PR0148 - Salto no Intercosmo

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

PRBR 0148

Os homens atravessam o abismo do espaço e do tempo, e atingem o Mundo dos Duzentos Sóis...

Título Original: Sprung in den Interkosmos

Autor: Kurt Brand

Tradutor: Richard Paul Neto

Artista da capa alemã: Johnny Bruck

Publicação na Alemanha: 03/07/1964

Publicação no Brasil: 1979

Época: 2114

Local da ação: Frago, Mundo dos Duzentos Sóis (mais tarde, Mundo dos Cem Sóis)

Personagens principais: Atlan, Van Moders, Luigi Telarini, John Marshall, Brazo Alkher, Willy

Resumo

A Companhia Ferguson e Ferguson concluem um negócio com o Império Solar onde a fábrica compromete-se a produzir supercondutores necessários para a produção em massa dos visores antiflex que permitem a localização dos laurins. Uma licença é concedida pelo Império Solar para que a produção ocorra em outros locais.

Nas bordas da Via Láctea, a estação de vigilância Globe-18 procura a localização exata do Mundo dos Duzentos Sóis. Em julho do ano de 2114, eles detectam a chegada de naves pos-bis que são perseguidas implacavelmente pelas naves dos laurins. As naves fragmentárias fogem da luta, o que denota ser um comportamento anormal dos robôs.

A nave terrana SOSATA dirige-se a Frago para um voo de reconhecimento. O planeta se transformou em um verdadeiro cogumelo atômico devido à luta ferrenha entre os robôs pos-bis leais ao protoplasma central e os robôs pos-bis leais a hiperimpotrônica. Cinco naves laurins aparecem repentinamente, tentando destruir uma das naves fragmentárias com a SOSATA ajudando a nave pos-bi a fugir, destruindo todas as cinco naves dos laurins no processo.

Uma mensagem é recebida do protoplasma central pedindo a ajuda da verdadeira vida e os terranos respondem ao chamado mandando algumas naves a Frago. A frota de naves agrupadas em torno da TEODORICO parte para Frago e assim que chegam ao planeta, eles já enfrentam algumas naves dos laurins. Duas naves fragmentárias dos pos-bis concordam em embarcar uma equipe de comandos terrana para levá-los ao Mundo dos Duzentos Sóis. Três mil homens embarcam em cada uma das duas naves, com destino para lá. Nesse meio tempo, uma luta começa contra outras naves pos-bis ainda fiéis a hiperimpotrônica. Quando chegam ao mundo principal dos pos-bis, o contato é estabelecido com o protoplasma central após várias tentativas infrutíferas.

A X-1 e a GAUSS seguem as naves pos-bis ao Mundo dos Duzentos Sóis. Uma vez lá, a GAUSS posiciona-se um ano-luz do Mundo dos Duzentos Sóis e envia um sinal de localização. A X-1 aterrissa no planeta e o protoplasma central informa aos terranos que a hiperimpotrônica corta seus alimentos e oxigênio obrigando-o a lutar incessantemente batalhas contra os robôs controlados pela hiperimpotrônica. No entanto, são bem-sucedidos no restabelecimento do alimento e oxigênio para o protoplasma central.

O protoplasma central então toma o controle dos robôs das mãos da hiperimpotrônica e as batalhas cessam na superfície do Mundo dos Duzentos Sóis. Porém, o controle do plasma é ainda instável.

Infelizmente, guiados pelos sinais de localização da GAUSS, uma frota dos laurins aparece e ataca o Mundo dos Duzentos Sóis. A aliança entre terranos e pos-bis foi feita em um momento oportuno e ambos agora precisam usar todas as forças possíveis para resistir ao ataque avassalador dos laurins. A batalha decisiva está prestes a começar e o destino da Via-Láctea está em jogo.

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir