PR0135 - Sentinelas da Solidão

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

PRBR 0135

O momento é de união galáctica. Mas os aconenses traem os terranos...

Título Original: Wächter in der Einsamkeit

Autor: Clark Darlton

Tradutor: S. Pereira Magalhães

Artista da capa alemã: Johnny Bruck

Publicação na Alemanha: 03/04/1964

Publicação no Brasil: 1979

Época: fevereiro de 2113

Local da ação: M-S-13, planeta sem nome (Mundo Escuro), Salorat, TEODORICO

Personagens principais: major Glenn Henderson, capitão Morath, Perry Rhodan, Harno, Reginald Bull, Gucky, Helos de Las Toór

Resumo

Várias estações espaciais foram espalhadas na fronteira galáctica onde algumas missões de reconhecimento acontecem constantemente. Em uma delas, a gazela da estação SM-13 comandada pelo capitão Morten aterrissa em um planeta desabitado e a tripulação descobre os restos de uma antiga civilização. Tudo o que sobrou da superfície da atmosfera está coberto de neve com exceção de uma estação provida de uma antena. Esta estação era uma das construções dos pos-bis. Depois de um breve confronto com os robôs, a estação é destruída e a gazela parte de volta a sua estação espacial.

A TEODORICO chega com vários telepatas e trinta antis a bordo. Os telepatas unem-se em um bloqueio parapsicológico reforçada pelos sacerdotes de Baalol tentando entrar em contato com Harno, a misteriosa esfera televisiva. Os seus esforços são recompensados ao final de uma semana e o ser esférico materializa-se diante deles com Rhodan pedindo sua ajuda após a destruição do último transmissor fictício na aventura anterior. Harno mostra um planeta atacado pelos pos-bis que posteriormente habitam toda a superfície. Sua identidade e sua posição é desconhecida mas está localizada no centro da Via Láctea. Os habitantes lembram muito os aconenses e como resultado disso a TEODORICO parte para Esfinge.

Perry Rhodan pede ao Grande Conselho de Ácon as coordenadas do planeta, mas os aconenses se recusam a entregá-las. Finalmente, ao saber do perigo representado pelos pos-bis, os aconenses abrem um transmissor de matéria para o planeta Salor, enquanto oculta as coordenadas dos terranos. Apenas cem unidades e cinco mil homens podem passar através do transmissor. Mal eles haviam chegado em Salor e o transmissor acabou selado pelos traiçoeiros aconenses, deixando Rhodan e seus companheiros a própria sorte.

Enquanto os terranos atacam os pos-bis, uma mensagem é enviada para pedir ajuda a frota arcônida comandada por Atlan. Por um breve momento, os terranos conseguem capturar uma espaçonave fragmentária dos pos-bis, mas acaba se autodestruindo. Assim que a situação chega num desesperado impasse, a frota de Atlan chega e põe fim ao ataque maciço dos pos-bis. O transmissor os traz de volta a espaçonave e três aconenses exigem a retirada imediata dos terranos de seu sistema. Gucky envia sem cerimônia os três aconenses de volta pelo transmissor de onde vieram não sem antes puni-los duramente pela sua pérfida traição.

Harno então parte de volta a seu universo prometendo voltar um dia para ajudar Rhodan. Ele e Atlan se encontram, em uma complicada situação nos seus respectivos impérios, cercados de inimigos. Como se já não bastasse os pos-bis e suas poderosas naves fragmentárias, ainda precisam ter de lidar com os traiçoeiros aconenses pela retaguarda. E enquanto isso, os laurins esperam o momento certo para atacar todos os três lados deste equilibrado jogo de xadrez cujo tabuleiro é a Via Láctea. Quem irá vencer esse jogo?

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir