• Home

Ciclo 35 - A Negasfera

Episódios 2400 a 2499 – Período da história: 1346 a 1347 NCG (4933 a 4934)
Data de publicação na Alemanha: 2007 a 2009
Ciclo ainda inédito no Brasil


Perry Rhodan viaja vinte milhões de anos no passado com a nave JÚLIO VERNE para tentar descobrir como os povos daquela época conseguiram provocar a retroversão de uma Negasfera. Enquanto isso Atlan avança até Hangay com uma pequena frota e descobre que a galáxia já havia se transformado numa proto Negasfera. Rhodan consegue fazer a retroversão da Negasfera em formação em Hangay.



  • Perry Rhodan e a JÚLIO VERNE começam uma grande expedição, vinte milhões de anos no passado – os terranos lutam pelo conhecimento perdido no tempo.
  • Atlan e a RICHARD BURTON pesquisam a física do caos – na proto-negasfera Hangay.
  • Reginald Bull e o Núcleo dos mutantes monocromáticos defendem a Terra – a lealdade da Humanidade é posta à prova.

“Se você tivesse que fazer um desejo, apenas um, qual seria ele, Perry Rhodan?”
“Eu desejaria a paz. Para a Humanidade e para todos os outros povos. Porém apenas o desejo não é o bastante. Sei que tenho que lutar pela paz. Dessa forma sei que AQUILO que mais desejo me é fundamentalmente negado.”
(Diálogo a bordo da JÚLIO VERNE, em abril de 1346 NCG)

As forças do caos despertaram – e elas se preparam para a batalha nas proximidades da galáxia da Humanidade. Elas surgem em sua forma mais terrível, a Frota Terminal Traitor. A gigantesca armada das forças do caos não pode ser vencida por meios militares convencionais.

Porém isso não é o pior. A negasfera que está surgindo na galáxia Hangay ameaça engolir a Via Láctea. Numa negasfera as leis naturais perdem sua validade e os seres vivos têm sua existência ameaçada – porém ninguém sabe exatamente o que acontece em seu interior.

Mas Perry Rhodan decidiu lutar contra a negasfera!

As perguntas básicas que os terranos se fazem no momento são as seguintes: O caos é reversível? E como o processo de transformação de uma galáxia em um local de leis físicas caóticas pode ser revertido?

Esta resposta existe– porém ela parece estar perdida no passado distante.

Com um audacioso “salto contextual” a JÚLIO VERNE, a mais moderna nave expedicionária da Humanidade, viaja ao passado remoto da Via Láctea.

Há vinte milhões de anos começa a busca ao conhecimento perdido da História!

Os terranos sabem que devem ir à galáxia Tare-Scharm, mas suas coordenadas se perderam ao longo dos milênios. Neste local desconhecido do universo uma negasfera desenvolveu-se no passado distante.

Esta é uma zona de caos e estranheza, na qual as leis naturais perderam sua validade. Essa região é dominada por um caotarca, que vive em ambientes com leis físicas sinistras.

A superinteligência ARCHETIM e seus aliados, as forças positivas daquela época, conduziram uma luta sem piedade contra as forças do caos. Sua arma é a retroversão, o processo de transformação de TareScharm em uma galáxia normal novamente.

Esse processo deve ser observado a qualquer preço por Perry Rhodan, Gucky, Mondra Diamond e a tripulação da JÚLIO VERNE. Só assim poderá haver alguma esperança...

Se eles não conseguirem trazer o conhecimento da retroversão para o presente, o fim da Humanidade não poderá ser impedido. A Humanidade será apenas uma “vítima colateral” de uma batalha colossal, cujos limites não podem ser medidos pelos seres humanos...

O futuro da Terra – é decidido no passado distante!

Na pista do caos

A JÚLIO VERNE penetra no desconhecido, indo até o interior de Tare-Scharm. Esta é uma galáxia num estado sinistro, onde uma terrível guerra é travada há anos.

Um campo de batalha de proporções galáticas é explorado pela JÚLIO VERNE: as tropas de Archetim contra as forças do caos... E o inimigo, que dispõe de bilhões de combatentes e é aparentemente invencível, é liderado por KOLTOROC, a mesma superinteligência que comanda a Frota Terminal Traitor no presente.
Contudo Perry Rhodan prossegue em sua missão com persistência e determinação. A viagem para Tare-Scharm testa a tripulação da JÚLIO VERNE e a leva ao encontro de velhos e novos amigos – e também a uma aliança bastante improvável.

O papel de simples observadores do passado é contudo rapidamente abandonado: o terrano imortal e sua nave são inesperadamente colocados no centro dos acontecimentos – e se tornam o fiel da balança do conflito, o que aparentemente tem consequências para todo o futuro do universo!

Misteriosos amigos e parceiros

O comandante Pothawk e seus companheiros, Vizquegatomi e Limbox, os “ladrões de alta tecnologia” do povo dos laosoors, conseguem, após várias aventuras, encontrar o caminho de volta para sua pátria, o gigantesco mundo artificial Laomark.

Porém qual é o real papel desempenhado pelos “ladrões de alta tecnologia” do povo dos laosoors?

Qual é sua relação com a guarda pressora? E o que eles buscam com seus roubos e suas missões de reconhecimento?

E qual é o papel desempenhado por Ekatus Atimoss, o mutante que opera nos bastidores?

Quem construiu Cheos-Tai, o “Criador da Lei”? Qual é o objetivo do Criador da Lei, e como ele funciona?

E quem são os engenheiros thermodin, que controlam seu interior?

No foco dos acontecimentos do presente – Atlan na proto-negasfera Hangay

“Imagine que restam sessenta minutos para o fim. E que você tem que escolher entre salvar um amigo ou um planeta. Quem você salvaria, arcônida?”
“Dê-me um couraçado e uma boa tripulação e salvarei ambos!”
(Diálogo a bordo da RICHARD BURTON, em abril de 1346 NCG)

O arcônida Atlan luta pelo futuro de toda a Via Láctea no centro do perigo. Ele utiliza uma antiga estrada de transmissores lemurense para chegar à galáxia Hangay com uma ponta de lança da Terra, a qual ele lidera na luta contra a Frota Terminal. Nem Atlan nem sua tripulação sabem o que realmente os aguarda.

Junto deles encontram-se contudo poderosos aliados: entre eles a misteriosa parapositrônica Escher, que desempenha um papel muito misterioso, e seus avatares, Pal Astuin e Merlin Myhr.

Com sua nave especial RICHARD BURTON o arcônida chega finalmente ao seu destino. Junto dele estão três gigantescas naves Box da LTL, as naves cúbicas ATOS, PORTOS E ARAMIS.

Como se temia, Hangay se tornou uma área proibida: a Frota Terminal protege seu território. Lá Atlan topa com a maior movimentação de forças militares já vista nesta parte do universo.

E a galáxia já está separada da Rede Psiônica, as linhas gravitacionais cósmicas que atravessam todo o universo. Em nenhum momento o hiperespaço alterado oferece uma brecha para a passagem da RICHARD BURTON.

Contudo Atlan e seus amigos possuem um trunfo secreto, com o qual eles esperam obter uma vantagem: um mapa da proto-negasfera!

O inimigo se agrupa No interior da galáxia ocupada Hangay a Frota

Terminal Traitor erige sua base: ela é um baluarte do caos, uma fortaleza contra as forças da ordem, que inevitavelmente atacarão Hangay.

Traitanques e fortes da frota, arautos terminais e caopressores, roteadores espaçotemporais e o Elemento da Escuridão – todos eles preparam-se para a Batalha Final, que decidirá o destino do Grupo Local de galáxias.

Nesse quebra-cabeças, qual é o papel desempenhado por Kirmizz, o piloto designado para o caotênder Vultapher?

E quando intervirá KOLTOROC, a misteriosa superinteligência que comanda Traitor?

Na hora certa

Contudo Atlan e a RICHARD BURTON felizmente não estão sozinhos contra o gigantesco e poderoso inimigo em Hangay. Kartanenses, hauris, vennoks e gryolenses – as forças unidas da galáxia lutam de forma coordenada nos bastidores.

Até mesmo a nave dourada SOL, desaparecida há anos, opera na área de conflito. Atlan encontra-se novamente com os imortais Ronald Tekener e Dao-LinH'ay, com o halutense albino Blo Rakane, com Fee Kellind e sua tripulação, com Benjameen da Jacinta e Tess Qumisha – e também com os mons'serimers.

Atlan, a SOL e os povos de Hangay devem se unir se quiserem ter uma chance contra o poder superior do inimigo. Contudo o tempo urge: no interior de Hangay já surgiram algumas zonas estranhas e misteriosas, que são chamadas de células protocaóticas...

O arcônida tem certeza de algo: todo o esforço será em vão se eles não conseguirem iniciar a retroversão de Hangay antes do início da Batalha Final.

O sucesso da RICHARD BURTON depende de Perry Rhodan – ou seja, se o amigo terrano de Atlan conseguirá trazer o conhecimento do passado para o presente.

Os defensores do presente – Reginald Bull na Via Láctea

“Bull, algum dia você poderá estar no lugar de Perry Rhodan. Será que este seria um dia feliz para você?”
“Com mil demônios, por quê a pergunta? Tenho um sistema solar para defender! Em minha mente não há espaço para bobagens!”
(Diálogo durante uma pausa para o café na Residência Solar, em abril de 1346 NCG)

O Sistema Solar ainda se encontra sob um cerco inacreditável. Nunca em sua história a Humanidade esteve diante de um inimigo tão decidido e em tão grande número. Centenas de milhares de traitanques, as naves de combate da Frota Terminal, circulam em volta do campo Terranova – e eles estão prontos para iniciar um ataque mortal assim que perceberem alguma falha dos terranos.

Porém Reginald Bull, o ministro da defesa da Liga dos Terranos Livres, mantém sua posição no mundo natal da Humanidade. Não é a primeira vez que o portador de ativador se vê diante de tal responsabilidade. E, apesar da imensa superioridade do inimigo, ele não se dá por vencido.

Bull é auxiliado pelo Núcleo dos mutantes monocromáticos e também pelo 1,4 bilhão de terranos que defendem a Terra nos estações psi do Sistema Solar, onde sua energia mental é utilizada para fortalecer o campo Terranova. Nesta situação cada terrano é importante, e juntos todos ajudam a defender o planeta da ameaça.

Os filhos de Perry Rhodan

Nesse meio tempo Bull utiliza todos os meios ao seu alcance para fazer uma busca secreta pela galáxia: ele procura por Roi Danton, o filho perdido de Rhodan!

Será que Danton ainda está vivo? E, se estiver, onde ele se encontra? E nas mãos de quem?

Uma paz enganosa reina na Via Láctea: a Frota Terminal não consegue mais criar “gabinetes”, os componentes básicos do caotênder Vultapher – enquanto os defensores não conseguem ganhar território, devido ao poder superior das forças de ocupação.

A luta em todas as frentes é conduzida contudo em segredo e com todos os truques possíveis...

Na linha de frente age Kantiran, o outro filho de Perry Rhodan, para os Pilotos da Paz, em companhia da mulher cyno Cosmuel Kain.

Reginald Bull reconhece: seus esforços não conseguirão manter os traitanques afastados por muito tempo, nem o desconhecido comandante da Frota Terminal.

Seu maior oponente no momento é Antakur von Bitvelt, o supervisor geral da Frota Terminal, que vive no castelo cósmico Crult...

Um amigo perdido

A superinteligência "AQUILO", o velho amigo e mentor da Humanidade, abandonou a Via Láctea já há algum tempo. Os motivos para isso ainda não são completamente conhecidos, e pouco a pouco percebese que a superinteligência está muito distante da Terra.

Neste lugar incrivelmente distante não há seres humanos. "AQUILO" planeja assim levar a Humanidade para lá, para a segurança nessa desconhecida e misteriosa utopia entre as estrelas. Num lugar onde reina a paz, onde não há a ameaça constante da Frota Terminal Traitor, onde a Humanidade poderá continuar sua vida de sempre sem preocupações.

É uma proposta tentadora, com a qual ninguém havia contado: "AQUILO" propõe o êxodo da Humanidade. A fuga do cerco, um asilo longe de todas as batalhas, onde Traitor seria apenas uma palavra que remeteria a um passado há muito esquecido.

Esta é uma oferta que divide Bull internamente. O que ele deverá escolher: a segurança no desconhecido, a salvação para os filhos da Terra – ou a possível queda dos planetas do Sistema Solar, numa batalha final pela pátria dos seres humanos?

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Não há artigos nesta categoria. Se há subcategorias mostradas nesta página, elas podem conter artigos.

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.