PR1937 - Vozes do Hiperespaço

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

PR1937

"Cinturão de asteroide local – agentes perseguindo o mutante da morte"

Título Original: Stimmen aus dem Hyperraum

Autor: Uwe Anton

Tradutor:

Artista da capa alemã: Swen Papenbrock

Publicação na Alemanha: 06/10/1998

Publicação no Brasil: 

Época: Junho de 1290 NCG

Local da ação: Sistema Solar

Personagens principais: Noviel Residor, Vincent Garron, Thorssen Grunnwall, Peer Wallasch, Tuyula Azyk, Jilhem Voss

Curiosidades: 

Visão Geral

Resumo

Vincent Garron conseguiu escapar do cerco da LTL e do SLT. Ao que parecia, o mutante tinha treinado e desenvolvido capacidades alarmantes durante o tempo em que esteve em coma. Pelo que se pode deduzir das últimas vítimas autopsiadas do mutante, Garron – que é classificado de “detonador genético” – pode fazer as células de suas vítimas arrebentarem como numa explosão. Garron também é um teleportador e consegue dar saltos estimados em até 400.000 quilômetros, um fato que torna ainda mais difícil aprisionar o mutante. Como se isso ainda não fosse suficiente, Garron possui também habilidades sugestivas – ele pode influenciar e impor sua vontade a aproximadamente cem pessoas num raio de cerca de trezentos metros. Por fim, como um hiperceptor, ele consegue perceber processos hiperfísicos.

Como consequência da fuga de Vincent Garron, Noviel Residor, o novo chefe do SLT, havia fechado hermeticamente o Sistema Solar. Todas as naves entrando e saindo do sistema são submetidas a um controle rigoroso, e os agentes do SLT estão equipados com detectores psi e escudos anti-ésper. Como Residor sabe que Vincent Garron encontra-se no cinturão de asteroides e se esconde com a ajuda de suas capacidades sugestivas, o chefe do SLT faz Nathan procurar por notícias contraditórias ou estranhas – e ele acaba encontrando! É divulgada uma mensagem a respeito da presença de um ser conhecido como “trox” em uma das numerosas estações do cinturão de asteroides. Contudo, Nathan confirma que uma criatura como essa não era vista no Sistema Solar há mais de duzentos anos. Noviel Residor envia seus agentes imediatamente para lá.

Enquanto os agentes do SLT saem à caça do mutante com escudos anti-ésper e detectores-psi, Vincent Garron sente-se relativamente seguro. O mutante havia sequestrado durante a sua fuga a garota blue Tuyula Azyk, que também é paranormal e pode ser considerada uma conversora-psi. Com seu dom ela pode transformar energias psíquicas, amenizando-as ou fortalecendo-as. Vincent Garron tenta travar um tipo de relação com Tuyula e dá, como num solilóquio mudo, algumas explicações sobre suas motivações para matar. Mais uma vez, Garron fala de uma hiperforça estranha e sua missão de exterminar as cores do universo. É como se o mutante estivesse possuído ao falar. Ele narra sua visão do hiperespaço, e como só ele o percebe. Ele fala também do dia em que se envolveu no acidente com o space-jet e recebeu o “contato”. Desde aquele dia, uma criatura, que se denomina Quotor, fala com ele. Quotor é igual à hiperforça e ordenou-lhe que exterminasse tudo que fosse colorido. A criatura havia ajudado Garron a se orientar no infinito do hiperespaço e mostrado-lhe em tons monocromáticos os amontoados coloridos do hiperespaço. Esses amontoados coloridos eram, na verdade, apenas as “impressões” ou marcas das criaturas do universo normal, mas eram coloridas e Quotor descreveu-as como o Mal absoluto.

Na caçada ao mutante, os agentes do SLT têm seu primeiro progresso. Vincent Garron tinha conseguido roubar sem problema dois seruns de uma nave da LTL – um traje para si e outro para Tuyula Azyk. Seguindo nessa pista, tudo indica que o mutante escolhera como objetivo a Terra.

Enquanto a LTL reforça suas medidas de segurança no Sistema Solar, Atlan voa numa nave auxiliar da RICO. Logo depois que o cruzador VESTA pousa em Terrânia, o arcônida encontra-se de imediato com Cistolo Khan e eles trocam as últimas informações. Assim, por exemplo, os dois homens discutem os últimos acontecimentos em Árcon I, onde os solmothes tinham conseguido receber os povos do Galacticum em uma mesa de negociações. Após os assuntos gerais, Atlan vai direto ao que interessa: Vincent Garron! O arcônida temia que, por causa das devastadoras ações do mutante, a atual direção da LTL pudesse perder o apoio da população. O adversário político de Paola Daschmagan já estava subindo continuamente nas pesquisas e havia o risco de que a administração atual perdesse a próxima eleição.

Ao mesmo tempo, ocorre uma conversa similar, só que através de um hipercanal protegido contra escuta. Joskar Jankinnen, o grande bilionário mongol, chamado simplesmente de J.J., está ligado com Solder Brand. J.J. coloca Brand a par do incidente da fuga do Mutante da Morte, Vincent Garron. Para ele é perfeitamente claro que a catástrofe pode ser usada a favor da campanha política de Brand.

Enquanto isso, todas as pessoas que possam mostrar algum tipo de talento psi latente são examinadas no Sistema Solar. Os detectores-psi da LTL são encontrados em toda parte e um grande batalhão de robôs e agentes está em toda parte. Mas apesar de todas as medidas, Vincent Garron consegue chegar à Terra e permanecer incógnito. Quando o mutante começa a reunir informações para si através de programas de trivídeo, a imagem de um solmothe chama-lhe a atenção. De repente, sua missão fica clara para ele. Aquelas são as criaturas que ele deve exterminar por ordem do hiperpoder de Quotor! Os solmothes são os responsáveis pelas impressões coloridas do hiperespaço – para Garron, eles representam as cores do mal!

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir