Atlan 22 - O Estranho

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Atlan22capa(146)

O Príncipe de Cristal sai em uma viagem exploratória – e rapta um bárbaro

Título Original: Der Fremde

Autor: H. G. Ewers

Tradutor: Augustus César

Revisor: Marcos Roberto

Artista da capa alemã: Johnny Bruck

Publicação na Alemanha: 22/07/1974

Publicação no Brasil: Agosto/2014

Época: 27 a 29 prikur de 10.497 da Ark (8023 aC)

Local da ação: Dargnis

Personagens principais: Atlan da Gonozal, Fartuloon, Corpkor, Chelao, Terphis Spa Zammont, Rá, Harun

 

Resumo

Em Kraumon a nova POLVPRON é preparada para voar. Um moorg mordiscava uma das colunas de pouso da espaçonave e teve de ser capturado por Corpkor com o apoio das membrillas. Só após o reparo a POLVPRON parte para capturar uma espaçonave maior para os rebeldes.

Com duas transições, a POLVPRON atinge um sol amarelo-avermelhado na borda da Via Láctea, que é utilizado pelos arcônidas como um ponto de navegação e de transição. Com as máquinas e os propulsores desativados, a POLVPRON fica em espera.

Depois de algumas horas uma flotilha, com cerca de 80 unidades pesadas, materializa-se nesta área. Até a localização passiva da POLVPRON pode identificar as espaçonaves claramente, elas despareceram novamente com outra transição.

Em um período de alguns dias podem ser localizadas várias frotas. Finalmente, o sensor estrutural registra uma única espaçonave. A POLVPRON começa a enviar sinais de socorro. Os sistemas de localização registram uma nave de pesquisa do Grande Império de 500 metros. Considerando que a espaçonave esférica se mantem passiva, Atlan, fingindo ser Arc Tronth, faz uma ligação de rádio e pede ajuda. De fato, responde Grahn Tionte, o comandante da KARRETON. Tionte se oferece para enviar uma equipe de técnicos até a POLVPRON para resolver o alegado dano no propulsor. Em seguida, Atlan, Fartuloon, Eiskralle, Morvoner Sprangk e Corpkor ficam esperando.

O mestre dos animais está preparando o seu exército para a sua tarefa. Os seis técnicos, que vêm a bordo da POLVPRON com uma pequena nave auxiliar, são paralisados. Atlan, Fartuloon, Eiskralle e Corpkor dirigem-se com a nave auxiliar em direção a KARRETON. O Mestre dos animais tem escondido em seu traje espacial cantores de sonho.

No hangar da KARRETON, Corpkor pode liberar os cantores de sonho que desaparecem nos poços do climatizador. Como a tripulação da espaçonave nota, os três desconhecidos se destacam no hangar, um alarme é disparado.

Sob a influência da música dos cantores de sonho, o comandante Tionte entra em clima de êxtase e recebe toda a tripulação na central de comando. Também Atlan e seus companheiros partem para lá. Na central de comando, os homens estão adormecidos nas poltronas anatômicas ou no chão. Acima deles paira a nuvem de cantores de sonho. Também Atlan ameaça submeter-se a sua influência. Corpkor executa alguns tons inaudíveis em uma pequena flauta. Os besouros cessam a sua música sedutora e desaparecem no traje espacial de seu mestre. Morvoner Sprangk envia um comando de abordagem da POLVPRON para a KARRETON. As duas espaçonaves saltam com uma breve transição para fora da zona relativamente de alto tráfego.

Atlan toma conhecimento dos detalhes sobre a missão de Grahn Tionte, que foi dada a ele diretamente pelo imperador Orbanaschol III. A KARRETON está a caminho para Dargnis no sistema Slohraeder. Lá, Terphis Spa Zammont comprou em um mercado de escravos um estranho misterioso que vem do terceiro planeta de um sol amarelo em uma ramificação da Via Láctea. Zammont fez um relatório sobre o estranho que foi enviado a Orbanaschol, o que levou o imperador a colocar a KARRETON em ação.

O Príncipe de Cristal deixa o comandante e sua equipe trancados em um compartimento de carga vazio. Uma vez que Orbanaschol também está em busca da Pedra Filosofal, e talvez seja por isso que têm tanto interesse no estranho, Atlan quer voar para Dargnis para se encontrar com o misterioso.

A POLVPRON retorna para Kraumon. Em Dargnis, Atlan aparece como Grahn Tionte. Em uma manobra de orientação na área de Hela Ariela, a KARRETON é atingida por impulsos de localização. A Skarg de Fartuloon começa a pulsar e brilhar. O alarme é emitido a partir do console de comando. Corpkor assume temporariamente o comando na KARRETON enquanto Atlan e Fartuloon vão apressadamente para a casa de máquinas.

Lá eles encontram três seres parecidos com gnomos que se materializam de repente. Os anões de pele verde usam capas e cartolas azuis. Os olhos são grandes e vermelhos. Atlan comporta-se como se estivesse indiferente. Fartuloon se lança sobre os três anões. A Skarg corta o corpo como manteiga. Com três explosões silenciosas, as assombrações se desfazem. Também Atlan está totalmente capaz novamente. O alarme é cancelado, e a viagem pode ser continuada.

Depois de duas transições, a KARRETON voa no sistema Slohraeder. A espaçonave pousa no espaçoporto Dhor Muang em Dargnis.

Atlan, Fartuloon e Corpkor são escoltados por planadores para Teaultokan no meio do Lago Swatchon. Os amigos são acompanhados por Chelao. Terphis Spa Zammont recebe Atlan, vulgo Grahn Tionte, Fartuloon, vulgo Mysitch, Corpkor e Chelao com honras militares. Uma delegação naat é acionada. Na recepção seguinte, no salão de audiências oficial do Teaultokan, o bárbaro Rá e apresentado para os amigos. Terphis Spa Zammont não parecem concordar que o estranho seja levado na KARRETON para o Mundo de Cristal. O Mantenedor do Estado tenta minimizar a importância de Rá e oferece, em vez do bárbaro primitivo, um de seus escravos. Mas Atlan rejeita, com a sugestão de que a decepção do imperador possivelmente seria fatal para ele. Chateado, Zammont promete a transferência do bárbaro para a manhã seguinte.

Depois de um excelente café da manhã, Zammont pessoalmente entrega a notícia da fuga do bárbaro. O Mantenedor do Estado promete a recaptura de Rá e que o enviará na próxima espaçonave para Árcon. A partida da KARRETON não deveria ser retardada por esse assunto, em qualquer caso. Mas Atlan não tem intenção de deixar o planeta sem Rá.

Fartuloon recebe ordens para conversar com Terphis Spa Zammont para distrair ele em relação a Atlan, Corpkor e Chelao.

Estes três percorrem Teaultokan em busca do bárbaro. Em um salão em que um número de plantas e animais fossilizados são mantidos – um passatempo do Mantenedor do Estado – Atlan e Corpkor veem o chamado núcleo de pedra de cerca de dez metros de altura, uma criatura humanoide com um único olho na testa. Absorto na visão do ciclope, Atlan nota no último momento, como um ladrão tenta puxar o cartão de identificação de Tionte de um bolso exterior do seu traje espacial. O nome do menino, que ganha a vida como ladrão, é Harun. Atlan, que fica impressionado com o comportamento de alerta inteligente do rapaz, o convida para se juntar a ele na KARRETON. Harun arde de entusiasmo por esta oferta. Ele reconheceu há muito tempo que Chelao não é arcônida. Ele também está bem informado sobre o paradeiro de Rá.

Mas diante da porta para Lelia, uma das concubinas do Mantenedor do Estado, os companheiros são surpreendidos e presos por três homens da guarda do palácio. O corpo de Chelao se solta sem ser percebido pelos guardas um número de insetos que voam em torno dos guardas e os picam. Finalmente, eles caem inconscientes no chão. Os insetos se reintegram em Chelao.

Atlan corre até a porta de Lelia e quer entrar. A concubina recusa e o Príncipe de Cristal é forçado com uma chave de impulsos de propriedade de Harun a abrir a fechadura. Mas Rá não está mais no apartamento da mulher. Harun descobriu um espelho, que esconde uma passagem secreta. Uma escada leva cerca de 300 metros para baixo a um lago subterrâneo. Harun, que correu na frente, está inconsciente na água. Atlan puxa-o para terra e começa o ressuscitamento. Quando Harun abre novamente os olhos, ele expressa a suspeita de que Rá foi levado de barco até a ilha Forghan. Os amigos continuam a perseguição com uma canoa.

Antes da ilha, Atlan, Corpkor e Harun deixam a canoa e nadam até a costa para evitar o equipamento de vigilância de infravermelho. Chelao permanece no barco que deveria atracar na costa. O barco é abatido pelas guarnições de vigilância da ilha Forghan. Na costa, estão equipes de busca com robôs de combate apoiando seus movimentos.

Os ims, que representavam uma grande parte de Chelao, estão na ilha a caminho para procurar Rá. Eles apresentam um relatório a Corpkor de que Rá está em uma fortaleza em uma colina no centro da ilha. Mas eles não podem entrar no prédio, pois é protegida por um escudo de energia. Agora era a vez das serpentes diabólicas.

Os companheiros começam a se mover em direção a cidadela. Eles passam por um olho do demônio vermelho. Para Corpkor é possível interagir com a água-viva gigante, Loorna, através de uma ligação de rádio e fazer com que o animal possa ajudá-los em sua busca por Rá. Loorna se dissolve num balão medindo cerca de cinco metros, com pele fina e flutua para o centro da ilha.

Logo, Atlan, Corpkor e Harun alcançam a fortaleza de Zammont, que fica numa montanha com cerca de 200 metros de altura. Três serpentes diabólicas entraram no enorme edifício cinzento escuro. No entanto, por uma radiação desconhecida, são paralisadas em sua atividade. Agora o balão Loorna entra em ação. Ele se posiciona na cidadela e começa a envolvê-la com luzes coloridas. O campo de energia entra em colapso e permite que os ims e os companheiros penetrem no edifício. Depois do trabalho, o balão reduz ao tamanho de um punho e dirige-se em direção ao lago.

Os três companheiros olham através de grandes fendas e rachaduras nas paredes da fortaleza, bem como projetos carbonizados dos campos defensivos e canhões de radiações. Eles mergulham dentro da cidadela, enquanto diante da fortaleza estão tropas terrestres de naats e arcônidas.

Dois naats localizam os três amigos e lhes pedem respeitosamente para virem junto com eles. Sua relutância em agir contra arcônidas puro-sangue, o povo governante do Grande Império, dá tempo suficiente a uma serpente diabólica para levar a cabo um ataque contra os dois naats. Eles são envolvidos pela serpente e incapacitados com um nevoeiro amarelo com aroma de especiarias exóticas.

Os ims levam a Corpkor a notícia de que eles tinham encontrado Rá. Ele está detido no labirinto de vidro. Na cidadela, prevalece o caos já que as guarnições de vigilância, aparentemente, não têm instruções do Mantenedor do Estado e parecem não saber o que eles realmente têm que fazer. Atlan deixa escapar a observação de que o silêncio de Zammont provavelmente é por causa de Fartuloon. Harun se assusta porque Fartuloon, o cirurgião é para ele um nome familiar. Assim, o menino muito inteligente diz que o suposto comandante Grahn Tionte é na realidade o Príncipe de Cristal Atlan.

Quando eles vão para o labirinto de cristal, Rá já vem encontrá-los. É que o bárbaro conseguiu encontrar uma maneira de sair da sua prisão. Silenciosamente, ele olha para Atlan e segue sem hesitação o Príncipe de Cristal. No caminho de volta, eles encontram uma aparição fantasmagórica de gases cinza pálido que tenta replicar a forma de um arcônida. Um dos membrillas tentou envolver a aparição, mas recua lamentando, como se tivesse sido atingido por um forte choque elétrico. A pele está com protuberâncias pretas na parte inferior. O radiador energético também não tem nenhum efeito. Sob um riso horrível, a estrutura de nevoeiro se transformada em uma estátua petrificada de material estável, que passa pelos amigos. Ela vira em um corredor, e um grito de morte agonizante passa através da passagem. Atlan corre ao redor da curva e é testemunha ocular de como a estátua quebra o pescoço dos dois naats que foram incapacitados pela serpente diabólica. O Príncipe de Cristal dispara na estátua, mas o raio energético é transformado em uma nuvem de cristal cintilante, antes que ele atinja a estrutura. A estátua agora se opõe a Atlan. Os olhos da estrutura são transformados em pontos brilhantes. Mesmo antes que ele possa tomar medidas contra o Príncipe de Cristal, aparecem dois robôs de formato estranho, que atiram na estátua através de cones de energia projetados em seus braços. O brilho dos olhos desaparece, e a estátua é envolvida pelos dois robôs com campos de imobilização.

Os companheiros chegam ao ar livre com Rá. Mesmo antes das guarnições de vigilância poderem intervir com os planadores, eles são incapacitados por cantores dos sonhos e colocados fora de ação. Atlan, Corpkor, Harun e Rá sobem em um dos veículos. Os insetos têm sucesso novamente, Chelao também vai a bordo do planador. No entanto, esta menor do que originalmente como resultado das perdas incorridas e já não se desloca de forma tão suave. Atlan comete o erro de subir com o planador através do banco de nevoeiro no ar. O propulsor e os controles falham. Quando o veículo está imerso novamente no nevoeiro, um dispositivo de emergência é acionado. O controle, no entanto, ainda se recusava a funcionar. Em uma descida lenta o planador acaba no meio de um lago e ameaça afundar. Os amigos se apressam para sair do veículo e nadam até a costa. Uma marcha árdua através da área de pântano com objetivo a cidadela parece iminente. Mas Corpkor pode colocar um dinossauro sob seu controle. O animal transporta os amigos em suas costas através do pântano.

Logo depois, eles encontram um comando de investigação robótico e atacam as máquinas com radiadores pesados. Os robôs conduzem os companheiros para um destino específico. Lá, três arcônidas e 21 quadroos esperam pelo pequeno grupo. Harun é levantado no ar por um voador gigante, que ele se referia como um velho amigo, e voa para longe. Antes que eles possam vir a enfrentar os quadroos, um barco suntuosamente equipado aparece na costa da ilha Forghan. A bordo estão Terphis Kur Zammont e Fartuloon. Ambos os homens estão bêbados, abraçados e cantando canções de viajantes espaciais. Fartuloon apresenta a ação de Atlan na ilha como uma busca por Rá concluída com êxito. O perigo parece ser evitado. Atlan, Corpkor e Chelao embarcam a bordo de um planador, que os leva de volta para Teaultokan. De repente, uma mensagem de rádio estronda através dos alto-falantes. Um ex-kralasene, que executa suas funções na guarda do palácio, acredita ter reconhecido o cirurgião Fartuloon em Mysitch. Mas Zammont na entende muito bem devido ao seu estado debilitado. Atlan muda de curso e agora voa adiante para Dhor Muong. Eiskralle é instruído a preparar tudo para uma fuga rápida. Os amigos entram na KARRETON. Minutos depois os propulsores de impulsos da espaçonave rugem impulsionando a espaçonave para o espaço sideral. O fogo das estações de solo é defendido pelos campos defensivos da KARRETON. No entanto, quando um forte de defesa espacial interfere na batalha, com seus canhões pesados, a situação torna-se ameaçadora. Com uma transição de emergência a KARRETON se salva no hiperespaço.

Rá ainda não deu uma palavra. Atlan espera desvendar o seu mistério e se aproximar da Pedra Filosofal.

Nota: Na história não é explicado que o termo "Spa" no nome do Mantenedor do Estado é um título, que Terphis Zammont carrega, mas é tratado como parte do nome.

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir