PRNeo0061 - O Paraíso Perdido

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

c neo61

Título Original: Die verlorenen Himmel

Autor: Oliver Plaschka

Tradutor: Delgado

Artista da capa alemã: Dirk Schulz / Horst Gotta

Publicação na Alemanha: 17/01/2014

Publicação no Brasil: outubro de 2016

Época: meados de 2037

Local da ação: Palácio de Cristal em Árcon I

Personagens principais: Perry Rhodan, Ishy Matsu, Ivan Goratchim, Onat da Heskmar, Chabalh, Crysalgira da Quertamagin, Cheroth ter Irale, o Regente.

Curiosidades:

Visão Geral

Resumo

O Regente

Ele desperta de seu pesadelo recorrente, no qual constantemente enfrenta novas imagens espelhadas. O Regente faz parte de uma antiga luta. Ele desobedeceu às regras e foi afastado. Mas ele continua sua luta com a mesma dureza. O Regente é parte da Luta. Ele luta pela supremacia dos humanoides. A cada despertar, ele se certifica de sua própria identidade. O homem mais poderoso da Galáxia tem medo de não despertar em sua cama. Quando acorda na cama, ele é a pessoa certa, se desperta no duplicador, ele é o falso – para o certo. Ambos são completamente idênticos. Eles sabem o mesmo, pensam o mesmo. Não são original e cópia, mas dois originais, dois Regentes. Apenas as treze horas durante a produção são passadas no escuro pela duplicata. Mesmo para o atual Regente, as treze horas não são isentas de perigo. Ele tem de ficar sem o ativador celular e o modelo deve permanecer no console do duplicador o tempo todo. Sair cedo demais significa a morte da duplicata, mas demorar demais significa que a duplicata pode perder as regalias do poder e o falso de repente se torna o verdadeiro. Mas já aconteceu de os dois Regentes se atacarem e se matarem. Sempre que precisa de uma nova duplicata e deve descartar o ativador celular, o Regente sofre. Ele se sente fraco e vulnerável. Ele tem dúvidas de que os arcônidas são as pessoas certas para tornar realidade os seus planos. Ele escolheu o Grande Império para seus propósitos. Durante muito tempo, ele influenciou os acontecimentos no Império, até que ele finalmente tomou o poder. Mas ele está insatisfeito com isso, porque eles não conseguem aproveitar plenamente as suas chances. A fuga da realidade na forma de jogos de ficção, o anseio pelo velho império, na pessoa de Cheroth ter Irale, e a traição e a ganância de sua Mão Sergh da Teffron, o fazem questionar sua decisão. Seu medo dos metanitas assume proporções imensas. Se eles chegarem no dia seguinte, ele não conseguirá escapar, sua nave está no estaleiro em Árcon III.

No Palácio de Cristal

Perry Rhodan, Ishy Matsu, Onat da Heskmar e Chabalh conseguiram escapar através de um poço antigravitacional. A entrada escondida foi encontrada pelo dom da mutante, apesar da sua cegueira. Ivan Goratchim teve de ser deixado para trás. Eles não sabem se ele caiu nas mãos do Regente ou se está morto. O poço os leva para os profundos porões esquecidos do Palácio de Cristal. Quase ninguém entra nesses ou conhece as áreas escondidas lá embaixo. Quando os quatro chegam lá, Ishy e Onat lutam. Enquanto Onat, escondido atrás do cinismo, enumera os motivos lógicos para uma fuga, Ishy implora a todos que não desistam de Ivan. Perry acalma a japonesa e lhe dá razão, embora, em silêncio, concorde com os argumentos de Onat. O purrer chama todos às pressas, pois conhece um lugar para descansar. Os fugitivos, guiados por Chabalh, atravessam os intermináveis corredores do Gos’Khasurn. Finalmente Chabalh os conduz ao palácio nas sombras de da Izarol. Galergh da Izarol foi, segundo a própria história de Chabalh, seu antigo mestre. Embora o khasurn não seja ocupado há várias centenas de anos, existe uma positrônica e uma estação médica funcionais, que podem ajudar Ishy com sua cegueira. Eles se informam sobre o que ocorre na superfície. As notícias são sobre terroristas, sobre a destruição de Gath’Etset’Moa e sobre o tempo, sem nem uma palavra sobre o incidente na câmara do Regente. Perry Rhodan e Onat da Heskmar examinam os arredores. Ishy deve descansar e Chabalh deve cuidar dela. Mas a mutante quer encontrar Ivan e parte, apesar das exortações. Chabalh, que desistiu de persuadir a obstinada japonesa, a segue. No caminho, eles encontram uma pequena arcônida, que passa seu tempo ali. Ela está à procura de uma pequena bola dourada, que lhe foi dada por uma princesa, que às vezes ela encontra ali. Elas se tornam amigas e têm um segredo em comum. Ninguém pode trair o outro.

Ivan Goratchim não morreu. Ele acorda, preso por um campo de imobilização. Ele é tanto cuidado quanto torturado por um androide médico. Ainda impressionado, Ivan o chama de Clifford. O Regente ainda tem planos para Ivan. Ele reconheceu que Ivan é um mutante detonador. Ele já tinha visto esses mutantes há muito tempo. Com seu dom, Ivan tem de ajudar o Regente a abrir uma câmara secreta no Gos’Khasurn. Esta é guardada pela Guardiã da Câmara. Em uma gravação de imagem, ele a vê matando uma cópia do Regente. O que ele vê o surpreende. Ela é Crysalgira da Quertamagin.

Cheroth ter Irale está desamparado. Seu neto, Aletai, não compareceu ao desfile, lutou com seus camaradas e até mesmo aborreceu o Regente. Ele recebe uma ligação do próprio Regente. Este informa o thantan que terroristas tentaram matá-lo duas vezes. Além disso, a destruição de Gath’Etset’Moa não foi trabalho dos mehandors, mas sim dos metanitas. Aliás, ele comunica para ter Irale que promoveu Aletai ter Irale postumamente a arbtan, por ter se atirado diante do Regente para salvá-lo. Para Cheroth, o mundo desaba. Ele é o culpado pela morte de seu amado neto? Ele o tinha ferido por tê-lo repreendido tão forte? Nada mais é para ele como era antes. Automaticamente, ele inicia a busca pelos terroristas, apertando controles e focalizando todos os poderes em suas mãos. Entretanto, ele tem uma ideia sombria no necrotério, onde diz adeus a seu neto. Ele manda o ara presente investigar seu neto, com todo o sigilo possível, e depois se reportar apenas a ele.

Desta vez, o Regente não chega sozinho. Ele vem com sua duplicata. O verdadeiro Regente difere de seu gêmeo apenas pelo ativador celular, que pende de seu pescoço, e pela Justiça do Imperador. Ivan decidiu ajudar o Regente a entrar na câmara e capturar a arma. Ele não tem muitas escolhas. O Regente prometeu poupar as vidas dele e de seus companheiros. Talvez ele possa tirar proveito do fato de saber quem é a guardiã da câmara. Ele desce com a duplicata do Regente para a câmara, onde cumprimenta Crysalgira. O Regente parece ser um velho conhecido na câmara. A guardiã não lhe dá nenhuma esperança de que seja diferente dessa vez. Ela pede que os dois fixem uma holointerface no pescoço, para que a ilusão no mundo holográfico se torne perfeita. Para Ivan, o Regente assume sua própria forma. Ivan chama seu irmão holográfico de Ivanovitch. Depois os dois reaparecem em um mundo provavelmente simulado pelas recordações de Ivan. Depois de horas de marcha, eles descansam. O duplo de Herak da Masgar quer persuadir Ivan a matar o primeiro Regente, para que ele possa assumir o poder. Entrementes, a perna de Goratchim começa a doer. A duplicata suspeita que ele está sendo envenenado lentamente. Ele mesmo já tinha considerado o envenenamento. Seu destino é uma montanha com um templo no topo. Como primeira tarefa, a guardiã os confronta com seus medos. No meio da praça diante do templo, está um metanita. Quando um incêndio ameaça tanto o metanita, quanto Ivan e o Regente, Ivan decide salvar o metanita também. O Regente tenta impedir Ivan e entra em pânico, até mesmo atira nele. Seu radiador, controlado por Crysalgira, é inútil. Quando o detonador apaga o fogo, o metanita desaparece. Um teste que Ivan superou por ambos. A duplicata, no entanto, não superou o medo do metanita e morreu. Uma segunda chance também é oferecida apenas para Ivan, enquanto a duplicata do Regente falha. Isso agora custaria a vida de Ivan. A condição era de ambos voltarem vivos, ou ambos morrerem. O último recurso de Ivan é salvar as duas vidas. Ele grita para Crysalgira que seu amado príncipe vive. Crysalgira aparece no templo.

O thantan da Guarda Imperial, Cheroth ter Irale, está ocupado perseguindo os terroristas. Não há sinais de sua existência, até que o jovem guarda Niako ter Breden detecta irregularidades no registro de um poço antigravitacional. Depois de analisar estas, eles podem isolar o provável paradeiro dos terroristas e tomar medidas para selar e demarcar os níveis dos porões do Gos’Khasurn. Ele instrui o extremamente inescrupuloso sek’athor Gestarh ter Merakh, um abutre da nova era, como ele o chama, para achar os terroristas. Ele está feliz por finalmente pegar o assassino de seu neto, mas chega uma chamada da clínica. Isso diminui consideravelmente sua ambição. O velho ara confirma suas premonições mais sombrias. Não há indícios de que Aletai tenha sido morto em uma luta. Ele foi alvejado de perto e, muito provavelmente, foi surpreendido pelo ataque. Neste momento, ele teme menos a confirmação da sua suposição de que foi o Regente quem atirou em seu neto, do que a morte do ara. Ele acha que também será morto. Neste momento, Cheroth sabe que o Império está no caminho errado. O que está acontecendo agora é indigno do Grande Império. Ele acredita no Império, mas não neste.

Em sua missão de pesquisa, Perry Rhodan e Onat da Heskmar percebem que o cerco está se apertando em torno deles. Com explosivos direcionados, obtidos no arsenal de da Izarol, eles tentam causar uma distração. A confusão pode lhes dar uma pequena chance de escapar. Assim que a ação está prestes a começar, a pequena amiga de Ishy intervém. Rhodan interrompe a ação. Ter Merakh exige sua tarefa, caso contrário vai atirar na garota. Com isso, a fuga dos quatro companheiros chega ao fim. Onat cuspe seu desprezo para o sek’athor. Se ele não tivesse um motivo para lutar contra o Regente, agora teria um. Os quatro são presos e Cheroth ter Irale é informado.

Crysalgira dá mais um enigma para Ivan. A resposta correta, Atlântida, confirma que Ivan realmente conhece Atlan. Herak da Masgar, no entanto, não pode fazer nada com isso. Quando o mutante relata sua visita a Artekh 17, onde o Regente destruiu seu cadáver, ela mata a duplicata. Ela diz para Ivan que o Regente nunca passaria por seus testes. Suas opiniões sobre a vida são inacessíveis para ele e seu medo dos metanitas é insano. Então ela pergunta por que Atlan não retornou. Ivan conta como Rico atraiu Atlan antes da destruição da Atlântida, como Atlan supostamente obteve, na estranha espaçonave, o ativador celular e os planos para o canhão de conversão. Crysalgira fica chateada. Ela não lhe entrega os planos. Mas Atlan deveria saber. Ela sempre ansiara para interromper a espiral da guerra. Ela até queria dar os planos para os metanitas. Por sua preocupação, ela enfrentou Gonozal VII diante da corte. Quando Ivan sai da câmara e entrega a holointerface para o androide médico. A partir deste ponto, ele está sob o controle da princesa. Clifford o leva aos aposentos ocultos do Regente. Lá, ele entra na sala do duplicador, mata a nova duplicata e depois destrói o duplicador. De repente, o Regente surge na porta. Ivan tenta matá-lo também. Mas falha. O Regente escapa. Ivan se aproxima demais das chamas, ele está exausto. Pela primeira vez, no entanto, ele está em paz consigo mesmo, tanto como ser humano quanto com seu dom. Ele fez tudo certo. Ivan morre.

Cheroth ter Irale vai até as tropas de busca. Ele dá a impressão de que quer se vingar pessoalmente dos terroristas. Ele pega um rifle radiador e, sem suscitar suspeitas, manda embora os guardas de Gestarh ter Merakh. Então ele vai sozinho até os prisioneiros. Onat cumprimenta Cheroth como um velho amigo, mas rapidamente percebe que algo está errado. Este informa que o Regente atirou em seu neto Aletai. Ele dá um bloqueador aos prisioneiros, o que os torna invisíveis para a tecnologia de vigilância por um curto período de tempo. Quando os quatro saem, ele se suicida.

Rhodan, Matsu, Heskmar e Chabalh estão saindo do palácio quando Ishy colapsa e diz que Ivan está morto. Perry tenta acalmá-la. Pouco depois, Ishy pode ver novamente. A pequena arcônida com sua bola dourada aparece. Ela é um pequeno droide de Crysalgira. Ivan envia por ela as últimas informações. O mutante conta o que aprendeu na Câmara da Guardiã. O Regente tem um ativador celular, como Atlan. E que ele tem um tarkanchar embutido. Os dois juntos funcionam como modelo para um duplicador, com o qual o Regente cria suas duplicatas. O Regente faz parte da Luta, mas sua política trará os metanitas de volta à cena. Devem ser procurados os planos para o canhão de conversão, que ele suspeita estarem no tarkanchar de Crysalgira. Ele não sabe onde este se encontra. Então o holo desaparece e os companheiros partem.

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir