• Home

Ciclo 26 - Os Hamamesch

Episódios 1750 a 1799 – Período da história: 1218 a 1220 NCG (4805 a 4807)
Data de publicação na Alemanha: 1995 a 1996
Ciclo ainda inédito no Brasil


Cerca de quarenta milhões de viciados nos Artigos Marcados voam para Hirdobaan. Perry Rhodan e a BASE chegam a Hirdobaan, vindos do Grande Vazio. Atlan e outros galáticos, viciados pela primeira vez nos Artigos Marcados, tornam-se saltadores de fase e são lançados involuntariamente para o centro da minigaláxia, que é protegido por uma barreira impenetrável. Lá eles descobrem o segredo do cérebro-robô Gomasch Endredde, o responsável pelas caravanas comerciais dos hamamesch. As atividades dos galácticos finalmente despertam o construtor de Gomasch Endredde, o Poderoso Aachtor. Ele voa com sua nave gigante para o Arresum, com o objetivo de espalhar esporos vitais no outro lado do universo.



Na Via Láctea, os hamamesch vendem todo seu estoque de Artigos Marcados e retornam à sua pátria. Antes de sua partida eles contudo informam aos seus clientes que há mais artigos em Hirdobaan, que poderão ser trocados por aparelhos de alta tecnologia dos galácticos.

Cerca de vinte bilhões de galácticos possuem a fascinação semelhante a vício pelas peças, que, na realidade, são totalmente inúteis. Quando no fim de 1218 NCG os artigos perdem seu encanto, aquilo provoca uma arrebatadora e trágica manifestação. Suicídios em massa, ondas de loucura e clínicas lotadas são seus resultados imediatos. Cerca de 40 milhões de viciados partem no meio do ano com gigantescas quantidades de aparelhos de alta tecnologia para Hirdobaan, para lá conseguirem a substituição de seus Artigos Marcados gastos por outros que ainda tenham a marca psiônica. No início do verão de 1220 NCG trinta milhões de galácticos chegam ao seu destino. Logo depois também chega a BASE, que encontrava-se em seu voo de regresso do Grande Vazio para a Via Láctea.

A pequena galáxia Hirdobaan é dividida em oito setores, os chamados octantes. Cada octante possui um príncipe comerciante como chefe. Os hamamesch são proibidos de abandonar o setor onde vivem, embora essa proibição não exista para os outros povos que vivem em Hirdobaan. Estações fronteiriças nos pontos de contato dos octantes são responsáveis pelo intercâmbio de mercadorias. Acima dos príncipes comerciantes há nove maschtaren, que representam um poder oculto. Entretanto, eles ainda não são o topo da hierarquia de poder. Um ser chamado GOMASCH ENDREDDE, cuja verdadeira aparência ou natureza é desconhecida por todos, reina sobre todos e tem objetivos desconhecidos.

O centro de Hirdobaan, com 133 anos-luz de diâmetro, a sede de GOMASCH ENDREDDE, é protegido por um campo de transição, que transporta qualquer nave que o atinja para o outro lado. Os galácticos viciados, que são procurados como Criminosos da Marca, caem como um enxame de gafanhotos na galáxia, porém apesar de todas as buscas não encontram nenhum sinal dos desejados Artigos Marcados.

O desespero leva os viciados a avançarem cada vez mais brutalmente, levando-os a lutar contra os fermyyd, seres semelhantes a panteras. Finalmente o poder oculto também reage: frotas hamamesch surgem e constroem novos bazares. Cada Criminoso da Marca recebe um Artigo Marcado, independentemente do que ele tenha para ofertar. Todos os novos Artigos Marcados se parecem, sem exceção, com um pequeno cubo colorido.

Durante alguns dias os viciados imaginam-se no sétimo céu. Contudo, subitamente, um após o outro desaparece sem deixar pistas. Os únicos remanescentes são os cubos, agora queimados.

Como também alguns imortais expuseram-se à influência dos cubos, como Atlan, Reginald Bull e Ronald Tekener, eles materializam-se inesperadamente no centro de Hirdobaan, que é evidentemente inatingível por meios normais. Eles encontram-se na Área de Endredde, num sistema dividido em quatorze níveis. Cada nível representa um planeta, e todos estão unidos por transmissores, os chamados carrosséis.

Eles percebem que conservam apenas uma marca psiônica e que assim não estavam viciados, e tornam-se saltadores de fase. Após exatamente 13 horas e um minuto eles materializam-se novamente nos locais dos quais eles desapareceram anteriormente, permanecem inconscientes por lá e retornam novamente – conscientes – na Área de Endredde. Esse processo – designado como Oscilação – repete-se sem interrupções. Como fato dificultador, todos percebem que eles somente possuem algum controle do outro lado, ao qual eles foram levados por seu primeiro processo oscilatório.

Em doze dos quatorze mundos da Área há grande agitação (os níveis 13 e 14 ainda não são atingíveis) porque os 30 milhões de galácticos já alcançaram seu destino, certamente por seu processo do salto de fase. Assim eles sucumbem a uma coação sugestiva que os impele a reparar as instalações planetárias, que estão evidentemente defeituosas. Através dos aparelhos de alta tecnologia trazidos da Via Láctea, igualmente materializados na Área, eles começam seu trabalho e ignoram nos dias seguintes tanto regras de higiene quanto as necessidades de sono e alimentação. Torna-se claro que os milhões de involuntários trabalhadores manuais cedo ou tarde deverão morrer de fraqueza.

Com os crypers – rebeldes, descendentes dos hamamesch – Perry Rhodan ganha os primeiros aliados, quando eles demonstram acreditar cegamente na utilização de métodos corretos para atingir seus objetivos. Com a conquista do mundo de conferências Borrengold e a prisão dos oito príncipes comerciantes, eles obtém um primeiro sucesso.

Também os saltadores de fase obtém um êxito. Atlan e Icho Tolot conseguem vencer sua inconsciência durante sua parada fora da Área e informar Perry Rhodan sobre os acontecimentos nos níveis. Em consequência disso, 40 voluntários equipados com armamento pesado são submetidos à influência dos cubos e chegam igualmente na Área de Endredde. Os saltadores de fase possuem agora uma poderosa tropa à disposição.

Rapidamente torna-se claro que o trabalho de reparação dos galácticos mais destrói que conserta. O trabalho transcorre descontrolado e sem direção. Em sua exploração das profundezas dos exóticos níveis, completamente cobertos por aparelhos técnicos, os saltadores de fase encontram um setor absolutamente heterogêneo que, em sua totalidade, parece abrigar um gigantesco organismo. Os homens chamam-no de técnica evolutiva. Mais por ignorância que por curiosidade, eles despertam um ser que chama-se de Tréogen e que visivelmente estava ativo há 2.000 anos atrás na Área de Endredde, antes que fosse vencido pelos lá existentes robôs Opera e trancado por eles em uma bolha fria. Tréogen, uma estranha mistura biológica de diversas espécies, mata muitos saltadores de fase, antes que desapareça e ocupe-se de seus difusos objetivos.

Perry Rhodan descobre entretanto que os galácticos não foram o primeiro povo seduzido para Hirdobaan pelos Artigos Marcados e forçados a trabalhar na Área. Desde séculos atrás isso vêm acontecendo, e os membros dos povos seduzidos para Hirdobaan morrem até o último indivíduo na Área de Endredde. Quando ali a situação corporal dos 30 milhões de galácticos piora dia a dia, os terranos precisam agir.

Em muitas ações arriscadas os saltadores de fase, sob o comando de Atlan, conseguem abrir por dentro o campo em torno da Área; a BASE consegue voar para a Área de Endredde e fornecer a primeira assistência. Ao mesmo tempo, agrava-se a situação em Hirdobaan: os maschtaren são realmente mortos nas lutas, o que provoca um grande ataque dos fermyyd e dos hamamesch sobre o punhado de naves galáticas.

No último minuto surge uma frota de ajuda da Via Láctea: 8.000 espaçonaves blues – estes seres são completamente imunes aos efeitos da marca psiônica – decidem a luta, ajudam seus amigos galácticos e levam a um armistício. Como resultado, ocorre uma compensação entre os grupos de interesse de Hirdobaan, organizada pelos diplomatas do pequeno povo dos sydorriers. Durante isto, os saltadores de fase conhecem a história completa de GOMASCH ENDREDDE: ele é um cérebro robô, cujos criadores há 200.000 anos foram expulsos da galáxia vizinha Queeneroch e fugiram para o centro de Hirdobaan. O robô não lembra-se mais da missão de seus criadores, e no decorrer de dezenas de milhares de anos ele começa a fazer avaliações erradas. Realmente ele consegue utilizar o povo dos hamamesch e outros povos em Hirdobaan como povos auxiliares, contudo surge de uma experiência genética o superser Tréogen. O resultado: GOMASCH ENDREDDE não funciona direito, entrando de certa maneira num “laço” infinito, que somente é terminado quando os galácticos o desligam.

Durante o desligamento ocorre um ponto culminante. GOMASCH ENDREDDE comunica subitamente: "A contagem regressiva está em andamento. Todos os seres vivos devem abandonar os níveis dentro de 28 horas. Do contrário, encontrarão a própria morte". Nesta mensagem é utilizada a mesma língua dos Sete Poderosos, provocando grande especulação entre os terranos. O Tubo Hamiller une-se a GOMASCH ENDREDDE, e os terranos continuam sem saber se no Tubo estava integrado o cérebro do legendário cientista.

Finalmente os quatorze níveis dissolvem-se, em companhia dos níveis evolucionários, e os planetas são completamente destruídos. Felizmente os mais de 30 milhões de galácticos são salvos no último minuto. Eles também conseguem desligar o campo em torno de GOMASCH ENDREDDE.

Os quatorze níveis evolucionários formam uma gigantesca espaçonave de 1.500 quilômetros de diâmetro. AACHTOR, o criador de GOMASCH ENDREDDE, desperta, e Perry Rhodan descobre um grande mosaico do passado: há 220.000 anos AACHTOR começou a construção de uma espaçonave na galáxia Queeneroch, porém ele foi expulso pelos roach, os bárbaros ancestrais dos aracnídeos arcoana, que devastaram todos os planetas da galáxia. Assim AACHTOR não conseguiu realizar sua obra e precisou retirar-se para Hirdobaan, para proteger seu robô gigante GOMASCH ENDREDDE.

AACHTOR revela-se como sendo uma espécie de poderoso, e sua tarefa era a de construir uma nave semeadora, cultivar os quanta On e Noon, chamados de esporos vitais, e espalhá-los em uma região do universo ainda desconhecida. AACHTOR morre quando ele cai numa antiga armadilha dos roach; em seu lugar assume sua tarefa o cyberclone Voltago, o “criado” de Perry Rhodan.

Após a resolução de muitos problemas, tudo chega a uma decisão: no centro de Queeneroch, o carregamento dos esporos vitais da nave semeadora é espalhado.

Após violentas hipertempestades abre-se novamente um portal entre os “dois lados” do universo, e milhares de espaçonaves ayindi voam do Arresum para o Parresum.

Os tripulantes destas naves são humanos, sendo aqueles homens que “Aquilo” havia absorvido e que agora habitam o antigo território do Abruse. Eles se tornam a nova tripulação da nave semeadora, e sua nova missão consiste na propagação da vida pelas partes mortas do universo. E Perry Rhodan conhece finalmente mais detalhes do Grande Enigma Cósmico: já há milhões de anos, os sete poderosos dirigiram-se para o Arresum, porém eles lutaram entre si e não puderam espalhar a semente da vida na parte morta do universo. Pelo contrário: do trabalho de um desses poderosos resultou anti-vida, que após um inacreditável intervalo de tempo desenvolveu-se para o Abruse.

A missão principal de AACHTOR era conter a marcha do Abruse no Arresum, antes que sua atividade na zona limítrofe entre os universos causasse irreparáveis danos a ambos.

Com isso o Grande Enigma Cósmico está solucionado. Em Hirdobaan e Queeneroch uma nova sociedade pode desenvolver-se, e Perry Rhodan voa de volta à Via Láctea.

Nesta época, na Via Láctea, a situação política está caótica. A débil fachada de harmonia e cooperação entre os povos estelares deteriora-se, e todos voltam à antiga rivalidade. As arcônidas, que fundaram um novo império, procuram recuperar seu domínio de outrora. Os saltadores ou comerciantes galácticos, que desde o surgimento da Terra perderam o monopólio comercial da Via Láctea e os antis e aconenses não se esqueceram das derrotas que os terranos lhes infligiram nos últimos séculos. Pequenas nações, como dos lagartóides tópsidas ou dos trombudos unithers também procuram conquistar uma posição vantajosa em relação aos seus poderosos vizinhos.

A LFT, os halutenses, os povos blues, que vivem no setor oriental da Via Láctea, e os pos-bis, os robôs positrônico-biológicos do Mundo dos Cem Sóis, não estão em condição de manter viva a ideia de união entre os povos galácticos. Os Galactic Guardians, uma organização criminosa composta por superpesados e mercenários da era de Monos que haviam sido banidos desde os acontecimentos com os linguiden, utilizam o conflito corrente como uma forma de melhorar seus sinistros negócios.

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Não há artigos nesta categoria. Se há subcategorias mostradas nesta página, elas podem conter artigos.

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.