Herdeiros Cósmicos 1 - O Grande Plano para a Humanidade

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Livro 01 - O Grande Plano para a Humanidade

Este livro é uma publicação comercial exclusiva de seu autor, Antônio C. T. de Mello e foi lançado primeiramente como uma cortesia de seu autor, somente para os integrantes do Projeto Traduções. Em 12/2015 foi lançado oficialmente pela Amazon, e todos têm a oportunidade de prestigiar seu autor, através deste link de divulgação do lançamento. Indique para os amigos e parentes para adquirirem a obra. E se quiserem, adquiriam a obra para prestigiar o trabalho do autor!

C HerdeirosCosmicos

Duzentos e cinquenta mil anos atrás, muito antes do surgimento do Homo Sapiens na Terra, um grande império sideral formado pela coalizão pacífica de diferentes raças florescia a quase dezesseis mil anos-luz distante de nosso próprio setor galáctico; uma Era de Paz, desenvolvimento tecnológico, econômico e cultural sem precedentes perdurava a milhares de anos, sob o comando e orientação firme do povo cientificamente mais avançado dentre todas aquelas espécies.

Mas esta “Era de Paz” estava destinada a terminar de forma abrupta, com o surgimento de uma nova espécie agressora oriunda do centro da galáxia e que, agindo como um enxame de gafanhotos, atacava com suas frotas imensas, destruindo planeta após planeta habitado da coalizão, eliminando sem piedade toda a vida nativa, somente partindo após esgotar completamente os recursos naturais existentes, agindo de forma sistemática na conquista de cada sistema solar encontrado pelo caminho, não sendo possível se contrapor belicamente ao inimigo implacável.

Impotentes diante da iminente extinção, num último esforço de preservação daquelas raças pacíficas, uma frota de 21 naves conseguiu fugir à destruição iminente, buscando refúgio num setor galáctico afastado da guerra, onde pudessem colonizar e recomeçar a civilização; entretanto, nem todas as naves conseguiram chegar ao destino, dentre elas, a única nave-arca da pequena frota, responsável por conduzir milhões e milhões de embriões do povo principal e das diversas outras raças daquela coalizão, acabando de vez com as esperanças de uma recolonização e de um ressurgimento no futuro.

Diante da catástrofe consumada e da inevitável extinção, os orgulhosos remanescentes do povo principal e os poucos representantes das outras raças pacíficas componentes das tripulações da pequena frota, se fixaram em nosso setor espacial, elaborando um plano de contingência que levaria milhares de anos para se concretizar, buscando um dia deixar o seu imenso legado tecnológico para os descendentes de uma nova raça híbrida, seus próprios descendentes genéticos longínquos, mas somente quando estes estivessem amadurecidos o suficiente para possuírem e aplicarem a verdadeira consciência cósmica.

Deste modo o chamado Grande Plano começou a tomar forma, através da manipulação genética acelerando a evolução direcionada dos primitivos hominídeos do terceiro planeta de um pequeno sistema de sol alaranjado escolhido para ser o destino final daquela expedição de colonização e o centro da futura raça dominante daquele setor galáctico.

Inicialmente adorados como verdadeiros deuses, aqueles alienígenas altamente desenvolvidos tecnologicamente e seus companheiros de outras raças que compartilhavam o mesmo destino cruel, acompanharam de perto a evolução direcionada dos primitivos hominídeos nativos daquele planeta ainda selvagem, realçando as características positivas e buscando eliminar outras indesejáveis, sem entretanto, interferir demais nos próprios caminhos naturais da evolução daquela espécie.

A principal manipulação realizada naqueles seres situava-se no desenvolvimento das capacidades mentais e neurológicas, preparando e ampliando o cérebro daqueles indivíduos primitivos para capacitá-los a se tornar a raça dominante dentre as demais espécies nativas, dotando-os de inteligência superior e habilidades manuais capazes de diferenciá-los dos simples animais, de modo que num futuro ainda distante, estivessem aptos a absorver e desenvolver todo o conteúdo tecnológico e o conhecimento cultural daquelas raças, para que o grande legado cósmico não fosse perdido.

De igual modo, filamentos genéticos específicos retirados dos próprios alienígenas do povo principal foram hibridizados aos filamentos genéticos de alguns exemplares daqueles hominídeos primitivos cuidadosamente escolhidos, no intuito de acelerar ainda mais a evolução e seleção natural daquela espécie, resultando com esta prática no surgimento de alguns indivíduos muito mais inteligentes e capacitados que os demais de sua própria espécie a cada nova geração, além de transmitir a memória genética de cada um destes indivíduos aos seus descendentes diretos, permanecendo tais memórias latentes e adormecidas nestes indivíduos especiais, buscando então chegar à perfeição.

E assim, a partir daqueles primeiros experimentos e manipulações genéticas que resultaram no surgimento dos primeiros exemplares do Homo Sapiens alguns milhares de anos depois, todos aqueles alienígenas deixaram nosso planeta, fixando-se em bases espalhadas em nosso próprio sistema solar e em muitos outros deste setor galáctico, esperando pacientemente que a evolução e seleção natural seguissem seu curso, sem nunca entretanto, deixar de monitorar à distância, nosso próprio desenvolvimento.

Esta é a narrativa do resultado final deste plano após duzentos e cinquenta mil anos de paciente espera, do tão esperado surgimento de um exemplar humano realmente possuidor da consciência cósmica que o distinguisse dos demais e tão aguardado há milênios, da sua luta e das suas dificuldades para preparação e unificação da Humanidade em prol de um grande salto evolutivo, bem como do próprio (re)nascimento de um novo império estelar, com os novos seres humanos da Terra assumindo seu papel como legítimos herdeiros dos antigos “deuses”...

Antonio Mello.

Imprimir Email

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.