• Home

Ciclo 38 - O Tribunal Atópico

Episódios 2700 a 2799 – Período da história: 1514 a 1517 NCG (5101 a 5104)
Data de publicação na Alemanha: 2013 a 2015
Ciclo ainda inédito no Brasil


Nossos heróis estão no ano 1517 do Novo Calendário Galáctico (NCG). A Via Láctea está em grande parte, sob a influência do Tribunal Atópico. Os juízes afirmam que só eles podem deter a conflagração universal, que de outra forma, inevitavelmente destruiria a galáxia.

Mas quem são esses juízes, exteriormente tão diferentes, de onde deriva sua autoridade para legislar, de onde eles vêm? Estas são as perguntas que Perry Rhodan faz, que por juízes como o Cardeal Fractor – o principal responsável – foi condenado junto com Bostich I pelo suposto iminente desaparecimento da Via Láctea.

Da distante galáxia Larhatoon, Rhodan traz o conhecimento de que o verdadeiro reino dos juízes é “O Espaço Atemporal”. O terrano imortal, providencia em companhia de Atlan, e o lare Avestry-Pasik, o embarque na nave do Juiz Chuv e o mantêm sob seu controle: agora Perry Rhodan é o novo comandante da nave. E imediatamente partem com ela para um novo destino…



Quando o Sistema Solar regressa à sua posição original no universo einsteiniano em 17 de janeiro de 1470 do Novo Calendário Galáctico (NCG), os terranos descobrem que ocorreu uma dilatação temporal de 33 anos, e, dessa forma, na Via Láctea se registra o ano 1503 NCG. Porém, o sistema voltou sem a Lua, que, por algum motivo desconhecido, desapareceu durante o transporte. Isso causa grandes distúrbios gravitacionais e ecológicos na Terra.

Em 1512 NCG, a Lua retorna subitamente à sua órbita original, porém os terranos percebem que ela está muito modificada: uma “tecnotrama” verde cobre completamente sua superfície, e um campo repulsor impede a aproximação de qualquer objeto. O rato-castor Gucky tenta teleportar-se para a Lua, porém é arremessado violentamente de volta e entra em coma. Quando finalmente desperta, dois anos depois, ele descobre que adquiriu paracapacidades totalmente novas, que, contudo, ameaçam sair de controle. Ele se tornou um “psicovampiro”, um mutante que consegue absorver as paracapacidades de outros mutantes, que, entretanto, não sobrevivem ao processo.

A Rede Polyport, cujas estações na Via Láctea estavam sendo reivindicadas pela Nova Tamânia, formada por centenas de colônias tefrodenses situadas no setor oriental da Galáxia, começa a apresentar estranhas oscilações e interferências, e descobre-se que seres originários de uma época situada cinco bilhões de anos no futuro estavam interferindo em seu funcionamento. Para garantir a segurança da Galáxia, Rhodan desativa toda a Rede Polyport, o que interrompe totalmente o comércio entre as doze galáxias que faziam parte da Rede.

Em 1514 NCG, a STARDIVER, uma nave comandada por Perry Rhodan e equipada com um novo tipo de propulsor que permite entradas e saídas extremamente precisas do hiperespaço, consegue pousar na Lua. Lá ele encontra-se com os onriones, seres humanoides a serviço de uma organização chamada Tribunal Atópico. Pouco tempo depois, esse tribunal demonstra todo o seu poder: os juízes atópicos Chuv e Matan Addaru Dannoer acusam Perry Rhodan e Gaumarol da Bostich de serem dois dos três responsáveis pela “Ecpirose de GA-Yomaad”, a aniquilação da Via Láctea, que deve ocorrer num futuro próximo. Durante o julgamento a testemunha principal de acusação é Julian Tifflor, um dos mais antigos colaboradores de Perry Rhodan. Todo o processo dura apenas algumas horas, e os dois acusados são declarados culpados, sendo condenados a um banimento de 500 anos para um “mundo escuro” dos onriones. Durante o julgamento, Rhodan percebe que o Tribunal Atópico não estava interessado em justiça, e sim em proteger sua própria existência. Os terranos também descobrem que o corpo do juiz atópico Matan Addaru Dannoer era apenas uma projeção material de outro ser, o que o tornava imune a qualquer tipo de ataque.

Pouco a pouco, os atopes e seus ajudantes (os onriones, os transmorfos jajs, os “tecnólogos” tolocestes e os tesquires, propagandistas do Tribunal) acabam com toda a resistência dos povos da Via Láctea: a nave JÚLIO VERNE cai numa armadilha dos onriones e é destruída, os voos interestelares são severamente limitados, a United Stars Organization (USO) é declarada uma organização terrorista, e o Império Arcônida é desmantelado. O sistema Árcon é abandonado pelos arcônidas e entregue pelo Tribunal aos seus habitantes originais, os naats. No longo prazo, a Via Láctea será dividida em esferas de influência, os chamados “domínios”, que impõem limites severos aos voos interplanetários e interestelares. O objetivo final do Tribunal é pacificar completamente a Galáxia, o que eliminará qualquer possibilidade de a Ecpirose se tornar realidade.

A USO e a LTL (Liga dos Terranos Livres) trabalham, em conjunto com vários outros povos e organizações, contra o Tribunal. Eles correm contra o tempo para encontrar uma defesa contra a principal arma do inimigo, os torpedos lineares, que dão ao Tribunal uma vantagem estratégica decisiva. Os terranos também descobrem que os onriones possuem dezenas de gigantescas bases escondidas no hiperespaço, o que explica a rapidez com a qual eles conseguem enviar simultaneamente gigantescas frotas para diversos pontos da Via Láctea.

Contudo, nem todos se colocam contra o Tribunal: alguns povos, como os tefrodenses, os apoiam abertamente. Seu líder é o ambicioso Vetris-Molaud, que vê a si próprio como o verdadeiro sucessor de Perry Rhodan. Ele recebe um ativador celular do Tribunal Atópico e aumenta cada vez mais seu poder ao longo dos anos, chegando inclusive a adotar o título de “Maghan”, o mesmo que era usado pelos senhores da galáxia. Seus dois maiores colaboradores são seu próprio Exército de Mutantes, que ele usa de forma inescrupulosa, e a misteriosa “reencarnação” de um senhor da galáxia esquecido, o Fator IV original, Zeno Kortin, cuja consciência estava guardada de forma fragmentada em antigas estátuas.

Reginald Bull, o velho companheiro de Perry Rhodan, é enviado inesperadamente para a Cidade Onipresente, uma estranha cidade que se estende por milhares de planetas em centenas de galáxias e que é habitada por cientistas que estudam os artefatos deixados pelos cosmocratas e caotarcas. Um deles é um “selo” dos caotarcas, que impregna o ativador celular de Reginald Bull com uma “aura do caos”. Bull fica fascinado pela cidade, cujo nome original é Pha Gashapar, e decide tentar desvendar seus mistérios.

Devido à desativação da Rede Polyport e à destruição da JÚLIO VERNE, Homer G. Adams inicia em segredo a construção de uma nave da nova classe Supernova, que deverá ser enviada a uma galáxia distante para resgatar Perry Rhodan e Bostich. Esta nave, batizada com o nome do lendário mutante teleportador Ras Tschubai, possui 3.000 metros de diâmetro, centenas de naves auxiliares e várias tecnologias experimentais, como os conversores lineares do tipo Hawk V e o progressor hipertrans, um propulsor dimessexta totalmente adaptado às condições da hiperimpedância. A nave finalmente chega ao seu destino no início de 1517 NCG, após apenas algumas semanas de voo.

Perry Rhodan e Bostich conseguem fugir de sua prisão atópica e descobrem que se encontram na galáxia Larhatoon, a pátria dos lares, que se encontra há séculos sob as diretrizes do Ordo Atópico, a “paz forçada” dos atopes. Lá, eles fazem uma aliança com a resistência, liderada pelo lare Avestry-Pasik, e descobrem indícios de uma antiga conexão entre Larhatoon e a Via Láctea. Durante sua permanência em Larhatoon, eles se tornam testemunhas do cotidiano de uma galáxia cujo destino é influenciado há séculos pelo Tribunal Atópico. Nessa galáxia existe o Museu Contrafactual, que mostra aos seus visitantes o futuro sombrio de Larhatoon caso o Tribunal Atópico não tivesse chegado à galáxia e instituído o Ordo Atópico.

Em Larhatoon, Rhodan descobre que o Tribunal origina-se dos Domínios Intemporais, uma área do Universo que só pode ser alcançada por uma nave de um juiz atópico que seja pilotada por alguém que já esteve além das fontes de matéria. Isso leva Rhodan a tomar a arriscada decisão de tentar capturar uma nave de um juiz atópico. Durante suas tentativas, ele acaba descobrindo que os dois juízes atópicos ativos em Larhatoon nasceram na própria galáxia, porém em épocas diferentes de um futuro distante. Ele também descobre a existência dos “cosmoglobos” do Tribunal Atópico, miniuniversos que possuem um ritmo temporal próprio e que formam a “Sincronia”, o único ponto de acesso aos Domínios Intemporais.

Perry Rhodan utiliza um artefato do Tribunal Atópico e consegue entrar em contato mental com uma entidade misteriosa, que parece ter conhecimento absoluto de tudo que já aconteceu e que ainda vai acontecer no Universo. A entidade percebe a presença de Rhodan e envia-lhe a seguinte mensagem: “Não tenha medo, tudo acabou de começar. Estamos nos Domínios Intemporais.” Ele percebe que a chave para desvendar os segredos do Tribunal Atópico talvez esteja nas Três Perguntas Fundamentais que os juízes atópicos tentam responder, que aparentemente são variações das Três Perguntas Fundamentais que a ordem dos cavaleiros das profundezas tentou responder durante milhões de anos:

  1. O que ocorre além do horizonte da Lei?
  2. Em qual lado do espelho da Criação se encontra o Indagador?
  3. A quem pertence o tempo?

Após o retorno de Rhodan e Bostich à Via Láctea, os terranos finalmente atingem seu objetivo: eles conquistam a nave do juiz Chuv, que passa a ser pilotada por Atlan.

Porém, a viagem pela “Sincronia” será uma missão arriscada, já que o Tribunal Atópico fará tudo que estiver ao seu alcance para evitar que seres do ano 1517 NCG cheguem aos Domínios Intemporais...

Veja abaixo os detalhes em nossos resumos!

Não há artigos nesta categoria. Se há subcategorias mostradas nesta página, elas podem conter artigos.

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.