PR0421 - O Relatório dum Neandertalense

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

PR421

“A lembrança que guarda dos forasteiros desperta – e com eles a recordação dos horrores do passado.”

Título Original: Report eines Neandertalers

Autor: H. G. Ewers

Tradutor: Richard Paul Bisneto

Artista da capa alemã: Johnny Bruck

Publicação na Alemanha: 12/09/1969

Publicação no Brasil: 1989

Época: Maio de 3433

Local da ação: Mercúrio, Tahun

Personagens principais: Perry Rhodan, Atlan, Alaska Saedelaere, Lord Zwiebus, Tan Dehuter, Kiner Thwaites, Galbraith Deighton

Curiosidades:

Visão Geral

Resumo

Em 29 de abril de 3433, de repente as explosões de energia do Sol atingem um nível perigoso. Até mesmo o campo AAT ameaça entrar em colapso, porém pode ser evitado por um reajuste. A mudança do Sol é causada pelo chamado Satélite da Morte, que haviam sido descoberto pelo acalaurie Accutron Mspoern em setembro de 3432 na corona solar. Este satélite foi instalado há mais de 200.000 anos, suspeita-se, pelos visitantes do Sistema Solar por um motivo até então desconhecido.

Muito preocupado com a humanidade Perry Rhodan encontra em 1º de Maio de 3433 com Geoffry Abel Waringer em Mercúrio para obter um relatório de status. Waringer calcula o tempo para a transformação do Sol numa Supernova entre três a cinco semanas, e recomendada que se prepare a evacuação da humanidade.

Muitas pessoas na Terra e nos outros planetas se queixam de dor de cabeça e náuseas, que parecem estar diretamente relacionados com o aumento da atividade solar. Alaska Saedelaere é especialmente afetado. Ele ouve vozes que querem influenciá-lo e tem que viajar para ser tratado na lua de Saturno, Mimas. Lá o médico-parapsi, Kiner Thwaites, tentou ajudar o lesado por transmissor, mas é impedido pelo aumento da atividade do estranho fragmento no rosto de Alaska.

Às vezes, Alaska se considera um agente de uma potência inimiga, e pede para ser morto. Os médicos, é claro, não realizam este desejo, mas manifestam a suspeita de que o estranho no fragmento do rosto de Alaska pode ser bastante hostil contra a Humanidade.

Enquanto isso, um grupo de cientistas trabalha a toda a velocidade em uma réplica do deformador de tempo-zero, para viajar para o início da história da Terra. Esta viagem através do tempo vai ajudar a resolver o mistério do satélite da morte.

Uma preocupação adicional de Perry Rhodan diz respeito à Lorde Zwiebus, localizado em Tahun, que perdeu sua mente no contato com o satélite da morte durante a expedição da SUN DRAGON.

Uma avaliação dos fatos apresentada por NATHAN mostra que o fragmento no rosto de Alaska deve ser uma parte de um ser, que tem alguma conexão com os construtores do satélite da morte. Mesmo Lorde Zwiebus também deve, de alguma forma ainda incógnita, ter essa conexão. O cérebro lunar recomenda que Lorde Zwiebus seja colocado junto com Alaska, para tirar o neandertalense do seu desarranjo mental. Galbraith Deighton deve acompanhar o lesado por transmissor junto com Kiner Thwaites para Tahun.

No entanto, em Tahun, o estado de Lorde Zwiebus não se altera; após estar livre da influência do Sol, parece que Alaska se recuperou. As aparências são enganosas, Alaska sofre seu pior ataque até então. Os médicos estão perplexos. A suposição de que o estado do lesado por transmissor está associado com a proximidade de Lorde Zwiebus não foi confirmada. No entanto, após se fazer um inquérito através da ponte de rádio junto à Terra, há uma certeza: embora o Sistema Solar esteja a cinco minutos no futuro, as convulsões de Alaska coincidem com a violenta atividade solar.

Atlan também se preocupa com Alaska e vem de Quinto Center para Tahun a fim de ser pessoalmente informado de sua condição. Neste momento o lesado por transmissor é surpreendido por um ataque violento e pega a arma de Atlan. O arcônida pode impedi-lo de se matar, porém ao olhar continuamente os flashes de luz intensos, produzidos pela contração muscular sob a máscara, ele fica brevemente inconsciente.

Embora Alaska esteja alojado em uma sala adjacente, Lorde Zwiebus que estava adormecido acorda. O esplendor do fragmento no rosto de Alaska diminui de repente e o mesmo retorna a ter pensamentos conscientes também. Agora os médicos ousam tentar novamente. Na presença de Perry Rhodan, Alaska é passado a uma distância segura, mas dentro da visão do neandertalense. Galbraith Deighton reconhece através de sua habilidade como senso mecânico o crescente ódio contra Alaska nos pensamentos de Zwiebus. Ao mesmo tempo, os médicos registram um forte aumento do seu quociente de inteligência.

Devido ao súbito despertar da inteligência, Zwiebus reconhece que Alaska tem que ser um dos estranhos que fizeram experimentos há muito tempo com seus companheiros. Ele decide matar o lesado por transmissor e começa, com uma precisão diabólica, a implementar o seu plano de ação infalível.

Zwiebus sobrepuja os fechos de impulsos eletrônicos de sua habitação e pega Alaska sem aviso em sua cabine. Somente graças à reação rápida do lesado por transmissor, ele escapa com vida. Através de um movimento descuidado Alaska perde sua máscara, surpreendentemente as emanações, que tornam imediatamente outras criaturas insanas, não afetam Zwiebus. Começa uma perseguição selvagem através do parque do hospital e Alaska consegue pegar um planador estacionado. No entanto, seu triunfo durou pouco tempo, porque Lorde Zwiebus, através de sua inteligência elevada, agora está em condições de pegar seguramente um planador e pilotá-lo.

No decurso de uma perseguição selvagem. Alaska finalmente consegue atordoar o neandertalense. Anteriormente, ele foi repetidamente abordado por Zwiebus como cappin, que ele teria sobre ele. Para Alaska isso não faz nenhum sentido. De repente, ele tem uma ideia: ele conta ao atordoado Zwiebus a história de seu acidente de transmissor. Seu plano é bem-sucedido e Zwiebus, anteriormente com um olhar odioso, tem agora um brilho simpático nos olhos e ele decide tirar o neandertalense da paralisia. Zwiebus, surpreendentemente em perfeito intercosmo, pede desculpas por seu comportamento e promete falar sobre suas memórias retornadas:

200 mil anos atrás, a Terra foi visitada por humanoides cappins. Estes tem a capacidade de assumir organismos adequados por meio das pedorradiações e incorporá-los mentalmente. Os habitantes da Terra primitiva eram especialmente úteis para serem os chamados pedopolos. A fim de melhorar a adequação das pessoas daquela época, os cappins construíram e instalaram o satélite solar e desta forma realizaram experiências sob fortes radiações solares a fim de causar mutações entre os primeiros seres humanos. Zwiebus em si é um belo exemplar dessas mutações. Uma vez que estas experiências não eram toleradas pelos outros cappins, o satélite tinha outro propósito: é um pedopolo mecânico de forma que os estrangeiros podem chegar ao Sistema Solar a qualquer hora.

Sobre a terceira função do satélite, Zwiebus só pode especular. Provavelmente, o satélite deve transformar o Sol em uma nova quando o sistema solar – que foi considerado secreto – fosse descoberto por outro cappin, a fim de não tornar pública a manipulação criminosa dos habitantes. Este “comando da morte” deve agir toda vez que os postos de controle montados na Terra descobrirem a aproximação de seres com um nível de inteligência superior aos homens daquele tempo.

De acordo com o relatório o acidente com transmissor de Alaska aparece sob uma luz diferente: ele deve, durante o processo, ter colidido com o cappin, que estava em seu caminho para um pedopolo. Agora é óbvio que, com a missão do deformador de tempo-zero, eles devem impedir os cappins de instalar o satélite solar.

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

 

Imprimir Email

Você não tem permissão para comentar. Faça seu login no site ou se registre, caso não tenha um login no site.

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.