PRNeo0063 - Os Deuses Estelares

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

c neo63

Título Original: Sternengötter

Autor: Dennis Mathiak

Tradutor: Marcos Roberto

Artista da capa alemã: Dirk Schulz / Horst Gotta

Publicação na Alemanha: 14/02/2014

Publicação no Brasil: novembro de 2016

Época: julho de 2037.

Local da ação: Árcon I

Personagens principais: Perry Rhodan, Onat da Heskmar, Ishy Matsu, Chabalh, o Regente.

Curiosidades:

Visão Geral

Resumo

Perry Rhodan, Ishy Matsu, Onat da Heskmar e Chabalh ainda estão fugindo dentro do Palácio de Cristal. Em um porão em desuso há um incidente com o velho patriarca demente da pequena casa nobre da Ghostat. Ele foi deixado lá pelo Regente. Os quatro o deixam aos cuidados de uma unidade médica. Quando deixam o Gos’Khasurn e chegam aos jardins do palácio, eles encontram três arcônidas, que os cumprimentam com uma estranha confidência. Com a advertência de que devem encenar, caso amem sua vida; Perry é abraçado por uma jovem chamada Vay’Hna, que simula ser sua noiva. Em uma área protegida, pertencente à família da Heskmar, Vay’Hna, Ar’Bai e Go’Tar revelam-se como servos das estrelas. Sua missão é ajudar Perry e seus companheiros. Eles fazem parte dos She’Nerkhai, que relutam em nomear. Eles equipam os fugitivos com trajes funcionais negros e roupas protetoras e lhes dão novas identidades. Eles pensaram até no purrer. Com seu próprio planador, eles voam discretamente em meio ao trânsito em direção ao porto espacial. Com isso, eles podem se maravilhar com a Gruta dos Deuses Estelares, onde, de acordo com Vay’Hna, há um homem de ligação que os ajudará com as dificuldades. No entanto, ela não revela o nome dele. No espaçoporto, um ajudante espera para colocar Perry, Onat, Ishy e Chabalh a bordo e deixar Árcon I com eles. Mas esse plano falha. Eles percebem o aumento no nível e na rigidez dos controles de segurança no espaçoporto, resultantes dos incidentes ocorridos no Palácio de Cristal. Perry Rhodan e seus companheiros têm de fugir novamente. Os três servos das estrelas cobrem a fuga e presumivelmente perdem a vida. As habilidades especiais dos trajes funcionais permitem que eles saltem de uma grande altura e possam escapar. Enquanto Chabalh segue uma sugestão de Vay’Hna e sai do grupo, Onat da Heskmar quer levar Perry e Ishy para a área nas sombras de seu tio Kyslor da Heskmar, para terem tempo de respirar. Uma vez lá, Onat passa por um exame em uma unidade médica, porque tem dores desde a fuga do Palácio de Cristal. Mas a unidade não consegue encontrar nenhuma causa física. O problema de Onat parece ser de origem psicológica. Enquanto isso, Perry se informa sobre as novidades. Ele conclui que uma mão invisível os ajuda. As informações armazenadas sobre eles foram apagadas dos bancos de dados.

A eleição do Tron’athor do Conselho dos Servos das Estrelas e, assim, o futuro da Gruta dos Deuses Estelares está à frente. Kuspa, o fiel de Qinshora e Tron’athor em exercício, que defende o equilíbrio e a atitude neutra em relação ao Regente e a abstenção em relação à política secular, enfrenta Vaygoke, fiel de Ranalor, que se opõe ao Regente e defende de forma rude os interesses dos servos das estrelas contra a recaptura representada pelo Regente. Um debate deve convencer os She’Nerkhai a favor de um ou outro candidato. Kuspa é chamado por Isnio, a Guardiã de Engare. Ela teme que Eskur Desman, o fiel de Anetis e Irvora, queira se envolver politicamente em favor do Regente. Mas este surpreende Kuspa e Isnio. Ele afirma que espalhou estes rumores, para poder falar com eles pessoalmente. Ao contrário da expectativa, os Guias não vão apoiar abertamente o Regente. Os khe’mha’thir estão preocupados com a política agressiva do Regente. Ele pede o apoio dos She’Nerkhai altamente respeitados de Qinshora e Engare e do Tron’athor Kuspa. Indignado, este rejeita o pedido. Os servos das estrelas devem ficar distantes da política secular. Então Eskur Desman fala para Kuspa que os deuses dos Guias ordenaram que estes lhes dessem apoio. O fiel de Qinshora mal pode acreditar que Vaygoke e Eskur Desman querem desafiar o Regente. De volta ao Salão dos Vinte e Quatro, um tumulto interrompe a reflexão de Kuspa. Os peregrinos fogem de um purrer que está no salão. Surpreso por este ter entrado na gruta, Kuspa quer alcançá-lo antes das forças de segurança. O ser felídeo parece estar à procura de ajuda. O fiel consegue apaziguar as forças de segurança, de modo a não paralisar o purrer. Chabalh, como ele é chamado, procura ajuda para seu mestre. Mas ele se recusa a revelar o nome deste. Kuspa conclui, pela conversa, que o mestre de Chabalh é procurado pelas autoridades seculares. Devido à sua recusa em interferir nos assuntos políticos, Kuspa rejeita o pedido do purrer. Enquanto ele se afasta, Eskur Desman se aproxima de Chabalh e sussurra algo na sua orelha. Uma coisa é óbvia. A Gruta dos Deuses Estelares tem um problema de segurança.

Chabalh retorna. Rhodan está chateado com sua solidão. Apesar do ceticismo de Perry, eles seguem Chabalh até Eskur Desman. Por uma entrada secreta, que Vay’Hna havia informado ao guarda-costas, eles entraram na gruta. Eskur lhes dá as boas-vindas. Ele enviou os três servos das estrelas para apoiar Perry. Quando Eskur pergunta sobre o plano de fundo, Rhodan tenta lhe apresentar uma história inventada. Desman o interrompe e ressalta que conhece sua verdadeira identidade. Anetis prometeu ajuda e ele está atrelado a esta promessa. Onat tem sonhos febris. Sua condição piora. Ele precisa urgentemente de remédios. Ishy assume a tarefa. Ela se disfarça perfeitamente como uma zalita.

A disputa entre o Tron’athor e seu desafiante acaba. Nenhum deles é definitivamente aceito pelos demais Guardiões. Quando Kuspa vê uma velha zalita passeando pelo salão, ele acredita que pode acalmar sua deusa, que parece estar brava por sua recusa em ajudar o purrer. Mas nem mesmo a zalita lhe devolve a paz. Ela lhe faz perguntas sobre questões de consciência, querendo saber se é preciso deter um homem que ainda vai custar a perda de muitas vidas. Seu amigo Ivan morreu tentando deter o homem. Quertror, assistente de Kuspa, lhe mostra uma notícia, na qual os fugitivos conversam com um purrer. Isnio tem de admitir que secretamente instalou vigilância por vídeo, para chegar ao cerne da questão. Para tanto, ela teria usado o abandonado escâner individual dos qinshorais, a fim de encontrar a assinatura de um terrorista. Kuspa fica indignado, porque o uso desses dispositivos é malvisto na Gruta. Apesar de tudo, as pistas levam a Eskur Desman. Kuspa quer enfrentá-lo.

Onat da Heskmar desperta depois de algumas horas. Ele se recupera rápido e parece muito animado. Algo tinha despertado dentro dele. Sobre a questão de Rhodan, Onat afirma que é o sentido extra. Mas este se expressa de um modo diferente. O Guardião do Arquivo Epetran agora sabe o que é o arquivo. O Arquivo Epetran é tão importante, por conter a essência de Árcon, que não pode existir em nenhum lugar fixo. O arquivo consiste de um conjunto de dados individuais, arquivados em diferentes portadores e em múltiplas cópias. Este armazenamento redundante é repetidamente testado e renovado no Instituto Faehrl. Isto serve para preservar todo o conhecimento de Árcon, mesmo depois de uma possível queda do Grande Império ou mesmo do próprio sistema Árcon. Os portadores desses registros são arcônidas cuja ativação do sentido extra falhou. Como eles podem ser encontrados em todo o Grande Império, o Arquivo Epetran está em toda parte. O fracassado Onat da Heskmar se tornou o Guardião dos Registros. O Guardião dos Registros parece com o sentido extra, mas este não se faz sentir pelo portador. A tarefa do portador é testar a integridade e a força moral de um investigador. Neste caso, Onat da Heskmar reconhece Perry Rhodan como digno de ter acesso ao Arquivo. Seu sentido extra foi ativado por causa disso. O Guardião dos Registros então concede a Perry o acesso aos outros registros que estão próximos. Quando Onat acaba de revelar isso, Kuspa e Isnio entram na sala munidos de radiadores. O enfurecido Kuspa mal consegue se conter quando vê que Isnio está certa. Aos seus olhos, Desman comprometeu a Gruta dos Deuses Estelares. Só com dificuldade os fugitivos conseguem convencer Kuspa de que sua causa é justa. Eskur abre os olhos de Kuspa. A vontade de entregar os fugitivos ao Regente cessa diante da prova de que a Gruta já foi abusada pelo Regente. Isnio some quando percebe que o fiel de Qinshora está repensando o assunto. Ela informa a Guarda do Palácio. Kuspa recebe uma ligação. O sek’athor ter Merakh da Guarda do Palácio pede ao servo das estrelas que entregue os terroristas. Não há tempo suficiente para encontrar uma rota de fuga. Surpreendentemente, o chefe do serviço de segurança da Gruta, Vaygoke, vem em auxílio. Ele ativa um campo defensivo de segurança. Isso aumenta os problemas para Kuspa, mas permite a fuga dos quatro companheiros.

Kuspa está a caminho do centro de segurança onde fica Vaygoke. A irritada Isnio acusa Vaygoke de levar os servos das estrelas em direção à destruição. Calma e deliberadamente, ele chama a atenção de Isnio para o fato de que a lei do Regente não é a lei dos servos das estrelas. Kuspa ganha tempo para os fugitivos por meio de negociações com ter Merakh. Ao fundo, naves de guerra já estão se posicionando em torno da Gruta. A Guarda do Palácio, junto com a Frota, começa o ataque. Vaygoke comanda a defesa e aciona suas próprias armas. A força dos outros é muito grande. Vaygoke se rende e assume a responsabilidade exclusiva, para proteger os servos das estrelas.

Com a ajuda de um código fornecido pelo Tron’athor, Perry Rhodan, Ishy Matsu, Chabalh, Onat da Heskmar e Eskur Desman conseguem formar uma fenda estrutural no campo defensivo e escapar da Gruta dos Deuses Estelares. Eles estão quase em segurança quando são atacados. As armas da Gruta respondem ao fogo. Eskur explode. Um androide? Pousam soldados da Frota. Com o dom de Ishy, eles tentam escapar através das filas de naats. Durante uma breve pausa para descanso, Perry de repente ouve uma voz familiar. Ele vê um homem em traje de combate da RANIR’TAN. Rhodan não acredita em seus olhos. Reginald Bull está de pé diante dele.

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir