• Home

Ciclo 19 - Os Viajantes da Rede

Episódios 1300 a 1349 – Período da história: 445 a 447 NCG (4032 a 4034)
Data de publicação na Alemanha: 1986 a 1987
Ciclo ainda inédito no Brasil

Após o rompimento com os Cosmocratas, Perry Rhodan e seus companheiros tornam-se Viajante da Rede na área da concentração de poder de ESTARTU, que se situa dentro do Cosmonucleotídeo Dorifer, passando a partir daí a tentar pôr um fim ao domínio dos Guerreiros Eternos. Também a Via Láctea é envolvida no Conflito Permanente, mas com a ajuda dos Viajantes da Rede, que conseguem se mover instantaneamente pelas teias da rede psiônica, o jugo do Sotho Tyg Ian é finalizado. Perry Rhodan descobre a história passada da superinteligência ESTARTU e dos kartanins.



Em setembro de 445 NCG a filha de Rhodan, Eirene, torna-se uma Corredora das Teias. Através de uma marca psiônica, ela mantém-se em Sabhal, o mundo principal dos Corredores das Teias. Relativamente próxima, encontra-se a passagem quadridimensional para o Cosmonucleotídeo Dorifer, uma esfera espacial com 50 milhões de anos-luz de diâmetro que engloba os esquemas de poder de “Aquilo” e ESTARTU. Dorifer é a parte do Código de Moral responsável pela manutenção das leis naturais na Via Láctea e nas galáxias vizinhas. Eirene conta ao pai os acontecimentos do passado recente:

No início de 430 NCG o Cavaleiro das Profundezas banido e seus companheiros alcançaram o esquema de poder de ESTARTU, seguindo o chamado mental de estranhos. Em uma estação espacial eles encontraram, para sua surpresa, um cappin, chamado Testare. Ele explica que os Corredores das Teias são os guardiães de Dorifer, e que eles não estão em missão para os Cosmocratas. Desde 50.000 anos atrás há uma irradiação desconhecida criada por Dorifer que aumenta a constante psi em sua região. Primeiramente as linhas da rede psiônica foram utilizadas como meio de transporte.

Apenas suspeita-se o que possa existir acima da rede psiônica. Desde centenas de milhares de anos o povo dos querionen utiliza-se da rede para transporte. Através da manipulação de Dorifer há 50.000 anos também os não-querionen e naves com propulsão enerpsi puderam utilizar-se delas. Os querionen fundaram para a defesa de Dorifer a organização dos Corredores das Teias.

Os Corredores das Teias são inimigos naturais dos Guerreiros Eternos na luta pelo poder em Dorifer e nas doze galáxias de ESTARTU. Ambos os lados sabem que quem controlar Dorifer terá o controle do Código de Moral e estará mais próximo da resposta da Terceira Pergunta Fundamental.

O Culto Guerreiro, que assumiu o poder no esquema de poder de ESTARTU após seu desaparecimento há dezenas de milhares de anos atrás, é governado por doze Guerreiros Eternos, que perverteram completamente o Terceiro Caminho e que estão no chamado Conflito Permanente com os Corredores das Teias pelo controle de Dorifer desde 55.000 anos atrás.

O grupo de Rhodan chegou em 430 NCG a Sabhal, e encontrou quem emitira o chamado mental: Alaska Saedelaere. Há um longo tempo atrás, com a ajuda de Kytoma, ele se libertou de seu fragmento cappin, e a projeção-cappin Testare passou a viver por conta própria.

Naquela ocasião, em Sabhal, Rhodan encontrou-se novamente com sua mulher Gesil e sua filha Eirene, então com alguns meses de idade.

Na Via Láctea, o Nó Górdio foi encontrado em 30 de junho de 432 NCG por Stygian, sendo ele um fogo luminoso que é alimentado por um gigantesco buraco negro situado no centro da Via Láctea, e que possui a forma de um gigantesco punho energético com 8.000 anos-luz de comprimento. Porém o Nó Górdio possui uma função mais importante, que é a de ser a fonte da Teia Stygiana, que envolve toda a Via Láctea. Através da separação entre a Teia Stygiana e a Teia Psiônica o vôo de espaçonaves equipadas com propulsores enerpsi para a Via Láctea tornou-se impossível, impedindo, assim, a chegada dos Corredores das Teias à Via Láctea.

Além disso Stygian estacionou cerca de 12.000 fortes de defesa na Via Láctea, os chamados Feresh Tovaar.

Nas proximidades de Dorifer, surge um gigantesco asteroide chamado KLOTZ, de origem artificial e com 187 quilômetros de comprimento. Ele move-se lentamente na direção de Absantha-Shad e emite uma poderosa irradiação psiônica, que evita a aproximação de seres estranhos. Em Sabhal, Waringer descobre que o KLOTZ possui uma constante “Strangeness” diferente, concluindo que ele deve ter vindo de um outro universo.

Em Bonfire, Rhodan e Bull tomam conhecimento das estranhas palavras: “Ele não dá a vida, fora de Meekorah, porque Tarkan, o Encolhido, traz somente a morte”.

Gucky estabelece contato mental com Ernst Ellert e descobre que ele perdeu seu corpo vírus, voltando a percorrer o universo na forma de uma consciência.

Enquanto buscavam pistas dos kartanin em Absantha-Gom, onde têm sido avistadas gigantescas espaçonaves, Gucky e Bull tomam conhecimento do misterioso “Projeto Lao-Sinh” dos kartanin.

Após 18 dias de voo a nave AVIGNON atinge a região da Via Láctea. Ali eles descobrem que a rede psiônica foi alterada devido a um fogo luminoso cósmico. Eles tentam entrar em contato com a GOI, mas não conseguem. Em vez disso surgem espaçonaves do Sotho. Apenas 13 Vironautas sobrevivem aos interrogatórios e às torturas. Quando uma nave da GOI ataca o forte de defesa, eles conseguem fugir.

Os sobreviventes são levados imediatamente para a central da GOI no setor oriental da galáxia. Lá eles contam a Julian Tifflor os acontecimentos no esquema de poder de ESTARTU. Logo após eles recebem uma missão especial da GOI. Eles tomam conhecimento de que a GOI possui cerca de 23.000 espaçonaves e 18 bases planetárias. Além disso há um pequeno grupo de seres com capacidades psi latentes, os chamados paratensores, que têm suas capacidades fortalecidas com Paratau. E então os terranos desenvolvem uma nova arma, o Constritor, que permite tanto a espaçonaves como as emissões psi penetrar na Teia Stygiana. Nesta época é planejada uma ação na Terra, e o Paratau necessário para isso deve ser levado à Terra pela Avignon. A pessoa de contato é um obscuro saltador chamado Capitão Ahab, que possui um grande ódio contra Sotho Tyg Ian. Ahab age com rigor contra as tropas do Sotho. Logo após, tornam-se claros os motivos de Ahab: ele é nenhum outro que Stalker, que recebeu ajuda em Tahun mas que apesar disso tem o corpo mutilado.

Após a entrega de uma pequena quantidade de Paratau a tripulação da Avignon dirige-se a M-33 para avisar a nave PIG, sob o comando de Nicki Frickel, das novas informações.

Os terranos recebem informações de que Stygian deseja estender o Conflito Permanente a todo o Grupo Local.

No início de março de 446 NCG a PIG descobre em M-33, em cada vez mais planetas, estaleiros para a construção de espaçonaves dos kartanin, nos quais as naves de longa distância Umbali são construídas. Estas naves devem transportar Paratau para ESTARTU.

Os paratensores descobrem a existência do Clã dos Iniciados, um antigo grupo de kartanin ligados ao “Projeto Lao-Sinh”.

Waringer conclui a construção de um projetor Grigoroff que permite o voo para um outro universo, projeto no qual ele já trabalha há muito tempo. Ele envia várias sondas de teste com este novo projetor, mas somente duas retornam. As imagens registradas pelas sondas não mostram constelações desconhecidas, mas sim um ser pepino e a bota de um terrano. Logo Waringer tem uma certeza: as sondas não estiveram num universo estranho, mas sim no interior do KLOTZ.

Quando a irradiação “Strangeness” do KLOTZ diminui com o passar do tempo, um robô consegue penetrar em seu interior. Ele traz consigo uma planta da espécie comanzatara. Outras informações revelam que um terrano e um swoon estão ativos no KLOTZ.

Dorifer começa a aumentar sua atividade, e Atlan penetra acompanhado de Eirene no Cosmonucleotídeo com sua cápsula Dorifer. Lá eles descobrem a existência de milhões de quanta psiônicos de informação – chamados psiqs – que têm a forma de uma chuva colorida de cadeias de informação, que podem libertar-se no futuro na forma de jorros.

Em abril, dois galáticos lutam no KLOTZ pela sobrevivência: Ratber Tostan, um antigo especialista da USO, e Posy Poos, um swoon. Tostan luta contra grandes lacunas em sua memória, mas aos poucos ele consegue recuperar suas recordações.

Tostan e Posy Poos lutam no KLOTZ e encontram muitos povos diferentes, como os mamositu. Finalmente Tostan lembra-se de seu passado: ele era um Major da USO no tempo da armadilha Laurin que permaneceu por muito tempo em sono profundo e que recebeu uma missão secreta em outubro de 430 NCG a ser realizada na região de M-33 com as naves Tsunami 31 e 32. Porém, o projetor Grigoroff de sua espaçonave sofreu uma falha e a nave foi transferida para uma região estranha, que ele suspeita ser um outro universo.

Ratber Tostan consegue preparar sua fuga do KLOTZ e enviar uma mensagem de rádio.

No Galaktikum, o conselho dos povos galáticos, as raças participantes não conseguem chegar a um consenso sobre a melhor maneira de lutar contra Stygian. Finalmente os halutenses declaram sua saída desta união.

Stygian aproveita-se desta situação para atacar Halut. Um exército de invasão de 12.000 soldados tenta subjugar os halutenses, mas encontram-se com grandes quantidades de gás anti-KM em Halut, levados até ali pela GOI, e são libertados de sua fúria agressiva. Stygian sofre com isso seu mais pesado golpe na região da Via Láctea.

Em maio de 446 NCG o Grande Irmão desfere um ataque decisivo contra o Constritor, que pela primeira vez é testado em sua capacidade. O Grande Irmão é a BASE, desaparecida desde 434 NCG na Via Láctea. A bordo trabalha um exótico cientista, que faz experiências obscuras. Seu nome: Peregrin. Tanto ele como o Tubo Hamiller, que foi aperfeiçoado com novos componentes, conseguem a posição dos 12.000 Feresh Tovaar.

Pouco tempo depois, os Corredores das Teias aceitam um novo membro, o ophaler Salaam Siin. Os ophalers possuem a capacidade de compor música psiônica, que provoca em seus ouvintes efeitos hipnossugestivos. Salaam Siin comanda 1.300.000 ophalers, que ajudarão na luta contra o Culto Guerreiro.
Nesta época Jen Salik vai à galáxia Norgan-Tur, para tentar conseguir junto ao Domo Kesdschan uma possibilidade de acabar com a pena de banimento dos três Cavaleiros das Profundezas imposta pelos Cosmocratas.

Na Via Láctea, um nakk faz uma misteriosa profecia: ocorrerá uma catástrofe cósmica, que deixará Absantha-Gom em grande tumulto. Somente dois “incorpóreos” dedicam a este assunto a atenção merecida.

Pouco depois Alaska Saedelaere descobre a identidade destes dois “incorpóreos”: Ernst Ellert e Testare, seu antigo fragmento cappin.

Ratber Tostan consegue em julho de 446 NCG colocar sua espaçonave Tsunami 32 em funcionamento. Seus presumidos destroços estão num hangar do KLOTZ. Em companhia de Posy Poos, Tostan consegue finalmente fugir do KLOTZ.

Dao-Lin-H’ay e a tripulação da PIG chegam com uma nave auxiliar à nuvem Raknor, uma nuvem escura existente em M-33. A nuvem de poeira é uma zona tabu para os kartanin. A tripulação da PIG descobre um sistema solar que envia um sinal de rádio das “Vozes de CTL”.

CTL-2, como o mundo central na zona tabu é chamado, revela-se como o mundo dos chamados Robôs dos Seis Dias, uma dinastia robótica. Um inacreditável quadro revela-se à tripulação da PIG:

Há 50.000 anos atrás haviam 20 povos em M-33 que alcançaram um alto nível de desenvolvimento, e um deles era os kartanin. Foram eles os construtores da dinastia robótica. Os motivos pelos quais os kartanin perderam seu domínio sobre os robôs e se tornaram decadentes, somente surgindo novamente no cenário galático na época atual, permanecem obscuros.

Então Nicki Frickel tem uma surpresa ainda maior: surge a gigantesca espaçonave NARGA SANT, também conhecida como “Um Pedaço da Pátria”. A bordo desta gigantesca nave encontra-se o Clã dos Iniciados, também conhecido como as Vozes de Ardustaar.

Reginald Bull, com os kartanin em sua pista, descobre o Tarkanium. Ele consiste de quatro sistemas solares situados bem próximos um do outro. Três sistemas formam um triângulo, em cujo ponto central encontra-se o sistema com o mundo principal Hubei. Todos os quatro sistemas formam um plano e possuem uma linha que leva a Absantha-Shad por um dos lados do triângulo, e que vai diretamente na direção da entrada de Dorifer.

No Tarkanium encontram-se gigantescas concentrações de Paratau, consistindo de bilhões de gotas. Quando os Corredores das Teias exploram o sistema, torna-se claro que as instalações desses mundos devem ter 50.000 anos de idade. E o símbolo triangular de ESTARTU é na verdade o símbolo dos kartanin.

No início de novembro Ratber Tostan chega à Via Láctea com a espaçonave THAAL. Ele finalmente recupera toda sua memória e lembra-se da época do acidente com o Grigoroff de sua nave Tsunami. A tripulação ficou naquela época inconsciente por um mês, provavelmente devido ao choque “Strangeness”. Muitas outras indicações levam à conclusão de que eles estavam num universo estranho. Naquele local, o espaço era vermelho. Eles chegaram então a uma galáxia estranha habitada por um povo agressivo, que não parecia temer a morte. Tostan faz contato com um ser denominado “Tigre Rei”. Ele cuidava do abastecimento de uma gigantesca espaçonave que deveria viajar para outro universo. Esta espaçonave era o KLOTZ.

O KLOTZ subitamente apressa-se e desaparece no hiperespaço, porém antes é recebida uma mensagem de rádio enviada, surpreendentemente, na língua kartanin. O KLOTZ chama-se na realidade NARGA PUUR, que significa “Toda a Pátria”.

Em M-33 não terminam as surpresas para Nicki Frickel. Ele descobre na NARGA SANT um setor secreto no qual encontra-se um velho kartanin em sono profundo. Quando ele acorda, torna-se claro ser ele o fundador da Upanishad, a fé dominante em ESTARTU. Mais detalhes sobre a história dos kartanin são descobertos.

Alguns seres, que possuíam o conhecimento de origem certa, permaneceram outrora na NARGA SANT e concluíram as Vozes de Ardustaar, que deveriam guiar o desenvolvimento do povo kartanin. Sob sua influência a astronáutica foi desenvolvida e a criação de Paratau acelerada. O Paratau, segundo se diz, foi levado ao Tarkanium para deter o Culto Guerreiro e para fazer com que o antigo reino dos kartanin surgisse novamente.

Os kartanin chamam a Via Láctea de “Sayaaron”, a “Nuvem Distante”. O universo é chamado de Meekorah. E de Oogh at Tarkan origina-se a frase: “Ele não dá a vida, fora de Meekorah, porque Tarkan, o Encolhido, traz a morte!”. Após seu despertar Oogh at Tarkan emite um comunicado de base hipnossugestiva, que propaga-se a todas as escolas Upanishad da Via Láctea e das galáxias de ESTARTU. Ele acusa os singuva de terem pervertido o Terceiro Caminho de ESTARTU através do Culto Guerreiro.

No início de dezembro a situação na Via Láctea complica-se ainda mais. Stygian vê seu poder ser quebrado sucessivamente e ameaça com a destruição por sobrecarga do buraco negro central.

Os nakken prometem ajudar os terranos, apesar de fazê-lo de uma forma enigmática. Quando tudo parece estar perdido para a Via Láctea, Sato Ambush descobre a última chance de salvação. Stalker consegue finalmente matar Stygian em um duelo.

Após vários anos subjugada, a Via Láctea torna-se novamente livre. Tifflor envia Gucky para ESTARTU para informar os Corredores das Teias, enquanto Stalker parte com o cadáver de Stygian para ESTARTU, para vingar-se do Culto Guerreiro.

Quando tudo já está normalizado, Peregrin surge novamente. Ele diz que a situação ainda não está normalizada, pois há um grande perigo originário de Dorifer. No Cosmonucleotídeo está presente o caos, apenas aguardando para ser liberado.

Em ESTARTU, Rhodan finalmente descobre a verdade. Peregrin é o “cronista” da superinteligência “Aquilo”. Rhodan descobre que um enviado dos Cosmocratas procura Peregrin e que ele reprova duramente as ações de “Aquilo”. “Aquilo” possui uma parte da culpa pelo fato de Dorifer estar tornando-se incontrolável. Nesta época Testare diz a Saedelaere que ele e Ernst Ellert estão em busca de corpos.

O KLOTZ surge no setor Norte de Absantha-Gom e toma o rumo para o Tarkanium.

Então os querionen revelam seu segredo e os Corredores das Teias descobrem os acontecimentos ocorridos há mais de 50.000 anos que levaram à fundação de sua organização:

Há 54.023 anos – no ano 49.990 a.C. - esta organização foi fundada, embora já há 600 anos antes ESTARTU tivesse desaparecido de seu esquema de poder. Nesta época Dorifer adquiriu por motivos desconhecidos uma constante psi em sua esfera de influência.

Há muito tempo “Aquilo” e ESTARTU eram muito parecidos. Eles estavam muito próximos um do outro, e “Aquilo” chamou ESTARTU muitas vezes de “Irmão”. Ambos haviam erigido seus esquemas de poder de maneira completamente diversa. Contudo, há 54.650 anos, ESTARTU recebeu um pedido de ajuda, vindo de uma grande distância cósmica. ESTARTU decidiu ajudar os desconhecidos e abandonou seu esquema de poder. Em seguida o Pterus tornou-se seu substituto. Uma parte deste povo que esteve outrora em guerra civil, os singuva do planeta extremo Singu, tomou o poder e perverteu a doutrina de ESTARTU, surgindo o Culto Guerreiro.

Durante muitos anos os seres vivos de ESTARTU não puderam receber ajuda. Apenas a 400.000 anos-luz de distância do planeta Etustar surgiu uma gigantesca espaçonave, na qual Oogh at Tarkan anunciou-se como um iniciado. A bordo da nave gigante encontravam-se representantes de muitos povos, entre eles os nakken. Oogh at Tarkan era um espinho nos olhos dos singuva, pois ameaçava seu direito ao poder. Quando os singuva iniciaram um ataque para destruir a NARGA SANT, esta desapareceu na rede psiônica.

Entretanto, após saber que ESTARTU partiu para ajudar os kartanin, os nakken e os zataras, Rhodan pergunta-se onde se encontra a pátria destes povos, pois há uma grande separação tanto entre as galáxias de ESTARTU como destas para M-33.

Oogh at Tarkan relata que há mais de 55.000 anos os povos mais desenvolvidos da galáxia Hangay, liderados pelos kartanin, começaram uma ação de ajuda para si próprios quando começou a decadência de sua galáxia. Seu pedido de ajuda foi recebido pela superinteligência ESTARTU, e ela chegou em Hangay.

Ele também revela uma sensacional informação: Hangay está num universo estranho, chamado de Tarkan. Tarkan contraiu-se novamente e vai contra a singularidade. Supõe-se que este universo estranho tenha 100 bilhões de anos de idade.

Oogh também relata que durante a fuga do KLOTZ de Absantha-Gom ocorreu um motim que não pôde ser controlado. Contudo, anos depois, a síndrome do esquecimento tornou-se perceptível, uma consequência do choque “Strangeness”. Os povos degeneraram enquanto a NARGA SANT permaneceu estacionada na nuvem Raknor. O povo dos vennok, também originários de Hangay, construiu a dinastia robótica de CTL.

Rhodan entra com LEDA, sua cápsula Dorifer, no Cosmonucleotídeo, que aumentara sua atividade.

Bull alcança com a frota o Tarkanium. Em 31 de janeiro de 447 NCG ocorre a grande catástrofe, que libera muitos bilhões de gotas Paratau em um segundo. O epicentro da tormenta psiônica não está no Tarkanium, mas em Dorifer. No Grupo Local de Galáxias surgem as consequências: a 880.000 anos-luz da Via Láctea surge o encaixe espácio temporal, e muitas massas solares de um universo estranho surgem no espaço intergalático.

Rhodan não retorna de seu voo a Dorifer – e a partir daí está desaparecido.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Não há artigos nesta categoria. Se há subcategorias mostradas nesta página, elas podem conter artigos.

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.