• Home

Ciclo 20 - Tarkan

Episódios 1350 a 1399 – Período da história: 447 a 448 NCG (4034 a 4035)
Data de publicação na Alemanha: 1987 a 1988
Ciclo ainda inédito no Brasil

Uma descarga de energia psiônica provoca o colapso de Dorifer, atirando Perry Rhodan ao universo moribundo Tarkan, a pátria original dos kartanins. Lá os terranos tornam-se importantes figuras no conflito entre ESTARTU, que desejava ajudar os povos da galáxia Hangay a salvar-se da “morte quente” de Tarkan, e o Hexameron, que lutava pelo colapso final do universo moribundo. Rhodan é resgatado por uma expedição de ajuda e finalmente a galáxia Hangay é transferida para o universo einsteiniano.



Perry Rhodan sofre os efeitos da deflagração Paratau no Tarkanium durante sua estada em Dorifer. Após quatro dias ele desperta de sua inconsciência e descobre que está com a LEDA no universo Tarkan, a pátria de origem dos kartanin. LEDA está no vazio intergalático próximo da galáxia Hangay. Ele percebe que está faltando um quarto de Hangay, e que estes 50 bilhões de massas solares devem estar em Meekorah. O brilho de fundo avermelhado de Tarkan lhe indica que este universo está na última fase de sua contração, e que deverá terminar numa singularidade que provavelmente criará um novo universo.

Rhodan encontra um hiperirradiador e suspeita que haja um plano dos kartanin para transferir Hangay ao universo normal. Logo após ele pousa em Bentang, que revela-se como um planeta de apoio secreto dos hauris. Estes seres, de fisionomias delgadas e cansadas e que possuem a cabeça morta, acreditam na doutrina do Hexameron, que diz que o colapso do universo Tarkan, previsto pelos deuses, deve levar à sublimação de todos os seus seres. Eles denominam-se de “Guardiões deste Universo”, e também conhecem a teoria sobre a existência de incontáveis universos, contidos no chamado Multiverso. Eles acreditam que o Senhor Heptamer, o senhor sobre as “Vinte Posições”, cuida pessoalmente de várias galáxias. Rhodan pergunta-se se o Heptamer é uma superinteligência do universo Tarkan. A doutrina do Hexameron diz que a contração do universo Tarkan deve ser acelerada, para que um novo universo surja o mais rapidamente possível – este é um insano plano de longa duração, que levará à morte de incontáveis seres vivos. Desta maneira, os hauris são inimigos naturais dos kartanin e do povo dos kansahariyya, que trabalham em conjunto para a transferência de Hangay. A energia para este transporte é obtida pelos kartanin das pérolas da corrente Shamshu. Rhodan acredita que isto esteja próximo da hélice dupla do Código de Moral, que, consequentemente, também tem validade no universo Tarkan.

Enquanto era prisioneiro dos hauris, ele conhece detalhes sobre a “Canção dos Seis Dias”. Esta história fala do Senhor Heptamer, o filho dos deuses, e também sobre o livro Hexameron.

Com a ajuda da LEDA, Rhodan consegue fugir e ruma para uma estrela azul que emite hipersinais.

A nave SORONG, sob o comando de Nicki Frickel, é a primeira nave a aproximar-se das massas solares subitamente surgidas. Toda a tripulação é afetada pelo forte choque “Strangeness”, e Tifflor e Deighton ficam perplexos pelo acontecimento. Para maior confusão, uma nave vírus retorna de ESTARTU e seu comandante relata que Rhodan está desaparecido desde a catástrofe.

Os terranos planejam enviar uma pequena frota de espaçonaves equipadas com propulsores metagrav para ESTARTU, com o objetivo de sondar a situação por lá. Os terranos abandonam seus planos quando os Vironautas dizem que a rede psiônica tornou-se instável, e que as novas atividades de Dorifer os enviarão de volta.

A PIG precisa lidar com um novo inimigo em M-33 no início de fevereiro, os hauris. Como os terranos logo descobrem, estes seres conseguiram ser transferidos ao universo normal sem sofrer os efeitos do choque “Strangeness”. Os hauris estão interessados na tecnologia terrana, em especial no Sugador Hipertrop, a fonte de energia que abastece os propulsores metagrav.

Após cerca de seis meses, a tripulação da SORONG desperta de sua inconsciência. Neste meio tempo, no início de abril, o segundo quarto da galáxia Hangay materializou-se no Grupo Local. Nicki Frickel faz contato com os kartanin em Hangay pela primeira vez. No fim de julho de 447 NCG a SORONG retorna à Terra, para fazer seu relatório.

Pouco depois chega de surpresa ao Sistema Solar Anson Argyris com o restante de sua Caravana Hanseática, que estava desaparecida. Eles sobreviveram ao ataque de Stygian na galáxia Vilamesch e tiveram que lutar por sua existência durante um ano. Primeiramente, no fim de janeiro, ocorreram exóticos fenômenos psiônicos, que com toda probabilidade foram originados da deflagração Paratau em ESTARTU e que destruíram o campo de bloqueio. Argyris avisa que estranhas espaçonaves dirigem-se para Vilamesch desde vários anos atrás. Pela sua descrição, Tifflor imagina serem elas unidades hauris. Argyris também diz que, há alguns meses, todo um braço espiral da galáxia Vilamesch desapareceu repentinamente, contendo cerca de cinco milhões de massas solares.
Tifflor descobre que estes prodígios cósmicos continuam ocorrendo no esquema de poder de ESTARTU.

Nesta época os querionen emitem um chamado a todos os Corredores das Teias, convocando-os para uma reunião de avaliação da situação. Waringer suspeita que Perry Rhodan esteja em Tarkan.

Em busca de novas informações junto a Dorifer, Atlan descobre que Gesil abandonou Sabhal com destino a um local desconhecido. Durante seu voo para Dorifer, Atlan encontra-se com um mensageiro dos Cosmocratas, que o alerta sobre a “Horda dos Seis Últimos Dias”.

Em março, no Tarkanium, domina o caos. No KLOTZ ocorrem atos de sabotagem, e Bao at Tarkan tem grandes dificuldades para controlar a situação. Subitamente o KLOTZ acelera e toma curso para a nuvem escura que é a sede de ESTARTU.

A bordo do KLOTZ a situação torna-se crítica, e torna-se claro que um hauri assumiu o comando da nave com Torren. Ele celebra um pacto com os singuva, estabelecendo que estes ajudarão os hauris na transferência de massas solares para o universo Tarkan – em troca, os hauris ajudarão os singuva a manterem-se no poder.

Os galáticos começam a ir embora do reino de ESTARTU, no qual Ijarkor, Stalker e os Corredores das Teias começam a construir uma nova ordem. Quinhentas mil naves dos Vironautas, em companhia de Bull, Kotschistowa, Tschubai, Lloyd, Eirene, Gucky e Waringer retornam à Via Láctea. Contudo, Roi Danton, Ronald Tekener, Jennifer Thyron e Saedelaere permanecem em ESTARTU.

No meio de fevereiro Rhodan procura desvendar os mistérios de Tarkan. Os hauris instalaram um emissor de distorção de sinais para confundir as instalações de hipertransmissão dos kartanin. Através do Projeto Anklam, os kartanin planejam transmitir várias partes de Hangay ao universo normal.
Em Anklam, Rhodan toma conhecimento de uma organização composta por 22 povos, que conduz o Projeto Meekorah. Porém ele precisa fugir da armadilha dos profetas do Hexameron. Quando ele chega a uma importante base dos hauris e os ajuda a remover este perigo, ele ganha a confiança dos kartanin e vennok que ali trabalham. Apesar de suas advertências, a construção do transmissor de Anklam é concluída. Os hauris atacam e provocam grande destruição nas estações emissoras. Importantes construções são danificadas, e como consequência a transferência das partes da galáxia Hangay de um universo para o outro, o que Anklam já estava preparado para realizar, sofre uma interrupção.

Neste meio tempo, Rhodan consegue dois companheiros de viagem: um attavenno chamado Beodu, que é incomodado por estranhos sonhos, e um exótico robô chamado Jordan. Este robô juatafu é fonte de uma grande surpresa, pois ele fala sothalk, a língua utilizada no esquema de poder de ESTARTU. Na espaçonave de Jordan, Rhodan encontra o símbolo de ESTARTU.

Pouco tempo depois Rhodan e seus companheiros são presos pelos hauris, que tentam persuadi-los com meios psiônicos a adotarem a doutrina do Hexameron. Quando espaçonaves dos kartanin afugentam os hauris, a situação normaliza-se novamente. Rhodan espanta-se ao descobrir que também Beodu é um robô, e que o chama de “senhor”. Seu objetivo primário é encontrar pistas da superinteligência ESTARTU. Sobre suas ligações com ESTARTU, o robô juatafu responde: “Nós somos muitos apesar de um só”. Rhodan o acompanha ao planeta Tuyon, onde vive o povo de astrólogos dos benguels. Eles esperam pelo “Tempo da Maturidade”, mas Rhodan não encontra nenhuma pista de ESTARTU ali.

Enquanto estava em Benguel com o robô juatafu, o sonho de Beodu torna-se real. Os dois diferentes seres parecem morrer, enquanto queima um grande fogo luminoso. Depois disso, tanto o benguel como o robô retornam às suas funções vitais mais primitivas, e sua inteligência retrocede.

Unidades dos kartanin surgem no sistema dos benguels e levam Rhodan ao sistema Anklam novamente. Ali ele descobre que em 2 de abril o segundo quarto da galáxia Hangay foi transferido.

Durante seu voo de regresso de ESTARTU para a Via Láctea, Atlan estabelece contato mental com Ellert e toma conhecimento do sacrifício de Jen Salik, que foi absorvido pelo Domo Kesdschan e perdeu seu corpo. Em 10 de abril de 447 NCG a frota de naves-vírus chega à Via Láctea.

Algum tempo depois Peregrin surge novamente e diz que “Aquilo” apoia a “Missão Tarkan”. Para este objetivo, “Aquilo” reforça a substância de 500.000 naves-vírus.

Em julho, Ratber Tostan e Posy Poos tentam explorar as partes de Hangay já transferidas para o universo normal. A teoria de Tostan confirma-se: o choque “Strangeness” desta passagem foi consideravelmente menor que o de sua primeira passagem involuntária, o que confirma que ele adquiriu resistência a ela. Lá Tostan encontra-se com o kartanin Man-Gro, que ele já conhecia de sua primeira estada em Tarkan e que chamava-se então “Tigre Rei”. Tostan descobre por Man-Gro que a transferência da terceira parte da galáxia Hangay deveria ter ocorrido em 4 de agosto, mas que devido a motivos desconhecidos isto não foi possível. A próxima data provável é 30 de novembro. Com esta informação, Tostan retorna no fim de agosto novamente para PORTA-X, o ponto de observação e reunião localizado fora da barreira “Strangeness” da galáxia Hangay.

Em M-33 ocorrem duros momentos para o Clã dos Iniciados, quando o Paratau perde suas propriedades em virtude da deflagração no Tarkanium e com isso altera o valor da constante psi de Dorifer.

Uma frota sob o comando de Atlan e Anson Argyris conquista uma base hauri em Sringal IV. Fazendo maiores pesquisas, eles descobrem e atacam uma estação hauri no planeta Manhã de Setembro II. Gucky e Nicki Frickel tomam conhecimento de uma incrível informação: os hauris são transferidores de matéria, possuindo a capacidade de transferir matéria do universo normal para Tarkan em contrapartida à transferência das partes de Hangay para o universo normal. Por duas vezes isto já ocorreu, pois um braço espiral da galáxia Vilamesch e quatro aglomerados estelares da galáxia Absantha-Gom já foram transportados para Tarkan. Agora os hauris planejam uma ação maior, que transferirá toda a galáxia M-33 para Tarkan quando ocorrer a transferência da terceira parte de Hangay.

No sistema Anklam, surgem incontáveis espaçonaves dos benguels com robôs juatafu, que dizem estar em busca de seu Imago: logo depois Rhodan descobre ser ele próprio este Imago. Contudo, ele não sabe o significado disto. Rhodan sai do sistema Anklam e segue para o sistema Charif, onde deve estar o mundo natal dos kartanin. Em sua viagem, ele encontra quatro aglomerados estelares conhecidos, pois pertenciam às orlas da galáxia Absantha-Gom. Um outro sonho de Beodu torna-se real, quando Rhodan acha uma estação gorim deserta, que foi abandonada há muito tempo. Nesta estação ele encontra o símbolo de ESTARTU.

Dois dias depois, Rhodan chega ao sistema Charif, cujo segundo planeta Vinau é o mundo natal dos kartanin. O primeiro planeta chama-se Nansar e é, para a surpresa de Rhodan, o mundo natal dos nakken. Nansar tem uma pequena lua – Anansar – que é um pequeno buraco negro.

A frota dos benguels e dos juatafus chega pouco depois também ao sistema Vinau, seguindo seu Imago. Beodu desaparece subitamente, Rhodan segue sua pista e chega a Nansar. Lá ele descobre que os nakken há poucos anos alteraram a irradiação do buraco negro de Anansar. Para continuar sua missão, vários nakken jovens foram para outro lugar, chamado de Nachod as Qoor ou Buraco da Eternidade.

Quatro de agosto, o prazo final para a transferência da terceira parte de Hangay, aproxima-se. Rhodan finalmente encontra Beodu, que foi raptado por um nakk em missão para os hauris. Quando Rhodan finalmente chega à base secreta dos hauris em Nansar, sobra ao comandante dos hauris somente a fuga. Rhodan e Beodu seguem os fugitivos com a cápsula Dorifer e desconfiam que eles estejam retornando para seu mundo natal. A suspeita de Rhodan confirma-se quando poucos dias depois eles chegam ao sistema Ushalla, um sol duplo com mais de 60 planetas circundantes. O oitavo planeta do sistema, Talluur, revela-se como o mundo natal dos hauris. Em Eperum, um mundo vizinho de Talluur, há representantes de muitos povos que desejam servir ao Hexameron, e que são levados até ali pelos hauris. Rhodan descobre que o sistema Ushalla também tem a missão de transferir matéria do universo normal para Tarkan.

Rhodan finalmente chega a Talluur, onde encontra-se o líder da polícia secreta hauri. Quando a situação torna-se mais precária, surge uma frota espacial dos benguels e dos juatafus sobre Talluur. Para evitar um conflito e a destruição de suas preciosas instalações, os hauris permitem a Rhodan abandonar o planeta.

Rhodan retorna com a LEDA ao sistema Anklam, para retardar junto aos kartanin a transferência da terceira parte de Hangay.

Uma frota benguel e juatafu voa ao sistema Ushalla e ataca o mundo secreto Cheobad, que parece ser o mundo principal da transferência de matéria entre os universos. Quando uma nave benguel é destruída no fogo de defesa hauri, ela libera uma onda de choque psiônica. Rhodan, que havia pousado em Cheobad, é atingido por esta onda de choque e perde a consciência. Quando ele desperta novamente, ele possui conhecimentos sobre Afu-Metem, o Príncipe do Fogo, um dos seis membros do Hexameron e que surge na forma de diferentes encarnações. Quando Afu-Metem emite um comunicado de rádio, o blefe de Rhodan é descoberto, e ele precisa agora definitivamente fugir do sistema Ushalla.

Nesse meio tempo, no universo normal, Atlan equipou doze espaçonaves com projetores Grigoroff modificados, que devem penetrar em Tarkan. Gucky avisa Atlan por rádio das atividades de transferência de matéria entre os universos. Atlan já sabe das atividades dos hauris e deseja entrar em Tarkan para evitar a transferência de M-33. Em 30 de setembro de 447 NCG a frota inicia sua viagem. Durante a passagem para Tarkan a matéria virótica que cobria as espaçonaves desgasta-se completamente e amortece o choque “Strangeness”. Em 15 de outubro a pequena frota chega ao universo Tarkan e voa ao sistema Anklam. Atlan descobre que Rhodan realmente esteve em Tarkan nas últimas semanas e que agora deve estar na galáxia Hangay. Nesta época chega um enviado da autoridade conhecedora central no sistema Anklam. Ela traz novas instruções para os kartanin e também fala com Atlan. Ele aconselha o arcônida a evitar o avanço direto ao sistema Ushalla, pois, após os acontecimentos das últimas semanas, o sistema transformou-se numa fortaleza praticamente inexpugnável. Atlan voa então ao sistema Zapurush, onde ele consegue obter importantes informações. Atlan encontra transferidores de matéria em Paghal, o 22º planeta, e voa ao 59º planeta, Zerenghaa, onde há pistas do passado.

O pólo sul deste planeta gelado é uma zona proibida, porém com um blefe eles conseguem aproximar-se da “Prova da Vitória”, uma gigantesca cratera com 55.000 anos de idade. Eles descobrem que naquele local ESTARTU foi vencido por Heptamer há muito tempo. Contudo, eles duvidam que ESTARTU tenha sido destruído ali.

Os calendários já registram o dia 23 de novembro de 447 NCG – falta menos de uma semana para a transferência da terceira parte da galáxia Hangay.

Atlan e Iruna von Bass-Thet estão desde 11 de novembro em Paghal, onde as plantas deste mundo selvático mostram ser uma ameaça mortal. Primeiramente através da ação do “Sonho Zero” Iruna consegue neutralizar uma arma dos hauris. Em 24 de novembro Tostan leva uma nova equipe para Paghal.

Nesta época Afu-Metem está na área de domínio de Heptamer, mas retorna assim que toma conhecimento de estranhos acontecimentos em Paghal.

Um comando em Paghal consegue na manhã de 30 de novembro destruir os transferidores de matéria e fugir pelo transmissor no último segundo.

Afu-Metem ameaça Atlan através de um comunicado de rádio. Rhodan está à procura de Nachod as Qoor, e lá o Príncipe do Fogo demonstra a ambos o poder do Hexameron.

No Grupo Local, começa o mês de outubro de 447 NCG. Os dados trazidos por Anson Argyris de sua última missão dizem que os transferidores de matéria podem ser encontrados no aglomerado estelar Marty-5, localizado na periferia da galáxia M-33. Reginald Bull parte com sua nova nave CIMARRON à procura do planeta Ashkalu, o local onde estão os transferidores de matéria. No início de novembro a busca tem sucesso, e no fim de novembro, três semanas após o pouso em Ashkalu, Gucky e seus companheiros conseguem impedir ações terroristas dos transferidores de matéria.

Quando a data de transferência aproxima-se, chega uma espaçonave dos hauris no sistema Ashkalu e comunica que a estação correspondente no universo Tarkan foi destruída. Horas depois ela destrói o planeta Ashkalu.

Apenas poucas espaçonaves dos hauris conseguem fugir. Bull as deixa ir e chega assim aos setores externos da galáxia Hangay, cuja terceira parte materializou-se sob condições normais. Os terranos descobrem uma falha espácio-temporal, que parece ser estabilizada artificialmente. Nesta falha Bull descobre um sistema solar no qual está sendo construída uma estação espacial chamada “Ur amm Taloq”, denominada Urian pelos terranos. Gucky descobre através do comandante hauri que esta estação deve se tornar um grande transferidor de matéria, com o objetivo de transferir grandes galáxias para Tarkan. Utilizando um blefe eles conseguem penetrar com espaçonaves na falha, atacar a estação e voltar ao espaço livre novamente, contudo a estação Urian sofre somente danos mínimos.

Bull deseja avançar rapidamente para Tarkan para avisar Rhodan e Atlan sobre a estação Urian, pois suspeita que em Tarkan exista uma estação correspondente. O retorno ao ponto de reunião PORTA-X precisa contudo esperar, pois Oogh at Tarkan envia o “Sinal da Conclusão”. Os terranos voam ao planeta Wailiki, e lá Bull testemunha acontecimentos que merecem reflexão: espaçonaves dos benguels e dos robôs juatafu pousam em Wailiki, e quando também pousam unidades dos vennok, os orgânicos benguel e os robóticos juatafu entram num colapso em série; eles cometem “Suicídio Dual”. Uma voz mental anuncia-se e comunica que não se pode unir se as partes não estão próximas. Bull e seus companheiros voam definitivamente com a BASE para PORTA-X.

No início de janeiro de 448 NCG a CIMARRON é equipada com um projetor Grigoroff modificado. Pouco antes da partida Eirene vai a bordo da nave, para acompanhar o voo para Tarkan.

Enquanto a CIMARRON prepara-se para partir para o universo Tarkan, a SORONG de Nicki Frickel parte com destino a Hangay, para procurar ali bases dos hauris.

A CIMARRON, com a tripulação em sono profundo, penetra em Tarkan, e sofre danos mínimos pelo “Strangeness”. Em 10 de janeiro a CIMARRON chega ao sistema do mundo principal para a quarta parte da galáxia Hangay. Rhodan está em busca contínua pelo Nachod as Qoor. Ele perde muitas semanas e encontra-se muitas vezes perto da morte, até que ele reaja aos acontecimentos. Primeiramente na manhã de 30 de novembro de 447 NCG ele consegue abandonar com sua cápsula Dorifer a terceira parte de Hangay, antes que ela fosse transferida ao universo normal.

Nesta oportunidade o sistema localizador da cápsula descobre onde se encontra o Nachod as Qoor – a 250.000 anos-luz do plano principal de Hangay. A LEDA voa para esta região, e lá Rhodan descobre a inacreditável verdade: o Nachod as Qoor não é um buraco negro particularmente massivo, mas sim um Cosmonucleotídeo como Dorifer. Em 4 de dezembro Rhodan chega a uma estação assemelhada com o portal de Dorifer. Ali ele encontra-se também com um robô juatafu. Quando Rhodan penetra no Nachod as Qoor com a LEDA, ele conhece a “Verdade Absoluta”: o “Buraco da Eternidade” é idêntico a Dorifer. LEDA consegue obter alguns psiqs, e Rhodan observa várias fases do passado. Assim ele se torna testemunha de como Heptamer aumentou a constante gravitacional de Tarkan há dois milhões de anos atrás para acelerar seu colapso. Ele vê igualmente como Heptamer venceu ESTARTU há 55.000 anos no planeta Zerenghaa. Os dois superseres apresentam-se na forma de aglomerados energéticos nebulosos.

Quando ele finalmente consegue abandonar Dorifer ou Nachod as Qoor em 3 de janeiro de 448 NCG, ele torna-se prisioneiro do Príncipe do Fogo Afu-Metem. Ele revela várias informações a Rhodan, e assim ele fica sabendo que o Hexameron é uma organização de fortes e crentes e consiste de três Príncipes da Força, portadores do nome “Metem”, e três Príncipes da Crença, que chamam-se de “Letel”. Os Príncipes da Força são o Príncipe do Fogo, o Príncipe da Tempestade e o Príncipe das Marés, e entre os Príncipes da Crença estão o Príncipe da Pureza, o Príncipe dos Dogmas e o Príncipe da Louvação. O papel exercido por cada um na hierarquia de Heptamer não é esclarecido por Afu-Metem, mas Heptamer parece ser semelhante a uma superinteligência.

Antes, por acaso, Rhodan descobre que Atlan penetrou no universo Tarkan e que já fez contato com Afu-Metem. Reginald Bull encontra-se neste meio tempo com Atlan, que pouco antes havia descoberto o transferidor de matéria Borj amm Droar, que é a peça correspondente a Urian neste universo. Atlan descobre que Rhodan está preso a bordo de uma das espaçonaves estacionadas nas proximidades de Nachod as Qoor.

No universo normal um comando chefiado por Galbraith Deighton consegue destruir a estação Urian com ajuda das naves Tsunami.

Nicki Frickel recebe uma misteriosa mensagem em código kartanin e ele voa então a um mundo oculto. Lá ele encontra-se com os robôs Toto Duga e o exótico ser Hirdal, que lhe conta a história dos robôs:

Quando ESTARTU encontrava-se em grande perigo devido à luta com Heptamer no planeta Zerenghaa, ele preparou do pó deste mundo 500 robôs, os Toto Duga, que receberam dele a missão de defender sua herança. Os Toto Duga, também chamados de juatafus, deixam Zerenghaa sem serem percebidos pelo poder do Hexameron. Eles abrigam-se sob a superfície do planeta Ushini, onde fabricam quatro bilhões de Toto Duga em fábricas e estaleiros, que dividem a herança de ESTARTU. Eles encontraram o povo dos benguels, e a herança dividiu-se também para quatro bilhões destes seres.

Durante o processo denominado de fusão dual, através do qual os juatafus e benguels entram em colapso como mortos, surge uma nova parte de ESTARTU. Também Hirdal surge desta maneira, pela fusão dual de milhares de juatafus e benguels.

No fim de fevereiro de 448 NCG aproxima-se a frota unida dos benguels e juatafus, seguidos pelo exército expedicionário galático e a CIMARRON, do último quarto de Hangay, que deve ser transferido brevemente para o universo normal.

Afu-Metem provoca no sistema Dao-Ban uma tempestade de fogo. Energia térmica é liberada dos setores espaciais próximos e da região central, provocando a falha dos propulsores lineares e metagrav. O objetivo de Afu-Metem é impedir a união dos benguels e dos juatafus. Porém Rhodan e Atlan conseguem conduzir a tempestade de fogo para outro lugar, e assim o Príncipe do Fogo entra no campo de ação de sua própria arma e morre.

Em 28 de fevereiro de 448 NCG o gigantesco projeto dos kansahariyya, sob a direção dos kartanin, é concluído, e o último quarto da galáxia Hangay materializa-se no universo normal. Com isso, todas as naves terranas que se encontravam em Tarkan, em companhia de Perry Rhodan, retornam ao universo normal. A partir deste momento, Hangay passa a fazer parte do Grupo Local de Galáxias, estando próxima à Via Láctea e à nebulosa de Andrômeda.

No planeta Narna, ocorre uma grande reunião de robôs, e os fragmentos da consciência de ESTARTU, que estavam armazenados nos benguels e nos juatafus, formam pela fusão dual uma nova manifestação da superinteligência. Uma figura semelhante a uma filigrana – uma gigantesca versão de Hirdal – eleva-se ao céu de Narna e dá mais detalhes sobre a história de ESTARTU:

ESTARTU não atendeu ao pedido de ajuda dos kansahariyya apenas por compaixão pelos 22 povos da coalizão. Ele sabia que a natureza colocou os universos agrupados no hiperespaço, formando os chamados clusters. Tarkan e o universo normal pertencem ao mesmo cluster, e o que acontece em Tarkan pode influenciar completamente também o universo normal.

Quando ESTARTU chegou a Tarkan, ele forneceu aos kartanin a organização para o “Projeto Meekorah”, que deveria defender a galáxia Hangay da “morte quente” pela completa transferência para o universo normal. Porém os poderosos de Tarkan opuseram-se a este projeto, que retardaram com a ação dos “Seis Últimos Dias”. Durante a luta com Heptamer, ESTARTU precisou transferir sua consciência para robôs, que defenderam sua herança. Dos fragmentos de consciência dos Toto Duga e dos benguels originam-se os blocos duais de longa duração – formações de estrutura pentadimensional e altamente móveis – que como autoridade conhecedora central dos kansahariyya apoiou a condução do “Projeto Meekorah”.

Uma vez ESTARTU informou “Aquilo” que no futuro, antes de seu renascimento, seria necessário um líder para conduzir os benguels e juatafus pelo caminho correto. Através de uma modulação especial de seus ativadores recebem então Rhodan e Atlan o papel de Imago, para levarem à união dos dois povos.

Após a materialização completa de Hangay e a nova formação de ESTARTU, a superinteligência retorna para seu esquema de poder.

Uma das espaçonaves da frota Tarkan é enviada ao ponto de reunião PORTA-X para avisar dos acontecimentos em Narna.

Quando então as espaçonaves dos terranos, entre elas a SORONG, tomam a rota para a pátria, surgem as primeiras falhas estruturais, que atravessam rapidamente o espaço em ondas e de cuja periculosidade os homens somente podem especular, com base na agitação do cosmos. Dorifer parece ser o responsável.

Muitas perguntas dos últimos meses permanecem não respondidas: os nakken não parecem mais interessados nos acontecimentos atuais, pois seu pensamento estende-se a outros níveis da realidade, que não são acessíveis aos homens.

Contudo, ninguém sabe que nesta época TAUREC está manipulando Dorifer para transformar “Aquilo” numa fonte de matéria. Ele espera, com isso, poder retornar ao domínio dos Cosmocratas. Porém, a transferência de Hangay provoca uma grande agitação no encaixe espácio temporal, o que leva ao colapso de Dorifer e à frustração do plano de TAUREC.

Sem saber que as ondas de choque preparam uma grande surpresa, a frota Tarkan aproxima-se do setor externo de Hangay e também do ponto de reunião PORTA-X...

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Não há artigos nesta categoria. Se há subcategorias mostradas nesta página, elas podem conter artigos.

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.