PR0137 - Assalto à Galáxia

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

PRBR 0137

Todos os povos galácticos unidos contra o avanço dos pos-bis!

Título Original: Sturm auf die Galaxis

Autor: Kurt Brand

Tradutor: Richard Paul Neto

Artista da capa alemã: Johnny Bruck

Publicação na Alemanha: 17/04/1964

Publicação no Brasil: 1979

Época: Julho de 2113

Local da ação: Thantur-Lok

Personagens principais: Olf Stagge, Perry Rhodan, Atlan, Kule-Tats, Van Moders, Reginald Bull, Gucky

Resumo

Na Terra, os dois melhores especialistas em bioquímica, o terrano Van Moders e o ara Kule-Tats, discutem a natureza do protoplasma pos-bi: para Moders é sintético enquanto que para Kule-Tats é somente biológico. Kule-Tats, o “fugitivo” que foi pego pela equipe de comando terrana da base aconense em Afzot, está sob a vigilância do mutante telepata e teleportador Olf Stagge.

Ao mesmo tempo, Perry Rhodan coloca em movimento a “Operação Lobisomem”: é um plano simulando uma “visita” de três naves pos-bis no Sistema Azul, a fim de obrigar os aconenses para se unir à coligação formada por todas as raças da Galáxia para lutar contra a ameaça pos-bi.

Moders e Kule-Tats chegam a um acordo. Durante uma reunião de cúpula, eles concluem que o protoplasma é basicamente uma natureza biológica que é capaz de pensar e que quanto mais a sua massa aumenta mais é necessário considerá-lo como um indivíduo, em outras palavras, um “planeta protoplasma” deve existir. Além disso, as máquinas descobertos dos pos-bis no planeta Frago seriam de fato concebidas para expandir o protoplasma de modo que ele sofra divisão celular.

No setor MJK-7 uma batalha terrível acontece entre um esquadrão de pos-bis e um esquadrão de laurins. O Império Arcônida decide ajudar os pos-bis a derrotar os laurins a fim de provar-lhes que eles não são hostis. Apesar disso, novas naves pos-bis emergem e se voltam contra os esquadrões arcônidas que imediatamente se retiram. Infelizmente, as naves pos-bis os perseguem e é na M-13 que a batalha recomeça. Atlan, em seguida, pede ajuda aos terranos.

Na Terra, Olf Stagge capta pensamentos de alegria e não de ódio emitidas pelo protoplasma e Moders conclui que os protoplasmas são capazes de aprender novas táticas, o que explica a ineficiência do canhão narcótico contra algumas naves dos pos-bis.

A situação é tão desesperadora em M-13 que Perry Rhodan pede a todas as raças da Galáxia para se reunirem a fim de lutar contra os pos-bis e de evacuar os planetas em perigo e como que por milagre muitas frotas dos saltadores e dos superpesados chegam como reforços. Numerosos esquadrões mostram provas de bravura. A batalha dura quatro dias e a derrota é iminente.

Mais 80 horas e será impossível evacuar os planetas arcônidas... mas sempre com a ajuda de Olf Stagge, Moders e Kule-Tats começam gradualmente a entender que o protoplasma inteligente também reage ao seu ambiente e pode sentir raiva. Poderia então acontecer que o protoplasma e as porções positrônicas interagirem-se uns com os outros provocando um conflito interno dentro dos pos-bis?

Para verificar isso, eles decidem tentar capturar uma espaçonave pos-bi que ainda não está imunizada contra os efeitos do canhão narcótico. Além disso, os mutantes (telepatas e teleportadores) são requisitados para uma missão de última cartada.

Uma espaçonave pos-bi pode ser imobilizada e uma equipe de comando se teleporta a bordo com os dois recipientes de protoplasma que já tinham sido “acalmados” anteriormente por oito telepatas. A bordo da espaçonave pos-bi os mutantes interceptam o pedido de socorro do comandante (que é uma enorme massa de protoplasma em ligação com os elementos positrônicos da espaçonave) que lhes pede “para salvar o mundo e amar o mundo!” e ainda assim eles são atacados pelos robôs.

Gucky consegue colocar o recipiente de protoplasma contra um dos depósitos que continha o comandante do espaçonave e ele capta algumas trocas de informações entre as duas entidades: o protoplasma informa seu comandante do excelente tratamento que recebeu dos terranos.

Os robôs pos-bis atacam os terranos e o comandante da espaçonave e apenas o sacrifício de Stagge salva a equipe de comando: ele entende que os impulsos de ódio não vêm do protoplasma, mas a partir das cúpulas do material orgânico que transmite as ordens do protoplasma para os robôs pos-bis.

Mas o sacrifício do protoplasma conclui que os terranos são, na verdade, a vida real e ele executa a última vontade de Olf entrando em contato com o suporte central. Enquanto isso, Rhodan acredita ter encontrado a resposta para a pergunta - “vocês são vivos de verdade?” - e transmite a resposta para o protoplasma.

Depois de várias horas de angústia as naves pos-bis subitamente cessam o fogo e dão tempo para que os últimos refugiados evacuem-se dos planetas a beira da destruição.

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções!

Clique aqui para criar uma Conta e, para saber como adquirir sua cópia oficial e ainda ter os benefícios de ser um integrante do Projeto Traduções, entre em contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Imprimir