Atlan 21 - Estação Final da Frota Fantasma

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Atlan21capa(144)

Ele é o resultado de uma experiência fracassada – mas ele quer sobreviver

Título Original: Endstation Geisterflotte

Autor: Ernst Vlcek

Tradutor: Augustus César

Revisor: Marcos Roberto

Artista da capa alemã: Johnny Bruck

Publicação na Alemanha: 08/07/1974

Publicação no Brasil: Abril/2014

Época: 18 a 20 prikur de 10.497 da Ark (8023 aC)

Local da ação: Setor Yagooson

Personagens principais: Ogh, Freemusch, Geltoschan, Aaltonar, Atlan da Gonozal

 

Resumo

Em Kraumon o androide ara Ogh não pode lidar completamente com a situação de que ele foi fabricado com a cópia da consciência skine do Príncipe de Cristal enquanto o Atlan real estiver no mundo de apoio. Ele desenvolve o plano de fugir de Kraumon e embarcar em um mundo estranho, numa nova vida. Como veículo de fuga, a própria POLVPRON torna-se disponível. De qualquer maneira, a liberdade de movimento de Ogh em Kraumon não é limitada. Não há precauções especiais de segurança.

Ogh é bem-sucedido em libertar o economista Freemusch de sua cela e se esgueirar com ele para bordo da POLVPRON. Ogh se apressa para a central de comando, onde opera o circuito de catástrofe. Resistindo e balançando a POLVPRON levanta voo e ganha altitude. Atlan convoca Ogh para retornar. Mas o androide mantém a sua opinião de que ao Príncipe de Cristal, por fim, não restará escolha a não ser matá-lo.

Uma transição leva a POLVPRON para 1.000 anos-luz de distância de Kraumon. Ogh informa Freemusch do seu próximo alvo. É o setor Yagooson, em que os arcônidas mantêm uma frota em manobras. Freemusch concorda. Ele exige que Ogh recupere os dados da posição de Kraumon nas memórias do computador de bordo, de modo que eles possam entregá-los ao comandante da frota. Assim, as espaçonaves teriam um objetivo real para as armas.

Ogh obedece a demanda, mas criptografa os dados com um código inventado ao acaso, para que eles não tenham nenhum valor para Freemusch. Ele também limpa os dados de posição durante o processo de criptografia da memória de forma irrevogável. Embora ele tenha fugido, Ogh não pensa nem por um segundo em prejudicar Atlan e seus seguidores.

A POLVPRON se materializa no sector Yagooson, no meio da barreira de artilharia da frota. Ogh emite por hiper-rádio o conhecido grito de socorro em toda a Via Láctea. Finalmente, o comando de manobra responde, e as espaçonaves suspendem o fogo para dar oportunidade a POLVPRON de sair da zona de perigo. Mas Ogh manobra a espaçonave danificada para uma nave dos stovgides. O ara pousa sobre a SPREGA OKT, que foi severamente afetada por um ataque. Dentro, ele encontra mortos e feridos. Ogh coloca seu traje espacial. Ele é desarmado por três astronautas com trajes protetores e levado para o centro de comando. Lá ele encontra o comandante Aaltonar e é informado das condições do setor Yagooson. Ogh está desapontado que os stovgides não são realmente capazes de dar abrigo a ele, e retorna a POLVPRON.

O almirante Geltoschan coloca as espaçonaves MACTIBA, ECCORE e SATTARDE sob o comando de Freemusch para recuperar a POLVPRON. A SATTARDE coloca as naves auxiliares, o dispositivo médico e outros equipamentos a bordo da SPREGA OKT para fazer a espaçonave novamente navegável e para ajudar a tripulação.

A POLVPRON é apanhada pela ECCORE. Freemusch dá ao almirante Geltoschan um comando: entrar em contato com Sofgart o Cego. O economista quer que o infame líder do kralasenes obtenha a informação que, sem dúvida, Ogh tem sobre os rebeldes de Kraumon. A vida do androide está em risco, porque as instalações de armazenamento da POLVPRON foram eliminadas por ele. Isso não vai ficar muito tempo escondido dos especialistas da ECCORE. Ogh resolve pegar o touro pelos chifres e ameaça Freemusch com um radiador energético. Ele força o economista a chamar o almirante Geltoschan e pedir-lhe para mudar a manobra de treinamento de fogo. Trata-se de oferecer um alvo real para o almirante, o planeta Kasseb.

Relutantemente Freemusch segue as instruções do androide. O almirante Geltoschan fica inicialmente surpreso com o comando, mas concorda, como o economista que está ameaçando acusar-lhe de insubordinação, o que poderia custar-lhe a cabeça. Após a execução das ordens Geltoschan quer informar a liderança da frota.

Com 20.000 naves de combate Geltoschan voa para Kasseb e bloqueia o planeta. Ele não deixa muito tempo para os stovgides deixarem este mundo. Após o prazo, as espaçonaves começam a disparar com todos os canhões. Atingem a superfície do planeta com raios energéticos e a transforma em lagos de rocha derretida. Misseis atingem e evocam nuvens de radioativas nas camadas altas da atmosfera. Em seguida, a frota cessa abruptamente o fogo. O almirante Geltoschan tinha informado o quartel-general da Frota Arcônida, contra as ordens de Freemusch, e recebido ordens para parar com essa loucura imediatamente. Para o planeta Kasseb, as ordens para cessar o ataque vêm tarde demais. A reação em cadeia atômica desencadeada pelo bombardeio atingiu o núcleo do planeta.

O almirante Geltoschan vai com quatro soldados da guarda para a cabine do economista, para prendê-lo. Agora é a hora para Ogh se envolver na ação. Ele se apresenta protetoramente na frente de Freemusch e explica ao almirante que não foi o economista que emitiu a ordem para atacar, mas ele, Ogh. Freemusch era seu prisioneiro, ele ia o matar imediatamente se Geltoschan não se curvasse às suas instruções. Arrogante Ogh, diz que este seria um grande golpe contra Orbanaschol.

Ogh exige uma nave auxiliar e passagem segura. Freemusch, ele vai levar com ele como moeda de troca. A fim de não pôr em perigo a vida do economista, o almirante Geltoschan concorda. O androide alcança incólume um hangar onde uma nave auxiliar esférica e uma equipe esta esperando por ele. Mas Ogh exige um rápido iate espacial em forma de torpedo e equipado com um poderoso propulsor de transição para que ele possa voar sozinho. Mesmo antes de Ogh poder deixar o hangar, ele intercepta uma mensagem de hiper-rádio do quartel-general militar de Árcon. Nesta mensagem, e dada ao almirante Geltoschan a ordem para destruir a espaçonave em fuga imediatamente, sem levar em conta a vida do economista. Mas as armas da ECCORE estão em silêncio, e Ogh chega a frota do naufrágio.

Pouco em frente à frota de sucata, cerca de 10.000 unidades da frota dos stovgides tomaram uma posição. Devido a essa frota o almirante Geltoschan renunciou a dar o comando de fogo, porque as espaçonaves dos stovgides estavam exatamente na linha de fogo. Os stovgides pedem a Ogh para parar a nave auxiliar. O ara dispara um tiro em direção a frota de sucata e corre para as espaçonaves dos stovgides, mas não sofre danos por causa do campo defensivo ligado. Ogh pretende provocar uma ação militar, no quem obteve êxito, porque os stovgides atiram de volta. Os arcônidas participam na escaramuça. As negociações diplomáticas entre as duas partes em breve acabam com a luta.

A pequena nave auxiliar recebe um golpe. Apenas unidades de emergência funcionam. Ogh e Freemusch colocam trajes espaciais. O economista drenou o oxigênio do traje de Ogh. Ao se aproximar de um grande naufrágio o ara quase perde a consciência. Ele abre o capacete e ofega pelo ar. Para piorar a situação o casco da espaçonave se rompe e o ar respirável começa a escapar. Ogh obtém um novo traje espacial, totalmente funcional. Freemusch desapareceu enquanto isso.

Ogh dispara no anteparo principal e secundário. Procurando pelo economista o ara penetra cada vez mais para o naufrágio. Freemusch se esgueira para cima de Ogh sob a proteção de um campo defletor. O ara o nota e empurra-se do chão com a ajuda dos conjuntos propulsores. No entanto, as energias emitidas pelos motores são absorvidas por espaços estreitos e unidades ovaladas da antiga tripulação. Os tiros energéticos da arma de Freemusch também são absorvidos. Através dessa energia de repente volta a gravidade, e as unidades residenciais começam a se mover novamente com velocidade absurda nas barras. Em um salão, Ogh ativa por um feixe de tiro energético uma variedade de robôs ovoides. Parece que mais e mais instalações do naufrágio voltam à vida.

Ogh se retira para a nave auxiliar. Ele desarmou algumas armadilhas instaladas por Freemusch. Quando o economista se moveu em direção a nave auxiliar, Ogh conduz energia nos sistemas do naufrágio. Escotilhas fecham e bloqueiam o corredor, onde Freemusch permanece. O economista fica temporariamente preso. Ogh deixa a nave auxiliar e chama o economista para um combate desarmado. Freemusch lança uma variedade de suportes de metal recortado no ara. Ogh retira-se para a nave auxiliar e guia a espaçonave para fora do naufrágio. Cerca de 50 espaçonaves de grande porte dos stovgides cercaram o grande naufrágio. As espaçonaves colocam os destroços sob fogo pesado. Ajustam o fogo em apenas um, assim como o alvo também de Freemusch não há mais nada. O comandante da ARILA faz contato por rádio com Ogh. Com os canhões ativados a espaçonave se aproxima da nave auxiliar.

Em Kraumon a ação que acontece no setor Yagooson foi acompanhada através da avaliação das mensagens de hiper-rádio recolhidas no setor. Atlan é atormentado por dores psíquicas. Semelhante a uma empatia, ele sente o sofrimento de sua cópia de consciência no corpo do androide ara. Quando a dor se foi, Atlan sabe que Ogh não está mais entre os vivos. Agora há apenas uma cópia da consciência do príncipe de cristal, cuidadosamente preservada na memória dos skines.

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir Email

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.