PRNeo0066 - A Missão de Novaal

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

c neo66

Título Original: Novaals Mission

Autor: Alexander Huiskes

Tradutor: Dirceu Alvir Rudnick

Artista da capa alemã: Dirk Schulz / Horst Gotta

Publicação na Alemanha: 11/10/2013

Publicação no Brasil: janeiro de 2017

Época: ano de 2037

Local da ação: Naat, Naator, outros mundos de Árcon

Personagens principais: Novaal, Kaduuss, Enban da Mortur, Nurit Otere, Theta, Sergh da Teffron.

Curiosidades:

Visão Geral

Resumo

Novaal está de volta ao seu planeta natal Naat. Jeethar o equipou com uma identidade provisória. Seu suposto nome é Thervees, que foi um antigo paladino da casa nobre da Bostich. Ele vai para Naator. Enquanto efetua um treinamento básico, como camuflagem, ele consegue ver e ser reconhecido pelo seu antigo instrutor Kaduuss. Este deve apoiar Novaal. Suas relações e reputação são suficientes para ele ser ouvido no Conselho dos Vencedores. Novaal quer convencer os naats a lutar por sua liberdade e obter o apoio deles para Perry Rhodan. Após chegar a Naator, os candidatos são examinados pelo médico naat Parleen. Thervees, aliás Novaal, chama a atenção de Parleen por causa de seu conhecimento sobre as regras do escrutínio. Ele também era paladino do khasurn da Bostich quando Morenal da Bostich perdeu a vida. O treinamento, que dificilmente merece este nome, dura dois dias. Dois dias para Novaal encontrar Kaduuss. Para atrapalhar, ocorre um exercício com armas afiadas. Alguns naats não sobreviverão a ela. Outra prova de quão pouco vale a vida dos gigantes para os arcônidas. Quando a luta começa, Novaal não consegue mais esconder sua experiência de combate. Ele rapidamente percebe que seus oponentes na luta por uma casa não são naats, mas insetoides. Ele descobre de um chitix que estes foram tomados como reféns pelo Império. Os machos chitix são chantageados em seu planeta natal para minerar os cristais que os arcônidas desejam. Foi-lhes dito que um chitix voltaria para casa para cada naat morto. É por isso que eles não vão desistir. Novaal leva os naats à vitória. Enquanto isso, as investigações de Parleen levam ao instrutor procurado por Novaal: Kaduuss. Parleen quer saber algo sobre Thervees. Mas esse nome é desconhecido para Kaduuss. Quando ele menciona uma petição apresentada por Kaduuss com a administração de Naator, o instrutor libera a conexão. Eemrin, um recruta do esquadrão de Noval, percebeu as habilidades deste. Ele convence Novaal a ir para Naatral e falar com Granaar. Na capital, verifica-se que Granaar não quer falar com o reekha, mas quer entregá-lo para Sergh da Teffron. Diante do Conselho dos Vencedores, surge uma disputa feroz, onde são discutidas as tradições dos naats e as transgressões de Novaal. Este teria desonrado todos os naats ao quebrar o juramento de lealdade à Mão do Regente. Novaal, por outro lado, ressalta que foi Sergh da Teffron quem não cumpriu seus deveres para com os naats. Ele mentiu e traiu os naats quando era governador e fará isso novamente. Como Mão do Regente, da Teffron os usou como bucha de canhão para aumentar sua própria fama. Mas Parleen aparece quando os vencedores estão prestes a tomar a decisão de extraditar Novaal. Ele exerce seu direito de falar perante o Conselho. Ele toca duas gravações secretas. Uma prova que Sergh da Teffron quer abusar dos naats para seus propósitos privados; a outra, que ele trapaceou no tasbur. Mas o Conselho ainda considera a extradição. A Mão continua a controlar o mundo dos naats, enquanto Novaal fica sozinho. Mas Parleen tem um trunfo na manga. Um após o outro, manifestam-se o nobre arcônida Atlan da Gonozal, Belinkhar, que fala pelos mehandors, e Ihin da Achran, a Timoneira da Frota Privada do Regente e a terceira maior autoridade do Grande Império. Novaal possui aliados poderosos. O antigo reekha mal pode acreditar no ocorrido.

Em Árcon II, no inferno desencadeado pela queda da cidade celeste Gath’Etset’Moas, Nurit Otere e Enban da Mortur podem ocultar seu relacionamento. Disfarçados como Orotak e Zoliana membros das equipes de resgate, eles passam juntos um tempo e arquitetam um plano perigoso. Nurit empurra seu amante da Mortur para as chamas e depois salta para dentro delas. Uma ação para disfarçar a fuga de Enban da Mortur. Apenas ligeiramente ferida, a celista Nurit Otere consegue colocar o ex-assessor da Mascant, sob falsa identidade, no hospital celista de Honlor. Ela o apresenta como seu parceiro celista Kramat. Da Mortur quase morreu devido às queimaduras severas. Agora, a reconstrução facial vai mudar sua aparência. O médico designado, o doutor Telant, está um pouco distraído. A pedido de Kanirol da Bostich, ele deve descobrir a causa da morte de seu filho Morenal da Bostich. Depois de alguns dias, Kramat, também conhecido como Enban da Mortur, se recupera bem, graças ao ativador celular. Ele quer usar os recursos do hospital para examinar suas duas apreensões, o quartzo azul e o ovo. Para fazer isso, Nurit vai em busca de um laboratório não utilizado. Dentro do hospital, sua condição de celista é suficiente para obter acesso. O doutor Telant os surpreende investigando as duas coisas. Ele havia pesquisado e não tinha encontrado Kramat nos documentos. Acreditando que Nurit foi traída por Kramat, ele tenta avisá-la, mas é morto por Nurit a sangue frio. Ela atiça fogo em tudo, mas esquece de tirar o quartzo azul do analisador. Com algumas trocas de meios de transporte e pontos de fuga, eles eventualmente pousam em Edduha ou Árcon XXII. Lá, sob o pretexto de encontrar um emprego junto ao prospector unitro Proffo, eles querem investigar o ativador celular. No princípio, eles só descobrem que o ativador celular não tem nenhuma interação física com o meio ambiente. Mas depois Nurit desvenda os segredos do ativador com uma ferramenta especial. O acesso inapropriado gera consequências devastadoras para a celista. O ativador celular emana calor e luz e queima Nurit pesadamente. Então Enban da Mortur mostra sua verdadeira face. Ele tira o ativador celular da gravemente ferida e a deixa com uma cínica saudação de despedida.

Sergh da Teffron está perturbado. Ao ver o holograma de Enban da Mortur com o tarkanchar e o ativador celular na Esfera Rah’tor, ele quer encontrar o ajudante de qualquer maneira. Theta percebe que da Teffron está quase alucinado. Aos seus olhos, a cada dia a Mão perde cada vez mais o halo de poder. Ela se torna cada vez mais consciente da falta de habilidade de seu mestre em aproveitar as oportunidades que surgem e seu descontrole para enfrentar as coisas. No meio dos esforços da Sergh da Teffron para capturar da Mortur, ele é chamado pelo Regente. Theta recebe poderes para continuar a busca durante sua viagem a Árcon I. Primeiro Theta chama a Timoneira da Frota Privada do Regente, Ihin da Achran. Ela quer ter certeza de que Enban da Mortur está na Frota. A khestan nega. Em nenhum lugar há qualquer indício de onde ele possa estar. Somente quando analisa as chamadas recentes de da Mortur, ela encontra a celista chamada Nurit Otere, uma mestiça targelonense e arcônida. Theta vai para Árcon II. Lá ela descobre o engodo perpetrado por Zoliana e Orotak. Ela percebe que tanto esses dois nomes quanto sua suposta morte são falsos. Eles mudaram novamente de identidade. Então ela deve encontrar de alguma forma a nova meta dos fugitivos. Theta tem a ideia de procurar no Hospital Celista em Honlor. Lá, primeiro ela é considerada com suspeita. Como representante da Mão do Regente, ela não é bem recebida. Ela tem de agir diplomaticamente, porque Sergh da Teffron não pode dar ordens para os celistas. Um velho celista se interessa por ela e ajuda muito. Inicialmente ele é visto por Theta como condescendente e impertinente, mas abre algumas portas para ela e a ajuda a manter sua pose. Apesar de sua idade, Jemmico tem uma classificação baixa. Theta se pergunta o motivo. No momento apropriado ela pergunta, mas ele responde misteriosamente, dizendo que não se deixa levar por ninguém, só por uma pessoa. Theta e Jemmico acham Nurit em Edduha. Da Mortur escapou por pouco. Mas Nurit lhe confia um segredo. Ela retorna para Árcon III. Ela pensa que o Regente matou da Teffron devido à sua incapacidade. Mas ele volta e faz Theta sentir imediatamente que ele a toma por incompetente. Quando a Mão adormece, ela entra em contato com Jemmico. Com ele, ela faz um acordo secreto e obtém um novo confidente. Ela escondeu alguém.

Observação: o Alto Comando da Frota é chamado de Ark’Thetran no Neo 64 e de Arkh’Tetran no Neo 66

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir Email

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.