Nanoferas

Márcio Inácio, um fã de Perry RhodanPerry RhodanDefinição: Administrador-Geral do Império Solar. Desde o final do século XX, Perry Rhodan tem sido reeleito sucessivamente para o cargo, pois foi ele quem, com a ajuda da tecnologia arcônida, unificou a Terra e evitou um conflito nuclear global. Perry Rhodan parou de envelhecer em 1976, quando recebeu do superser Aquilo uma ducha celular....
, criou sua própria trilogia de livros do Perryverso. Sua trilogia em parceria com o Projeto Traduções, trás uma incrível história disponibilizada sem custos pelo seu autor.

Está seção é toda ela dedicada exclusivamente aos Nanoferas - as novas lendas do Perryverso. Vejam a sinopse da trilogia, resumo dos livros, capas, etc..

Os livros são disponibilizados para download em ePub, Doc, PDF e Mobi nos moldes já consagrados do Projeto Tradução a medida que são escritos e editados. Acompanhem essa fantástica série feita de fãs para fãs e por um fã.

O começo

A história começa em 1285 NCG, no meio do ciclo Tolkanders, e a sua ação é entre 1345 NCG e 1517 NCG. Cientistas criam os nanoferas e os mesmos, junto com os siganeses e pos-bis, ajudam, pouco mais de 100 anos depois, na luta contra a Monarquia Frequencial, daí para frente, só AQUILO sabe…

Nanoferas 1 - Como Surgem as Lendas

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Livro 01 - Como Surgem as Lendas

Este livro é uma publicação comercial e está liberado somente para integrantes do Projeto Traduções.

nanoferas1Na primeira parte da história, estamos em 1285 NCG, durante a luta contra as Colunas Terminal TRAITOR, um ara (Lakah Talla) e um cientista genético terrano (Zoela Leko) são encarregados pela LTL de investigar os destroços de uma barca skapalm, junto com um esquadrão oxtornense cujo comandante é Rakzer Vawon, descobriram no mesmo um coluna-anatomista (Palvorg Druex) semivivo após a explosão da barca skapalm numa célula de sobrevivência. Junto à célula, havia uma cultura de garras de laboraten, microbestas in vitro e uma macrobesta congelada. Após o contato inicial, os dois conseguem acesso a pesquisa, mas ficam presos junto com o coluna-anatomista numa estranha anomalia temporal que atingiu todo o planeta após a explosão de uma Coluna Terminal TRAITOR dentro do sistema solar em questão.

Juntos, decidem criar uma nova espécie de microbesta. Na experiência eles estudam a macrobesta e conseguem duplicar o estômago conversor e cérebro programador, que as microbestas não possuem. Curiosamente, só é possível quando miniaturizam o processo de criação de microbestas em mais 25%, ficando as mesmas com um tamanho final de 15 cm, quase o mesmo que siganeses, sendo assim, eles batizam eles de nanoferas. Além disso eles decidem não manter a estrutura de células secundárias, mais conhecida como conversão celular, ao invés disso, aplicam a adaptação ambiental dos oxtornenses, assim não são tão resistentes como as microbestas (terconite) mas, são resistentes como oxtornenses com a vantagem de manterem a velocidade normal o tempo todo. O único porém é que devido a mudança genética os nanoferas são albinos e só ficam com a pele negra quando ficam grávidos ao invés de verde como os halutenses.

Imprimir Email

Nanoferas002 - O Primeiro Voo da LEMY DANGER

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Livro 02 - O Primeiro Voo da LEMY DANGER

Este livro é uma publicação comercial e está liberado somente para integrantes do Projeto Traduções.

C Nanoferas2Na segunda parte da história acontece a criação das naves, alianças e reorientação galactopolítica.

A história começou em 1285 NCG, no meio do ciclo Tolkanders, e a sua ação é entre 1345 NCG e 1517 NCG. Cientistas criam os nanoferas e os mesmos criam tecnologias inovadoras e naves espaciais como nunca vistas. Ao escaparem da anomalia procuram os siganeses, pos-bis e swoons e iniciam o caminho, pouco mais de 100 anos depois, na luta contra a Monarquia Frequencial, dai para frente, só AQUILO sabe…

Imprimir Email

Nanoferas - Genealogia

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

A nova genealogia das bestas-feras.

Nano3Nanoferas

Os nanoferas vêm dos chamados microbestas e macrobestas e são um povo de cientistas, pesquisadores e especialistas unissexuais. Seu planeta natal é Arazi.

Aparência
Os nanoferas têm 15 centímetros, cerca de um quilograma, cérebro programador e estômago conversor.

Fisiologia

Processamento de informação

Nanoferas têm dois cérebros, separados por uma fina camada compacta estrutural de garras de laboraten: a parte superior, o cérebro ordinário, é como um cérebro normal e cuida das funções do corpo e emoções. A parte inferior, apesar de menor é um cérebro planejador e funciona como um computador orgânico com o desempenho de um cérebro positrônico. Ele permite que os nanoferas façam cálculos complexos com rapidez e precisão e possam tirar conclusões absolutamente lógicas.

Normalmente ambos os cérebros operam sincronizadamente, mas é também possível ao nanofera dissociar os dois cérebros. Como resultado, assim como halutenses, nanoferas praticamente não podem ser influenciadas espiritualmente, porque mesmo com manipulação do cérebro ordinário o cérebro planejador pode assumir o controle do corpo e pode resolver logicamente o problema.

Lavagem Forçada

Após estudar a macrobesta, regenerador psicogênico, história dos halutenses e lemurenses, os criadores dos nanoferas garantiram que os mesmos fossem mais combativos. Através do controle molecular das garras de laboraten os nanoferas têm a capacidade de entrar em Lavagem Forçada de modo automático. Basta um simples pensamento e a sua estrutura corporal muda os hormônios para o modo agressivo.

Nesse estado os nanoferas permanecem conscientes e não perdem o raciocínio, mantendo-se inteligentes e focados no objetivo.

Transformação Estrutural e Metabolismo

Devido ao constante controle molecular para terem as melhorias que as microferas não têm, eles não têm a estrutura de células secundárias, mais conhecida como conversão celular.

Com aplicação de genética de adaptação ambiental ao estilo Oxtorne os nanoferas são tão resistentes como oxtornenses com a vantagem de manter a velocidade normal o tempo todo. Porém, só conseguiam se manter no vácuo por 20 minutos, o tempo máximo em podiam prender a respiração. Como não tinham o corpo preparado para a conversão estrutural, elas eram albinos e só ficavam com a pele negra quando estavam grávidos ao invés de verde como os halutenses.

Seu sistema digestivo, também conta com um estômago conversor que pode extrair e converter as substâncias necessárias ao metabolismo a partir de qualquer material digerido. Do mesmo modo, as toxinas são neutralizados. Os nanoferas são verdadeiros gourmets, apesar do estômago conversor, apreciam e saboreiam todos e quaisquer sabores.

Os nanoferas não foram forçados a servir, desde o início, foram tratadas como iguais pelos presos temporais e foram colocadas a par de todas a história galáctica. Não se sabe se devido a isso, ou aos regeneradores psicogênicos, eles são tão ou mais afetuosas que um halutense. O famoso Icho Tolot é cultuado como um deus por elas. Têm um profundo senso de cortesia. Ao que parece, característica de todos os seres pequenos, porque os galácticos presos no campo temporal só tinham visto tal comportamento de forma tão acentuada nos pequeninos swoons ou mesmo siganeses.

Ascendência

nanoascendencia

Principais nanoferas conhecidos:

  • Synor Roex e família;
  • Zodur Synthnon e família;
  • Akrys Lashras e família;
  • Machm Tharlain e família;
  • Ankai Poxtron e família;
  • Avorg Zac e família.

Imprimir Email

Nanoferas - Glossário

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Zoela – Zoela Leko Nettow Fugen, também conhecido como Tonzuc Vorgki: ele é alto, magro e esbelto. Os olhos são castanhos e o cabelo preto. Possui uma pequena cicatriz na orelha esquerda, que muitas vezes fica vermelha, quase rubra, quando fica com vergonha, e que ele esfrega distraidamente quando está pensando. A sua meta atual é construir uma força de combate capaz de ajudar a LTL a lutar contra os invasores TRAITOR. Nascido em 25/03/1294 NCG em Terrânia, Terra. Possui 1,82 metro e pesa 70 kg. Ele é um terrano, cientista genético e cosmopsicólogo criador dos nanoferas.

Lakah – Lakah Talla: como todo ara, ele é alto e muito magro e têm um crânio calvo, apontado para cima. A cabeça de Lakah tem formato pontudo, e não têm cabelo. Seus membros são extremamente finos. Os olhos são juntos. Seu pequeno nariz é severamente retorcido.

Palvorg – Palvorg Druex: ele era um dos mais conhecidos coluna-anatomistas. O feio coluna-anatomista têm apenas 1,50 metro de altura, e possui um exoesqueleto danificado. Após inúmeras operações cirúrgicas, seu corpo é desigual, mesmo entre os coluna-anatomistas, estava equipado com um terceiro olho e três excrecências em formato de cúpulas sobre a cabeça e inúmeros dentes serrilhados como um tubarão. Palvorg é conhecido, justamente pelo mesmo ser um dos principais inimigos. Grande parte dos duplo capitães que assolavam a galáxia, inclusive Dantyren o duplo formado por Roi Danton e Yrendir foram feitos por ele, junto com o anatomista Sheymor Merquin. Não possui um simples capacete anatomista. Seu corne triplo é um capacete anatomista modificado. Ele simplesmente incorporou o mesmo ao seu corpo. Ele é o único coluna-anatomista em redenção conhecido.

Rakzer – Rakzer Vawon: comandante oxtornense. Principal treinador dos nanoferas e responsável, junto com os outros oxtornenses, pelo bom humor e moral de todos.

Tonzuc – Tonzuc Vorgki: novo nome de Zoela na forma do micropaladino pos-bi.

Synor – Synor Roex: nanofera de 1ª geração, especialista em robótica e criador dos TARA-M.

Zodur – Zodur Synthnon: nanofera de 1ª geração, especialista em localização e criador da combiarma synth.

Akrys – Akrys Lashras: nanofera de 1ª geração, chefe do departamento de rádio e localização e criador do componente lash.

Machm – Machm Tharlain: nanofera de 1ª geração, mestre de hangar, criador do hovalatronital e idealizador dos oxtorpos-bis.

Ankai – Ankai Poxtron: nanofera de 1ª geração, hiperfísico e criador dos microapoiadores.

Avorg – Avorg Zac: nanofera de 1ª geração, porta-voz dos nanoferas, ele e seus descendentes estiveram intimamente envolvidos nos projetos de Synor, Zodur, Akrys, Machm e Ankai. Juntou todos os outros projetos e integrou ao SERUN-FERAL. Desenvolvedor e organizador da formação de batalha 5214. Reestruturou os microapoiadores para componentes de 1x1 cm a serem encaixados nos cintos TM e adaptou toda a tecnologia de fabricação dos galácticos miniaturizando ainda mais os componentes e mantendo o mesmo desempenho.

Oxtorpos-bis – abreviadamente chamados como oxtorpos e também conhecidos como pulgas oxtornenses: são robôs pos-bi com cérebros oxtornenses e hovalatronital. Cada um carrega um cinto com 9 compartimentos TM (CTM) com capacidade para 2.000 TM cada e um módulo central com um componente lash integrado. No coldre acoplado também há uma combiarma synth. Nas costas, carregam um conjunto de 2 microapoiadores. Os oxtorpos são como o modelo oxtornense, carecas, e possuem implante de lentes oculares ao estilo de Monkey para visão normal, telescópica, microscópica e infravermelha e um braço robótico ao estilo pos-bis para eles serem constantemente lembrados que apesar de terem no lugar da massa plasmática um cérebro oxtornense, os mesmos eram conceptos duos assim como o dr. Vorgki. Pois a personalidade oxtornense é muito forte e se não fosse isso, corriam o risco deles isolarem o componente positrônico e assim, ao longo do tempo, enlouquecerem.

Micropaladino: um micropos-bi com cérebro de terrano ultracondensado e convertido para plasma, mantendo a consciência original que forma um duo concepto com um componente positrônico miniaturizado de um pos-bi. Baseado nas especificações conhecidas de Paladino miniaturizadas ao máximo. Como não é necessário ter passageiros, foi usada toda a técnica da microtecnologia siganesa, membros sintéticos cantaros e genética coluna-anatomista para criar um micro-halutense de 30 centímetros. Devido a alta tecnologia, tinham a força e velocidade de reação de um oxtornense. Não se comparam a um halutense, mas podem enfrentar tranquilamente até mesmo um ertrusiano!

Micropaladino hovalatronital: por praticidade, simplesmente é chamado também de micropaladino. Porém, ao mesmo foi incorporada hovalatronital maleável para formar toda a estrutura dos membros sintéticos cantaros e por fora o corpo dele é praticamente um SERUN-FERAL, o que não impede o mesmo de vestir o seu próprio SERUN-FERAL, efetivamente dobrando a sua capacidade. O mesmo, apesar de continuar com 30 cm é capaz de combater até mesmo um halutense.

TARA-M: Nanorrobôs de cinco milímetros, com estrutura similar a zooides ectoproctos, seu formato permite a junção em qualquer tipo de armamento ou unidade necessária. A estrutura dos TMs é possível aproveitando-se 3 características: a descoberta de um novo material pentadimensional com características semi-hexadimensionais, dotado de uma estrutura que podia ser convertida numa estrutura de células secundárias semelhante ao metabolismo dos halutenses. O uso de nanocérebro semilógico totalmente programável a partir das garras de laboraten. A terceira característica, é que após unidos os TM podem intercambiar seus nanocérebros semilógicos. Dessa forma ao formar um robô, um micro-TARA V, por exemplo, o intercâmbio dos nanocérebros já trará o conjunto de instruções completas de qualquer robô terrano recém-construído, bastando apenas a programação básica.

Combiarma synth: a mesma é uma invenção de Zodur e solta uma chama de 3 milímetros de espessura. A mesma sai da arma com 1.000 °C e só se apaga ao ser desativada, não precisa de nenhum combustível, apenas de qualquer elemento gasoso na atmosfera que seja inflamável no mínimo ao percentual de 1%.

Componente lash: esse componente especial criado por Akrys é uma microestação positrônica de controle. Com o tempo e habilidade certa, é possível fazer qualquer programação adicional nos TMs.

Hovalatronital: com as pesquisas dos TMs, Machm reorganizou o holvagônio estruturalmente para conter características similares ao aço atronital que é 35 vezes mais resistente que o terconite — 35 x 25,880 kg / m 3 — porém, até o ponto de fusão de 81.000 °C o material é maleável.

Microapoiadores: é um dispositivo multiúso feito especialmente para os nanoferas, todo ele é uma única estrutura voltada para dar apoio ao escudo paratron dos nanoferas. Cada um contém um microgerador paratron que reforça o campo protetor do SERUN-FERAL em até 300% num período de até 30 minutos. Em casos extremos, dois podem ser ligados ao mesmo tempo. Assim o campo paratron pode ser expandido para até 30 centímetros e aguentar uma carga de 500% por até 15 s. Algo muito útil num resgate ou assistência em batalha.

SERUN-FERAL: traje de combate extraordinariamente sofisticado, desenvolvido pelos nanoferas a partir do SERUN terrano. Além de todas a funcionalidades de um SERUN “normal” o mesmo têm incorporado um cinto especial com nove CTM, nove microapoiadores, um componente lash, uma combiarma synth. O mesmo é confeccionado com hovalatronital e possui um conjunto de três picosins, cada um responsável por uma área: defesa, ataque e ajuda médica.

Imprimir Email

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.