PR1911 - A Frota dos Covardes

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

PR1911

"Apenas um punhado de terranos – defendem um sistema estelar."

Título Original: Die Flotte der Feiglinge

Autor: H. G. Francis

Tradutor: 

Artista da capa alemã: Oliver Johanndrees

Publicação na Alemanha: 07/04/1998

Publicação no Brasil:

Época: Outubro, novembro de 1289 NCG

Local da ação: DaGlausch, Thorrtimer

Personagens principais: Mandreko Tars, Jar Makromeer, Alaska Saedelaere, Gia de Moleon, Benjameen da Jacinta, Tim Routhioruke

Curiosidades: 

Visão Geral

Resumo

Mandreko Tars, transferido com o bairro Alashan para Thorrim, é um ladrão. A sua especialidade é a de se misturar as pessoas, sem que elas o percebam ou que notem a sua presença. A camuflagem e a adaptação de Tars é tão perfeita, que sem que ele seja percebido, consegue entrar furtivamente no palácio real de Thorrim não sendo notado pela corte.

Tars toma dois brilhantes de grande valor, que formam os olhos de uma estátua. Os olhos da rainha Thaylee. Tars consegue fugir com sua presa e logo a corte é dominada por uma grande aflição, quando a perda é notada. Já que os Thorrimer devido à sua mentalidade incomum jamais roubariam, não há nenhum sistema de alarme no palácio.

Jar Makromeer, o prefeito do rei, informa Gia De Moleon sobre o roubo e dá também à chefe do TLD dados astronômicos, que permitem aos terranos definir exatamente a localização de Thorrim e da galáxia DaGlausch.

Os terranos começam a se preocupar com um novo ataque dos dscherros. A nave de reconhecimento que a pouco foi localizada, indica a existência de uma segunda horda, que em breve chegará ao sistema Thorrtimer. Sobretudo Alaska SaedelaereAlaska SaedelaereDefinição: Terrano nascido no ano 3400, portador de máscara, conhecido como o lesado por transmissor. Tem quase dois metros de altura e é muito magro. Sua maneira de falar é aos solavancos. Em 3428, ele entrou em um transmissor de matéria, mas só chegou ao seu destino quatro horas depois; durante a dissolução total, aconteceu uma reorganização da estrutura celular atômica do seu corpo, devido a acontecimentos desconhecidos. Técnicos que na ocasião estiveram no pavilhão do transmissor foram acometidos de loucura logo depois de olhar para o rosto de Saedelaere e mais tarde morreram. Depois disso, Alaska passou a usar uma máscara chata de plástico, na qual há, como aberturas, apenas duas fendas para os olhos e uma para a boca. A explicação para o fenômeno só veio com a chegada dos cappins. Alaska tinha se fundido com uma parte de um ser daquela raça durante o uso do transmissor. No ano 3431, ele recebeu a patente de major da Segurança Solar. Em 3440, foi incorporado ao Novo Exército de Mutantes, pois possui a capacidade de rastreador cappin. Em 3443, um cyno chamado Schmitt lhe deu o misterioso Traje da Destruição. Em abril de 3444, ficou encarregado por Ribald Corello. De março a abril de 3457, participou do voo de controle para Maahkora, Estação Lookout e Mundo dos Cem Sóis. Em 3459, fez uso do Traje da Destruição na estação PP-III para destruir os esporos-cruum. Em 3531, Perry Rhodan entregou-lhe o ativador celular que fora de Betty Toufry, e, com esse gesto, elevou-o ao nível dos seres relativamente imortais. Em 3540, ele foi um dos exilado pelo regime afílico da Terra e tornou-se tripulante da SOL. Em abril de 3581, chegou a Derogwanien através do buraco negro artificial criado pelos Especialistas da Noite a bordo da SOL. Ali se encontrou com Callibso e entregou-lhe o Traje da Destruição. Em dezembro de 3581, Alaska resolveu atravessar a fonte do tempo em Derogwanien e chegou à Terra, que estava praticamente despovoada. Em março de 3582, fundou a Patrulha da Terra em Terrânia. Em julho de 3583, finalmente se reencontrou com Rhodan a bordo da SOL....
planeja uma possível estratégia de defesa.

Exatamente no momento em que Mandrenko Tars admira o fruto de seu roubo, chega a ele uma chamada da chefe do TDL. Ele já se sente condenado pelo seu roubo quando Gia De Moleon lhe diz estar interessada em usar as suas capacidades especiais na busca das naves dos dscherros à deriva no espaço.

Cerca de 55 naves esféricas estão à deriva desde a explosão do Baluarte Heliotiano na órbita de Thorrim. Registrado na sintrônica como um especialista em roubo, Tars deve abrir os lacres das naves e assim permitir que os terranos entrem nas naves dos dscherros. Tars concorda.

Benjameen de Jacinta, que ainda sofre as consequências de suas lesões, começa a sonhar. O dançarino dos sonhos vê a face de um dscherros sedento de sangue que se move em Corn Markee, um palácio do rei Thorrimer. Benjameen percebe que ele entrou nos sonhos do rei. Ele percebe o grande medo do soberano.

Neste meio tempo progridem as investigações das naves dos dscherros na órbita de Thorrim. Mais uma vez aparece uma nave espiã de um outro clã dos dscherros. A situação atinge o ápice quando o Taka Hossos se manifesta via contato por rádio com o Taka Poulones. Já que ninguém pode responder à mensagem de Hossos, o dscherro fica com raiva.

Portanto, ele se retira por enquanto com sua nave do sistema Thorrtimer, mas exige explicações para o silêncio do Taka Poulones em seu próximo retorno. É óbvio que Tossos não sabe que os dscherros foram transferidos através do elemento fatorado para a Terra e que todas os tripulantes das naves dos dscherros morreram durante a explosão do Baluarte Heliotiano.

Resta aos Terranos um período de cerca de três semanas até a volta de Hossos. Os terranos abriram, com a ajuda de Mandreko Tars todas as 55 naves dos dscherros e as ocuparam, Alaska planeja tripulá-las com thorrimers e opor-se aos dscherros. Mas os Thorrimers se recusam e não querem lutar.

Alaska pede por uma audiência com o rei que foi recusada mais uma vez. O Rei Markee fugiu e agora se encontra num esconderijo secreto. Benjameen de Jacinta pede à Alaska para procurar o esconderijo do rei. Já que ele viveu partes dos seus sonhos, Benjameen tenta descobrir o domicílio do rei se baseado em informações dos sonhos.

Mandreko Tars foi persuadido, pelo roubo dos brilhantes do rei, por Alaska a retornar as jóias preciosas aos thorrimers e fazer assim um pouco de propaganda para obter o apoio deles. Sem ser notado Tars se infiltra no palácio e finalmente nos aposentos do rei e devolve os brilhantes. Além disso, ele dá ao rei ervas curativas, que foram encontrados apreendidas dentro de uma das naves dos dscherros.

O rei que tem uma doença de pele e precisa dessas ervas especiais para sua cura. Por gratidão, o rei decide apoiar o plano de Alaska de tripular as naves dos dscherros que estão à deriva em órbita e torná-las aptas para o combate. 180.000 thorrimers se apresentam após as ordens do rei para apoiar os terranos. Quando termina o prazo, 38 naves dos dscherros sob a liderança do Taka Hossos aparece no sistema, as 55 naves dos dscherros tripuladas pelos thorrimers já estão nas suas posições. Através de táticas inteligentes e o entrosamento dos terranos, se consegue que a horda dos dscherros saia fora do sistema. Mais uma vez, uma catástrofe para os thorrimers e o bairro encalhado de TerrâniaTerrâniaDefinição: Capital da Terra. Situada às margens do lago salgado de Goshun, no deserto de Gobi, a cidade foi construída em torno da então base da Terceira Potência, no local onde Perry Rhodan pousou com a nave americana Stardust após seu histórico voo lunar. Suas construções não foram realizadas ao acaso,"os edifícios e as ruas foram surgindo em conformidade com planos previamente traçados. No ano 3430, depois do ataque dos ulebs no ano 2437, já havia surgido uma nova Terrânia, mais concentrada, mais pragmática, maior — e muito mais bela....
foi afastado.

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir Email

Você não tem permissão para comentar. Faça seu login no site ou se registre, caso não tenha um login no site.

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.