PR0134 - Os Canhões de Everblack

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

PRBR 0134

E o destino se decide num mundo sem luz, situado no intercosmo, numa profundidade de 118.000 anos luz!...

Título Original: Die Kanonen von Everblack

Autor: K. H. Scheer

Tradutor: Richard Paul Neto

Artista da capa alemã: Johnny Bruck

Publicação na Alemanha: 27/03/1964

Publicação no Brasil: 1979

Época: fevereiro de 2113

Local da ação: Espaço, Everblack

Personagens principais: Atlan, Harlek, Perry Rhodan, major Fielpan, dr. Anztan, Gucky, major Atlig

Resumo

Perry Rhodan, Atlan e todos os membros de sua equipe permanecem no satélite de detecção terrana Maso-VI posicionado no espaço intergaláctico. Uma transição traz de volta o cruzador WROCLAW seriamente danificado. O comandante deste cruzador descobriu um mundo escuro que serve como base para os pos-bis e deu-lhe o nome de Everblack. A base pos-bi parece ter ignorado a espaçonave que fez esse contato direto com eles.

A TEODORICO parte para o planeta Everblack. Uma gazela é lançada com uma equipe de comando a bordo sob o comando do major Tuner. Perry Rhodan e seus homens também estão a bordo. A gazela é afetada fortemente pelas ondas de choque do tráfego muito pesado, motivo também para o grave dano sofrido pela WROCLAW. A gazela é evacuada e só Rhodan, Dr. Anztan, Gucky e Atlan sobrevivem. À deriva no espaço, eles enviam uma mensagem a TEODORICO.

A nave capitânia chega, mas acaba por se retirar após sofrer uma série de ataques e o último transmissor fictício é destruído no processo. Rhodan então ordena que a décima quarta frota entre em ação. Os quatro sobreviventes pousam no planeta que é coberto inteiramente com instalações técnicas. Depois de conseguir fugir das garras dos robôs ao fazer-se passar por não-orgânicos, eles usam as armas narcóticas provocando o caos entre os pos-bis. Eles então descobrem que as cúpulas abrigam os protoplasmas e que os pos-bis possuem duas unidades básicas de comando, as formações celulares de pensamento - o protoplasma propriamente dito - e um gigantesco cérebro positrônico. Ao usar as armas narcóticas, Rhodan e seus companheiros paralisam o protoplasma, deixando todo o controle para os elementos positrônicos.

Rhodan e seus companheiros são resgatados pelo cruzador ligeiro LONDON e se abalam quando recebem a terrível notícia da destruição do transmissor fictício. Apesar disso, eles descobriram que nem todos os pos-bis são homogêneos e que existem algumas divergências internas entre os robôs e o cérebro eletrônico podendo ser exploradas pelos terranos e arcônidas. Contudo, a Via Láctea ainda corre perigo.

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir