PRNeo0053 - Encalhado na Noite

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

c-neo53

Título Original: Gestrandet in der Nacht

Autor: Oliver Plaschka

Tradutor: José Antonio

Artista da capa alemã: Dirk Schulz / Horst Gotta

Publicação na Alemanha: 27/09/2013

Publicação no Brasil: Junho de 2016

Época: Ano de 2037

Local da ação: Na comitiva do regente na última noite entre Hela Ariela e Thantur-Lok

Personagens principais: Perry Rhodan, Chabalh, Ishy Matsu, Ivan Goratchim, Belinkhar e Atlan

Curiosidades:

Visão Geral

Resumo

Perry Rhodan, Atlan da Gonozal, Belinkhar, Ivan Goratchim, Ishy Matsu e Chabalh aguardam impacientemente que a comitiva do regente inicie a viagem para Thantur-Lok. Trinta e seis saltos através da noite finita, na antiga TIA’IR, são um grande desafio. Atlan, que verá seu lar depois de dez mil anos, enquanto isso se preocupa com suas lacunas de memória. A primeira transição exige muito dele. O tarkanchar de Crysalgira está brilhando em azul-turquesa por horas. Atlan acredita que o espírito da princesa está soprando através da nave. Algumas transições mais tarde, Atlan desmorona febrilmente na central de comando da TIA’IR. Ele agarra o tarkanchar agora azul cintilante. Nele, explodem fenômenos de calor e luz. O salto o leva do mundo real para o mundo sobrenatural.

Sonhos febris de Atlan

Atlan se encontra novamente em sua torre na Atlântida. O ataque dos metanitas aparentemente é iminente. O pai de Atlan, o Imperador Gonozal VII, com seu escasso deslocamento, mostra que ele não dá valor à colônia em Larsaf III. Um arcônida jovem e discreto ganha acesso à torre sem ser notado pela positrônica. Ele alega que Crysalgira da Qertamagin o enviou e entrega a Atlan um pano de Crysalgira como prova. Ele deveria ir a uma posição a 67 anos-luz de distância de Larsaf III, e aguardar a salvação para si e para o Império. Com a esperança silenciosa de poder salvar sua colônia, Atlan se move para aceitar este convite obscuro. Ele vai até lá com a TOSOMA IX. Ele entra em uma espaçonave de um tipo desconhecido, e recebe seu ativador celular e os planos de construção do canhão conversor. Ele imediatamente envia os planos para o alto-comando da frota e retorna. Mas, a colônia em Larsaf III não existe mais. Ele se pergunta se deveria ser atraído e quem está interessado em sua relativa imortalidade. Ao ser abandonado pelo jovem arcônida, ele espera junto ao mar, sozinho com seus pensamentos e remorsos.

Atlan é arrancado de seu sono frio por Rico na cúpula submarina. 2036 é muito cedo. Rico afirma que pessoas não autorizadas invadem a cúpula, eles têm que fugir. Rico leva Atlan por espaços desconhecidos. Em uma delas há um transmissor. Atlan não tem conhecimento desse dispositivo. Antes de ser puxado para dentro do transmissor por Rico, ele acaba ouvindo a positrônica anunciando a Rico, que acaba de chegar com um veículo de reconhecimento arcônida. Quando saem do transmissor, Rico percebe que eles estão no mundo errado. Os seres que os recebem são como bonecas porque têm rostos planos e sem contornos e movimentos bruscos. Eles estão em Derogwanien. Antes de Callibso chegar, eles têm que deixar o mundo. Atlan provoca Rico com pequenos insultos, que então mostra reações muito ameaçadoras. Finalmente, Rico revela a Atlan atônito que ele trabalha para os poderes que lhe deram imortalidade. Ele fala da luta entre forças poderosas do Universo, também AQUILO e Callibso estão entre eles. Os anões podem ter a aparência externa de humanoides, mas eles são fantoches, com o próprio humor de Callibso. Quando Rico conclui os preparativos da fuga, eles dominam os guardas. Rico assume a forma de um boneco. O caminho para o transmissor está livre. Callibso chegou bem na hora, no outro extremo da cidade. Os bonecos, agora completamente mudados, celebram a chegada de seu senhor Callibso, se despojam de sua aparência de madeira sem contornos, e agora aparecem como seres de carne e osso. Apesar do êxtase, eles percebem a tentativa de fuga. O androide pôde fazer o transmissor funcionar novamente. Atlan e ele deixam Derogwanien.

Atlan encontra-se com Rico em um mundo desconhecido. Ele tem uma bela vista da Via Láctea. Até Rico está impressionado com a grandeza. Ele explica a Atlan que ele é a ferramenta desses imensos poderes no Universo. Eles são responsáveis por seu encalhamento. Atlan da Gonozal deveria ser o mentor da Humanidade. Agora ele é necessário para uma tarefa mais urgente. Ele tem que salvar o Grande Império. Um regente teria eliminado o imperador. Suas políticas expansionistas agressivas ameaçam o equilíbrio e, portanto, o Império Arcônida. Dolorosamente, Atlan percebe que Rico influenciou e guiou-o em nome desses poderes. Ele também registra certo orgulho por ter sido escolhido para esta tarefa.

Mais uma vez, os dois passam por um transmissor. Eles se encontram novamente em Topsid. Rico trabalhou na forma de um tópsida por algum tempo para a derrubada do déspota Megh-Takarr. Além disso, ele colocou Vigilante como líder da oposição. Atlan lembra que ele foi esse Vigilante. Ele devia transmitir credibilidade aos tópsidas, para que eles derrubassem seu governante. A política do déspota chamará a atenção do regente e subjugará Topsid. Rico acha que Atlan pode convencer os lagartos a ajudá-los a expulsar o déspota e o regente. Surpreendentemente, Rico entrega um segundo ativador celular. Atlan deve colocá-lo em um arcônida de alta posição para causar problemas nas proximidades do regente. A ganância pela imortalidade derrubará o séquito do regente. Logo chegará a hora em que Atlan verá sua terra natal novamente.

Depois de mais de uma semana que Atlan passou febrilmente, ele volta a si. Ele acredita que essas memórias não são manipuladas por Rico.

 

Na comitiva do regente

Pouco antes da primeira transição, a timoneira da comitiva descobre que os Guias proibiram a partida. A comitiva tem duas naves a mais para cumprir o Gwalontar prescrito. A furiosa da Achran permite que o Guia Khe’Rhil, também conhecido como Anra’Thir’Nom, que desde então veio a bordo, sinta seu descontentamento. Ela o trata de forma condescendente e provocadora. Contudo, ele insiste silenciosamente sobre os regulamentos de motivação religiosa. Ele não quer perder a boa vontade de Anetis para a jornada. Khe’Rhil decide levar pessoalmente a comitiva através do abismo. Cada vez mais Ihin da Achran precisa registrar falsas transições e fenômenos erráticos no diário de bordo. Até mesmo a falha incomum de toda uma cadeia de boias de hiper-rádio é uma das peculiaridades da jornada. A inquietação surge nas naves. Mais e mais viajantes estão se voltando para Khe’Rhil em sua insegurança e ansiedade. A Khestan não pode permitir-se que seja baseado nisso. Ela procura o Guia e pede-lhe para acabar com a sua conversa supersticiosa. Khe’Rhil não é dissuadido por isso. Quando ele sugere a Khestan que a TIA’IR seja deixado para cumprir o Gwalontar, Ihin rejeita indignada. Khe’Rhil está ciente do favor de Anetis para Perry Rhodan, mas o interesse da timoneira na TIA’IR é obscuro para ele. No meio da jornada, em órbita ao redor de Hamtar-18, Anra’Thir’Nom insiste em realizar uma cerimônia de agradecimento para Anetis. O Khestan considera que a participação é uma boa oportunidade para acalmar suas mentes. Ela quer demonstrar externamente sua estreita cooperação com o Alto Guia. A cerimônia será na LINH-KHAISIL. Khe’Rhil convida Ihin para ser o primeiro a se comunicar com Anetis. Mas, ela experimenta uma surpresa. A voz familiar de Charron fala com ela. Quando a audiência termina, ela acha que o Guia tem algo a ver com isso. Contudo, ele não tem conhecimento.

 

O incidente da ORESTOS

Novamente no caminho, Anra’Thir’Nom recebe uma ligação da timoneira da central de comando. A comitiva perdeu a espaçonave ORESTOS na última transição. Ela não pode ser encontrada dentro da grande quantidade de lugares. Enquanto a VAREK’ARK, um pouco mais tarde, está em busca da ORESTOS, a Khestan relutantemente deixa o comando para o Alto Guia Khe’Mha’Thir. Finalmente, ele consegue encontrar a nave seriamente danificada dos servos das estrelas. Ihin da Achran decide ir a ORESTOS e procurar por sobreviventes, mesmo que o Guia a desencoraje. A nave dá a impressão de que deve ter sido devorada. Khe’Rhil está convencido de que os demônios estelares estiveram trabalhando ali. Ihin da Achran se mantém contra essa superstição selvagem. O esquadrão surpreendentemente encontra um sobrevivente. O missk Shreer fala de problemas com a transição para Hamtar-14. Devido a uma grave violação de segurança, pouco antes do salto, a ORESTOS perdeu a conexão. Ao mesmo tempo, o estilo de liderança de Achran aparece com uma luz ruim. Quando o missk acordou de um desmaio, a nave estava vazia. Tripulantes e cápsulas de resgate sumiram. Pouco depois ele viu grandes silhuetas além da nave. O missk chama ansiosamente repetidamente por Enthach, o Demônio Estelar, enquanto a ORESTOS começa sua própria vida. Os sistemas anteriormente desligados recuperam energia, mas apenas para mostrar uma contagem regressiva. Anra’Thir’Nom tenta espiar por meio da meditação e seu corpo filma os batimentos cardíacos da nave. Seus próprios robôs de combate matam toda a equipe, exceto Ihin da Achran, Thomases, o oficial de ciências e o Guia de toda a equipe. Khe’Rhil senta resignadamente na frente do missk morto, enquanto ele ouve a voz de Anetis por um longo tempo. Ela lhe dá força e a certeza da salvação. A Khestan, mesmo com medo, confia no servo das estrelas. Os três entram no espaço vazio onde a VAREK’ARK está esperando. Olhando para trás, eles veem a ORESTOS passar, protegida por uma enorme sombra.

Após o retorno, Khe’Rhil até mesmo engana Sergh lá Teffron, para a Khestan, sobre o atraso da viagem. Como um agradecimento, ela informa o Guia sobre a mensagem de Charron da Gonozal. Nela, Gonozal afirma que o regente não é aquele que ele finge ser. Ihin sabe que o regente desconfia do Khe’Mha’Thir.

Gostou deste resumo? Participe do Projeto Traduções! Clique aqui para criar uma Conta.

Imprimir Email

Login

A Chave secreta é necessária somente se você habilitou o Google Autenticador em seu perfil.