orgânica de si próprios.

Quando Voillocron penetra na SOL, ele é vencido por Dobrak.

Entretanto todos os 12 Especialistas da Noite estão a bordo da SOL. Eles fecham com seus poderes hiperfísicos todos os túneis dimensionais, para isolar os zgmahkonen. Somente o túnel na galáxia Chmacy-Pzan, a pátria dos hyptons, permanece aberto por algum tempo, para possibilitar à SOL o abandono da Bolha Dakkardim. Depois disso, os Especialistas da Noite abandonam a SOL através de um miniburaco negro artificialmente construído por eles.

PR0750 CapaSaedelaere entra em atividade, para perturbação de Rhodan. Quando os Especialistas da Noite chegam em sua pátria, o reino dos koltonen, Saedelaere chega ao planeta Derogwanien, a pátria do estranho teatrólogo de marionetes Callibso. Pouco depois os dois se encontram e Callibso, o Livre no Tempo, não deseja mais a Roupa da Destruição de Saedelaere de volta, pois ele não precisa dela ali. Saedelaere conhece detalhes sobre o Movimento Absoluto através da chamada Fonte do Tempo e também a vida passada do teatrólogo de marionetes. Mediante uma Fonte do Tempo, Callibso mostra a Saedelaere uma visão da Terra despovoada. Depois de grande reflexão, Saedelaere utiliza uma Fonte do Tempo em dezembro de 3581 e chega assim na Terra, que, para o seu terror, realmente está deserta.

A SOL, que esperou inutilmente pelo regresso de Saedelaere na galáxia dos hyptons, começa o vôo em direção à Via Láctea.

No fim de agosto de 3581 a Terra deriva rapidamente para o Sorvedouro. Neste tempo de conturbação este fato leva a uma união de conveniência entre aphílicos e a OGN, para evacuar a Terra. Porém Raphael, uma projeção de Nathan, coordena estes planos. Nesta época surge em todas as partes da Terra um medicamento, o PILLE, que liberta os homens de Aphilie durante um curto tempo. Como os terranos descobrem surpresos, “Aquilo” está por trás do processo, e prepara a salvação de mais de 20 bilhões de terranos. Quando a Terra e a Lua desmaterializam-se no Sorvedouro em 2 de setembro de 3581, “Aquilo” recebe as consciências humanas em si próprio. Alguns imunes, entre eles Bull e Danton, abandonam a Terra no momento exato e voam para sua central afastada no planeta de Ovaron.

Apenas em 2 de setembro de 3582 Rhodan chega com os dois segmentos restantes da SOL na Via Láctea e aproxima-se do Sistema Solar. Ali Galto Quohlfahrt dá a ele uma visão geral da situação galática. Já pouco depois aquilo leva a um sério conflito armado entre Rhodan e Atlan, quando ambos interpretam de formas opostas as ações futuras a serem empreendidas contra os laren. Para ajudar Rhodan em seus esforços, os keloskers, que ajudam os laren, desenvolvem um “Plano de Oitenta Anos”, que deverá criar um buraco negro que libertará a Via Láctea no futuro. Hotrenor-Taak não desconfia de seu jogo duplo.

Os últimos homens no “Turbilhão Estelar” utilizam um sol gigante vermelho como um farol solar emissor de sinais, para indicar a eventuais espaçonaves terranas que por ali cheguem o caminho ao planeta de Ovaron.

Após a queda através do Sorvedouro, a Terra emerge acompanhada de Medaillon, Goshmos Castle e a Lua numa estranha região do cosmos. Um estranho observa casualmente a rematerialização e aproxima-se da Terra. Douc Langur, um pesquisador extraterrestre, que cruza o espaço com sua espaçonave Saltadora, acha um mundo quase sem vida. Ele encontra pouco após seu pouso Alaska Saedelaere e mais alguns homens, que devido a inexplicáveis causas não desapareceram como o restante da Humanidade. O destino do pequeno grupo é Terrânia, a desolada cidade principal.

Na Via Láctea os laren decidem então encontrar o esconderijo da Humanidade. Icho Tolot aproxima-se do planeta Wardall e pega o ativador celular da falecida pirata Tipa Riordan, que perdeu a vida devido a uma avaria em sua espaçonave.

A hostilidade entre Rhodan e Atlan persiste. Quando Rhodan reconhece que seus planos têm pouca aceitação por parte dos homens de Gaia, ele percebe que é forçado a utilizar a Terra. Porém também Atlan sente os homens gaanenses como estranhos e entrega o comando do NEI a Julian Tifflor, para procurar a Terra com Rhodan, a bordo da Sol.

Na Terra, que está quase completamente deserta, os poucos homens existentes se unem a Douc Langur e o robô K2 Augustus e formam a Patrulha Terra, com o objetivo de conseguir mais aliados entre os homens e sondar o local onde a Terra se encontra. O líder da organização é Jentho Kanthall. Douc Langur, que se recorda apenas de poucas coisas de sua vida passada e que também não revela se ele é um ser vivo ou um robô, afirma estar no caminho de uma missão para a IMPERATRIZ DE THERM. Porém o nome é desconhecido para os terranos.

Durante o voo da SOL, ela chega em uma galáxia estranha e faz um pouso intermediário no planeta Rasterstop. Neste momento, 27 crianças nascem simultaneamente – elas têm poderosos dons parapsíquicos e estabelecem uma união telepática com os keloskers a bordo. Durante o voo da Sol através do hiperespaço, as crianças desaparecem sem deixar pistas.

Quando eles chegam ao “Turbilhão Estelar”, torna-se claro que a Terra não se encontra mais em sua posição. Porém subitamente eles recebem sinais de um sol ativo, que funciona como um farol solar. A Sol alcança finalmente o planeta de Ovaron. Bull, Danton e outros terranos vão a bordo. A SOL parte muito tempo depois para um voo na incerteza. Nesta época – os terranos a bordo da SOL registram o início de agosto de 3582 – Rhodan recebe de Dobrak uma primeira visão do modelo de “Cascas de Cebola” das civilizações cósmicas e toma conhecimento de grandes poderes, as chamadas superinteligências, que dominam esquemas de poder formados por grupos de galáxias inteiros. “Aquilo” também é uma superinteligência semelhante. Gucky estabelece inesperadamente contato com um mensageiro enviado por “Aquilo”, que alerta os terranos de um perigo. Contudo, o enviado diz apenas um misterioso nome: BARDIOC...

A SOL voa ao Sorvedouro e abandona o “Turbilhão Estelar”. Na orla esterna da galáxia Dh'morvon os terranos chegam ao planeta Xumanth, a pátria dos humanoides tbarghs. Isto demonstra que os tbarghs, assim como os feyerdalers, estão subordinados à IMPERATRIZ DE THERM. Rhodan recebe dos dois povos a informação de que esta região do cosmos é ameaçada por uma encarnação de nome VERNOC.

No início de abril de 3582 surgem novos acontecimentos na Terra. Uma espaçonave estranha pousa com os peludos hulkoos a bordo. Na região de Manso, na Noruega, estes seres instalam uma chamada Pequena Majestade. Isto permite a chegada da encarnação CLEMARC, que deseja subjugar mentalmente todos os seres sobre a Terra. Ocorrem violentas lutas da Patrulha Terra com os hulkoos. Finalmente resta para a Patrulha apenas a fuga para o planeta vizinho Goshmos Castle.

Na região dos feyerdalers os terranos, entretanto, conhecem um pouco sobre a posição da Terra. Após vários incidentes, os homens impedem uma tentativa de infiltração da encarnação VERNOC. Os terranos fazem pela primeira vez contato com a IMPERATRIZ DE THERM.

Na Terra chega a encarnação CLEMARC, que assim como VERNOC e a terceira encarnação SHERNOC, está subordinada à superinteligência BARDIOC. Saedelaere consegue ganhar a primeira luta contra CLERMAC através da entrada em ação de seu fragmento cappin. Douc Langur consegue então lembrar-se de ter estado há muito tempo numa poderosa estação, chamada de Modul.

A SOL recebe algum tempo após o primeiro contato com a IMPERATRIZ DE THERM a missão de procurar a Modul e salvar lá um singular Comp, que deve conter importantes dados do setor limítrofe das superinteligências BARDIOC e IMPERATRIZ DE THERM. Como compensação, os terranos devem receber os dados da posição da Terra.

No sistema Courstebouth, transformado por CLERMAC em uma armadilha, a Modul é avariada. Porém para os acudidos hulkoos não é simples encontrar aquilo na nuvem de matéria. Os terranos finalmente decidem a corrida a seu favor e salvam na Modul o procurado Comp. O Comp assume rapidamente o comando sobre a SOL, que em curto tempo é cercada por uma frota dos choolks. Estes seres, semelhantes a estacas, portam cristais sobre o peito, que emitem hiperirradiações. Eles são os corpos-guardiões da IMPERATRIZ DE THERM. Enquanto o novo nascido Kriegsherr Puukar aceita a luta contra o poder de BARDIOC, a Sol começa o vôo para a IMPERATRIZ DE THERM.

PR0799 CapaNa Via Láctea, em setembro de 3583, Hotrenor-Taak ainda não desconfia do jogo duplo dos keloskers. Seguindo seu conselho, ele desenvolve um plano dirigido contra os portadores de ativador celular. Naves SVE devem criar um campo de destruição do código genético, capaz de destruir todos os ativadores celulares. Ele tem êxito em prender Runeme Shilter e provocar a explosão de seu ativador. Pouco tempo depois o campo é erigido. Tifflor já sabe do perigo e procura proteção em um sistema de “bunkers” sob Gaia, contudo sem grande esperança. Os ativadores que não foram encontrados desde o ano 2326 são destruídos, junto ao de Nos Vigeland. O plano dos laren de descobrir a posição do NEI, protegido pela Provcon-Faust, fracassa, pois o manto de poeira da nuvem escura absorve a irradiação mitótica.

Na Terra ocorrem no verão de 3583 as mais amargas horas para a Patrulha Terra. A influência parapsíquica da Pequena Majestade torna-se cada vez maior, e finalmente os últimos membros da Patrulha devem também ceder à pressão. Na Terra restam apenas poucos homens, que no entanto permanecem completamente sob o encanto da Pequena Majestade.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Comprem diretamente no site da SSPG, a Editora Oficial de Perry Rhodan no Brasil: 

Pacote de Ciclo "Afilia" - (Digital)

 
Pacote de Ciclo "Afilia" - 1a. Parte - PR700-724 (Digital)

Pacote de 25 volumes digitais do ciclo "Afilia" da série Perry Rhodan editada pela SSPG. ...

R$ 210,00 R$ 199,90
 
Pacote de Ciclo "Bardioc" - Parcial - PR848-867 (Digital)

Pacote de 20 volumes digitais do ciclo "Bardioc" da série Perry Rhodan editada pela SSPG....

R$ 168,00 R$ 159,90
 
Pacote de Ciclo "Pan-Thau-Ra" - Completo (Digital)

Pacote de 32 volumes digitais do ciclo "Pan-Thau-Ra da série Perry Rhodan editada pela SS...

R$ 268,80 R$ 255,90
 
Pacote de Ciclos - Edição Completa - Set 2016 (Digital)

Pacote com os 156 volumes digitais dos ciclos "O Enxame", "O Concílio", "Afilia", "Bardio...

R$ 1.293,40 R$ 1.189,90

Episódios 800 a 867 – Período da história: 3583 a 3586
Data de publicação na Alemanha: 1976 a 1978
Data de publicação no Brasil: 2006 a 2007


Enquanto os povos da Via Láctea põem um fim à dominação dos lares, Perry Rhodan e a Sol resolvem o conflito entre a IMPERATRIZ DE THERME e a superinteligência BARDIOC, que havia se desenvolvido a partir de um Poderoso renegado. Com isso ele salva a Terra ameaçada e adquire conhecimentos sobre importantes fatos cosmológicos. A Terra retorna ao Sistema Solar e é repovoada pelos seres humanos sobreviventes.

OBSERVAÇÃO: Devido às baixas vendas, a nova edição da série brasileira foi interrompida em 2007, quando já estava no número 847. Felizmente após pesquisas de opinião e novas renegociações juntamente a editora alemã, a editora oficial no Brasil, SSPG volta a editar a série em 2014. Maiores detalhes estão disponíveis no seguinte endereço: www.perry-rhodan.com.br.



PR0800 CapaEm abril do ano 3583 a Sol alcança a galáxia Nypasar-Xon, onde localiza-se o sistema central da IMPERATRIZ DE THERM – o sistema do sol azul Yoxa-Sant. O terceiro planeta apresenta aos terranos um inacreditável aspecto, porque ele é cercado de estruturas cristalinas. Ali Rhodan conhece a história da origem da superinteligência.

Antes que a IMPERATRIZ DE THERM dê aos terranos os dados da posição da Terra desaparecida, ela todavia aguarda algumas compensações. A partir dali os homens começam uma expedição para o quarto planeta, Lugh-Pure, porque lá a superinteligência coleciona estruturas negativas de sua substância, que se desenvolvem gradualmente para um Comp escuro e que podem se tornar perigosamente duradouras. Contudo o perigo pode ser removido por Rhodan.

Antes da partida em direção à Terra, Rhodan recebe do Duuhrt, que é como a superinteligência se nomeia, um cristal, que possibilita a ele um contato imediato.

Em junho de 3583 a Sol alcança a Terra, porém todas as medições indicam que o planeta natal dos terranos está morto. Os terranos aceitam a luta contra os hulkoos e a Pequena Majestade, que se encontra na Terra em missão de CLERMAC e que tem no poder de seu psico-encanto a vida que ainda se encontra na Terra. Perry Rhodan pensa erroneamente que BARDIOC é o responsável pelo desaparecimento da Humanidade. Os terranos destroem a partir daí a Pequena Majestade, que não é outro senão um cérebro gigante. Nesta época os terranos percebem sinais de deformadores individuais na Terra.

Rhodan amplia sua caça ao substituto planetário de BARDIOC na galáxia Ganuhr.

Em seguida os hulkoos continuam a chegar e a fortalecer-se, e assim precisam tomar ações contra as Pequenas Majestades. Pouco tempo depois, os hulkoos instalam na Terra um novo substituto.

Na Via Láctea os laren mantém sua posição. Torna-se claro que antes da queda da Terra através do Sorvedouro, “Aquilo” absorveu dentro de si cerca de vinte bilhões de homens da Terra. A superinteligência suporta considerável pressão interior, pois a substância acumulada pressiona para fora e ameaça explodir o envoltório hiperenergético em torno de “Aquilo”. Isto leva a uma incontrolável expulsão de consciências, as quais tentam formar grupos. Tais grupos transitórios de consciências precipitam-se subitamente sobre muitos mundos. Nesta emergência “Aquilo” desenvolve a ideia dos rascunhos. A superinteligência coloca grupos de sete consciências compatíveis juntas, provendo-as de substância corporal transformada e as libertam de sua união com “Aquilo”. Os rascunhos atravessam rapidamente o hiperespaço e materializam-se no local de destino. Assim, “Aquilo” diminui sua pressão interna e os rascunhos altamente qualificados podem agir no interesse da própria esfera de poder.

No início do ano 3584 os laren recebem um duro golpe, pois os mastibekks noticiam o fim de seu serviço e abandonam a Via Láctea com suas pirâmides. Com isso, é certo que os laren estarão em curto tempo em aguda emergência de energia, pois suas espaçonaves agora não podem mais “encher o tanque”.

“Aquilo” dá a Ernst Ellert uma incumbência na Via Láctea. Ellert recebe um novo corpo e forma com Gorsty Ashdon um rascunho duplo.

Kershyll Vanne – um outro rascunho – interessa-se pelo Plano de Oitenta Anos dos keloskers. Eles levaram os laren a realizar o plano para a destruição dos ativadores celulares apenas para ocupar a frota laren, porque com isso eles desviariam esta frota de sua diabólica missão, que é a consolidação do poder laren na Via Láctea.

Os keloskers revelam a Hotrenor-Taak um grande plano: a 800 anos-luz de distância da Terra encontra-se a estrela dupla Arcur, da qual um de seus componentes a tornará uma estrela de nêutrons em cerca de um milhão de anos. Os keloskers desejam acelerar este processo através de influência hiperenergética para provocar a mudança para um buraco negro em poucas décadas. Hotrenor-Taak, que nesta época não podia falar com os outros povos do Concílio, descobre contudo uma falha no plano dos keloskers, porque este necessita de um gasto de energia quatro vezes mais alto. Os keloskers podem realmente divulgar este dado, entretanto eles vão para o planeta Houxel, distante apenas poucos anos-luz de Arcur. Quando ocorre uma tempestade fotônica no sistema Arcur, os terranos descobrem que a implosão deve começar em relativamente pouco tempo, e que levará a um buraco negro. Esta redução, no entanto, coloca em risco o Plano de Oitenta Anos. Anson Argyris e Kershyll Vanne chegam finalmente ao planeta Houxel, para apoiar os keloskers.

No outono de 3583 as encarnações de BARDIOC; VERNOC, CLERMAC e SHERNOC tentam atrair Perry Rhodan e os solanenses para uma armadilha. A Sol chega ao reino dos varben, que formam a população de três sistemas solares situados perto um do outro. Os varben são mestres da gravitação, o que é possibilitado através de uma parte extra do cérebro. Os terranos analisam a situação e encontram perto um ser exótico, o “Mágico Pesado”. Em Dacommion Rhodan descobre que o “Mágico Pesado”é, na verdade, uma encarnação de VERNOC.

Uma frota gigante dos hulkoos reúne-se na borda do sistema dos varben para o ataque à Sol, porém, antes que isto possa acontecer, ocorre uma tempestade gravitacional que possibilita a fuga da Sol.

Na primavera do ano 3584 Bull, Danton e Waringer mantém-se na Lua. Eles precisam analisar com o rascunho Grukel Athosien o projeto “Pátria II”, dirigido por este. Mais ataques dos hulkoos são rechaçados, e algum tempo depois as Pequenas Majestades também abandonam a Terra.

Os portadores de ativador celular Ronald Tekener e Jennifer Thyron estão no espaço vazio entre a Via Láctea e Andrômeda, para se protegerem da mortal irradiação mitótica. No planeta Terzrock eles descobrem um estranho aumento da agressividade dos halutenses. Eles localizam como causa disto o chamado cristal canibal. Algum tempo depois eles conseguem controlar esta perigosa situação, com a ajuda dos briondors. O rascunho duplo Ellert/Ashdon informa Julian Tifflor sobre as condições na Via Láctea e procura então a posição central da GAVÖK, para melhor coordenar a luta de libertação galática contra os laren e os superpesados. O chefe da GAVÖK passa a ser Mutaghman Scerp. Ellert encontra em Fogha um velho homem, que tem recordações de sua pátria Bárcon.

Em uma temerária ação e para a surpresa de VERNOC, a SOL penetra novamente no sistema dos varben, e nos distúrbios de uma tempestade gravitacional, rapta a encarnação de BARDIOC. Contudo nesse meio tempo ela provoca o nascimento da quarta encarnação. BULLOC perfura as três encarnações energéticas já existentes e finalmente morrem VERNOC, SHERNOC e CLERMAC. O poder de BULLOC aumenta, e finalmente Perry Rhodan é raptado pela nova encarnação.

Mutaghman Scerp e Anson Argyris aproximam-se do planeta Dhoom, para destruir ali uma estação laren. Neste planeta os wolklovs, seres semelhantes a cupins, construíram uma gigantesca escultura, semelhante a uma aranha e que cobre completamente o planeta. Eles protegem esta obra, porque eles aguardam algum dia a chegada dos “enviados dos deuses de oito pernas.

Quando os laren bombardeiam a figura aracnídea, é liberada uma irradiação hiperenergética desconhecida. Torna-se claro que os wolklovs são os senhores de um poder estranho, situado no hiperespaço.

O Plano de Oitenta Anos dos keloskers chega na sua fase decisiva. Desde o desaparecimento dos mastibekks, os laren sofrem uma constante e forte falta de energia, e Arcur-Beta torna-se em curto tempo um buraco negro. A frota dos laren abandona seus aliados, os superpesados. Eles reúnem-se nas proximidades do um buraco negro. Os keloskers efetuam durante a queda no buraco negro os últimos ajustes e retornam então à sua nova pátria, a IMPERATRIZ DE THERM. A frota dos laren voa ao buraco negro e chega através de um hipercanal, como planejado pelos keloskers, ao Balão Dakkardim. O Olho de Veludo fecha-se e consequentemente os laren são desligados do universo normal. Após 126 anos de opressão a Via Láctea torna-se novamente livre no ano 3585.

Entretanto ocorrem em Olimpo acontecimentos igualmente significativos. Deformadores moleculares de cinco galáxias chegam desapercebidos para guiarem o ressurgimento do “Tba”. Contudo, o projeto fracassa.

PR0848 CapaOs terranos encontram-se nesta época constantemente com o legado de um povo estranho, chamado por Kershyll Vanne de “Povo dos Destroços”.

A SOL começa sua busca ao raptado Perry Rhodan e primeiramente aproxima-se de novo da abandonada Terra. Mil terranos abandonam a nave de longa distância, para povoar a Terra. Nesta época surge na Terra Homer G Adams, que foi igualmente absorvido por “Aquilo”. Combinado a uma consciência aphílica, ele forma um mini-rascunho. Porém o conflito corpóreo-espiritual dos dois aumenta, e finalmente o parceiro-consciência de Adams morre.

Nesta altura ocorrem contudo fatos inesperados no sistema Medaillon, pois os rascunhos desenvolvem frenéticas atividades. O planeta Goshmos Castle é evacuado dos mucierers e dividido em duas semiesferas com a ajuda de um gigantesco transmissor de situação. Nesta mesma época surgem bilhões de rascunhos sobre a Terra praticamente vazia. Nathan torna-se momentaneamente ativo. Já pouco depois os rascunhos estabelecem uma nova pátria numa metade de Goshmos Castle, e a semiesfera carrega a partir daí o nome Eden II.

O sol Medaillon transforma-se subitamente em um buraco negro. Com isso, a estrela anã Duende também converte-se instantaneamente em um buraco negro, no Sistema Solar. Entre os dois buracos negros existe um hipercanal, através do qual a Terra retorna ao seu lugar de origem no universo. Durante este tempo o jovem físico Payne Hamiller provoca sensação.

Para surpresa geral, Hotrenor-Taak abandonou sua frota antes do voo através do buraco negro. Ele procura reabilitar-se e cuida que os superpesados desocupem seu bastião na lua saturniana Titã.

Entretanto o raptado Rhodan é esclarecido pela encarnação BULLOC sobre alguns fatos. Ele chega acompanhado de BULLOC ao mundo central da superinteligência BARDIOC no sistema Parföx-Par, situado na galáxia Barxöft. Ele toma conhecimento dos acontecimentos que tiveram seu início há muitos milhões de anos:

Há muitos milhões de anos sete estranhos percorriam o universo com o objetivo de levar vida para as regiões estéreis do universo e desenvolver a capacidade da inteligência dessa vida. Estes Sete Poderosos – Kemoauc, Ganerc, Partoc, Lorvorc, Murcon, Ariolc e Bardioc cumprem esta missão numa instância ainda mais elevada com ajuda de gigantescas espaçonaves, as naves semeadoras. Durante muito tempo, Bardioc ocupa-se com seus próprios planos. Ele usou os meios de poder dados a ele para a construção de sua própria esfera de poder. Bardioc escondeu sua nave semeadora, que nesta época também recebeu o robô Laire do Poder Mais Elevado, em uma estranha Via Láctea

O Poderoso Ganerc assume a função de defesa sobre o recém-construído Enxame, que devia aperfeiçoar o trabalho dos Sete Poderosos. Ganerc nomeia-se de Callibso para esta tarefa. Os oldtimers, uma união de 36 povos, constroem o Enxame e intervém também há 1,2 milhão de anos atrás, quando o Enxame foi ameaçado pelo Suprahet.

Então contudo os seis outros Poderosos descobriram a traição de Bardioc. Eles o puniram através do exílio perpétuo e da descorporificação. Isto leva ao contato do sonhador cérebro de Bardioc com o mundo selvático e animal do planeta Parföx-Par, numa fantástica simbiose. O cérebro cresceu e cobriu muito tempo depois o planeta inteiro. O sonho de Bardioc de um poderoso reino manteve-se, alimentado pelo medo da possibilidade dos outros poderosos o descobrirem e colocarem um fim em sua nova vida. Quando os hulkoos, originários de um planeta escuro, encontraram o planeta, Bardioc os subjugou com seu poder e os utiliza primeiramente em seu reino estelar, e posteriormente para ampliar constantemente seu esquema de poder. Ele torna-se a superinteligência BARDIOC. As espaçonaves dos hulkoos levam as extensões de BARDIOC, as Pequenas Majestades, para muitos outros planetas. Permanentemente assolado pelo medo da descoberta, BARDIOC criou suas encarnações. Estas representam uma desesperada tentativa de sobrepujar a angustiante imaterialidade. Contudo eles eram tão monstruosos que BARDIOC se viu forçado a esconder seus próprios modelos em uma esfera de energia. Essas esferas se desenvolveram para um rápido aparelho de voo ultraluz e tinham a qualidade de servirem de intermediárias para observador de um outro plano, no qual encontram-se respectivamente situadas as encarnações.

BULLOC começa agora a busca ao cérebro original de BARDIOC, para matá-lo e assumir ele próprio o poder. Nesta época Ganerc-Callibso procura o local natal de seu irmão, sem contudo encontrá-lo. Isso lhe dá a impressão que todos os Poderosos estão mortos. Finalmente ele supera seu abatimento e percorre o caminho para BARDIOC.

A Sol segue a pista de BULLOC e alcança a galáxia Barxöft.

Entretanto começa na Via Láctea após o retorno da Terra e da Lua projeto 'Perigrinador', para povoar novamente a Terra praticamente vazia com os terranos espalhados em todas as regiões. Nesta época, em Gaia, um mutante age na clandestinidade. Boyt Margor nasceu como filho de uma gaanense e um vincranense no planeta Zwottertracht, situado igualmente na nuvem escura. Os zwotters, que vivem ali, são descendentes de uma antiga civilização. Margor consegue fortalecer e acumular energias psiônicas. Perto de pessoas com as quais têm uma segura afinidade psi, ele consegue absorver as energias dessa pessoa. Sua vítima, chamada Paratender, tem então as mesmas motivações de Margor e o ajuda em seus planos cegamente. Os inexoráveis inimigos de Margor são os mutantes Bran Howatzer, Dun Vapido e Eawy ter Gedan, igualmente nascidos em Gaia.

Durante estes acontecimentos, Kershyll Vanne e Tengri Lethos agem no planeta Lavallall, transferido de outro plano existencial para o nosso universo, com uma incumbência da superinteligência “Aquilo”. “Aquilo” dá à Humanidade a missão de organizar uma expedição e fornece as coordenadas de voo. Neste lugar um perigo está em surgimento, e o objeto situado lá deve ser levado para seu destino original. O nome do objeto é desconhecido para os dois: PAN-THAU-RA.

Na mesma época Nathan começa uma frenética atividade. No setor Germyr a positrônica lunar constrói uma gigantesca espaçonave, a BASE. No fim de janeiro de 3586 a moderna espaçonave terrana está pronta. Com ela, uma expedição deve voar às coordenadas dadas por “Aquilo”, na galáxia Tschuschik, distante 208 milhões de anos-luz.

Na galáxia Barxöft BARDIOC desperta de seu pesadelo. GANERC consegue destruir BULLOC. O cérebro primitivo de BARDIOC é levado para bordo da Sol e de lá para a IMPERATRIZ DE THERM, onde ele funde-se com as cordas cristalinas dessa superinteligência. O conflito das duas superinteligências chega com isso a um inesperado fim.

Em Mognammor Harno e Hotrenor-Taak conseguem durante uma viagem no tempo indicações sobre Demeter, a deusa adormecida. Numa escavação em Creta os terranos descobrem um ataúde, que está lá pelo menos desde o ano 8000 AC. Nesse ataúde os terranos encontram Demeter e conseguem acordá-la. Ela contudo não se recorda de sua chegada e precisa logo após fugir de Boyt Margor.

Antes que a Sol abandone o sistema da IMPERATRIZ DE THERM, BARDIOC anuncia-se e dá a Perry Rhodan algumas desconcertantes indicações. Ele pede a Rhodan que procure a nave semeadora desviada. Rhodan descobre que o Poder Mais Elevado, que conferiu aos Sete Poderosos suas missões, vive atrás das chamadas fontes de matéria. BARDIOC menciona o nome de sua nave semeadora, que contudo não é conhecida de Rhodan: PAN-THAU-RA.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Comprem diretamente no site da SSPG, a Editora Oficial de Perry Rhodan no Brasil: 

Pacote de Ciclo "BARDIOC" - (Digital)

  
Pacote de Ciclo "Bardioc" - Parcial - PR848-867 (Digital)

Pacote de 20 volumes digitais do ciclo "Bardioc" da série Perry Rhodan editada pela SSPG....

R$ 168,00 R$ 159,90
 
Pacote de Ciclo "Pan-Thau-Ra" - Completo (Digital)

Pacote de 32 volumes digitais do ciclo "Pan-Thau-Ra da série Perry Rhodan editada pela SS...

R$ 268,80 R$ 255,90
 
Pacote de Ciclos - Edição Completa - Set 2016 (Digital)

Pacote com os 156 volumes digitais dos ciclos "O Enxame", "O Concílio", "Afilia", "Bardio...

R$ 1.293,40 R$ 1.189,90
Episódios 868 a 899 – Período da história: 3586
Data de publicação na Alemanha: 1978
Data de publicação no Brasil pela SSPG: 2015 a 2016

A SOL e a nova nave de longa distância terrana BASE voam para a galáxia Algstogermath. Lá os terranos descobrem dentro de um esconderijo hiperespacial a PAN-THAU-RA, a nave semeadora roubada do Poderoso BARDIOC.



PR0868 CapaEm 1º de maio de 3586 a BASE parte para a galáxia Tschuschik, para concluir a missão de “Aquilo”. Já pouco após a partida Kershyll Vanne recebe um pedido de ajuda da superinteligência, que contudo é interrompido bruscamente. Em Eden II, Ernst Ellert recebe o pedido de ajuda. Ele parte para ajudar “Aquilo”. Na distante SOL, Rhodan também ouve o chamado. Tanto aqui como lá ocorre inquietação devido ao obscuro destino do ajudante da Humanidade.

Na região periférica da galáxia Tschuschik eles têm o primeiro encontro com os seres dominantes dali, os wyngers. Estes seres humanoides pouco desenvolvidos veneram uma divindade, o chamado “Círculo Absoluto”. O centro desta divindade é o Välgerspäre, um gigantesco mundo com 47 luas. Com espaçonaves dos kryn, muitos doentes terminais wyngers vão “Acima do Círculo” para conseguir a cura.

Roi Danton descobre, para a surpresa de todos, que Demeter, a deusa encontrada em Creta, pertence igualmente ao povo dos wyngers.

Quando a BASE chega às suas coordenadas de destino, sua tripulação descobre uma zona de turbulência hiperenergética. Ao que parece, as estrelas dali foram manipuladas, sendo que algumas estão perto de explodirem como novas e outras deverão em curto tempo entrar em colapso e transformar-se num buraco negro. Quando eles decidem abandonar este perigoso setor espacial, surge inesperadamente a Sol. A bordo da nave de gerações seus tripulantes, que se chamam de solanenses, se esforçam para conduzir a nave de maneira independente.

Entretanto, aumentam os indícios de que os wyngers são manipulados por um poder estranho.

Plondfair, um jovem wynger, chega como nomeado do planeta Välgerspäre. Plondfair torna-se o “Zweifler” do sistema, quando ele observa a discrepância entre o alto nível tecnológico de seu povo e a religião de Estado do “Círculo Absoluto”. Ele conserva a religião para uma mentira. Plondfair chega por um transmissor da lua para a superfície de Välgerspäre. Lá, no inferno gravitacional do planeta gigante, ele encontra-se com Hytawath Borl, um caçador do planeta Vorcher Pool, e com a wynger Demeter. Ambos vinham da BASE. Os três chegam finalmente por transmissor ao corpo celeste artificial Quostoht, regido pelo misterioso Lard. Os habitantes de Quostoht pensam que seu mundo é o único que existe. Os três são bem-sucedidos na prisão de Lard, porém, quando percebem o estado dos prisioneiros deste poder, eles iniciam uma perigosa missão. Eles reconhecem que o Quostoht é o 1/13 inferior de uma gigantesca estação espacial, localizada no espaço einsteiniano, enquanto os restantes 12/13 estão dentro do hiperespaço. Finalmente eles descobrem que toda a estação espacial é a nave semeadora PAN-THAU-RA.

Na Via Láctea começa uma inesperada invasão do Povo dos Destroços, que chama a si próprio de loower. Rastreando os sinais que saem da Terra e para conceder o domínio mundial a Boyt Margor, que deseja acionar uma bomba-psi, eles enviam seu super-robô Saqueth-kmh-Helk ao Sistema Solar. Os loowers são um povo antigo, que atravessa o universo e que deixa para trás sua pista em instalações na forma de círculo, onde existem nove torres. Todas essas estações irradiam um sinal no ritmo de 23 horas e 18 minutos.

Os loowers estão em busca de um “Olho”, que eles esconderam na Terra há milhares de séculos. Para tornar o caos completo, surgem no Sistema Solar deformadores moleculares, vindos das profundezas do cosmos, que juntam-se para uma nova campanha de conquista com o objetivo de criar um novo “Tba” na Via Láctea. O conflito entre a Liga dos Terranos Livres (LFT) e os deformadores moleculares termina, contudo, pacificamente. No planeta Targriffe os gys-voolbeerah, como os deformadores moleculares chamam a si próprios, encontram uma nova autocompreensão e uma nova pátria.

Entretanto torna-se claro que o sinal que Margor recebe e que atrai os loowers ao Sistema Solar tem origem na pirâmide de Quéops, no Egito. Margor rouba ali uma formação misteriosa, o “Olho”. Ele faz experiências com ele e descobre que com sua ajuda pode procurar um esconderijo, pois ele está certo que sofrerá perseguição. Além disto ele consegue com ele olhar no passado e vive assim o tempo dos velhos egípcios.

Os terranos em Algstogermath, como os wyngers chamam a galáxia Tschuschik, descobrem contudo que todos os fenômenos existentes no espaço einsteiniano têm seu correspondente no hiperespaço. Assim, a “Hyperbarie” é um tipo de hiperenergia do espaço einsteiniano da qual resulta tanto massa como também gravidade. O correspondente hiperenergético da energia vital tem o nome On, e o equivalente pentadimensional da capacidade de inteligência chama-se Noon. Como todas as outras formas de energia, On e Noon irradiam-se em forma de quanta. Enquanto os quanta On permitem o surgimento de vida no espaço normal, os quanta Noon preparam o terreno para o surgimento de inteligência orgânica. Ambos são unidos sob o conceito superior Biophore.

Esse Biophore preencheu o interior das naves semeadoras dos Sete Poderosos. Para satisfazer os desejos dos desconhecidos além das Fontes de Matéria, elas deviam espalhar-se em regiões definidas do cosmos para semear vida e para gerar inteligência, num trabalho conjunto com o Enxame. BARDIOC quis além disso aproveitar-se dos esporos, para construir seu próprio reino. Ele portanto não os espalhou, mas os manteve juntos com a espaçonave, na qual eles se encontram em um lugar secreto. No correr de sua missão ele foi forçado a permitir a volta da PAN-THAU-RA ao seu esconderijo. Os Biophore, que formavam um tipo de hiperespaço simulado a bordo da nave semeadora, tiveram a tendência de reagir com qualquer tipo de matéria e também com sistemas nervosos primitivos. A carga Biophore instável tornou-se assim, no correr do tempo, uma ameaça à existência de incontáveis povos, pois quando ocorre a reação dos quanta com os sistemas nervosos sem o devido cuidado, surgem seres monstruosos.

Enquanto prossegue a luta a bordo da nave semeadora, Hytawath Borl consegue informar Rhodan. Os terranos descobrem nesta época que o “Círculo Absoluto” e Lard são a mesma entidade. Este poder oculto está desde milênios atrás em busca de um misterioso “Olho”.

Um grupo sob o comando de Rhodan penetra no sistema Nagaidir, a pátria dos suskonen e entra na nave museu 1-Däron. Os terranos disfarçam-se como suskonen e penetram com isso na PAN-THAU-RA. Em Quostoht, o 1/13 inferior da nave semeadora, eles entram num violento conflito armado com os monstruosos malgonen, originários do Biophore.

O Lard está então interessado em expandir seu domínio, que no momento limita-se apenas a Quostoht, sobre a completa nave semeadora novamente. Os terranos descobrem o “Fährotbrager”, um aparelho especial, que é tanto um veículo como também um hipercomunicador de base hexadimensional. Eles penetram nas áreas da PAN-THAU-RA situadas no hiperespaço. Isso leva à luta com os insectóides ansken, que dominam esta parte da nave semeadora. Um comunicado de rádio de Rhodan faz com que nascidos na SOL sob o comando de Gavro Yaal procurem o mundo natal dos ansken. Os mutantes Rorvic e a Hainu analisam as condições sobre este planeta.

Os nascidos na SOL desejam contudo abandonar a nave de gerações, para levar uma vida de liberdade entre as estrelas. Os dois mutantes gêmeos Sternfeuer (Fogo Estelar) e Federspiel (Jogo Leve) entram em ação e levam à intranquilidade.

Entretanto Perry Rhodan e seus companheiros penetram na zona central da PAN-THAU-RA e precisam novamente defender-se dos ansken. Os homens conseguem resistir ao ataque dos seres Biophore, que são responsáveis pela criação dos ansken. Os terranos capturam um estranho ser, que chama a si próprio de Orbiter Zorg. Zorg está em busca de seu senhor desaparecido, Igsorian von Veylt, que é um Cavaleiro das Profundezas.

Na Via Láctea os terranos descobrem porque os loowers procuram o misterioso “Olho”. O “Olho” é a chave para uma certa fonte de matéria, que tem importância existencial para os loowers.

O grupo de Rhodan chega finalmente à central da PAN-THAU-RA. Lá a surpresa é perfeita, quando eles descobrem quem o Lard é na verdade: o robô Laire, que BARDIOC havia esquecido outrora a bordo da PAN-THAU-RA.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Comprem diretamente no site da SSPG, a Editora Oficial de Perry Rhodan no Brasil: 

Pacote de Ciclo "PAN-THAU-RA" - (Digital)

   
Pacote de Ciclo "Pan-Thau-Ra" - Completo (Digital)

Pacote de 32 volumes digitais do ciclo "Pan-Thau-Ra da série Perry Rhodan editada pela SS...

R$ 268,80 R$ 255,90
 
Pacote de Ciclos - Edição Completa - Set 2016 (Digital)

Pacote com os 156 volumes digitais dos ciclos "O Enxame", "O Concílio", "Afilia", "Bardio...

R$ 1.293,40 R$ 1.189,90
Episódios 900 a 999 – Período da história: 3586 a 3587
Data de publicação na Alemanha: 1978 a 1980
Data de publicação no Brasil: 2016 a ...

Para encontrar as fontes de matéria, transformadas num perigo devido ao mau uso da PAN-THAU-RA, Perry Rhodan e seus companheiros começam a busca aos Castelos Cósmicos dos Sete Poderosos, escondidos dentro de microuniversos. Finalmente Perry Rhodan consegue salvar a superinteligência “Aquilo”, que estava presa num Sorvedouro de Matéria. Seu amigo Atlan começa sua longa viagem ao encontro dos Cosmocratas, que vivem além das Fontes de Matéria. Enquanto isso, na Via Láctea, o ambicioso e inescrupuloso mutante Boyt Margor torna-se uma ameaça, e no centro da galáxia uma antiga instalação dos Cavaleiros das Profundezas acorda para uma nova vida. Na ânsia de lutar contra as Hordas de Garbesch, desaparecidas há um longo tempo atrás, os orbiters colocam-se contra os terranos. Jen Salik, descendente do Cavaleiro das Profundezas Armadan von Harpoon (assume o comando dos orbiters e salva a Terra, atacada por eles); os seres que surgem repentinamente são os descendentes das Hordas de Garbesh, que destroem o Punho de Provcom.



PR0900 CapaNa galáxia Algstogermath Perry Rhodan e seus companheiros conhecem a história do robô Laire. Ele originou-se da tecnologia dos Cosmocratas, o poder cujo domínio situa-se além das Fontes de Matéria e do qual os homens já haviam encontrado muitas pistas. A idade do robô, após as primeiras estimativas, é de muitos milhões de anos. Laire era outrora o elemento de união entre os sete poderosos e os Cosmocratas. O olho esquerdo permite a ele o alcance de procurar além das Fontes de Matéria.

Os loowers já haviam construído um enxame estelar muito antes da união de 36 povos dos oldtimers. Na tentativa de evitar que esta missão não perdesse sua significância cósmica, os loowers fizeram uma revolta. Eles roubaram o Olho de Laire, para terem influência sobre as fontes de matéria e como efeito final para também poder afetar os Cosmocratas. Então novamente torna-se claro que o Olho de Laire é útil somente para uma determinada fonte de matéria.

BARDIOC envolve Laire em sua traição quando o coloca como guardião da nave semeadora PAN-THAU-RA, roubada por ele. Após milhares de séculos de inativa espera Laire decide agir por conta própria. Ele escolhe um novo esconderijo para a nave semeadora, influencia a civilização dos wyngers sobre o “Círculo Absoluto” e envia comandos de busca para procurarem seu olho.

No Sistema Solar aumenta o conflito com os loowers, que mantém-se em Marte. Baya Gheröl, uma menina de sete anos, entende-se como única do exótico Denkart dos loowers e torna-se assim um meio de ligação entre os dois povos.

Uma frota dos loowers sob o comando do Mestre das Fontes Pankha-Skrin está desde gerações atrás em busca da verdadeira fonte de matéria. Sua civilização tem como objetivo penetrar na fonte de matéria e banir o perigo do ser que os ameaça além da fonte. No início do ano 3586 Pankha-Skrin finalmente tem êxito e encontra a verdadeira fonte de matéria, porém precisamente neste momento ele é raptado pelos zaphooren, habitantes do Castelo cósmico do poderoso MURCON. O Mestre das Fontes vai a uma nave-robô, que tem a capacidade de atravessar o campo de miniaturização e chegar ao Castelo de MURCON. Em seu centro gravitacional, situa-se a “Barreira Suave”, o último refúgio de MURCON. O antigamente poderoso manteve hóspedes uma vez em seu Castelo, cujos descendentes mutados são os zaphooren. Eles o desalojaram, mas ele conseguiu esconder-se na “Barreira Suave”. Pankha-Skrin vence Kukelstuuhr, um ser disforme que serviu aos zaphooren como divindade. Em uma cadeira transparente do “Untiers” o Mestre das Fontes acha os restos de MURCON e a “chave”, um aparelho suplementar que deve encaixar-se no Olho de Laire. Em cada um dos sete Castelos cósmicos há uma chave semelhante, e quando todas estiverem unidas ao Olho de Laire, a passagem para a área além das fontes de matéria estará aberta.

O robô especial de Pankha-Skrin, o Helk Nistor, está a caminho da Terra desde a descoberta das fontes de matéria na Via Láctea para pegar o Olho, depositado na Terra há centenas de milhares de anos atrás.

Após a retomada do controle da central da PAN-THAU-RA, Laire abandona seu papel como “Círculo Absoluto” e vai para bordo da BASE. Com isso, deve começar um novo tempo para os wyngers. Plondfair e Demeter tentam ser aceitos como proclamadores da verdade, porém nem todos os wyngers estão preparados para aceitá-los.

Em dezembro de 3586 Perry Rhodan entrega a SOL aos nascidos na SOL, que começam sua viagem para a incerteza. Com a ajuda da rainha ansken Dorania, Laire lacra a nave semeadora no hiperespaço. Os wyngers começam a sair do encanto do Círculo Absoluto.

Sob o comando de Plondfair, que deve substituir a casta de sacerdotes, a civilização dos wyngers deve seguir seu caminho rumo a um futuro liberal.

Pouco depois, chega para a BASE o momento da partida. De uma explanação sombria de BARDIOC, conclui-se que seu desvio da PAN-THAU-RA teve consequências catastróficas. Os Cosmocratas além das fontes de matéria têm a capacidade de abrir e fechar as fontes de matéria à vontade. Contudo, uma fonte não está pulsando em seu ritmo costumeiro, e assim o universo está em perigo. “Aquilo” parece estar preso numa fonte de matéria; com isso, aumentam as suspeitas de que os Castelos Cósmicos dos poderosos estejam nas proximidades dessa fonte. Em companhia de o robô Laire, Rhodan vai para bordo da BASE para começar a busca a esta fonte de matéria.

Baya Gheröl consegue roubar o “Olho” de Boyt Margor e o entrega ao Helk Nistor. Eles fogem juntos do Sistema Solar e chegam ao planeta Zaltertepe, habitado por siganeses e ertrusianos. De lá, eles viajam para a galáxia Erranternohre, onde devem encontrar-se as fontes de matéria.

Margor prepara-se para sair de sua cela-hiperespaço, mas, como o “Olho” foi roubado, ele continua vivendo lá dentro com seus Paratenders.

Pankha-Skrin chega ao Castelo do poderoso LORVORC através do Castelo de MURCON. Também a BASE alcança a galáxia Erranternohre. Graças à sua imortalidade relativa, Rhodan e Atlan conseguem atravessar o campo de miniaturização e entrar no Castelo com a companhia de Ganerc-Callibso. A chave que serve como apêndice do Olho de Laire é encontrada. Pankha-Skrin abandona com Rhodan e Atlan o Castelo do poderoso e chega à BASE.

Quando o Mestre das Fontes e o robô Laire encontram-se, torna-se pública a inimizade entre ambos, pois o robô reconhece em Pankha-Skrin um membro do povo que roubou há milhões de anos o “Olho” de sua cabeça. Agora, ambos reivindicam o “Olho”: Laire, por ser de sua propriedade, e o Mestre das Fontes, pois com ele é possível chegar às fontes de matéria.

Laire e o Mestre das Fontes chegam contudo a um entendimento assim que a BASE prossegue em seu voo. Nesse meio tempo os terranos descobrem definitivamente que todos os Castelos cósmicos, bem como as procuradas fontes de matéria, encontram-se em Erranternohre.

Na mesma época – é registrado o início do ano 3587 – ocorrem na Via Láctea acontecimentos memoráveis, pois um dos mais antigos mitos torna-se realidade. Surgem OVNIs que raptam 96 crianças terranas. Os sequestradores são androides de pele azul, liderados por um ufonauta de nome Alurus. Ele surge diante de uma das crianças abandonadas com uma observação altamente estranha. Assim, ele parece querer dar uma dica às autoridades terranas. Contudo, tão rapidamente como surgiram, os OVNIs desaparecem novamente.

Boyt Margor consegue abandonar seu nicho-hiperespaço através do resultado da mudança hiperenergética entre o nicho e a nave SVE do laren Hotrenor-Taak. A tripulação da espaçonave sucumbe à sua influência mental, e um vincraner pilota a espaçonave no interior do Punho de Provcon.

Tengri Lethos também observa as danosas atividades de Margor. Ele fica particularmente fascinado pelo Psychod Ladonnia. Com ajuda desse Psychod e de cristais da ilusão especiais, ele sobe mais um degrau da escada da evolução, o que deve levá-lo a um grau da existência mais elevado. Através de turbulência hiperenergética ele desaparece do universo normal. Então ele reconhece entretanto que o Psychod foi manipulado e que ele caiu numa armadilha da qual ele não consegue escapar.

Após este golpe sobre Julian Tifflor, a LFT esforça-se para colocar um fim à atividade do mutante de Gaia. Os dois agentes da LFT Ronald Tekener e Jennifer Thyron agem sob o disfarce de comerciantes de drogas no Punho de Provcon. Lá eles conhecem os enigmas do passado.

Há muitos milhões de anos viveram no planeta Zwottertracht os prä-zwotters. Eles tinham a capacidade de unir elementos diametralmente diferentes, que em condições normais não se misturariam, em correntes de moléculas solidamente unidas. Disto resulta um metal turquesa feito artificialmente pelos prä-zwotters, o Psychode, que possui um estranho tipo de encanto. Mais tarde surgiram os petroniers e forçaram os prä-zwotters a criarem um campo protetor em torno de seu reino de 22 sóis, com o objetivo de impedir o avanço das Hordas de Garbesch. Os engenheiros petroniers criam um campo de poeira, enquanto destroem o terceiro planeta do sistema Arwalal e posicionam massas de pó e matéria cósmica em sua órbita original. Algum tempo depois, os prä-zwotters abandonam sua existência corporal e formam com o componente Psychodim a nuvem de poeira cósmica, que mais tarde seria conhecida como Punho de Provcon.

Contudo, um grande número de prä-zwotters que ainda não haviam alcançado a maturidade espiritual não se desmaterializaram combinado aos outros. Eles degeneraram e seus descendentes tornaram-se os zwotters no presente.

Os próximos a entrar em contato com o Psychode foram os vincraners, que conseguem penetrar na esfera paraplasmática com suas capacidades mutantes. Contudo, devido à perturbação espiritual causada pelo Psychode, este é proscrito e destruído por eles.

Sob a influência do Psychode, Boyt Margor perde cada vez mais o contato com a realidade. Ele não sabe que seu nascimento foi provocado pelo Psychode. Finalmente a energia psiônica do Psychode une-se com a consciência de Margor e a capa de poeira paraplasmática dos prä-zwotters. A turbulência energética que envolve o Punho de Provcon desaparece; em seu lugar surge um fogo luminoso psiônico, a Chuva Margor.

Nesta época espalham-se pela Via Láctea os chamados “tremores espaciais”, ondas de impulsos gravitacionais de grande poder, cuja causa é desconhecida. Os OVNIs agem novamente na Via Láctea. Os ufonautas revelam estar em missão para os Cosmocratas, e um deles diz aos terranos, pouco antes de sua morte, que os tremores espaciais são o resultado da manipulação dos Cosmocratas em uma fonte de matéria, com o objetivo de afastar um perigo originário da PAN-THAU-RA. Nesta parte do universo, estas manipulações provocam grande destruição.

Em Erranternohre a BASE chega à região do Castelo de PARTOC. Quando Rhodan e Atlan alcançam o Castelo no microcosmo, eles descobrem seres de pele azul, os demonteure, que constroem um poderoso aparelho. Este é um regulador Drugun, que, entre outras coisas, serve para levar o Castelo novamente ao universo normal. Quando o Castelo emerge no espaço normal, Rhodan e Atlan estão desaparecidos. Pouco tempo depois eles surgem novamente envoltos numa aura de energia dourada, que choca-se destrutivamente com a matéria do Castelo, transformando-a. Os campos de força irradiados são restos estáveis do microcosmo. Primeiramente após perigosas horas eles conseguem se libertar das auras de energia através de um salto transmissor.

O próximo objetivo de voo da BASE é o Castelo cósmico de ARIOLC. Após turbulentos acontecimentos também ali uma “chave” é encontrada.

Na Via Láctea, um outro problema torna-se agudo. Os flibustiers, um bando de gangsteres cósmicos, atacam com sua espaçonave JACK LONDON outras naves, estações e planetas. Quando após um ataque infrutífero ao planeta Xirdell apenas sete deles escapam da prisão, estes sete conseguem penetrar na Instalação, um sistema de defesa contra um novo tipo de ataque das Hordas de Garbesch. Esta instalação abrange alguns planetas no centro da Via Láctea, nos quais são fabricados milhões de imagens baseadas no modelo dos sete flibustiers, os chamados orbiters. Eles resultam de células primitivas neutras, cuja programação lhes permite criar qualquer forma de vida a partir de um modelo. Com estas imagens, os últimos flibustiers devem tripular incontáveis naves-cunha e formar uma poderosa armada.

Todavia ninguém sabe que a Instalação robótica interpretou falsamente os tremores cósmicos, pois ela suspeita de um novo ataque das Hordas de Garbesch e acha que os flibustiers aprisionados e todos os outros seres humanoides da Via Láctea são membros das Hordas.

Em pouco tempo surgem em todas as partes da galáxia imagens dos flibustiers. Eles têm como missão expulsar os supostos garbeschianenses da Via Láctea.

Alaska Saedelaere voa com Ganerc-Callibso para Derogwanien, com o objetivo de pegar a chave que lá se encontra. Quando esta missão está terminada, Ganerc conta a verdade para a civilização de marionetes construída por ele, e pouco tempo depois esta civilização comete “suicídio” coletivo.

Alaska recebe a quinta chave e voa para o ponto de encontro combinado com Rhodan. Enquanto a BASE, devido à sua parada intermediária, ainda não chega a este ponto de encontro, Saedelaere sonda os chamados vargarten, seres viventes deste setor, semelhantes a moluscos. Quando o Castelo de BARDIOC surge no espaço normal como consequência do trabalho dos demonteure, ele age imediatamente e salva também a sexta chave.

Após a aguardada chegada da BASE, os terranos voam para o local onde se encontra o Castelo de KEMOAUC. Porém este não encontra-se mais em seu lugar, mas escondido num abismo do planeta Matazema para escapar dos demonteure. Contudo, para a decepção de Rhodan, a sétima chave não está no Castelo.

Também as fontes de matéria não deixam-se descobrir. Após quatro semanas de buscas inúteis, Rhodan já está quase inclinado a desistir e retornar com a BASE para a Via Láctea natal. Contudo então eles descobrem pela análise de curso uma irregularidade e chocam-se com uma barreira espácio temporal. Atrás desta barreira encontra-se o sistema Drink. No centro do planeta Guckys Inn eles acham um poço no qual localiza-se a sétima chave.

Para descobrir mais sobre o enigma dos orbiters, Ronald Tekener e Jennifer Thyron procuram pistas no mundo arcônida Durgen. O pesquisador da antiguidade cósmica Kihnmynden indica aos dois o separado sol Skuur. Olimpo torna-se o primeiro objetivo da invasão dos orbiters. Quando forma-se um movimento de resistência no submundo de Olimpo sob o comando de Anson Argyris, os orbiters dão um ultimato à Humanidade.

No entanto, os terranos descobrem o sol Skuur com seu único planeta Skurus-Buruhn. A parte que sobrou dos dois outros planetas circunda este mundo na forma de um anel de destroços cósmico. Os buruhners, seres semelhantes a borboletas, têm uma memória coletiva arcaica e conseguem recordar-se de Canjot. Este era um orbiter do Cavaleiro das Profundezas Armadan von Harpoon. Além disso é descoberto o esqueleto mumificado de um labori; os laboris pertenceram outrora às Hordas de Garbesch.

Os terranos lentamente percebem a consistência dos fatos: há cerca de 1,2 milhão de anos existiu uma ordem guardiã, que se chamava de Cavaleiros das Profundezas. Esses Cavaleiros e seus ajudantes, os orbiters, lutavam para manter a ordem e a justiça em grandes partes do universo. Um desses Cavaleiros foi Armadan von Harpoon, que lutou nesta época contra as Hordas de Garbesch, que haviam levado terrível devastação para a Via Láctea. Nesta época os prä-zwotters receberam a missão de construir um campo protetor paraplasmático em torno de seu reino de 22 sóis, que foi aperfeiçoado ao longo do tempo.

Armadan von Harpoon conseguiu vencer as Hordas, porém alguns de seus membros escaparam. Devido à existência do perigo de seu retorno, ele construiu no centro da Via Láctea sua gigantesca Instalação, que divide-se sobre muitos planetas. Lá foram colocadas as naves-cunha em companhia de grandes quantidades de células primitivas neutras em forma de ovos fertilizados, para poder clonar os orbiters em caso de necessidade.

Ocorre uma fatalidade quando os tremores espaciais foram falsamente interpretados.

O Helk Nistor de Pankha-Skrin chega em Erranternohre e entrega o “Olho”. O conflito entre o Mestre das Fontes e Laire inflama-se novamente. Para a surpresa de todos, o robô entrega o Olho, agora completo, para Perry Rhodan.

Quando os orbiters na Via Láctea avançam para o sistema Vega, Anson Argyris intervém. Seu caminho o leva ao planeta Martappon, o mais importante mundo da Instalação. Lá os orbiters são clonados. Finalmente surge em Martappon um falso Cavaleiro das Profundezas, Harden Coonor, que diz ser Armadan von Harpoon.

Entretanto, os orbiters guarnecem o Sistema Solar e dão à Humanidade um prazo de apenas quatro semanas para o abandono da Via Láctea.

Após a integração de todas as chaves ao Olho, os terranos começam no sistema Drink a preparação para a busca à fonte de matéria. Subitamente surgem seis gigantes no sistema Drink – as naves semeadoras dos poderosos, tendo cada uma 1.126 km de diâmetro. As seis espaçonaves gigantes formam um hexágono perfeito, em cujo centro há uma aura incandescente. Nesta aura surge uma figura humanoide, o poderoso KEMOAUC. Perry Rhodan liberta-o de sua prisão energética com a ajuda do Olho de Laire, que possibilita a movimentação instantânea através do espaço. Contudo, KEMOAUC mostra-se extremamente ingrato, pois ele pega o Olho e vai a bordo da BASE, enquanto abandona Rhodan em um lugar sombrio. Este inóspito lugar é um destruidor de matéria, o oposto de uma fonte de matéria. Neste local Rhodan encontra, surpreendentemente, Ernst Ellert e também a superinteligência “Aquilo”.

A superinteligência criou fragmentos de mundos para conseguir trilhar um caminho de volta ao universo normal. Através da tentativa de ajudar o Cavaleiro das Profundezas Igsorian von Veylt, ele foi aprisionado numa armadilha. A ponte de fragmentos realmente permitirá seu retorno em alguns anos, mas durante este tempo seu esquema de poder permanecerá contudo em perigo permanente. Entretanto, “Aquilo” sugere uma possibilidade de tornar seu retorno mais rápido.

Rhodan finalmente toma conhecimento de como “Aquilo” deseja acelerar seu regresso: através do fortalecimento de sua substância espiritual. Os oito mutantes PEW, que sempre tentavam dirigir-se para novos corpos hospedeiros, são absorvidos por “Aquilo”. Depois deles seguem-se Ellert/Ashdon, Kershyll Vanne, Ribald Corello, Balton Wyt, Dalaimoc Rorvic, Tatcher a Hainu, Merkosh, Takvorian e Lorde Zwiebus. Após o regresso de “Aquilo” para Eden II, os bilhões de consciências incorpóreas dos rascunhos unem-se e também integram-se à superinteligência, que emite um novo brilho e que ao mesmo tempo alerta Rhodan para o poderoso e iminente conflito que está formando-se no universo.

Anson Argyris conhece mais detalhes do passado distante e toma conhecimento da história de uma mentira sem precedentes. A ambiciosa família de Harden Coonor conseguiu naquela época promover a sagração de Igsorian von Veylt como Cavaleiro. Essa sagração, como de costume, foi feita pelos Cosmocratas. É implantado em Coonor um bloco sugestivo, e a partir daí ele pensa ser o Cavaleiro das Profundezas Igsorian von Veylt. O verdadeiro Igsorian tornou-se, através de complicada transformação, Samkar, um tipo de duplicata de Laire. Coonor, aliás von Veylt, agiu em prol dos Cavaleiros das Profundezas e cumpriu sua missão durante centenas de milhares de anos. Quando um dia sua nave vê-se numa situação de emergência, ele transfere-se para um sistema de salvação automático na Instalação de Armadan von Harpoon. Após seu despertar ele perde quase todas as lembranças de sua existência como Igsorian von Veylt.

No Sistema Solar termina o ultimato dos orbiters. Nesta época ouve-se falar de Jen Salik, que tornou-se um gênio de maneira obscura. Ele recebeu o conhecimento de um Cavaleiro das Profundezas. Porém tudo parece perdido quando os orbiters começam a cumprir sua ameaça. No entanto, quando Quirileinen, o comandante da frota orbiter, encontra-se com Jen Salik, ele o reconhece como um Cavaleiro das Profundezas e dá a ele o comando da frota dos orbiters.

Harden Coonor luta pela vida na Instalação. Uma segunda onda de tremores espaciais – com efeitos mais graves que a primeira – sacode a Via Láctea. Então torna-se claro que aquilo ainda são restos das Hordas de Garbesch, pois no planeta Arpa Chai existe igualmente uma instalação e Amtranik desperta, sendo o difamado líder dos garbeschianenses do povo dos laboris. Sua nave-capitânia, a Vazifar, é tripulada por laboris e parte na galáxia para reunir novas Hordas. Amtranik avança para Martappon e programa a produção de orbiters para atingir seus objetivos. Quando Jen Salik surge, ele consegue colocar-se contra Amtranik.

Enquanto Rhodan prepara uma nova expedição em busca às fontes de matéria após a salvação de “Aquilo”, Laire e KEMOAUC comportam-se de maneira estranha. Subitamente as seis naves semeadoras partem em direção à Via Láctea. Rhodan, que acredita numa invasão dos Cosmocratas, é informado da verdade por Laire. Ele descobre que os tremores espaciais foram causados pela manipulação das fontes de matéria pelos Cosmocratas, que estavam preocupados em impedir o desenvolvimento de formas de vida negativas do Biophore desviado da nave semeadora de BARDIOC. Quando os Cosmocratas ainda aguardam pelos resultados principais da manipulação, as naves semeadoras devem servir como uma espécie de “Arca” para a salvação dos habitantes da Via Láctea.

KEMOAUC, o último dos sete poderosos, decifra o segredo de sua chegada e vai à região vital dos Cosmocratas. Contudo, a BASE voa finalmente à área espacial das procuradas fontes de matéria. O centro das fontes é uma massa compacta formada por um aglomerado de matéria equivalente a cinco trilhões de massas solares. Estranhos acontecimentos ocorrem neste setor, e um estranho ser chamado Gourdel revela-se mentalmente. Rhodan e Atlan, os dois portadores de ativador celular, penetram finalmente nesta área, e eles, através de sua presença, transformam os chamados corpos Barys em energia. Com isso, a manipulação das fontes de matéria é revertida. Assim, o perigo que ameaçava grande parte do universo é afastado.

Laire revela que precisa levar um ser especial para o outro lado das fontes de matéria – o escolhido é Atlan. Antes que o robô parta com o arcônida, Rhodan recebe algumas informações de “Aquilo”:

“Aquilo” surgiu há muito tempo de incontáveis consciências individuais, porém a superinteligência surgida também precisou receber consciências negativas em si própria. Isso levou forçosamente a uma polarização, pois a nova forma existencial repelia constantemente os poderes negativos. Disto formou-se Anti-Aquilo. Os Cosmocratas são o “Grande Poder” que baniu Anti-Aquilo para a Zona Inominável. A BASE começa algum tempo depois a viagem de volta para a Via Láctea em companhia das naves semeadoras, que estão sob o comando dos terranos.

Salik, que enfrenta seus próprios problemas, persegue Amtranik. No planeta Bruder Amos ocorre uma decisiva luta entre os dois oponentes. Amtranik dissolve seu complexo corpo e transfere suas partes para componentes robóticos, que conduzem a consciência de Amtranik e que comunicam-se entre si. Ele chama esta criação de Trodar. A decisão definitiva acontece em Zwottertracht, onde Salik aprisiona os elementos Trodar em Psychode.

A BASE alcança as regiões exteriores da Via Láctea. Também lá chegam as irradiações geradas pela alteração do Punho de Provcon. O primeiro destino é o Mundo dos Cem Sóis, porém os pos-bis, surpreendentemente, mostram-se hostis a eles. Torna-se claro que a transformação da irradiação da Chuva Margor tem um efeito específico sobre o plasma central. Contudo, quando a Chuva Margor é desligada de Martappon, a situação normaliza-se novamente.

Em dezembro de 3587 a BASE retorna à Terra. Apesar de a calma estar de volta, Rhodan e Tifflor sabem que cedo ou tarde a luta entre as forças da ordem e os poderes do caos vai irromper. Eles descobrem que as Hordas de Garbesch, segundo se diz, estão em missão para um poder misterioso – SETH-APOPHIS. Também é descoberto que “Aquilo” penetrou no destruidor de matéria para salvar Igsorian von Veylt porque ele era o último Cavaleiro das Profundezas. Há a lenda de que após a morte do último Cavaleiro das Profundezas todas as estrelas deverão apagar-se.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Comprem diretamente no site da SSPG, a Editora Oficial de Perry Rhodan no Brasil: 

Livros do Ciclo "Os Castelos Cósmicos" - (Digital)

Episódios 1000 a 1099 – Período da história: 424 a 426 NCG (4011 a 4013)
Data de publicação na Alemanha: 1980 a 1982
Ciclo ainda inédito no Brasil
Importante: no ano 3588 começou o Novo Calendário Galático (NCG) na Via Láctea. O ano 3588 corresponde ao ano 1 NCG.

Em missão para “AQUILO”, Perry Rhodan funda a Liga Hanseática Cósmica, que deverá servir como baluarte defensivo contra a superinteligência negativa SETH-APOPHIS. Rhodan é sagrado Cavaleiro das Profundezas no Domo Kesdschan na distante galáxia Norgan-Tur. Na esperança de obter ajuda em sua luta contra Seth-Apophis, os terranos começam sua busca aos porleyters, que ajudaram os Cosmocratas antes do surgimento dos Cavaleiros das Profundezas. Contudo os porleyters logo se tornam um perigo. Enquanto isso Atlan, cumprindo uma missão para os Cosmocratas, governa o reino estelar dos kranes como o Oráculo de Krandhor. Após o arcônida retornar à Via Láctea com a SOL e os descendentes de sua antiga tripulação, a Frota Galática voa em direção ao misterioso Rubi de Gelo.



No início do ano 3588, poucos dias após o retorno da BASE à Via Láctea, surge um estranho perto de Perry Rhodan. Carfesch leva Rhodan instantaneamente para Eden II, o centro da superinteligência “AQUILO”. Ali “AQUILO” lhe mostra os acontecimentos cuja consistência até então era conhecida apenas de forma fragmentada.

O ponto inicial destes inacreditáveis acontecimentos ocorre no passado distante, em Amur-Karbush, a pátria da então jovem superinteligência “Aquilo”, da qual ele começou a construir sua própria esfera de poder. “Aquilo” recebe neste momento a visita de Carfesch, que estava em missão para o cosmocrata Tyrik. Carfesch programou dois ativadores celulares especiais, escolhidos entre aqueles que “Aquilo” já havia recebido há um longo tempo atrás dos Cosmocratas. Estes ativadores deveriam pertencer a dois seres especiais. A missão de “Aquilo” consistia em encontrar os dois portadores futuros destes ativadores. Assim, começou uma gigantesca busca aos dois seres, que deveriam ajudar os Cosmocratas na estabilização de sua esfera de poder.

Após um longo tempo um dos que procuravam encontra o primeiro dos dois escolhidos, o arcônida Atlan. Carfesch dá a ele seu ativador celular.

Passam-se cerca de dez mil anos, até um outro dos escolhidos que se procuravam ser encontrado, que nesta época era apenas uma criança – Perry Rhodan. “Aquilo” mostra ao jovem que em curto tempo ele deverá fazer parte da harmonia do cosmos.

Depois disso “Aquilo” transporta Ambur dez mil anos no passado, no sistema do sol gigante Vega. Ali, na vizinhança cósmica do Sistema Solar, “Aquilo” estabelece a pedra fundamental de um enigma galático, com o qual Rhodan deveria confrontar-se mais tarde. Quando Rhodan passasse por estes testes, ele deveria receber seu ativador celular.

Após esta excursão no passado, Rhodan descobre que após seu retorno para a Terra ele deverá fundar uma gigantesca organização comercial, a Organização Comercial Hanseática Cósmica. O verdadeiro objetivo desta organização é auxiliar “Aquilo” na luta contra uma superinteligência rival, SETH-APOPHIS. Também os Cosmocratas apoiam “Aquilo”, e criam uma zona intermediária entre as duas esferas de poder, chamada Limbus. Lá um terceiro e neutro poder deve desenvolver-se.

“Aquilo” também esclarece para os terranos mais particularidades sobre o Modelo de Cascas de Cebola da evolução. A primeira casca corresponde a formas energéticas caóticas, das quais será formada toda a matéria morta. A casca de número três representa as ligações orgânicas simples. Indo de casca em casca, passa-se de formas de vida simples para o surgimento de inteligência, até finalmente chegar-se às superinteligências com suas esferas de poder. Rhodan descobre que desde seu primeiro encontro com “Aquilo” no ano 1975 em Peregrino estão sendo contados vinte mil anos de tempo, no qual a Humanidade, em companhia dos outros povos da Via Láctea, deve desenvolver-se até uma superinteligência.

Se durante a construção de uma esfera de poder as forças negativas conseguem predominar, a esfera de poder começa a desmoronar – surge um destruidor de matéria.

Porém em algum momento também termina a condição da fonte de matéria – ela torna-se um ser ou um poder, chamado cosmocrata. As fontes de matéria são os “pais” dos Cosmocratas, que há muito tempo fundaram a Ordem dos Cavaleiros das Profundezas, com isso instituindo em todo o universo o Poder dos Positivos e estabilizando as esferas de poder.

Fontes de matéria e destruidores de matéria foram a origem da polarização deste universo, que estende-se a todas as partes. Todo o universo era e é lugar de um constante e inimaginável conflito.

“Aquilo” despede-se de Rhodan após estes marcantes acontecimentos. Acompanhado de Carfesch, que une-se aos terranos, Rhodan chega à Terra e funda a Organização Hanseática. O ano 3588 é consequentemente o ano 1 do Novo Calendário Galático (NCG).

Passam-se os anos...

Em 425 NCG, começa o primeiro grande ataque da superinteligência SETH-APOPHIS à Organização Hanseática.

Chega ao sistema Vega Quiupu, em missão para os Cosmocratas, para construir um império de vírus.

No planeta Mardi-Gras, onde há um escritório hanseático, surge uma praga microscópica com a aparência de vírus, que controla todos os computadores do sistema. Esta praga foi provocada por SETH-APOPHIS.

No escritório hanseático Jarvith-Jarv Icho Tolot e o fiscal Bruke Tosen, dominados por SETH-APOPHIS, vão para a Terra e começam uma corrida “amok”. Desesperados para livrarem-se da influência, os dois começam uma odisseia cósmica pela Via Láctea numa nave halutense, chegando finalmente ao sistema Arxisto, nas proximidades de Árcon.

No planeta selvático Chircool, na galáxia Vayquost, vivem os humanoides betschieden. Eles aguardam o retorno da lendária nave de seus antepassados.

Na galáxia Vayquost, onde os kranen são o povo dominante, sendo uma mistura entre lobo e leão, os betschieden Surfo Mallagan, Brether Faddon e Scoutie se tornam recrutas da 17ª frota kranense. Nesse momento, surge a “Doença-Spoodie”. Spoodies são formações milimétricas, que são implantadas na pele da cabeça dos povos auxiliares dos kranen e que aumentam sua inteligência. Os betschieden chegam a uma nave estranha que é idêntica à de seus antepassados, no planeta Kranenfalle. A nave é a célula SOL-2, e eles veem a imagem de Atlan.

Eles vão ao planeta Kran, e é implantado em Mallagan um segundo spoodie. No planeta Keryan, eles entram em contato com a Irmandade, uma organização secreta que tem como objetivo derrubar o Oráculo de Krandhor e os planos de expansão do Império Kranense, para criar o domínio da sabedoria.

Nesse meio tempo, Quiupu procura viral para a reconstrução do Império de Vírus.

Jen Salik retorna à Via Láctea, e diz a Rhodan que adquiriu o status de Cavaleiro das Profundezas na galáxia Norgan-Tur, no Domo Kesdschan do planeta Khrat. Ele também é portador de um ativador celular. Ele informa a Rhodan da Carta Estelar de Moragan-Pordh, guardada no Domo Kesdschan. Nesta carta há as Três Perguntas Fundamentais, que são de importância cósmica. Elas são:
1) O que é o Rubi de Gelo?
2) Onde começa e onde termina a Armada Infinita?
3) Quem deu início à Lei, e o que diz esta?

O Império de Vírus, que Quiupu trabalha para reconstruir por missão dos Cosmocratas, pode ser a chave para a resposta às Três Perguntas Fundamentais.

Na nave BASE, o Tubo Hamiller, construído por Payne Hamiller em 2 NCG, torna-se ativo. Logo após sua construção, o hiperfísico morreu misteriosamente, e suspeita-se que a mente do genial cientista tenha sobrevivido em sua última obra: o Tubo.

O planeta Arxisto, próximo a Árcon, é atacado, e os indícios levam a SETH-APOPHIS. Em Arxistal, um planeta vizinho, Icho Tolot acha uma misteriosa luva, com incríveis capacidades e que influência microcomputadores. Tolot e Tosen são influenciados pela força estranha, e querem encontrar um misterioso depósito. Eles recebem um chamado telepático dizendo que o depósito está nas proximidades de um quasar duplo, distante 14 bilhões de anos-luz da Via Láctea.

Os três betschieden continuam sua viagem, e Surfo Mallagan, sob influência pós-hipnótica da Irmandade, assume o comando da nave SOL.

A SOL, agora uma nave spoodie, alcança Kran, e o Oráculo diz que um dos três betschieden é um traidor. Mallagan liberta-se de sua influência pós-hipnótica e eles alcançam uma nuvem spoodie multidimensional, onde um homem vive – o arcônida Atlan.

Em Kran, Atlan torna-se ativo e conta aos betschieden sua história: há duzentos anos, a SOL alcançou o sistema Krandhor, e Atlan tornou-se o Oráculo. Ele estava em missão para os Cosmocratas, que queriam construir uma zona neutra entre as esferas de poder das duas superinteligências, em Limbus. O Império dos Kranen deveria ajudar a criar esta zona neutra, e para isso precisava expandir seu poderio.

Atlan vai a bordo da SOL e começa a planejar o retorno à Via Láctea. No caminho ao planeta Chircool, a pátria dos betschieden, ele encontra-se com uma misteriosa mulher, Gesil.

Em Chircool, os betschiden retornam à nave de seus antepassados. A SOL começa a emitir ondas de rádio e eles passam por uma metamorfose, assumindo uma formação esférica e rumando para um desconhecido objetivo. Logo após, a SOL começa sua viagem para a Via Láctea.

A BASE está, nesse meio tempo, na galáxia Norgan-Tur, distante 86 milhões de anos-luz da Terra, com o Olho de Laire a bordo. Os terranos rumam ao planeta Khrat, para encontrarem o Domo Kesdschan. Entretanto SETH-APOPHIS provoca uma tormenta mental, que aprisiona os terranos num labirinto psiônico. Nesse momento, surge Tengri Lethos, que contra-ataca e que acaba unindo sua consciência com a do Hathor Terak Terakdschan, tornando-se Lethos-Terakdschan. Este se torna o novo Guardião da Ordem.

Rhodan encontra no Domo Kesdschan a Carta Estelar de Moragan-Pordh. A carta “fala” com Rhodan, sob a forma de um contato mental com a linguagem dos Sete Poderosos. Ela lhe fala da Porleyter, uma antiga organização dos Cavaleiros das Profundezas, e ele recebe a instrução de ir ao Rubi de Gelo, para que possa responder à Primeira Pergunta Fundamental.

Na Domo Kesdschan, há artefatos de uma técnica incrivelmente avançada. Rhodan percebe que “Aquilo” conseguiu seus transmissores fictícios e os ativadores celulares ali. Porém, ele não conseguiu impedir que SETH-APOPHIS roubasse dali seu retardador temporal, suas células ninhadas de computador e a misteriosa luva.

No envoltório do Dom, estão os fantasmas de todos os antigos Cavaleiros das Profundezas, e eles concedem a Rhodan uma grande honra: o título de Cavaleiro das Profundezas. Eles lhe dão a missão de ir ao aglomerado estelar M-3, no halo da Via Láctea, onde ele pode encontrar informações sobre a Carta Estelar com os últimos porleyters, que já estão ali há dois milhões de anos.

Dois dargheten agem em M-3 sob a influência de SETH-APOPHIS, que está interessado nos últimos porleyters.

Após atacarem a nave Dan Picot, os dois dargheten libertam-se da influência de SETH-APOPHIS e apoiam os terranos. Dois mil porleyters são libertados de suas prisões, e os terranos conhecem a história deste antigo povo. Há 2,2 milhões de anos atrás os porleyters lutavam, em missão para os Cosmocratas, para a manutenção da ordem no universo. Depois que suas tarefas os esgotaram, eles passaram sua missão para os Cavaleiros das Profundezas. Sua última grande obra foi a criação do Rubi de Gelo.

Em Lokvorth, planeta onde Quiupu tenta reconstruir seu Império de Vírus, ele consegue sua primeira vitória. Surgem supervírus, idênticos aos spoodies. Ele também consegue criar uma nuvem de plasma, e uma parte da reconstrução do Império está pronta. Porém, naves dos ufonautas roubam a nuvem e raptam Quiupu, que a partir daí está desaparecido.

Icho Tolot e Bruke Tosen chegam a uma estranha região do espaço, guiados pela irradiação psiônica. Eles chegam ao “Nada Giratório”, um disco de destroços de 2.000 anos-luz de diâmetro e 100 anos-luz de espessura, e encontram naves de uma grande quantidade de povos em frenética atividade. Bruke Tosen sofre um súbito ataque mental, e morre pouco tempo depois. Tolot destrói uma antena-psi e descobre que os vários povos da região estavam sob a influência de SETH-APOPHIS. Tolot suspeita que o “Nada Giratório” seja o misterioso Rubi de Gelo.

Os 2.011 porleyters libertados vão com Rhodan à União dos Cinco Planetas no aglomerado estelar M-3, onde há o Novo Moragan-Pordh. Entretanto, eles são impedidos de aproximar-se devido a uma barreira energética, mas Gucky consegue chegar ao planeta Yurgill e encontrar Clifton Callamon, um homem do século vinte e cinco.

Rhodan descobre pelos porleyters que o Rubi de Gelo está a meio caminho entre a Via Láctea e a galáxia NGC 1068, uma das galáxias de Seyfert, distantes 60 milhões de anos-luz da Via Láctea.

Pouco tempo depois os porleyters, sob a influência do Sinal Kardec, apoderam-se da nave RAKAL WOOLVER e tomam o rumo para a Terra.

Enquanto os membros principais da LFT (Liga dos Terranos Livres) e da Organização Hanseática tentam contactar os porleyters, cada vez mais homens são influenciados pelos solanenses, por ordem de SETH-APOPHIS.

Quiupu, que já retornou à Terra, descobre um spoodie com um solanense, e começa a caçada aos solanenses, pois eles manipularam os spoodies.

Os solanenses são libertados dos spoodies manipulados, e os porleyters reagem ao roubo de seu Sinal Kardec com um ultimato aos terranos, para entregá-lo em quatro semanas.

Em Norgan-Tur a BASE alcança a nuvem cósmica de poeira chamada Srakenduurn, onde deve surgir o novo Império de Vírus.

Na Via Láctea, os porleyters querem unir as frotas da GAVÖK, da LFT e da Organização Hanseática numa única frota gigantesca, para atacar SETH-APOPHIS.

Eric Weidenburn, um homem com uma incrível história de vida, proclama-se um novo tipo de astronauta, e sem saber, torna-se o primeiro colaborador humano da Armada Infinita. Em pouco tempo ele já tem 200.000 seguidores.

Tengri Lethos surge e fornece a Rhodan as coordenadas do Anel dos Cosmocratas, onde o Rubi de Gelo se encontra. Pouco tempo depois, a BASE alcança o “Nada Giratório”, e eles descobrem que ele serve para ocultar o Anel dos Cosmocratas.

Um space-jet pilotado por seguidores de Weidenburn salva Icho Tolot e o leva à BASE. Em fevereiro de 426 NCG os porleyters chegam à Lua e elaboram uma poderosa Aura Kardec, que toma o curso para a Terra. Próximo ao Rubi de Gelo, os terranos encontram um campo de destroços, feito com substâncias neutrônicas. Eles descobrem que aquilo são os restos de uma galáxia anã que se tornou um buraco negro. O processo foi interrompido pelos porleyters e a energia em rotação fora de controle transformou-se no Rubi de Gelo. Tengri Lethos revela que o Rubi de Gelo é responsável por muita destruição, e que as supernovas que surgem em incontáveis galáxias são na realidade resultado de detonações provocadas pelo Rubi de Gelo. Eles também descobrem que um fragmento de rocha que procuram está na galáxia M-82.

Agora torna-se claro o motivo da atividade de vários povos a serviço de SETH-APOPHIS naquela região: eles queriam desestabilizar o Rubi de Gelo. A BASE sai do Anel dos Cosmocratas e retorna à Via Láctea, ficando próximo ao Rubi de Gelo a nave PRESIDENTE, com Icho Tolot a bordo. A BASE alcança o Sistema Solar, onde a situação é crítica, com a aura dos porleyters sobre Terrânia. Gucky descobre que os porleyters vão cometer suicídio em massa, e que tencionam destruir a Humanidade com isso.

Perry Rhodan vai ao Anel dos Cosmocratas. Ele reconhece em si mesmo um Cavaleiro das Profundezas, e a visão dos Anéis leva-lhe segurança. Ele percebe que no futuro os terranos terão que ajudar na luta contra os poderes do caos. Os porleyters retornam a M-3. A situação na Terra normaliza-se novamente, e os homens começam a analisar os últimos acontecimentos.

A nave PRESIDENTE emite uma mensagem dizendo que surgiu uma gigantesca frota espacial nas proximidades do Rubi de Gelo.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 1100 a 1199 – Período da história: 426 a 427 NCG (4013 a 4014)
Data de publicação na Alemanha: 1982 a 1984
Ciclo ainda inédito no Brasil

A Frota Galática encontra-se com a Armada Infinita, uma gigantesca frota composta por incontáveis espaçonaves que procurava há milhões de anos o Rubi de Gelo, também conhecido como Cosmonucleotídeo Triicle-9. Triicle-9, agora degenerado, havia sido manipulado por SETH-APOPHIS. Enquanto Perry Rhodan executa o plano dos ambiciosos Ferreiros da Armada e vence SETH-APOPHIS, a Cosmocrata renegada VISHNA ataca a Terra. Apenas a intervenção do Cosmocrata TAUREC consegue acabar com a dominação de VISHNA, que busca a reconstrução do “Viral”, um hipercomputador criado pelos Cosmocratas há bilhõesde anos. Para impedir que Perry Rhodan, no comando da Armada Infinita, ativasse os Cronofósseis, os inimigos dos Cosmocratas mobilizam o Decálogo dos Elementos.



Na época cósmica em que se desenvolvem os acontecimentos, o universo conhecido transformou-se num imenso campo de batalha, no qual as forças do caos se defrontam com as forças construtivas.

A Humanidade, que criou um enorme império sideral, pertence ao esquema de poder da superinteligência conhecida como “Aquilo”. Uma das tarefas mais importantes de Perry Rhodan consiste em consolidar este esquema de poder e protegê-lo dos ataques das superinteligências inimigas.

No momento o inimigo mais perigoso do ser chamado “Aquilo” (e, portanto, da Humanidade) é a superinteligência negativa SETH-APOPHIS.

As forças que comandam a ordem (trata-se dos Cosmocratas, que vivem além das fontes de matéria) conferiram a Perry Rhodan o título e o status de Cavaleiro das Profundezas, que lhe permite investigar os três problemas fundamentais que a Humanidade enfrenta na luta em prol do ser denominado “Aquilo”. São os problemas fundamentais:

1) O que é o Rubi de Gelo?
2) Onde começa e onde termina a Armada Infinita?
3) Quem criou a Lei, e qual é seu conteúdo?

Já se sabe que o Rubi de Gelo é uma gigantesca massa negra situada entre a Via Láctea e outra galáxia que fica a 60 milhões de anos-luz de distância. SETH-APOPHIS usou o Rubi de Gelo para provocar algumas novas. Trata-se de explosões cósmicas de proporções inimagináveis. Com isto SETH-APOPHIS pretende abalar outras concentrações de poder das superinteligências positivas, para tirar proveito de sua destruição. O objetivo de SETH-APOPHIS consiste em chegar além das fontes de matéria – mais precisamente, aos Cosmocratas. Mas o que acontecia no Rubi de Gelo, antes que SETH-APOPHIS se apoderasse dele? O que vem sendo feito em seu interior?

Perry Rhodan saiu com a Frota Galática para resolver o mistério.

Mas quando chega ao destino defronta-se com um perigo muito maior: a Armada Infinita. Ninguém sabe quantos milhões de anos-luz esta Armada já viajou. E não se sabe de quantos povos é formada. Trata-se de uma tremenda concentração de forças, cujos membros querem encontrar Triicle 9. No centro da Armada existe uma zona que é tabu: o coração da Armada. Pelo que se diz, esta zona é governada por Ordoban, uma criatura inconcebível que, segundo se diz, dirige a Armada desde o início.

Os inúmeros membros da Armada não se conhecem uns aos outros, mas se reconhecem quando se encontram, porque a chama da Armada, que nunca se apaga, trêmula sobre suas cabeças. Esta chama lhes é dada no nascimento.

Jercygehl An, o comandante da unidade 176 da Armada, composta por 50.000 espaçonaves, é o primeiro armamentista que vê à frente dos seus olhos o objetivo procurado há tanto tempo. Mas neste momento de triunfo também vê a Frota Galática. Perry Rhodan e seus companheiros são quase impotentes diante da Armada Infinita, mas nem por isso desistem do objetivo a que se traçaram: encontrar a resposta a um grande número de perguntas.

Enquanto pretendem penetrar na área da Grande Armada, surge uma criatura misteriosa: TAUREC. Esta encarnação Cosmocrata, vinda de além das fontes de matéria, foi expulsa pelos outros Cosmocratas para os mundos do nosso lado das fontes devido a uma falha, e procura uma maneira de retornar ao seu espaço vital. Ele percebe que o Rubi de Gelo pode ser uma maneira de atingir seus objetivos, e para isso ele utiliza em sua missão um equipamento sem igual, desde a nave SYZZEL até o perigoso “quartel” que traz no bolso.

TAUREC desafia Perry Rhodan. Sente-se superior a ele e quer forçar uma decisão na área do Rubi de Gelo. Ele diz a Rhodan que o Rubi de Gelo é uma formação pentadimensional, um tipo de universo em miniatura, com uma parte no contínuo espácio temporal normal.

Mas finalmente Rhodan consegue subir a bordo da SYZZEL e ir com TAUREC ao lugar mais perigoso do universo: o interior do Rubi de Gelo.

Os dois chegam a um lugar assustador. Perry Rhodan defronta-se com os misteriosos agentes de SETH-APOPHIS. Como se isto não bastasse, Perry Rhodan e TAUREC descobrem o caminho que leva a uma galáxia distante, mas não desconhecida, onde fica o depósito de SETH-APOPHIS. Rhodan chega lá mais depressa do que pretendia. Mas Perry, sua frota e a Armada Infinita são lançados no chamado Efeito Confete, que os deixa numa situação desesperadora. Nos arredores da galáxia estranha decide-se o destino não somente da Humanidade, mas da Armada Infinita, de Triicle 9, de STAC e seus adeptos e de SETH-APOPHIS. Durante os conflitos travados encontram-se alguns velhos conhecidos, que de forma alguma esperava-se ver ali.

Enquanto tudo isso se passa, os Cosmocratas agem numa ilha sideral distante, chamada Norgan Tur, onde promovem a reconstrução de um império de vírus. Esperam encontrar com isso a resposta a várias perguntas difíceis e enfrentar de forma mais eficaz os poderes do caos. Muitos pesquisadores de vírus, entre eles Quiupu, estão trabalhando na tarefa imensa. Ninguém, nem mesmo os Cosmocratas, seria capaz de imaginar que com isso também criam uma coisa terrível, uma força diabólica, que só esperava o momento de ser chamada novamente à vida.

A consciência de Ernst Ellert recebe um corpo sintético feito com substâncias de vírus, tornando-se um metamorfo.

Finalmente é descoberta a natureza da Armada Infinita: na realidade, a Armada é apenas uma outra designação para o misterioso Código de Moral. A gigantesca frota, saída há milhões de anos da galáxia Behaynien, o local de origem do Rubi de Gelo, tem procurado todo este tempo pelo Rubi (também conhecido como Triicle 9) e tem como objetivo colocá-lo de volta em sua posição original.

O local onde Triicle 9 estava há milhões de anos se tornou uma negasfera, um gigantesco setor espacial onde as leis naturais não prevalecem mais e o caos rege em sua forma pura. Ali também é o espaço vital do Senhor dos Elementos, um Caotarca (um ser oposto aos Cosmocratas), que tenta impedir os planos de retorno do Rubi a todo custo.

Na galáxia M-82 os terranos finalmente obtém a vitória sobre SETH-APOPHIS. Após incontáveis lutas e muitas derrotas, a superinteligência negativa é destruída em seu mundo central Aitheran.

Na Terra surge uma entidade que também pertence ao Poder Mais Elevado, a Cosmocrata rebelde VISHNA. Ela perdeu o poder que teve antigamente e envia sete pragas sobre a Humanidade, com o objetivo de subjugá-la. No último segundo TAUREC consegue vencê-la, e ela retorna para atrás das fontes de matéria. Entretanto, Gesil, uma das três encarnações Cosmocratas deixadas por VISHNA em nosso universo, continua junto aos terranos, e ela casa-se pouco tempo depois com Perry Rhodan.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 1200 a 1299 – Período da história: 427 a 430 NCG (4014 a 4017)
Data de publicação na Alemanha: 1984 a 1986
Ciclo ainda inédito no Brasil

Apesar dos ataques do Decálogo, a Armada Infinita passa por Andrômeda, as Nuvens de Magalhães e finalmente pela Via Láctea, ativando assim os Cronofósseis, estruturas criadas através do trabalho realizado por Perry Rhodan nos últimos séculos. Enquanto isso, no Abismo, local criado pelos Engenheiros do Espaço e do Tempo dentro da Profundeza, com o objetivo de reconstruir o Cosmonucleotídeo Triicle-9, os Cavaleiros das Profundezas Atlan e Jen Salik preparam o retorno de Triicle-9. Enquanto a Armada Infinita e o Cosmonucleotídeo retornam finalmente às suas posições de origem, Sotho Tal Ker, um enviado da superinteligência ESTARTU, convida os habitantes da Via Láctea a visitarem o Reino das Doze Galáxias. Para fugir do caos da Via Láctea, milhões de galácticos tripulam vironaves e partem para a concentração de poder de ESTARTU. Contudo a superinteligência está desaparecida há milhares de anos, e os Guerreiros Eternos espalham em seu nome a pavorosa doutrina do Conflito Permanente.



Perry Rhodan assume o comando da Armada Infinita. Ele também já conhece a resposta às duas primeiras Perguntas Fundamentais.

Carfesch surge novamente e dá a Rhodan a missão de conduzir a frota gigante para seis lugares onde Rhodan teve importante papel no passado, os chamados Cronofósseis. Desta maneira, Rhodan deve ativar os Cronofósseis e liberar sua energia positiva acumulada, o que destruirá as “âncoras” do Rubi de Gelo e permitirá que ele seja reintegrado à sua posição original no Código de Moral.

Jen Salik e Atlan recebem de Carfesch a missão de ajudar Rhodan indo até a Terra Profunda, o local de origem do Rubi de Gelo, onde os engenheiros espácio temporais foram preparados pelos Cosmocratas desde a retirada do Rubi para seu regresso futuro. Os engenheiros espácio temporais, que vivem na galáxia Behaynien, situada a 200 milhões de anos-luz da Via Láctea, são um povo que está em metamorfose para se transformar numa superinteligência, e que começa os preparativos para a reintegração do Rubi de Gelo ao Código de Moral naquela distante região do universo.

Atlan descobre que há um grupo chamado Fraternidade, que luta contra o plano dos Cosmocratas na Terra Profunda.

Gesil diz a Rhodan que está esperando um filho dele.

A Armada Infinita passa por Andro-Beta, as Nuvens de Magalhães e o setor oriental da Via Láctea, locais de ativação dos Cronofósseis. O Cronofóssil Terra ativa-se, e finalmente a Armada deixa a Via Láctea.

O Império de Vírus constrói uma nave protótipo com propulsão enerpsi, e em seguida equipa toda sua frota de centenas de milhares de naves com este novo artefato. Este império também envolve-se na luta contra o Senhor dos Elementos, que quer impedir o retorno de Triicle 9 a Behaynien.

Surge Sotho Tal Ker, também conhecido como Stalker, o enviado da superinteligência ESTARTU, que informa aos terranos da existência do esquema de poder desta superinteligência, composto de doze galáxias que distam 40 milhões de anos-luz da Via Láctea. ESTARTU representa o Terceiro Caminho entre a ordem contemplativa dos Cosmocratas e a pregação de destrutividade dos poderes do caos. A viagem até as galáxias desta superinteligência pode ser feita inteiramente através da propulsão enerpsi, e incontáveis Vironautas vão à galáxia Erendyra, pertencente aos domínios de ESTARTU, em companhia das naves de Bull e Danton.

Na galáxia Fornax, Rhodan descobre os nocturnen, seres que, quando entram em sua fase-enxame, liberam pedaços de matéria chamados de Parataus, que provocam uma poderosa tormenta psiônica e que aumentam as capacidades psi. Ocorre um caos psiônico que desestabiliza “Aquilo”, e Gesil utiliza uma arma dos porleyters para salvá-lo. Em agradecimento, “Aquilo” lhe dá o ativador celular que foi de Ovaron.

Os terranos descobrem linhas psiônicas que ligam várias galáxias, entre elas Erendyra e Siom Som, galáxias de ESTARTU.

Quando o Rubi de Gelo torna-se instável, Rhodan entra nele com a BASE e alcança o Topo da Criação, a base do Rubi.

O Rubi de Gelo ou Triicle 9 sofreu mutações durante milhões de anos, e deve ser transferido de volta à sua posição original por Rhodan e Atlan, cumprindo um antigo plano dos Cosmocratas, que visava a destruição da Negasfera criada em sua antiga posição.

Triicle 9 é um Cosmonucleotídeo, um campo psiônico do Código de Moral, uma gigantesca hélice dupla que atravessa o cosmos. Cada Cosmonucleotídeo cuida em seu campo de atuação para a manutenção das leis naturais e impede com isso que o correspondente setor espacial se transforme numa Negasfera.
O Rubi de Gelo é finalmente reintegrado ao Código de Moral em 429 NCG, e o Senhor dos Elementos é morto por Gesil.

No Topo da Criação, Perry Rhodan é confrontado com a Terceira Pergunta Fundamental. Ela diz: “Quem iniciou a Lei, e o que diz esta?”. Ali os Cosmocratas desejam a solução desta pergunta, que contém os legendários fundamentos da criação do universo. Porém Rhodan falha em sua missão, quando seu fantasma se desfaz momentos antes de receber a ameaçadora resposta. Quando tinha a resposta à sua frente, Rhodan percebeu que este conhecimento fundamental poderia destruir sua consciência. Perry Rhodan e Atlan são desincumbidos de sua missão pelos Cosmocratas, que não perdoam o terrano por ter tomado aquela decisão, e eles noticiam o fato aos seus companheiros. TAUREC é proscrito e os Cavaleiros devem abandonar o Grupo Local.

Os kartanin chegam da galáxia M-33 e começa um conflito entre eles e a Organização Hanseática, pois eles reivindicam o direito ao monopólio Paratau. Anson Argyris parte para as galáxias de ESTARTU no comando de uma Caravana Hanseática e chega às galáxias Fornax e Vilamesch.

O Guerreiro Eterno Sotho Tyg Ian (Stygian) surge com uma gigantesca frota na Via Láctea com o objetivo de achar o Nó Górdio, uma das “maravilhas” do universo, que consiste numa forma energética desconhecida por todos. Em julho de 430 NCG os dois Sothos (Tal Ker e Tyg Ian) travam uma luta no planeta Terzrock, e Stygian vence. O que sobra de Stalker após a luta, um conglomerado celular, é colocado num ciborgue e enviado a Titã por Julian Tifflor.

A nave de Bull alcança uma estação dos gorims na galáxia Absantha-Shad e encontra, para sua surpresa, Rhodan, que lhe conta a história dos Corredores das Teias, como os gorims denominam-se. Nesta estação, eles descobrem também uma projeção material de um ser da raça dos querionen. Atlan, Gucky, Jen Salik, Ras Tschubai, Fellmer Lloyd, Icho Tolot e Gesil também entram para a organização dos Corredores das Teias.

Ronald Tekener e Roi Danton finalmente chegam a Etustar, um planeta selvático conhecido como o “Jardim de ESTARTU”, e descobrem que ESTARTU está desaparecido há milhares de anos.

Na Via Láctea, começa uma era de incerteza, com o início da consolidação do poder de Stygian e sua frota.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 1300 a 1349 – Período da história: 445 a 447 NCG (4032 a 4034)
Data de publicação na Alemanha: 1986 a 1987
Ciclo ainda inédito no Brasil

Após o rompimento com os Cosmocratas, Perry Rhodan e seus companheiros tornam-se Viajante da Rede na área da concentração de poder de ESTARTU, que se situa dentro do Cosmonucleotídeo Dorifer, passando a partir daí a tentar pôr um fim ao domínio dos Guerreiros Eternos. Também a Via Láctea é envolvida no Conflito Permanente, mas com a ajuda dos Viajantes da Rede, que conseguem se mover instantaneamente pelas teias da rede psiônica, o jugo do Sotho Tyg Ian é finalizado. Perry Rhodan descobre a história passada da superinteligência ESTARTU e dos kartanins.



Em setembro de 445 NCG a filha de Rhodan, Eirene, torna-se uma Corredora das Teias. Através de uma marca psiônica, ela mantém-se em Sabhal, o mundo principal dos Corredores das Teias. Relativamente próxima, encontra-se a passagem quadridimensional para o Cosmonucleotídeo Dorifer, uma esfera espacial com 50 milhões de anos-luz de diâmetro que engloba os esquemas de poder de “Aquilo” e ESTARTU. Dorifer é a parte do Código de Moral responsável pela manutenção das leis naturais na Via Láctea e nas galáxias vizinhas. Eirene conta ao pai os acontecimentos do passado recente:

No início de 430 NCG o Cavaleiro das Profundezas banido e seus companheiros alcançaram o esquema de poder de ESTARTU, seguindo o chamado mental de estranhos. Em uma estação espacial eles encontraram, para sua surpresa, um cappin, chamado Testare. Ele explica que os Corredores das Teias são os guardiães de Dorifer, e que eles não estão em missão para os Cosmocratas. Desde 50.000 anos atrás há uma irradiação desconhecida criada por Dorifer que aumenta a constante psi em sua região. Primeiramente as linhas da rede psiônica foram utilizadas como meio de transporte.

Apenas suspeita-se o que possa existir acima da rede psiônica. Desde centenas de milhares de anos o povo dos querionen utiliza-se da rede para transporte. Através da manipulação de Dorifer há 50.000 anos também os não-querionen e naves com propulsão enerpsi puderam utilizar-se delas. Os querionen fundaram para a defesa de Dorifer a organização dos Corredores das Teias.

Os Corredores das Teias são inimigos naturais dos Guerreiros Eternos na luta pelo poder em Dorifer e nas doze galáxias de ESTARTU. Ambos os lados sabem que quem controlar Dorifer terá o controle do Código de Moral e estará mais próximo da resposta da Terceira Pergunta Fundamental.

O Culto Guerreiro, que assumiu o poder no esquema de poder de ESTARTU após seu desaparecimento há dezenas de milhares de anos atrás, é governado por doze Guerreiros Eternos, que perverteram completamente o Terceiro Caminho e que estão no chamado Conflito Permanente com os Corredores das Teias pelo controle de Dorifer desde 55.000 anos atrás.

O grupo de Rhodan chegou em 430 NCG a Sabhal, e encontrou quem emitira o chamado mental: Alaska Saedelaere. Há um longo tempo atrás, com a ajuda de Kytoma, ele se libertou de seu fragmento cappin, e a projeção-cappin Testare passou a viver por conta própria.

Naquela ocasião, em Sabhal, Rhodan encontrou-se novamente com sua mulher Gesil e sua filha Eirene, então com alguns meses de idade.

Na Via Láctea, o Nó Górdio foi encontrado em 30 de junho de 432 NCG por Stygian, sendo ele um fogo luminoso que é alimentado por um gigantesco buraco negro situado no centro da Via Láctea, e que possui a forma de um gigantesco punho energético com 8.000 anos-luz de comprimento. Porém o Nó Górdio possui uma função mais importante, que é a de ser a fonte da Teia Stygiana, que envolve toda a Via Láctea. Através da separação entre a Teia Stygiana e a Teia Psiônica o vôo de espaçonaves equipadas com propulsores enerpsi para a Via Láctea tornou-se impossível, impedindo, assim, a chegada dos Corredores das Teias à Via Láctea.

Além disso Stygian estacionou cerca de 12.000 fortes de defesa na Via Láctea, os chamados Feresh Tovaar.

Nas proximidades de Dorifer, surge um gigantesco asteroide chamado KLOTZ, de origem artificial e com 187 quilômetros de comprimento. Ele move-se lentamente na direção de Absantha-Shad e emite uma poderosa irradiação psiônica, que evita a aproximação de seres estranhos. Em Sabhal, Waringer descobre que o KLOTZ possui uma constante “Strangeness” diferente, concluindo que ele deve ter vindo de um outro universo.

Em Bonfire, Rhodan e Bull tomam conhecimento das estranhas palavras: “Ele não dá a vida, fora de Meekorah, porque Tarkan, o Encolhido, traz somente a morte”.

Gucky estabelece contato mental com Ernst Ellert e descobre que ele perdeu seu corpo vírus, voltando a percorrer o universo na forma de uma consciência.

Enquanto buscavam pistas dos kartanin em Absantha-Gom, onde têm sido avistadas gigantescas espaçonaves, Gucky e Bull tomam conhecimento do misterioso “Projeto Lao-Sinh” dos kartanin.

Após 18 dias de voo a nave AVIGNON atinge a região da Via Láctea. Ali eles descobrem que a rede psiônica foi alterada devido a um fogo luminoso cósmico. Eles tentam entrar em contato com a GOI, mas não conseguem. Em vez disso surgem espaçonaves do Sotho. Apenas 13 Vironautas sobrevivem aos interrogatórios e às torturas. Quando uma nave da GOI ataca o forte de defesa, eles conseguem fugir.

Os sobreviventes são levados imediatamente para a central da GOI no setor oriental da galáxia. Lá eles contam a Julian Tifflor os acontecimentos no esquema de poder de ESTARTU. Logo após eles recebem uma missão especial da GOI. Eles tomam conhecimento de que a GOI possui cerca de 23.000 espaçonaves e 18 bases planetárias. Além disso há um pequeno grupo de seres com capacidades psi latentes, os chamados paratensores, que têm suas capacidades fortalecidas com Paratau. E então os terranos desenvolvem uma nova arma, o Constritor, que permite tanto a espaçonaves como as emissões psi penetrar na Teia Stygiana. Nesta época é planejada uma ação na Terra, e o Paratau necessário para isso deve ser levado à Terra pela Avignon. A pessoa de contato é um obscuro saltador chamado Capitão Ahab, que possui um grande ódio contra Sotho Tyg Ian. Ahab age com rigor contra as tropas do Sotho. Logo após, tornam-se claros os motivos de Ahab: ele é nenhum outro que Stalker, que recebeu ajuda em Tahun mas que apesar disso tem o corpo mutilado.

Após a entrega de uma pequena quantidade de Paratau a tripulação da Avignon dirige-se a M-33 para avisar a nave PIG, sob o comando de Nicki Frickel, das novas informações.

Os terranos recebem informações de que Stygian deseja estender o Conflito Permanente a todo o Grupo Local.

No início de março de 446 NCG a PIG descobre em M-33, em cada vez mais planetas, estaleiros para a construção de espaçonaves dos kartanin, nos quais as naves de longa distância Umbali são construídas. Estas naves devem transportar Paratau para ESTARTU.

Os paratensores descobrem a existência do Clã dos Iniciados, um antigo grupo de kartanin ligados ao “Projeto Lao-Sinh”.

Waringer conclui a construção de um projetor Grigoroff que permite o voo para um outro universo, projeto no qual ele já trabalha há muito tempo. Ele envia várias sondas de teste com este novo projetor, mas somente duas retornam. As imagens registradas pelas sondas não mostram constelações desconhecidas, mas sim um ser pepino e a bota de um terrano. Logo Waringer tem uma certeza: as sondas não estiveram num universo estranho, mas sim no interior do KLOTZ.

Quando a irradiação “Strangeness” do KLOTZ diminui com o passar do tempo, um robô consegue penetrar em seu interior. Ele traz consigo uma planta da espécie comanzatara. Outras informações revelam que um terrano e um swoon estão ativos no KLOTZ.

Dorifer começa a aumentar sua atividade, e Atlan penetra acompanhado de Eirene no Cosmonucleotídeo com sua cápsula Dorifer. Lá eles descobrem a existência de milhões de quanta psiônicos de informação – chamados psiqs – que têm a forma de uma chuva colorida de cadeias de informação, que podem libertar-se no futuro na forma de jorros.

Em abril, dois galáticos lutam no KLOTZ pela sobrevivência: Ratber Tostan, um antigo especialista da USO, e Posy Poos, um swoon. Tostan luta contra grandes lacunas em sua memória, mas aos poucos ele consegue recuperar suas recordações.

Tostan e Posy Poos lutam no KLOTZ e encontram muitos povos diferentes, como os mamositu. Finalmente Tostan lembra-se de seu passado: ele era um Major da USO no tempo da armadilha Laurin que permaneceu por muito tempo em sono profundo e que recebeu uma missão secreta em outubro de 430 NCG a ser realizada na região de M-33 com as naves Tsunami 31 e 32. Porém, o projetor Grigoroff de sua espaçonave sofreu uma falha e a nave foi transferida para uma região estranha, que ele suspeita ser um outro universo.

Ratber Tostan consegue preparar sua fuga do KLOTZ e enviar uma mensagem de rádio.

No Galaktikum, o conselho dos povos galáticos, as raças participantes não conseguem chegar a um consenso sobre a melhor maneira de lutar contra Stygian. Finalmente os halutenses declaram sua saída desta união.

Stygian aproveita-se desta situação para atacar Halut. Um exército de invasão de 12.000 soldados tenta subjugar os halutenses, mas encontram-se com grandes quantidades de gás anti-KM em Halut, levados até ali pela GOI, e são libertados de sua fúria agressiva. Stygian sofre com isso seu mais pesado golpe na região da Via Láctea.

Em maio de 446 NCG o Grande Irmão desfere um ataque decisivo contra o Constritor, que pela primeira vez é testado em sua capacidade. O Grande Irmão é a BASE, desaparecida desde 434 NCG na Via Láctea. A bordo trabalha um exótico cientista, que faz experiências obscuras. Seu nome: Peregrin. Tanto ele como o Tubo Hamiller, que foi aperfeiçoado com novos componentes, conseguem a posição dos 12.000 Feresh Tovaar.

Pouco tempo depois, os Corredores das Teias aceitam um novo membro, o ophaler Salaam Siin. Os ophalers possuem a capacidade de compor música psiônica, que provoca em seus ouvintes efeitos hipnossugestivos. Salaam Siin comanda 1.300.000 ophalers, que ajudarão na luta contra o Culto Guerreiro.
Nesta época Jen Salik vai à galáxia Norgan-Tur, para tentar conseguir junto ao Domo Kesdschan uma possibilidade de acabar com a pena de banimento dos três Cavaleiros das Profundezas imposta pelos Cosmocratas.

Na Via Láctea, um nakk faz uma misteriosa profecia: ocorrerá uma catástrofe cósmica, que deixará Absantha-Gom em grande tumulto. Somente dois “incorpóreos” dedicam a este assunto a atenção merecida.

Pouco depois Alaska Saedelaere descobre a identidade destes dois “incorpóreos”: Ernst Ellert e Testare, seu antigo fragmento cappin.

Ratber Tostan consegue em julho de 446 NCG colocar sua espaçonave Tsunami 32 em funcionamento. Seus presumidos destroços estão num hangar do KLOTZ. Em companhia de Posy Poos, Tostan consegue finalmente fugir do KLOTZ.

Dao-Lin-H’ay e a tripulação da PIG chegam com uma nave auxiliar à nuvem Raknor, uma nuvem escura existente em M-33. A nuvem de poeira é uma zona tabu para os kartanin. A tripulação da PIG descobre um sistema solar que envia um sinal de rádio das “Vozes de CTL”.

CTL-2, como o mundo central na zona tabu é chamado, revela-se como o mundo dos chamados Robôs dos Seis Dias, uma dinastia robótica. Um inacreditável quadro revela-se à tripulação da PIG:

Há 50.000 anos atrás haviam 20 povos em M-33 que alcançaram um alto nível de desenvolvimento, e um deles era os kartanin. Foram eles os construtores da dinastia robótica. Os motivos pelos quais os kartanin perderam seu domínio sobre os robôs e se tornaram decadentes, somente surgindo novamente no cenário galático na época atual, permanecem obscuros.

Então Nicki Frickel tem uma surpresa ainda maior: surge a gigantesca espaçonave NARGA SANT, também conhecida como “Um Pedaço da Pátria”. A bordo desta gigantesca nave encontra-se o Clã dos Iniciados, também conhecido como as Vozes de Ardustaar.

Reginald Bull, com os kartanin em sua pista, descobre o Tarkanium. Ele consiste de quatro sistemas solares situados bem próximos um do outro. Três sistemas formam um triângulo, em cujo ponto central encontra-se o sistema com o mundo principal Hubei. Todos os quatro sistemas formam um plano e possuem uma linha que leva a Absantha-Shad por um dos lados do triângulo, e que vai diretamente na direção da entrada de Dorifer.

No Tarkanium encontram-se gigantescas concentrações de Paratau, consistindo de bilhões de gotas. Quando os Corredores das Teias exploram o sistema, torna-se claro que as instalações desses mundos devem ter 50.000 anos de idade. E o símbolo triangular de ESTARTU é na verdade o símbolo dos kartanin.

No início de novembro Ratber Tostan chega à Via Láctea com a espaçonave THAAL. Ele finalmente recupera toda sua memória e lembra-se da época do acidente com o Grigoroff de sua nave Tsunami. A tripulação ficou naquela época inconsciente por um mês, provavelmente devido ao choque “Strangeness”. Muitas outras indicações levam à conclusão de que eles estavam num universo estranho. Naquele local, o espaço era vermelho. Eles chegaram então a uma galáxia estranha habitada por um povo agressivo, que não parecia temer a morte. Tostan faz contato com um ser denominado “Tigre Rei”. Ele cuidava do abastecimento de uma gigantesca espaçonave que deveria viajar para outro universo. Esta espaçonave era o KLOTZ.

O KLOTZ subitamente apressa-se e desaparece no hiperespaço, porém antes é recebida uma mensagem de rádio enviada, surpreendentemente, na língua kartanin. O KLOTZ chama-se na realidade NARGA PUUR, que significa “Toda a Pátria”.

Em M-33 não terminam as surpresas para Nicki Frickel. Ele descobre na NARGA SANT um setor secreto no qual encontra-se um velho kartanin em sono profundo. Quando ele acorda, torna-se claro ser ele o fundador da Upanishad, a fé dominante em ESTARTU. Mais detalhes sobre a história dos kartanin são descobertos.

Alguns seres, que possuíam o conhecimento de origem certa, permaneceram outrora na NARGA SANT e concluíram as Vozes de Ardustaar, que deveriam guiar o desenvolvimento do povo kartanin. Sob sua influência a astronáutica foi desenvolvida e a criação de Paratau acelerada. O Paratau, segundo se diz, foi levado ao Tarkanium para deter o Culto Guerreiro e para fazer com que o antigo reino dos kartanin surgisse novamente.

Os kartanin chamam a Via Láctea de “Sayaaron”, a “Nuvem Distante”. O universo é chamado de Meekorah. E de Oogh at Tarkan origina-se a frase: “Ele não dá a vida, fora de Meekorah, porque Tarkan, o Encolhido, traz a morte!”. Após seu despertar Oogh at Tarkan emite um comunicado de base hipnossugestiva, que propaga-se a todas as escolas Upanishad da Via Láctea e das galáxias de ESTARTU. Ele acusa os singuva de terem pervertido o Terceiro Caminho de ESTARTU através do Culto Guerreiro.

No início de dezembro a situação na Via Láctea complica-se ainda mais. Stygian vê seu poder ser quebrado sucessivamente e ameaça com a destruição por sobrecarga do buraco negro central.

Os nakken prometem ajudar os terranos, apesar de fazê-lo de uma forma enigmática. Quando tudo parece estar perdido para a Via Láctea, Sato Ambush descobre a última chance de salvação. Stalker consegue finalmente matar Stygian em um duelo.

Após vários anos subjugada, a Via Láctea torna-se novamente livre. Tifflor envia Gucky para ESTARTU para informar os Corredores das Teias, enquanto Stalker parte com o cadáver de Stygian para ESTARTU, para vingar-se do Culto Guerreiro.

Quando tudo já está normalizado, Peregrin surge novamente. Ele diz que a situação ainda não está normalizada, pois há um grande perigo originário de Dorifer. No Cosmonucleotídeo está presente o caos, apenas aguardando para ser liberado.

Em ESTARTU, Rhodan finalmente descobre a verdade. Peregrin é o “cronista” da superinteligência “Aquilo”. Rhodan descobre que um enviado dos Cosmocratas procura Peregrin e que ele reprova duramente as ações de “Aquilo”. “Aquilo” possui uma parte da culpa pelo fato de Dorifer estar tornando-se incontrolável. Nesta época Testare diz a Saedelaere que ele e Ernst Ellert estão em busca de corpos.

O KLOTZ surge no setor Norte de Absantha-Gom e toma o rumo para o Tarkanium.

Então os querionen revelam seu segredo e os Corredores das Teias descobrem os acontecimentos ocorridos há mais de 50.000 anos que levaram à fundação de sua organização:

Há 54.023 anos – no ano 49.990 a.C. - esta organização foi fundada, embora já há 600 anos antes ESTARTU tivesse desaparecido de seu esquema de poder. Nesta época Dorifer adquiriu por motivos desconhecidos uma constante psi em sua esfera de influência.

Há muito tempo “Aquilo” e ESTARTU eram muito parecidos. Eles estavam muito próximos um do outro, e “Aquilo” chamou ESTARTU muitas vezes de “Irmão”. Ambos haviam erigido seus esquemas de poder de maneira completamente diversa. Contudo, há 54.650 anos, ESTARTU recebeu um pedido de ajuda, vindo de uma grande distância cósmica. ESTARTU decidiu ajudar os desconhecidos e abandonou seu esquema de poder. Em seguida o Pterus tornou-se seu substituto. Uma parte deste povo que esteve outrora em guerra civil, os singuva do planeta extremo Singu, tomou o poder e perverteu a doutrina de ESTARTU, surgindo o Culto Guerreiro.

Durante muitos anos os seres vivos de ESTARTU não puderam receber ajuda. Apenas a 400.000 anos-luz de distância do planeta Etustar surgiu uma gigantesca espaçonave, na qual Oogh at Tarkan anunciou-se como um iniciado. A bordo da nave gigante encontravam-se representantes de muitos povos, entre eles os nakken. Oogh at Tarkan era um espinho nos olhos dos singuva, pois ameaçava seu direito ao poder. Quando os singuva iniciaram um ataque para destruir a NARGA SANT, esta desapareceu na rede psiônica.

Entretanto, após saber que ESTARTU partiu para ajudar os kartanin, os nakken e os zataras, Rhodan pergunta-se onde se encontra a pátria destes povos, pois há uma grande separação tanto entre as galáxias de ESTARTU como destas para M-33.

Oogh at Tarkan relata que há mais de 55.000 anos os povos mais desenvolvidos da galáxia Hangay, liderados pelos kartanin, começaram uma ação de ajuda para si próprios quando começou a decadência de sua galáxia. Seu pedido de ajuda foi recebido pela superinteligência ESTARTU, e ela chegou em Hangay.

Ele também revela uma sensacional informação: Hangay está num universo estranho, chamado de Tarkan. Tarkan contraiu-se novamente e vai contra a singularidade. Supõe-se que este universo estranho tenha 100 bilhões de anos de idade.

Oogh também relata que durante a fuga do KLOTZ de Absantha-Gom ocorreu um motim que não pôde ser controlado. Contudo, anos depois, a síndrome do esquecimento tornou-se perceptível, uma consequência do choque “Strangeness”. Os povos degeneraram enquanto a NARGA SANT permaneceu estacionada na nuvem Raknor. O povo dos vennok, também originários de Hangay, construiu a dinastia robótica de CTL.

Rhodan entra com LEDA, sua cápsula Dorifer, no Cosmonucleotídeo, que aumentara sua atividade.

Bull alcança com a frota o Tarkanium. Em 31 de janeiro de 447 NCG ocorre a grande catástrofe, que libera muitos bilhões de gotas Paratau em um segundo. O epicentro da tormenta psiônica não está no Tarkanium, mas em Dorifer. No Grupo Local de Galáxias surgem as consequências: a 880.000 anos-luz da Via Láctea surge o encaixe espácio temporal, e muitas massas solares de um universo estranho surgem no espaço intergalático.

Rhodan não retorna de seu voo a Dorifer – e a partir daí está desaparecido.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 1350 a 1399 – Período da história: 447 a 448 NCG (4034 a 4035)
Data de publicação na Alemanha: 1987 a 1988
Ciclo ainda inédito no Brasil

Uma descarga de energia psiônica provoca o colapso de Dorifer, atirando Perry Rhodan ao universo moribundo Tarkan, a pátria original dos kartanins. Lá os terranos tornam-se importantes figuras no conflito entre ESTARTU, que desejava ajudar os povos da galáxia Hangay a salvar-se da “morte quente” de Tarkan, e o Hexameron, que lutava pelo colapso final do universo moribundo. Rhodan é resgatado por uma expedição de ajuda e finalmente a galáxia Hangay é transferida para o universo einsteiniano.



Perry Rhodan sofre os efeitos da deflagração Paratau no Tarkanium durante sua estada em Dorifer. Após quatro dias ele desperta de sua inconsciência e descobre que está com a LEDA no universo Tarkan, a pátria de origem dos kartanin. LEDA está no vazio intergalático próximo da galáxia Hangay. Ele percebe que está faltando um quarto de Hangay, e que estes 50 bilhões de massas solares devem estar em Meekorah. O brilho de fundo avermelhado de Tarkan lhe indica que este universo está na última fase de sua contração, e que deverá terminar numa singularidade que provavelmente criará um novo universo.

Rhodan encontra um hiperirradiador e suspeita que haja um plano dos kartanin para transferir Hangay ao universo normal. Logo após ele pousa em Bentang, que revela-se como um planeta de apoio secreto dos hauris. Estes seres, de fisionomias delgadas e cansadas e que possuem a cabeça morta, acreditam na doutrina do Hexameron, que diz que o colapso do universo Tarkan, previsto pelos deuses, deve levar à sublimação de todos os seus seres. Eles denominam-se de “Guardiões deste Universo”, e também conhecem a teoria sobre a existência de incontáveis universos, contidos no chamado Multiverso. Eles acreditam que o Senhor Heptamer, o senhor sobre as “Vinte Posições”, cuida pessoalmente de várias galáxias. Rhodan pergunta-se se o Heptamer é uma superinteligência do universo Tarkan. A doutrina do Hexameron diz que a contração do universo Tarkan deve ser acelerada, para que um novo universo surja o mais rapidamente possível – este é um insano plano de longa duração, que levará à morte de incontáveis seres vivos. Desta maneira, os hauris são inimigos naturais dos kartanin e do povo dos kansahariyya, que trabalham em conjunto para a transferência de Hangay. A energia para este transporte é obtida pelos kartanin das pérolas da corrente Shamshu. Rhodan acredita que isto esteja próximo da hélice dupla do Código de Moral, que, consequentemente, também tem validade no universo Tarkan.

Enquanto era prisioneiro dos hauris, ele conhece detalhes sobre a “Canção dos Seis Dias”. Esta história fala do Senhor Heptamer, o filho dos deuses, e também sobre o livro Hexameron.

Com a ajuda da LEDA, Rhodan consegue fugir e ruma para uma estrela azul que emite hipersinais.

A nave SORONG, sob o comando de Nicki Frickel, é a primeira nave a aproximar-se das massas solares subitamente surgidas. Toda a tripulação é afetada pelo forte choque “Strangeness”, e Tifflor e Deighton ficam perplexos pelo acontecimento. Para maior confusão, uma nave vírus retorna de ESTARTU e seu comandante relata que Rhodan está desaparecido desde a catástrofe.

Os terranos planejam enviar uma pequena frota de espaçonaves equipadas com propulsores metagrav para ESTARTU, com o objetivo de sondar a situação por lá. Os terranos abandonam seus planos quando os Vironautas dizem que a rede psiônica tornou-se instável, e que as novas atividades de Dorifer os enviarão de volta.

A PIG precisa lidar com um novo inimigo em M-33 no início de fevereiro, os hauris. Como os terranos logo descobrem, estes seres conseguiram ser transferidos ao universo normal sem sofrer os efeitos do choque “Strangeness”. Os hauris estão interessados na tecnologia terrana, em especial no Sugador Hipertrop, a fonte de energia que abastece os propulsores metagrav.

Após cerca de seis meses, a tripulação da SORONG desperta de sua inconsciência. Neste meio tempo, no início de abril, o segundo quarto da galáxia Hangay materializou-se no Grupo Local. Nicki Frickel faz contato com os kartanin em Hangay pela primeira vez. No fim de julho de 447 NCG a SORONG retorna à Terra, para fazer seu relatório.

Pouco depois chega de surpresa ao Sistema Solar Anson Argyris com o restante de sua Caravana Hanseática, que estava desaparecida. Eles sobreviveram ao ataque de Stygian na galáxia Vilamesch e tiveram que lutar por sua existência durante um ano. Primeiramente, no fim de janeiro, ocorreram exóticos fenômenos psiônicos, que com toda probabilidade foram originados da deflagração Paratau em ESTARTU e que destruíram o campo de bloqueio. Argyris avisa que estranhas espaçonaves dirigem-se para Vilamesch desde vários anos atrás. Pela sua descrição, Tifflor imagina serem elas unidades hauris. Argyris também diz que, há alguns meses, todo um braço espiral da galáxia Vilamesch desapareceu repentinamente, contendo cerca de cinco milhões de massas solares.
Tifflor descobre que estes prodígios cósmicos continuam ocorrendo no esquema de poder de ESTARTU.

Nesta época os querionen emitem um chamado a todos os Corredores das Teias, convocando-os para uma reunião de avaliação da situação. Waringer suspeita que Perry Rhodan esteja em Tarkan.

Em busca de novas informações junto a Dorifer, Atlan descobre que Gesil abandonou Sabhal com destino a um local desconhecido. Durante seu voo para Dorifer, Atlan encontra-se com um mensageiro dos Cosmocratas, que o alerta sobre a “Horda dos Seis Últimos Dias”.

Em março, no Tarkanium, domina o caos. No KLOTZ ocorrem atos de sabotagem, e Bao at Tarkan tem grandes dificuldades para controlar a situação. Subitamente o KLOTZ acelera e toma curso para a nuvem escura que é a sede de ESTARTU.

A bordo do KLOTZ a situação torna-se crítica, e torna-se claro que um hauri assumiu o comando da nave com Torren. Ele celebra um pacto com os singuva, estabelecendo que estes ajudarão os hauris na transferência de massas solares para o universo Tarkan – em troca, os hauris ajudarão os singuva a manterem-se no poder.

Os galáticos começam a ir embora do reino de ESTARTU, no qual Ijarkor, Stalker e os Corredores das Teias começam a construir uma nova ordem. Quinhentas mil naves dos Vironautas, em companhia de Bull, Kotschistowa, Tschubai, Lloyd, Eirene, Gucky e Waringer retornam à Via Láctea. Contudo, Roi Danton, Ronald Tekener, Jennifer Thyron e Saedelaere permanecem em ESTARTU.

No meio de fevereiro Rhodan procura desvendar os mistérios de Tarkan. Os hauris instalaram um emissor de distorção de sinais para confundir as instalações de hipertransmissão dos kartanin. Através do Projeto Anklam, os kartanin planejam transmitir várias partes de Hangay ao universo normal.
Em Anklam, Rhodan toma conhecimento de uma organização composta por 22 povos, que conduz o Projeto Meekorah. Porém ele precisa fugir da armadilha dos profetas do Hexameron. Quando ele chega a uma importante base dos hauris e os ajuda a remover este perigo, ele ganha a confiança dos kartanin e vennok que ali trabalham. Apesar de suas advertências, a construção do transmissor de Anklam é concluída. Os hauris atacam e provocam grande destruição nas estações emissoras. Importantes construções são danificadas, e como consequência a transferência das partes da galáxia Hangay de um universo para o outro, o que Anklam já estava preparado para realizar, sofre uma interrupção.

Neste meio tempo, Rhodan consegue dois companheiros de viagem: um attavenno chamado Beodu, que é incomodado por estranhos sonhos, e um exótico robô chamado Jordan. Este robô juatafu é fonte de uma grande surpresa, pois ele fala sothalk, a língua utilizada no esquema de poder de ESTARTU. Na espaçonave de Jordan, Rhodan encontra o símbolo de ESTARTU.

Pouco tempo depois Rhodan e seus companheiros são presos pelos hauris, que tentam persuadi-los com meios psiônicos a adotarem a doutrina do Hexameron. Quando espaçonaves dos kartanin afugentam os hauris, a situação normaliza-se novamente. Rhodan espanta-se ao descobrir que também Beodu é um robô, e que o chama de “senhor”. Seu objetivo primário é encontrar pistas da superinteligência ESTARTU. Sobre suas ligações com ESTARTU, o robô juatafu responde: “Nós somos muitos apesar de um só”. Rhodan o acompanha ao planeta Tuyon, onde vive o povo de astrólogos dos benguels. Eles esperam pelo “Tempo da Maturidade”, mas Rhodan não encontra nenhuma pista de ESTARTU ali.

Enquanto estava em Benguel com o robô juatafu, o sonho de Beodu torna-se real. Os dois diferentes seres parecem morrer, enquanto queima um grande fogo luminoso. Depois disso, tanto o benguel como o robô retornam às suas funções vitais mais primitivas, e sua inteligência retrocede.

Unidades dos kartanin surgem no sistema dos benguels e levam Rhodan ao sistema Anklam novamente. Ali ele descobre que em 2 de abril o segundo quarto da galáxia Hangay foi transferido.

Durante seu voo de regresso de ESTARTU para a Via Láctea, Atlan estabelece contato mental com Ellert e toma conhecimento do sacrifício de Jen Salik, que foi absorvido pelo Domo Kesdschan e perdeu seu corpo. Em 10 de abril de 447 NCG a frota de naves-vírus chega à Via Láctea.

Algum tempo depois Peregrin surge novamente e diz que “Aquilo” apoia a “Missão Tarkan”. Para este objetivo, “Aquilo” reforça a substância de 500.000 naves-vírus.

Em julho, Ratber Tostan e Posy Poos tentam explorar as partes de Hangay já transferidas para o universo normal. A teoria de Tostan confirma-se: o choque “Strangeness” desta passagem foi consideravelmente menor que o de sua primeira passagem involuntária, o que confirma que ele adquiriu resistência a ela. Lá Tostan encontra-se com o kartanin Man-Gro, que ele já conhecia de sua primeira estada em Tarkan e que chamava-se então “Tigre Rei”. Tostan descobre por Man-Gro que a transferência da terceira parte da galáxia Hangay deveria ter ocorrido em 4 de agosto, mas que devido a motivos desconhecidos isto não foi possível. A próxima data provável é 30 de novembro. Com esta informação, Tostan retorna no fim de agosto novamente para PORTA-X, o ponto de observação e reunião localizado fora da barreira “Strangeness” da galáxia Hangay.

Em M-33 ocorrem duros momentos para o Clã dos Iniciados, quando o Paratau perde suas propriedades em virtude da deflagração no Tarkanium e com isso altera o valor da constante psi de Dorifer.

Uma frota sob o comando de Atlan e Anson Argyris conquista uma base hauri em Sringal IV. Fazendo maiores pesquisas, eles descobrem e atacam uma estação hauri no planeta Manhã de Setembro II. Gucky e Nicki Frickel tomam conhecimento de uma incrível informação: os hauris são transferidores de matéria, possuindo a capacidade de transferir matéria do universo normal para Tarkan em contrapartida à transferência das partes de Hangay para o universo normal. Por duas vezes isto já ocorreu, pois um braço espiral da galáxia Vilamesch e quatro aglomerados estelares da galáxia Absantha-Gom já foram transportados para Tarkan. Agora os hauris planejam uma ação maior, que transferirá toda a galáxia M-33 para Tarkan quando ocorrer a transferência da terceira parte de Hangay.

No sistema Anklam, surgem incontáveis espaçonaves dos benguels com robôs juatafu, que dizem estar em busca de seu Imago: logo depois Rhodan descobre ser ele próprio este Imago. Contudo, ele não sabe o significado disto. Rhodan sai do sistema Anklam e segue para o sistema Charif, onde deve estar o mundo natal dos kartanin. Em sua viagem, ele encontra quatro aglomerados estelares conhecidos, pois pertenciam às orlas da galáxia Absantha-Gom. Um outro sonho de Beodu torna-se real, quando Rhodan acha uma estação gorim deserta, que foi abandonada há muito tempo. Nesta estação ele encontra o símbolo de ESTARTU.

Dois dias depois, Rhodan chega ao sistema Charif, cujo segundo planeta Vinau é o mundo natal dos kartanin. O primeiro planeta chama-se Nansar e é, para a surpresa de Rhodan, o mundo natal dos nakken. Nansar tem uma pequena lua – Anansar – que é um pequeno buraco negro.

A frota dos benguels e dos juatafus chega pouco depois também ao sistema Vinau, seguindo seu Imago. Beodu desaparece subitamente, Rhodan segue sua pista e chega a Nansar. Lá ele descobre que os nakken há poucos anos alteraram a irradiação do buraco negro de Anansar. Para continuar sua missão, vários nakken jovens foram para outro lugar, chamado de Nachod as Qoor ou Buraco da Eternidade.

Quatro de agosto, o prazo final para a transferência da terceira parte de Hangay, aproxima-se. Rhodan finalmente encontra Beodu, que foi raptado por um nakk em missão para os hauris. Quando Rhodan finalmente chega à base secreta dos hauris em Nansar, sobra ao comandante dos hauris somente a fuga. Rhodan e Beodu seguem os fugitivos com a cápsula Dorifer e desconfiam que eles estejam retornando para seu mundo natal. A suspeita de Rhodan confirma-se quando poucos dias depois eles chegam ao sistema Ushalla, um sol duplo com mais de 60 planetas circundantes. O oitavo planeta do sistema, Talluur, revela-se como o mundo natal dos hauris. Em Eperum, um mundo vizinho de Talluur, há representantes de muitos povos que desejam servir ao Hexameron, e que são levados até ali pelos hauris. Rhodan descobre que o sistema Ushalla também tem a missão de transferir matéria do universo normal para Tarkan.

Rhodan finalmente chega a Talluur, onde encontra-se o líder da polícia secreta hauri. Quando a situação torna-se mais precária, surge uma frota espacial dos benguels e dos juatafus sobre Talluur. Para evitar um conflito e a destruição de suas preciosas instalações, os hauris permitem a Rhodan abandonar o planeta.

Rhodan retorna com a LEDA ao sistema Anklam, para retardar junto aos kartanin a transferência da terceira parte de Hangay.

Uma frota benguel e juatafu voa ao sistema Ushalla e ataca o mundo secreto Cheobad, que parece ser o mundo principal da transferência de matéria entre os universos. Quando uma nave benguel é destruída no fogo de defesa hauri, ela libera uma onda de choque psiônica. Rhodan, que havia pousado em Cheobad, é atingido por esta onda de choque e perde a consciência. Quando ele desperta novamente, ele possui conhecimentos sobre Afu-Metem, o Príncipe do Fogo, um dos seis membros do Hexameron e que surge na forma de diferentes encarnações. Quando Afu-Metem emite um comunicado de rádio, o blefe de Rhodan é descoberto, e ele precisa agora definitivamente fugir do sistema Ushalla.

Nesse meio tempo, no universo normal, Atlan equipou doze espaçonaves com projetores Grigoroff modificados, que devem penetrar em Tarkan. Gucky avisa Atlan por rádio das atividades de transferência de matéria entre os universos. Atlan já sabe das atividades dos hauris e deseja entrar em Tarkan para evitar a transferência de M-33. Em 30 de setembro de 447 NCG a frota inicia sua viagem. Durante a passagem para Tarkan a matéria virótica que cobria as espaçonaves desgasta-se completamente e amortece o choque “Strangeness”. Em 15 de outubro a pequena frota chega ao universo Tarkan e voa ao sistema Anklam. Atlan descobre que Rhodan realmente esteve em Tarkan nas últimas semanas e que agora deve estar na galáxia Hangay. Nesta época chega um enviado da autoridade conhecedora central no sistema Anklam. Ela traz novas instruções para os kartanin e também fala com Atlan. Ele aconselha o arcônida a evitar o avanço direto ao sistema Ushalla, pois, após os acontecimentos das últimas semanas, o sistema transformou-se numa fortaleza praticamente inexpugnável. Atlan voa então ao sistema Zapurush, onde ele consegue obter importantes informações. Atlan encontra transferidores de matéria em Paghal, o 22º planeta, e voa ao 59º planeta, Zerenghaa, onde há pistas do passado.

O pólo sul deste planeta gelado é uma zona proibida, porém com um blefe eles conseguem aproximar-se da “Prova da Vitória”, uma gigantesca cratera com 55.000 anos de idade. Eles descobrem que naquele local ESTARTU foi vencido por Heptamer há muito tempo. Contudo, eles duvidam que ESTARTU tenha sido destruído ali.

Os calendários já registram o dia 23 de novembro de 447 NCG – falta menos de uma semana para a transferência da terceira parte da galáxia Hangay.

Atlan e Iruna von Bass-Thet estão desde 11 de novembro em Paghal, onde as plantas deste mundo selvático mostram ser uma ameaça mortal. Primeiramente através da ação do “Sonho Zero” Iruna consegue neutralizar uma arma dos hauris. Em 24 de novembro Tostan leva uma nova equipe para Paghal.

Nesta época Afu-Metem está na área de domínio de Heptamer, mas retorna assim que toma conhecimento de estranhos acontecimentos em Paghal.

Um comando em Paghal consegue na manhã de 30 de novembro destruir os transferidores de matéria e fugir pelo transmissor no último segundo.

Afu-Metem ameaça Atlan através de um comunicado de rádio. Rhodan está à procura de Nachod as Qoor, e lá o Príncipe do Fogo demonstra a ambos o poder do Hexameron.

No Grupo Local, começa o mês de outubro de 447 NCG. Os dados trazidos por Anson Argyris de sua última missão dizem que os transferidores de matéria podem ser encontrados no aglomerado estelar Marty-5, localizado na periferia da galáxia M-33. Reginald Bull parte com sua nova nave CIMARRON à procura do planeta Ashkalu, o local onde estão os transferidores de matéria. No início de novembro a busca tem sucesso, e no fim de novembro, três semanas após o pouso em Ashkalu, Gucky e seus companheiros conseguem impedir ações terroristas dos transferidores de matéria.

Quando a data de transferência aproxima-se, chega uma espaçonave dos hauris no sistema Ashkalu e comunica que a estação correspondente no universo Tarkan foi destruída. Horas depois ela destrói o planeta Ashkalu.

Apenas poucas espaçonaves dos hauris conseguem fugir. Bull as deixa ir e chega assim aos setores externos da galáxia Hangay, cuja terceira parte materializou-se sob condições normais. Os terranos descobrem uma falha espácio-temporal, que parece ser estabilizada artificialmente. Nesta falha Bull descobre um sistema solar no qual está sendo construída uma estação espacial chamada “Ur amm Taloq”, denominada Urian pelos terranos. Gucky descobre através do comandante hauri que esta estação deve se tornar um grande transferidor de matéria, com o objetivo de transferir grandes galáxias para Tarkan. Utilizando um blefe eles conseguem penetrar com espaçonaves na falha, atacar a estação e voltar ao espaço livre novamente, contudo a estação Urian sofre somente danos mínimos.

Bull deseja avançar rapidamente para Tarkan para avisar Rhodan e Atlan sobre a estação Urian, pois suspeita que em Tarkan exista uma estação correspondente. O retorno ao ponto de reunião PORTA-X precisa contudo esperar, pois Oogh at Tarkan envia o “Sinal da Conclusão”. Os terranos voam ao planeta Wailiki, e lá Bull testemunha acontecimentos que merecem reflexão: espaçonaves dos benguels e dos robôs juatafu pousam em Wailiki, e quando também pousam unidades dos vennok, os orgânicos benguel e os robóticos juatafu entram num colapso em série; eles cometem “Suicídio Dual”. Uma voz mental anuncia-se e comunica que não se pode unir se as partes não estão próximas. Bull e seus companheiros voam definitivamente com a BASE para PORTA-X.

No início de janeiro de 448 NCG a CIMARRON é equipada com um projetor Grigoroff modificado. Pouco antes da partida Eirene vai a bordo da nave, para acompanhar o voo para Tarkan.

Enquanto a CIMARRON prepara-se para partir para o universo Tarkan, a SORONG de Nicki Frickel parte com destino a Hangay, para procurar ali bases dos hauris.

A CIMARRON, com a tripulação em sono profundo, penetra em Tarkan, e sofre danos mínimos pelo “Strangeness”. Em 10 de janeiro a CIMARRON chega ao sistema do mundo principal para a quarta parte da galáxia Hangay. Rhodan está em busca contínua pelo Nachod as Qoor. Ele perde muitas semanas e encontra-se muitas vezes perto da morte, até que ele reaja aos acontecimentos. Primeiramente na manhã de 30 de novembro de 447 NCG ele consegue abandonar com sua cápsula Dorifer a terceira parte de Hangay, antes que ela fosse transferida ao universo normal.

Nesta oportunidade o sistema localizador da cápsula descobre onde se encontra o Nachod as Qoor – a 250.000 anos-luz do plano principal de Hangay. A LEDA voa para esta região, e lá Rhodan descobre a inacreditável verdade: o Nachod as Qoor não é um buraco negro particularmente massivo, mas sim um Cosmonucleotídeo como Dorifer. Em 4 de dezembro Rhodan chega a uma estação assemelhada com o portal de Dorifer. Ali ele encontra-se também com um robô juatafu. Quando Rhodan penetra no Nachod as Qoor com a LEDA, ele conhece a “Verdade Absoluta”: o “Buraco da Eternidade” é idêntico a Dorifer. LEDA consegue obter alguns psiqs, e Rhodan observa várias fases do passado. Assim ele se torna testemunha de como Heptamer aumentou a constante gravitacional de Tarkan há dois milhões de anos atrás para acelerar seu colapso. Ele vê igualmente como Heptamer venceu ESTARTU há 55.000 anos no planeta Zerenghaa. Os dois superseres apresentam-se na forma de aglomerados energéticos nebulosos.

Quando ele finalmente consegue abandonar Dorifer ou Nachod as Qoor em 3 de janeiro de 448 NCG, ele torna-se prisioneiro do Príncipe do Fogo Afu-Metem. Ele revela várias informações a Rhodan, e assim ele fica sabendo que o Hexameron é uma organização de fortes e crentes e consiste de três Príncipes da Força, portadores do nome “Metem”, e três Príncipes da Crença, que chamam-se de “Letel”. Os Príncipes da Força são o Príncipe do Fogo, o Príncipe da Tempestade e o Príncipe das Marés, e entre os Príncipes da Crença estão o Príncipe da Pureza, o Príncipe dos Dogmas e o Príncipe da Louvação. O papel exercido por cada um na hierarquia de Heptamer não é esclarecido por Afu-Metem, mas Heptamer parece ser semelhante a uma superinteligência.

Antes, por acaso, Rhodan descobre que Atlan penetrou no universo Tarkan e que já fez contato com Afu-Metem. Reginald Bull encontra-se neste meio tempo com Atlan, que pouco antes havia descoberto o transferidor de matéria Borj amm Droar, que é a peça correspondente a Urian neste universo. Atlan descobre que Rhodan está preso a bordo de uma das espaçonaves estacionadas nas proximidades de Nachod as Qoor.

No universo normal um comando chefiado por Galbraith Deighton consegue destruir a estação Urian com ajuda das naves Tsunami.

Nicki Frickel recebe uma misteriosa mensagem em código kartanin e ele voa então a um mundo oculto. Lá ele encontra-se com os robôs Toto Duga e o exótico ser Hirdal, que lhe conta a história dos robôs:

Quando ESTARTU encontrava-se em grande perigo devido à luta com Heptamer no planeta Zerenghaa, ele preparou do pó deste mundo 500 robôs, os Toto Duga, que receberam dele a missão de defender sua herança. Os Toto Duga, também chamados de juatafus, deixam Zerenghaa sem serem percebidos pelo poder do Hexameron. Eles abrigam-se sob a superfície do planeta Ushini, onde fabricam quatro bilhões de Toto Duga em fábricas e estaleiros, que dividem a herança de ESTARTU. Eles encontraram o povo dos benguels, e a herança dividiu-se também para quatro bilhões destes seres.

Durante o processo denominado de fusão dual, através do qual os juatafus e benguels entram em colapso como mortos, surge uma nova parte de ESTARTU. Também Hirdal surge desta maneira, pela fusão dual de milhares de juatafus e benguels.

No fim de fevereiro de 448 NCG aproxima-se a frota unida dos benguels e juatafus, seguidos pelo exército expedicionário galático e a CIMARRON, do último quarto de Hangay, que deve ser transferido brevemente para o universo normal.

Afu-Metem provoca no sistema Dao-Ban uma tempestade de fogo. Energia térmica é liberada dos setores espaciais próximos e da região central, provocando a falha dos propulsores lineares e metagrav. O objetivo de Afu-Metem é impedir a união dos benguels e dos juatafus. Porém Rhodan e Atlan conseguem conduzir a tempestade de fogo para outro lugar, e assim o Príncipe do Fogo entra no campo de ação de sua própria arma e morre.

Em 28 de fevereiro de 448 NCG o gigantesco projeto dos kansahariyya, sob a direção dos kartanin, é concluído, e o último quarto da galáxia Hangay materializa-se no universo normal. Com isso, todas as naves terranas que se encontravam em Tarkan, em companhia de Perry Rhodan, retornam ao universo normal. A partir deste momento, Hangay passa a fazer parte do Grupo Local de Galáxias, estando próxima à Via Láctea e à nebulosa de Andrômeda.

No planeta Narna, ocorre uma grande reunião de robôs, e os fragmentos da consciência de ESTARTU, que estavam armazenados nos benguels e nos juatafus, formam pela fusão dual uma nova manifestação da superinteligência. Uma figura semelhante a uma filigrana – uma gigantesca versão de Hirdal – eleva-se ao céu de Narna e dá mais detalhes sobre a história de ESTARTU:

ESTARTU não atendeu ao pedido de ajuda dos kansahariyya apenas por compaixão pelos 22 povos da coalizão. Ele sabia que a natureza colocou os universos agrupados no hiperespaço, formando os chamados clusters. Tarkan e o universo normal pertencem ao mesmo cluster, e o que acontece em Tarkan pode influenciar completamente também o universo normal.

Quando ESTARTU chegou a Tarkan, ele forneceu aos kartanin a organização para o “Projeto Meekorah”, que deveria defender a galáxia Hangay da “morte quente” pela completa transferência para o universo normal. Porém os poderosos de Tarkan opuseram-se a este projeto, que retardaram com a ação dos “Seis Últimos Dias”. Durante a luta com Heptamer, ESTARTU precisou transferir sua consciência para robôs, que defenderam sua herança. Dos fragmentos de consciência dos Toto Duga e dos benguels originam-se os blocos duais de longa duração – formações de estrutura pentadimensional e altamente móveis – que como autoridade conhecedora central dos kansahariyya apoiou a condução do “Projeto Meekorah”.

Uma vez ESTARTU informou “Aquilo” que no futuro, antes de seu renascimento, seria necessário um líder para conduzir os benguels e juatafus pelo caminho correto. Através de uma modulação especial de seus ativadores recebem então Rhodan e Atlan o papel de Imago, para levarem à união dos dois povos.

Após a materialização completa de Hangay e a nova formação de ESTARTU, a superinteligência retorna para seu esquema de poder.

Uma das espaçonaves da frota Tarkan é enviada ao ponto de reunião PORTA-X para avisar dos acontecimentos em Narna.

Quando então as espaçonaves dos terranos, entre elas a SORONG, tomam a rota para a pátria, surgem as primeiras falhas estruturais, que atravessam rapidamente o espaço em ondas e de cuja periculosidade os homens somente podem especular, com base na agitação do cosmos. Dorifer parece ser o responsável.

Muitas perguntas dos últimos meses permanecem não respondidas: os nakken não parecem mais interessados nos acontecimentos atuais, pois seu pensamento estende-se a outros níveis da realidade, que não são acessíveis aos homens.

Contudo, ninguém sabe que nesta época TAUREC está manipulando Dorifer para transformar “Aquilo” numa fonte de matéria. Ele espera, com isso, poder retornar ao domínio dos Cosmocratas. Porém, a transferência de Hangay provoca uma grande agitação no encaixe espácio temporal, o que leva ao colapso de Dorifer e à frustração do plano de TAUREC.

Sem saber que as ondas de choque preparam uma grande surpresa, a frota Tarkan aproxima-se do setor externo de Hangay e também do ponto de reunião PORTA-X...

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 1400 a 1499 – Período da história: 1143 a 1147 NCG (4730 a 4734)
Data de publicação na Alemanha: 1988 a 1990
Começou a ser traduzido no Brasil pelo ProjTrad em 2014


A transferência de Hangay cria um campo de estase que aprisiona a frota na qual Perry Rhodan e seus companheiros voltavam de Tarkan. Quando o campo desaparece os calendários registram o ano 1143 NCG, e a situação na Via Láctea havia alterado-se completamente. Com a ajuda de ciborgues de uma galáxia distante, os cantaros, o misterioso tirano Monos subjugou a Via Láctea e isolou-a do restante do universo através de uma barreira impenetrável. Perry Rhodan toma conhecimento da rede das Estradas Estelares Negras e finalmente consegue libertar a galáxia escravizada com a ajuda do grupo de resistência ÁRIES e dos novos livre-mercadores.



Formação Tarkan

A formação Tarkan está no voo de regresso para a Via Láctea. Depois da entrada do último distrito de Hangay no universo normal, a Força Expedicionária dos Galácticos é desviada do curso por abalos estruturais, e as cápsulas DORIFER são perdidas. Os galácticos pousam no mundo Chattu no sistema Masharta no halo de Hangay para adquirir dados astronômicos. Ao avaliar a mitologia dos khorras, descendentes dos hauris, habitantes do planeta, e os dados presentes, os galácticos chegam à conclusão de que a sua frota ficou presa por 695 anos em um campo de estase. (PR 1400)

A formação Tarkan voa em março de 1143 NCG para o setor espacial PORTA-X, ponto de encontro previamente acordado com a BASE. Uma vez que não há nenhuma evidencia para os retornados, Perry Rhodan decide mandar as naves em uma pesquisa dentro de um cubo de 500 anos-luz. A CASSIOPEIA encontra uma nave kartanin, que imediatamente inicia um voo de fuga. Em perseguição a nave um gigantesco cemitério de naves espaciais é descoberto, a maioria dos quais acaba por ser a BASE descentralizada. Através de caçadores de escravos do império Sashoy obtêm-se informações sobre o mundo Bugaklis no sistema Sandra. Quando os galácticos exploram o planeta, eles encontram descendentes da tripulação da BASE. Estes mantêm o “registro de bordo”, que mostra a história dos descendentes. Após fortes abalos estruturais o tubo Hamiller perdeu a razão e havia iniciado em 10 de Março de 448 NCG a descentralização da BASE. Sob o comando de Sandra Bougeaklis, partem em uma nave da classe THEBEM/PHARAO, na direção de Hangay, no entanto, foram atacados por hauris e caíram sobre Bugaklis. O tubo Hamiller é levado a bordo da CIMARRON e Covar Inguard da estirpe dos filhos da Terra se junta aos galácticos. A MONOCEROS fica estacionada para proteger no campo de destroços os fragmentos da BASE. Durante os meses seguintes, operações dos kartanins do povo Karaponidens podem ser observadas no campo de destroços. (PR1401 a PR1403 e PR1428)

A TS-CORDOBA voa para as estações espaciais. A Estação MIDWAY está destruída, na Estação LOOKOUT eles encontram maahks, que tomam os galácticos como hauris. Com um comando, eles podem encontrar o traje de combate vazio de Icho Tolot. A TS-CORDOBA, posteriormente, vai para o ponto de encontro: o Mundo dos Cem Sóis. Lá o restante da formação Tarkan entra em contato com os gurrados, que agora estão gerindo o planeta desde a retirada do Plasma Central. Os gurrados também tomam os galácticos como inimigos hauris. Uma expedição secreta pode contactar alguns willys das esteiras. Eles relatam que os pos-bis, instigados por Icho Tolot, saíram em busca do desaparecido Perry Rhodan, que no resto do grupo local foi considerado morto, e que o plasma central tinha emigrado para Andrômeda. Em uníssono maahks e gurrados relatam rumores de que não haveria nenhuma esperança na Via láctea. (PR 1404, PR 1405)

Barreira de Cronopulsos

A formação Tarkan tenta voar para a Via láctea. Uma barreira que causa loucura, tanto nas tripulações quanto nas sintrônicas, impede isso. Uma ligação de rádio do Eremita de Satrang adverte contra a entrada na Via láctea e oferece ajuda a todos os astronautas. Em Satrang acaba-se descobrindo que o eremita é Geoffry Abel Waringer. O cientista criou no mundo de oxigênio um sanatório para os astronautas afetados pela Barreira que simultaneamente funciona como pesquisa intensiva da Barreira de Cronopulsos. Uma sombria e desconhecida nave fantasma parte, o terrano tem o ativador celular roubado pouco antes da chegada da formação Tarkan. Waringer morre, e grande parte de sua pesquisa é perdida devido a um sistema de autodestruição em Satrang. (PR 1406, PR 1407)

Ao pesquisar a Barreira de Cronopulsos, um enclave é descoberto e denominado de Baía Hera; no mesmo encontra-se o Sistema Hera. O enclave foi criado há 600 anos por pessoas desconhecidas que estavam procurando encontrar uma maneira de atravessar a Barreira. Ao chegar no enclave, a TS-CORDOBA tenta atravessar a barreira sob a proteção do campo AAT. A tentativa falha, e a nave com Ratber Tostan e Posy Poos a bordo é destruída. (PR 1413, PR 1414).

Para obter informações, a formação Tarkan se divide ao longo do caminho. Fênix-1 e definido como ponto de encontro. Em maio de 1143 NCG a PERSEU descobriu um pedaço da NARGA SANT no buraco negro de Siragusa. Kartanins degenerados vivem a bordo. A espaçonave de grande porte tinha chegado de Cata-vento para levar ajuda aos galácticos. Quando ela foi impedida pela Barreira de Cronopulsos de entrar na Via láctea, eles tentaram usar o buraco negro como via de transporte. Isso quebrou a nave em cinco partes, quatro das quais caíram no buraco negro. A CIMARRON voa ao mesmo tempo para M30, a fim de contactar os porleyters. Estes saíram de Nova Moragan-Pordh e se mudaram para o sistema Borea. Perry Rhodan tem seu pedido de ajuda negado porque os porleyters cessaram seu pacto com o Galacticum. Depois da partida de Rhodan, o sistema desaparece do espaço normal. (PR 1408, PR 1409)

A SORONG voa para o mundo de livre comércio Ayshran-Ho, na Grande Nuvem de Magalhães. Entretanto, o acesso às informações revela-se difícil. Mais tarde, com a ajuda da CIMARRON, eles obtêm informações sobre o paradeiro de Icho Tolot, o que leva aos Pilares do Passado. Além disso, Rhodan obtêm informações sobre as atividades do capitão Ahab, o Stalker. Embora ele provavelmente esteja atuando como um pirata nas Nuvens de Magalhães, ele tentou durante as guerras há cerca de 650 anos, convencer os gurrados a ajudarem os galácticos. Um intruso tinha ocupado a Via Láctea, e agora quer levantar uma barreira em torno da galáxia. Os gurrados rejeitam qualquer ajuda. Ahab fica mais tarde, após um ataque fracassado, em uma nave inapta a voar no espaço interestelar. (PR 1410 – PR 1412)

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 1500 a 1599 – Período da história: 1169 a 1174 NCG (4756 a 4761)
Data de publicação na Alemanha: 1990 a 1992
Começou a ser traduzido no Brasil pelo ProjTrad em 2017


Para a surpresa de todos, AQUILO exige que os imortais lhe devolvam seus ativadores celulares. O novo povo escolhido por ele para receber a dádiva da imortalidade relativa são os linguides, cujos pacificadores conseguem influenciar outros seres através de suas palavras. Contudo a radiação de seus novos ativadores transforma os pacificadores em tiranos inescrupulosos. Quando AQUILO está a ponto de transformar-se num Sorvedouro de Matéria, resta a Perry Rhodan e seus companheiros pouco tempo para salvar não somente a Via Láctea como também eles próprios.



c1500 posterChamado da imortalidade

Após o fim de Monos, durante os próximos 20 anos, os terranos ligados à rede Simusense na Terra cautelosamente voltam à realidade. Ao mesmo tempo, na Via Láctea ocorre uma reconstrução liderada pelo Galacticum, no qual Árcon se transforma em novo fator de poder junto com a LTL, em particular com apoio maciço de Atlan. Com isso, inúmeros arcônidas gostariam de ver portadores de ativador celular no comando do novo reino arcônida, conhecido como Segundo ou Novo Império Arcônida. Em setembro de 1169 NCG, o nakk Willom aparece na Terra com Eirene, que agora se chama Idinyphe. Também chegam Ernst Ellert, Alaska Saedelaere e Testare que ainda estavam à procura das Crônicas de Amringhar. Em 30 de setembro de 1169 NCG, Homunk, o mensageiro da superinteligência AQUILO, efetua o “chamado da imortalidade”: todos os portadores de ativador celular devem se reunir em Peregrino, para entregar seus ativadores, pois o prazo de 20.000 anos expirou. Com a EIDOLON, eles voam para Peregrino, onde AQUILO se refere ao suposto caos no Grupo Local e toma os ativadores, mas, ao mesmo tempo, lhes concede uma última ducha celular.

No Eastside da Via Láctea, o pacificador linguide Aramus Shaenor consegue, exclusivamente com a força de suas palavras, resolver um conflito geral no setor Simban, surgido entre blues gerados in vitro e in vivo. A pedido de Rhodan, Fellmer Lloyd e Ras Tschubai investigam o sistema Jergelen, que agradece ao linguide em nome do governo do reino blue Tentra. Os mutantes são informados por Eirene sobre a mensagem de AQUILO, mas pouco depois perdem a consciência por vários dias, devido a uma teleportação com um linguide. Após seu despertar em 15 de outubro, seus ativadores celulares se tornaram inoperantes, de modo que morrem pouco depois.


Os pacificadores

Os linguides, originários de Lingora, no sistema Teshaar, vivem em uma sociedade fechada, liderada pelos pacificadores; fora isso, não seguem nenhuma hierarquia. Os pacificadores mais importantes atualmente são Dorina Vaccer, Balasar Imkord e Aramus Shaenor. Como temem consequências fatais para seu povo se aderirem ao Galacticum, os pacificadores são hostis a ele. Em dezembro de 1169 NCG, Perry Rhodan chega com alguns companheiros ao sistema Jergelen. Em Compol, os galácticos descobrem o kima linguide, que parece ser outro termo para alma. Mas este kima é perdido quando se usam transmissores, propulsores de transição e coisas afins. Por conseguinte, os linguides também não podem utilizar estes métodos de locomoção. Linguides sem kima sofrem uma mutação ao longo do tempo e se transformam em monstros, que são internados em uma ilha em Teffon.

Os linguides possuem um conceito de realidades diferentes, todas oriundas da realidade absoluta, que inclui todos os fenômenos e influências externas que conformam a existência do Universo e se estendem até a realidade de cada pessoa. Por meio do desvio dos termos da realidade individual, a realidade subjetiva pode ser manipulada, sendo esta a verdadeira essência da capacidade dos pacificadores.

Per-E-Kit, um representante dos kontidenses, surgem no panorama galáctico. Ele convence Gesil a ir com ele, porque supostamente possui informações sobre seu sequestrador. O contratante de Per-E-Kit não é outro senão Stalker, que se manteve principalmente em Estartu durante a era de Monos. Ele também alega que o sequestrador de Gesil foi o governante da galáxia Truillau. Gesil e ele partem na nave-concha SHARN-Y-YAAK para Truillau, onde tentam localizar, com a ajuda dos rebeldes de Per-E-Kit, o “guardião de Truillau”.

Na Via Láctea, Perry Rhodan lida com vários problemas: por um lado, fica cada vez mais evidente que os nakks apresentam um interesse especial em AQUILO. Por isso, eles se uniram e formam uma sociedade secreta e roubaram alguns ativadores celulares para estabilizar AQUILO com a sua força. Por outro lado, alimentada pelos tópsidas, o Galacticum propõe um novo zoneamento da Galáxia. Em particular, conduzidos por Atlan, seu novo imperador designado, os arcônidas tentam ocupar o vácuo de poder. Eles deslocam os tópsidas de um planeta e lhes oferecem como compensação um mundo no sistema Cueleman, mas que já foi prometido para os linguides. Os linguides negociam com os tópsidas, reforçando ainda mais a desconfiança de Atlan em relação aos pacificadores.

Em nível técnico, por sua vez, são desenvolvidos vários projetos: o dueto sinergístico, auxiliado por seu filho, Myles Kantor, invade NATHAN e descobre que AQUILO viu um grande perigo se aproximar de sua concentração de poder e, por isso, causou também a descentralização da BASE. Perry Rhodan e alguns ajudantes colocam a rede de controle dos cantaros sob seu controle. Surge o Sistema de Posicionamento Galáctico (SISPOG), uma rede de monitoramento em toda a Galáxia, usada principalmente para a busca por AQUILO. Quando os primeiros traços são encontrados, Sato Ambush rapidamente consegue enviar Perry Rhodan para Peregrino. À sua pergunta sobre os ativadores celulares, ele recebe como resposta que aqueles destinados a receberem os ativadores ainda não nasceram. Obviamente parece que AQUILO está vivendo no momento em que o povo arcônida recebeu o prazo de 20.000 anos.

O entendimento com os nakks melhora lentamente, o que é devido, entre outros a Idinyphe, que gradualmente parece até mesmo se transformar em um nakk.

Os investigadores de AQUILO (Alaska Saedelaere, Ernst Ellert e Testare) chegam a Fornalha. Na base da Liga Hanseática, eles conhecem Siela Correl, provavelmente filha de Reginald Bull e Vanity Fair. Ela consegue se comunicar com os nocturni e, assim, evita que a base sofra um dano maior. O Sábio de Fornalha não pode fornecer as coordenadas de Amringhar aos investigadores, mas se oferece para levá-los até lá. Mas apenas Ellert e Testare seguem para lá, pois Saedelaere e Siela Correl partem com a espaçonave MÃE em direção a Estartu.

Enquanto isso surgem mais evidências de AQUILO na Via Láctea, fazendo os imortais suporem que a superinteligência quer entrar em contato com eles, mas não consegue. Dao-Lin-H’ay e Ronald Tekener finalmente descobrem que Homunk está reunido com os pacificadores linguides. Também o triunvirato dos pequeninos, composto por Gucky, Beodu e Salaam Siin, encontra pistas: um fragmento do observatório de Peregrino e um revólver Colt Peacemaker. Este emite impulsos psíquicos, fazendo as criaturas ao seu redor usá-lo para praticar roleta russa. Embora Beodu seja imune a esses impulsos, ele morre em um acidente quando dispara em si mesmo.

Em forte contraste, Myles Kantor deve ser morto. Os patrocinadores do assassinato pertencem ao grupo Outubro 69, que quer uma Galáxia não sujeita à tutela dos imortais, mas reforçada pelas obras de AQUILO. Mas a tentativa é apenas parcialmente bem-sucedida: as duas pernas de Myles Kantor são aniquiladas e, a partir de então, ele só consegue se mover com seu kantormóvel, uma cadeira de rodas de alta tecnologia.

Mas o cientista não se deixa abalar e continua a investigação em busca de AQUILO e das coordenadas de Peregrino. Ele sofre concorrência dos nakks e do grupo Outubro 69, que continuam a sabotar seu trabalho. Espantado, ele descobre que o ponto focal da órbita de Peregrino é Teshaar, o sistema dos linguides. Os imortais pousam em Peregrino e encontram Ernst Ellert, que já foi incorporado por AQUILO. Este os avisa para não penetrarem ainda mais no planeta artificial.

Os antigos portadores de ativador ignoram este aviso; mas em breve são capturados por Ellert, que envelheceu um ano desde que irrompeu de AQUILO para alertar seus companheiros. Diante de seus olhos, ele envelhece e finalmente morre. Com isso, eles concluem que também devem ter envelhecido um ano e agora têm apenas mais alguns anos de vida; finalmente deixam Peregrino, que se desmaterializa. Em seu lugar, surgem catorze naves linguides, que seguem em direção aos mundos natais de cada um dos pacificadores. Cada um deles recebe um ativador celular ligado ao seu arbusto-kima. Os linguides são, portanto, o novo povo auxiliar escolhido por AQUILO.

Seguindo o conselho de Stalker, Perry Rhodan prepara uma expedição para Estartu. A bordo da ROBIN sempre ocorrem incidentes misteriosos, cujo autor repetidamente se suspeita ser Stalker. Mas ele “apenas” tenta fazer a tripulação lutar entre si. Finalmente ficam expostos a um planeta, de onde mais tarde serão recolhidos por Dao-Lin-H’ay. Entretanto, Stalker rapta a HARMONIA com Salaam Siin, que mais tarde se tornará seu companheiro voluntário.

Enquanto isso, com o auxílio das recentemente recuperadas Portas Transmissoras, a ROBIN voa mais rápido do que o esperado até Estartu. No Jardim de ESTARTU, finalmente Ronald Tekener, Dao-Lin-H’ay, Salaam Siin e a tripulação da ROBIN se reúnem novamente e testemunham Stalker ser absorvido por ESTARTU. Seu verdadeiro papel de enviado da superinteligência durante a ausência de AQUILO de sua concentração de poder é explicada por ESTARTU. Ela esclarece para os galácticos que a solução do problema de AQUILO reside nos ativadores celulares. Como isto já é sabido pelos nakks, começa uma corrida para a galáxia nativa.

Enquanto isso, Gesil está em cativeiro em Truillau e é levada para bordo da nave residência CASSADEGA. Embora ela tenha repetidos contatos mentais com o misterioso Guardião, ele a faz esperar por vários meses. Como servo, ela recebe Voltago, um assustador clone cibernético. Somente quando Idinyphe também chega a bordo da CASSADEGA, o Guardião se apresenta como o cosmocrata Taurec. Ele tinha mandado sequestrar Gesil, a encarnação de uma cosmocrata, e clonado Monos a partir de seus genes, mas este ficou fora de controle. Taurec finalmente vai, junto com Gesil e Eirene, para além das fontes de matéria e deixa este mundo. Voltago é deixado como um presente para Perry Rhodan.

Em Árcon, os cientistas encontram uma evidência de que os linguides descendem de arcônidas e tefrodenses. Por meio de vários registros, cujos proprietários temporários geralmente morrem em circunstâncias violentas, Atlan reconhece a ligação com os Senhores das Galáxias e a busca de Crest pela vida eterna.

Reginald Bull e Icho Tolot participam de uma expedição a Andrômeda, pois lá foram observadas anomalias temporais. Quando Myles Kantor, em seguida, calcula uma nova órbita de Peregrino que também atravessa Andrômeda, ele vai com Perry Rhodan e Atlan para a galáxia vizinha. Lá eles encontram mais evidências de que AQUILO manipula os gradientes de realidade da realidade atual. Por fim, Peregrino materializa e eles testemunham AQUILO entregar os ativadores celulares para o cientista tefrodense Nermo Dhelim, mas estes são roubados por Mirona Thetin, que posteriormente será o Fator I dos Senhores das Galáxias. Assim, é solucionado o mistério sobre a origem dos Senhores das Galáxias.

Nota: Como essa visão veio durante a confusão de AQUILO, esta versão é considerada improvável.

Na Via Láctea nativa, os pacificadores tentam fazer justiça ao seu papel de novo povo auxiliar da superinteligência, e compram espaçonaves, plantas industriais, mas também armas, da Liga Hanseática Cósmica. Então Michael Rhodan decide voltar ao seu antigo papel de Roi Danton, para tentar obter a confiança do pacificador Cebu Jandavari. Entre outras coisas, ele é declaradamente contra os superpesados, que os pacificadores acabaram de recrutar como força policial. Ele também testemunha a destruição do arbusto-kima do linguide Adonor Cyrfant, que descobriu pinturas rupestres antigas, onde pode ser vista a queda de espaçonaves. Os sobreviventes arcônidas e tefrodenses se agarram firmemente ao galho de uma árvore. Este ramo foi o precursor do arbusto-kima dos linguides. Cyrfant percebe que o kima é uma cadeia falsa, uma associação ilegal de conceitos cujas posições são inflexíveis.

Os linguides também se assustam com o aumento da violência, que não regride e causa até mesmo a destruição de planetas inteiros. Por causa disso, Hagea Scoffy, Alaresa Anceott e Nonari Vojerina, três pacificadoras sem ativador celular, ficam contra o triunvirato linguide, formado por Dorina Vaccer, Aramus Shaenor e Balasar Imkord, trazendo à luz suas maquinações e intrigas. Enquanto Dorina Vaccer vai para uma inspeção, seu ativador celular é tomado e ela reconhece as relações entre o arbusto-kima e a história antiga dos linguides, Aramus Shaenor e Balasar Imkord agarram firmemente o poder e a perseguem. A líder dos superpesados, Paylaczer os depõe, junto com três outros líderes linguides, e arrebata seus ativadores celulares.

Icho Tolot consegue desafiá-la para um duelo e a derrota. Os linguides restantes devolvem livremente seus ativadores celulares para os terranos, envelhecem imediatamente um ano e meio, tempo em que usaram os dispositivos, e lentamente recuperam sua clareza mental.

No Sistema Solar, chegam a BASE e a ROBIN. Elas informam Rhodan que Taurec, Gesil e Eirene estão além das fontes de matéria. Mas vão além disso, dizendo que a confusão da superinteligência foi devida à manipulação de Taurec, que tentou acelerar a transformação de AQUILO em uma fonte de matéria, para poder, deste modo, alcançar mais rapidamente o local além das fontes de matéria. Em conjunto com o Choque de DORIFER, isso teve consequências fatais. Sobre isso, Rhodan, Tolot, Voltago e Paunaro podem se convencer por si mesmo ao voar para DORIFER com a nave de Paunaro, a TARFALA, onde presenciam futuros potenciais.

Após seu retorno, Peregrino materializa no Sistema Solar, mas rodeado por uma espécie de película temporal. Ele está realmente cerca de 20.000 anos no futuro. A tentativa de entrega dos ativadores celulares falha, porque AQUILO não entra em contato. Apenas Paunaro consegue penetrar no campo defensivo do mundo discoide. Pouco depois, ocorrem catorze detonações no hiperespaço. Os ativadores celulares obviamente foram destruídos. Na Terra, os antigos portadores de ativador mostram os primeiros sinais de envelhecimento e ficam à espera de um sinal de AQUILO.

E realmente Ernst Ellert aparece com a mensagem de que Rhodan e Atlan poderiam seguir até Peregrino, selecionando e levando outros treze candidatos à imortalidade. Além dos antigos portadores de ativador, Rhodan seleciona Dao-Lin-H’ay, Lingam Tennar, Myles Kantor, Sato Ambush e Nikki Frickel.

Para surpresa de todos, AQUILO diz a Rhodan que ele havia escolhido errado três pessoas dos novos candidatos a portador de ativador celular e já tinha selecionado outro imortal: um ser humanoide que aparenta não saber onde esta e o que está acontecendo, sendo chamado por Ambush de Ennox1, que age de forma muito estranha não os respeitando e os insultando, como se fosse um adolescente rebelde, e desaparece imediatamente após a entrega do ativador, sem ter ouvido até o fim a piada dos cogumelos na floresta que estava sendo contada por Bull… Gucky ao receber seu chip ativador recebe a missão de encontrar dois portadores de ativador, que já nasceram e que devem receber seus ativadores em 25 anos. Além dos dez antigos portadores de ativador (inclusive Atlan e Rhodan), Myles Kantor, Dao-Lin-H’ay e Paunaro recebem os novos chips ativadores, que agora são usados sob a pele do ombro. A superinteligência também dá para o cientista as suas pernas e sopra nele uma espécie de marca de nascença na forma de uma galáxia espiral. Outro ativador vai para Paunaro que, diferentemente de todos os outros nakks azuis da Galáxia, não é absorvido pela superinteligência.

Em suma, são os seguintes os portadores de ativadores chips: Perry Rhodan, Atlan, Reginald Bull, Gucky, Icho Tolot, Homer G. Adams, Michael Rhodan, Myles Kantor, Paunaro, Alaska Saedelaere, Julian Tifflor, Ronald Tekener, Dao-Lin-H’ay e Ennox.

Com o fim dos problemas com AQUILO, os linguides retornam ao seu pequeno império estelar e os superpesados são banidos da Via Láctea por duzentos anos, devido ao seu abuso.

1 Nota do revisor: O termo Ennox é uma abreviação para nomear uma entidade Néscio de zero X, o que significa entidade cujo nome eu não sei de origem ou meio desconhecido ou uma entidade sem nome de origem desconhecida.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 1600 a 1649 – Período da história: 1200 a 1202 NCG (4787 a 4789)
Data de publicação na Alemanha: 1992 a 1993
Ciclo ainda inédito no Brasil


Experiências hiperfísicas dos arcoana na galáxia Aamelonga, situada a 13 milhões de anos-luz de distância, criam primeiramente no Sistema Solar e depois no aglomerado estelar esférico M-13 as Zonas da Morte, que tornam inoperante qualquer tipo de hipertecnologia. Incontáveis mundos habitados são atirados ao caos, e apenas através da ajuda dos curiosos ennox torna-se possível o contato com o restante da galáxia. Após o fim da crise o ennox Philip informa Rhodan da existência do “Grande Enigma Cósmico”, e para solucioná-lo os galácticos preparam uma expedição para o Grande Vazio, situado a 225 milhões de anos-luz da Via Láctea, no aglomerado galáctico Cabeleira de Berenice.



Desde os dramáticos acontecimentos com a confusa superinteligência “Aquilo” passou-se exatamente um quarto de século. Os efeitos dessa crise são sentidos em quase toda parte, e os arcônidas têm diante de si uma dura tarefa, tendo como mérito do arcônida Atlan a criação do GAFIF. Esse "Grupo Arcônida Pesquisador para Inovação e Desenvolvimento", dirigido por Yart Fulgen, é uma organização secreta nos moldes da antiga USO.

Todos os portadores de ativadores celulares do Sistema Solar celebram o réveillon de 1199 NCG com Perry Rhodan em Terrânia. Durante o “show laser” que marca a passagem de ano, Gucky relata que teve uma visão, que suspeita ser da superinteligência. Em fevereiro de 1199 NCG ele teve uma experiência semelhante em Cuelemaz, e a partir daí ele acredita ser uma pista que o conduzirá aos últimos ilts no setor Yolschor. Ainda no dia de ano novo ele parte com Alaska Saedelaere a bordo do space-jet GECKO para seguir essa vaga pista.

Primeiramente Reginald Bull e Julian Tifflor retornaram em outubro de 1199 NCG de uma importante expedição distante. Em 3 de outubro de 1189 NCG eles foram com as espaçonaves CIMARRON e PERSEUS assim que o primeiro protótipo de uma nova série de construção de naves espaciais distantes, a FORNAX, retornou de uma expedição originalmente calculada de cinco anos cujo objetivo eram as galáxias do Grupo Fornax, distantes exatos 70 milhões de anos-luz do Grupo Local. Os objetivos principais eram as galáxias NGC 1398, NGC 1399 e NGC 1316, pois suspeitam que esse setor é o ponto de um grande Cosmonucleotídeo, denominado Fornax-A.

Na oportunidade também devem medir uma parte do setor Eridanus. Através de 22 milhões de anos-luz, chegam à galáxia NGC 1400, sua primeira importante estação, pois lá já estão fora da esfera de influência do Cosmonucleotídeo Dorifer!

Eles permanecem nas orlas e também esperam encontrar outras superinteligências, porém este não era o objetivo principal da missão.

Já prontos novamente, nada indica a existência de incidentes, que poderiam suspender a missão de cinco anos. Primeiramente em fim de agosto de 1190 NCG a expedição alcança a galáxia anã Rumpelstilz, situada na região de NGC 1400 – e encontra ali seres humanos. Em Ofen, os descendentes de terranos explicam que chegaram ali em 350 NCG com a intenção de estabelecer um escritório hanseático e voltar à Terra em seguida, porém após tudo pronto resolveram ficar. Eles dizem a Bull que estão próximos da espécie predominante em NGC 1400, os aracnoformes aracnóides, com os quais possuem relações pacíficas. Os aracnóides parecem ter um elevado nível técnico, porém os colonizadores de Ofen não querem que a expedição entre em contato com eles.

Forçosamente Bull e Tifflor dirigem a expedição para NGC 1398, e finalmente eles têm um êxito. No território de NGC 1316 eles descobrem um Cosmonucleotídeo de cuja existência já desconfiavam.

Durante o voo de regresso para a Via Láctea anos mais tarde eles retornam a Ofen, porém a colônia foi devastada e eles não encontram nenhum sobrevivente.

Eles acham somente a sepultura de um aracnoide e levam seus restos mortais a bordo. Eles vão à galáxia NGC 1400, uma galáxia espiral com somente 10.000 anos-luz de diâmetro. Apesar da busca intensiva não acham nenhuma pista dos aracnoides, e surpreendem-se com o elevado número de supernovas. A expedição acha finalmente 73 supernovas, sendo que a maioria tem talvez 40 anos de idade. Eles supõem que em torno dos sóis havia um antigo império aracnoide. Em diferentes locais acham também bastões emissores com as misteriosas esferas brilhantes de som. Novamente eles acham um sol gigante vermelho, com aspecto de pertencer igualmente ao império dos aracnoides. Em um cinturão de asteroides desse sistema solar eles localizam uma estação com o último dos aracnoides, porém ele se suicida pulando para fora, antes que eles pudessem contactá-lo. Quando cansam de esperar por resultados começam o voo de regresso de quatro meses para a Via Láctea. Durante o voo de regresso examinam cautelosamente os artefatos, que os aracnoides precisaram por 20 milhões de anos e novamente em 10 milhões de anos antes do radiar da inteligência. Desde cerca de 500.000 anos eles foram então os senhores de sua galáxia.

Em 31 de outubro de 1199 NCG a expedição volta finalmente à Terra. Os artefatos vão ao centro de pesquisa Titan de Myles Kantor, o cientista-chefe terrano, para serem examinados cuidadosamente.

Sato Ambush, que manteve-se consideravelmente afastado do domínio público nos últimos anos, amargura-se com a proximidade da divisão dos novos ativadores celulares, que não considera serem para si. Ele é visto constantemente com o nakk Paunaro, e não é claro para todos onde ambos estão.

Contudo também Perry Rhodan manteve-se ativo nos últimos anos, apesar de sua recusa em aceitar um cargo oficial. No ano 1187 NCG ele foi com a ODIN para uma viagem distante, cujo primeiro objetivo era a galáxia Truillau. O trecho de transmissores de ESTARTU em direção à Via Láctea naquela altura já havia sido ampliado, e ele obteve aprovação para utilizar a estrada de transmissores, o que reduziu consideravelmente o tempo de viagem. Em Truillau novamente os terranos não são bem-vindos e fogem quando ocorrem exacerbadas lutas pelo poder entre os diversos povos, mas os terranos percebem os ganhos que podem ter com o fim da escravidão nessa galáxia. O próximo objetivo da ODIN, alcançado relativamente rápido através da estrada de transmissores, foram as doze galáxias de ESTARTU. Ali a acolhida foi amigável, porém é recusada uma visita a Etustar, a residência da superinteligência ESTARTU. Rhodan não consegue informações sobre o destino de Stalker, e além disso o ophaler Salaam Siin não o encontra.

A ODIN ajusta seu vôo para seu verdadeiro objetivo, a galáxia Norgan-Tur. Em Khrat ele encontra Kesdschan e o Hathor Tengri Lethos-Terakdschan, assim que Jen Salik surge na forma de projeção corporal. Ele fica sabendo dos dois, que ligam-se a ele como a aura de um Cavaleiro das Profundezas, que não poderia fazer aquilo durante o tempo em que viveu. Lethos parte com Rhodan e isso não tem para ele nenhuma consequência por parte dos Cosmocratas.

Rhodan relata a ambos os acontecimentos dos últimos anos bem como as maquinações de TAUREC, porém ambos não podem ajudá-lo, pois está além de seus interesses. Porém Lethos faz uma explanação profética, cujo sentido somente se torna conhecido muito mais tarde:

"Como sempre aconteceu, ele conduz a todos para a solução de um grande enigma cósmico. Ele coloca um segredo não-resolvido no universo, até aqui despedaçado e com isso a organização da resposta para a Terceira Pergunta Fundamental está muito próxima".

Jen Salik também completa que as últimas providências de “Aquilo” têm um profundo sentido.

Poucos dias mais tarde a ODIN inicia o voo de regresso para a Via Láctea.

Nas últimas semanas do ano 1199 NCG ocorrem alguns acontecimentos que têm ligação de alguma forma com o hiperespaço. Aparelhos apresentam problemas ou não funcionam como deveriam. Todos esses acontecimentos são considerados de pouca importância, porém o nexialista Boris Siankow apresenta a tese de que todos esses acontecimentos têm como causa o exame dos artefatos dos aracnoides em Titan. Porém ninguém, nem mesmo o próprio Myles Kantor, acredita nele, pois dizem-lhe que são apenas inofensivas aranhas. A exploração do legado dos últimos aracnoides do sistema do sol gigante vermelho traz novos conhecimentos. Conforme os aracnoides foram tornando-se pacíficos após um período de expansão, surgiu uma estranha raça humanoide que os aniquilou quase que completamente. O último sobrevivente vivia discretamente, até que um grupo de terranos que foi a Ofen o descobriu. O aracnoide era de opinião que esses homens pertenciam ao mesmo povo humanoide que extinguiu seu povo e começou sua campanha de vingança, sacrificando toda a população de Ofen.

Nos primeiros dias do ano 1200 NCG o clone Voltago esboça inesperadamente reações novamente, após ficar imóvel desde os decisivos dias do ano 1174 NCG no bangalô de Rhodan.

Em 7 de janeiro noticia Roi Danton, aliás Michael Rhodan, seu rápido retorno para a Terra, após ficar por vários anos no império dos linguiden.

Ocorrem mais experimentos com a desconhecida técnica dos aracnoides, porém paralelamente a isso ocorrem estranhas perturbações no hiperespaço. Estrelas brilham bruxuleantes e parecem estar prontas a apagar-se, e Rhodan recorda-se da velha profecia de que todas as estrelas se extinguirão quando o último Cavaleiro das Profundezas morrer.

Na noite de 9 de janeiro fracassa um experimento com a técnica dos aracnoides. Perry Rhodan começa em 10 de janeiro às 05h00 horas com a ODIN a observação dos estranhos hiperfenômenos no Universo, porém às 05h33min ocorre a catástrofe sobre eles. De um momento para o outro a ODIN cai do hiperespaço, e todos os aparelhos que trabalham com técnica pentadimensional não funcionam mais. Na Terra ocorre o caos.

De um segundo para o outro a técnica terrana involui profundamente: aparelhos sintrônicos não funcionam mais, bem como poços antigravitacionais, hiperrádio ou qualquer outra forma de técnica hiperorientada. Voos com mecanismos ultraluz são impossíveis, transmissores não funcionam mais. Mesmo Nathan, já há muitos anos com grande base sintrônica, não funciona. Como consequência disso não há mais sobre a Terra nenhum controle climático, e grassam catástrofes naturais. Porém apesar de todos os problemas eles tentam obter algum controle em meio à catástrofe. O provimento de bilhões de terranos com alimento e energia deve prevalecer sobre outras prioridades, e seguramente todos passarão por grandes privações. Aquilo dura semanas, até que no Sistema Solar a situação se consolide. Antiga técnica positrônica é retirada dos museus, para tentar estabelecer uma razoável ordem.

As primeiras medições do fenômeno indicam inacreditáveis resultados. A velocidade da luz, uma das maiores constantes naturais, teve seu valor normal diminuído em torno de nove metros. Isto é realmente um valor irrisório, porém ele tem seguramente grande influência sobre a natureza porque incontáveis outras constantes naturais são baseadas na velocidade da luz. Medições mais precisas ainda são impossíveis. Bull, Tifflor e Kantor tentam coordenar as medidas de ajuda.

A origem da Lentidão-Hiperespaço ou Hiperespaço-Parese (termo grego para “lentidão”), como eles prontamente nomeiam o estranho fenômeno, não pode ser averiguada, pois eles não sabem se somente o Sistema Solar foi afetado ou se maiores regiões da Via Láctea também foram. Boris Siankow, que nesse meio tempo já era levado a sério, torna-se um importante auxiliar de Myles Kantor. No fim de janeiro de 1200 NCG eles têm novamente a situação sob controle, e esperam poder tentar descobrir as origens do fenômeno.

Em fevereiro de 1200 NCG o space-jet GECKO aproxima-se com Alaska Saedelaere e Gucky do ponto no qual Gucky suspeita haver uma pista de seus companheiros desaparecidos. A última vez foi no ano 412 NCG, onde no planeta Mystery estavam os últimos 150 ilts nas mãos de um inescrupuloso saltador. Depois que perdeu sua pista, Mystery foi abandonado.

Em Tramp II, um mundo deserto no setor Yolschor, Alaska Saedelaere, que antes era um cético quanto à busca, se informa melhor. Em uma fita magnética deixada por colonos terranos que estabeleceram uma colônia ali por um curto tempo, eles acham indicações que levam à suspeita de Gucky de que haviam ilts em Tramp II. Gucky acredita que a superinteligência “Aquilo” esteja por trás desse indício.

Novamente em espaço livre, eles assumem posição de espera, e enquanto Gucky reflete, “Aquilo” comunica-se novamente. Eles não conseguem se comunicar com a Terra, porém os tripulantes da GECKO não têm tempo para se ocupar com isso.

Atlan observa a emersão das Zonas da Morte, quando já está no alcance de influência do Hiperespaço-Parese Jimmerin, o asteroide sem atmosfera na região de M-13 que é a central da GAFIF. Dias depois ele já está em Olimpo agrupando forças, porque o antigo mundo dos livre mercadores localiza-se em relativa proximidade das Zonas da Morte mas sem ser afetado por elas. Galors é abatido, pois Nathan não é mais a unidade de coordenação central. Demoradas medições indicam que a Zona da Morte tem formato esférico e diâmetro aproximado de 10.000 anos-luz. Após essas medições, ainda não se sabe se essas atividades hostis são apenas um fenômeno natural. Icho Tolot tem sua chegada anunciada, enquanto Homer G Adams, que estava no setor Norte da Via Láctea, encontra-se provavelmente em alguma parte das Zonas da Morte. Ainda não há nenhum sinal de Sato Ambush, que estava a caminho junto com o nakk Paunaro a bordo da Tarfala em alguma parte da Via Láctea Ronald Tekener e Dao-Lin-H’ay estão há anos ativos em M-13 e Hangay.

Maiores medições revelam novas sensações. A Zona da Morte não é estacionária, ela move-se irregularmente numa média de dois anos-luz por dia na direção do setor Oeste da Via Láctea. Através desse movimento a Zona da Morte empurra o Sistema Solar ao longo do tempo no centro do Hiperespaço-Parese. Todavia, a redução da velocidade da luz tem vigência também fora da Zona da Morte. Ninguém consegue prever o alcance das consequências dessa condição.

Michael Rhodan dirige-se novamente para o setor oriental da Via Láctea, onde passou vários anos no império linguiden, agora insignificante novamente. Seu primeiro objetivo é Rubin, o terceiro planeta do sistema de Roi, porque os quartzos oscilantes que existem em abundância no planeta tornam a Zona da Morte instável. Alguns vingativos antis planejam criar uma situação de tensão, porém a influência da Zona da Morte sobre o hovalgônio leva o plano dos antis a um impasse. Michael Rhodan chega a Rubin acompanhada de Homer G Adams, que com a nave QUEEN LIBERTY quer ajudar um escritório comercial da Organização Hanseática situado neste planeta.

Em fevereiro de 1200 NCG surge no Sistema Solar, surpreendendo a todos, alguém que quase havia caído no esquecimento. Ele é um exótico e gracioso humanoide, que recebeu há 26 anos em Peregrino o nome de Ennox. Philip, como ele se nomeia agora, não é influenciado pelo Hiperespaço-Parese, e ele surge repentinamente com um obscuro companheiro na Terra exigindo de Bull um aparelho que estava disponível em Peregrino durante a entrega dos novos ativadores celulares. Philip declara que, como compensação, ele ajudará os homens a superarem sua imobilidade. Isto não é nenhum problema para seus companheiros chamados para a Terra – mais ennox, como todos dizem prontamente. Sobre seu poderoso modo de movimentação, semelhante a uma teleportação porém baseado em outro princípio, Philip não dá mais nenhuma informação. Os terranos observam que ele não pode transportar nenhuma pessoa consigo, podendo levar somente matéria inanimada que tenha até talvez metade de seu próprio peso corporal. Após longa busca dos extremamente curiosos ennox, eles recebem dos terranos o aparelho procurado, e finalmente os terranos obtém a primeira ajuda.

Registram-se os primeiros dias de março de 1200 NCG quando Ronald Tekener e Dao-Lin-H’ay, os dois bem diversos portadores de ativador celular, chegam a Olimpo. Há mais de vinte anos, no ano 1179 NCG, Dao-Lin-H’ay retornou para Hangay, porque ela tinha esperanças de que nesse caminho conseguisse organizar seus confusos sentimentos. Ronald Tekener acompanhou-a e em Hangay os dois reconhecem seus sentimentos um pelo outro. Em seguida eles agem tanto em Hangay como também em M-33, para cuidar do estabelecimento de relações pacíficas nas duas galáxias, pois para todos os revoltosos vennok foram a causa dos problemas em Hangay. Porém ambos conseguiram finalmente solucionar este problema, bem como aquele existente entre os kartanin de Hangay e os de Pinwheel. Eles tiveram êxito com os dois povos, possuidores de estruturas sociais rígidas, consistindo de matriarcado em Pinwheel e patriarcado em Hangay. Próximo de sua viagem de regresso para a Terra eles conseguem tranquilizar-se, pois há somente um povo kartanin, que contudo anexou os reinos Diadochen no tempo dos Séculos Sombrios quase sem exceção.

Com sua chegada em Olimpo eles informam-se sobre os últimos acontecimentos, que estão em coerência com o surgimento da Zona da Morte. Em suas primeiras cenas públicas, eles não fazem mais nenhum segredo de que sua relação vai além da simples amizade.

Na Terra surgem pouco a pouco mais ennox, chamados por Philip para ajudá-lo. Deste modo, eles conseguem com a ajuda dos ennox contactar a ODIN, que saiu do hiperespaço nas proximidades de Alfa Centauro. Ali seres com mecanismos subluz alcançam somente 75% da velocidade da luz, o que fará com que a chegada a esse sistema dure seis semanas. Digno de nota é o encontro entre Voltago e o ennox Philip. Voltago diz posteriormente que o ennox de certo modo “regressa”. Rhodan desconfia que Voltago sabe mais sobre os ennox do que aparenta saber.

Um cientista do povo dos blues, conhecido por suas experiências perigosas, examina a região da orla da Zona da Morte. Suas medições chegam a um perturbador resultado: conforme seus cálculos indicam, a Zona da Morte é criada artificialmente e tem origem em algum outro ponto do universo.

No início de abril de 1200 NCG surgem em Olimpo cada vez mais ennox, que provocam uma situação caótica com sua penetrante curiosidade. Contudo com a ajuda dos ennox, que não são influenciados pelo Hiperespaço-Parese, os terranos conseguem uma razoável troca de informações entre a Terra, a ODIN – localizada em Alfa Centauro – e Olimpo. Em combinação com Atlan, Perry Rhodan organiza a bordo da ODIN um encontro de Voltago com Ariane, um ennox. O rosto de Voltago aparenta dissolver-se, como todos que estão próximos já podem observar, em fases peculiares de grande esforço. Como resultado imediato, surgem cabeças de seres estranhos, cujas imagens levaram a Voltago a recordação de Ariane. Com os limitados recursos a bordo da Odin ninguém consegue reconhecer os povos estranhos, porém Atlan envia o registro da imagem por registro positrônico. A bordo da ATLÂNTIDA todos esperam que esse registro permita a averiguação de algum povo conhecido, e que essa eventual informação indique de que região do universo os ennox são naturais.

Torna-se mais claro que o movimento exterior dos ennox ocorre através do Movimento Absoluto, o misterioso tipo de movimento do qual os terranos encontraram sinais ao longo dos séculos. De acordo com as declarações de Philip, Atlan suspeita que o período de vida dos ennox deva situar-se entre 350 e 400 anos.

Na metade de abril de 1200 NCG Atlan aguarda com ansiedades novas notícias da Terra, enquanto os ennox penetram maciçamente em Olimpo.

Também no Sistema Solar é grande a quantidade dos ennox já chegados, e no meio de abril sérias avaliações indicam haver quatrocentos dos extremamente indagadores humanoides, que levam à intranquilidade e a caóticas condições. Eles levam ao Sistema Solar os demorados pos-bis, que preocupando-se com o perigo da escassez de seus modernos elementos sintrônicos, desejam afastar-se da Zona da Morte. No fim de abril desaparecem quase de um segundo para o outro todos os ennox do Sistema Solar – seu ponto de encontro parece ser Olimpo.

No entanto, após medições minuciosas confirmarem a natureza artificial da Zona da Morte, Atlan suspeita que os ennox sejam responsáveis pelo seu surgimento. Outros também suspeitam dos ennox por eles terem sido os primeiros a surgirem logo após a aparição da Zona da Morte. Para investigar este assunto, Atlan planeja uma ação especial da GAFIF.

No início de maio de 1200 NCG começa uma conferência em Olimpo, para incentivar todas as divididas forças a discutirem as averiguações relativas à Zona da Morte. Como era de se esperar, as várias centenas de ennox demonstram grande interesse, e com isso a GAFIF, sob o comando de Yart Fulgen, espera revelar mais alguns dos segredos dos obscuros alienígenas.

Philip, o suposto líder dos ennox, descobre por acaso que Rhodan conseguiu, através de Atlan, divulgar uma cópia dos rostos estranhos de Voltago para que sejam feitos maiores estudos. Ele reage a isso com uma ameaça a Atlan, dizendo-lhe que eles não os ajudarão se tentar enganar os ennox novamente.

Em 13 de maio um experimento da GAFIF alcança sensacional êxito. Embora eles não consigam examinar os ennox como queriam, eles conseguem cercá-los com uma manta protetora peculiar. Através de uma ligação remota com um filtro ela altera-se. O corpo dos ennox parece ser quase igual ao dos homens, após a disposição dos órgãos internos ser observada. Porém é descoberto um órgão suplementar, com o tamanho de meio coração, que recebe o nome de “Rede Solar-Psi”. Ao que parece, esse órgão é responsável pelo movimento semelhante a teleportação dos ennox.

Porém os ennox rapidamente tomam ciência dessas experiências. Philip surge perto de Atlan e lhe diz que houve quebra de confiança, estando o trabalho conjunto imediatamente terminado. Antes que ele desapareça novamente, diz o ennox: “Você carrega a culpa de que ele assim deve ir, como ele agora vai”.

Dentro de uma hora todos os ennox desaparecem de Olimpo, como se eles nunca tivessem existido.

No meio-dia de 15 de maio de 1200 NCG os acontecimentos tomam um novo rumo, pois a Zona da Morte começa a pulsar. Seu diâmetro aumenta repentinamente em cerca de mil anos-luz, mas poucas horas mais tarde ela retorna novamente para seu diâmetro anterior. As pulsações fazem com que Olimpo fique por pouco tempo na influência da Zona da Morte. Porém nos últimos minutos de 15 de maio acontece o que quase ninguém teve esperanças de arriscar: a Zona da Morte desaparece definitivamente e não surge novamente, tornando a Terra novamente acessível. Tudo indica que os ennox foram responsáveis pelo surgimento da Zona da Morte. Porém então surge de surpresa um ennox na ATLÂNTIDA e pergunta se os galáticos já o alcançaram. Pouco mais tarde o ennox desaparece sem deixar rastros.

Gucky, Alaska Saedelaere e seu companheiro astronauta do space-jet GECKO exploram depois de alguns dias de inatividade os mundos próximos no setor Yolschor. Inesperadamente surge uma figura feminina a bordo da espaçonave e dá algumas indicações confusas a princípio. Gucky e também os outros estão convencidos de que a superinteligência “Aquilo” está envolvida na busca. A indicação finalmente é interpretada e leva a um setor relativamente pobre de estrelas da nuvem Yolschor, onde há somente sete estrelas. Em um dos poucos planetas existentes eles descobrem uma colônia dos blues, que encontram-se numa situação de risco que ameaça suas vidas. Questionados por Gucky, os blues explicam que há meio ano grande parte dos habitantes foi atacada de loucura. Eles conduziram os doentes para Rabkung, um mundo distante desse setor. No começo de fevereiro eles começam a explorar mais planetas, porém durante um voo ultraluz ocorre um incidente, que termina em um voo de dilatação. As primeiras medições indicam que entretanto registra-se o fim de março de 1200 NCG. Pouco mais tarde eles ouvem a fita magnética achada em Tramp II e descobrem que também lá os colonos foram atacados de loucura, e que pouco puderam fazer para defender-se contra isso.

Quando eles finalmente voam com destino a Rabkung, uma nova medição indica que entretanto registra-se o dia 2 de maio de 1200 NCG, e que com isso eles perderam cerca de três meses durante o involuntário voo de dilatação.

Em Rabkung eles acham uma medoestação provisória dos aras, e também quatro dos antigos colonos de Saira que estiveram antes em Tramp II. No meio de maio a GECKO começa a ir em direção à Terra tendo a bordo os quatro colonos de Saira, debilitados mentalmente, e eles têm esperanças de que eles sejam curados em Mimas, para conseguirem pistas sobre este enigma.

Na Terra e em todos os outros perplexos mundos todos começam a trabalhar para reestabelecer a ordem, após o súbito desaparecimento da Zona da Morte. A ODIN retorna imediatamente para a Terra e Nathan ativa-se novamente, porém a correção dos estragos feitos dura meses. Na mesma época o trabalho é intensificado, no sentido de se chegar a conclusões sobre a natureza da Zona da Morte, cujas medições indicam não ser um fenômeno natural. As primeiras análises demonstram – combinado aos trágicos acontecimentos ligados ao retorno da espaçonave LIATRIS SPICATA – que as alterações de algumas constantes naturais, entre elas a velocidade da luz, mantém-se como antes. Em toda a Via Láctea há rupturas e fraturas na estrutura 5-D, especialmente no aglomerado estelar esférico M-3. Ali parece haver um fenômeno que concentra gigantescas hiperenergias. O centro é chamado de Atrator Hiperdim por Myles Kantor, e esse gigantesco corte no contínuo espácio temporal parece tornar-se cada vez maior.

Ali alguém ajuda os cientistas terranos fornecendo informações suficientes sobre a região, indo logo após procurar a pista do nakk Paunaro e de Sato Ambush, perdidos há muito tempo no caminho da Via Láctea. Icho Tolot e o halutense anão Lingam Tennar revelam estar prontos para ir em busca dos dois desaparecidos. Seu primeiro destino é Akkartil, o mundo-culto dos nakken situado próximo. Em um abismo eles descobrem a abandonada espaçonave de uma estirpe saltadora, que deseja apropriar-se de um vigiado legado dos nakken. Pouco tempo mais tarde os dois halutenses descobrem uma dobra espácio temporal, que torna possível a passagem para um outro universo. Através da dobra espácio temporal oblíqua eles chegam a um estranho planeta e encontram ali ao todo 85 saltadores, que Paunaro deslocou no ano 1196 NCG através da dobra espácio temporal. Eles encontram-se desde então – neste estranho mundo somente poucas semanas se passaram para os saltadores – em constante luta com os insectoides glamartaxers, originários com suas espaçonaves de um outro universo e que estão encalhados no mundo sem nome na dobra espácio temporal. Os dois halutenses ajudam os saltadores a regressar para sua espaçonave e os glamartaxers procuram uma parte sobressalente para sua espaçonave, para também conseguirem regressar ao seu espaço vital. Além disso os dois halutenses acham um dado de Sato Ambush, onde ele revela que a recusa da imortalidade a ele por “Aquilo” o afetou muito, e que, para esquecer, ele juntou-se ao nakk para percorrer seu caminho e para ir ao fundo dos grandes segredos do universo. Seu primeiro objetivo foi próximo a uma região no espaço vazio intergalático fora da periferia ocidental da Via Láctea, a 40.000 anos-luz de distância da Terra. Após alcançar essa área os dois halutenses descobrem também ali uma dobra espácio temporal. Muitas sondas de medição são enviadas à dobra espácio temporal, mas somente uma delas retorna. Depois Sato Ambush gravou uma informação, na qual ele explica que ele e Paunaro encontram-se em perigo e que não podem regressar ao universo normal com seus próprios recursos. Com a HALUTA os dois halutenses penetram então na dobra espácio temporal e conseguem salvar os dois. Paunaro estava escravizado desde a penetração na dobra espácio temporal no ano 1198 NCG por uma entidade espiritual chamada de SINTA. Ele descobre que SINTA deseja utilizar a ponte dimensional para invadir o universo normal e ampliar ali seu poder. SINTA também já tem tropas auxiliares, os maanva, comandados por ele na dobra espácio temporal, e que devem apoiá-lo no seu projeto de construir bastiões. Somente através de uma arriscada missão a HALUTA e a TARFALA conseguem voar através da dobra espácio temporal, pois os maanva, seres inseto semelhantes a centopeias, têm 5.000 naves espaciais foiciformes nas proximidades da passagem. Com o regresso bem-sucedido, Paunaro está livre novamente e pronto para analisar os problemas relativos à Zona da Morte.

Através da pesquisa dos artefatos dos aracnoides em Titan, os terranos descobrem mais sobre estes misteriosos seres. Eles chamavam-se de arcoana, e foram praticamente exterminados devido a conflitos com os chamados riin ou sriin. Os artefatos revelam a sua história:

No passado distante e durante milhares de anos, os aracnoides levaram morte e pilhagem à sua galáxia natal Noheyrasa, deixando um mundo devastado após o outro. Contudo, com o passar do tempo, eles desenvolveram uma alta maturidade espiritual e reconheceram a sua falta de respeito para com a vida e a criação. Desde então o seu trabalho passou a ser a reparação dos danos causados. Eles possuem a capacidade natural de manipular processos pentadimensionais mentalmente, e a utilização deste poder levou à construção de uma civilização altamente desenvolvida. Porém, surgiram inesperadamente os riin, um povo que desejava utilizar as capacidades dos arcoana para a satisfação de sua extrema curiosidade.

Os sensíveis arcoana sofrem um duro golpe com a opressão dos riin, até que eles fingem um suicídio coletivo através da explosão de 73 sóis e fogem para a distante galáxia Aamelonga. Lá, no planeta Dadusharne no sistema Sheokor, eles começam uma nova vida, longe da opressão riin.

Porém os riin, que não são outros senão os próprios ennox, não desistem. Eles seguem a pista dos aracnoides, porém este povo resiste de uma outra forma à investida. Surge o Macciunensor (também conhecido como Andarilho), um aparelho cujas influências impedem o Movimento Absoluto dos ennox. Assim, o problema riin parece estar resolvido para os arcoana.

Na Via Láctea surge uma segunda Zona da Morte, com 5.000 anos-luz de diâmetro e cujo centro localiza-se no sistema Árcon. Os galáticos sob comando de Perry Rhodan conseguem localizar a posição do mundo natal dos ennox, apesar da grande resistência deste misterioso povo.

No planeta Mystery no sistema Enno, os terranos descobrem que os ennox são na realidade seres de energia que assumiram a forma corpórea. Sua capacidade de Movimento Absoluto é permitida pelo Órgão Andarilho (ou Rede Solar-Psi), que tem capacidade para seis ou sete saltos, necessitando ser recarregado em seguida. Este órgão só pode ser recarregado em Mystery. Os ennox, que chamam a si próprios de veego, trabalham num gigantesco modelo do universo em seu mundo natal. No céu noturno do planeta são visíveis constelações desconhecidas, sendo isto uma parte do trabalho de mapeamento de todo o universo.

Durante suas pesquisas, eles descobriram uma região do cosmos na qual o Movimento Absoluto não existe. Este foi o motivo de seus contatos com os arcoana, pois o grande conhecimento possuído por eles em assuntos 5-D parecia ser capaz de resolver este problema.

Na Via Láctea, a situação política começa a deteriorar-se, com o início da expansão do Novo Império de Árcon e as crescentes ações terroristas dos aconenses e de seus grupos terroristas Flecha Azul e Serpente Azul. Yart Fulgen, o chefe dos Comandos Anti-Terror (ATK) da GAFIF, tenta controlar a situação.

Nos últimos meses do ano 1201 NCG mais problemas são resolvidos. O modelo do cosmos construído pelos ennox (também chamados de Cartógrafos do Universo) está ligado à Terceira Pergunta Fundamental. Philip recebe um ativador celular, e os ennox juntam-se aos galáticos.

Também o enigma das duas Zonas da Morte é solucionado. O Hiperespaço-Parese foi provocado pelo trabalho do Macciunensor. Com seu desligamento na galáxia NGC 6503 (Aamelonga), a situação normaliza-se na Via Láctea.

Gucky finalmente encontra os dois seres que devem receber os ativadores celulares reservados por “Aquilo”. Eles são Nadja e Mila Vandemar, duas gêmeas nascidas em 28 de janeiro de 1171 NCG no planeta Zwottertracht, sendo filhas do vincraner Spyke e de Saira Vandemar. Quando Nadja distancia-se mais de um quilômetro de Mila, esta perde o contato com a realidade, e consegue “ver através do espelho”. Elas também são imunes contra qualquer tipo de influência hipnótica.

Em Peregrino, Gucky recebe de Ernst Ellert a informação de que “Aquilo” não está mais em Peregrino, encontrando-se numa importante missão.

Philip diz a Rhodan que no Setor Coma Berenices, situado a grande distância da Via Láctea, localiza-se o Grande Enigma do Universo, que é tão importante quanto a Terceira Pergunta Fundamental.

Perry Rhodan está fascinado com a ideia de começar uma expedição a Coma Berenices, mas não consegue apoio no Galaktikum, devido ao grande custo da reconstrução dos inúmeros mundos afetados pela recente crise. Ele também não tem esperanças de que a Organização Hanseática ou a LFT darão sinal verde para a expedição, que deve ser feita com a BASE como nave portadora. Contudo, na órbita de Olimpo, toda a tripulação da nave se reúne e faz os preparativos para iniciar a viagem. Quase todos os portadores de ativador celular acompanham a expedição. Somente Adams, Tifflor, Tekener e Dao-Lin-H’ay retornam para o Grupo Local.

A partida da BASE é marcada para 1º de agosto de 1202 NCG, e ela deverá ser acompanhada pelas seguintes naves: a FORNAX, a ODIN, a ATLÂNTIDA, as naves halutenses HALUTA, CLERM, TRAYM e FORN, a nave triangular de Paunaro. No fim de julho, o arcoana Colounshaba, para a surpresa de todos, chega ao Sistema Solar e pede para acompanhar a expedição. Também dois Fundadores da Paz dos linguiden vão a bordo da BASE.

Poucos dias antes da partida, o ennox Philip surge e dá a Rhodan as coordenadas de um pulsar localizado no Grande Vazio. A BASE deve estar em suas proximidades no ano 1206 NCG, quando Philip deverá encontrar-se com ela.

No dia determinado para o início da expedição, a BASE parte de Olimpo. O voo deve durar três anos e meio, se não ocorrerem maiores problemas.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 1650 a 1699 – Período da história: 1202 a 1216 NCG (4789 a 4803)
Data de publicação na Alemanha: 1993 a 1994
Ciclo ainda inédito no Brasil


Perry Rhodan vai ao Grande Vazio com a BASE e uma pequena frota. Em suas proximidades ele encontra pistas de um antigo conflito entre forças titânicas. Os galácticos encontram nos estranhos protoplanetas os fusos, que retornam à Via Láctea acompanhado da pequena frota de Perry Rhodan. Devido às experiências dos galácticos, os fusos são despertados e transformam-se em criaturas poderosas e invencíveis, que conquistam o Sistema Solar. Através da ação da guerreira Moira, que a expedição havia encontrado no Grande Vazio, os seres-fuso tomam conhecimento de sua verdadeira origem e retornam ao Grande Vazio. Perry Rhodan segue-os com a BASE.



Com informações do ennox Philip, Perry Rhodan começa uma nova missão: ele organiza em 1202 NCG uma expedição ao Grande Vazio, situado a uma distância de 225 milhões de anos-luz, na formação estelar Coma Berenices. Neste setor há uma área com 150 anos-luz de diâmetro, sem estrelas, chamada de Grande Vazio. Philip assegura a Rhodan que naquele ponto localiza-se um grande enigma cósmico e o convence a fazer esta expedição, pois a distância até Coma Berenices não pode ser vencida pelos meios disponíveis pelos ennox.

O voo da BASE e da frota de galáticos dura três anos e meio, nos quais ocorrem muitos fatos inesperados. Em sua rota os galáticos encontram dez cabeças de ponte (Coma-1 a Coma-10) construídas por robôs andróginos, máquinas auto-reprodutoras com a capacidade de aprendizado. Em fevereiro de 1204 NCG Philip surge de surpresa na BASE e diz a Perry Rhodan para apressar-se. Suas exageradas e dramáticas palavras dão a todos a impressão de que o Grande Vazio esconde um grande perigo.

No fim de maio de 1204 NCG eles chegam à galáxia NGC 4793 e à sua galáxia satélite Queeneroch. Nesta última galáxia havia outrora um povo com a mesma origem dos arcoana, que destruiu grande parte dos mundos ali existentes. Antes da partida desta galáxia ocorre um último incidente. Cerca de 500 tripulantes, entre eles Harold Nyman, o comandante da BASE, retornam de voos de reconhecimento de NGC 4793 e adoecem devido a uma enigmática infecção. 37 galáticos morrem, e nos restantes surge a suspeita de que eles fizeram contato com um poder estranho, que os manipulou de maneira desconhecida. Devido à falta de tempo, Perry Rhodan não pôde ocupar-se mais deste assunto.

Em 14 de janeiro de 1206 NCG eles chegam na região do Grande Vazio, e a BASE estaciona nas proximidades de um pulsar batizado de Bórgia. As primeiras explorações revelam surpreendentes fatos: é evidente que desde dois milhões de anos atrás tem ocorrido uma violenta guerra entre os povos que vivem na região contra um desconhecido e pavoroso inimigo. Estes povos formaram uma aliança chamada Tanxtuunra, que após milhares de anos de desgastantes batalhas conseguiu rechaçar o inimigo. O ponto central dos acontecimentos foram 21 planetas chamados pelo ennox Philip de protoplanetas. Tanto ele como seus companheiros de raça materializaram nestes mundos quando tentaram penetrar no Grande Vazio com a ajuda de seu Movimento Absoluto.

Expedições aos protoplanetas, distribuídos em grande distância na região do Grande Vazio, revelam que cada planeta é uma impossibilidade física. Assim, eles encontram sob o solo de um dos planetas um poço movimentado por mecanismos, que parece ter uma profundidade maior que o diâmetro do próprio protoplanetas. Em Tornister o sol permanece em qualquer ponto do dia no zênite, não importando o posicionamento dos observadores na superfície do planeta. Em Sloughar eles descobrem um campo de ruínas que é tão velho quanto o próprio planeta. Prodígios semelhantes são encontrados em todos os protoplanetas, e, apesar de todo o intenso trabalho científico para elucidá-los, não conseguem ser explicados.

O Gish-Vatachh, formado por grupos que funcionam como juízes, surge subitamente e revela ser um tipo de polícia da Tanxtuunra, há muito inexistente. Esses zelosos vigias dos muitos tabus do passado consideram a entrada nos mundos protoplanetas como um grave crime. Para Perry Rhodan e os galáticos torna-se mês a mês mais difícil suportar os ataques dos grupos e das frotas do Gish-Vatachh.

O cyberclone Voltago e as irmãs espelho Mila e Nadja Vandemar conseguem finalmente descobrir parcialmente o enigma dos protoplanetas. Os 21 planetas estão unidos através de uma complexa rede ultradimensional, que oculta pirâmides prisma (ou fusos). Em quase todos os protoplanetas há um objeto semelhante, e em somente um ele não é encontrado. Contudo, os fusos não estão completos; em cada um falta uma parte de seus 21 segmentos.

Eles encontram os segmentos restantes no mundo escuro Charon. Lá eles também encontram uma misteriosa desconhecida, Moira, que junta-se aos galáticos mas que não revela seus objetivos, permanecendo estes obscuros.

Lentamente, Perry Rhodan leva luz aos fatos do Grande Vazio. Ele descobre que os 21 protoplanetas foram antigamente os portais para uma outra dimensão, da qual o inimigo da Tanxtuunra é originário. Naquela época, a aliança conseguiu fechar os portais e lacrá-los com selos. Desde então domina o receio da possibilidade de um retorno dos inescrupulosos desconhecidos. Este adversário ainda não identificado parece ser realmente muito perigoso, pois até os Cosmocratas enviaram um Cavaleiro das Profundezas para ajudar a Tanxtuunra.

Após o retorno da BASE à Via Láctea em novembro de 1210 NCG os galáticos começam a fazer experiências com os fusos e seus segmentos. Após muitos insucessos, surgem finalmente 14 seres fuso, criaturas artificiais altamente inteligentes, que unem-se em seguida em um invencível grupo e que levam medo e pavor à galáxia. Sem nenhuma consideração, eles procuram informações sobre seu destino, pois eles não sabem o que são realmente, mas não obtém sucesso.
Finalmente Moira consegue subjugar os seres fuso. Com sua espaçonave, a STYX, ela leva o grupo para o Grande Vazio. Também Perry Rhodan prepara uma segunda expedição, e a BASE trilha novamente o caminho para o Grande Vazio. É evidente que as inúmeras perguntas surgidas nos anos passados somente serão respondidas no setor Coma Berenices. Em outubro de 1216 NCG a situação chega a um desfecho provisório. Os seres fuso distribuem-se sobre os protoplanetas e provocam assim uma espécie de ignição planetária coletiva. O lacre dos portais fechados há dois milhões de anos rompe-se. Voltago revela-se como um ser originário de uma das pirâmides prisma. O enigma do 21º fuso, aquele que estava desaparecido, é resolvido. Torna-se claro que TAUREC manipulou o objeto no passado e moldou o cyberclone.

Também Moira revela uma parte de seu segredo. Ela pertence ao povo dos ayindi, que conduziu com a Tanxtuunra uma guerra de milhares de anos contra o ainda desconhecido adversário e que vive no outro lado do universo.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 1700 a 1749 – Período da história: 1216 a 1218 NCG (4803 a 4805)
Data de publicação na Alemanha: 1994 a 1995
Ciclo ainda inédito no Brasil


Nos protoplanetas, situados em volta do Grande Vazio, os seres-fuso abrem uma passagem para o Arresum, o outro lado do nosso universo. No Arresum o povo de Moira, os ayindis, trava desde milhões de anos atrás uma batalha sem esperanças contra o poder cristalino do Abruse, que transforma regiões cada vez maiores do Arresum em desertos sem vida. Cumprindo um plano de “Aquilo”, os portadores de ativador celular, que são os únicos que conseguem penetrar na zona mortal do Abruse, não só destrói o poderoso ser cristalino como também estabelecem as bases para a propagação da vida no Arresum. Marte, que havia sido ocupado por cristais do Abruse, é trocado por Trokan, um planeta vindo do Arresum. Enquanto isso surge na Via Láctea uma caravana comercial dos hamamesch. Esta caravana veio da minigaláxia Hirdobaan para vender na Via Láctea os Artigos Marcados, produtos semelhantes a drogas.



No Grande Vazio, Perry Rhodan reconhece que as maravilhas da criação ainda estão muito longe de serem totalmente compreendidas: Moira diz a ele que o universo consiste de um lado menor e um maior, chamados Arresum e Parresum.

Desta maneira, o mistério do Grande Enigma Cósmico é solucionado: o lado menor do universo, chamado Arresum, opõe-se ao nosso lado, chamado Parresum. Com base numa velha abstração do matemático e astrônomo alemão August Ferdinand Möbius, é descoberta a razão do universo ser formado por grandes aglomerados de galáxias, sendo estas colossais paredes de matéria separadas por gigantescos espaços vazios no meio do cosmos – estes vazios são o caminho para o Arresum, o “outro lado do universo”.

No século XIX, Möbius criou a chamada Fita de Möbius, uma fita de papel enrolada na qual aparentemente há dois lados distintos. Contudo, se alguém passar o dedo por um lado, verá que ele chegará ao ponto de partida do outro lado da folha, contrariando a lógica tradicional. Apesar de simplificado, este exemplo ilustra a união entre Arresum e Parresum – estão sempre separados, mas, ao mesmo tempo, estão unidos. Cada porção de matéria, no nosso universo, possui um vazio correspondente no Arresum, e vice-versa. É no equilíbrio invisível entre Arresum e Parresum que localiza-se a estabilidade gravitacional do universo, procurada há séculos pelos astrônomos.

Ambos os lados estão conectados numa Fita de Möbius, e no Arresum existe um perigo cuja influência destrutiva também ameaça o lado maior do universo, conhecido até aqui pelos terranos como universo normal. Este perigo foi reconhecido pelos Cosmocratas há dois milhões de anos e tanto eles como o complicado plano da superinteligência “Aquilo” (ennox, irmãs espelho, etc) tem por objetivo remover a ameaça.

Perry Rhodan e seus companheiros começam a investigação do Arresum e percebem com espanto que os ayindi são os únicos seres vivos que ainda podem desafiar uma entidade chamada Abruse. Esse Abruse cobre o lado menor do universo com uma radiação mortal que mata qualquer forma de vida que dela se aproxime, ressuscitando esta vida em forma cristalina.

O povo de Moira defende com ardor um último enclave não-cristalino, uma esfera espacial com três milhões de anos-luz de diâmetro ameaçada pela frota de miríades de naves cristalinas. Todos sabem que a derrota definitiva dos ayindi é inevitável, sendo somente uma questão de tempo. Esta luta sem esperanças vem sendo travada desde dois milhões de anos atrás, e durante este tempo o Abruse inexoravelmente tem transformado as regiões habitadas do Arresum numa zona de morte cristalina.

Quando os galáticos demonstram ser imunes à radiação mortal, eles são equipados pelos ayindi com naves raias tecnicamente superiores e empreendem os primeiros avanços na zona árida do Arresum. Em pouco tempo torna-se claro que o Abruse não domina todo o lado menor do universo, somente separa em várias partes a gigantesca área.

Certamente este novo poder, em sua forte pressão expansionista, chegará à região limítrofe entre Arresum e Parresum. Quando esta região limítrofe for rompida, ocorrerá o encontro de ambos os lados do universo – e com um gigantesco colapso, será o fim do cosmos conhecido.

“Aquilo” surge e convida Perry Rhodan a levar os nocturnen, um forma de vida exótica da galáxia Fornax, para o Arresum. Os nocturnen foram os ajudantes do nascimento de “Aquilo”, apesar de ainda ser desconhecida a real importância deste título. Pelo tom da superinteligência, os nocturnen deverão desempenhar um importante papel na luta contra o Abruse.

Também a Via Láctea não ficou impune aos acontecimentos no Arresum. O Sistema Solar, a pátria da Humanidade, é colocada subitamente no centro dos interesses. Entre o planeta Marte e o mundo do Arresum Oosinom no sistema Aariam, a pátria dos ayindi, havia um portal de ligação estável, criado há milhares de anos. Ele foi produto das primeiras tentativas dos ayindi de abandonar seu ameaçado espaço vital e de fugir para o Parresum.

Permanoch von Tanxbeech, um Cavaleiro das Profundezas, atacou o intruso e destruiu Oosinom. Apesar disso, a ligação entre os dois lados do universo nunca foi destruída definitivamente, e assim uma fatalidade começa a ocorrer.

Quando Perry Rhodan defende um grande ataque do Abruse ao sistema Aariam, os destroços de uma nave cristalina destruída chegam a Marte através do portal já mencionado. O planeta cristaliza-se em poucos dias e cria a temida radiação mortal, que em poucos meses também deverá chegar à Terra. Todas as tentativas de resolver este problema fracassam, e a evacuação da Terra é preparada.

Da galáxia Hirdobaan (NGC 4793), situada a 118 milhões de anos-luz de distância, local onde durante a primeira expedição para o Grande Vazio em 1204 NCG alguns galáticos descobriram armadilhas mortais e contraíram uma desconhecida doença infecciosa, chega uma caravana comercial dos hamamesch na Via Láctea. Os hamamesch, seres semelhantes a peixes, oferecem em seus bazares produtos inúteis, que contudo oferecem um irresistível encanto a seus compradores, tornando-os viciados. Desta maneira, é percebida a natureza dos Artigos Marcados (ou artigos com a marca psiônica).

No Arresum, a luta contra o Abruse chega ao seu ponto culminante. Perry Rhodan e alguns dos outros imortais encontram o coração do Abruse, uma nuvem de poeira cristalina que na verdade é o próprio inimigo. Os poderes das irmãs espelho Mila e Nadja Vandemar, aliados à influência dos nocturnen, provocam o fim do Abruse. Sua verdadeira natureza e origem ainda são desconhecidos para todos.

“Aquilo” surge com o planeta artificial Peregrino no Arresum e liberta as 20 bilhões de consciências que ele havia absorvido no tempo de Aphilie. Com novos corpos, estes homens devem formar o embrião de um novo povo no lado menor do universo, que com o tempo ocupará os espaços recém-libertados da radiação mortal.

Antes que os ayindi fechem todos os acessos para o Parresum definitivamente, o planeta Marte, cristalizado, é transferido pelo portal existente no Sistema Solar para o Arresum, sendo substituído pelo mundo arquivo Trokan. Moira despede-se dos galáticos e retorna para seu povo.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 1750 a 1799 – Período da história: 1218 a 1220 NCG (4805 a 4807)
Data de publicação na Alemanha: 1995 a 1996
Ciclo ainda inédito no Brasil


Cerca de quarenta milhões de viciados nos Artigos Marcados voam para Hirdobaan. Perry Rhodan e a BASE chegam a Hirdobaan, vindos do Grande Vazio. Atlan e outros galáticos, viciados pela primeira vez nos Artigos Marcados, tornam-se saltadores de fase e são lançados involuntariamente para o centro da minigaláxia, que é protegido por uma barreira impenetrável. Lá eles descobrem o segredo do cérebro-robô Gomasch Endredde, o responsável pelas caravanas comerciais dos hamamesch. As atividades dos galácticos finalmente despertam o construtor de Gomasch Endredde, o Poderoso Aachtor. Ele voa com sua nave gigante para o Arresum, com o objetivo de espalhar esporos vitais no outro lado do universo.



Na Via Láctea, os hamamesch vendem todo seu estoque de Artigos Marcados e retornam à sua pátria. Antes de sua partida eles contudo informam aos seus clientes que há mais artigos em Hirdobaan, que poderão ser trocados por aparelhos de alta tecnologia dos galácticos.

Cerca de vinte bilhões de galácticos possuem a fascinação semelhante a vício pelas peças, que, na realidade, são totalmente inúteis. Quando no fim de 1218 NCG os artigos perdem seu encanto, aquilo provoca uma arrebatadora e trágica manifestação. Suicídios em massa, ondas de loucura e clínicas lotadas são seus resultados imediatos. Cerca de 40 milhões de viciados partem no meio do ano com gigantescas quantidades de aparelhos de alta tecnologia para Hirdobaan, para lá conseguirem a substituição de seus Artigos Marcados gastos por outros que ainda tenham a marca psiônica. No início do verão de 1220 NCG trinta milhões de galácticos chegam ao seu destino. Logo depois também chega a BASE, que encontrava-se em seu voo de regresso do Grande Vazio para a Via Láctea.

A pequena galáxia Hirdobaan é dividida em oito setores, os chamados octantes. Cada octante possui um príncipe comerciante como chefe. Os hamamesch são proibidos de abandonar o setor onde vivem, embora essa proibição não exista para os outros povos que vivem em Hirdobaan. Estações fronteiriças nos pontos de contato dos octantes são responsáveis pelo intercâmbio de mercadorias. Acima dos príncipes comerciantes há nove maschtaren, que representam um poder oculto. Entretanto, eles ainda não são o topo da hierarquia de poder. Um ser chamado GOMASCH ENDREDDE, cuja verdadeira aparência ou natureza é desconhecida por todos, reina sobre todos e tem objetivos desconhecidos.

O centro de Hirdobaan, com 133 anos-luz de diâmetro, a sede de GOMASCH ENDREDDE, é protegido por um campo de transição, que transporta qualquer nave que o atinja para o outro lado. Os galácticos viciados, que são procurados como Criminosos da Marca, caem como um enxame de gafanhotos na galáxia, porém apesar de todas as buscas não encontram nenhum sinal dos desejados Artigos Marcados.

O desespero leva os viciados a avançarem cada vez mais brutalmente, levando-os a lutar contra os fermyyd, seres semelhantes a panteras. Finalmente o poder oculto também reage: frotas hamamesch surgem e constroem novos bazares. Cada Criminoso da Marca recebe um Artigo Marcado, independentemente do que ele tenha para ofertar. Todos os novos Artigos Marcados se parecem, sem exceção, com um pequeno cubo colorido.

Durante alguns dias os viciados imaginam-se no sétimo céu. Contudo, subitamente, um após o outro desaparece sem deixar pistas. Os únicos remanescentes são os cubos, agora queimados.

Como também alguns imortais expuseram-se à influência dos cubos, como Atlan, Reginald Bull e Ronald Tekener, eles materializam-se inesperadamente no centro de Hirdobaan, que é evidentemente inatingível por meios normais. Eles encontram-se na Área de Endredde, num sistema dividido em quatorze níveis. Cada nível representa um planeta, e todos estão unidos por transmissores, os chamados carrosséis.

Eles percebem que conservam apenas uma marca psiônica e que assim não estavam viciados, e tornam-se saltadores de fase. Após exatamente 13 horas e um minuto eles materializam-se novamente nos locais dos quais eles desapareceram anteriormente, permanecem inconscientes por lá e retornam novamente – conscientes – na Área de Endredde. Esse processo – designado como Oscilação – repete-se sem interrupções. Como fato dificultador, todos percebem que eles somente possuem algum controle do outro lado, ao qual eles foram levados por seu primeiro processo oscilatório.

Em doze dos quatorze mundos da Área há grande agitação (os níveis 13 e 14 ainda não são atingíveis) porque os 30 milhões de galácticos já alcançaram seu destino, certamente por seu processo do salto de fase. Assim eles sucumbem a uma coação sugestiva que os impele a reparar as instalações planetárias, que estão evidentemente defeituosas. Através dos aparelhos de alta tecnologia trazidos da Via Láctea, igualmente materializados na Área, eles começam seu trabalho e ignoram nos dias seguintes tanto regras de higiene quanto as necessidades de sono e alimentação. Torna-se claro que os milhões de involuntários trabalhadores manuais cedo ou tarde deverão morrer de fraqueza.

Com os crypers – rebeldes, descendentes dos hamamesch – Perry Rhodan ganha os primeiros aliados, quando eles demonstram acreditar cegamente na utilização de métodos corretos para atingir seus objetivos. Com a conquista do mundo de conferências Borrengold e a prisão dos oito príncipes comerciantes, eles obtém um primeiro sucesso.

Também os saltadores de fase obtém um êxito. Atlan e Icho Tolot conseguem vencer sua inconsciência durante sua parada fora da Área e informar Perry Rhodan sobre os acontecimentos nos níveis. Em consequência disso, 40 voluntários equipados com armamento pesado são submetidos à influência dos cubos e chegam igualmente na Área de Endredde. Os saltadores de fase possuem agora uma poderosa tropa à disposição.

Rapidamente torna-se claro que o trabalho de reparação dos galácticos mais destrói que conserta. O trabalho transcorre descontrolado e sem direção. Em sua exploração das profundezas dos exóticos níveis, completamente cobertos por aparelhos técnicos, os saltadores de fase encontram um setor absolutamente heterogêneo que, em sua totalidade, parece abrigar um gigantesco organismo. Os homens chamam-no de técnica evolutiva. Mais por ignorância que por curiosidade, eles despertam um ser que chama-se de Tréogen e que visivelmente estava ativo há 2.000 anos atrás na Área de Endredde, antes que fosse vencido pelos lá existentes robôs Opera e trancado por eles em uma bolha fria. Tréogen, uma estranha mistura biológica de diversas espécies, mata muitos saltadores de fase, antes que desapareça e ocupe-se de seus difusos objetivos.

Perry Rhodan descobre entretanto que os galácticos não foram o primeiro povo seduzido para Hirdobaan pelos Artigos Marcados e forçados a trabalhar na Área. Desde séculos atrás isso vêm acontecendo, e os membros dos povos seduzidos para Hirdobaan morrem até o último indivíduo na Área de Endredde. Quando ali a situação corporal dos 30 milhões de galácticos piora dia a dia, os terranos precisam agir.

Em muitas ações arriscadas os saltadores de fase, sob o comando de Atlan, conseguem abrir por dentro o campo em torno da Área; a BASE consegue voar para a Área de Endredde e fornecer a primeira assistência. Ao mesmo tempo, agrava-se a situação em Hirdobaan: os maschtaren são realmente mortos nas lutas, o que provoca um grande ataque dos fermyyd e dos hamamesch sobre o punhado de naves galáticas.

No último minuto surge uma frota de ajuda da Via Láctea: 8.000 espaçonaves blues – estes seres são completamente imunes aos efeitos da marca psiônica – decidem a luta, ajudam seus amigos galácticos e levam a um armistício. Como resultado, ocorre uma compensação entre os grupos de interesse de Hirdobaan, organizada pelos diplomatas do pequeno povo dos sydorriers. Durante isto, os saltadores de fase conhecem a história completa de GOMASCH ENDREDDE: ele é um cérebro robô, cujos criadores há 200.000 anos foram expulsos da galáxia vizinha Queeneroch e fugiram para o centro de Hirdobaan. O robô não lembra-se mais da missão de seus criadores, e no decorrer de dezenas de milhares de anos ele começa a fazer avaliações erradas. Realmente ele consegue utilizar o povo dos hamamesch e outros povos em Hirdobaan como povos auxiliares, contudo surge de uma experiência genética o superser Tréogen. O resultado: GOMASCH ENDREDDE não funciona direito, entrando de certa maneira num “laço” infinito, que somente é terminado quando os galácticos o desligam.

Durante o desligamento ocorre um ponto culminante. GOMASCH ENDREDDE comunica subitamente: "A contagem regressiva está em andamento. Todos os seres vivos devem abandonar os níveis dentro de 28 horas. Do contrário, encontrarão a própria morte". Nesta mensagem é utilizada a mesma língua dos Sete Poderosos, provocando grande especulação entre os terranos. O Tubo Hamiller une-se a GOMASCH ENDREDDE, e os terranos continuam sem saber se no Tubo estava integrado o cérebro do legendário cientista.

Finalmente os quatorze níveis dissolvem-se, em companhia dos níveis evolucionários, e os planetas são completamente destruídos. Felizmente os mais de 30 milhões de galácticos são salvos no último minuto. Eles também conseguem desligar o campo em torno de GOMASCH ENDREDDE.

Os quatorze níveis evolucionários formam uma gigantesca espaçonave de 1.500 quilômetros de diâmetro. AACHTOR, o criador de GOMASCH ENDREDDE, desperta, e Perry Rhodan descobre um grande mosaico do passado: há 220.000 anos AACHTOR começou a construção de uma espaçonave na galáxia Queeneroch, porém ele foi expulso pelos roach, os bárbaros ancestrais dos aracnídeos arcoana, que devastaram todos os planetas da galáxia. Assim AACHTOR não conseguiu realizar sua obra e precisou retirar-se para Hirdobaan, para proteger seu robô gigante GOMASCH ENDREDDE.

AACHTOR revela-se como sendo uma espécie de poderoso, e sua tarefa era a de construir uma nave semeadora, cultivar os quanta On e Noon, chamados de esporos vitais, e espalhá-los em uma região do universo ainda desconhecida. AACHTOR morre quando ele cai numa antiga armadilha dos roach; em seu lugar assume sua tarefa o cyberclone Voltago, o “criado” de Perry Rhodan.

Após a resolução de muitos problemas, tudo chega a uma decisão: no centro de Queeneroch, o carregamento dos esporos vitais da nave semeadora é espalhado.

Após violentas hipertempestades abre-se novamente um portal entre os “dois lados” do universo, e milhares de espaçonaves ayindi voam do Arresum para o Parresum.

Os tripulantes destas naves são humanos, sendo aqueles homens que “Aquilo” havia absorvido e que agora habitam o antigo território do Abruse. Eles se tornam a nova tripulação da nave semeadora, e sua nova missão consiste na propagação da vida pelas partes mortas do universo. E Perry Rhodan conhece finalmente mais detalhes do Grande Enigma Cósmico: já há milhões de anos, os sete poderosos dirigiram-se para o Arresum, porém eles lutaram entre si e não puderam espalhar a semente da vida na parte morta do universo. Pelo contrário: do trabalho de um desses poderosos resultou anti-vida, que após um inacreditável intervalo de tempo desenvolveu-se para o Abruse.

A missão principal de AACHTOR era conter a marcha do Abruse no Arresum, antes que sua atividade na zona limítrofe entre os universos causasse irreparáveis danos a ambos.

Com isso o Grande Enigma Cósmico está solucionado. Em Hirdobaan e Queeneroch uma nova sociedade pode desenvolver-se, e Perry Rhodan voa de volta à Via Láctea.

Nesta época, na Via Láctea, a situação política está caótica. A débil fachada de harmonia e cooperação entre os povos estelares deteriora-se, e todos voltam à antiga rivalidade. As arcônidas, que fundaram um novo império, procuram recuperar seu domínio de outrora. Os saltadores ou comerciantes galácticos, que desde o surgimento da Terra perderam o monopólio comercial da Via Láctea e os antis e aconenses não se esqueceram das derrotas que os terranos lhes infligiram nos últimos séculos. Pequenas nações, como dos lagartóides tópsidas ou dos trombudos unithers também procuram conquistar uma posição vantajosa em relação aos seus poderosos vizinhos.

A LFT, os halutenses, os povos blues, que vivem no setor oriental da Via Láctea, e os pos-bis, os robôs positrônico-biológicos do Mundo dos Cem Sóis, não estão em condição de manter viva a ideia de união entre os povos galácticos. Os Galactic Guardians, uma organização criminosa composta por superpesados e mercenários da era de Monos que haviam sido banidos desde os acontecimentos com os linguiden, utilizam o conflito corrente como uma forma de melhorar seus sinistros negócios.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 1800 a 1875 – Período da história: 1288 a 1289 NCG (4875 a 4876)
Data de publicação na Alemanha: 1996 a 1997
Ciclo ainda inédito no Brasil


No planeta Trokan surge um campo de aceleração temporal que cria em poucos anos a civilização dos herreach. Perry Rhodan, Reginald Bull e Alaska Saedelaere desaparecem misteriosamente em Trokan e chegam até a Ponte no Infinito, um sistema de transporte que leva a várias galáxias distantes. Rhodan e seus companheiros utilizam a Ponte e descobrem a existência da Coalizão de THOREGON, formada por várias raças. Na Via Láctea ocorre à invasão da entidade GOEDDA e de sua raça auxiliar, os tolkanders, que ocupam centenas de planetas e provocam a morte de incontáveis seres vivos.



Situação Politica:

Durante os anos em que o campo de aceleração temporal esteve ativo, as diferenças entre as potências da Via Láctea acentuaram-se. A galáxia está fragmentada politicamente, sem entretanto encontrar-se num estado de guerra. Os arcônidas expandiram o poder de seu Império de Cristal nas últimas décadas, sendo o aglomerado estelar M-13 o centro de um império que engloba de oitocentos a mil planetas – contando-se os mundos sob a influência econômica de Árcon, o número total chega a dez mil mundos. O Império de Cristal é extremamente nacionalista e tem ímpetos expansionistas, o que preocupa Atlan a ponto de levá-lo a lutar contra este Império. Para isto, ele fundou e lidera a organização IPRASA, semelhante à antiga USO. A nave capitânia da IPRASA é a RICO, um dos módulos da gigantesca GILGAMESCH.

A primeira Imperatriz foi Theta von Ariga. Entretanto, quem realmente governa é o Imperador Bostich. O objetivo deles é a completa reconstrução do Antigo Império. Devido à oposição de Atlan aos rumos da política do Império e ao incidente relacionado à morte de Theta von Ariga, Atlan é “persona non grata” no Império já há várias décadas.

A Humanidade une-se em torno da Liga dos Terranos Livres (LFT), composta por 711 sistemas. Contudo, há mais 300 sistemas associados à Liga, entre eles Ertrus, Plofos e Olimpo, que conservam grande parte de sua própria autonomia. O Parlamento localiza-se em Terrânia, e decide sobre o tráfego de naves, direito estelar e direito comercial. Apesar disso, cada parlamento planetário pode desenvolver leis para sua própria região. No âmbito do Sistema Solar, governa o Parlamento Solar. A Primeira Terrana, eleita no ano 1278 NCG, é Paola Daschmagan, e tem 121 anos de idade. Sua personalidade é forte e decidida.

A Organização Comercial Hanseática Cósmica tornou-se um órgão da LFT, com sede em Terrânia. O Porta-Voz Hanseático é um associado do regime político geral.

Além da Primeira Terrana, também há o Comissário da LFT. Enquanto Paola Daschmagan cuida da política interna, Cistolo Khan lida com as crises externas.

A Polícia da Liga Terrana (TLD) é uma polícia secreta altamente organizada, como a antiga Segurança Solar. Sua chefe é a marciana Gia de Moleon, de 130 anos de idade. Apesar dela dever reportar-se à Primeira Terrana, ela na realidade trabalha mais conjuntamente com o Comissário da LFT. O quartel-general da TLD, o chamado Tower, localiza-se no subsolo de Terrânia e é protegido por um campo energético. Apenas poucas pessoas conhecem a real profundidade do Tower, bem como seu real tamanho.

Também há o centro de pesquisas Titan, cujo líder é o hiperfísico Benito Grink, de 123 anos de idade.

A Frota da Liga compõe-se de 16.000 naves de guerra e vigilância. Ela está sob o comando direto do Comissário da LFT, e não está ligada às colônias da Terra. 6.000 delas ficam estacionadas no Sistema Solar. A nave capitânia tem 800 metros de diâmetro e é chamada de PAPERMOON. Existem apenas 60 unidades deste tipo. Também há na frota 240 unidades da classe ODIN, de 500 metros de diâmetro e 700 naves fortemente armadas da nova classe PROTOS, de 200 metros de diâmetro. As 15.000 naves restantes compõem-se de unidades de 100 metros (90% delas) e os 10% restantes dividem-se em todas as diversas classes.

Em toda a região da LFT há cerca de 90.000 naves de guerra, pertencentes aos diversos regimes planetários. O número de naves privadas pertencentes aos mundos da LFT é desconhecido.

A PAPERMOON fica normalmente estacionada na Lua. Ela serve ao Comissário da LFT como um centro de ação móvel.

Além da LFT e do Império de Cristal, há o Fórum Raglund como terceiro fator de poder. Raglund é um planeta situado no setor leste da galáxia, onde se localiza a central do Fórum. Grande parte dos não-humanóides da galáxia está associada ao Fórum, como parte dos blues, os unithers, os cheborparnenses, os tópsidas e muitos outros. Alguns humanoides também pertencem a ele, como aconenses e antis. O Fórum Raglund não é muito organizado nem muito unido, não sendo considerado uma ameaça séria para a LFT nem para o Império de Cristal.

O Galaktikum, a antiga união de todos os povos da galáxia, não mais existe, e cada um dos três blocos decide sua própria política. Também existem incontáveis grupos menores, que tentam aumentar sua influência na política galática agindo separadamente através de agentes secretos. Tudo isso demonstra uma grande instabilidade no cenário político da galáxia no ano 1288 NCG, que pode explodir com uma simples fagulha.

Os halutenses formam um grupo separado dos demais, tendo afastado-se dos acontecimentos e escolhido um desenvolvimento próprio em seu planeta Haluta.
Os Galactic Guardians ocuparam vários sistemas nas galáxias Fornax e NGC 6822, além de ser conhecida a existência de inúmeras bases secretas na Via Láctea. O seu líder é desconhecido.

O mais novo fator de poder na Via Láctea é Camelot, o misterioso planeta onde Perry Rhodan e os outros imortais construíram a poderosa nave GILGAMESCH. Esta nave tem 2.500 metros de diâmetro e a forma de um diamante, composto por doze módulos cilíndrico hexagonais acoplados a uma esfera dodecaédrica central de 500 metros de diâmetro. Cada módulo possui capacidade de voo independente, e é desconhecida a tecnologia utilizada em sua construção. Numa batalha com uma frota arcônida em outubro de 1286 NCG, ela destroçou o oponente e desapareceu rapidamente, só voltando a ser vista um ano depois, quando Perry Rhodan retornou ao Sistema Solar.

No momento, os maiores desafios para os povos da Via Láctea consistem em descobrir onde estão Rhodan, Bull e Saedelaere, o que é e onde fica a Ponte no Infinito e o objetivo da gigantesca frota de naves ouriço que está invadindo a Via Láctea, enviando milhares de sondas nos planetas da galáxia. Os donos desta frota parecem ser os tolkanders, dos quais não se conhece nada.



Quando Perry Rhodan e os outros portadores de ativador celular retornam à Via Láctea em 1222 NGZ, a desintegração do Galaktikum havia avançado ainda mais. O Império de Cristal dos arcônidas havia aumentado sua influência consideravelmente, bem como a Liga dos Terranos Livres, cujos representantes haviam aumentado sua influência política com base no nacionalismo e no militarismo.

Uma reação a este desenvolvimento é a fundação do Fórum Raglund, uma frouxa aliança na qual agrupam se os aconenses, os blues, os cheborparnenses e incontáveis povos não humanóides da galáxia.

Trokan, o novo planeta do Sistema Solar, foi envolvido num misterioso campo dentro do qual o tempo transcorre milhões de vezes mais rapidamente que o normal. Como não são mais bem-vindos na Terra, Perry Rhodan e os outros imortais retiram-se para o planeta secreto Camelot, onde fundam uma pequena organização com o objetivo de combater os perniciosos acontecimentos na galáxia.

No ano 1288 NGZ o campo de aceleração temporal subitamente desaparece. No templo de Kummerog, no qual os humanoides herreach, que agora habitam o novo quarto planeta do Sol, idolatram esta entidade como um deus, os terranos descobrem uma Catedral Cogumelo aparentemente indestrutível. Apenas Perry Rhodan consegue penetrar na misteriosa estrutura. Acompanhado de Reginald Bull e Alaska Saedelaere ele chega à Ponte no Infinito, que une diferentes galáxias distantes, e entra no arsenal de Baolin-Nda. Para sua surpresa, a gigantesca estação espacial, que contém muitos artefatos de uma tecnologia superior, parece ter sido preparada especialmente para Perry Rhodan.

Alaska Saedelaere separa-se de seus companheiros no arsenal e é atacado por uma pele viva secretada pelo criminoso intergalático Kummerog. Kummerog havia descoberto há 66 anos numa nave-viga um ser moribundo, o Quarto Enviado de Thoregon, tendo recebido deste a missão de dirigir-se ao arsenal de Baolin-Nda para dizer que Goedda havia despertado. Com a ajuda do Passantum, um bracelete dado a ele pelo Quarto Enviado, Kummerog chega à Ponte no Infinito através da Catedral Cogumelo do arsenal. Como o Passantum recusava-se a obedecê-lo e ele não podia abandonar mais a Ponte, Kummerog usou o bracelete para enviar uma das máquinas do tempo existentes no arsenal de Baolin-Nda para o planeta Trokan. Através de seu efeito de aceleração temporal uma civilização deveria surgir no árido e inabitado mundo dentro de poucos anos, e Kummerog esperava que seus membros pudessem libertá-lo.

Embora Saedelaere consiga vencer o domínio da pele de Kummerog, esta contínua agarrada ao seu corpo. Nas proximidades de Bröhnder, a galáxia natal de Kummerog, o portador da pele encontra a nave-viga abandonada do Quarto Enviado, voa com ela finalmente para a galáxia Tolkandir, abandonada pelos filhos de Goedda, e encontra-se por fim com o próprio Goedda. Goedda é um gigantesco organismo-incubador que foi criado há eras atrás pelos belicosos povos da galáxia Suuvar para dar origem a guerreiros de aparência incomum.

Contudo, devido à influência dos tremores pentadimensionais de um buraco negro, os Fogos em Cascata de Umam-Urra, Goedda desenvolveu inteligência e finalmente virou-se contra seus criadores. Esta entidade representa um perigo de proporções cósmicas devido ao fato de que para ocasionar o nascimento de bilhões de seres vivos inteligentes as criações de Goedda devem criar uma bolha no hiperespaço que serve como cosmos incubadora para sua Grande Mãe, além do fato de que outros seres vivos devem morrer para que o próprio Goedda possa crescer. Em missão para a Coalizão de Thoregon, uma união de povos altamente desenvolvidos, os nonggo aprisionaram então Goedda numa prisão hiperenergética. Entretanto SHABAZZA, um inimigo declarado de Thoregon, libertou a Grande Mãe e lhe deu a ordem de aniquilar a vida em Tolkandir e dirigir-se em seguida à Via Láctea para destruir seus habitantes, especialmente os terranos.

Em 1288 NGZ os filhos de Goedda, que nasceram na galáxia Tolkandir e denominam-se portanto tolkanders, penetram com suas naves ouriço na galáxia da Humanidade e ocupam incontáveis mundos com a ajuda da Varredura Trançada, um tipo de radiação que causa tortura psíquica. Os galáticos veem-se impotentes diante do perigo, subestimado por eles a princípio. Kummerog, que havia abandonado a Ponte no Infinito através da Catedral Cogumelo em Trokan e caído temporariamente sob o domínio dos terranos, já havia vivido em Tolkandir e sabia do perigo representado pelos invasores, bem como o destino que aguardava a Via Láctea. Ele é morto quanto tentava assumir o controle sobre Camelot.

Enquanto isso os tolkanders levam aos planetas ocupados as larvas Vivoc, que haviam originado Goedda em seu cosmos incubadora na galáxia Tolkandir. Devido a uma ligação mental de transformação com os habitantes dos mundos incubadora, surgem novos chaeroders, physanders, eloundars, neezers, alazars e gazkars. Nos 52 mundos onde originaram-se os mais poderosos filhos de Goedda, os Filósofos, toda a vida é destruída num só golpe. Os 52 Filósofos, possuidores de poderosas parafaculdades, teleportam-se no momento de seu nascimento para outros 52 planetas, entre eles a Terra, e submetem seus habitantes ao seu controle mental.

Com os poderes mentais de suas vítimas os Filósofos estabilizam um novo cosmos incubadora para Goedda no hiperespaço. Os tolkanders, que haviam se retirado para o aglomerado estelar esférico 47 Tucani, transportam continuamente material para esta bolha hiperespaço.

Os herreach, que são imunes às insinuações transcendentes dos Filósofos, conseguem num transe coletivo e com a ajuda das irmãs Vandemar abrir uma passagem para o cosmos-incubadora. Atlan, Myles Kantor e Dao-Lin-H’ay conseguem penetrar secretamente na bolha, contudo Mila e Nadja Vandemar tornam-se vítimas de Goedda e são mortas.

Como Perry Rhodan, Reginald Bull e Alaska Saedelaere haviam desaparecido na Catedral Cogumelo e Michael Rhodan, Julian Tifflor, Icho Tolot e Gucky estavam igualmente desaparecidos na galáxia Fornax, os únicos portadores de ativador celular que permanecem na Via Láctea são Atlan, Myles Kantor, Dao-Lin-H’ay, Homer G Adams e Ronald Tekener. Enquanto os habitantes da Terra e de outros planetas preparam-se sob a instrução dos Filósofos para sacrificar suas vidas por Goedda, Atlan e seus dois companheiros investigam o interior do cosmos incubadora e encontram finalmente um meio de destruí-lo. Quando a bolha hiperespaço entra em colapso, os três imortais conseguem retornar sãos e salvos à Terra com a ajuda dos herreach.

Goedda desintegra-se na forma de quarenta e seis Pequenas Mães, das quais ele havia originado-se no passado na galáxia Suuvar. Entre os cinquenta e dois Filósofos, que haviam teleportado-se para os planetas mais populosos da Via Láctea com o objetivo de escravizar mentalmente seus habitantes, encontra-se Alaska Saedelaere, que Goedda havia trazido de Tolkandir e cuja consciência havia fundido-se com a de um Filósofo após uma dura batalha no interior do cosmos incubadora. Através da ajuda de um jovem mutante, o arcônida Benjameen von Jacinta, que encontrou o caminho até ele como “Dançarino dos Sonhos”, Saedelaere consegue entretanto libertar-se dos Filósofos. Quando os Filósofos e as Pequenas Mães esforçam-se para unir-se novamente sob a proteção da frota tolkander, ameaçando com isso a destruição de toda a vida da galáxia, os herreach e os terranos simulam no Dengejaa Uveso, o gigantesco buraco negro no centro da Via Láctea, o Fogo em Cascata de Umam-Urra.

Atraídos por este farol cósmico, as Pequenas Mães e as naves dos tolkanders iniciam um “voo de mariposa” para dentro do gigantesco buraco negro.

Nesta época os ennox abandonam o planeta Mystery e entram no Arresum na forma de pura energia, para encontrarem sua missão final ali.

Também Philip abandona seu corpo, desistindo igualmente de seu ativador celular chip e de sua imortalidade.

Enquanto isso, Perry Rhodan e Reginald Bull chegam através da Ponte no Infinito à galáxia Plantagoo, cujos povos são controlados secretamente pelos galornen. Há cerca de 13.000 anos atrás os galornen, que haviam subjugado impiedosamente todos os habitantes de Plantagoo durante movimentos de conquista, abandonaram suas características belicosas após descobrirem a possibilidade de controlar o lado agressivo de sua psique com a ajuda dos dragões semi-orgânicos. Com isso os galornen, que nesse meio tempo haviam associado-se à Coalização de Thoregon, ameaçam os outros povos com a pena do Shifting, forçando com isso uma paz forçada em Plantagoo. Rhodan e Bull tornam-se testemunhas de como os zentrifaal têm sua agressividade roubada, junto a metade de sua expectativa de vida, devido ao fato destes belicosos seres atacarem seus vizinhos. Após uma longa odisseia os dois terranos alcançam finalmente a Nuvem Pentriana, o esconderijo dos senhores de Plantagoo. Naquele local os galornen constroem para a Coalizão de Thoregon gigantescas estações espaciais em forma de favo, os Baluartes Heliotianos, que são coletados pelos nonggo logo após sua construção.

Uma manipulação provocada nos dragões por um desconhecido liberta subitamente as agressões armazenadas neles, e os galornen tornam-se novamente conquistadores impiedosos que atacam os mundos de Plantagoo com suas temidas naves de guerra negras. Apenas com a ajuda dos zentrifaal, que haviam tornado-se pacíficos devido ao Shifting e com isso podiam penetrar nos domínios do assassino de dragões, Perry Rhodan e Reginald Bull conseguem reverter a manipulação. Os galornen são libertados de sua fúria guerreira e ganham novamente sua índole pacífica.

Perry Rhodan retorna ao Sistema Solar novamente através da Catedral Cogumelo de Trokan e relata sobre os fatos relativos a Thoregon. Logo depois ele inicia com uma nave espacial uma viagem ao mundo de Baolin-Nda, que desde algum tempo atrás não podia ser mais alcançado através da Ponte no Infinito.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 1876 a 1899 – Período da história: 1289 NCG (4876)
Data de publicação na Alemanha: 1997 a 1998
Ciclo ainda inédito no Brasil


Os nonggos, uma raça da Coalizão de THOREGON, levam uma gigantesca estação espacial ao Sistema Solar. Contudo o Baluarte Heliotiano é sabotado pelo misterioso SHABAZZA, o que provoca o desaparecimento de milhares de terranos e o surgimento na Terra de uma cidade dos dscherros, seres agressivos que atacam Terrânia. Enquanto Rhodan descobre em galáxias distantes que SHABAZZA não só havia enviado Goedda à Via Láctea como também tentava destruir os terranos e a Coalizão de THOREGON, os dscherros provocam grande destruição em Terrânia.



Os Baluartes Heliotianos são o sistema de transporte intergaláctico da coalizão Thoregon.

Os emissários de Thoregon chegam à Terra e trazem o presente dos nonggos – o Baluarte Heliotiano. Os Baluartes Heliotianos conectam todos os seis povos membros da coligação Thoregon através dos favos heliotianos. Thoregon é concebido como uma emergente instituição cósmica, uma associação de grandes e importantes nações, uma organização cujos ideais são a paz e a evolução positiva do universo. “Começa o Ano Constituinte”...

Até mesmo a “caixa-preta” que Perry Rhodan havia recebido de Ernst Ellert, diz-lhe o mesmo: Em Camelot sai do cubo, que Ellert tinha entregue há 60 anos, um Passantum que procura por Perry Rhodan.

Uma bola azul com uma radiação incrivelmente intensa, no centro do Baluarte Heliotiano, é a fonte de energia. O Baluarte Heliotiano do Sistema Solar faz uma conexão entre o Sistema Solar, o sistema Teuller e o sistema Karakhoum. Teuller é o lar dos nonggos, Karakhoum é o lar dos designers; eles estão em diferentes galáxias. O favo Heliotiano conectará diferentes lugares, uma vez que for acionado em sua totalidade.

O baluarte é construído contra a oposição de muitos terranos, e a máquina da coalizão de Thoregon começa a trabalhar. Muitos terranos o veem como um cavalo de troia.

Os nonggos surgem, criaturas extremamente delgadas que falam de pacifismo. Eles deixam os terranos inspecionarem o Baluarte Heliotiano. Supostamente, é possível transportar pessoas e materiais, sem perda de tempo ao longo de milhões de anos-luz de distância – e isto em uma escala gigantesca. Um “recipiente” deste sistema de transporte tem um tamanho de 30 a 20 quilômetros no nível, que vão ao longo de sete quilômetros de altura e mais de dois quilômetros de profundidade – esta estrutura é chamada pelos nonggos de “elemento fatorado”. Neste volume se pode acomodar muito: bairros inteiros, complexos industriais, unidades completas do exército, enormes quantidades de matérias-primas, etc.

Não apenas um elemento fatorado é transferido através do espaço e do tempo, mas sempre dois, que trocam de lugar por assim dizer, neste procedimento. Em primeiro lugar, o elemento fatorado deve ser definido, através de um peculiar projetor luminoso. Com a ajuda dele, um pedaço de terra é digitalizado e inserido no computador do baluarte, uma vez que esteja calibrado. Nesta operação, todos os dados do respectivo elemento fatorado e seu conteúdo são reconhecidos, incluindo pessoas, animais, edifícios, etc. O baluarte pode assim colocar rapidamente regiões vulneráveis em segurança e durante o transporte colocar suprimentos, armas e outras coisas diretamente no cenário de perigo. Por outro lado, por meio dele, assim também as forças inimigas poderiam chegar rapidamente à Terra ou Trokan.

De repente, o Baluarte Heliotiano fica louco, o que desencadeia uma gigantesca explosão. SHABAZZA destruiu dois baluartes com o uso de nanocolônias em ambos, no Sistema Solar e no sistema Teuller dos nonggos.

Dscherros em Terrânia!

Duas áreas isoladas por uma barreira de pressão fatorada permanecem na Terra em duas cidades diferentes. Em Terrânia, a capital do mundo, há desenvolvimentos estranhos. Os sanguinários dscherros aparecem causando estragos. Eles desembarcaram na Terra com o elemento fatorado e querem colocar Terrânia em ruínas. Uma guerra urbana ocorre depois que os dscherros foram descobertos. Os terranos têm que enfrentar sequestros brutais, ataques militares e um incrível arsenal de armas.

Os dscherros conseguem em dois dias invadir e destruir o coração da Humanidade. O guerreiro Fellokk torna-se o Taka de sua estirpe e começa com o ataque à Terrânia. Suas tropas conquistam a maior parte da cidade e fazem mais de um milhão de reféns, forçando o governo do mundo a negociar. Eles extorquem espaçonaves terranas e se retiram com elas.

O planeta Siga está despovoado há décadas, os últimos siganeses emigram para Camelot. Seu legado desperta o interesse dos footes, pequenos vermiformes, que são o terceiro gênero dos dscherros e responsáveis pela tecnologia de GOUSHARAN. Três siganês sobrevivem a um comando e podem trazer dados do castelo GOUSHARAN para fora. Enquanto isso, os dscherros ainda dominam o elemento fatorado e mantêm milhares de terranos violentamente. A luta implacável segue. O castelo GOUSHARAN acaba revelando-se uma espaçonave, e os bárbaros desaparecem com um destino desconhecido. Na Terra, a reconstrução da capital em ruínas começa.

Enquanto isso, continua a batalha contra o dscherros contra os siganeses. Trata-se de uma guerra por procuração entre footes e siganeses, para um duelo dos anões no submundo. Os footes são um grupo de técnicos na vida do sistema GOUSHARAN, sem os footes os dscherros são impotentes. Sobre Siga o castelo dscherro é destruído, a horda de dscherros é morta.

Os nonggos e o KONT

Os habitantes de Calcutá chegam através de um elemento fatorado em outra parte do universo, na pátria dos nonggos, a galáxia NGC 5204. Os moradores do bairro norte de Calcutá aprendem indiretamente através da mensagem do KONT. As pessoas da Terra chegam no momento certo na roda Kenteullen: enquanto os nonggos sofrem com a perda de sua rede de neurônios, os terranos ainda são capazes de agir.

Os nonggos estão ligados por sua rede de neurônios e formam uma civilização quase virtual: cada Nonggo não só tem acesso a quase todos os dados existentes e informações de todos os outros nonggos conectados à rede, mas também o direito de manipular bilhões de dispositivos, máquinas e aparelhos. Os nonggos podem se ligar a rede através de um chip implantado, o ISB (interface e sincronismo biônico).

Num passado distante, os nonggos haviam desmantelado seu enorme planeta natal, Ongg, e convertido o mesmo nas muitas rodas esféricas. Estas rodas orbitam o sol Teuller, os nonggos vivem em seus lados interno e externo. Em uma das rodas de esferas, a roda Kenteullen, há uma cúpula cogumelo e, mais recentemente, também o distrito norte de Calcutá. A explosão do Baluarte Heliotiano no sistema Teuller tinha despertado o KONT, um produto da IMPERATRIZ DE THERM. Este foi transformado em Fábrica do Caos de Norrowwon por manipulações de SHABAZZA, que tentou com o mesmo acabar com os nonggos.

O KONT se assemelhava a um diamante, que era oco por dentro. No terço superior, era ramificado milhares de vezes, num tronco composto por mechas de fios de tecelagem cristalina. A estrutura parecia crescer para fora do solo e terminar no topo do casco diamante. A estrutura cristalina pode ser colocada em um estado de rigidez atemporal, mas fecha qualquer comunicação, perturbado e à rede de informação dos nonggos.

Perry Rhodan e Reginald Bull, que havia chegado através do Domo cogumelo a roda Kenteullen, puderam eliminar a interferência do KONT e preservar os nonggos da destruição. Em agradecimento os dois recebem a nave fuso KAURRANG.

Paraíso-Shaogen e o culto da Luz das Estrelas de Shaogen

Perry Rhodan agora prepara uma expedição na galáxia Paraíso-Shaogen, onde os Baolin-Nda vivem. Nos arredores da galáxia os guardiões ficam no caminho dos terranos. Os Baolin-Nda são desconhecidos ali.

Siebenton é uma jovem mulher monge, que mais tarde se torna um influente monge e testemunha acontecimentos importantes na história de Paraíso-Shaogen. A força dominante na galáxia eram os monges, cuja cultura é caracterizada pelo culto Luz das Estrelas de Shaogen. A cada 70 horas os habitantes desta galáxia são cobertos pela Luz das Estrelas de Shaogen, uma radiação hiperenergética, os afetados se sentem iluminados em suas almas e próximos com o divino.

Há 60 anos a Luz das Estrelas de Shaogen acabou de repente, agora faltava o sustento as civilizações de Paraíso-Shaogen. A incredulidade e o sectarismo estão no auge e as tropas de Traal, um contraculto, as coordenam na zona marginal da galáxia. Eles iniciam a ofensiva de Traal e a guerra galáctica.

Siebenton pode parar os agressores, por enquanto, com a ajuda dos terranos. Rhodan espera encontrar referências aos Baolin-Nda nos Arquivos Antigos. Ao ajudar o pequeno povo do Taniten, os terranos conseguem informações sobre o habitat dos Baolin-Nda. Rhodan e os monges vão para o centro do poder Traal, Konnex A.

Konnex A, B e C são relíquias dos Baolin-Nda. No centro da Konnex A há uma enorme fonte de força, uma esfera, em que foi inserida modificações mais poderosas no centro das fortalezas. No centro da esfera oca formada por dezesseis cubos holográficos. Um cubo incha e mostra uma enorme esfera amarela. Esta estrutura de energia é um transmissor gigante, semelhante ao transmissor solar dos lemurense. A esfera é usada para transportar a longas distâncias. Os terranos estão contando que, ao passar através do transmissor, sairão no coração da civilização dos Baolin-Nda.

A KAURRANG passa pelo transmissor e atinge o espaço Delta dos Baolin-Nda. Esta bolha no hiperespaço está devastada, dos 100.000 Baolin-Nda originais, vivem apenas dois, Tautanbyrk e Viviaree. Todos os outros foram vítimas do ataque de uma nanocolônia, que havia sido infiltrada por Shabazza, e sucumbiram. A nanocolônia também havia destruído a estação espacial, a partir do qual a Luz das Estrelas de Shaogen era gerada.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 1900 a 1949 – Período da história: 1289 a 1290 NCG (4876 a 4877)
Data de publicação na Alemanha: 1998
Ciclo ainda inédito no Brasil


A Humanidade é admitida na Coalizão de THOREGON e Rhodan torna-se o Sexto Enviado de THOREGON. Sua primeira missão como Sexto Enviado é reconquistar a lendária nave SOL, que estava desaparecida há séculos e que aparentemente havia se tornado a nave-capitânia de SHABAZZA. Rhodan avança até a galáxia Da Glausch em busca de sua antiga nave e encontra Thorrim, o mundo no qual os milhares de terranos desaparecidos tentavam criar uma nova civilização. Rhodan finalmente chega a Century I, o mundo central de SHABAZZA, e descobre mais detalhes sobre o inimigo.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 1950 a 1999 – Período da história: 1290 a 1291 NCG (4877 a 4878)
Data de publicação na Alemanha: 1999
Ciclo ainda inédito no Brasil


Perry Rhodan retorna à Via Láctea com a SOL e lidera a luta contra os Servos da Matéria, seres que tentavam impedir a expansão da Coalizão de THOREGON com suas Fábricas Cósmicas. Cada galáxia de THOREGON é atacada por uma Fábrica Cósmica, e a responsável pela Via Láctea chama-se Matéria. Atlan viaja à galáxia Chearth com a nave modular GILGAMESCH para ajudar o Quinto Enviado de THOREGON contra a ameaça dos vermes solares e dos Peregrinos Algiotianos. Na galáxia Da Glausch a Coalizão de THOREGON consegue terminar seu mais importante projeto: a criação do Pulso, um miniuniverso independente. “Aquilo” e mais cinco superinteligências passam a liderar a Coalizão de THOREGON a partir do Pulso.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 2000 a 2099 – Período da história: 1303 a 1304 NCG (4890 a 4891)
Data de publicação na Alemanha: 1999 a 2001
Ciclo ainda inédito no Brasil


Os terranos inauguram a Residência Solar, a nova sede do governo terrano. Esta estrutura flutuante de alta tecnologia também simboliza a resistência dos povos da galáxia contra os planos de expansão militar do Império de Cristal dos arcônidas. Experiências genéticas criminosas criam 35.000 novos mutantes, que passam a viver em Para-City, situada numa região remota da Terra. A superinteligência negativa FONTE DAS ALMAS conquista o Império de Cristal dos arcônidas, e sob sua influência o Imperador Bostich I conquista grandes partes da Via Láctea. A nave SOL viaja 18 milhões de anos no passado e descobre a origem das superinteligências “Aquilo” e ESTARTU.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 2100 a 2199 – Período da história: 1311 a 1312 NCG (4898 a 4899)
Data de publicação na Alemanha: 2001 a 2003
Ciclo ainda inédito no Brasil


Na Via Láctea surge subitamente a “Janela Estelar”, um gigantesco transmissor de matéria que representa o início da invasão da galáxia pelo poderoso e brutal Império Tradom. Através de ações arriscadas os terranos conseguem bloquear a Janela e enviar uma frota para a galáxia Tradom, situada a 388 milhões de anos-luz de distância. A nave-capitânia de Perry Rhodan é enviada 160.000 anos no passado e descobre a origem da Inquisição da Razão, o misterioso conselho que governa Tradom. A nave SOL viaja para galáxias distantes e entra em contato com os Estatísticos Pangaláticos. Os Cosmocratas conseguem desestabilizar o Pulso e aniquilar as conquistas da Coalizão de THOREGON.



No ano 1311 NCG (4899 DC) a Via Láctea está à beira de uma nova guerra galática. Os arcônidas, que após séculos de degeneração recuperaram a antiga glória de outrora, avançam sobre a Via Láctea em seus planos de expansão de seu Império de Cristal. O objetivo do Imperador Bostich I é claro: recuperar toda a área de influência que já pertenceu ao antigo Grande Império dos arcônidas.

Contudo, isso esbarra na firme oposição do residente solar Perry Rhodan, que administra os 2.824 sistemas estelares que compõem a Liga dos Terranos Livres. A partir da Residência Solar, uma estrutura com um quilômetro de comprimento que flutua sobre o céu de Terrânia e que é a nova sede do governo da Terra, Rhodan e seus fiéis companheiros tentam formar alianças entre as raças da Via Láctea no intuito de dissuadir Bostich I de seus impulsos expansionistas e militaristas.

Apesar disso a situação ainda está relativamente calma, pois Bostich I tem uma dívida de gratidão para com Perry Rhodan, que o ajudou a libertar Árcon do jugo da superinteligência negativa Fonte das Almas no ano 1304 NCG. Como retribuição pela ajuda, Bostich “permite” que a Liga dos Terranos Livres não seja imediatamente anexada ao poderoso Império de Cristal, formado por cerca de 13.000 mundos. Em vez disso ele utiliza métodos mais sutis, como aproveitar todas as oportunidades possíveis para aproximar a bela e jovem almirante arcônida Ascari da Vivo do residente solar. Embora Rhodan saiba que não seja nem um pouco prudente envolver-se com a maior aliada de Bostich, a atração mútua que surgiu entre eles torna-se cada vez mais evidente para todos. Contudo, Rhodan não sabe até que ponto as investidas de Ascari são sinceras, pois ela pode estar apenas querendo sutilmente acostumar Rhodan à idéia de transformar a Liga dos Terranos Livres num protetorado do Império de Cristal...

Essa situação muda radicalmente com a chegada de quatro gigantescas e misteriosas naves de dezenove quilômetros de comprimento à Via Láctea.

Essas naves, que não respondem a nenhum chamado das frotas arcônida e terrana, dirigem-se para o Arquipélago Estelar Hayok, um aglomerado estelar pertencente à LTL que foi recentemente “anexado” pelo Império de Cristal, sendo o principal ponto de tensão entre os dois grandes poderes galáticos. Uma frota terrana e arcônida acompanha as naves, que ignoram sistematicamente os pedidos de identificação.

Tal atitude faz a almirante Ascari da Vivo dar a ordem do ataque a uma parte de sua frota. Contudo, todos os tiros conversores das trezentas naves arcônidas atacantes são “refletidos” de volta a elas, provocando uma grande devastação que demonstra a superioridade tecnológica dos invasores. Tal superioridade torna-se evidente de forma espetacular pouco depois quando as naves abrem uma “janela estelar” com 1,8 milhão de quilômetros de comprimento dentro do aglomerado de Hayok, a qual liga a galáxia natal dos terranos à galáxia de origem das naves, situada à inacreditável distância de 388 milhões de anos-luz. Pouco depois surge pela Janela Estelar uma nave diplomática dos alienígenas, que desejam fazer um contato diplomático com a Terra. O representante dos alienígenas, um ser semelhante a um gorila chamado Trah Rogue, é recebido por Perry Rhodan na Terra com todas as honras diplomáticas. Contudo, para a surpresa geral, logo ao sair de sua nave Trah Rogue finca uma bandeira no solo de Terrânia e declara a Rhodan e aos milhões de terranos que acompanhavam o evento: "Nesse momento reivindico a Terra e a Liga dos Terranos Livres para o poderoso Reino dos Conquistadores de Tradom! Paguem seu tributo ou sejam destruídos!".

Após esse ato dramático, Trah Rogue explica a Rhodan que o Reino Tradom era uma gigantesca comunidade de raças que anexava continuamente novos mundos à sua unidade política, transformando-os em protetorados que deveriam jurar obediência e pagar seus impostos e tributos a Tradom. Todos os terranos ficam chocados com tal acontecimento, que remete à traumática experiência com o Concílio dos Sete e os lares, ocorrida há quase 1.500 anos atrás.

Após receber uma resposta clara e direta de Rhodan de que a LTL não permitiria a anexação de nenhuma forma, Trah Rogue, chocado, abandona subitamente a Terra. Isso alarma os cientistas terranos, que haviam descoberto nesse meio tempo que a bandeira fincada por Rogue no solo de Terrânia na verdade havia espalhado bilhões de microscópicos nanorrobôs pela cidade, os quais poderiam provocar todo tipo de danos se fossem ativados. Temendo a ativação, Rhodan dá a ordem de espalhar por Terrânia o Korravir, um letal vírus de computador que destrói imediatamente qualquer máquina ou computador que opere em base sintrônica. O Korravir era tão letal que todas as raças galáticas estavam nos últimos anos paulatinamente substituindo todos os seus sistemas sintrônicos por híbridos sintrônico-positrônicos, que poderiam resistir melhor à ameaça. Embora soubesse que a ativação do Korravir em larga escala certamente causaria danos irreparáveis à infra-estrutura da cidade, Rhodan percebe que esta era a única forma de se eliminar essa ameaça...

No espaço, a nave de Rogue entra numa encarniçada batalha com a frota de defesa terrana e com uma frota arcônida comandada por Ascari da Vivo. Após grandes perdas as duas frotas conseguem finalmente destruir a nave inimiga usando a tática de lançar um “colchão” de bombas conversoras à frente da rota da mesma, já que disparos diretos seriam inúteis diante da arma reflexiva das naves do Reino Tradom.

Contudo, no último momento Trah Rogue consegue fugir numa nave auxiliar, que entra no hiperespaço com destino ignorado. Apesar da vitória, terranos e arcônidas percebem o quanto estavam vulneráveis perante o Reino Tradom: nos quatro minutos de duração da batalha, mais de 2.500 naves terranas e arcônidas foram completamente destruídas por uma simples nave diplomática do Reino Tradom...

Esses dramáticos acontecimentos dão início ao ciclo, que deverá ter continuidade com a viagem de Perry Rhodan e Ascari da Vivo ao Reino Tradom com as naves-capitânias da LTL e do Império de Cristal para conhecerem melhor o inimigo com o qual estão lidando. Rhodan terá a partir de agora dois grandes desafios pela frente: garantir a sobrevivência da Terra e da Liga dos Terranos Livres perante a ameaça do Reino Tradom e evitar que os arcônidas se aproveitem da situação para aproximar-se ainda mais de seus objetivos...

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 2200 a 2299 – Período da história: 1331 a 1333 NCG (4918 a 4920)
Data de publicação na Alemanha: 2003 a 2005
Ciclo ainda inédito no Brasil


Para evitar o ressurgimento da Coalizão de THOREGON e impedir ações contrárias aos seus interesses, os Cosmocratas aumentam a resistência hiperfísica do universo. Este fenômeno, chamado de hiperimpedância pelos cientistas terranos, provoca o colapso da maioria das tecnologias de base pentadimensional, como os voos e as comunicações ultraluz. A hiperimpedância faz com que o “Oceano Estelar de Jamondi”, um grupo de aglomerados estelares que estava escondido há sete milhões de anos no hiperespaço, volte a fazer parte da Via Láctea. Durante a exploração do Oceano Estelar os terranos descobrem a existência de várias civilizações que estavam prestes a recomeçar uma antiga guerra. É descoberta a existência dos Pilotos da Paz, seres que viajam centenas de milhões de anos-luz através do universo em suas naves especiais, as cápsulas Oreon.



No ano 1331 NCG (4918 DC) a situação na Via Láctea é de relativa estabilidade. Após as aventuras de Perry Rhodan e da almirante arcônida Ascari da Vivo na distante galáxia Tradom, o perigo representado pela Inquisição da Razão pôde ser afastado, graças principalmente às ações arriscadas da gigantesca frota de 225.000 naves dos terranos, arcônidas e pos-bis que avançou à galáxia Tradom no ano 1312 NCG. Após o retorno da frota à Via Láctea, porém, o afastamento da ameaça comum faz com que as velhas inimizades entre terranos e arcônidas comecem a aflorar novamente, e no ano 1331 NCG, percebe-se claramente as diferenças ideológicas irreconciliáveis entre a Liga dos Terranos Livres e o Império de Cristal arcônida. Contudo nesse ano ocorre algo inesperado, tanto para os arcônidas quanto para Perry Rhodan.

Kantiran, um jovem arcônida mestiço de cabelos negros e olhos azulados, filho de um prospector terrano e de uma arcônida que haviam morrido num acidente logo após seu nascimento, vivia com seus pais adotivos no mundo colonial agrário Creiff, pertencente ao Império de Cristal. Em sua adolescência ele é indicado por Ascari da Vivo para entrar para a Paragetha, uma escola de elite onde eram formados os futuros comandantes de frotas arcônidas.

Apesar do extremo preconceito de seus colegas em relação à sua origem híbrida, com o tempo ele acaba conseguindo se impor, devido à sua personalidade forte e ao seu bom desempenho. Além disso uma capacidade parapsíquica singular, descoberta durante sua infância em Creiff, ajuda-o nos momentos mais inesperados: Kantiran é um “telepata instintivo”, conseguindo se comunicar diretamente com qualquer tipo de animal que tenha um razoável nível de inteligência. Um de seus melhores “amigos” é Kehmi, um animal nativo de Creiff que costuma ficar em seu ombro. Temendo uma hostilidade ainda maior por parte das outras pessoas, Kantiran esconde seu segredo de todos.

Durante seu curso na Paragetha, Kantiran acaba apaixonando-se pela sua colega Thereme, e ambos começam um relacionamento amoroso. Contudo ela morre inesperadamente de ataque cardíaco, e o médico da Paragetha, amigo de Kantiran, conta-lhe sobre suas suspeitas de assassinato. Kantiran fica arrasado, não conseguindo entender os motivos para o possível assassinato de sua amada.

Tentando entender a razão da almirante Ascari da Vivo visitá-lo com frequência na Paragetha e interessar-se pelo seu desempenho na escola, Kantiran consegue, com a ajuda de sua habilidade especial, apoderar-se de um cristal de dados que lhe revela uma terrível realidade: na verdade ele era filho de ninguém menos do que Perry Rhodan e Ascari da Vivo! Durante as ações conjuntas de Rhodan e Ascari na galáxia Tradom, a óbvia atração sentida entre eles acabou resultando num curto relacionamento secreto, cujo resultado foi Kantiran. Porém Rhodan nunca soube da gravidez de Ascari, pois, ao regressarem à Via Láctea, o feto foi retirado secretamente de Ascari por ordem direta do imperador arcônida, e, a partir daí, toda uma história falsa foi criada para dar a ilusão de que

Kantiran era apenas um “bastardo” comum. Na verdade o plano de Ascari e do imperador Bostich I consistia em tornar Kantiran um almirante de frota para usá-lo no momento decisivo contra Perry Rhodan, que nunca conseguiria atacar seu próprio filho.

Profundamente abalado com sua descoberta, Kantiran confronta Ascari, que reage friamente, confirmando-lhe tudo que ele já havia descoberto.

Contudo ela silencia-se diante das perguntas de Kantiran sobre Thereme. Após ficar claro para Kantiran que somente Shallowain, o sinistro braço direito de Ascari, poderia ter matado sua namorada, Kantiran entrega-se ao seu ódio e usa sua habilidade parapsíquica para tentar matar Ascari. Diante do corpo desfigurado de sua mãe, Kantiran renega sua lealdade ao Império de Cristal e toma a decisão de encontrar-se com Perry Rhodan a todo custo para contar-lhe a verdade...

Durante sua dramática fuga da área de influência arcônida, tendo o sinistro Shallowain em seu encalço, começam a ocorrer estranhas perturbações na estrutura hiperfísica do universo, e Kantiran lembra-se dos alertas que Perry Rhodan havia feito nos últimos anos sobre uma informação que ele havia recebido de um ser misterioso numa distante galáxia: de que logo “a resistência hiperfísica do universo seria aumentada”.

Pouco tempo depois a tecnologia pentadimensional começa a falhar, e a galáxia vê-se diante da terrível perspectiva de ter que abdicar da tecnologia ultraluz, o que acabaria com as estruturas políticas, sociais e econômicas existentes entre as principais potências galáticas. Enquanto os cientistas tentavam compreender o fenômeno, batizado de “hiperimpedância”, ocorre o inesperado: gigantescas ondas de choque hiperfísicas varrem a galáxia, e como resultado materializam-se do nada vários aglomerados estelares, contendo milhões de estrelas e planetas. Os povos galáticos imediatamente traçam paralelos com a experiência do Enxame, uma mini-galáxia peregrina que havia atravessado a Via Láctea entre os anos 3441 e 3443. Contudo, investigações de um dos aglomerados revelam um resultado surpreendente: todos aqueles corpos celestes tinham a mesma idade e composição básica dos demais planetas e estrelas existentes nas regiões onde eles haviam se materializado, o que demonstrava que, na realidade, eles sempre haviam sido parte da Via Láctea, embora estivessem escondidos no hiperespaço desde tempos imemoriais.

Na verdade a hiperimpedância estava apenas “devolvendo” ao universo normal todo e qualquer objeto que se encontrasse nessa situação. Análises mais detalhadas dos cientistas revelam que a hiperimpedância ainda estava em seus estágios iniciais, e que dessa forma muitos outros objetos ainda deveriam “cair” no universo normal dentro dos próximos meses...

Com muita dificuldade Kantiran consegue chegar à Terra, onde um teste de DNA comprova sua origem. Perry Rhodan fica surpreso e feliz ao mesmo tempo com a existência de seu filho, prometendo-lhe toda a assistência possível contra Shallowain e os demais agentes do Império de Cristal que o procuravam.

Poucos dias depois Rhodan e Atlan rumam para um dos aglomerados estelares recém-surgidos para explorar um de seus planetas. Nesse planeta, chamado Baikhal Cain, eles obtém, por intermédio de seus primitivos habitantes, informações mitológicas sobre o “Oceano Estelar de Jamondi”, que havia sido retirado do universo normal há tempos imemoriais pelo “Guardião de Jamondi”. Torna-se claro para eles que o passado da Via Láctea era ainda mais fantástico do que o imaginado, e os dois prosseguem em sua exploração...

Esses são os acontecimentos principais dos episódios 2200 a 2204, e agora Perry Rhodan terá que lidar com três problemas simultaneamente: a hiperimpedância, os mistérios do Oceano Estelar e o próprio Kantiran, cuja permanência na nave-capitânia de Perry Rhodan aumenta a cada dia o risco dos arcônidas o descobrirem, o que poderia deteriorar de vez as já precárias relações entre a Liga dos Terranos Livres e o Império de Cristal...

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 2300 a 2399 – Período da história: 1344 a 1346 NCG (4931 a 4933)
Data de publicação na Alemanha: 2005 a 2007
Ciclo ainda inédito no Brasil


Os terranos dão início ao projeto Terranova, que visa adaptar toda a tecnologia dos povos galácticos às novas condições da hiperimpedância. A Via Láctea é ocupada pela Frota Terminal Traitor, uma gigantesca e invencível armada dos Caotarcas. Os terranos descobrem que está armada tem como missão garantir que os recursos da Via Láctea sejam utilizados para acelerar a transformação da galáxia vizinha Hangay numa Negasfera, uma região do cosmos onde as leis naturais não têm mais validade e o caos rege em sua forma pura. Os terranos organizam uma resistência secreta contra Traitor e conseguem, com a ajuda da Expedição Hangay, reativar uma antiga estrada de transmissores solares lemurenses, o que permitirá a viagem até Hangay. Começa a colonização do sistema Stardust, feita com foragidos do sistema solar, aproveitando um túnel dimensional provisório criado por “Aquilo”. A Superinteligência KOLTOROC, pouco antes de ser morta, toma a Aura Impactada que transformou Perry Rhodan em Cavaleiro das Profundezas.



No ano 1344 NCG (4931 DC) a situação na Via Láctea é de relativa estabilidade. Desde o hiperchoque de setembro de 1331 NCG, momento no qual as constantes hiperfísicas do universo modificaram-se radicalmente, os povos galáticos fizeram grandes avanços tecnológicos, o que permitiu que a navegação espacial voltasse a ser praticada regularmente. Contudo, o aumento da resistência hiperfísica do universo, fenômeno também conhecido como “hiperimpedância”, fez com que a tecnologia dos povos da Via Láctea retrocedesse milhares de anos. 

Com a hiperimpedância, todo e qualquer aparelho de base pentadimensional (aparelhos de hiper-rádio, propulsores lineares, canhões conversores, campos paratron, transmissores de matéria, etc.) teve sua eficiência drasticamente reduzida, sendo que alguns tipos específicos de tecnologias avançadas, como os computadores sintrônicos e os propulsores metagravitacionais, simplesmente não funcionam mais.

Cristais de hovalgônio dissolvem-se após poucos minutos de uso, transmissores de matéria operam com margens de erro superiores a 50% e o alcance das comunicações de hiper-rádio é de apenas alguns poucos anos-luz. Uma viagem entre a Terra e Árcon, que antes da hiperimpedância durava cerca de quatro horas, agora não é feita em menos de um mês, sendo que a nave em questão necessita de, pelo menos, setenta manobras de reentrada no espaço normal para reorientação. Voos intergaláticos, antes rotineiros, tornaram-se um sonho distante. Regiões inteiras da Via Láctea são assoladas permanentemente por gigantescas hipertempestades, o que torna a hiperimpedância ainda mais acentuada em áreas específicas, especialmente o centro da galáxia.

Como Perry Rhodan foi um dos poucos líderes galáticos que levou a sério os sinais de aumento da resistência hiperfísica do universo, que começaram a ser notados no ano 1312 NCG, a Liga dos Terranos Livres, composta pela Terra e pelos seus milhares de mundos coloniais, é a potência galática melhor preparada diante da nova situação. Enquanto a maioria dos outros povos galáticos não fez praticamente nada entre 1312 e 1331 NCG por achar que a hiperimpedância se manteria em níveis reduzidos, Rhodan deu início ao projeto Terranova, considerado de prioridade máxima pelo governo terrano. Este projeto visa substituir toda a frota espacial da Humanidade por outra, adaptada à hiperimpedância. O projeto também abrange os inúmeros aparelhos utilizados pelos terranos em seu dia a dia. O principal responsável pelo projeto Terranova é o brilhante cientista Malcolm S. Daellian, cuja equipe estuda permanentemente formas de adaptar velhas e novas tecnologias às novas condições hiperfísicas do universo.

Além da hiperimpedância, os povos da Via Láctea também devem lidar com outro problema de dimensões apocalípticas: diversas observações astronômicas mostram que Hangay, uma galáxia situada nas proximidades da Via Láctea, estava nos estágios iniciais do processo que a transformaria numa “negasfera”, uma região do espaço no qual as leis da física perdem toda a validade. Negasferas já foram observadas em outros pontos do universo, e, se elas não forem revertidas para seu estado normal, ou seja, galáxias com estrelas e planetas, elas podem desestabilizar o espaço num raio de milhões de anos-luz ao seu redor. Negasferas são mortais até mesmo para superinteligências, e a transformação de Hangay numa negasfera fatalmente teria consequências desastrosas para toda a Via Láctea.

Para discutir os problemas da hiperimpedância e da iminente transformação de Hangay numa negasfera, Perry Rhodan convida milhares de líderes galáticos para uma conferência na Terra, cujos trabalhos teriam início em 4 de fevereiro de 1344 NCG. Cerca de 2.400 representantes das potências galáticas participam da conferência, inclusive o maior inimigo de Perry Rhodan, o Imperador Bostich I, soberano do “Huhany’Tussan”, o Império Divino dos arcônidas, cujo objetivo declarado era a anexação ao Império de todos os mundos habitados pelos descendentes de lemurenses. Contudo, o problema da hiperimpedância teve o saudável efeito colateral de praticamente acabar com as hostilidades abertas entre os povos galáticos, que não estão em condições tecnológicas de travar guerras interestelares.

Durante a conferência Rhodan faz uma proposta audaciosa aos povos galáticos: ele oferece compartilhar as principais descobertas do projeto Terranova com todos os povos que concordarem em assinar um tratado de paz de âmbito galático, que entraria em vigor imediatamente após a conferência.

Apesar de ficarem impressionados com os avanços tecnológicos dos terranos, especialmente a possibilidade de criação de transmissores solares de alcance limitado, nem todas as raças estão dispostas a concordar com uma paz “forçada”.

Enquanto as discussões prosseguiam, Rhodan recebe em seus aposentos a visita do “Núcleo”, um aglomerado de energia psiônica que continha as mentes de milhares de mutantes que haviam sido criados durante experiências genéticas criminosas conduzidas há dois séculos atrás. Embora todos eles já estivessem fisicamente mortos, eles conseguiram conservar suas memórias e suas consciências num aglomerado energético, de forma análoga ao que havia acontecido aos Antigos Mutantes. O “Núcleo”, que consegue viajar entre as galáxias sem grandes problemas, avisa Rhodan da iminente chegada da Frota Terminal

Traitor, uma gigantesca frota espacial que tinha como missão conquistar a negasfera de Hangay para os Caotarcas, seres extremamente poderosos que desejavam espalhar o caos pelo universo. As mentes dos mutantes também dizem a Rhodan que uma base de Traitor, protegida por um “campo negro” indetectável, já encontrava-se posicionada nos limites do Sistema Solar.

No dia seguinte a conferência galática é atacada por seres invisíveis, que não são detectados por nenhum aparelho de rastreamento. Esses seres chegam a Terrânia, atravessam o campo paratron que cercava a Residência Solar, o local da conferência, e matam a sangue frio mais de dois terços dos participantes. A carnificina só não é maior devido à rápida ação dos mutantes e dos oxtornenses, o que permite que os atacantes sejam rechaçados após algumas horas de luta.
Alguns dos inimigos invisíveis são abatidos pelas armas energéticas dos terranos, porém os restantes conseguem fugir para o espaço. Análises dos corpos revelam que eles eram “micro-feras”, seres semelhantes a halutenses, porém com apenas vinte centímetros de altura.

Após o inesperado e chocante incidente, Rhodan avisa os povos galáticos da Frota Terminal Traitor, dizendo que aquele ataque provavelmente representava o início das atividades de Traitor na galáxia...

Em seguida a conferência é oficialmente encerrada, e Rhodan envia milhares de naves da frota Terranova à procura da base de Traitor existente no Sistema Solar.

Após alguns dias de busca, uma das naves desaparece subitamente. Seguindo sua pista, os terranos descobrem que ela foi destruída por uma arma desconhecida, que comprimiu suas moléculas e reduziu-a a um monte de matéria de altíssima densidade. Logo os terranos descobrem uma região do espaço próxima que absorvia todo e qualquer tipo de eco energético e impulso de rastreamento: o campo negro que envolvia a base de Traitor!

Com a ajuda de Zon Facter, uma micro-fera desertora, um comando siganês consegue penetrar na base, chamada de Traicoon 0098, e descobre que ela ainda estava sendo construída. Eles também descobrem que havia ao todo 58 bases espaciais como ela na Via Láctea, estacionadas junto aos mais importantes sistemas da galáxia, e que a Frota Terminal tinha a missão de transformar a Via Láctea numa galáxia “provedora” para a negasfera. O comando siganês consegue destruir os geradores do estranho e poderoso campo defensivo que envolvia Traicoon 0098, e logo em seguida a frota aproveita a chance para atacar. Após sofrer graves perdas, a frota de ataque terrana, composta por 28.000 naves, consegue finalmente destruir a base da Frota Terminal. Antes de escaparem da base no último minuto possível, os siganeses também descobrem que mais 2.000 fortes como Traicoon 0098 estavam a caminho da Via Láctea...

Esses são os acontecimentos principais dos episódios 2300 a 2303, e agora Perry Rhodan terá que lidar com três problemas simultaneamente: a necessidade de aceleração do projeto Terranova, a negasfera de Hangay e a invasão da Frota Terminal Traitor, que, pelas primeiras avaliações, parece ser um inimigo de incríveis capacidades materiais e tecnológicas...

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 2400 a 2499 – Período da história: 1346 a 1347 NCG (4933 a 4934)
Data de publicação na Alemanha: 2007 a 2009
Ciclo ainda inédito no Brasil


Perry Rhodan viaja vinte milhões de anos no passado com a nave JÚLIO VERNE para tentar descobrir como os povos daquela época conseguiram provocar a retroversão de uma Negasfera. Enquanto isso Atlan avança até Hangay com uma pequena frota e descobre que a galáxia já havia se transformado numa proto Negasfera. Rhodan consegue fazer a retroversão da Negasfera em formação em Hangay.



  • Perry Rhodan e a JÚLIO VERNE começam uma grande expedição, vinte milhões de anos no passado – os terranos lutam pelo conhecimento perdido no tempo.
  • Atlan e a RICHARD BURTON pesquisam a física do caos – na proto-negasfera Hangay.
  • Reginald Bull e o Núcleo dos mutantes monocromáticos defendem a Terra – a lealdade da Humanidade é posta à prova.

“Se você tivesse que fazer um desejo, apenas um, qual seria ele, Perry Rhodan?”
“Eu desejaria a paz. Para a Humanidade e para todos os outros povos. Porém apenas o desejo não é o bastante. Sei que tenho que lutar pela paz. Dessa forma sei que AQUILO que mais desejo me é fundamentalmente negado.”
(Diálogo a bordo da JÚLIO VERNE, em abril de 1346 NCG)

As forças do caos despertaram – e elas se preparam para a batalha nas proximidades da galáxia da Humanidade. Elas surgem em sua forma mais terrível, a Frota Terminal Traitor. A gigantesca armada das forças do caos não pode ser vencida por meios militares convencionais.

Porém isso não é o pior. A negasfera que está surgindo na galáxia Hangay ameaça engolir a Via Láctea. Numa negasfera as leis naturais perdem sua validade e os seres vivos têm sua existência ameaçada – porém ninguém sabe exatamente o que acontece em seu interior.

Mas Perry Rhodan decidiu lutar contra a negasfera!

As perguntas básicas que os terranos se fazem no momento são as seguintes: O caos é reversível? E como o processo de transformação de uma galáxia em um local de leis físicas caóticas pode ser revertido?

Esta resposta existe– porém ela parece estar perdida no passado distante.

Com um audacioso “salto contextual” a JÚLIO VERNE, a mais moderna nave expedicionária da Humanidade, viaja ao passado remoto da Via Láctea.

Há vinte milhões de anos começa a busca ao conhecimento perdido da História!

Os terranos sabem que devem ir à galáxia Tare-Scharm, mas suas coordenadas se perderam ao longo dos milênios. Neste local desconhecido do universo uma negasfera desenvolveu-se no passado distante.

Esta é uma zona de caos e estranheza, na qual as leis naturais perderam sua validade. Essa região é dominada por um caotarca, que vive em ambientes com leis físicas sinistras.

A superinteligência ARCHETIM e seus aliados, as forças positivas daquela época, conduziram uma luta sem piedade contra as forças do caos. Sua arma é a retroversão, o processo de transformação de TareScharm em uma galáxia normal novamente.

Esse processo deve ser observado a qualquer preço por Perry Rhodan, Gucky, Mondra Diamond e a tripulação da JÚLIO VERNE. Só assim poderá haver alguma esperança...

Se eles não conseguirem trazer o conhecimento da retroversão para o presente, o fim da Humanidade não poderá ser impedido. A Humanidade será apenas uma “vítima colateral” de uma batalha colossal, cujos limites não podem ser medidos pelos seres humanos...

O futuro da Terra – é decidido no passado distante!

Na pista do caos

A JÚLIO VERNE penetra no desconhecido, indo até o interior de Tare-Scharm. Esta é uma galáxia num estado sinistro, onde uma terrível guerra é travada há anos.

Um campo de batalha de proporções galáticas é explorado pela JÚLIO VERNE: as tropas de Archetim contra as forças do caos... E o inimigo, que dispõe de bilhões de combatentes e é aparentemente invencível, é liderado por KOLTOROC, a mesma superinteligência que comanda a Frota Terminal Traitor no presente.
Contudo Perry Rhodan prossegue em sua missão com persistência e determinação. A viagem para Tare-Scharm testa a tripulação da JÚLIO VERNE e a leva ao encontro de velhos e novos amigos – e também a uma aliança bastante improvável.

O papel de simples observadores do passado é contudo rapidamente abandonado: o terrano imortal e sua nave são inesperadamente colocados no centro dos acontecimentos – e se tornam o fiel da balança do conflito, o que aparentemente tem consequências para todo o futuro do universo!

Misteriosos amigos e parceiros

O comandante Pothawk e seus companheiros, Vizquegatomi e Limbox, os “ladrões de alta tecnologia” do povo dos laosoors, conseguem, após várias aventuras, encontrar o caminho de volta para sua pátria, o gigantesco mundo artificial Laomark.

Porém qual é o real papel desempenhado pelos “ladrões de alta tecnologia” do povo dos laosoors?

Qual é sua relação com a guarda pressora? E o que eles buscam com seus roubos e suas missões de reconhecimento?

E qual é o papel desempenhado por Ekatus Atimoss, o mutante que opera nos bastidores?

Quem construiu Cheos-Tai, o “Criador da Lei”? Qual é o objetivo do Criador da Lei, e como ele funciona?

E quem são os engenheiros thermodin, que controlam seu interior?

No foco dos acontecimentos do presente – Atlan na proto-negasfera Hangay

“Imagine que restam sessenta minutos para o fim. E que você tem que escolher entre salvar um amigo ou um planeta. Quem você salvaria, arcônida?”
“Dê-me um couraçado e uma boa tripulação e salvarei ambos!”
(Diálogo a bordo da RICHARD BURTON, em abril de 1346 NCG)

O arcônida Atlan luta pelo futuro de toda a Via Láctea no centro do perigo. Ele utiliza uma antiga estrada de transmissores lemurense para chegar à galáxia Hangay com uma ponta de lança da Terra, a qual ele lidera na luta contra a Frota Terminal. Nem Atlan nem sua tripulação sabem o que realmente os aguarda.

Junto deles encontram-se contudo poderosos aliados: entre eles a misteriosa parapositrônica Escher, que desempenha um papel muito misterioso, e seus avatares, Pal Astuin e Merlin Myhr.

Com sua nave especial RICHARD BURTON o arcônida chega finalmente ao seu destino. Junto dele estão três gigantescas naves Box da LTL, as naves cúbicas ATOS, PORTOS E ARAMIS.

Como se temia, Hangay se tornou uma área proibida: a Frota Terminal protege seu território. Lá Atlan topa com a maior movimentação de forças militares já vista nesta parte do universo.

E a galáxia já está separada da Rede Psiônica, as linhas gravitacionais cósmicas que atravessam todo o universo. Em nenhum momento o hiperespaço alterado oferece uma brecha para a passagem da RICHARD BURTON.

Contudo Atlan e seus amigos possuem um trunfo secreto, com o qual eles esperam obter uma vantagem: um mapa da proto-negasfera!

O inimigo se agrupa No interior da galáxia ocupada Hangay a Frota

Terminal Traitor erige sua base: ela é um baluarte do caos, uma fortaleza contra as forças da ordem, que inevitavelmente atacarão Hangay.

Traitanques e fortes da frota, arautos terminais e caopressores, roteadores espaçotemporais e o Elemento da Escuridão – todos eles preparam-se para a Batalha Final, que decidirá o destino do Grupo Local de galáxias.

Nesse quebra-cabeças, qual é o papel desempenhado por Kirmizz, o piloto designado para o caotênder Vultapher?

E quando intervirá KOLTOROC, a misteriosa superinteligência que comanda Traitor?

Na hora certa

Contudo Atlan e a RICHARD BURTON felizmente não estão sozinhos contra o gigantesco e poderoso inimigo em Hangay. Kartanenses, hauris, vennoks e gryolenses – as forças unidas da galáxia lutam de forma coordenada nos bastidores.

Até mesmo a nave dourada SOL, desaparecida há anos, opera na área de conflito. Atlan encontra-se novamente com os imortais Ronald Tekener e Dao-LinH'ay, com o halutense albino Blo Rakane, com Fee Kellind e sua tripulação, com Benjameen da Jacinta e Tess Qumisha – e também com os mons'serimers.

Atlan, a SOL e os povos de Hangay devem se unir se quiserem ter uma chance contra o poder superior do inimigo. Contudo o tempo urge: no interior de Hangay já surgiram algumas zonas estranhas e misteriosas, que são chamadas de células protocaóticas...

O arcônida tem certeza de algo: todo o esforço será em vão se eles não conseguirem iniciar a retroversão de Hangay antes do início da Batalha Final.

O sucesso da RICHARD BURTON depende de Perry Rhodan – ou seja, se o amigo terrano de Atlan conseguirá trazer o conhecimento do passado para o presente.

Os defensores do presente – Reginald Bull na Via Láctea

“Bull, algum dia você poderá estar no lugar de Perry Rhodan. Será que este seria um dia feliz para você?”
“Com mil demônios, por quê a pergunta? Tenho um sistema solar para defender! Em minha mente não há espaço para bobagens!”
(Diálogo durante uma pausa para o café na Residência Solar, em abril de 1346 NCG)

O Sistema Solar ainda se encontra sob um cerco inacreditável. Nunca em sua história a Humanidade esteve diante de um inimigo tão decidido e em tão grande número. Centenas de milhares de traitanques, as naves de combate da Frota Terminal, circulam em volta do campo Terranova – e eles estão prontos para iniciar um ataque mortal assim que perceberem alguma falha dos terranos.

Porém Reginald Bull, o ministro da defesa da Liga dos Terranos Livres, mantém sua posição no mundo natal da Humanidade. Não é a primeira vez que o portador de ativador se vê diante de tal responsabilidade. E, apesar da imensa superioridade do inimigo, ele não se dá por vencido.

Bull é auxiliado pelo Núcleo dos mutantes monocromáticos e também pelo 1,4 bilhão de terranos que defendem a Terra nos estações psi do Sistema Solar, onde sua energia mental é utilizada para fortalecer o campo Terranova. Nesta situação cada terrano é importante, e juntos todos ajudam a defender o planeta da ameaça.

Os filhos de Perry Rhodan

Nesse meio tempo Bull utiliza todos os meios ao seu alcance para fazer uma busca secreta pela galáxia: ele procura por Roi Danton, o filho perdido de Rhodan!

Será que Danton ainda está vivo? E, se estiver, onde ele se encontra? E nas mãos de quem?

Uma paz enganosa reina na Via Láctea: a Frota Terminal não consegue mais criar “gabinetes”, os componentes básicos do caotênder Vultapher – enquanto os defensores não conseguem ganhar território, devido ao poder superior das forças de ocupação.

A luta em todas as frentes é conduzida contudo em segredo e com todos os truques possíveis...

Na linha de frente age Kantiran, o outro filho de Perry Rhodan, para os Pilotos da Paz, em companhia da mulher cyno Cosmuel Kain.

Reginald Bull reconhece: seus esforços não conseguirão manter os traitanques afastados por muito tempo, nem o desconhecido comandante da Frota Terminal.

Seu maior oponente no momento é Antakur von Bitvelt, o supervisor geral da Frota Terminal, que vive no castelo cósmico Crult...

Um amigo perdido

A superinteligência "AQUILO", o velho amigo e mentor da Humanidade, abandonou a Via Láctea já há algum tempo. Os motivos para isso ainda não são completamente conhecidos, e pouco a pouco percebese que a superinteligência está muito distante da Terra.

Neste lugar incrivelmente distante não há seres humanos. "AQUILO" planeja assim levar a Humanidade para lá, para a segurança nessa desconhecida e misteriosa utopia entre as estrelas. Num lugar onde reina a paz, onde não há a ameaça constante da Frota Terminal Traitor, onde a Humanidade poderá continuar sua vida de sempre sem preocupações.

É uma proposta tentadora, com a qual ninguém havia contado: "AQUILO" propõe o êxodo da Humanidade. A fuga do cerco, um asilo longe de todas as batalhas, onde Traitor seria apenas uma palavra que remeteria a um passado há muito esquecido.

Esta é uma oferta que divide Bull internamente. O que ele deverá escolher: a segurança no desconhecido, a salvação para os filhos da Terra – ou a possível queda dos planetas do Sistema Solar, numa batalha final pela pátria dos seres humanos?

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 2500 a 2599 – Período da história: 1463 NCG (5050)
Data de publicação na Alemanha: 2009 a 2011
Ciclo ainda inédito no Brasil


Os terranos levam uma maravilha tecnológica para o Sistema Solar — mas a Monarquia Frequencial a quer de volta a qualquer preço.
Atlan e a Júlio Verne avançam até Andrômeda — e descobrem os mundos de hibernação da Monarquia Frequencial.
Perry Rhodan viaja à galáxia Anthuresta e se reencontra com os seres humanos do sistema Stardust — mas se defronta com a ameaça da entidade cósmica VATROX-VAMU.



PR2500Desde o fim da negasfera de Hangay e a retirada da Frota Terminal Traitor do Grupo Local de Galáxias, passaram-se mais de cem anos. Os povos galácticos aproveitaram esse período de paz para consolidar o Novo Galacticum, a união política, econômica e militar dos principais povos da Galáxia. O futuro parece promissor, já que o trauma da invasão de Traitor fez com que os povos da Galáxia deixassem suas diferenças de lado e voltassem a trabalhar em conjunto. O líder do Novo Galacticum é o imperador arcônida Bostich I, que aparentemente abandonou seus planos de expansão para trabalhar pelo bem comum da Via Láctea.

Porém, em janeiro de 1463 do Novo Calendário Galáctico, uma nova crise abala a Galáxia. A estação Galileu, que havia sido descoberta há cerca de sessenta anos nas profundezas da Via Láctea e colocada na órbita de Saturno para ser estudada pelos cientistas terranos, começa a entrar em atividade. Galileu, que possui formato quadrático e uma extensão de 2.500 metros, parece ser uma estação transmissora de matéria muito avançada, porém inativa. Subitamente, ela começa a emitir inúmeras mensagens na língua dos Sete Poderosos, que alertam sobre a guerra entre os moduladores de semitrilha e a Monarquia Frequencial. Pouco depois, os campos de transmissão se ativam pela primeira vez, e surgem na estação o seguidor da frequência Sinnafoch e um exército de soldados clonados, os darturkas, que, contudo, conseguem ser repelidos pelos terranos. Apesar disso, Sinnafoch promete não desistir de tentar reconquistar Galileu, já que ela é fundamental para que a Monarquia Frequencial possa reencontrar o Arsenal Paralox, uma fonte de imenso poder que está desaparecida há milhões de anos.

Nos meses seguintes, o Sistema Solar é atacado seguidas vezes por frotas cada vez maiores de naves de guerra da Monarquia Frequencial, que se parecem com gigantescos diamantes vermelhos. Em várias dessas batalhas, Sinnafoch morre, porém sempre retorna num corpo clonado, o que mostra aos terranos que os membros da Monarquia Frequencial são imortais.

Enquanto isso, o arcônida Atlan utiliza a nave JÚLIO VERNE para viajar a Andrômeda e obter mais informações sobre a Monarquia Frequencial e seus mundos de hibernação. A JÚLIO VERNE, que foi equipada com a incompreensível tecnologia Cosmocrata no misterioso planeta-estaleiro Evolux, é a nave mais avançada do Grupo Local de Galáxias, podendo atingir um fator ultraluz de 450 milhões e percorrer até 600 milhões de anos-luz com uma única recarga energética hiperdimensional. Dessa forma, sua velocidade, sua autonomia e seu poder de fogo são cerca de duzentas vezes maiores do que as das naves mais avançadas da frota Terranova e do Novo Galacticum...

Atlan com a JÚLIO VERNE conseguem reativar vários transmissores solares lemurenses, o que permite a transferência rápida de grandes frotas do Novo Galacticum para Andrômeda. Essa força de batalha descobre que grandes partes de Andrômeda estavam sob o domínio da Monarquia Frequencial, porém pouco a pouco ela consegue encontrar e destruir os seis mundos de hibernação existentes na galáxia, o que representa um grande golpe para o inimigo. Mais de um bilhão de “almas” dos VATROX, a raça principal da Monarquia Frequencial, são destruídas nos ataques.

PR2550Reconhecendo que os terranos eram um inimigo muito mais perigoso do que havia imaginado, a Monarquia Frequencial envia um “olho de fogo” ao Sistema Solar, um gigantesco aglomerado de matéria psi pura, que consegue atravessar o campo Terranova e rumar diretamente para o Sol. A destruição do sistema é impedida no último momento por AQUILO; porém, essa ação debilita seriamente a superinteligência.

Ao longo da batalha contra a Monarquia Frequencial, os terranos descobrem mais detalhes sobre seu poderoso inimigo. A Monarquia surgiu há dez milhões de anos, época em que ela começou a controlar a Rede Polyport, uma gigantesca rede de estações transmissoras de matéria que se estendia por doze galáxias. Porém, em todo esse tempo, a Monarquia esteve ativa apenas durante três períodos de “hiperdepressão”, que é como eles denominam as fases cíclicas de alta resistência hiperfísica do Universo. Cada um desses períodos durou entre 27.000 e 80.000 anos, e, ao final de cada um deles, os bilhões de membros da Monarquia se retiravam para seus mundos de hibernação e aguardavam o retorno da alta resistência hiperfísica. No ano 1331 NCG, quando começou o que os terranos chamam de “hiperimpedância” e a Monarquia Frequencial de “Quarta Hiperdepressão”, os membros da Monarquia saíram de um período de hibernação de mais de sete milhões de anos e começaram a reconquistar as estações Polyport, que foram construídas originalmente pelos anthurianos, uma raça há muito desaparecida.

Durante as hiperdepressões, a Monarquia acumula matéria psi no Arsenal Paralox, expande seu poder nas doze galáxias conectadas pela rede Polyport e prepara-se para o retorno da resistência hiperfísica aos seus valores normais. Quando isso acontece, seus milhões de membros “morrem”, e suas consciências são guardadas nos mundos de hibernação, onde eles podem passar milhões de anos aguardando pelo próximo período de hiperdepressão. A Monarquia Frequencial planeja usar futuramente o Arsenal Paralox para alterar permanentemente as constantes físicas do Universo, o que poderia prolongar indefinidamente um estágio de hiperdepressão. Isso seria extremamente benéfico para eles, já que sua tecnologia atingiu um grau muito avançado de adaptação às condições da hiperimpedância.

Os líderes da Monarquia Frequencial são as entidades VATROX-DAAG e VATROX-CUUR, compostas pelas consciências de bilhões de VATROX que viveram na época da Primeira Hiperdepressão. VATROX-VAMU, uma terceira entidade, é um inimigo declarado da Monarquia, sendo provavelmente responsável pelo desaparecimento do Arsenal Paralox após o fim da Terceira Hiperdepressão.

PR2599Seguindo as pistas deixadas pela Monarquia Frequencial, Perry Rhodan usa a Rede Polyport para chegar à galáxia Anthuresta, a pátria dos anthurianos. Lá, ele reencontra-se com os habitantes do sistema Stardust, uma importante colônia humana situada nessa galáxia, localizada a 663 milhões de anos-luz da Via Láctea. Em 1346 NCG, quando o Sistema Solar estava sob o cerco de milhares de naves da Frota Terminal, mais de 800 milhões de terranos aceitaram o convite de AQUILO e se transferiram para o sistema Stardust, pois a superinteligência queria garantir a sobrevivência da Humanidade caso a negasfera de Hangay não pudesse ser controlada e a Via Láctea fosse destruída. Durante décadas, essa colônia prosperou em paz, porém, subitamente ela volta a ser o centro das atenções devido à reativação das estações Polyport e o despertar de milhões de VATROX nos mundos de hibernação existentes em Anthuresta, que farão de tudo para vingar as derrotas sofridas pela Monarquia Frequencial na Via Láctea e em Andrômeda...

E, para piorar ainda mais a situação, a entidade VATROX-VAMU descobre a localização do sistema e avança diretamente para seus planetas principais, o que poderá significar a aniquilação de toda a vida inteligente num raio de bilhões de quilômetros...

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 2600 a 2699 – Período da história: 1469 a 1470 NCG (5056 a 5057)
Data de publicação na Alemanha: 2011 a 2013
Ciclo ainda inédito no Brasil


A superinteligência negativa QIN SHI transfere todo o Sistema Solar para uma bizarra anomalia espacial que estava prestes a se tornar um “neuroverso”, um universo com uma estrutura neuronal. Perry Rhodan descobre na galáxia Chanda um plano de várias superinteligências para criar um universo paralelo que estaria livre das influências dos Cosmocratas e dos Caotarcas.



PR2600No ano 1469 do Novo Calendário Galáctico, seis anos após o fim do conflito com a Monarquia Frequencial, a situação está tranquila na Via Láctea e nas demais galáxias da Rede Polyport. Perry Rhodan cedeu o cargo de Residente Terrano para Reginald Bell, pois foi nomeado Representante Especial para o Domínio Polyport pelo Novo Galacticum. Em seu novo cargo, Rhodan tenciona enviar a nave portadora BASE através da Rede Polyport para a galáxia Anthuresta, onde ela seria “estacionada” e transformada num entreposto comercial. Porém, em setembro de 1469 NCG, ocorre o inesperado: todo o Sistema Solar desaparece subitamente, surgindo em seu lugar o “Setor Zero”, uma bizarra anomalia espacial. Ao mesmo tempo, a BASE, com Perry Rhodan a bordo, é transferida para a galáxia Chanda, onde sua tripulação começa uma luta de vida ou morte contra os dosanthis, uma estranha raça dotada de poderosas paracapacidades.

O súbito desaparecimento do Sistema Solar provoca o caos na Via Láctea. Enquanto as frotas terrana e do Novo Galacticum cercam o Setor Zero, onde a navegação espacial é praticamente impossível devido ao caos hiperfísico permanente, é convocada uma reunião de emergência da Liga dos Terranos Livres, na qual são escolhidos um novo líder, Arun Joschannan, e um novo planeta-sede: Maharani, situado no setor das Plêiades. O Novo Galacticum também se reúne, e seu presidente, o imperador arcônida Bostich, declara guerra contra o inimigo desconhecido que sequestrou o Sistema Solar.

A JULIO VERNE, sob o comando de Ronald Tekener, realiza o primeiro voo de reconhecimento do Setor Zero. Ela, que é a única nave que consegue penetrar na área sem ser destruída, descobre indícios de que o desaparecimento do sistema foi provocado por algo ou alguém que conseguiu invadir e controlar secretamente 48 naves da frota de defesa do sistema. Pouco depois, os terranos e arcônidas descobrem que duas raças até então desconhecidas (os augures e os badakks) vinham implantando parasitas de controle mental em algumas das mais importantes personalidades da Galáxia. Essas raças recebiam ordens de QIN SHI, uma “superinteligência parasitária” até então desconhecida e que aparentemente queria desestabilizar politicamente a Via Láctea. Como superinteligências parasitárias precisam absorver energia vital periodicamente, a descoberta da existência de QIN SHI representa uma grande ameaça para todos os povos da Galáxia.

PR2650Enquanto isso, os habitantes do Sistema Solar descobrem que foram transferidos para a “Anomalia”, um universo em miniatura com apenas 143 anos-luz de diâmetro, no qual as leis físicas parecem estar em constante mutação. A situação é caótica, pois asteroides e objetos do cinturão de Kuiper vagam livremente pelo sistema, o que provoca várias catástrofes naturais na Terra, em Marte e nas luas dos planetas exteriores. Na Terra, os augures (também conhecidos como sayporanenses) anunciam o início de uma nova era e influenciam hipnossugestivamente crianças e adolescentes. Eles começam a levar milhares de jovens para seu planeta natal através de um transmissor para “formatá-los”, ou seja, transformá-los psiquicamente em augures, para que possam retornar à Terra e liderar os seres humanos nessa nova etapa da história da Humanidade.

Naves desconhecidas chegam ao Sistema Solar e cobrem o Sol com a “Crosta Fimbul”, que aprisiona toda a luz gerada pelo astro-rei. Dessa forma, o Sol torna-se completamente escuro, o que provoca uma nova era glacial na Terra. Algumas das naves alienígenas caem na Terra e liberam nanomáquinas altamente sofisticadas, que provocam terremotos e destruição em larga escala.

Nessa situação crítica, os terranos começam a explorar a Anomalia, que, após a chegada do Sistema Solar, passou a ter 48 sistemas planetários em seu interior, e descobrem que ela é instável, podendo entrar em colapso a qualquer momento. Eles também descobrem que ela só poderá ser estabilizada permanentemente quando se tornar um “neuroverso”, ou seja, um universo “vivo”, com consciência e uma estrutura neuronal. Porém, isso somente ocorrerá quando houver 48 superinteligências dentro da anomalia agindo em conjunto para estabilizá-la.

Enquanto isso, Perry Rhodan descobre a bordo da BASE que a nave estava sendo transportada para um gigantesco estaleiro para ser “reconfigurada”, o que daria origem à “lente multiuniversal”, um artefato indispensável para a criação e o controle de um neuroverso...

Dessa forma, pouco a pouco os terranos descobrem que precisam responder as seguintes perguntas para conseguir salvar o Sistema Solar e a Via Láctea:
 
- Por que a superinteligência parasitária QIN SHI constrói miniuniversos?
- Por que QIN SHI quer se apoderar do Traje dos Universos e da lente multiuniversal?
- Por que o Sistema Solar foi transferido para a Anomalia?
- O que é o “Gongo Úmbrico”, o misterioso objeto que os jovens “reformatados” pelos augures instalaram na Terra?
- Por que Delorian, um dos filhos de Rhodan, tem tanto interesse em QIN SHI e na Anomalia?
 
PR2699As respostas a essas perguntas revelarão aos terranos um plano complexo e antiquíssimo, elaborado por várias superinteligências ao longo de milhões de anos... Seu objetivo final é a criação de um novo universo, completamente independente do universo normal e livre das influências dos cosmocratas e caotarcas.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 2700 a 2799 – Período da história: 1514 a 1517 NCG (5101 a 5104)
Data de publicação na Alemanha: 2013 a 2015
Ciclo ainda inédito no Brasil


Nossos heróis estão no ano 1517 do Novo Calendário Galáctico (NCG). A Via Láctea está em grande parte, sob a influência do Tribunal Atópico. Os juízes afirmam que só eles podem deter a conflagração universal, que de outra forma, inevitavelmente destruiria a galáxia.

Mas quem são esses juízes, exteriormente tão diferentes, de onde deriva sua autoridade para legislar, de onde eles vêm? Estas são as perguntas que Perry Rhodan faz, que por juízes como o Cardeal Fractor – o principal responsável – foi condenado junto com Bostich I pelo suposto iminente desaparecimento da Via Láctea.

Da distante galáxia Larhatoon, Rhodan traz o conhecimento de que o verdadeiro reino dos juízes é “O Espaço Atemporal”. O terrano imortal, providencia em companhia de Atlan, e o lare Avestry-Pasik, o embarque na nave do Juiz Chuv e o mantêm sob seu controle: agora Perry Rhodan é o novo comandante da nave. E imediatamente partem com ela para um novo destino…



Quando o Sistema Solar regressa à sua posição original no universo einsteiniano em 17 de janeiro de 1470 do Novo Calendário Galáctico (NCG), os terranos descobrem que ocorreu uma dilatação temporal de 33 anos, e, dessa forma, na Via Láctea se registra o ano 1503 NCG. Porém, o sistema voltou sem a Lua, que, por algum motivo desconhecido, desapareceu durante o transporte. Isso causa grandes distúrbios gravitacionais e ecológicos na Terra.

Em 1512 NCG, a Lua retorna subitamente à sua órbita original, porém os terranos percebem que ela está muito modificada: uma “tecnotrama” verde cobre completamente sua superfície, e um campo repulsor impede a aproximação de qualquer objeto. O rato-castor Gucky tenta teleportar-se para a Lua, porém é arremessado violentamente de volta e entra em coma. Quando finalmente desperta, dois anos depois, ele descobre que adquiriu paracapacidades totalmente novas, que, contudo, ameaçam sair de controle. Ele se tornou um “psicovampiro”, um mutante que consegue absorver as paracapacidades de outros mutantes, que, entretanto, não sobrevivem ao processo.

A Rede Polyport, cujas estações na Via Láctea estavam sendo reivindicadas pela Nova Tamânia, formada por centenas de colônias tefrodenses situadas no setor oriental da Galáxia, começa a apresentar estranhas oscilações e interferências, e descobre-se que seres originários de uma época situada cinco bilhões de anos no futuro estavam interferindo em seu funcionamento. Para garantir a segurança da Galáxia, Rhodan desativa toda a Rede Polyport, o que interrompe totalmente o comércio entre as doze galáxias que faziam parte da Rede.

Em 1514 NCG, a STARDIVER, uma nave comandada por Perry Rhodan e equipada com um novo tipo de propulsor que permite entradas e saídas extremamente precisas do hiperespaço, consegue pousar na Lua. Lá ele encontra-se com os onriones, seres humanoides a serviço de uma organização chamada Tribunal Atópico. Pouco tempo depois, esse tribunal demonstra todo o seu poder: os juízes atópicos Chuv e Matan Addaru Dannoer acusam Perry Rhodan e Gaumarol da Bostich de serem dois dos três responsáveis pela “Ecpirose de GA-Yomaad”, a aniquilação da Via Láctea, que deve ocorrer num futuro próximo. Durante o julgamento a testemunha principal de acusação é Julian Tifflor, um dos mais antigos colaboradores de Perry Rhodan. Todo o processo dura apenas algumas horas, e os dois acusados são declarados culpados, sendo condenados a um banimento de 500 anos para um “mundo escuro” dos onriones. Durante o julgamento, Rhodan percebe que o Tribunal Atópico não estava interessado em justiça, e sim em proteger sua própria existência. Os terranos também descobrem que o corpo do juiz atópico Matan Addaru Dannoer era apenas uma projeção material de outro ser, o que o tornava imune a qualquer tipo de ataque.

Pouco a pouco, os atopes e seus ajudantes (os onriones, os transmorfos jajs, os “tecnólogos” tolocestes e os tesquires, propagandistas do Tribunal) acabam com toda a resistência dos povos da Via Láctea: a nave JÚLIO VERNE cai numa armadilha dos onriones e é destruída, os voos interestelares são severamente limitados, a United Stars Organization (USO) é declarada uma organização terrorista, e o Império Arcônida é desmantelado. O sistema Árcon é abandonado pelos arcônidas e entregue pelo Tribunal aos seus habitantes originais, os naats. No longo prazo, a Via Láctea será dividida em esferas de influência, os chamados “domínios”, que impõem limites severos aos voos interplanetários e interestelares. O objetivo final do Tribunal é pacificar completamente a Galáxia, o que eliminará qualquer possibilidade de a Ecpirose se tornar realidade.

A USO e a LTL (Liga dos Terranos Livres) trabalham, em conjunto com vários outros povos e organizações, contra o Tribunal. Eles correm contra o tempo para encontrar uma defesa contra a principal arma do inimigo, os torpedos lineares, que dão ao Tribunal uma vantagem estratégica decisiva. Os terranos também descobrem que os onriones possuem dezenas de gigantescas bases escondidas no hiperespaço, o que explica a rapidez com a qual eles conseguem enviar simultaneamente gigantescas frotas para diversos pontos da Via Láctea.

Contudo, nem todos se colocam contra o Tribunal: alguns povos, como os tefrodenses, os apoiam abertamente. Seu líder é o ambicioso Vetris-Molaud, que vê a si próprio como o verdadeiro sucessor de Perry Rhodan. Ele recebe um ativador celular do Tribunal Atópico e aumenta cada vez mais seu poder ao longo dos anos, chegando inclusive a adotar o título de “Maghan”, o mesmo que era usado pelos senhores da galáxia. Seus dois maiores colaboradores são seu próprio Exército de Mutantes, que ele usa de forma inescrupulosa, e a misteriosa “reencarnação” de um senhor da galáxia esquecido, o Fator IV original, Zeno Kortin, cuja consciência estava guardada de forma fragmentada em antigas estátuas.

Reginald Bull, o velho companheiro de Perry Rhodan, é enviado inesperadamente para a Cidade Onipresente, uma estranha cidade que se estende por milhares de planetas em centenas de galáxias e que é habitada por cientistas que estudam os artefatos deixados pelos cosmocratas e caotarcas. Um deles é um “selo” dos caotarcas, que impregna o ativador celular de Reginald Bull com uma “aura do caos”. Bull fica fascinado pela cidade, cujo nome original é Pha Gashapar, e decide tentar desvendar seus mistérios.

Devido à desativação da Rede Polyport e à destruição da JÚLIO VERNE, Homer G. Adams inicia em segredo a construção de uma nave da nova classe Supernova, que deverá ser enviada a uma galáxia distante para resgatar Perry Rhodan e Bostich. Esta nave, batizada com o nome do lendário mutante teleportador Ras Tschubai, possui 3.000 metros de diâmetro, centenas de naves auxiliares e várias tecnologias experimentais, como os conversores lineares do tipo Hawk V e o progressor hipertrans, um propulsor dimessexta totalmente adaptado às condições da hiperimpedância. A nave finalmente chega ao seu destino no início de 1517 NCG, após apenas algumas semanas de voo.

Perry Rhodan e Bostich conseguem fugir de sua prisão atópica e descobrem que se encontram na galáxia Larhatoon, a pátria dos lares, que se encontra há séculos sob as diretrizes do Ordo Atópico, a “paz forçada” dos atopes. Lá, eles fazem uma aliança com a resistência, liderada pelo lare Avestry-Pasik, e descobrem indícios de uma antiga conexão entre Larhatoon e a Via Láctea. Durante sua permanência em Larhatoon, eles se tornam testemunhas do cotidiano de uma galáxia cujo destino é influenciado há séculos pelo Tribunal Atópico. Nessa galáxia existe o Museu Contrafactual, que mostra aos seus visitantes o futuro sombrio de Larhatoon caso o Tribunal Atópico não tivesse chegado à galáxia e instituído o Ordo Atópico.

Em Larhatoon, Rhodan descobre que o Tribunal origina-se dos Domínios Intemporais, uma área do Universo que só pode ser alcançada por uma nave de um juiz atópico que seja pilotada por alguém que já esteve além das fontes de matéria. Isso leva Rhodan a tomar a arriscada decisão de tentar capturar uma nave de um juiz atópico. Durante suas tentativas, ele acaba descobrindo que os dois juízes atópicos ativos em Larhatoon nasceram na própria galáxia, porém em épocas diferentes de um futuro distante. Ele também descobre a existência dos “cosmoglobos” do Tribunal Atópico, miniuniversos que possuem um ritmo temporal próprio e que formam a “Sincronia”, o único ponto de acesso aos Domínios Intemporais.

Perry Rhodan utiliza um artefato do Tribunal Atópico e consegue entrar em contato mental com uma entidade misteriosa, que parece ter conhecimento absoluto de tudo que já aconteceu e que ainda vai acontecer no Universo. A entidade percebe a presença de Rhodan e envia-lhe a seguinte mensagem: “Não tenha medo, tudo acabou de começar. Estamos nos Domínios Intemporais.” Ele percebe que a chave para desvendar os segredos do Tribunal Atópico talvez esteja nas Três Perguntas Fundamentais que os juízes atópicos tentam responder, que aparentemente são variações das Três Perguntas Fundamentais que a ordem dos cavaleiros das profundezas tentou responder durante milhões de anos:

  1. O que ocorre além do horizonte da Lei?
  2. Em qual lado do espelho da Criação se encontra o Indagador?
  3. A quem pertence o tempo?

Após o retorno de Rhodan e Bostich à Via Láctea, os terranos finalmente atingem seu objetivo: eles conquistam a nave do juiz Chuv, que passa a ser pilotada por Atlan.

Porém, a viagem pela “Sincronia” será uma missão arriscada, já que o Tribunal Atópico fará tudo que estiver ao seu alcance para evitar que seres do ano 1517 NCG cheguem aos Domínios Intemporais...

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 2800 a 2874 – Período da história: 1517 a 1519 NCG
Data de publicação na Alemanha: 2015 a 2016
Ciclo ainda inédito no Brasil


Na Terra registra-se o outono do ano 1517 do Novo Calendário Galáctico (NCG). Os Humanos habitam todas as partes da Via Láctea, milhares de mundos estão na Liga dos Terranos Livres. Eles negociam com os outros povos da Via Láctea, e na medida do possível há paz entre as estrelas.

Mas os Humanos não são realmente livres. Elas estão – como todos os outros moradores da galáxia – sob o domínio do Tribunal Atópico. Os chamados Juízes Atópicos, afirmam que somente eles e o seu poder militar podem garantir a paz na Via Láctea.

Para que Perry Rhodan e seus companheiros lutem contra esse poder, eles precisam saber de onde vem os juízes. Sua origem está no Espaço Atemporal, uma região do universo da qual até agora ninguém sabe nada.

Os terranos pretendem avançar neste espaço misterioso: com a RAS TSCHUBAI e uma equipe ousada, Perry Rhodan parte em um voo para o desconhecido. Mas então tudo dá errado – os companheiros entram em um sinistro plano temporal...



Após a captura da CHUVANC, a nave do juiz atópico Chuv, Atlan tornou-se o piloto da nave. Porém, ele é muito mais do que um simples piloto: na verdade, ele tornou-se uma parte essencial da nave atópica. Após a morte de Chuv, a “alma” da nave, chamada de Anc, estabeleceu uma conexão com o arcônida, e, desde então, a CHUVANC passou a se chamar ATLANC. Em 17 de novembro de 1517 do Novo Calendário Galáctico (NCG), a ATLANC penetra na Sincronia, um tipo de “segundo tempo” que conecta o universo normal aos Domínios Intemporais, o local de origem do Tribunal Atópico. A RAS TSCHUBAI, a mais moderna nave dos terranos, a acompanha dentro dela, miniaturizada. A nave do Tribunal Atópico possui as chamadas sincavernas, dimensões artificiais que aumentam exponencialmente a capacidade de carga da nave, tornando-a capaz de transportar objetos muito maiores do que ela. Numa outra sincaverna, viaja a LARHATOON, uma nave comandada pelo lare Avestry-Pasik, que deseja ajudar os terranos em sua luta contra o Tribunal Atópico.

Porém, logo no início do voo, algo completamente inesperado acontece: os lares a bordo da LARHATOON manipulam Atlan, que involuntariamente conduz a nave ao ano 20.103.191 a.C. Durante essa viagem ao passado, surge uma gigantesca “Fenda Temporal”, uma anomalia energética que atravessa toda a Via Láctea. Avestry-Pasik e seus companheiros fogem da ATLANC com sua nave LARHATOON, e sua missão é clara: eles desejam impedir o desaparecimento da Primeira Civilização Lare, o que poderá criar um paradoxo temporal que anulará a existência da Humanidade. Enquanto Atlan prossegue viagem rumo aos Domínios Intemporais com a ATLANC, Rhodan decide permanecer no passado com a RAS TSCHUBAI para tentar impedir os planos de Avestry-Pasik.

O passado: Perry Rhodan no ano 20.103.191 a.C.

No passado distante, os terranos a bordo da nave portadora RAS TSCHUBAI são testemunhas da guerra de aniquilação dos tiuphores contra os povos daquela época. Esse povo nômade, que viaja de galáxia em galáxia em suas fortalezas estelares, tem sua cultura baseada na guerra e na morte, o que os leva a destruir planetas inteiros em suas "campanhas", guerras temporárias que visam integrar o maior número possível de constantes FRESS dos inimigos mortos nos gigantescos cristais sextadim existentes na proa de suas naves. Tais cristais são símbolos de status entre os tiuphores, armazenando tanto as almas de seus inimigos quanto as dos guerreiros tiuphorenses que mais se destacaram na batalha, garantindo-lhes assim a imortalidade. Porém, enquanto as almas dos tiuphores vivem em relativa tranquilidade, as almas dos inimigos sentem dores lancinantes em seu estado imaterial, o que as faz desejar constantemente a morte definitiva.

Os tiuphores possuem duas tecnologias que lhes dão uma vantagem tática decisiva durante as campanhas: o hipermanto e os doutrinadores. O hipermanto, também chamado de hipercamuflagem, é a capacidade de suas naves de operar normalmente num estado semidesmaterializado, durante o qual elas tornam-se imunes a sistemas de rastreamento e à maioria das armas conhecidas. Já os doutrinadores são nanorrobôs semimateriais que conseguem atravessar campos defensivos e controlar qualquer tipo de tecnologia. Os tiuphores utilizam essas duas tecnologias de forma inescrupulosa para destruir planetas inteiros e integrar bilhões de almas em seus cristais sextadim.

Após testemunhar um ataque dos tiuphores, Perry Rhodan toma a arriscada decisão de ajudar um dos povos atacados por eles, o que poderia causar um paradoxo temporal. Durante o processo, ele entra em contato com o Códice, uma aliança de povos que luta contra os tiuphores. Um dos povos do Códice são os raiones, os antepassados dos onriones. Dessa forma, descobre-se que os onriones são, na verdade, sobreviventes da guerra do Códice contra os tiuphores, que ocorreu há mais de vinte milhões de anos.

Durante a perseguição à LARHATOON, a RAS TSCHUBAI chega ao Sistema Solar, que nessa época possuía dois planetas adicionais: Zeut, cujos destroços formariam o anel de asteroides entre Marte e Júpiter, e Sheheena, que seria lançado para fora do sistema e se tornaria o “mundo escuro” Medusa. O Sistema Solar é muito importante para o Códice, pois, na Terra daquela época, viviam os Guardiões do Tempo, mutantes que conseguiam prever o futuro, servindo assim como um sistema de alarme contra os ataques dos tiuphores. A LARHATOON utiliza o metal TEP existente em Zeut para tornar-se uma nave CEV. Depois disso, ela parte para a galáxia Noularhatoon, a pátria dos lares. Uma parte da frota tiuphorense a segue, bem como a RAS TSCHUBAI.

A RAS TSCHUBAI e a LARHATOON chegam à galáxia natal da Primeira Civilização Lare. Em Noular, o planeta original dos lares, os tripulantes da LARHATOON revelam ser do futuro e afirmam querer deflagrar a “revolução temporal”, um paradoxo temporal que poderá salvar os lares. Porém, as fortalezas estelares dos tiuphores chegam a Noularhatoon e atacam incontáveis planetas, inclusive Noular, provocando bilhões de mortes. Para salvar pelo menos um dos planetas habitados pelos lares, a RAS TSCHUBAI e a LARHATOON retornam à Via Láctea, onde conseguem junto ao Códice um “abismo púrpura”, um transmissor de matéria móvel que consegue transportar um planeta inteiro no tempo e no espaço. Dessa forma, eles evitarão o extermínio precoce da raça lare pelos tiuphores, o que seria um paradoxo temporal ainda maior do que a “revolução temporal” de Avestry-Pasik.

Um asteroide habitado por vinte mil lares é transferido por meio do abismo púrpura para o ano 99.781 a.C. A RAS TSCHUBAI também é transferida, porém a LARHATOON permanece no passado. Os lares batizam seu novo lar de Larhat, e Rhodan é testemunha da chegada de um enviado de AQUILO ao planeta, o que garantirá a sobrevivência da nova civilização lare e evitará um paradoxo temporal de grandes proporções.

A RAS TSCHUBAI começa um voo de dilatação relativística para retornar ao ano 1518 NCG. Porém, ele é interrompido no ano 8050 a.C., pois a tripulação percebe que a nave havia sido infiltrada por doutrinadores. Nessa época, os arcônidas e os maahks estão envolvidos na lendária Guerra do Metano. Os terranos entram na guerra e conseguem obter geradores de hiperfrio, que retardam a replicação dos doutrinadores. Dessa forma, a RAS TSCHUBAI volta a fazer seu voo relativístico rumo ao futuro. Contudo, ela é forçada a desacelerar novamente no ano 971 NCG após detectar os sinais de uma sonda deixada nessa época pela ATLANC que continha informações adicionais sobre os doutrinadores. Após avaliar a situação, Rhodan percebe que é só uma questão de tempo até a nave ser completamente controlada pelos doutrinadores, e dessa forma decide rumar para o planeta Medusa, onde esconde a nave numa enorme caverna. Os 35 mil tripulantes da RAS TSCHUBAI são colocados num estado de hibernação, e os geradores de hiperfrio são ligados ao máximo, congelando toda a nave. Como Rhodan sabe que o planeta seria descoberto por volta do ano 1518 NCG, ele acredita que os terranos do presente descobririam a nave e a salvariam dos doutrinadores.

Enquanto isso, três fortalezas estelares dos tiuphores atravessam a Fenda Temporal e chegam ao presente...

O presente: a invasão dos tiuphores no ano 1518 NCG

Em dezembro de 1517 NCG, três fortalezas estelares chegam através da Fenda Temporal às proximidades do planeta Olimpo. Porém, os tiuphores sentem imediatamente os efeitos da alta hiperimpedância, que desabilitam vários sistemas de suas naves. Apesar disso, o hipermanto ainda funciona, e, sob sua proteção, eles conseguem roubar computadores positrônicos que contêm valiosos dados sobre a hiperimpedância, que serão fundamentais para que eles consigam adaptar suas fortalezas estelares às novas condições hiperfísicas. Em abril de 1518 NCG, os tiuphores conseguem enviar os dados para seus semelhantes no passado através da Fenda Temporal, e, pouco tempo depois, uma enorme frota tiuphorense, plenamente adaptada à hiperimpedância, começa a invasão da Via Láctea. Inúmeros planetas são atacados, inclusive Maharani, o planeta central da Liga dos Terranos Livres.

A Fenda Temporal é analisada pelos terranos, que descobrem que viagens para o passado não são possíveis, apenas passagens do passado para o presente. Para enfrentar a ameaça tiuphorense, os terranos criam a Patrulha Tiuphorense, uma frota especial composta por naves terranas e arcônidas. O juiz atópico Matan Addaru Jabarim revela que a chegada dos tiuphores ao presente ameaça a cronocoerência da Galáxia, o que significa que tal invasão nunca foi relatada pelos historiadores do futuro.

Os terranos descobrem sinais do fenômeno da “deriva discronal”, uma manipulação temporal que reescreve vários fatos históricos. Essa cronomanipulação ocorre devido à superposição de realidades diferentes, ou seja, entre “o que aconteceu” e “o que poderia ter acontecido”. Uma das fontes da deriva discronal é o planeta Medusa, onde se encontra a RAS TSCHUBAI. Em maio de 1518 NCG, o planeta é descoberto pelos terranos, que encontram a caverna com a nave e conseguem salvar sua tripulação, que estava em estado de hibernação desde o ano 971 NCG para tentar se salvar da devastadora ação dos doutrinadores.

Em junho de 1518 NCG, o imperador arcônida Bostich tenta fazer uma aliança com os tiuphores contra o Tribunal Atópico, porém essa tentativa fracassa. Durante sua visita a uma fortaleza estelar, ele descobre que alguns povos auxiliares do Tribunal Atópico estão fugindo da Via Láctea, pois eles interpretaram a deriva discronal como o início da Ecpirose, a destruição da Via Láctea prevista pelo Tribunal. Alguns dias depois, Bostich ordena um ataque em grande escala à Fenda Temporal para tentar fechá-la, porém a energia liberada no ataque apenas aumenta ainda mais o tamanho e as emissões energéticas da Fenda...

O futuro: o voo de Atlan através da Sincronia

A viagem através da Sincronia é muito mais complicada e cansativa do que Atlan havia imaginado. Anc, a “alma” da nave, questiona o rumo definido o tempo todo, e Atlan tem a sensação de que um dedo gelado aperta seu coração. Ela também vasculha a parte da mente de Atlan que permanece inacessível para ele desde sua estadia além das fontes de matéria. O processo consome as forças do arcônida, que recorre a todo tipo de drogas e sedativos para se manter ativo e motivado durante o voo.

Subitamente, a nave é atacada, chegando inesperadamente ao ano 2577 NCG. Nessa época, os terranos e os tefrodenses formaram a Nova Lemúria, que domina toda a Galáxia. Seu líder e ditador absoluto é o imortal Vetris-Molaud. Nesse futuro possível, Perry Rhodan e a maioria dos outros imortais já morreram há séculos. Atlan percebe que esse é o futuro reservado para a Via Láctea caso ele não consiga chegar aos Domínios Intemporais e completar sua missão. Após inúmeros contratempos nesse “falso futuro”, a ATLANC retorna à Sincronia, recomeçando seu voo para os Domínios Intemporais a partir do ano 1518 NCG.

Mais de 700 anos se passam até a ATLANC alcançar o planeta anelar Andrabasch, que possui um portal de ligação com os Domínios Intemporais. O sofrimento de Atlan durante a viagem continua, e durante todo esse tempo a tripulação da nave aumentou para mais de cem mil pessoas, sendo a maioria delas formada por transterranos, seres humanos criados através de diversas formas de manipulação genética. Há diferentes grupos de transterranos, e a convivência entre eles nem sempre é pacífica.

Em Andrabasch, Atlan encontra-se com o piloto de outra nave atópica, que revela que o criador e senhor dos Domínios Intemporais é Thez, uma entidade muito mais evoluída que os cosmocratas e os caotarcas. Segundo ele, Thez criou os Domínios Intemporais “do nada”, sendo uma entidade incompreensível até mesmo para superinteligências.

Após passar por vários testes em Andrabasch, Atlan finalmente recebe autorização para ir aos Domínios Intemporais. Em 2271 NCG (segundo o calendário da ATLANC), Atlan, Julian Tifflor e mais alguns tripulantes da ATLANC embarcam num transporte atópico e chegam aos Domínios Intemporais.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 2875 a 2899 – Período da história: 1521 NCG
Data de publicação na Alemanha: 2016 a 2017
Ciclo ainda inédito no Brasil


No início do século 16 do Novo Caléndario Galáctio: A galáxia Orpleyd esta a cerca de 131 milhões de anos luz de distância da Terra. Nesta galáxia, que é cercada por poderosas faixas de poeira, numerosas civilizações agem. Trilhões de seres vivos se movem em milhares de mundos. Entre todos estes estrangeiros está um homem solitário. Cortado de qualquer contato com a Terra e outros planetas da Via Láctea, ele está lutando por sua existência - e gostaria de voltar para casa. O ciclo Cripta Estelar leva a Humanidade a uma galáxia estranha. Mas o que acontece em Orpleyd, tem um impacto direto sobre a terra e seu futuro...



Em janeiro de 1519 do Novo Calendário Galático (NCG) o destino da Humanidade encontra-se no fio da navalha: os tiuphores, uma raça guerreira, viajaram do passado para o presente através da Fenda Temporal, uma anomalia energética que atravessa boa parte da Via Láctea. Eles envolvem toda a galáxia em sua campanha de destruição, e seu objetivo principal é matar seres vivos para coletar suas consciências, algo que parece completamente ilógico aos olhos dos terranos e dos demais povos da galáxia.

No Sistema Solar ocorre uma batalha decisiva entre as naves dos tiuphores e as forças dos terranos e de seus aliados. Contudo praticamente no último segundo outros tiuphores entram na batalha – porém vindos não do passado, e sim do presente, da distante galáxia Orpleyd. Eles enviam o “chamado da união” para seus semelhantes, o que acaba subitamente com a batalha. Dessa forma o Sistema Solar é salvo no último instante, e todos os tiuphores abandonam a Via Láctea. Porém eles deixam para trás uma galáxia devastada, que levará várias décadas para recuperar-se completamente.

A Humanidade precisou pagar um alto preço pela sua salvação: em um ato desesperado para salvar o Sistema Solar, Perry Rhodan sacrificou sua própria vida e se tornou mais uma consciência armazenada nos cristais sextadim das naves tiuphores. É nesse estado imaterial que ele começa a longa viagem a Orpleyd, a “galáxia congelada”. Inúmeras civilizações vivem nesta galáxia, situada a 131 milhões de anos-luz da Via Láctea. E logo Perry Rhodan descobrirá que Orpleyd guarda um segredo que poderá ter consequências devastadoras para a Terra e o futuro da Humanidade…

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 2900 a 2999 – Período da história: 1551 a ? NCG
Data de publicação na Alemanha: 2017 a 2018
Ciclo ainda inédito no Brasil


A humanidade perdeu seu mentor, a superinteligência AQUILO. Agora, os terranos deve encontrar seu caminho para as estrelas por conta própria. Novos povos, de galáxias desconhecidas, aparecem que desejam se juntar aos Galácticos: primeiro, os thoogondus chegam e os convidam para o seu Império de Ouro. Em seguida, a oferta dos gemenis que querem implantar uma Rede da Paz na Via Láctea. Mas esses novos povos são amigos de verdade – ou seguem um plano muito original?



Estamos no ano de 1551 NCG, longe bons três mil anos do antigo século 21. Depois de grandes convulsões na Via Láctea, as relações entre os diferentes povos estelares se acalmaram; no geral, há paz.

Especialmente os planetas e luas habitados por humanos estão apontando para um futuro positivo. Milhares de mundos se uniram na Liga dos Galácticos Livres em que participam também os seres que foram referidos em anos anteriores como "não humanoides". 

Apesar de todas as tensões que ainda existem: a visão de Perry Rhodan, de uma galáxia se transformar em uma ilha estelar sem guerras, parece se realizar lentamente. Os humanos mantém laços maiores nos contatos com outras galáxias.

Nesta situação, há um contato com o qual ninguém esperava. Os novos visitantes parecem ter uma ligação estreita com a Terra - e se trata d’A HERANÇA CÓSMICA...

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

PRTB03 - Minissérie Lemuria - Episódios 1 a 6 – Período da história: 1327 NCG e 49.983 aC.
Data de publicação na Alemanha: 2004 a 2005


p lemuria1Estamos no ano de 1327 NCG. Desde a guerra contra o Reino Tradon se passaram cerca de 15 anos. Os terranos preparam-se para o impacto do aumento da Hiperinpedância.

Neste contexto, em uma missão secreta para contato diplomático com os aconenses, Perry Rhodan avança para a, em grande parte despovoada e desconhecida, nebulosa Ochent, na Via Láctea, onde encontra uma antiga nave de gerações lemurense, que está viajando a 50.000 anos, à velocidade da luz – então, pelos efeitos relativísticos, para quem se encontra a bordo desta Arca Estelar, passaram-se cerca de 500 anos, desde a sua partida.

Parece que a Arca Estelar é apenas uma de pelo menos 44, que foram lançadas antes mesmo da fundação dos Grandes Tamaniuns, quando se iniciou a guerra contra as bestas-feras. O iniciador deste programa de emigração era Levian Paronn, um portador de ativador celular, que tinha viajado ao passado.

Após a guerra contra os lemurenses, as bestas-feras criaram em algum lugar da Via Láctea, planetas arsenais, onde milhares de combatentes foram clonados, e muitas naves de guerra foram produzidas. Cinco dessas bases são ativadas, como resultado da descoberta das Arcas Estelares, mas podem ser destruídos. Quantas mais – inativas – bases dessas há na Via Láctea, não é conhecido.

Três bestas-feras clonadas sobrevivem à destruição do planeta-arsenal. Seus nomes são Ion Lissos, Lev Utan e Murrn Hoks. Eles não tem nada em comum com a natureza selvagem de seus antepassados, mas mais com os pacíficos halutenses. Eles ajudam a encontrar alguns mutantes sobreviventes de todas as arcas estelares, em planetas cujas coordenadas ninguém conhece, a não ser eles. Desde 1327 NCG, existem novamente lemurenses na Via Láctea.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Perry Rhodan Neo é o título da nova série de romance em formato de livro de bolso do universo Perry Rhodan. Como seu subtítulo diz: “O futuro recomeça.”

Até 04 de agosto de 2011, o projeto também foi conhecido pelo codinome “Projeto segredo-X.” O primeiro volume foi lançado na Alemanha em 30 de setembro de 2011.

A série é um reboot da série principal. Ela começa com uma reinterpretação do primeiro livro de Perry Rhodan.

Enquanto a série principal iniciou-se pelos acontecimentos geopolíticos do mundo real e ficou sem metade do século 20, iniciando sua ação em um futuro próximo, Perry Rhodan Neo, inicia sua ação 50 anos depois do mundo real, no século 21, e também começa em um futuro próximo.

Perry Rhodan voa para a lua não em 1971, mas em 2036. A ação, assim, toma um curso alternativo, devido à alteração da posição inicial. Os motivos clássicos da série também são deslocados para um futuro próximo e interpretado em conformidade. Há a introdução de novos personagens e personagens conhecidos são mostrados sob uma nova luz.

A série não é fiel canônica em relação à série clássica. Segundo o testemunho de Klaus N. Frick, responsável pelo conteúdo editorial de toda a série Perry Rhodan, na quinta Weltcon 2011 em Mannheim, não há sobreposição ou referências entre as séries, como há na série Atlan. Perry Rhodan e Perry Rhodan Neo têm, cada uma, seu formato cósmico único. Desde 09 de janeiro de 2014 Perry Rhodan Neo tem o seu próprio web site. (http://perry-rhodan-neo.net/)

A série está em formato de livro de bolso e sai também como e-book e áudio livro. O Exposé-autor e também autor do primeiro volume é Frank Borsch. As capas são Dirk Schulz e Horst Gotta. Elke Rohwer assume a edição da série.

Cada livro de bolso é completo em si mesmo. Juntos, os romances contam uma história contínua, definida no futuro próximo do ano 2036. A série é dividida em temporadas (ciclos), com as três primeiras temporadas cada uma compreendendo oito livros de bolso, da quarta temporada em diante, este número passou para doze livros.

Em 30 de setembro de 2011 foi lançado “Visão Terrânia”, o primeiro romance da nova série Rhodan NEO. A série é publicada duas vezes por mês e foi planejado inicialmente para ter apenas oito livros de bolso, mas com o obvio sucesso foi então continuada desde então sem interrupção.

As temporadas (ciclos) inicialmente não tinha um nome próprio. Em novembro de 2012, os editores fizeram uma votação, em que os leitores puderam fazer sugestões para os nomes. A decisão veio em meados de dezembro de 2012. Posteriormente, os nomes foram fixados para as quatro primeiras temporadas.

No Brasil a série começou a ser lançada em janeiro de 2013, com periodicidade de um volume por mês e a partir do lançamento de setembro de 2014 (pré-lançamento em jun/14) tem três volumes lançados a cada 2 meses.

Como funciona Perry Rhodan NEO?

c neo21Desde 1961, a série PERRY RHODAN é escrita de uma maneira que se mostrou eficaz: os episódios são escritos por uma equipe que conta atualmente com onze autores, chefiada por um coordenador. Nas conferências dos autores, os rumos da ação são definidos em termos gerais.

O mesmo se aplica à série PERRY RHODAN NEO: um coordenador concebe o enredo de cada episódio, que então é escrito pelo respectivo autor. Com isso, são evitadas contradições e, portanto, o universo de PERRY RHODAN NEO permanece uniforme.

A diferença fundamental é que Frank Borsch, como coordenador, participa antecipadamente de negociações muito intensas com os escritores: por telefone ou “a quatro olhos”, que hoje em dia, graças ao Skype, é mais viável do que no passado. Nessas conversas preliminares, os dois autores desenvolvem juntos as ideias do coordenador para o episódio. As propostas do autor são aceitas e incorporadas sempre que possível e o coordenador revisa a sinopse.

Quando o autor termina seu episódio, ele o envia primeiro para Frank Borsch. Este verifica se há coerência quanto à substância e os dois discutem intensamente o texto.

Somente quando Borsch está satisfeito, o manuscrito vai para a editora. O manuscrito é revisado por Helmut Ehls, que, na condição de freelancer, trabalha novamente os detalhes de linguagem e conteúdo — só então o manuscrito é considerado acabado.

Em outras etapas da produção, o arquivo com o manuscrito é enviado para o departamento de reprodução da editora, isto é, o manuscrito é convertido para o padrão a ser seguido na impressão. Este, por sua vez, é encaminhado para as impressoras que finalmente concluem o trabalho.

Como surgiu PERRY RHODAN NEO?

c neo001As discussões iniciais sobre um possível reinício da série PERRY RHODAN foram feitas pelo autor Frank Borsch e o editor Klaus N. Frick já no início de 2000. Ambos amam quadrinhos norte-americanos e Frank Borsch tinha traduzido anteriormente algumas destas séries — assim, era natural que eles fossem inspirados pelos colegas norte-americanos. Por exemplo, séries como “Batman” ou “Homem-Aranha” sempre eram recomeçadas, com o intuito de atualizar a série e torná-la mais atraente, por exemplo, para uma adaptação cinematográfica.

Para a série PERRY RHODAN, uma ruptura radical com o passado naturalmente estava fora de questão: a série semanal ainda é um grande sucesso, tem dezenas de milhares de leitores, e não faria sentido simplesmente interromper esta história ficcional do futuro da Humanidade. No entanto, na redação se discutiu várias vezes como reiniciar a série PERRY RHODAN.

Com o quinquagésimo aniversário da série se aproximando, um possível novo começo estava perto. Em muitas discussões na editora, foi estabelecido um direcionamento geral enquanto Frank Borsch começava a elaborar o conteúdo. O autor, que já tinha mostrado em sua trilogia “Terra Alienígena” o quão bem sabia lidar com o “futuro próximo” levantou as questões fundamentais: como seria a Terra no futuro próximo, entre 2036 e 2037? Alguns desenvolvimentos atuais continuariam progredindo como até agora? Surgiriam conflitos e catástrofes naturais e o mundo ainda seria abalado por crises financeiras e terrorismo?

Deste modo, Frank Borsch extrapolou as estruturas existentes na Terra, tanto de natureza social quanto política, e refletiu como tudo isso poderia se desenvolver em um quarto de século. Como os humanos se comportariam em um período de crise e com uma nova guerra iminente, caso um humano se encontrasse com um alienígena?
Este homem era e é o astronauta Perry Rhodan, que também está no centro da ação em PERRY RHODAN NEO. O Rhodan da série NEO é mais do que um “teamplayer”, um homem do futuro próximo, que joga a responsabilidade para os ombros dos outros e, por exemplo, se comporta de forma muito pouco convencional quando se trata da imortalidade.

Durante o ano de 2010 surgiram inúmeras sinopses e, na primavera de 2011, os primeiros autores começaram seu trabalho. Dirk Schulz desenvolveu o projeto da arte de capa e a editora decidiu empregar até mesmo a publicidade televisiva para a nova série. Em paralelo, os parceiros na área de audiobooks e de e-books opinaram sobre a nova série. Todos trabalharam em conjunto em direção a uma data: 30 de setembro de 2011.

Paralelamente à Perry Rhodan-WeltCon 2011, que foi visitada por cerca de 2.700 pessoas no Centro de Congressos Rosengarten em Mannheim, foi publicado o primeiro episódio de PERRY RHODAN NEO. A resposta da imprensa foi enorme e os fãs de Rhodan no evento ficaram emocionados.

E uma nova série de ficção científica começou sua própria história de sucesso...

Como vai continuar PERRY RHODAN NEO?

Até agora PERRY RHODAN NEO seguiu em linhas gerais os temas da série “original”. Apesar de povos como os fantans ou os mehandors serem descritos de maneira diversa dos episódios clássicos dos anos 60, o enredo básico foi semelhante. No quinquagésimo volume, a série NEO se afasta ainda mais do original; nesse livro foram apresentadas algumas indicações muito claras disso.

Se mostra muito mais sobre quem é Perry Rhodan, um homem comum que viveu uma infância relativamente normal. Mas também vimos, sobretudo, que poderes alienígenas tentaram continuamente influenciar o menino.

A misteriosa Luta, que já foi mencionada várias vezes em PERRY RHODAN NEO, tem algo a ver com Rhodan; já em sua infância, poderes até então desconhecidos aumentam sua influência sobre a Terra. No curso dos próximos episódios, tanto Perry Rhodan quanto o leitor vão saber mais sobre a Luta...

Episódios 0001 a 0008 – Período da história: Junho a Julho de 2036
Data de publicação na Alemanha: 2011 a 2012


Em junho de 2.036 começou uma nova era na história da humanidade: um homem assumiu o propósito de unir a humanidade revoltada e levá-la às estrelas. Seu nome é Perry Rhodan. Ele foi o comandante da missão lunar americana. No satélite da Terra, Perry Rhodan conheceu os humanoides arcônidas, que estavam encalhados com uma enorme nave espacial na Lua. Houve o contato, de um lado Rhodan e seu amigo Reginald Bull, e do outro os arcônidas Crest e Thora. O cientista Crest estava seriamente doente, e Rhodan deu-lhe a esperança de poder ajudá-lo na Terra. No verão de 2.036 Terrânia é o sonho de futuro que fascina milhões de pessoas. Esta visão surge no meio do deserto de Gobi, longe dos centros de civilização. Usando os robôs fornecidos pelos alienígenas, Perry Rhodan e seus companheiros construíram a cidade que vai se tornar o centro de uma Humanidade unida.



PRNeoT01Em junho de 2036 começou uma nova era na história da humanidade: um homem assumiu o propósito de unir a humanidade revoltada e levá-la às estrelas. Seu nome é Perry Rhodan. Ele foi o comandante da missão lunar americana.

No satélite da Terra, Perry Rhodan conheceu os humanoides arcônidas, que estavam encalhados com uma enorme nave espacial na Lua. Houve o contato, de um lado Rhodan e seu amigo Reginald Bull, e do outro os arcônidas Crest e Thora. O cientista Crest estava seriamente doente, e Rhodan deu-lhe a esperança de poder ajudá-lo na Terra.

Acompanhado de Crest, os astronautas voltaram para a Terra, onde Crest deverá ser curado. No deserto de Gobi, eles foram cercados por soldados chineses. Enquanto a condição de Crest se agrava no deserto de Gobi, o exército chinês lança sua ofensiva contra a STARDUST.

Quando até mesmo uma nave auxiliar arcônida é alvejada, Thora realiza um contra-ataque. Apesar da situação desesperadora e do assédio feito pelo exército chinês, Perry Rhodan não desiste. Embora precise da ajuda dos arcônidas, também confia em sua própria competência. Assim, ele é bem-sucedido em salvar a vida de seu melhor amigo, Reginald Bull, no último segundo.

Do outro lado do mundo, forças fabulosas são formadas com um único objetivo: apoiar a visão de Perry Rhodan de um futuro entre as estrelas.

Apesar de sua situação desesperadora e apesar do cerco do exército chinês, Perry Rhodan não desiste. No deserto de Gobi deverá ficar Terrânia, a futura capital de uma Humanidade unificada. A visão de Rhodan é compartilhada por muitas pessoas. Simultaneamente, mais e mais pessoas se reúnem no deserto de Gobi, que Rhodan quer ajudar a qualquer preço. Elas vieram ao deserto para ajudá-lo. O que elas não sabem é que entre elas se encontra uma bomba-relógio.

O dia 13 de julho de 2036 é um dia que vai ficar na história da Humanidade: a cidade de Terrânia cai sob domínio do exército chinês, mas, em seguida, os soldados rendem-se a uma utopia, sob o comando do general Bai Jun. É a utopia de Perry Rhodan, que sonha em unir a Humanidade e aventurar-se às estrelas. Usando os robôs fornecidos pelos alienígenas, Perry Rhodan e seus companheiros construíram a cidade que vai se tornar o centro de uma Humanidade unida.

Bai Jun e seus soldados não são os únicos que têm uma posição inequívoca. Perry Rhodan e Reginald Bull, que fugiram das tropas chinesas para a Austrália, recebem uma ajuda inesperada naquele lugar remoto. E nos prédios vazios de Terrânia estão milhares de pessoas que querem oferecer seu apoio a Rhodan...

O governo americano, ao contrário, mostra severidade: o cientista arcônida Crest está diante do mais alto tribunal da América em Washington, DC. O Promotor o considera um inimigo público que incitou a população e pede a pena de morte.

Perry Rhodan concebeu um plano ousado para libertar Crest. Para tanto ele conta com pessoas dotadas de habilidades incomuns, os mutantes. Mas alguém mais faz seus próprios planos: a arcônida Thora. Ela encontrou uma antiga estação em Vênus. Com suas poderosas armas, ela vai para a batalha.

Em Terrânia, Perry Rhodan e seus companheiros, no dia 16 de Julho de 2036, criam a União Terrana, e a partir daí os terráqueos serão conhecidos como Terranos.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 0009 a 0016 – Período da história: 2036
Data de publicação na Alemanha: 2012


Verão de 2.036: Terrânia é o sonho do futuro que fascina milhões de pessoas. Este sonho é transformado em realidade no meio do deserto de Gobi, longe dos centros da civilização. Robôs alienígenas arcônidas constroem a cidade que será o centro de uma Humanidade unida. Tudo muda quando uma chamada de emergência chega à Terra. O sistema do sol azul Vega, que fica na nossa vizinhança cósmica direta, está em guerra. Rhodan e um grupo de companheiros parte no primeiro voo interestelar da Humanidade...



PRNeoT02Verão de 2.036: tem início uma nova era para a Humanidade. Perry Rhodan e um grupo de companheiros decolam para o primeiro voo interestelar da Humanidade. Seu objetivo: o Sistema Vega.

Ali se desenrola uma batalha implacável entre dois povos desiguais. Rhodan intervém a favor do lado mais fraco na luta desesperada. Pois o resultado da batalha decidirá o futuro da Humanidade.

Na Terra, enquanto isso, reinam o pânico e o medo. Estranhos extraterrestres invadem o planeta. Eles possuem apenas um objetivo: saquear. Reginald Bull, o amigo de Rhodan, enfrenta o perigo e cai em uma emboscada.

Depois de sua espaçonave ser derrubada pelos tópsidas, os homens encalham no planeta Ferrol. Os sobreviventes seguem para a capital Thorta, pois somente lá podem esperar por resgate.

Enquanto isso, a guerra continua. Apesar da situação desesperadora, Perry Rhodan tem um objetivo. Ele quer parar o massacre a qualquer preço. Se ele não conseguir isso, este terrível destino também ameaçará os habitantes da Terra.

Na Terra a situação está ficando pior. Os estranhos fantans incomodam as pessoas, pois raptam e roubam aquilo em que estão interessados e não têm nenhuma consideração. A resistência contra sua superior tecnologia parece inútil.

Reginald Bull, o melhor amigo de Perry Rhodan, também foi sequestrado. Sua primeira viagem ao espaço termina em uma estação espacial misteriosa, onde um cativeiro perpétuo parece esperar por ele e seus companheiros. Inesperadamente um novo, é “conhecido”, ser é encontrado!

Enquanto Rhodan e seus companheiros lutam pela sobrevivência no planeta Ferrol, os outros humanos são capturados. Em sua fuga através de vários planetas, eles descobrem o sistema de transmissores: dispositivos misteriosos com os quais é possível cobrir vastas distâncias praticamente sem perda de tempo. Assim, um grupo aterrissa na selva de Pigell, um mundo misterioso que contém um terrível segredo.

Na Terra, por outro lado, a situação se torna mais grave. Os alienígenas fantans roubam impiedosamente o que lhes interessa. A resistência é inútil face à sua superioridade técnica. Mas três jovens terranos fazem o impossível para colocar tudo na linha. Começa a resistência armada contra os alienígenas fantans, que ainda apavoram e aterrorizam as pessoas. Com a ajuda do couraçado arcônida TOSOMA, a resistência subterrânea quer expulsar os fantans do sistema solar.

Em agosto de 2.036, começa a última etapa da brutal guerra entre tópsidas e ferrônios no sistema Vega. Mas Perry Rhodan segue inabalavelmente seu objetivo: parar de vez o sangrento massacre. Seu ousado plano para enganar os tópsidas parece funcionar a princípio. Mas, então, ocorrem eventos não previstos, o que culmina em um surpreende desfecho, após a atuação do “Salvador do Universo”.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 0017 a 0024 
Data de publicação na Alemanha: 2012


Mais de dois meses se passaram desde que o astronauta americano Perry Rhodan encontrou na Lua uma avariada nave arcônida. Meses nos quais o destino da humanidade esteve por um fio. A humanidade quer seguir a visão de Rhodan de uma Terra unida? Ou, devido ao medo, prefere permanecer dentro dos estreitos limites do nacionalismo e entrar no turbilhão de uma guerra civil global? Em setembro de 2.036, a resposta é clara. A humanidade está pronta para uma nova era. Delegados de todas as partes do mundo se reúnem em Terrânia, a nova capital da Terra, para criar a constituição da União e eleger o primeiro administrador. O único candidato é Perry Rhodan. Sua eleição parece certa. Neste meio tempo, Crest da Zoltral explora a cúpula submarina construída por seus antepassados no fundo do Atlântico. O cientista arcônida, que agora é mentor da humanidade, faz uma descoberta que abala irremediavelmente sua visão de mundo...



PRNeoT03A União Terrana está cada vez mais tomando forma, um administrador é escolhido em Terrânia.

De muitas direções, informações se condensam, iniciam a corrida para o mundo da vida eterna.

Uma expedição liderada por Perry Rhodan e Thora da Zoltral procura no sistema Vega dos ferrônios um transmissor que possa ser usado para atingir à contra estação alcançada por Crest ao fugir no transmissor da base submarina nos Açores.

Na Terra, com os amigos, Julian Tifflor procura por seu pai.

Crest da Zoltral, Tatiana Michalovna e Trker-Hon encontram-se no distante Ferrol e lá procuram mais pistas sobre o mundo da vida eterna.

Na Terra, e formado um comando de mutantes em Terrânia.

A expedição de Perry Rhodan se encontra, depois de mais um salto por transmissor, no planeta aquático Reyan, mais uma vez em um momento crítico da história dos ferrônios.

No Sistema Solar, o Dr. Eric Manoli, o historiador Cyr Aescunnar e Gucky estão à procura de outras relíquias arcônidas.

Crest da Zoltral, Tatiana Michalovna e Trker-Hon foram enviados por transmissor de Ferrol para o Planeta Kedhassan, onde os arcônidas, duramente, forçam os insectoides orghs a fornecerem armas de destruição em massa contra os metanitas.

Na Terra, surpreendentemente Sid Gonzáles, Fulkar, Dr. Eric Manoli e Gucky adoecem gravemente. John Marshall descobre que todos os doentes pensam no termo Besun. Julian Tifflor propõe então uma armadilha para capturar os fantans que se retiraram da terra.

Antes da destruição da grande guerra da Idade das Trevas dos ferrônios que teve seu início em Reyan, Perry Rhodan, Thora da Zoltral, Reginald Bull, Ras Tschubai, Sue Mirafiore e Chaktor fogem pelo transmissor. Eles vão parar no Planeta X de Vega, que não existe mais no presente.

Este mundo é Ambur, um mundo em que os ferrônios podem sobreviver apenas com dificuldades. O grupo está agora no fim da Idade das Trevas e chegam no tumulto em torno da evacuação do planeta.

Crest da Zoltral, Trker-Hon e Tatiana Michalovna puderam se colocar em segurança, após fugir de uma frota de batalha arcônida, por meio de uma transição a bordo da PESKAR-XXV. A nave fica encalhada no espaço vazio, de modo que uma chamada de emergência tem que ser feita.

Eles são salvos de uma nave dos metanitas por uma flotilha arcônida, que os leva para Larsaf III onde eles vivenciam o desaparecimento da colônia Atlântida.

Os grupos de Crest da Zoltral e Perry Rhodan alcançam Peregrino, o mundo da vida eterna. Lá eles encontram o proprietário, alguns de seus funcionários e convidados.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 0025 a 0036 
Data de publicação na Alemanha: 2012/2013


Perry Rhodan e Crest certamente imaginaram que o misterioso Mundo da Vida Eterna era bem diferente. Peregrino não era o paraíso esperado. AQUILO, o Senhor da vida e da morte, provou ser igualmente poderoso e voluntarioso. Homunk, o principal servo de AQUILO nem sequer titubeia diante de um assassinato. E: como os ilts (especialmente os anfíbios) chegaram ao lado esférico do meio mundo? Também permanece sem resposta como Quiniu Soptor chegou ao seu atual estado. O que a mestiça arcônida viu? O que afetou sua mente? De qualquer modo, Rhodan permanece fiel a seus princípios morais...



c neo25

Janeiro de 2037: seis meses depois que Perry Rhodan e seus companheiros ousaram viajar para a Lua e lá se depararam com os arcônidas, que são semelhantes aos humanos. Agora, estão enfrentando uma viagem muito maior: Rhodan avança para Árcon, o centro de uma antiga civilização que se estende por milhares de sistemas solares.

Enquanto isso na Terra, Terrânia, a cidade da Humanidade unida, cresce – apesar de adversários políticos, bem como dos grupos de poder que seguem seus próprios interesses. Ao mesmo tempo, os homens começam a explorar os planetas do próprio Sistema Solar. Em Marte, os cientistas se deparam com um intrigante mistério.

Perry Rhodan ainda não sabe nada sobre isso. Perry Rhodan voa com a TOSOMA para Árcon para visitar o regente de Árcon. Ele quer ganhar para a Terra um aliado poderoso, sem que a Terra seja simplesmente engolida pelo império arcônida. Mas a TOSOMA é uma nave velha, e assim uma catástrofe devastadora acontece durante o voo.

Ao mesmo tempo Cyr Aescunnar ajuda em Marte a tripulação da base Bradbury a avançar seus projetos de pesquisa e de terraformação. Lá acontecem estranhos acidentes na base, e Aeskunnar tenta descobrir as causas por trás destes incidentes.

Após a sua passagem pelo transmissor, Eric Manoli encontra-se no planeta Topsid, o principal mundo dos tópsidas. Ele agora está tentando encontrar um caminho com a ajuda do proprietário e um empregado de um bordel para retornar à Terra. Ele entra no tumulto de uma revolta incipiente da oposição contra o déspota.

Ao mesmo tempo, na Terra Bai Jun, o prefeito de Terrânia, está no rasto de um ex-membro do serviço secreto chinês para descobrir quem quer quebrar a influência dos norte-americanos sobre a nova ordem mundial.

A TOSOMA pode se salvar apenas na KE-MATLON, um estaleiro espacial dos mehandors no sistema Beta-Albireo. Sua líder, Belinkhar, está pronta para reparar a TOSOMA quando Perry Rhodan paga o preço habitual. Rhodan não tem escolha, a não ser aceitar a oferta, pelo menos na aparência, embora o preço pareça muito elevado.

Em Marte Cyr Aescunnar tenta impedir o ferrônio Hetcher, de dirigir sozinho nos desertos do planeta vermelho e se perder, o que aconteceu com o ex-chefe da base Bradbury. Mas, embora Hetcher seja surdo e mudo, ele não pode evitar o chamado de Marte.

Eric Manoli está fugindo em Topsid, o mundo principal dos tópsidas. Depois de escapar do chique bordel “o ninho púrpura”, o déspota Megh-Takarr colocou um impiedoso caçador na pista de Manoli. Entre os rebeldes da cidade, há uma caça de vida e morte.

Em Terrânia, Bai Jun, o prefeito da cidade, tenta descobrir os segredos da Torre Stardust. Por isso ele envia seu assistente Lhundup em uma missão de infiltração, vivida entre altos e baixos, para pegar um terrorista.

A frota do Império Arcônida aparece no sistema Beta-Albireo, a fim de capturar os dissidentes, Crest e Thora da Zoltral. Para evitar a prisão e a destruição pelos adversários avassaladores, a TOSOMA foge para o mundo de gelo Snowman em que é travada a batalha final contra as tropas do Império.

Em Marte Cyr, Aescunnar consegue avançar a fundo no segredo deste planeta e trazer o ferrônio fugitivo Hetcher à razão.

Em vez de, como planejado, encontrar o Vigilante, Eric Manoli surpreendentemente encontra um velho conhecido no Refúgio dos Sábios. Mas a alegria do reencontro naturalmente sofre um tremendo atenuante – todos caem nas mãos do Déspota.

Desde que surgiram os gigantescos naats, os mercenários do Império de Árcon, a situação agravou-se: os humanos são vistos como inimigos. Rhodan está escondido junto com a arcônida Thora e o rato-castor Gucky, no mundo gelado Snowman. Outros astronautas já foram feitos prisioneiros dos naats, enquanto alguns ainda conseguiram se esconder a bordo da estação espacial.

Manoli não sabe como estão Perry Rhodan e seus companheiros, mas ele tem uma ideia das condições da sua Terra nativa. Seu único objetivo é sobreviver à turbulência de uma guerra civil devastadora. Mas todos os seus esforços para escapar foram em vão; ele caiu prisioneiro do Déspota no poder.

Em Topsid, o Déspota exige que Eric Manoli o acompanhe na busca pelo Mundo da Vida Eterna. O médico da Terra e ele devem passar pelo transmissor, novamente funcional. Mas o dispositivo foi ajustado de acordo? Ou a passagem através do transmissor é um passo em direção a uma morte certa?

Enquanto isso, a situação está piorando no sistema Tatlira. A frota tópsida se prepara para um ataque do Grande Império. A mobilização atrapalha o arqueólogo Hisab-Benkh. Ele se deparou com um metanita nas ruínas de uma antiga colônia arcônida no segundo planeta do sistema. Teria o ser sobrevivido a milênios de sono congelante sem sofrer danos?

Tudo parece caminhar para um grande confronto no sistema Tatlira: naats contra tópsidas. O naat Novaal tem que conduzir sua flotilha para um ataque contra a fortaleza tópsida de Rayold – uma ordem mortal. Perry Rhodan torna-se testemunha disso contra sua vontade; seu plano de fugir do cativeiro até agora foi frustrado.

O conflito entre os naats, soldados do Império, e os tópsidas entrou numa fase decisiva. A batalha no espaço, com suas milhares de mortes, também ameaçou a vida de Perry Rhodan e dos outros humanos capturados.

Também em Topsid ocorreu uma decisão. O Déspota e o robô Rico passaram pelo transmissor, na esperança de alcançar o Mundo da Vida Eterna. Atlan ficou para trás com Eric Manoli.

c neo36Em Novaal, o líder dos naats, provavelmente começou um processo de reformulação: para longe da doutrina da guerra. A mudança parece surgir também em seu oponente. No entanto, estes comandantes não são os verdadeiros governantes. Topsid enviou 49 espaçonaves e também do lado de Árcon os belicistas estão ativos.

Perry Rhodan vê uma chance de parar o derramamento de sangue, porém surge o couraçado VEAST'ARK, a unidade mais poderosa do Império de Árcon. Seu comandante se mostra um fanático bélico — e a chance de paz é novamente nula, porém o conflito no sistema Tatlira fica resolvido — por enquanto. Naats e tópsidas não são mais inimigos, mas Sergh da Teffron e o Regente pensam em vingança. Além disso, deve-se esperar para ver qual o efeito que Atlan da Gonozal ainda vai causar com o “presente” da imortalidade no centro do poder.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 0037 a 0048 
Data de publicação na Alemanha: 2013


O conflito no sistema Tatlira está resolvido — por enquanto. Naats e tópsidas não são mais inimigos, mas Sergh da Teffron e o Regente pensam em vingança. Além disso, deve-se esperar para ver qual o efeito que Atlan da Gonozal ainda vai causar com o “presente” da imortalidade no centro do poder. Perry Rhodan retorna para a Terra com a recém-conquistada VEAST'ARK. O avanço para Árcon falhou, mas a Humanidade agora tem o núcleo de sua própria frota espacial. No sistema solar nativo, uma surpresa aguarda Rhodan — e uma visão chocante do passado recente de Atlan.



c neo37

O Grande Império

Depois de aventuras arriscadas entre as estrelas, Perry Rhodan e seus companheiros retornam à Terra. Quem os acompanha é Atlan, um homem misterioso que parece ter 10.000 anos de idade. Ele sabe mais do que quer revelar.

Após a primeira tentativa falhar, Perry Rhodan se aventura em uma nova incursão no Grande Império. Era muito importante encontrar o lendário Arquivo Epetran — porque ele continha a posição da Terra. Se o arquivo caísse nas mãos do misterioso governante do Grande Império. Como o Regente está em busca de vingança, paira um grande perigo sobre a Humanidade.

Perry Rhodan se disfarça e parte com seus companheiros, os arcônidas Crest e Atlan, para uma viagem arriscada. Juntos, usam uma nave de passageiros mehandor. Ele devia avançar em rigoroso sigilo para Árcon, o mundo principal do Império. No entanto, as autoridades já conheciam sua assinatura individual, a “impressão digital mental” que o identifica, e poderiam prendê-lo instantaneamente.

Assim, ele vai com seus companheiros para um planeta médico. Os aras, os médicos galácticos, trabalham lá. Na Clínica Porta Celestial eles estão envolvidos em experiências perigosas com assinaturas individuais, que manipulam em um procedimento muito arriscado.

Devido a uma falha nos propulsores, Rhodan e seus companheiros fazem uma parada não programada em uma estação intermediária no planeta Trebola. Esse mundo é habitado por seres aracnoides conhecidos como trebolanos — uma bizarra cultura cheia de segredos.

Depois de uma estadia em uma estação intermediária no planeta Trebola, Rhodan e seus companheiros continuam a fuga. Com a ajuda dos trebolanos aracnídeos, eles chegam ao planeta desértico Siron. Ali, segundo uma antiga lembrança de Atlan, deve existir um depósito secreto.

Se tudo correr bem, Rhodan e seus companheiros podem tomar posse de uma nave espacial ali estacionada e continuar o voo. Mas o planeta é habitado: os sironianos descendem dos arcônidas, e sua civilização se espalhou por este mundo.

Com um antigo iate espacial, Rhodan e seus companheiros chegam ao farol solar Hela Ariela. Eles estão camuflados e querem avançar, a partir deste sistema, para o aglomerado globular M-13, onde fica Árcon. Primeiro devem integrar o comboio a ser conduzido pelos Guias. Mas os misteriosos deuses das estrelas parecem ter outros planos.

Por razões desconhecidas, o Regente também chegou ao mesmo tempo ao farol solar. Rhodan reconhece a oportunidade única de enfrentar a ameaça diretamente. Ele tem um plano maluco: o sequestro do homem mais poderoso da Galáxia.

Terra, Humanidade, Crise Gênese.

Na Terra, muita coisa mudou para melhor. Terrânia cresce como a capital da Humanidade unida e reina o otimismo. Desde que Perry Rhodan voou para a Lua e lá encontrou os humanoides arcônidas, a visão de mundo dos humanos mudou com velocidade vertiginosa. Extraterrestres visitam a Terra, ocorrem encontros no espaço, e os humanos percebem claramente o tanto que estão envolvidos nos eventos cósmicos. A porta para as estrelas está aberta e há cada vez mais contatos com extraterrestres.

Entre estes estão os ferrônios do sistema Vega, seres semelhantes aos humanos, ou os gigantescos naats, que muitas pessoas consideram ameaçadores. Para transmitir uma imagem mais positiva dos naats, surge um plano bizarro — à primeira vista: um jogo de rúgbi entre os naats e uma seleção mundial.

Em órbita da Terra também flutua uma enorme estação espacial que literalmente veio do passado. Técnicos e engenheiros “desenferrujam” a construção de 10.000 anos. O caminho para as estrelas já está escolhido: em Terrânia Orbital, a área mais elevada da Terra, funciona um elevador espacial. Reginald Bull e seus especialistas investigam febrilmente o computador da estação. Eles descobrem uma arma escondida, cujo enorme potencial ameaça a Terra

Enquanto isso, centenas de seres humanos estão sendo mantidos em cativeiro em um mundo remoto. Soldados do Império os interrogam brutalmente para descobrir a posição da Terra. Contra a violência dos arcônidas, os prisioneiros opõem sua humanidade.

Por toda parte da Terra, desde o encontro de Perry Rhodan com os arcônidas, surgem cada vez mais pessoas com habilidades especiais, chamadas de mutantes. Qual a razão disso, ninguém sabe — este é um dos maiores mistérios da União Terrana. Perry Rhodan, que já trabalha com alguns deles, quer utilizar suas habilidades. Em Terrânia, a nova capital do mundo, o Instituto Lakeside se torna o lar para os mutantes. O Instituto Lakeside foi fundado para treinar as forças misteriosas destes jovens.

Entre os companheiros de Rhodan são incluídos Tako Kakuta, o teleportador, e Wuriu Sengu, o espia. Os dois amigos viajam para Chittagong, uma desenfreada metrópole de Bangladesh, onde eles procuram por um paradotado.

A Humanidade se prepara para avançar para as estrelas. Por esta razão, os companheiros de Perry Rhodan reativam a antiga base russa de lançamento em Baikonur, na estepe cazaque. Agora ela é a Academia Espacial Terrana.

Com um nome falso, o jovem mutante Sid González começa o rigoroso treinamento para se tornar astronauta. Embora ele comece com muito entusiasmo, em pouco tempo seu temperamento explosivo e rebelde afeta os camaradas.

Em Marte, onde foram encontradas as adormecidas em uma caverna: seres inteligentes oriundos de plantas, que se comunicam através do pensamento. A jovem mutante Betty Toufry, que pode ler mentes, entra em contato com esses seres.

Elas são parte de uma visão monstruosa: cerca de 50.000 anos atrás, a Terra e outros planetas foram palco de uma guerra terrível. Parece que a história da Terra terá de ser reescrita.

André Noir está cada vez mais ativo. Seus assassinatos deixam um rastro de sangue por toda a Europa. Dois jovens com habilidades excepcionais grudam em seus calcanhares: eles querem impedir que sua visão sombria do futuro da Terra se torne realidade.

c neo47De repente, alguns mutantes se comportam de forma estranha: eles são assombrados por uma misteriosa febre. É como se tivessem sido infectados por um vírus, que altera suas paracapacidades de forma imprevisível. Quando isso ocorre, eles se tornam um perigo para si mesmos e para as outras pessoas.

Allan D. Mercant, o Coordenador de Segurança precisa reagir. Ele coloca os mutantes em quarentena. Com isso, os jovens ficam contra ele. Sob a pressão dos acontecimentos, a situação fica fora de controle — começa a luta dos mutantes contra os “normais”.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 0049 a 0060 
Data de publicação na Alemanha: 2013/2014


Maio de 2037: depois de ter encontrado na Lua os humanoides arcônidas, Perry Rhodan se aproxima cada vez mais do Grande Império de Árcon. O reino estelar que inclui milhares de planetas, muitos deles em um aglomerado globular que fica a dezenas de milhares de anos-luz de distância da Via Láctea.



c neo49A caminho de Árcon

O Império está sob o jugo de um Regente que quer destruir a Terra. Só se Rhodan e seus amigos se aventurarem no centro do poder, eles poderão fazer algo contra o Regente, um ditador vingativo que quer destruir a Terra — por isso, Rhodan e seus amigos precisaram se aventurar neste centro de poder. Só lá eles poderão tomar medidas contra o Regente.

Mas primeiro Artekh 17, um mundo periférico insignificante, será o cenário de um confronto inesperado: entre os humanos e o ditador que chegaram lá quase simultaneamente. Perry Rhodan decidiu raptar o Regente — mas então os adversários acabaram caindo no labirinto sob a superfície do planeta.

Em Artekh 17, Perry Rhodan recebe um ativador celular. Este dispositivo concede uma imortalidade relativa — mas Rhodan não confia na “vida eterna”. Fugindo dos captores do Império ele se depara com seres para os quais uma “vida longa” tem um significado particularmente sinistro.

O caminho para Árcon atravessa o vazio sem estrelas: as espaçonaves “saltam” através do hiperespaço pentadimensional, superando a distância gigantesca em numerosas fases. Para isso viajam em comboio, porque só juntas suas tripulações podem enfrentar os perigos que espreitam na noite infinita.

A bordo de uma nave espacial, estão Perry Rhodan e seus companheiros, incluindo o misterioso arcônida Atlan. Para muitos dos viajantes acontece na escuridão eterna um encontro mortal.

Rhodan tem uma missão clara: ele precisa impedir que o Regente do Império tenha a ideia de ordenar a destruição da Terra por vingança. Após o rapto do Regente ter falhado, Rhodan e o arcônida Atlan planejam um golpe no Império.

 

Nos bastidores do Jogo das Taças

Outros arcônidas também estão trabalhando para derrubar o Regente. Agentes vão em missão a um mundo remoto. Eles encontram pistas; mas, em seguida, tropas mercenárias arcônidas pousam e começa uma caçada de vida ou morte.

Na beira do abismo sem estrelas, as espaçonaves são reunidas em comboio para, em seguida, superar a enorme distância. Suas tripulações “saltam” em várias etapas através do hiperespaço, sempre entremeadas por várias pausas.

Durante estas pausas ocorrem intrigas e encontros perigosos. Vários grupos de poder lutam por influência dentro do Império de Árcon, cujos conflitos às vezes mortais os humanos até agora presenciaram apenas em parte. Uma cortesã parece desempenhar um papel muito especial.

Sergh da Teffron, a Mão do Regente, é o segundo homem mais poderoso do Império — que ele planeja subverter. Para isso, ele precisa de seguidores que lhe sejam leais. Ele voa para naat. O planeta está localizado no sistema Árcon é o lar dos monstruosos naats, que servem aos arcônidas como mercenários.

Para ganhar a confiança dos gigantes de três olhos, ele deve participar de suas bárbaras batalhas rituais. Sergh da Teffron coloca sua vida em risco.

 

Bull, Terra e busca por Rhodan

A situação se agrava em Terrânia: na nova capital da Terra os mutantes se revoltam. Sua loucura ameaça mergulhar o mundo num abismo de destruição.

Após acalmar-se a situação da Crise Gênesis, ninguém sabe o que aconteceu com o homem que foi o primeiro a ter contato com alienígenas. Junto com alguns companheiros, Reginald Bull parte em busca de Rhodan. Ele segue uma pista que o leva através de várias estações, até que finalmente chega a Trebola, o mundo dos aracnoides trebolanos.

Lá ocorre um confronto com o Império. A fim de obter os segredos dos trebolanos, as espaçonaves arcônidas iniciam uma ação militar. Os humanos da Terra e seus aliados são subitamente apanhados no meio da frente de combate.

 

Crest

O principal companheiro de Rhodan é sequestrado: o cientista arcônida Crest, que ajuda os humanos em seu caminho para as estrelas. Crest está agora sozinho — o velho arrisca uma fuga perigosa.

 

Em Árcon, Naat e Cidades Celestes

Maio de 2037: neste meio tempo, Rhodan e seus companheiros chegaram ao centro do Grande Império de Árcon, um reino estelar composto por milhares de planetas e governado por um Regente misterioso que odeia os humanos.

Rhodan tem de encontrar o Arquivo de Epetran escondido, que contém os dados da posição da Terra. Se estes dados caírem nas mãos do Regente, a Humanidade estará ameaçada de destruição. A trilha leva a Iprasa, o “Mundo de Fogo e Gelo” onde supostamente o Arquivo de Epetran está escondido.

Iprasa também é o mundo em que determinados arcônidas podem competir para ganhar o chamado sentido extra. Belinkhar participa desta impiedosa competição eliminatória — e Rhodan acompanha a mulher do povo mehandor como seu “criado de honra”.

Os dois empreendimentos em Iprasa são coroados de êxito. Belinkhar passou pela Ark Summia e seu sentido extra foi ativado. Atlan, entretanto, encontrou a pessoa procurada — o erudito Onat, o Guardião do Arquivo de Epetran.

Para ganhar a confiança dos gigantes de três olhos, Sergh da Teffron deve participar de suas bárbaras batalhas rituais. Ele coloca sua vida em risco, mas através de sua participação vitoriosa no tasbur, consegue impressionar os naats. Com isso, ele assegura ter fiéis seguidores no futuro — pelo menos é o que espera.

Enquanto isso, Atlan e Belinkhar, um arcônida e uma mehandor, partiram para as cidades celestes sobre Árcon II. Sua missão: ganhar adeptos para derrubar o Regente.

Queimando, a cidade celeste de Gath’Etset’Moas mergulhou ao encontro do planeta Árcon II. O conciliador Simodes falhou. Os mehandors falharam, o governador arcônida fez os insurgentes endurecerem suas ações — com um desfecho fatal.

Mas Atlan, Belinkhar e a cortesã Theta também falharam. Suas tentativas de conquistar o mehandor Simodes para sua causa particular foram “infrutíferas”, pelo menos até o momento.

 

Palácio de Cristal

Perry Rhodan e seus companheiros arriscaram tudo em uma cartada. Em busca do Arquivo de Epetran, eles avançaram para o Palácio de Cristal — e para seu santuário interior, os aposentos privados do Regente.

Mas o Regente — ou era um duplo? — surpreende os invasores. Os companheiros têm de agradecer a Ivan Goratchim por terem escapado do governante do Grande Império. O mutante detonador deu sua vida para salvar a de seus camaradas.

Mas Goratchim está realmente morto? O que o duplo do Regente fez com ele? Rhodan e seus companheiros vão conseguir escapar do Palácio de Cristal?

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Episódios 0061 a 0072 
Data de publicação na Alemanha: 2014


Perry Rhodan abriu a porta de entrada para as estrelas. Mas as novas oportunidades abrigam perigos: pelo erudito Crest da Zoltral, ele descobre que as coordenadas da Terra estão armazenadas no Arquivo de Epetran, em Árcon. Com alguns companheiros, Rhodan se lança para o espaço. Ele deve apagar as coordenadas antes de elas caírem em mãos erradas e o poder do Grande Império destruir a Terra.



c neo49Palácio de Cristal e Busca de Crest

Rhodan avança para o Palácio de Cristal, no centro do poder arcônida. Mas ele e seus companheiros são surpreendidos — e o mutante Ivan Goratchim torna-se a ferramenta do Regente.

Ivan Goratchim resolveu o mistério dos duplos do Regente: eles são duplicatas, cópias exatas do governante. Eles são fabricados por meio de uma tecnologia que parece, mesmo para os arcônidas, como o fruto de uma imaginação superaquecida.

O mutante detonador pagou esse conhecimento com sua vida. E Perry Rhodan e seus companheiros restantes correm perigo mortal. Mesmo se tiverem sucesso em escapar do Palácio de Cristal, suas chances de sair de Árcon I sem serem molestados são quase nulas.

Enquanto Rhodan luta em Árcon por si mesmo e pela sobrevivência da Humanidade, o arcônida Crest da Zoltral está em busca da mulher que significa mais para ele do que a própria imortalidade: sua perdida filha adotiva Thora.

Crest da Zoltral conseguiu o impossível: ele encontrou ilesa sua filha adotiva Thora no infinito da Via Láctea. E também libertou a ela e seus companheiros da violência de Callibso. Sem ser molestada, a IQUESKEL deixa o marionetista de Derogwanien desenhando...

É uma ironia do destino que Perry Rhodan só pode invejar. Seu companheiro Ivan Goratchim pagou com a vida o avanço no Palácio de Cristal em Árcon I. Rhodan e seus outros companheiros conseguiram escapar por pouco do centro de poder do Império.

Secretamente, Rhodan e seus companheiros avançam pelo Palácio de Cristal em Árcon I. Eles têm que escapar do Regente — e a esperança reside nos misteriosos deuses estelares. Mas agora eles têm que se provar em Thek-Laktran, na “Colina dos Sábios”.

Perry Rhodan e seus companheiros foram resgatados na última hora — por ajudantes que partiram da distante Terra. Anteriormente, sob a impressão dos acontecimentos, o sentido extra de Onat da Heskmar se ativa e revela para Rhodan a verdadeira natureza do Arquivo de Epetran. Finalmente, o terrano pode agir para cumprir sua missão.

 

Mundo da Guerra e luta contra o Regente e sua Mão.

Enquanto Rhodan procura o arquivo, o arcônida Atlan tem seus próprios planos: ele quer derrubar o Regente — e espera encontrar aliados no Mundo da Guerra do Império. Assim, também Atlan e Belinkhar estão ativos. Eles buscam em Árcon III, o Mundo da Guerra. Eles querem ganhar o apoio de Pertia ter Galen, a comandante-em-chefe da Frota Imperial, para uma rebelião contra o Regente.

Mas, no Mundo da Guerra, eles percebem que não são os únicos que procuram a comandante: também Sergh da Teffron, o arqui-inimigo da Humanidade, quer engrossar suas tropas.

O apoio da Mascant e, assim, da frota espacial do Império foi negado aos rebeldes. Mas, para Atlan, Belinkhar e Ihin da Achran houve várias reviravoltas surpreendentes no Mundo da Guerra, que provavelmente os levarão para muito mais perto do seu destino.

Assim, Atlan passou um ativador celular para o ex-ajudante da Mascant. O dispositivo prolongador da vida tornará difícil que Sergh da Teffron pense em outra coisa que não na atração da imortalidade. E o canhão conversor é um ás na manga, do qual o outro lado não pode conhecer nada.

Também em outros locais do sistema Árcon ocorrem coisas importantes. Mas alguns de seus companheiros correm atrás de um segundo objetivo: derrubar o Regente. Novaal, o naat renegado, retorna secretamente para seu lar, para realizar algo realmente inconcebível. Ele planeja a rebelião de seu povo escravizado contra os arcônidas

Sergh da Teffron — a nêmeses de Rhodan e da Humanidade — por sua vez envia a cortesã Theta. Seu trabalho: encontrar o fugidio adjunto Enban da Mortur. Ela deve aliviá-lo daquilo que da Teffron procura ainda mais do que o poder sobre o Império: o ativador celular que promete a vida eterna.

A prova apresentada pelo médico Parleen convenceu o Conselho dos Vencedores. Sergh da Teffron enganou os naats, sua vitória no tasbur foi devida a meios desleais. A partir de agora, os naats estão do lado de Atlan e de Novaal — sem que a Mão do Regente suspeite disso.

O arcônida Atlan continua a trabalhar para a derrubada do Regente. Fortalecido pela aliança com os combativos naats, ele está pronto para atacar. Ele ordena um ataque a Ker’Mekal, o centro de controle da Frota do Império.

Atlan e seus aliados tiveram sucesso em um golpe súbito e conquistaram o centro de controle Ker’Mekal sem despertar a suspeita do Regente.

O arcônida reuniu tropas nas últimas semanas. Então ele parte com os naats para o quinto planeta do sistema Árcon. Na terra natal dos gigantes deve começar a rebelião contra o Regente. Sua rebelião começa em Naat, o mundo dos gigantes de três olhos.

O plano de Atlan teve sucesso. Apesar da tempestade e outros problemas, os rebeldes de Naat foram capazes de tomar o planeta deserto e suas vinte e seis luas e todas as estações orbitais.

Milhares de arcônidas estão agora nas mãos dos rebeldes, para servir como moeda de troca. Mas Sergh da Teffron, a Mão do Regente, conseguiu escapar de Atlan no último momento. Atlan acha isto uma bagatela; no melhor dos casos, algo de menor importância para a continuação do levante.

Atlan conseguiu obter o controle do mundo da guerra — sem derramamento de sangue. Isso foi possível pelo emprego do canhão conversor e sua vitória no duelo dagor com Pertia ter Galen, a comandante-em-chefe da Frota

 

Busca pelos portadores

Rhodan resolve o enigma do arquivo: seus dados são armazenados nos cérebros de milhares de arcônidas. Doze deles carregam as coordenadas da própria Terra. Mas Perry Rhodan é forçado a agir. A busca leva Rhodan e seu melhor amigo Reginald Bull a Árcon II — o mundo onde, poucos dias antes, a cidade celeste Gath’Etset’Moas caiu. Um inferno os aguarda.

Perry Rhodan e seus companheiros deram um grande passo adiante. No Inferno de Árcon II eles conseguiram pôr as mãos em dois dos detentores das coordenadas da Terra — e salvar milhares de vidas.

Perry Rhodan e seus companheiros continuam trabalhando febrilmente para impedir que Sergh da Teffron tenha acesso aos Arquivos de Epetran. Parte dos doze portadores das coordenadas da Terra já estão em suas mãos. Porém, para proteger a Terra, eles devem ter todos os portadores sob sua guarda.

Impulsionado por este propósito, Rhodan e seu melhor amigo Reginald Bull partem secretamente para Árcon I. Lá, Rhodan suspeita de um dos doze arcônidas que, sem saber, possui as coordenadas da Terra. Junto com Reginald Bull, ele vasculha o mundo do governo — e encontra uma família nobre nas garras de uma pena milenar: a mancha do maníaco Imperador Pathis I.

O portador das coordenadas Chedan da Pathis já não pode mais revelar a posição da Terra: ele está morto. O nobre foi vítima da violência que assola sua casa desde o fim inglório do deposto Imperador Pathis I...

Quase simultaneamente, um segundo arcônida morreu em órbita do planeta gigante Bhedan: Onat da Heskmar, o guardião do Arquivo de Epetran, arriscou sua vida para dar acesso aos humanos ao conhecimento dos portadores das coordenadas — e perdeu.

Rhodan resolve o enigma do arquivo: seus dados são armazenados nos cérebros de milhares de arcônidas. Doze deles carregam as coordenadas da própria Terra. Mas Perry Rhodan é forçado a agir. A morte trágica de Onat da Heskmar privou os humanos de qualquer perspectiva de poder manipular o Arquivo de Epetran. Mas o terrano não desiste. Ele acredita que deve haver outro guardião do arquivo.

Rhodan teve uma suposição correta: o sábio Epetran determinou mais de um guardião para o seu arquivo — mesmo se não fosse o homem que Rhodan tinha em mente.

Os humanos devem agora capturar os seis portadores restantes das coordenadas da Terra, para eliminar a ameaça para o seu lar. Eles acham que isso é fácil após o naat Jeethar enviar para os portadores restantes o pedido de irem para Iprasa.

A missão de Rhodan parece quase concluída. Onze dos doze portadores das coordenadas da Terra foram encontrados. Mas há algo que Atlan não percebeu. A Mão do Regente levou Enban da Mortur com ele — o último portador remanescente das coordenadas da Terra. Se da Teffron descobrir a posição da Terra, armazenada no cérebro do seu prisioneiro, o lar dos homens estará perdido.

 

Mundo Elísio

O triunfo de Atlan em breve poderá se tornar uma vitória de Pirro. O Regente iniciou sua peregrinação pelo Mundo Elísio. Ao retornar, será como imperador — e a rebelião terá falhado.

A arriscada operação de Perry Rhodan valeu a pena: o risco de que Sergh da Teffron topasse com as coordenadas da Terra foi afastado. Mas o preço foi alto. Enban da Mortur, o portador das coordenadas, pagou com a própria vida — e o próprio Rhodan quase não sobreviveu. Rhodan finalmente encontra a solução. Mas, para tanto, ele tem de cair nas mãos de seu arqui-inimigo — e, por fim, só lhe resta escapar em uma misteriosa espaçonave. Que segue para o Mundo Elísio.

Rhodan chegou ao Mundo Elísio em segurança. Para sua surpresa, o planeta acabou por ser um meio mundo — assim como Peregrino, a morada de AQUILO.

O Mundo Elísio pertence também a esse ser espiritual misterioso? Parece ser a única explicação plausível. Se assim for, qual a finalidade dele? Um bastião de AQUILO, uma fortaleza na Luta? Mas, então, quem é esse Separei, que os ilts odeiam tanto? Por que ele persegue os seres peludos e permite que sejam abatidos por seus robôs?

E qual é o significado do livro holográfico de Pathis I que Rhodan leva consigo? É algo sobre Separei, o herói da lenda?

Rhodan espera resolver estas questões no lado plano do Mundo Elísio — mas primeiro ele tem de sobreviver a inúmeros perigos.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

 

Episódios 0073 a 0084 
Data de publicação na Alemanha: 2014


Rhodan é bem-sucedido. Mas a fuga desesperada de seu inimigo o leva ao Mundo Elísio. Lá, ele é recebido como uma lenda viva. Mas, quando Perry Rhodan retorna de uma odisseia de quase um ano entre as estrelas, ele constata que o Grande Império anexou o Sistema Solar e a Terra tornou-se um Protetorado de Árcon. O reinado de Árcon parece inabalável. Mas Rhodan acha que conhece um modo de recuperar a liberdade da Terra.



c neo73

Mundo Elísio

Quando o astronauta Perry Rhodan parte para a Lua em junho de 2036 ele não imagina que seu voo levará o destino da Humanidade para novos rumos.

Rhodan encontra uma espaçonave dos tecnicamente mais avançados arcônidas. Ele consegue conquistar a amizade dos náufragos — e, finalmente, une a Humanidade na União Terrana.

Perry Rhodan abriu o caminho para as estrelas. Mas as novas oportunidades também trazem perigos adicionais. Quando ele descobre que a posição da Terra está armazenada no Arquivo de Epetran em Árcon, ele parte imediatamente. Ele tem de eliminar as coordenadas antes que elas caiam em mãos erradas e o poder do Grande Império destrua a Terra.

Rhodan é bem-sucedido. Mas a fuga desesperada de seu inimigo o leva ao Mundo Elísio. Lá, ele é recebido como uma lenda viva. Ele deve resgatar os habitantes deste mundo do seu algoz. Perry Rhodan conseguiu libertar os ilts da ameaça de Separei. Mas ele não matou Separei, embora os ratos-castores esperassem isso, mas reconheceu a razão para seu comportamento. Ele viu a dor do ser, que tinha sido filho do genial cientista Epetran. E lhe devolveu seu bem mais valioso, o hololivro dos Doze Heróis — sem poder imaginar as consequências disso.

Em gratidão, Separei autorizou Rhodan a escapar do Mundo Elísio. Rhodan agora retorna ao sistema Árcon — e encontra uma guerra civil. Os rebeldes de Atlan estão prontos para invadir o mundo do governo. Mas o Regente obscuro foi ordenado imperador, ao qual os arcônidas se sujeitam de boa vontade.

Volta ao lar.

Quando Rhodan retornou ao sistema Árcon ele foi pego no fogo cruzado. Mas, a missão de Perry Rhodan foi bem-sucedida. Seus companheiros e ele descobriram o Arquivo Epetran e apagaram dele as coordenadas da Terra. Embora com grandes sacrifícios. Ivan Goratchim e Chabalh estavam mortos. Ishy Matsu e Brendan Caine ficaram para trás no Sistema Árcon, assim como Atlan, Novaal, Belinkhar, Talamon e Elnatiner. Seus destinos eram incertos.

Mas o lar da Humanidade estava em segurança. Independente de a rebelião de Atlan contra o Regente ter sucesso e de quem deveria governar o Império.

A RANIR’TAN fez a longa viagem de volta para a Terra. Lá, Perry Rhodan encontra um mundo que ele não reconhece — e tem um encontro que é realmente impossível: com ele mesmo. E também encontra uma Terra que ele já não reconhece...

Protetorado

O lar dos humanos está sob domínio arcônida, sendo declarado como Protetorado. Terrânia, a nova capital da Humanidade, é somente um deserto de escombros. O próprio Perry Rhodan se tornou uma lenda, uma esperança desesperada para os oprimidos.

A União Terrana cedeu ao Império. O Administrador Homer G. Adams está cooperando com os novos senhores, enquanto literalmente milhões de pessoas seguem para o underground, para assumir a luta contra os sitiantes — um esforço inútil, de fato ridículo.

Mas os humanos não desistem. Em todos os lugares da Terra elas desafiam os arcônidas. Entre outros locais em Berlim, que é escolhida pelos invasores para comando setorial da Europa. Ao mesmo tempo, alguns dos moradores da cidade vislumbram chances inimagináveis para si próprios.

Aqueles que entram em conflito com os novos senhores da Terra pagaram um alto preço: Paul Gerver está morto, sua namorada Mia caiu nas garras de Chetzkel. John Marshall quase não conseguiu escapar do comandante militar dos invasores.

Mas agora Chetzkel tem a prova de que os mutantes realmente existem — e esse conhecimento não vai deixá-lo em paz.

O reekha não imagina que o Zelador que ele despreza também está à caça: de Perry Rhodan, o lendário líder humano. Satrak tem certeza de que Rhodan voltou para a Terra — e decide colocar uma isca que é impossível para ele resistir

Rhodan se junta à resistência terrestre. Em um show aéreo na Inglaterra, ele e seus companheiros querem dar um golpe surpreendente nos arcônidas. Mas então Rhodan recebeu uma mensagem que o chocou profundamente — uma armadilha de Satrak que foi bem-sucedida. Rhodan tinha de examinar a fundo a possibilidade de que Rhodanos ainda pudesse estar vivo e em cativeiro, sem levar em conta o risco. Mas, com os mutantes, Rhodan tinha um ás na manga, com o qual o Zelador não contava.

Enquanto Rhodan tentava libertar sua duplicata em Belfast, a Terra Livre fazia jogo duplo. Um comando sequestrou a LATAS. Hackers de todo o mundo atacaram, como parte da Operação Greyout, os mais diversos bancos de dados.

O resultado da Greyout é o caos. Um desastre para os ocupantes — e uma oportunidade para muitos humanos. Na Operação Greyout, eles quebraram a base de dados em que repousava o governo arcônida. O caos irrompe — e um mutante desesperado busca se salvar por meio de uma fuga.

Enquanto isso, também o arcônida Jemmico, Coordenador para a Segurança, busca obter respostas. Como Perry Rhodan teve sucesso e como puderam Crest e Thora de Zoltral ficarem do seu lado? Como os humanos puderam destruir sua nave? E por que a AETRON foi destruída, afinal?

Seus esforços não o levaram a lugar algum — até que ter sob sua custódia um tripulante da AETRON que se acreditava estar morto. Como muitos outros humanos, o mutante John Marshall passou à clandestinidade para lutar contra os ocupantes. Quando ele descobre que os arcônidas têm em mãos uma suposta morta, ele parte para libertá-la.

John Marshall conseguiu dar um golpe particular. Ele conseguiu libertar Quiniu Soptor do poder de Jemmico. Além disso, a meio arcônida recuperou sua saúde mental, graças à sua ajuda e ao tratamento do ara Phiaster.

Soptor uma vez tinha fugido da Terra ao lado do robô Rico, chegando a Peregrino, bem como à antiga Atlântida. A meio arcônida têm informações valiosas para os humanos.

O relato de Quiniu Soptor comprova: os dourados interferiram grandemente no curso dos últimos milênios na história da Via Láctea, sobretudo Pranav Ketar. Parece cada vez mais provável também que os dourados sejam os catalisadores da Crise Gênese.

Mistérios na Terra, Sistema Solar e da Luta

Graças ao novo dom de Ras Tschubai, foi possível sequestrar o tênder da frota LATAS, mas ele não salvou o mutante da cilada de Chetzkel. Tschubai caiu nas mãos do reekha.

Chetzkel segue seus próprios planos — ele obtém novos insights a partir do diário de bordo do comandante Cerbu. O reekha acredita ter encontrado uma primeira pista para solucionar o mistério do sistema estelar terrestre... Seu prisioneiro, por sua vez, só pode esperar que tudo isso apenas o distraia.

Enquanto a resistência dos humanos obtém sua primeira vitória na luta contra os invasores, Rhodan se propõe a cumprir a missão de Rhodanos. Rhodanos — assim se chamava sua duplicata, que está morta. Antes da sua morte, ele mostrou o caminho. E agora Perry Rhodan precisa seguir no encalço das marionetes de Callibso.

A busca de Perry Rhodan levou a um resultado chocante: sua mãe, sua irmã, sua amante e muitas outras pessoas próximas a ele foram tomadas por marionetes de Callibso. Mas elas estão todas mortas, não podem mais lhe dar respostas.

Mas surge uma nova e surpreendente pista: Jenny Whitman, ex-assistente de Lesly Pounder, o diretor de voo da NASA...

Enquanto isso, Perry Rhodan some na clandestinidade e parte em busca das misteriosas marionetes que um poderoso ser chamado Callibso enviou à Terra. Rhodan reconhece que essas criaturas são a chave para a sobrevivência da Humanidade — não os aparentemente tão poderosos arcônidas…

A busca de Perry Rhodan pelas marionetes de Callibso foi bem-sucedida: Jenny Whitman, a antiga assistente de Lesly Pounder, está em suas mãos.

Mas a um preço elevado: Rhodan soube que seu tio Karl, que o tratava como um filho, como pai, foi morto pelas marionetes — e que havia uma grande probabilidade de que Karl não fosse um ser humano. No entanto, Rhodan ainda não suspeita de que seu melhor amigo, Reginald Bull, também foi assumido por uma marionete...

Enquanto isso, Chetzkel, o comandante militar das forças de ocupação, também embarca em uma missão. Ele quer encontrar a misteriosa estação, que dez mil anos atrás, o comandante arcônida Cerbu encontrou na periferia do sistema solar. Seu coringa na busca: o misterioso prisioneiro, o mutante Ras Tschubai. Chetzkel pode contabilizar novas descobertas. Embora a estranha estação tenha se destruído junto com a lua Disnomia, sua mera existência é um comprovante de sua suspeita há muito nutrida: o sistema dos humanos abriga um grande mistério.

Perry Rhodan fez progressos significativos. Ele conseguiu libertar seu amigo Reginald Bull do controle da marionete Tankin. Embora o preço tenha sido sua própria destruição, o robô Tai’Targ provavelmente localizou a nave de fuga de Callibso.

Mas o sacrifício de Tai’Targ parece inútil, porque Rhodan, Bull e Thora caíram nas mãos do Zelador Satrak.

O relato de Quiniu Soptor deixa uma coisa bem clara: a Crise Gênese foi um ataque direcionado aos mutantes da Terra — e seus autores foram os dourados, talvez até mesmo o próprio dourado Pranav Ketar. Com alguns companheiros, John Marshall parte em busca de uma pista deste ser misterioso.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

 

Episódios 0085 a 0100 
Data de publicação na Alemanha: 2014 a 2015


A Terra é um protetorado de Árcon. A União Terrana se desdobra para apresentar os novos governantes, enquanto a resistência está crescendo. Em fevereiro do ano de 2038 Perry Rhodan e sucedido, em quebrar o poder dos invasores. Mas na luta ele é ferido e está lutando com a morte. Seu simbionte ênteron, o apoia – e revela a trajetória de outro Rhodan… O segredo de Rhodanos está resolvido. O velho que apareceu em maio de 2037, do nada na terra era uma duplicata de Perry Rhodan. Rhodanos tentou burlar o tempo para. Ele falhou – e o projeto criminoso Peaqash, a chamada Aliança irá seguir seu curso...



c neo85

Satrak, o Zelador do Grande Império está na Terra; em suas mãos estão Perry Rhodan, Thora da Zoltral e Reginald Bull. Agora ele quer colher os frutos de sua caça. Mas Homer G. Adams se intromete nisso e o convida para uma festa de Natal na Torre Stardust. A partir deste ponto, tudo fica fora do controle do Zelador. Jemmico e Chetzkel jogam seu próprio jogo e o Administrador Adams faz um movimento surpreendente.

Adams emprega uma tática de dispersão para que Bai Jun e seus mutantes libertem Rhodan, Thora da Zoltral e Bull. Os mutantes se deparam com algumas supressas deixadas por Satrak.

Perry, Thora e Reg usam o ênteron para se libertar e conseguem a ajuda inesperada de Sannasu que leva consigo a confidente de Satrak.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

 

As origens da série

Em 1969, quando a série Perry Rhodan já estava no início do ciclo “Os Cappins” (episódios 400 a 499) na Alemanha, sua editora pediu a K.H. Scheer que criasse uma nova série, na qual o personagem Atlan, um dos preferidos dos leitores, tivesse uma participação mais ativa. Dessa forma Scheer concebeu a série Atlan, que seria publicada mensalmente e que se concentraria no dia a dia de Atlan como chefe da USO.

O primeiro episódio, “O Sindicato Galático”, foi publicado em outubro de 1969, quando a série Perry Rhodan já estava em seu 424º episódio. Devido à pressão dos leitores e da própria editora, a série passou a ser quinzenal a partir do seu 17º episódio, e a periodicidade semanal foi finalmente adotada a partir do seu 79º episódio, publicado em abril de 1973.

A estrutura cíclica da série

Ao contrário da série Perry Rhodan, a série Atlan não teve uma estrutura de ciclos regular e padronizada. Normalmente os ciclos começavam e terminavam em números “quebrados”, podendo durar entre dois e cem episódios. Além disso, os ciclos normalmente não seguiam uma seqüência cronológica, dando grandes “saltos” de tempo tanto para o futuro quanto para o passado.

Por este motivo, o Projeto Traduções resolveu adotar a estrutura temporal, traduzindo assim a história de Atlan pelo periodo em que acontece e não pela sequência de lançamentos.

Os autores da série

Naturalmente os autores da série Atlan foram os mesmos de Perry Rhodan, com algumas poucas exceções. Normalmente Atlan era utilizada como um “teste” para autores que tivessem interesse em escrever para a série mãe. Se o autor que começasse a escrever para Atlan fosse bem-aceito pela redação da série e pelo público, era apenas uma questão de tempo até que ele fosse chamado a escrever para Perry Rhodan.

É interessante observar que o criador da série, K.H. Scheer, escreveu apenas três livros para a mesma (episódios 1, 2 e 100), pois preferiu concentrar suas atividades no planejamento geral dos ciclos. Isso também foi consequência de vários problemas de saúde que teve na época, os quais eventualmente o afastariam da série por completo.

O cancelamento da série

Entretanto, durante a publicação do quinto grande ciclo, a editora percebeu um acentuado declínio nas vendas da série, que ocorreu basicamente devido ao fato dos fãs de Perry Rhodan e Atlan não terem tempo nem dinheiro para acompanhar tudo que era publicado simultaneamente naquele momento: cinco edições semanais de Perry Rhodan, duas de Atlan e, como se não bastasse, duas edições mensais da coleção dos romances planetários.

Assim, ela acabou sendo cancelada em 1988 após a publicação de 850 episódios, o que naturalmente desagradou bastante os fãs de longa data da série, especialmente aqueles que gostavam mais de Atlan do que da própria série Perry Rhodan.

Dessa forma a longa história dessa série irmã de Perry Rhodan parecia ter chegado ao seu fim definitivo...

Os miniciclos de Atlan

Apesar da “Atlan Fanzine Serie” e das compilações em capa dura, os fãs da série Atlan sempre pediam à editora um retorno “oficial” da mesma, com novas histórias escritas pela equipe de redação de Perry Rhodan. Devido a isso e também ao fato de que os livros Zeitabenteuer ajudaram a popularizar ainda mais a figura de Atlan entre os novos leitores de Perry Rhodan, a VPM decidiu, em meados de 1998, publicar um novo ciclo da série. Dessa forma os autores Robert Feldhoff e Rainer Castor conceberam o ciclo “Traversan”, que foi publicado entre outubro de 1998 e janeiro de 1999. Após o grande sucesso do ciclo “Traversan”, os leitores começaram a exigir da VPM uma continuação, já que a história e a estrutura do ciclo foram muito bem recebidas pelos fãs. Contudo, somente em janeiro de 2003 os fãs tiveram seus desejos atendidos: nesse mês começou a ser publicado o ciclo “Centauri”, que, assim como seu antecessor, teve doze episódios.

A partir de então, este passou a ser o padrão dos miniciclos de Atlan, com o lançamento dos ciclos: Obsidiana, em 2004; O Senhor da Justiça, em 2004/2005; A Estrela Negra, em 2005, Mundo Intra, em 2005/2006 e Poeira estelar em 2006.

Os microciclos de Atlan

Em 2006, a série passou por uma nova modificação da estrutura. A série passou a ser composta por microciclos de 1, 3 e até 6 livros de bolso, tendo predominados os microciclos de 3 livros.

Foram então lançados os microciclos: Lepso, em 2006/2007; Rudyn, em 2007; Illochim, em 2007/2008; Rico, em 2008; Monólito, em 2008/2009; Mundo do Inferno, em 2009/2010; Marasin, em 2010; Fragmento estelar, em 2010/2011 e Polychora, em 2012.

Houve também a microssérie Atlan X, composta pelos microciclos Creta em 2009 e Tamaran em 2010, ambos com 3 livros de bolso.

As aventuras temporais (zeitabenteuer) narram as histórias do arcônida Atlan, durante sua permanência de mais de dez mil anos na Terra. Também contam os acontecimentos envolvendo seu robô, Rico, durante os longos períodos em que o arcônida ficou adormecido em sua cúpula submarina, no fundo do oceano Atlântico.

Essas histórias foram publicadas originalmente nos Romances Planetários de Perry Rhodan, e todas as aventuras temporais foram escritas por Hans Kneifel, exceto a do Romance Planetário nº 175, que tem como coautor, Peter Griese.

Posteriormente essas histórias foram revisadas e editadas pelo autor, com o auxílio de Rainer Castor e compiladas nos Volumes Azuis de Atlan.

Também há algumas histórias publicadas nas minisséries Atlan X e Creta e na edição Moewig Fantastic (MF).

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

O ciclo O Herói de Árcon tem 160 volumes e está dividido nos seguintes subciclos:
Primeiras Aventuras de Atlan: 1 ao 16 – 16 volumes. (já traduzidos)
O Segundo Atlan: 17 ao 19 – 3 volumes. (já traduzido)
A Pedra Filosofal: 20 ao 34 – 15 volumes. (em tradução)
Os Varganos: 35 ao 81 – 47 volumes.
Ácon-Ácon: 82 ao 114 – 33 volumes.
O Duplo: 115 ao 131 – 17 volumes.
Kaymuurtes: 132 ao 143 – 12 volumes.
O Fim de Orbanaschol: 144 ao 160 – 17 volumes.


Apesar do sucesso inicial da série, William Voltz, que assumiu o planejamento geral da mesma a partir do episódio 81, percebeu que ela estava aquém de suas possibilidades, pois lidava quase que exclusivamente com histórias de agentes secretos da USO, em vez de colocar Atlan diretamente no centro das histórias.

Para sanar essa deficiência, ele concebeu o que viria a ser um dos maiores diferenciais da série: o conceito “Atlan Exclusivo”, que começou a ser colocado em prática no episódio 88, “No Deserto das Aranhas”.

A partir desse episódio a série passou a ter uma estrutura peculiar: os episódios ímpares continuavam com as aventuras de Tekener e Kennon, ao passo que os pares contavam a juventude de Atlan em Árcon, quando ele ainda era um jovem príncipe regente no ano arcônida 10496, ou 8024 AC. Isso fez com que a segunda parte do grande ciclo “Em Missão para a Humanidade” (ou seja, dos episódios 88 a 175) tivesse essa estrutura alternada de episódios da USO e aventuras do jovem Atlan, que eram conhecidas como “Atlan Exclusivo”. Essa estrutura peculiar permitiu que houvesse muitos cruzamentos entre as duas linhas de histórias, como por exemplo Tekener e Kennon encontrarem-se com raças contra as quais o jovem Atlan havia lutado há dez mil anos, e assim por diante.

Subciclos - 01 - Primeiras Aventuras de Atlan: 1 ao 16 – 16 volumes.


No Grande Império Arcônida é o ano 10496 Ark (de Árcon) um tempo correspondente ao ano terrano de 8024 aC.1 Portanto, é uma época em que os habitantes da Terra ainda estão mergulhados na barbárie, não sabendo das estrelas, nem da grande herança da Lemúria desaparecida.

Por outro lado e apesar de Árcon manter uma grande guerra contra os maahks, que está no seu ápice, o imperador atual deste vasto domínio, é Orbanaschol III, um homem brutal e de grande astúcia. O qual está sob a suspeita e há boatos espalhados, de ter planejado e executado a morte de seu irmão, Gonozal VII, a fim de assumir o poder para si.

Mesmo que Orbanaschol III tenha estabelecido firmemente o seu poder, existe um homem a quem o Imperador de Árcon deve temer: Atlan, o herdeiro legítimo do trono. Após a morte de Gonozal VII, seu pai, ele havia desaparecido sem deixar vestígios, em companhia do ex-médico particular de Gonozal VII.

Mas talvez as pistas não fossem suficientemente ocultas, porque os brutais agentes de Orbanaschol III, os kralasenes, apareceram subitamente no remoto planeta Gortavor, onde Atlan crescera para a maturidade sob o olhar atento de Fartuloon e na proteção de Tarkihl, sem saber nada de sua verdadeira origem. E aqui eles prenderam o velho médico de Gonozal VII, sem qualquer aviso.

Atlan deve pensar em como conquistar a liberdade de Fartuloon e empreender A Fuga de Tarkihl, com seus companheiros enceta a fuga dos agentes do Imperador.

Na fronteira das terras brancas Fartuloon tem uma base. Atlan quer fugir com seus companheiros por meio do OMIRGOS – um cristal. Apesar dos fantasmas da neve e tempestades os atingirem, Fartuloon e seus companheiros chegam ao povoado de Adjover onde Fartuloon pode dominar o tirano local, Umman, para obter suprimentos frescos.

Poucos antes da estação, os fugitivos são alcançados pelos kralasenes. A própria estação está localizada no Vale Kermant, onde até mesmo a moderna tecnologia falha. Na neblina os kralasenes sequestram Farnathia. Atlan, Fartuloon e Eiskralle fogem de Gortavor por meio de um efeito transmissor do OMIRGOS. (Atlan 1 a 3)

O jovem Príncipe de Cristal ainda está muito vivo! Depois de ter sido informado de sua verdadeira história e ter ativado seu cérebro extra, seu pensamento e cada ação têm um claro objetivo: derrubar o usurpador. Mas este projeto de Atlan não se concretizará tão facilmente. Após o surgimento do exército de espectros em Kraumon, a principal e secreta base de Fartuloon, onde junto com Atlan, planejam a luta contra Orbanashol.

O caçador de cabeças Corpkor, um arcônida de 60 anos de idade, que opera com uma nave esférica de 60 metros e um exército de animais treinados, recebe de Orbanaschol III a tarefa de capturar o Príncipe de Cristal Mascaren da Gonozal. Através de documentos antigos de Fartuloon, ele descobre evidências de Kraumon, a base secreta do cirurgião é finalmente localizada, graças à explosão no planeta, que trouxe de volta os “espectros” ao universo normal.

Corpkor finge um pouso de emergência, para deixar apenas seu exército de animais atacar a base. Ambos os lados sofreram pesadas perdas de animais ou robôs. Corpkor consegue com a ajuda das mariposas tulh, que têm hipno-ornamentos em suas asas, capturar Atlan e Morvoner Sprangk. Por sua vez, Fartuloon envia robôs para impedir a nave esférica de decolar.

Finalmente Atlan é libertado e derrota Corpkor em um duelo. Então, ele consegue convencer o caçador de cabeças do fato de que o Imperador é o assassino de seu pai. O caçador de cabeças entra imediatamente no movimento de resistência de Atlan.

Para promover seus próximos planos, para alterar a configuração de poder, Atlan vai junto com os companheiros para Trumschvar, o mundo dos Kralasenes. E ali se dá o primeiro conflito direto com os adversários mais poderosos.

Sofgart o Cego voa para Ganberaan, seu mundo da tortura, onde Atlan passa pelo conselho. Em um pântano, ele salva a vida do arcônida Kelese Ta-Amonte. A partir dele, ele ouve que um ser chamado de Apanhador de Almas torna incerto os pântanos. Somente após Atlan lutar contra os kralasenes, Ta-Amonte confia nele.

Juntos, eles atacaram um comboio de prisioneiros, em que também se encontra o vulther Mingor, e assumem o papel de kralasenes para entrar na Sepulkorvat, a fortaleza de Sofgart. Lá, fica a espreita o Apanhador de Almas, que é também um vulther. Mingor, que é o sucessor do Apanhador de Almas anterior, acompanhou Atlan e Ta-Amonte. Os dois seres se matam em um combate único, de modo que os dois arcônidas podem penetrar na fortaleza.

Atlan e Kelese Ta-Amonte invadem o Sepulkorvat, a fortaleza de Sofgart o Cego, que está localizada em uma montanha de seis quilômetros de diâmetro e uma altura de 1,5 quilômetro. Quando eles chegam até o líder dos kralasenes, encontram o guarda superior Argee, o mesmo está no garrabo, um jogo em que se tratava de sua vida, porque ele foi misericordioso com um prisioneiro que perdeu para Sofgart. O garrabo é um jogo de estratégia dos arcônidas, semelhante ao xadrez terrano, mas no qual os prisioneiros do líder dos kralasenes são utilizados no lugar de peões e uma vez que seu personagem é atingido no jogo, ele também é morto.

Sofgart quer oprimir Atlan e Ta Amonte, eles são cercados por robôs de combate. O lider dos kralasenes se deixa persuadir a um jogo de garrabo por Atlan em que é disputada a liberdade ou a morte dos dois arcônidas. Como o Príncipe de Cristal ganha o jogo, seus prisioneiros não são mortos a pedido de Atlan, Sofgart não cumpre o acordo e quer interrogar os intrusos. No entanto, Atlan e Ta Amonte podem escapar. Nos momentos seguintes, os dois arcônidas aproveitam a confusão na fortaleza e libertam os prisioneiros. Pouco tempo depois, Ta-Amonte é alvejado pelos kralasenes.

Sofgart reconhece o interesse de Atlan, cuja verdadeira identidade ele não tem ideia, por Farnathia. Ele faz um prisioneiro silencioso levar o Príncipe de Cristal para ela e, em seguida, fugir da Sepulkorvat. Por meio da selva, após uma caminhada que se transforma em uma marcha de um dia inteiro, eles chegam até Perkora, uma cidade dos kralasenes onde podem se esconder em uma casa atualmente desocupado. Pouco tempo depois, o hipnobloco de Sofgart o Cego em Farnathia fica ativo, a forçando a atacar Atlan. No entanto, ele pode quebrar o feitiço, quando ele relembra a jovem arcônida a juventude em comum em Gortavor.

Ele então colocou Farnathia numa ligação de videofone com Sofgart que, em seguida, vai para Perkora pegar os adversários supostamente dominados. Atlan pode tomar o líder dos kralasenes como refém e, assim, pedir uma espaçonave com quatro prisioneiros como sua equipe. Pouco antes da partida, ele deixa Sofgart livre e se revela a ele como o legítimo Príncipe de Cristal.

Entretanto, estes objetivos de Atlan estão mais longes do que nunca. Porque depois de sua bem-sucedida fuga do planeta Ganberaan, o Reino do Torturador, ele cai nas mãos dos piratas da Barreira de Sogmanton. E para salvar Farnathia, a sua amada, ele arrisca tudo.

Sofgart infectou Farnathia com um bioparasita que assume o controle dela e a transforma gradualmente num monstro. Então, ocorre uma série de assassinatos no Castelo de Richmond, provocando atritos entre o pessoal de Hanwigurt Sheeron e a gangue dos piratas do Coletor. Só então eles descobrem Farnathia como um monstro, quando então o Coletor propõe adquirirem um corpo androide para Farnathia, tal como aqueles encontrados no ninho dos piratas Tarugga.

No entanto, quando Atlan e o Coletor chegam lá, eles descobrem que os androides ficaram loucos devido à radiação da barreira Sogmanton, de modo que devem ser dominados pelos piratas. Por causa desta distração o bioparasita pode matar Lorde Correson, apenas para reaparecer na sede de Sheeron onde ele quer finalmente matar Farnathia. No entanto, o metabólico Morgus assume a forma de Farnathia para que o parasita o penetre e seja aniquilado no processo. Farnathia está relativamente intacta após o fim do parasita.

Sheeron já havia contatado Kraumon mais cedo, de forma que Fartuloon, Eiskralle e Morvoner Sprangk chegam para ajudar Atlan.

Na barreira Sogmanton, acontecem estranhos incidentes com os grauzaynas cuja nave está há anos na barreira. A única tentativa até agora para entrar na nave realizada pelos piratas terminou num fiasco. Como a nave dos grauzaynas aparentemente começa a dissolver, quatro ovos de poeira são tripulados. Atlan pode entrar em contato com um grauzayna e aprender sobre a iminente metamorfose. O grauzayna deixa para trás, como um presente de despedida, 33 Talamas, antes de a nave grauzayna desaparecer no hiperespaço.

Os piratas voam para o mundo de livre comércio Jacinther IV para vender seu saque acumulado. Atlan, Fartuloon, Morvoner Sprangk e Eiskralle querem participar do voo e oferecer os Talamas. Sob o comando de Jepson Tropp, os piratas voam para o continente Broschaan. Uma vez que Atlan não partilha os Talamas e os piratas ficam com raiva, os grupos rapidamente se dissociam.

Pelas atividades de Atlan, o seu grupo logo é feito prisioneiro pelo governador Prillgram Galbass, que os prende como espiões dos outros governadores. Atlan e seus amigos podem escapar da morte fugindo com a ajuda de uma amante de Galbass, ação que lhe custou a sua vida. Questionando Galbass, Atlan tem conhecimento de que o economista Freemush vai visitar Jacinther em breve, e decide raptá-lo.

Primeiro, ele se oferece a Galbass como um homem livre se seu espião para o mandatário Fertomash Agmon, que todos os governadores gostariam de seguir. Galbass respondeu à oferta e envia os quatro com uma nave para Sebentool. Porém, a nave é desviado por agentes de Mavillan Ruuver para a ilha Kortasch-Auromt porque Ruuver está interessado nas atividades de espionagem de Galbass.

Em Kortasch-Auromt há todo um exército de grandes lagartos, os moojas que são controlados via receptores implantados. Os animais são destinados ao trabalho e lutas. Após Fartuloon com ajuda de sua Skarg realizar um feito que permite a fuga do grupo, eles construíram um amplificador para uma estação de controle; e foi possível remover um líder mooja, para que eles possam escapar dos lagartos da ilha sob o controle do governador Mavillan Ruuver.

Em seguida, Atlan, Fartuloon, Morvoner Sprangk e Eiskralle, com a ajuda do treinador de moojas Coraschol e o mercador Harakas, conseguem chegar a um paredão íngreme de 1.000 metros acima do nível do mar que separa o resto da ilha através de um planalto de 50 km, com o espaçoporto e o Palácio do Governador. Pela estação de controle, Fartuloon força o governador a negociar.

Como em Broschaan, Atlan e Fartuloon se oferecem para verificar se o boato de que o representante império, Agmon Fertomash, está realmente morto. Sprangk e Eiskralle permanecem como apoio na ilha em uma caverna com a estação de controle enquanto Atlan e Fartuloon tomam curso para Sebentool com um planador.

Em Sebentool Atlan e Fartuloon fingem ser emissários do economista Freemush. Então eles são levados para Djulf Sorpschan, o chefe secreto da organização criminosa Nocto-NOS, que reside em um palácio entre o espaçoporto Sebentool-Varn e a cidade Sebentool-Braan. Quando ele é informado por seus espiões em Broschaan do blefe, Atlan e Fartuloon ainda podem escapar, tomando Sorpschan como refém.

Depois que eles deixam Sorpschan, penetram no palácio do oficial do império, Fertomash Agmon. Lá eles encontram Kaddoko, o governador de KevKev. Este matou Agmon em legítima defesa e desde então assumiu o seu papel. Atlan e Fartuloon o ajudam a implantar pistas falsas que indicam um acidente.

Pouco tempo depois, eles têm que deixar o palácio, enquanto as tropas de Sorpschan atacam. Por rotas subterrâneas, Atlan, Fartuloon, Kaddoko e sua comitiva podem escapar dos soldados e, em seguida, sair de KevKev. Um pouco mais tarde, eles descobrem que Freemush se antecipou e chegou com uma frota de 600 espaçonaves robotizadas em Jacinther IV.

Em KevKev a aliança entre Atlan e Kaddoko quebra logo após o Príncipe de Cristal e seu mentor Fartuloon terem testemunhado várias execuções em que Kaddoko mergulha seus inimigos para a morte nas falésias. Por outro lado Kaddoko sabe que Atlan e Fartuloon sabem demais. Assim, os dois acabam na masmorra do Governador. Quando Atlan está para ser executado, os homens de Freemusch invadem o palácio de Kaddoko. Kaddoko é preso pelo assassinato de Fertomash Agmon, o novo representante do império é um homem chamado Jalanock.

Freemusch oferece a todos os ex-prisioneiros para se estabelecerem em Jacinther IV ou deixar o planeta em seu cruzador, CAISED. Como a nave só pode ser alcançado a pé, através de um território perigoso, sua oferta é apenas aparentemente generosa. Atlan parte com um homem chamado Kolcho, que tem habilidades notáveis, graças aos seus olhos azuis cristalinos e tem contas a acertar com Freemusch, no caminho, enquanto Fartuloon com um planador temporariamente reparado e Morvoner Sprangk e Eiskralle informam os piratas. Atlan e Kolcho recebem reforços do ordenhador de mertes, Parok, durante a viagem antes de Fartuloon ir buscá-los.

Seis pessoas do grupo chegam a CAISED e conseguem realmente render a central de comando e, na verdade, Freemusch. No entanto, a frota robô os persegue a cada transição até Sprangk desviar a CAISED na barreira de Sogmanton. Lá as naves robotizadas encalham e viram presas indefesas para os piratas, enquanto Sprangk voa para o castelo de Richmond. Como Kolcho reconhece que Atlan é um inimigo de Orbanaschol, ele quer matá-lo, enviando-lhe com seus olhos para um plano diferente de existência. No entanto Eiskralle pode derrubá-lo.

Atlan deixa a CAISED para os piratas e busca Farnathia. Parok quer voltar para Jacinther IV. A pequena força rebelde está a caminho de Kraumon com Freemusch.

1No texto de abertura dos 4 primeiros volumes consta que o ano 10496 da Ark corresponde ao 9003 aC. Estes dados estavam incorretos. Durante os trabalhos de criação dos Volumes Azuis de Atlan, Rainer Castor corrigiu estas informações, baseado nas informações que apareceram nos PR15, PR60 e PR70, e que foram negligenciadas. No Volume Azul 17 a conexão de datas foi feita: Os romances começaram ambientados no ano de 8024 aC.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Subciclos - 2 - O Segundo Atlan: 17 ao 19 – 3 volumes.


O Segundo Atlan, Atlan e seus seguidores estão usando o cruzador de 80 m POLVPRON no caminho para o Castelo de Richmond após sair de Kraumon quando eles recebem uma chamada de emergência. A chamada de emergência os leva a Tsopan onde há apenas uma espaçonave maahk que está sendo forçada a pousar por um campo de contenção. Ao mesmo tempo a POLVPRON é retida e forçada a pousar.

Por meio de uma espécie de transmissor fictício, o skine Soon-Soon sequestra Farnathia para descobrir quem será mais hábil na empreitada para a sua libertação e, portanto, um modelo particularmente adequado e ideal para uma cópia da consciência. Atlan e Eiskralle fazem essa missão e encontram a arcônida, mas são capturados. O Príncipe de Cristal convence os skines a aceitarem Fartuloon em troca de Eiskralle e Farnathia. Por meio de um truque Atlan e Fartuloon são capazes de escapar, mas os skines buscam por meio de seu transmissor Atlan e Eiskralle. Com as habilidades de Eiskralle eles sucedem em escapar novamente de Soon-Soon. Porém Soon-Soon os prende novamente e antes deles escaparem já havia feito cópias das consciências de Atlan e Eiskralle.

No caso de Atlan, por causa do sentido extra, são feitas duas cópias. Uma das cópias escapa do banco de dados dos skines e possui um skine escapando em seguida. Soon-Soon conta a Atlan que a cópia de consciência estará mais interessado em um corpo humanoide. Por esta razão, Atlan concordou em ajudar na busca de sua cópia de consciência.

O skine com conteúdo da consciência de Atlan fugiu através de uma porta de entrada para o mundo superior Sketan. Atlan e Fartuloon o seguem. Os traços do skine levam a uma antiga estação dos brons, onde os insetoides são estabilizados por um gerador de campo. Atlan e Fartuloon caem em seu cativeiro e deveriam trabalhar em uma melhoria. Depois de escapar, eles roubam o ovo da futura rainha, para forçar os brons a uma investigação. Assim, os dois testam cada bron individualmente, para saber se ele agora está assumido pela consciência de Atlan. Finalmente, verifica-se que a consciência está alterada para a rainha por nascer. Atlan e Fartuloon podem levar o ovo para Tsopan, mas a negligência de um skine faz com que a cópia da consciência de Atlan possa escapar com um skine através de um outro portão de mundo.

Atlan e Fartuloon passam pela porta dos mundos e alcançam Cematrang. O skine com a consciência de Atlan sabotou a porta dos mundos para que Atlan e Fartuloon materializassem em um deserto. No entanto, eles são levados por aras para a sua estação, onde o comandante Tocce-Lanceet tem instruções dos skines para cooperar com os dois arcônidas. Uma vez que o skine agora está livre, um dos aras deve ser o portador da cópia de consciência de Atlan.

Atlan e Fartuloon encontram experimentos cruéis na estação. Ao mesmo tempo, eles têm que ter cuidado, porque os aras ficariam muito felizes em deixá-los desaparecer em um acidente encenado.

Finalmente eles descobrem androides em grandes quantidades com a forma de aras. Esses androides são destinados a acomodar as cópias de consciência dos aras em Tsopan e, em seguida, para surpreender os skines. A cópia da consciência de Atlan assumiu o androide Ogh e instiga uma revolta contra os aras. Ao mesmo tempo, ele tenta atingir Atlan e Fartuloon. Somente quando ele está em uma situação desesperadora, ele chega a um acordo com o seu original. Os três escapam pela porta dos mundos para Tsopan, onde Tocce-Lanceet é morto.

Uma vez que os skines não podem fazer nada com Ogh e não querem matá-lo, Atlan e Fartuloon o levam junto para a POLVPRON. Um afetuoso viwo de Cematrang também vem para a espaçonave antes da partida.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Os ‘Romances Planetários’ fazem parte de uma série paralela chamada Planetenromane. São livros de bolso, escritos pelos mesmos autores da série Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
e em sua maioria teve periodicidade mensal.

Ao contrário da Série Principal, os Romances Planetários são histórias independentes, ambientadas livremente no universo de Perry Rhodan. Dessa forma os leitores não precisam ler todos os romances planetários em sequência, apesar de ter alguns casos em que uma história global é dividida em trilogias.

Devido a está estrutura, o Projeto Traduções selecionou RPs que contam histórias interessantes e que esclarecem pontos importantes da série. Não tem um número específico, e dependemos também da sugestão dos integrantes de histórias que eles gostariam de ver traduzidas. Além dos livros já liberados, seguindo esta linha de pegar RPs que são importantes para os ciclos, como próximos, por sugestão do Delgado, estamos dando preferência primeiro para os volumes importantes relacionados ao ciclo Senhores das Galáxias. Como não temos um número específico de volumes para traduzir, e de acordo com as opções e sugestões, podemos ir diminuindo ainda mais a frequência de novos lançamentos de RPs, sem que isto signifique a interrupção destas traduções.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

DORGON LogoDorgon é uma série fanfic não comercial do PROC - Perry Rhodan Online Community.

Foi criada em 1999 por Nils Hirseland, a nova série é publicada regularmente e já conta com mais de 180 livros. Os detalhes dos romances de Dorgon, bem como numerosos outros dados sobre a série pode ser encontrado no site alemão do PROC em www.dorgon.net.

A série Dorgon se passa no Perryverso. Vários escritores e artistas estão envolvidos na mesma. As série Dorgon é divulgada eletronicamente e está disponível para download em HTML, PDF, Mobi e e-Pub. Livros da série foram traduzidos para o Inglês, Francês, Português e Japonês por licenciados estrangeiros. Atualmente somente a edição alemã é lançada regularmente. Além da edição atual existem volumes extras, como os prelúdios LONDRES – A Odisseia de Rhodan, LONDRES II - A Vingança dos Mascanten e três volumes extras de Dorgon da trilogia Vetra.

Desde o final de setembro de 2011, a série está sendo publicada numa "Edição Especial". Os antigos romances estão sendo revisados, e em certa medida o conteúdo revisto e simplificado. Assim, vários romances foram mesclados para obter um único romance de aproximadamente 140.000 caracteres. A numeração também mudou em conformidade. Os romances do ciclo Riff serão continuados após a revisão dos volumes anteriores.

Mas, este cenário está mudando. Através de seus integrantes, no grupo do WhatsApp, os fãs de Perry Rhodan no Brasil deram início a “iniciativa Dorgon”. O Projeto Traduções está apoiando com sua estrutura a iniciativa Dorgon e a única diferença entre o Dorgon Alemão e a tradução brasileira é que os tradutores brasileiros para o Dorgon estão se comprometendo a também traduzir resumos de Perry Rhodan e artigos da Perrypedia para enriquecer ainda mais o Perryverso, uma iniciativa do Projeto Traduções e seus coordenadores para criar, traduzir e juntar a maior quantidade de informações sobre Perry Rhodan e seu Universo num único lugar para comodidade de todos os fãs!

A série Dorgon é – assim como a série mãe Perry Rhodan - dividida em ciclos individuais.

No geral, a nova série Dorgon está prevista para conter 150 livros. O planejamento prevê a seguinte distribuição.

  • Volume 1 a 24: Ciclo Mordred
  • Volume 25 a 32: Ciclo M100
  • Volume 33 a 47: Ciclo Cartwheel
  • Volume 48 a 65: Ciclo Osiris
  • Volume 66 a 99: Ciclo Quarterium
  • Volume 100 a 124: Ciclo Riff
  • Volume 125 a 149: Ciclo Cosmocratas


Ação

A ação acontece entre os anos de 1264 NCG e 1310 NCG em galáxias conhecidas, como a Via Láctea, as 12 galáxias de ESTARTU e M-87, bem como novas galáxias como Dorgon, M-100, M-64 e Cartwheel.

Os acontecimentos seguem o seu curso em 1291 NCG, no momento em que a Perry Rhodan e a maioria dos imortais estão lutando contra Shabazza, uma força terrorista conhecida como Mordred ataca Camelot, a organização dos imortais. Homer G. Adams é no momento o único imortal na via Láctea. Ele recebe a ajuda inesperada do saggittonense Aurec e Somer "Sam". Juntos, eles devem enfrentar a Mordred. O grupo terrorista fixou a meta de acabar com Camelot. Ninguém sabe quem comanda a Mordred, mas a sua mão direita, o cavaleiro de prata Cauthon Despair, deixa um rastro de sangue. Mas nem Aurec nem Adams sabem que por trás da Mordred um império reside, que tem interesses completamente diferentes para a Via Láctea. E ninguém está ciente de que por trás dessas intenções encontra-se um plano cósmico.

Episódios 0001 a 0024 – Período da história: 1264 NCG
Data de publicação na Alemanha: 2011 a 2015
Começou a ser lançado no Brasil pelo Projeto Traduções em 2015


001 300 BR1264 NCG a 1291 NCG - A força terrorista conhecida como Mordred se desenvolve a partir do ano de 1274 NCG na Via Láctea. Especialmente nos anos de 1286 NCG à 1291 NCG ela se organiza para atacar a organização dos imortais em Camelot. Homer G. Adams é no momento o único dos imortais na Via Láctea, como Perry Rhodan e a maioria dos imortais estão lutando contra Shabazza. Homer G. Adams recebe ajuda inesperada do saggittonense Aurec e do somer "Sam". Juntos, eles têm de enfrentar a Mordred. O grupo terrorista fixou o objectivo de aniquilar Camelot. Ninguém sabe quem comanda a Mordred, mas sua mão direita, o Cavaleiro Prateado Cauthon Despair, deixando um rastro de sangue. Mas nem Aurec nem Adams podiam adivinhar que por trás da Mordred se encontra um império, que tem completamente diferentes interesses na Via Láctea. E ninguém suspeita que por trás dessas intenções encontra-se um Plano Cósmico.



 

Episódios 0025 a 0049 – Período da história: 1292 NCG
Data de publicação na Alemanha: 2015
Vai ser lançado no Brasil pelo Projeto Traduções após o volume 24.


M1001292 NCG a 1293 NCG - Depois de derrotar a Mordred em 1291 NCG parte em 1292 NCG, a pedido do mensageiro do misterioso DORGON, uma pequena frota de expedição de terranos, saggittonenses e algumas espaçonaves inovadoras na galáxia para a galáxia M-100, com mais de 50 milhões de anos-luz de distância. É o lar dos desconhecidos dorgonenses que começam planejar, por razões ainda desconhecidas, para invadir a Via Láctea. O Império Dorgonense desabou no caos pouco depois da chegada da frota de expedição, com os rebeldes acende uma guerra civil. Com a ajuda do galacticos a paz pode ser restaurada. No entanto, tanto por trás dos acontecimentos em torno da organização terrorista Mordred, bem como os planos de invasão pelos dorgonenses está uma entidade chamada MODROR. O que esse ser quer com a Via Láctea, ninguém sabe. A situação continua instável.



Episódios 0033 a 0047 – Período da história: 1294 NCG
Data de publicação na Alemanha: 2015
Vai ser lançado no Brasil pelo Projeto Traduções após o volume 32.


cartwhell

1294 NCG a 1298 NCG - Em 1294 NCG o perigo de invasão pelos dorgoneneses já passou. Na Via Láctea ainda prevalece a Guerra Fria entre a LTL e o Império de cristal arcônida. Neste período, a entidade DORGON aparece e pede que os galácticos e muitas outras nações partam para colonizar a galáxia a 500 milhões de anos-luz de distância conhecida como Cartwheel. Um total de 54 povos seguem o chamado de DORGON, bilhões e bilhões de seres passam por portais solares de sol cartwheel para construir lá dentro de poucos anos uma civilização que deverá um baluarte contra as hordas da entidade MODROR. Uma vez que a galaxia Sagittor e destruída pelo martelo solar,  uma arma das hordas de MODROR. As civilizações em Cartwheel são infiltradas por agentes de MODROR.



Episódios 0048 a 0065 – Período da história: 1298 NCG
Data de publicação na Alemanha: 2015/2016
Vai ser lançado no Brasil pelo Projeto Traduções após o volume 47.


osiris

1298 NCG a 1299 NCG - Ao mesmo tempo na Terra os antigos deuses egípcios acordam e estão de volta à vida, os quais foram enviados pelo cosmocrata Amun anteriormente a Terra. Perry Rhodan aprende de Osíris 500.000 anos de história do demetenses como chamam a si mesmos, e suas tarefas como deuses. É também uma série de eventos ocorrem em paralelo em diferentes galáxias chegando a um ponto culminante de eventos: a entidade MODROR envia uma frota maciça da galáxia Barym em direção à Via Láctea. Está incluído o Martelo Solar, que já tinha causado a queda da galáxia Sagittor. Com grande dificuldade, a destruição da Via Láctea pode ser evitada. Mas Osiris já avisou de uma nova ameaça por MODROR que deve vir precisamente do baluarte Cartwheel.



Episódios 0066 a 0099 – Período da história: 1303 NCG a 1305 NCG
Data de publicação na Alemanha: 2016
Vai ser lançado no Brasil pelo Projeto Traduções após o volume 65.


Quarterium

1299 NCG a 1307 NCG - Na galáxia Carthweel é criado em 1303 NCG um novo Imperium Estelar. A Liga dos Quatro - (1) Bloco Terra, (2) Bloco Árcon, (3) pelewons e mooghs e (4) pariczanos - fundaram o "Império das Quatro Federeções", o Quarterium, com Don Philippe de la Siniestro como "Emperador". Desta aliança a qual se esperava o melhor para os blocos de povos em Carthweel, torna-se cada vez mais um império de medo e terror. O novo império está cada vez mais tomando o controle de todos em Carthweel. Além disso, os dorgonenses em 1305 NCG lança uma invasão em Siom Som - como um primeiro passo para conquistar a galáxia estartunense de M-87. O Quarterium e o Império dorgonense se tornam aliados. Como lidar com o perigo?



Personagens do Dorgon

Esta categoria inclui os personagens e povos principais da série Dorgon.

Tecnologia do Dorgon

Esta categoria inclui naves espaciais e tecnologia da série Dorgon.

Cosmologia do Dorgon

Esta categoria inclui planeta e luas, sociedade e conceitos, organizações e cosmologia da série Dorgon.

Dito Muniz, um fã de Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
, criou sua própria trilogia de temporadas do Perryverso. Sua trilogia de temporadas contá cada um com 15 eventos. Nos moldes dos Volumes de Prata, cada volume da trilogia trará 5 eventos completos.

Em parceria com o Projeto Traduções, essa incrível história será disponibilizada sem custos por seu autor. Essa iniciativa coloca o trabalho do autor no mesmo nível da famosa série de fãs do PROC, a DORGON.

Porém o trabalho de Dito é ainda mais ousado. O mesmo criou todo um novo Universo, onde os terranos, tem que desbravar e solucionar tudo desde o princípio, construindo toda uma nova realidade do Perryverso.

Está seção é toda ela dedicata exclusivamente a Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
Resumption - O Recomeço Brasileiro para A Humanidade em Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
numa Galáxia perdida. Vejam as sinopse das temporadas, resumo dos eventos, capas, etc..

Os livros são disponibilizados para download em ePub, Doc, PDF e Mobi nos moldes já consagrados do Projeto Tradução a medida que são escritos e editados. Acompahem essa fantastica série feita de fãs para fãs.

Episódios 0001 a 0015 
Data de publicação no Brasil: 2015
Começou a ser lançado no Brasil pelo Projeto Traduções em 2015


Ciclo 01 - A Barreira Final

Uma civilização no último passo da Evolução decide retornar. Decide refazer os cálculos matemáticos. Conclui que um computador deve ser construído..., com a energia das superinteligências cósmicas para responder a pergunta final. Uma guerra é declarada na planície da eternidade, entre os rios do tempo. As armas na última fileira do desenvolvimento serão usadas..., mais uma vez. No meio disso tudo, um grupo de terranos é chamado ao Desafio da Senhora do Tempo.

No fim da eternidade existe uma barreira. Além dela ente eterno algum conseguiu passar. A grande maioria das superinteligências cósmicas aceita o fato. Mas em breves momentos da história alguns não aceitaram ficar quietos. Mesmo correndo o risco de destruir a existência eles tentaram romper a barreira. Chegou a vez dos durandins. Um mutante prevê: “eles farão a tentativa!”

É um jogo de alto nível. Nosso universo que possui verdades eternas, num segundo, segredos revelados fazem todas desmoronar. É nesse universo que uma nave EXPLORER é jogada. Cai na galáxia que nenhuma forma de vida animal resistiu a um extermínio completo, nem os clones logram respirar. Ali é o lar da Senhora do Tempo. E por ali os durandins resolvem lhe atacar. Na rota do Desafio, um grupo de terranos vai ter que pensar como gigantes, pois se vacilarem..., será muita sorte morrer de verdade. “Pois quem domina o tempo, domina a ressurreição contínua.”

Aqui o que conta e colher o máximo de poder entre as estrelas, entre as galáxias e no interior mais profundo das linhas do tempo. Pois os que vão lutar já possuem as melhores armas um dia idealizadas por uma mente inteligente. Aqui Thomas Zong Lay, Bombain Turquilha e Fora, defenderão o direito do universo viver em paz. O que há além da barreira. Penso que mesmo os humanos diante ela talvez...



c PR R01

A nave EXPLORER GALAXY-01 fugindo da destruição no centro de uma galáxia aciona seus propulsores dimetrans e ressurge numa galáxia sem vida. Perdidos e sem combustível resolvem permanecer e esclarecer o que aconteceu. Thomas Zong Lay (um falso mutante, considerado por muitos um apadrinhado) funda o Império Pátria de acordo com os manuais de sobrevivência da frota solar. Desperta as naves robotizadas dos extintos demuguetos, tudo isso tendo que esconder seu maior segredo, implantado na sua terceira vértebra espinhal.

Maquiavel está na busca de seu lendário aparelho de ondas. Entra no fogo cruzado entre os robôs demuguetos e astralouts, destruindo-se até a última nave. No interior de uma base secreta de um mundo prestes a explodir com o fogo de milhares de naves, perseguirá um sinal de um aparelho astralout que usa exatamente as lendárias ondas de detecção espacial. Surge a Senhora do Tempo e reprova os terranos. Mas ainda deixa uma porta aberta.

No interior da GALAXY existem segredos. Agentes da USOUSODefinição: Sigla referente a “United Stars Organization”, uma organização de agentes secretos altamente especializados que ajuda Perry Rhodan e o Império Solar sempre que necessário. O comandante supremo da USO é o Lorde-Almirante Atlan....
infiltrados para cuidar de Thomas Zong Lay descobrem que seus maiores inimigos também infiltraram agentes. Numa nave demugueto em fuga são levados pro centro do Sol. Como construir uma nova USOUSODefinição: Sigla referente a “United Stars Organization”, uma organização de agentes secretos altamente especializados que ajuda Perry Rhodan e o Império Solar sempre que necessário. O comandante supremo da USO é o Lorde-Almirante Atlan....
, com sorrisos cativantes e bases secretas surrupiadas num piscar de olhos? Braquera Cor, um desertor aconense, dará o golpe final.

Há sobreviventes ao extermínio fora da galáxia. Os fartalfrans escondem um segredo que nem eles sabem, o fato de possuírem cinco consciências agindo separadamente no mesmo corpo é apenas a ponta do iceberg. Os maiores gatunos do universo irão sem querer, revelar algo medonho escondido no seio da GALAXY (se não roubarem ela primeiro). Um segredo que apontara a direção do universo escondido nas linhas do tempo. Os pos-bis tem a chave do caminho.

A primeira turma de combatentes desbravadores do tempo termina seu curso de capacitação. Bombain Turquilha é reprovado. Nasce o especialista da USOUSODefinição: Sigla referente a “United Stars Organization”, uma organização de agentes secretos altamente especializados que ajuda Perry Rhodan e o Império Solar sempre que necessário. O comandante supremo da USO é o Lorde-Almirante Atlan....
Rony Lagarta: um robô que se torna consciente ao ler um livro da siganesa Reny Tigra, mestre cibernética. Fazendo seus experimentos entre as linhas do tempo, o jovem especialista da USOUSODefinição: Sigla referente a “United Stars Organization”, uma organização de agentes secretos altamente especializados que ajuda Perry Rhodan e o Império Solar sempre que necessário. O comandante supremo da USO é o Lorde-Almirante Atlan....
descobre uma pessoa que deveria estar morta há muitos milênios escondida no interior de uma nave de 10 mil metros. A nova USOUSODefinição: Sigla referente a “United Stars Organization”, uma organização de agentes secretos altamente especializados que ajuda Perry Rhodan e o Império Solar sempre que necessário. O comandante supremo da USO é o Lorde-Almirante Atlan....
está remodelando as naves apresadas dos demuguetos. Olhos estão sondando os terranos.

c PR R02Juner Mig, especialista da USOUSODefinição: Sigla referente a “United Stars Organization”, uma organização de agentes secretos altamente especializados que ajuda Perry Rhodan e o Império Solar sempre que necessário. O comandante supremo da USO é o Lorde-Almirante Atlan....
, engenheiro bélico, é convocado pra desenvolver a arma arremessada pelo canhão conversor entre as linhas do tempo. Finalmente o segredo das naves fragmentárias é revelado. Bombain Turquilha começa a mostrar sua genialidade superior.

Reny Tigra precisa abrir as portas da galáxia Fujona para os terranos. Depois de conseguir o cobiçado hovalgônio dessa linha temporal ela parte na busca dos loliojs, os criadores dos cavalgadores de fótons. Surge Omar.

Tomás Lay decide unificar um povo sem pátria mas com muita honra. Os meguelks os malandros do espaço terão de voltar a seus dias de glória.

Os poderians escondem sua tecnologia. São os Senhores da Galáxia Fujona (SdGF). Um dia esses verdureiros do cosmo surgiram com naves poderosas. Quem lhes presenteou?

Bombain Turquilha está sobre vigilância total. Quem é esse homem?

c PR R03Thomas Lay (como Goran Laypan) decide criar um entreposto comercial no setor alfa da galáxia Fujona. Para os meguelkes significa abocanhar uma grande fatia comercial. Para os terranos escondidos em suas peles coloridas, significa atiçar a fúria dos poderians para que revelem o que realmente são. Nesse jogo Bombain Turquilha testa a nova série de pequenas naves AMBAR, plenamente capacitadas a operar nas linhas do tempo.

Arrancar seis luas de suas órbitas deve bastar. Mais um capítulo da incomparável capacidade meguelk de unidos operaram milagres da tecnologia.

Os verdadeiros donos dessa máquina do tempo aparecem e descobrem que nem tudo está perdido. Rony e Carvon descobrem o único fugitivo do planeta de naves sucatas: um pequeno urso fofo imortal com dons hiperfísicos curiosos que os levam a fronteira do hiperespaço para plataformas esquecidas a milhões de anos. 

Finalmente aceitando o Desafio da Senhora do Tempo, Thomas Lay descobre entre os cruletanos mutantes. Fora, um macitor do povo serpente, se apresenta como voluntário e surge no universo desafiador meio deslocado e tímido.

Eles adentram o Desafio com a nova EXPLORER TIME-01. Com os estaleiros escondidos nas profundezas do tempo os humanos conseguem naves em segundos. Física temporal básica pois a Senhora do Tempo esta furiosa com um certo artilheiro: caldeiras e madeira para impulsionar máquinas do tempo é o que precisam. Fora mostra toda sua capacidade criativa. Psido se une ao grupo e dá um “puxão de orelha” em alguém muito poderoso.

Ação absoluta e muita inteligência. Os terranos lutam como podem. Atravessam desafios, mas de alguma forma o jogo estava marcado. São jogados no mundo dos perdedores aonde dezenas de outros desafiadores tem um prédio em forma de escada pra ultrapassar. Inimigos antigos lhes sorriem desdenhosos, terranos náufragos se reúnem a equipe. Carvon é olhado com atenção. Fora é um combatente nato.

Ação do início ao fim. Além do quinto degrau ele vive escondido. E surge com o desejo de ajudar Thomas Lay e sua equipe. Arremessados no seio de sóis em colisão descobrirão mais segredos. Os durandins estão por perto. E Bombain retorna ao grupo atingindo o fim do jogo. Ele renega os ativadores celulares pois já tem a receita do “caldo” e Miroy sabe como lhes construir mas não será fácil como todos pensam pois o Evoluído Terceiro lhes espera.

 

Episódios 0016 a 0030 
Data de publicação no Brasil: 2015/2016
Começou a ser lançado no Brasil pelo Projeto Traduções em 2015


Ciclo 02 - As Leis Cósmicas

Bombain Turquilha deseja atingir o nível de um Evoluído sem saber que em apenas uma realidade futura vence seu maior inimigo: o democomando.

De posse de um livro escrito em código ousa um jogo perigoso de poder criando uma rede insondável de duplos. Surgem os Escusos, superinteligências que forçaram a evolução final em busca de poder.

Em ações separadas os homens de Tomás Zong Lay se aproximam dos segredos da vida. Contudo precisam saber que mesmo os inimigos obedecem leis escritas entes da existência que determinam todos os caminhos de mentes inteligentes.

O mistério está nas mãos dos astralouts em sua nebulosa Aqua. Nessa nebulosa se inicia o Desafio Secreto. Um teste construído para desafiar superinteligências. Nunca vencido. Quem o criou?...



c PR R04A primeira equipe da Senhora do Tempo parte em busca da espaçonave mais extrema um dia construída. Primeiro devem fugir do planeta mostro e para isso o Dull vem lhes guiar. Caindo numa armadilha surgem na Zona de Bloqueio brutilins e um duplo de Bombain Turquilha lhes guia na tentativa de encontrar a entrada. Homens renascidos, duplos e um ser de uma física...

Adentraram a Zona de Bloqueio brutilins. Enfim o encontro com um durandin pode acontecer. Mas antes de tudo os Evoluídos devem saber: há vida além deles. O universo esconde segredos mesmo deles. O Dull tem seu batismo de fogo. A estrada fica mais escura. Inimigos rondam ocultos.

Quando os especialistas da USO surgiram nesse mundo, não poderiam imaginar que estavam perto de um segredo escondido por milhões de anos. O eco de um “ins” extinto surge nos radares cósmicos. E na ilha do tempo dos mutantes de antimatéria encontrarão a pista.

A siganesa Reny Tigra surge no microcosmo e perde seu corpo na primeira rodada. Como escrava de carma tem que vencer Jazalém e partir em busca dos criadores dos cilindros de carma que guardam almas. Enquanto isso seu robô Omar se tornou um gladiador num mundo regido por lutas em arenas sem piedade. E enfim náufragos terranos terminam a espera por ajuda que perdura 6 milhões de anos.

8 milhões de naves perdidas em uma hora de combate. Um duplo morre mas descobre a arma mais cobiçada de todas. Outro duplo desperta o maior robô dos demuguetos e é abduzido de imediato. A maior batalha que o artilheiro da ExG-01 ousou travar vai lhe dizer se pode ou não sonhar em seguir adiante com seus planos. Enquanto isso uma outra equipe de duplos está lutando no Desafio de um Evoluído. Nesse livro um breve vislumbre dos ousados planos de Bombain Turquilha é possível e um herói da eternidade morre.


c PR R05O CEIFADOR narra o caminho do Democomando até seu ataque maciço contra uma das principais bases de operação do terrano Bombain Turquilha ancorada no hiperespaço. Aqui começo a abrir a caixa dos segredos desse homem incomum, dando pistas dos eventos seguintes que levarão ao fundo dos enigmas sobre AS LEIS CÓSMICAS. Mostrarei a sua luta para conquistar tudo o que está apresentando hoje a Thomas Lay, mas que foi conquistado com muito sacrifício pessoal na busca de soluções quase impossíveis, com fins de atingir a sua meta maior que todos sabemos: salvar a Humanidade e o Universo.


c PR R06INFILTRAR narra a origem do Escuso Ácon. Enola Therso, uma agente de Ácon mostra o caminho para uma poderosa força inimiga se infiltrar nas novas naves exploradoras. Naufragando juntamente com a tripulação da GALAXY III, ela dominará esse novo mundo entre as dimensões. Meech Hannigan será lançado no local denominado Túmulo, um local com milhares de cidadelas abandonadas cobrindo um perímetro terrestre circular de anos-luz. Ali viveram trilhões de vidas. Para onde foram? Reny Tigra a siganesa num corpo de carma, avançara na pista de aconenses, hoje escondida entre os castelos dos cinco reinos, terminando por entrar na batalha de Arrur Murur, que compete por seu amor com Barkof o engenheiro de máquinas.


c PR R07O Evoluído Maior chega num planeta Terra estranho, confrontando um inimigo oculto para sobreviver. Um inimigo que se vale de uma arma proibida na existência – com efeitos inesperados dá as cartas. No passado remoto, a origem do Lord Ácrono. Os últimos passos do império ácrono para tornar-se um superinteligência. Muitos mistérios revelados – dando lugar a outros mais profundos de Resumption. Os demétrions começam a surgir. Mais um detalhe de Enola Therso, a Rainha Antiga, aparecerá. O que é um entecorpo?

Márcio Inácio, um fã de Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
, criou sua própria trilogia de livros do Perryverso. Sua trilogia em parceria com o Projeto Traduções, trás uma incrível história disponibilizada sem custos pelo seu autor.

Está seção é toda ela dedicada exclusivamente aos Nanoferas - as novas lendas do Perryverso. Vejam a sinopse da trilogia, resumo dos livros, capas, etc..

Os livros são disponibilizados para download em ePub, Doc, PDF e Mobi nos moldes já consagrados do Projeto Tradução a medida que são escritos e editados. Acompanhem essa fantástica série feita de fãs para fãs e por um fã.

O começo

A história começa em 1285 NCG, no meio do ciclo Tolkanders, e a sua ação é entre 1345 NCG e 1517 NCG. Cientistas criam os nanoferas e os mesmos, junto com os siganeses e pos-bis, ajudam, pouco mais de 100 anos depois, na luta contra a Monarquia Frequencial, daí para frente, só AQUILO sabe…

Antônio C. T. Mello, um fã de Perry Rhodan e integrante do Projeto Traduções, criou sua própria trilogia de livros de Futuramica Espacial. Sua trilogia está sendo disponibilizada como cortesia para os demais integrantes do Projeto Traduções, antes mesmo de seu lançamento oficial através da Amazon.

Está seção é toda ela dedicada exclusivamente a Herdeiros Cósmicos. Vejam a sinopse da trilogia, resumo dos livros, capas, etc..

Os livros serão disponibilizados para download em ePub, PDF e Mobi exclusivamente para os integrantes do Projeto Tradução a medida que forem lançados por seu autor. Acompanhem essa fantástica série feita por um fã de Perry Rhodan e não deixem de prestigiar o seu autor quando a mesma for lançada. Indique o site da Amazon, que será divulgado no lançamento, para parentes e amigos.

A Hístória

Duzentos e cinquenta mil anos atrás, um pequeno grupo de sobreviventes de uma raça alienígena chegou ao Sistema Solar da Terra fugindo da extinção causada por uma guerra sem igual em seu próprio setor estelar. Sem chance de colonizar o nosso planeta devido à pouca quantidade de indivíduos, a solução encontrada para evitar a extinção permanente de sua própria espécie foi a hibridização de seus genes através da manipulação genética com os primitivos primatas aqui existentes, acelerando sua evolução natural e dando origem aos primeiros exemplares do Homo Sapiens.

Um "gatilho" genético foi inserido num pequeno grupo destes espécimes evoluídos, levando consigo as características especiais daqueles seres e transmitindo-as aos seus descendentes, deixando que a evolução natural conduzisse o destino daquela nova espécie no curso dos milênios que se seguiram; cultuados ao longo da historia como "deuses", continuaram acompanhando e monitorando o desenvolvimento dos novos seres humanos até que o último deles tivesse encerrado o seu tempo de vida aqui nesse sistema.

Mas seu trabalho perpetuou-se através de suas criações, inteligências artificiais que continuaram aguardando pacientemente o surgimento de um espécime que reunia em si mesmo, todas as características necessárias que o habilitasse a receber o imenso legado tecnológico e cultural de seus ancestrais diretos, dando inicio ao renascimento de toda uma raça...

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.