PR1927 - A Lenda dos Tujokans

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

PR1927

À procura da SOL – Perry Rhodan encontra uma pista”

Título Original: Legende der Tujokan

Autor: Arndt Ellmer

Tradutor:

Artista da capa alemã: Ralph Voltz

Publicação na Alemanha: 28/07/1998

Publicação no Brasil:

Época: Maio de 1290 NCG

Local da ação: DaGlausch, Sistema Tup, Sistema Kamarr

Personagens principais: Przondzu, Perry Rhodan, Monkey, Eismer Stoemengord, Tautmo Aagenfelt

Resumo

A nave Glimmer de Eismer Stoermengord ruma para o sistema Tup. O destino é o planeta Tujo, cujos habitantes, segundo informações da positrônica do anel de Zophengorn, devem possuir uma certa “Lenda da Nave Esférica”.

Rhodan, que está atrás de pistas sobre a SOL, consegue persuadir o goldneriano a patrocinar a busca com pequenas contribuições técnicas.

Quando a Glimmer aproxima-se de Tujo, ela não consegue localizar nenhum tráfego de rádio nem emanações energéticas fortes. Tujo parece ser um mundo bastante atrasado tecnicamente. São detectadas apenas manipulações da gravidade, provavelmente geradores de antigravidade, que porém seriam impossíveis de ter sido produzidas pelos tujokans. Com o pouso no planeta, a Glimmer é atingida por um sistema de localização obsoleto, que, para surpresa de Rhodan, é identificado como um antigo modelo terrano segundo uma análise sintrônica. Embora Eismer esteja cético e não acredite na existência de uma nave esférica em Tujo, ele apoia Rhodan em seu plano de fazer contato com os tujokans.

O que os terranos e o goldneriano não sabem a essa altura é que em Tujo existem guerreiros especialmente treinados que esperam apenas pela chegada de visitantes vindos do espaço. Os chamados “Guerreiros Mortais” exercitam-se há séculos para a oportunidade de provarem seu valor numa luta contra visitantes alienígenas e são treinados especificamente para esse caso. A razão para a existência dessa tropa de guerreiros agressivos é uma crença dos tujokans que remonta a um passado distante, segundo a qual um dia, viajantes espaciais pousariam em Tujo para punir os tujokans por uma determinada ofensa. A natureza dessa ofensa e os detalhes sobre ela só são conhecidos pelos treinadores dos Guerreiros Mortais. Na verdade, os guerreiros estão equipados apenas com armas bem simples, mas encontram-se prontos para sacrificar sua vida em combate.

Quando a Glimmer penetra na atmosfera de Tujo, os terranos descobrem um sistema de comunicação espalhado por todo o planeta. Usando espelhos que pendem de longos cabos, sinais luminosos são transmitidos de espelho para espelho. Uma espécie de código Morse é usado na transmissão. Em Tujo há numerosas colônias, que se estendem por todo o planeta. Quando a Glimmer aproxima-se da capital, todos os sinais luminosos somem de repente.

Ao pousarem, os terranos são recebidos por uma delegação dos tujokans. Os habitantes do planeta descendem de antigos seres aquáticos e apresentam algumas similaridades com os disfarces de logides dos terranos. O primeiro contato processa-se de forma distante e extremamente fria, particularmente do lado dos tujokans. Quando os terranos são convidados para uma refeição, Mondra descobre com o auxílio de uma sonda que a comida estava misturada com um veneno fortemente tóxico. Quando Bull descobre uma imagem holográfica de uma caveira humana e interpela os tujokans a respeito disso, o clima das negociações piora de vez. Os terranos abandonam o encontro sem tocar na comida e retornam com o holograma apanhado para a Glimmer.

Enquanto isso, Eismer Stoermengord tinha despachado sondas e coletado mais de 10.000 pontos de dados sobre a superfície de Tujo, porém sem conseguir qualquer pista sobre uma nave esférica. Apenas uma sonda fornecera a imagem de uma escultura com um “fuso” que lembrava vagamente uma arma terrana. A imagem de Eismer, a tentativa de envenenamento dos tujokans e o estranho “holograma da caveira” são para Rhodan motivos suficientes para prosseguir na busca.

Quando Rhodan e Mondra deixam a nave novamente para dar uma olhada no estranho fuso, eles ficam atônitos ao ver que a ponta é o fuso irradiador de um canhão conversor. O material da base é aço terconite e portanto constitui uma outra prova de que uma nave terrana deve ter estado em Tujo.

Enquanto Rhodan e Mondra vão atrás de mais pistas, Tautmo Aagenfeld comete um engano fatal. O físico, que não estava ciente dos possíveis perigos, desliga o Picosin do seu traje para resolver um problema no seu disfarce de logide.

Quando ele é atacado de repente por um Guerreiro Mortal, não consegue ativar a tempo a proteção do seu Serun. O golpe do guerreiro faz o físico perder a consciência.

Também Rhodan e Mondra ficam atentos para diversos tujokans que estavam em seu encalço. Quando os dois passam com seus Seruns sobre uma linha de sentinelas, descobrem um complexo industrial escondido na selva. Após uma breve inspeção, eles encontram uma entrada que leva a um poço antigravitacional! Como Rhodan não consegue detectar nenhum sistema de proteção, os dois arriscam a entrada. Em um hangar na base do poço antigravitacional, eles fazem a descoberta. Diante deles encontra-se o fragmento do casco de uma corveta! Depois que Rhodan examina os pedaços de um robô de limpeza desmontado, a situação fica clara. Os destroços são de uma corveta da SOL!

Em meio às descobertas de Rhodan, surge a notícia pelo rádio de que Aagenfeld tinha sido dominado por guerreiros tujokans. Quando o terrano faz contato com os guerreiros que mantinham o físico como refém, as intenções dos tujokans ficam claras. Eles queriam se apossar da Glimmer e desmontá-la. Rhodan propõe enviar um negociador. Os tujokans, que já acreditavam que iriam ter mais um refém em suas mãos, vêem que tinham se enganado completamente quando Monkey, o oxtornense, põe fora de ação os Guerreiros Mortais apenas com a força de seu corpo e liberta Aagenfeld. Após essa derrota, os “Dirigentes”, que constituíam o poder de Estado de Tujo, mostram-se enfim dispostos a negociar.

Por meio dos Dirigentes, Rhodan fica sabendo da história dos destroços da nave esférica. Há muito tempo, a corveta pousou em Tujo, tripulada por seres de pele escura que se autodenominavam korragos. Os korragos começaram a construir cavernas subterrâneas em Tujo e a isolar as áreas ao redor delas. Quando num certo dia a corveta decolou novamente, irrompeu um breve mas violento tremor da Caldeira, que danificou a nave esférica e a fez cair. Os korragos proibiram os tujokans de se aproximar dos destroços e os ameaçaram de morte. Quando os korragos foram finalmente resgatados por uma segunda nave esférica, eles deixaram os destroços para trás. Os tujokans foram aos poucos perdendo o medo dos destroços e começaram a examinar os equipamentos técnicos e a desmontá-los. Devido ao medo de uma punição pelos korragos, os tujokans criaram depois o grupo dos Guerreiros Mortais, pois os seres aquáticos não estavam mais dispostos a abrir mão das aquisições técnicas obtidas.

O pedido de Rhodan de examinar as cavernas é aceito, mas não produz mais nenhuma descoberta. Apenas o nome daquelas criaturas negras pemanece como uma pista. Quando Eismer consulta o computador de bordo da Glimmer, ele recebe como resposta uma indicação do setor de Century, uma região de DaGlausch que contém vários sistemas habitados. Como última possibilidade, os terranos resolvem seguir a sugestão de Eismer e consultar a positrônica do anel de Zophengorn. A Glimmer deixa Tujo e logo chega à central dos pesquisadores de tremores. Para grande espanto de Trabzon Karett, a positrônica não possui nenhuma informação a respeito. A suspeita de uma manipulação no computador central fica mais plausível. Alguém obviamente quer apagar as pistas da SOL, e esse alguém só pode ser Shabazza.

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir Email

Você não tem permissão para comentar. Faça seu login no site ou se registre, caso não tenha um login no site.

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.