PRNeo0094 - Asseclas da Aliança

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

c neo94

Apenas Callibso, o marionetista, pode salvar a Humanidade

Título Original: Schergen der Allianz

Autor: Rüdiger Schäfer

Tradutor: Marcel Vilela de Lima

Artista da capa alemã: Dirk Schulz / Horst Gotta

Publicação na Alemanha: 24/04/2015

Publicação no Brasil: Março de 2018

Época: Meados de Janeiro do ano de 2038

Local da ação: Kedhassan, Terra

Resumo

Encontro em Kedhassan

Perry Rhodan retoma o seu verdadeiro objetivo. Junto com o mutante terrano Ras Tschubai, a ara Leyle e Jenny Whitman, alias Sannasu, a marionete de Callibso, ele novamente parte para Derogwanien. Ali, ele quer encontrar respostas à questão do papel da Humanidade e o seu próprio na Luta das forças universais. Reginald Bull o acompanha ao transmissor, ao qual são levados pela INNESAY. O amigo de Rhodan deve ficar no Sistema Solar. Ele deve manter um olho nos homens das estrelas, cujos ramos orristan e errkarem são inimigos. Apenas a tarefa comum que o Eterno Adormecido, Asskor Tavirr, lhe impingiu garante uma paz frágil. Por outro lado, Reginald Bull deve se dedicar ao recém-descoberto planeta escuro Vulcano. Ali está a porta de entrada para o Mundo Oculto. Segundo os mitos dos homens das estrelas, um lugar onde recursos de poder inimagináveis estão escondidos. No entanto, o acesso a eles é negado aos quentianenses, embora estes tenham sido considerados dignos.

Quatro dias após a partida de Ettves, o mundo central errkarem, os dois terranos, a ara e a marionete chegam ao transmissor. Ele está escondido em um fragmento de rocha no cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter, coberto por uma camada de halaton. O cinturão de asteroides é formado pelas ruínas do Mundo Destruído pelos homens das estrelas, ou Phaeton, como ele é chamado pelos astrônomos da Terra. Perry e seus companheiros têm uma surpresa desagradável. Eles não chegam a Derogwanien, como esperavam, mas às catacumbas da Cidade Brilhante em Kedhassan. A situação é mais difícil porque o transmissor resiste a qualquer tentativa de Sannasu para reprogramação. Ras Tschubai também não tem nada de bom para anunciar. O auscultador ouve que os quatro não estão sozinhos no meio planeta. Além disso, estes estão a caminho deles. Eles não têm opção senão destruir o transmissor e sair dali. Os trajes de combate recobertos por halaton prestam bons serviços. Até mesmo o ênteron, companheiro constante e valioso de Rhodan, o recebeu e escapa da localização dos estranhos que avançam. Por enquanto em segurança e esgotada pela fuga, Sannasu não consegue ocultar seu desapontamento pela falha do transmissor. Ela dá mais informações sobre a Luta. Callibso está isolado na Luta. Ela conta sobre uma discussão entre ele e Ernst Ellert: apesar de perseguirem o mesmo objetivo, eles estão em desacordo sobre a forma. Perry Rhodan fica chocado pelas revelações de Sannasu. Enquanto isso, o ênteron examina o lugar e traz uma surpresa. Acima deles, na Cidade Brilhante, Charron da Gonozal está em fuga.

Ostai Irwar Acherot Serom é o comandante da ENGARAS. Pranav Ketar ordenou que a nave anelar da Aliança ficasse em órbita de Kedhassan. Durante dois anos, a vida do ramani e dos wotoks foi irritante e sem intercorrências. Só uma vez fizeram prisioneiros. O arcônida Charron da Gonozal e o enigmático xisrape Denurion. Com o inquieto Denurion, Ostai passa o tempo percorrendo a semidestruída e abandonada Cidade Brilhante. Na última dessas viagens, o ser de plasma se assusta e, com medo e trêmulo, fala de sombras flutuantes. Mais tarde, Ostai vê o fantasma de um humanoide, cintilante e fugaz. Mas então a espada-mãe dos seus soldados espaciais o chama. Seruste mediu o eco de energia de um transmissor. Mais localizações não podem ser feitas. Os wotoks não encontram nem aqueles que vieram através do transmissor nem o transmissor intacto. Ele foi destruído. O ramani dá ordem para recuar. Ele quer atrair os visitantes com uma isca. Ele deixa Charron da Gonozal fugir. Algumas explosões de poeira e um reflexo da luz é tudo que Ostai vê. Seu prisioneiro Charron da Gonozal é engolido pela terra.

O ênteron aparece e envolve da Gonozal. A operação de resgate funciona. Um tanto irritado, o arcônida relata sua captura. Ele estava procurando por Orcast XXII, que foi atacado em Kedhassan pelo futuro Regente. Com o xisrape Denurion e sua assistente, agora morta, Tira, ele pousou ali com a TAI’GONOZAL e caiu em poder dos lagartos. Então o grupo tem de tomar uma nave para poder deixar Kedhassan. Como tática de dispersão, o grupo se divide. Enquanto Rhodan e o ênteron tentam entrar na nave de vigilância ENGARAS, Ras Tschubai, Leyle, Sannasu e Charron da Gonozal fingem um ataque à TAI’GONOZAL. O plano falha e Leyle é capturada. Rhodan tem de fugir com os outros, mas sem o ênteron, que já tinha penetrado na nave da Aliança. Os adversários estão bem em seus calcanhares quando Ernst Ellert aparece. Ele lidera o pequeno grupo até a fonte do tempo no meio dos salões subplanetários de Kedhassan.

Os pensamentos do ramani Ostai Irwar Acherot Serom estão tensos. O prisioneiro da Gonozal desapareceu. Denurion, o xisrape, já não é visível. O comandante da ENGARAS encontra Denurion em um pavilhão no subsolo do planeta. Nos restos de uma pequena versão da sala do trono do Palácio de Cristal em Árcon I, está a múmia do ex-imperador Orcast XXII. Que sobreviveu por um tempo depois que foi deixado para trás por Herak da Masgar e criou um pequeno ambiente íntimo. Denurion só se deixa convencer por Ostai a se afastar desse lugar quando ele promete um enterro honroso e razoável ao arcônida.

Jogo dos arcônidas

Satrak, Zelador do Protetorado Larsaf III, assiste ao julgamento de Asech Kelange. Os terranos acusam o jovem arcônida de matar sua amante terrana, Aurora Freeman. Os tumultos violentos na Terra fizeram o istrahirano Satrak entregar Kelange para a jurisdição terrestre, para preservar a paz. Isso também causa a desaprovação dos arcônidas e especialmente de seu inimigo, o reekha Chetzkel. Satrak vê o problema mais como uma possível vantagem. Apenas a pena de morte, ele pensa, pode impedir o ressurgimento da agitação, e Chetzkel ainda seria sujeito a um processo curto. Assim, por meio de sua assistente artificial Aito, ele fornece provas irrefutáveis da culpa de Kelange. Ele sacrifica o jovem no campo político. Como o Zelador esperava, Asech Kelange é condenado à morte. Pois ficou claro que ele é culpado. Durante o processo, Jemmico entrega para Satrak seu relatório sobre o tarkanchar descoberto em Meren’Larsaf, informando que a Imperatriz Emthon V esteve em contato com ele. Ela considera que Larsaf é decisivo em um possível conflito com os metanitas. O relatório de Jemmico também inclui uma conversa com Kosol ter Niidar. Ele descreve o ocorrido no sistema desde o ataque metanita há 10 mil anos. Jemmico também compartilha sua suspeita de que existe uma arma no antigo Refúgio de Vênus. Quando Satrak quer conversar com a consciência do arquiteto ter Niidar, o tarkanchar se autodestrói. Chetzkel, comandante-em-chefe da frota do Protetorado Larsaf, obtém aprovação para a destruição da frota terrana. Sabur, o médico da AGEDEN, conseguiu encontrar indicações sobre o paradeiro da frota foragida através do conteúdo estomacal de dois naats mortos. O Zelador concorda e, em seguida, contata Ark’Thektran em Árcon III. Ele quer denunciar as atitudes de seu mais graduado oficial. O vere’athor Perom da Camur, que recebe o chamado de Satrak, diz que Chetzkel também prestou conta dele, não deixando dúvidas de em quem dos dois ele acredita, mas, de repente, a ligação é cortada. Os retransmissores 14 e 15 da cadeia de relés de hipercomunicação deixaram de funcionar. Aparentemente ocorreu uma nova sabotagem. Aito diz ao Zelador que a frota do Protetorado partiu. Satrak, agora tem nova esperança. O processo corre como ele pretende: o sistema Larsaf tem alguma importância e Chetzkel está longe da Terra, mas não sem uma nave capitânia preparada por Aito.

Jemmico apresenta seu relato sobre Meren’Larsaf e Kosol ter Niidar para Satrak, mas se assegura que o tarkanchar seja destruído. Ele não menciona o gigante adormecido, que estava na antiga estação Terrânia Orbital, e agora se encontra no escritório do Coordenador para a Segurança da União Terrana. O ara Phiaster deve investigá-lo e, se possível, acordá-lo. Jemmico e Rilash ter Isom estão juntos quando ele consegue. O gigante desperta. Ele quebra todos os grilhões e examina os três. Eles não são os Primeiros, que ele esperava encontrar; e foge. Pouco depois, os tradutores vertem o rugido do gigante. Entre outras coisas, ter Isom filtra nomes próprios. Asskor Tavirr, halutense e Fancan Teik. Fancan Teik provavelmente é o nome da criatura que quebrou a parede do escritório de Homer G. Adams e depois desapareceu sem deixar vestígios. Com um pretexto, os dois celistas examinam o escritório do Administrador. Para sua surpresa, ele se mostra cooperativo e útil. Eles não encontram nada. Jemmico percebe que Adams está jogando. Para eles, nada mais resta senão esperar.

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir