PR-RP04 - Forja da Imortalidade

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

cRP04(288)

"No Planeta da Eternidade – surgem os Senhores da Galáxia"

Título Original: Schmied der Unsterblichkeit

Autor: Peter Terrid

Tradutor: Marcel Vilela de Lima

Revisores:
Augustus César
Marcos Roberto

Artista da capa alemã: Alfred Kelsner e Dirk Schulz / Horst Gotta

Conversão da capa brasileira: José Antonio

Publicação na Alemanha: 03/1987

Publicação no Brasil: Outubro/2012

Época: 24.000 aC.

Personagens principais: Agaia thetin, Selaron Merota, Gebdan Avalani, Gorn Fiaquor, Geolph, Ermia, Ermigoa Merota, Mirona thetin, Proht Meyhet.

Local da ação: Andrômeda.

Curiosidades:

O enredo do livro tem como pano de fundo os Senhores da Galáxia em contradição com as declarações durante o ciclo Os Linguides. Indicações nas explicações correspondentes no artigo "Ativadores Celulares".

O sobrenome "Thetin" para Agaia não é usado no livro, e Agaia é identificado apenas pelo primeiro nome. A suposição de que seu nome de família foi Thetin é derivado do fato de que Mirona falou o sobrenome em seus encontros com os terranos.

Com a criação do Fundo de Auxílio foi possível traduzir mais dois Romances Planetários, que ainda não haviam sido integrados oficialmente como livros a serem traduzidos pelo projeto (uma enquete decidiu que os RPs e Atlans continuariam a ser traduzidos pelo projeto). Os custos de tradução e revisão foram revertidos para um fundo que ajuda aos fãs adquirirem as cotas. Com isso tivemos este RP04 e o anterior, o RP03, traduzidos.

Resumo

Após o êxodo dos lemurenses para Andrômeda. Alguns jovens lemurenses viajam para um planeta remoto nos confins da galáxia. Entre eles Gebdan Avalari, Gorn Flaquor, Selaron Merota e sua amante, Agaia Thetin. No planeta apenas habitantes primitivos, aparentemente descendentes de refugiados lemurenses. Uma tempestade de areia separa o grupo, e Gorn Flaquor desaparece. Já nessa situação evidencia-se o sangue frio de Agaia. Gorn é encontrado com ferimentos graves perto de uma pirâmide com 200 metros de altura e com uma rede de estranhos e brilhantes fios que não poderia ter sido construída pelos nativos. De repente Gorn é envolvido por um campo brilhante e seus ferimentos são curados. Os nativos os reverenciam e Agaia imediatamente exige a submissão de todos eles.

Mais tarde Selaron e Agaia acham ter encontrado o segredo da imortalidade nesse mundo. Agaia quer usá-lo em seu proveito e Selaron concorda. Agaia retorna para Lemuria e Selaron fica no planeta para conquistar a confiança dos nativos. Conversando com um velho sacerdote à beira da morte, este lhe diz que o “sopro da criação” era limitado pelo equilíbrio do poder. Aparentemente esse homem tinha mais de 200 anos e quando morre se decompõe rapidamente. Selaron é aclamado como o novo sacerdote da tribo. Agaia retorna com robôs de combate e amplo material de pesquisa.

Selaron descobre que o material e a forma do templo são cruciais e um multiquartzo de vibração multidimensional foi instalado nele. Então ele constrói uma cópia do templo em escala 1:10 em quartzo puro. Este templo é de muitas maneiras, mais eficaz que o original e cura até ferimentos graves. Selaron trabalha na substituição das células individuais de crescimento e finalmente consegue copiar um pássaro, mas ainda não é possível a transferência da linguagem paramecânica do original para a cópia.

Em uma festa dos nativos Selaron conhece a garota Ermia e passa a noite com ela. Dessa relação nasce à menina Ermigoa. Mas Agaia está esperando uma filha de Selaron, que ao nascer recebe o nome de Mirona.

Selaron desenvolve uma máquina de duplicação – o primeiro Multiduplicador.
Passam-se os anos e as duas meias-irmãs crescem e pelas suas frequentes discussões e brigas, vê-se que não se entendem.

Selaron continua as pesquisas e constrói um artefato que torna seu portador relativamente imortal. Agaia batiza esses dispositivos de ativadores de células. No entanto, eles têm um inconveniente: para se ajustar ao portador é preciso fazer um modelo atômico e isso também poderia ser utilizado para a produção de duplicatas no Multiduplicador.

Selaron viaja com Agaia para a LemúriaLemúriaDefinição: Antigo continente da Terra, que afundou durante o ataque dos halutenses selvagens há cinquenta milênios. Era uma massa de terra imensa, que abrangia os dois territórios americanos do tempo atual, bem como grande parte do oceano Pacífico. Estendia-se na direção sul-norte, a partir da ilha de Páscoa, mais ou menos até a altura da cidade de Vancouver. Na direção leste-oeste, começava na ilha de Páscoa e terminava mais ou menos no arquipélago de Fiji. Cadeias de montanhas desconhecidas estendiam-se da costa leste à costa oeste, e um gigantesco platô erguia-se como uma corcova de pedra no lugar em que mais tarde ficaria submerso esse continente e onde hoje fica a costa leste da América. Foi ali que surgiu e se desenvolveu a chamada Primeira Humanidade, os lemurenses....
a fim de recrutar novos cientistas, e lá conhece um conselheiro Tam chamado Proht Meyhet. Após vários contatos se reúne um grupo de 13 renegados que conspiram contra o governo, e seu chefe é conhecido como Fator I.

No voo de volta, encontram um transmissor solar e entram em contato com os engenheiros solares. Para sua surpresa, Selaron descobre que Agaia tem guardados vários moldes atômicos.

De volta ao planeta ermo, Selaron faz experimentos com os duplos criados por ele e também com Agaia, Mirona e Ermigoa. Como os duplos tinham uma programação hipnótica implantada, são completamente leais. Nos anos e décadas seguintes é desenvolvido um transmissor de tempo e o planeta ermo é batizado de Tamânia. Agaia planeja tomar o poder do império lemurense para renová-lo, pois ela não é outro senão o Fator I. Selaron é forçado por Agaia a trabalhar ainda mais para construir um grande transmissor solar hexagonal. Os engenheiros solares devem ser mandados ao passado para a Via Láctea para construir um transmissor idêntico que possibilite a fuga dos lemurenses. O projeto leva 270 anos para ser concluído, mas funciona. O planeta LemúriaLemúriaDefinição: Antigo continente da Terra, que afundou durante o ataque dos halutenses selvagens há cinquenta milênios. Era uma massa de terra imensa, que abrangia os dois territórios americanos do tempo atual, bem como grande parte do oceano Pacífico. Estendia-se na direção sul-norte, a partir da ilha de Páscoa, mais ou menos até a altura da cidade de Vancouver. Na direção leste-oeste, começava na ilha de Páscoa e terminava mais ou menos no arquipélago de Fiji. Cadeias de montanhas desconhecidas estendiam-se da costa leste à costa oeste, e um gigantesco platô erguia-se como uma corcova de pedra no lugar em que mais tarde ficaria submerso esse continente e onde hoje fica a costa leste da América. Foi ali que surgiu e se desenvolveu a chamada Primeira Humanidade, os lemurenses....
é evacuado para cumprir sua nova função de regulador e controle do transmissor do tempo. Milênios mais tarde os terranos o conhecerão pelo nome de Vario.

Selaron completa seu último grande projeto: o ativador celular autossuficiente. Produz de 15 a 20 unidades do aparelho e entrega a maior parte para Agaia, mas reserva um para ele mesmo e outro para Ermigoa. Agora ele quer se aposentar definitivamente.

Em uma conversa surpreendente com um ex-sacerdote dos nativos Selaron conta sobre os ativadores e o sacerdote fica horrorizado. Ele revela a Selaron que todos esses dispositivos são alimentados com a vitalidade do povo de seu criador. Os ativadores e duplicadores, portanto, são os responsáveis pelo desaparecimento dos lemurenses. Selaron fica chocado e quer fugir com Ermigoa.

No laboratório, ele se reúne com Agaia e Mirona. Mirona quer fazer uma experiência e duplicar seu ativador celular, pois não quer mais depender de seu pai. Selaron sabe que isso não é possível e que o ativador será destruído com isso, mas não fala nada, pois acredita que Mirona terá seu próprio julgamento e castigo destruindo seu ativador. O multiduplicador é ligado e como era esperado o ativador é destruído. Mas para horror de Selaron, Mirona não usou o seu ativador na experiência e sim o de sua mãe. Assim, Agaia é condenada a morte. Mirona ordena a morte de todos os duplos presentes e também a de Selaron. Mas Agaia mantém sua autoridade e permite que Selaron e Ermigoa fujam. Os dois deixam o planeta em uma nave. Mirona quer usar o transmissor do tempo para localizá-los, mas não consegue encontrá-los novamente.

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir Email

Você não tem permissão para comentar. Faça seu login no site ou se registre, caso não tenha um login no site.

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.